Sei sulla pagina 1di 110

SEGURO DE

LUCROS CESSANTES

19a edição

Rio de Janeiro
2015
É proibida a duplicação ou reprodução deste volume, ou de partes dele,
sob quaisquer formas ou meios, sem permissão expressa da Escola.

Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca da FUNENSEG

E73s Escola Nacional de Seguros. Diretoria de Ensino Técnico.


Seguro de lucros cessantes/Supervisão e coordenação metodológica da Diretoria de
Ensino Técnico; assessoria técnica de José Carlos de Lacerda Souza. – 19. ed. – Rio de Janeiro:
Funenseg, 2015.
110 p.; 28 cm

1. Seguro de lucros cessantes. I. Souza, José Carlos de Lacerda. II. Título.

0014-1452 CDU 368.87(072)

REALIZAÇÃO

Escola Nacional de Seguros


SUPERVISÃO E COORDENAÇÃO METODOLÓGICA

Diretoria de Ensino Técnico


ASSESSORIA TÉCNICA

José Carlos de Lacerda Souza – 2015/2014/2013


CAPA

Coordenadoria de Comunicação Social


DIAGRAMAÇÃO

Info Action Editoração Eletrônica


A
Escola Nacional de Seguros promove, desde 1971, diversas
iniciativas no âmbito educacional, que contribuem para um
mercado de seguros, previdência complementar, capitalização
e resseguro cada vez mais qualificado.

Principal provedora de serviços voltados à educação continuada, para


profissionais que atuam nessa área, a Escola Nacional de Seguros
oferece a você a oportunidade de compartilhar conhecimento e
experiências com uma equipe formada por especialistas que possuem
sólida trajetória acadêmica.

A qualidade do nosso ensino, aliada à sua dedicação, é o caminho


para o sucesso nesse mercado, no qual as mudanças são constantes
e a competitividade é cada vez maior.

Seja bem-vindo à Escola Nacional de Seguros.


4 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
Sumário

1 INTRODUÇÃO AO SEGURO DE LUCROS CESSANTES


O Seguro de Lucros Cessantes no Mercado Brasileiro
7
10
Requisitos Básicos para Contratação 11
Eventos Cobertos 11
Objeto do Seguro 12
Risco Coberto 12
Fixando Conceitos 1 13

2 GARANTIA DO SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Lucro Líquido
15
17
Despesas Fixas 17
Despesas Variáveis 18
Condição Econômico-Financeira de uma Empresa 19
A Empresa Opera com Lucro 19
A Empresa Opera com Resultado Nulo 20
A Empresa Opera com Prejuízo 21
Participação do Lucro Bruto no Movimento de Negócios da Empresa 24
Movimento de Negócios 24
Margem de Lucro Bruto 25
Fixando Conceitos 2 27

3 COBERTURA BÁSICA – FORMAS DE CONTRATAÇÃO E CARACTERÍSTICAS


Período Indenitário
31
33
Valor em Risco e Rateio 36
Cobertura Básica – Abrangência 37
Gastos Adicionais 38
Limitações de Gastos Adicionais 38
Impedimento de Acesso 39
Importância Segurada 40
Taxação 44
Franquia Dedutível (Facultativa) 46
Indenização 46
Etapas após a Ocorrência do Sinistro 47
Parcelas Indenizáveis 49
Fixando Conceitos 3 53

4 COBERTURAS ADICIONAIS DO SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Honorários de Peritos Contadores
63
65
Despesas com Instalação em Novo Local 65
Extensão da Cobertura a Fornecedores e/ou Compradores 66
Fixando Conceitos 4 69

SUMÁRIO 5
5 CONDIÇÕES GERAIS DA APÓLICE DE LUCROS CESSANTES
Limite de Indenização
73
76
Perda de Direitos 76
Devolução de Prêmio 77
Procedimentos 77
Fixando Conceitos 5 79

6 FORMAS DE CONTRATAÇÃO DO SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Forma Atual de Contratação de Lucros Cessantes
81
84
Compreensivos Multirriscos Empresariais/Condomínios 84
Riscos Nomeados 85
Riscos Operacionais 86
Fixando Conceitos 6 89

TESTANDO CONHECIMENTOS 91

GABARITO 103

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 109

6 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


1
INTRODUÇÃO
AO SEGURO DE
LUCROS CESSANTES

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Compreender os motivos da criação do Seguro de Lucros Cessantes, a sua finalidade e o fato gerador do risco.
• Entender os motivos da inexpressiva participação do ramo no mercado segurador brasileiro.
• Citar e entender os requisitos para a contratação do seguro.
• Distinguir eventos cobertos de riscos cobertos pelo seguro.
• Identificar o objeto do Seguro de Lucros Cessantes.

UNIDADE 1 7
8 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
A
pós a Revolução Industrial, com o incremento das atividades industriais
e, consequentemente, das atividades comerciais, a demanda por
Seguros de Incêndio aumentou consideravelmente, haja vista a
necessidade de proteção do patrimônio das empresas.

Com o passar dos tempos, e após serem analisados vários sinistros ocorridos
que estavam garantidos pelo Seguro Incêndio, constatou-se que havia perdas
que não eram cobertas por esse seguro. Ou seja, concluiu-se que um sinistro
que atinja os bens materiais (prédios, máquinas, instalações, mercadorias) de
uma empresa não gera apenas danos ao seu patrimônio físico, pois o reparo
desses danos demandará algum tempo e, consequentemente, durante esse
tempo, as atividades da empresa serão reduzidas ou até paralisadas total ou
parcialmente.

Os prejuízos decorrentes da paralisação ou da sensível redução das atividades


industriais ou comerciais podem até mesmo superar, em valor, os danos ou
a destruição de bens materiais. Exemplo: no maior sinistro brasileiro, do
segurado CSN, foi indenizado mais de US$ 500 milhões e a parte relativa à
cobertura de Lucros Cessantes representou quase 90% desse valor.

O Seguro de Lucros Cessantes tem sua origem nessa constatação: a ocorrência


de sinistros pode gerar, além de danos materiais, prejuízos financeiros
consequentes da paralisação ou diminuição das atividades das empresas
industriais ou comerciais.

Comentário

Os sinistros não geram apenas danos ao patrimônio físico das empresas,


pois o reparo desses danos demandará algum tempo e, durante
esse tempo, as atividades das empresas poderão ser reduzidas ou
paralisadas. Com a paralisação de suas atividades, as empresas sofrem
perdas financeiras que podem, inclusive, gerar sua falência.

Então, a finalidade do Seguro de Lucros Cessantes é garantir a situação


financeira da empresa após um sinistro de Danos Materiais que tenha
perturbado ou paralisado o movimento normal de seus negócios.

A ocorrência de sinistro de Danos Materiais é o que chamamos de fato


gerador do risco no Seguro de Lucros Cessantes.

O segurado, para ficar protegido plenamente contra essas perdas, deve


contratar o Seguro de Danos Materiais para garantir a reposição dos bens
físicos que possam ser destruídos por sinistros de Danos Materiais, e o
Seguro de Lucros Cessantes para garantir a reposição das perdas financeiras
(perdas de lucro) consequentes da paralisação das atividades da empresa em
virtude da indisponibilidade dos bens físicos destruídos pelo sinistro.

UNIDADE 1 9
Sinistro de Danos Materiais Ö Danos no
Patrimônio Físico

Ø Ø Proteção
Perturbação ou Paralisação do Seguro de Danos
Movimento de Negócios Materiais

Ø
Perda Financeira

Ø Proteção
Seguro de Lucros Cessantes

O SEGURO DE LUCROS CESSANTES


NO MERCADO BRASILEIRO
O Seguro de Lucros Cessantes foi regulamentado em 1948, pela Portaria
5 do extinto DNSPC, atual SUSEP, tendo o IRB – atual IRB-Brasil Resseguros
S.A. – começado a operar na carteira em 1951, época em que, efetivamente,
o seguro foi introduzido no mercado brasileiro. O modelo adotado foi a apólice
standard utilizada pelos ingleses, bem como suas reformulações, devidamente
adaptadas às condições do nosso mercado.

Atualmente, o Ramo Lucros Cessantes é responsável por menos de 1% dos


prêmios arrecadados pelo mercado segurador brasileiro. Essa inexpressiva
participação deve-se a diversas razões, entre as quais citamos:

• falta de pessoal tecnicamente habilitado;


• falta de programas de divulgação;
• dificuldades de obter informações fidedignas da contabilidade das empresas;
• complexidade e dificuldades nas regulações de sinistros; e
• principalmente porque a Cobertura de Lucros Cessantes está sendo
contratada através de outros ramos, como Seguros Compreensivos
(Multirriscos Empresariais e Condomínios), Riscos Nomeados e Riscos
Operacionais, e Riscos de Engenharia.

A cobertura do Seguro de Lucros Cessantes é fundamental para as empresas.


Os corretores de seguros devem analisar com muita atenção as necessidades
de seus clientes, pois as perdas financeiras decorrentes da paralisação dos
negócios de uma empresa podem ser enormes, e, se não forem indenizadas,
podem gerar até a falência dessa empresa.

Portanto, é aconselhável que os corretores de seguros ofereçam aos seus


clientes a contratação do Seguro de Lucros Cessantes, porque se não o fizerem,
poderão ser responsabilizados por omissão e até obrigados a indenizá-los
das perdas sofridas que poderiam ser cobertas por esse seguro, que não foi
contratado porque o corretor não o ofereceu.

10 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Os clientes podem alegar que as perdas poderiam ser cobertas pelo seguro
e não o foram porque o corretor não cumpriu sua obrigação de orientar o Multirriscos
segurado. Se o cliente não quiser contratar a cobertura, é importante que Seguros que oferecem
o corretor tenha como comprovar que a opção foi do segurado. coberturas concedidas pelos
diversos ramos de seguro,
sendo a cobertura principal

REQUISITOS BÁSICOS PARA (básica) contra Incêndio,


Queda de Raio e Explosão de
CONTRATAÇÃO Qualquer Natureza.
São seguros regidos
pelas normas e condições
Para contratar o Seguro de Lucros Cessantes, no Brasil, a empresa deverá estabelecidas por cada
atender aos seguintes requisitos: seguradora, desde que
aprovadas pela SUSEP.
• estar devidamente inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica
(CNPJ/MF); Riscos Nomeados
• possuir contabilidade organizada; e Seguros que oferecem
• possuir Seguro de Danos Materiais que garanta a cobertura das perdas coberturas concedidas pelos
materiais causadas pelos eventos para os quais deseja a cobertura de diversos ramos de seguro,
Lucros Cessantes. sendo a cobertura principal
(básica) contra Incêndio,
Queda de Raio e Explosão
Possuir uma perfeita organização contábil é aspecto fundamental na
de Qualquer Natureza.
contratação desse seguro, pois, através dos dados contábeis, são fixados os
Por se tratar de seguros
valores seguráveis e, em caso de ocorrência de sinistro, apuradas as perdas que envolvem valores
decorrentes. É imprescindível, portanto, que os registros contábeis estejam elevadíssimos, as normas e
organizados e acessíveis. condições são estabelecidas
pelas seguradoras, porém,
A exigência do Seguro de Danos Materiais, feita pelo segurador, visa garantir além da aprovação da SUSEP,
a reposição dos bens materiais atingidos em caso de sinistro, permitindo ao elas precisam ser aceitas
segurado retornar mais facilmente, e com maior rapidez, ao ritmo normal pelos resseguradores, que,
das suas atividades. normalmente, garantem a
Exemplo: a empresa que deseje contratar o Seguro de Lucros Cessantes maior parte do risco.
decorrente de alagamento deverá ter seu patrimônio físico amparado por um
Riscos Operacionais
Seguro de Danos Materiais, seja pelo Seguro Riscos Diversos – Modalidade
Alagamento, seja pela Cobertura Adicional de Alagamento do Seguro Seguros que se caracterizam
pela cobertura do tipo
Compreensivo Multirriscos ou, ainda, pelo Seguro de Riscos Nomeados
All Risks, isto é, abrangendo
ou de Riscos Operacionais. todas as perdas ou os danos
materiais causados aos
bens segurados, exceto os
EVENTOS COBERTOS formalmente considerados
excluídos em suas condições.
Os eventos cobertos pelo Seguro de Lucros Cessantes são os acidentes a que estão Por se tratar de seguros
sujeitos os bens da empresa segurada, devidamente especificados na apólice, que que envolvem valores
podem causar paralisações ou perturbações no seu movimento de negócios. elevadíssimos, as normas e
condições são estabelecidas
pelas seguradoras, porém,
São passíveis de serem abrangidos pelo Seguro de Lucros Cessantes todos os além da aprovação da SUSEP,
eventos que possam gerar danos materiais aos bens do segurado, causando elas precisam ser aceitas
redução ou paralisação de seus negócios. Logo, todas as coberturas de Seguros de pelos resseguradores, que,
Danos Materiais que garantem esses eventos podem ser conjugadas à cobertura normalmente, garantem a
de Lucros Cessantes. Porém, nas apólices atuais, as mais utilizadas são: maior parte do risco.

• Incêndio/Queda de Raio/Explosão de Qualquer Natureza;


• Danos Elétricos;
• Vendaval, Furacão, Ciclone, Tornado, Granizo, Queda de Aeronaves,
Impacto de Veículos Terrestres e Fumaça;
• Tumultos (podendo-se optar pela inclusão de Atos Dolosos);
• Alagamento;

UNIDADE 1 11
• Quebra de Máquinas;
• Desmoronamento;
• Deterioração de Mercadorias em Ambiente Frigorificados; e
• Derrame ou Vazamento de Sprinklers.

A cobertura conjugada pode se dar através de apólices distintas (uma de


Danos Materiais e outra de Lucros Cessantes) ou apólice única (Compreensivos
Multirriscos ou Riscos Nomeados ou Riscos Operacionais; nesse caso, Lucros
Cessantes é considerada cobertura adicional ou uma seção II da apólice).

OBJETO DO SEGURO
Nos Seguros de Danos Materiais, os bens cobertos são bens móveis
(máquinas, móveis, mercadorias, matérias-primas) e imóveis (prédios), ou seja,
bens físicos suscetíveis a eventos que poderão destruí-los ou danificá-los.
Exemplo: basta olhar para um prédio que sofreu um incêndio para ver que
será necessário reparar os danos ou até mesmo reconstruí-lo.

Já no Seguro de Lucros Cessantes, o objeto é a manutenção da


operacionalidade e lucratividade da empresa, sendo as perdas
ocorridas identificadas através da análise dos relatórios financeiros
elaborados pela contabilidade.

RISCO COBERTO
Consequentemente, o risco coberto pelo Seguro de Lucros Cessantes é a
perda de lucro bruto gerada pela paralisação total ou parcial nos negócios
da empresa, em virtude de danos materiais causados por eventos cobertos,
em que qualquer dos bens móveis ou imóveis existentes no local venham a
ser danificados ou destruídos em consequência desses eventos.

A responsabilidade no Seguro de Lucros Cessantes sempre estará condicionada


às limitações ou às restrições impostas pelas condições do Seguro de Danos
Materiais. Desse modo, se o evento ocorrido não estiver coberto pelo Seguro
de Danos Materiais, o Seguro de Lucros Cessantes também não irá cobri-lo.
Para que o Seguro de Lucros Cessantes garanta a cobertura, é necessário que o
Seguro de Danos Materiais reconheça que o evento ocorrido está coberto.

Logo, se os danos sofridos pelos bens segurados, em consequência do


evento, não estiverem cobertos pela apólice de Danos Materiais, a apólice
Lembre-se de Lucros Cessantes, do mesmo modo, não cobrirá as perdas de lucro
O risco coberto é a perda de lucro bruto resultantes desse evento.
gerada pela paralisação total ou parcial
nos negócios da empresa decorrente
de um dano material, causado por um
Os eventos ocorridos estarão cobertos pelo Seguro de Lucros Cessantes sempre
evento coberto. que as condições do Seguro de Danos Materiais reconheçam que esses danos
estão garantidos pela apólice de Danos Materiais.

12 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 1

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[1] Com relação ao Seguro de Lucros Cessantes, os danos materiais podem
ser entendidos como sendo:

(a) As perdas decorrentes da paralisação ou redução das atividades.


(b) Algo neutro em relação às perdas decorrentes da paralisação ou da
redução das atividades.
(c) Amparados pela cobertura de Lucros Cessantes.
(d) O fato gerador do risco de Lucros Cessantes.
(e) A diferença entre perdas e prejuízos relativos à deficiência de seguro.

[2] O objeto do Seguro de Lucros Cessantes:

(a) É a manutenção da operacionalidade e lucratividade da empresa.


(b) São exclusivamente os bens imóveis da empresa.
(c) São exclusivamente as mercadorias e as matérias-primas da empresa.
(d) São exclusivamente os bens móveis da empresa.
(e) São todos os bens móveis e imóveis da empresa.

[3] Entende-se por riscos cobertos pelo Seguro de Lucros Cessantes:

(a) A perda do patrimônio físico da empresa, pela ocorrência de sinistro


de Danos Materiais de evento coberto.
(b) A perda do lucro bruto, gerada pela paralisação total ou parcial dos
negócios da empresa, em virtude de ocorrência de sinistro de Danos
Materiais de evento coberto.
(c) A perda do patrimônio físico e, consequentemente, a perda do lucro
bruto, gerada pela paralisação total ou parcial dos negócios da
empresa, em virtude de ocorrência de sinistro de Danos Materiais de
evento coberto.
(d) A perda do lucro bruto, gerada pela paralisação total ou parcial dos
negócios da empresa, pela ocorrência de sinistro de Danos Materiais
de qualquer evento.
(e) A perda do lucro bruto, gerada pela paralisação total ou parcial dos
negócios da empresa, em consequência de instabilidade econômica
do país.

[4] ASSINALE COM “V” AS AFIRMATIVAS VERDADEIRAS E COM “F”, AS FALSAS

É requisito básico para a empresa contratar o Seguro de Lucros Cessantes:

( ) Dedicar-se exclusivamente a atividades industriais.


( ) Possuir Seguro de Danos Materiais para os eventos contra os quais deseja
se garantir.
( ) Estar inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF).
( ) Possuir contabilidade organizada, a partir da qual poderão ser fixados
os valores seguráveis.
( ) Estar constituída como sociedade anônima.

Assinale a opção correta:

(a) V,V,F,V,F
(b) F,V,F,V,F
(c) V,V,V,F,V
(d) F,V,V,V,F
(e) V,V,V,V,V

FIXANDO CONCEITOS 1 13
Fixando Conceitos 1

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[5] A principal causa da inexpressiva participação do ramo Lucros Cessantes nos
prêmios de seguros arrecadados pelo mercado segurador brasileiro é a(o):

(a) Contratação da cobertura de Lucros Cessantes em outros ramos.


(b) Facilidade na regulação e na liquidação de sinistros.
(c) Programa de divulgação do ramo.
(d) Baixo comissionamento pago ao corretor.
(e) Falta de capacidade financeira das seguradoras.

[6] Os acidentes a que estão sujeitos os bens da empresa segurada, que


podem provocar a paralisação no seu movimento de negócios, são definidos
em Lucros Cessantes como:

Assinale a opção correta:

(a) Eventos cobertos.


(b) Riscos excluídos.
(c) Riscos cobertos.
(d) Perdas financeiras.
(e) Bens cobertos.

[7] A exigência que se faz às empresas que desejam contratar o Seguro de Lucros
Cessantes, para que possuam Seguro de Danos Materiais, tem por objetivo:

(a) Vender mais uma apólice de seguro, gerando, assim, maior receita
para as seguradoras.
(b) Preservar o patrimônio do acionista da empresa, pois, se não for feito
o seguro, a empresa pagará vultosas multas.
(c) Garantir a reposição dos bens imóveis e móveis atingidos em caso
de sinistro, permitindo ao segurado retornar mais facilmente, e com
maior rapidez, ao ritmo normal de suas atividades.
(d) Aumentar o valor da importância segurada total, para gerar uma
indenização maior que as perdas sofridas em caso de sinistro.
(e) Permitir à empresa escolher entre a reposição das perdas ocorridas
com os danos materiais e as perdas decorrentes da paralisação de suas
atividades.

14 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


2
GARANTIA DO SEGURO
DE LUCROS CESSANTES

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Compreender o conceito e calcular o lucro bruto segurável no Seguro de Lucros Cessantes.
• Definir lucro líquido segurável em Lucros Cessantes.
• Distinguir despesas fixas de despesas variáveis, conhecendo seus conceitos.
• Citar e entender as situações econômico-financeiras possíveis de uma empresa e distinguir as empresas que
podem contratar este seguro das que não podem.
• Conceituar o movimento de negócios de uma empresa, bem como quais são as definições aplicáveis nos
seguros das empresas industriais e não industriais.
• Identificar e calcular a margem de lucro bruto de uma empresa.

UNIDADE 2 15
16 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
O
interesse segurável no Seguro de Lucros Cessantes é o lucro
bruto, mas não é o mesmo daquele apresentado na Contabilidade,
para o seguro de lucros cessantes, o lucro bruto é aquele que
pode ser perdido em função da paralisação do negócio do segurado.
O lucro bruto contábil é a diferença entre as vendas (receita líquida) e
os custos dos produtos ou mercadorias vendidos ou serviços prestados.
O Seguro de Lucros Cessantes vai indenizar as perdas financeiras ocorridas,
ou seja, o lucro bruto que o segurado deixou de obter devido ao sinistro.
Portanto, o lucro bruto segurável corresponderá ao lucro líquido que o
segurado não obteve em virtude da paralisação, somado às despesas fixas
(aquelas que ele terá de realizar mesmo sem ter receita para financiá-las).

Lucro Bruto = Lucro Líquido + Despesas Fixas

O esquema a seguir nos permite uma visualização melhor dos conceitos


apresentados.

Lucro Líquido Lucro Líquido

Despesas Fixas Despesas Fixas Despesas Fixas

Despesas Despesas
Variáveis Variáveis
Lucro Bruto
Preço de Custo Preço de Venda
Segurável

LUCRO LÍQUIDO
O lucro líquido é o resultado da diferença entre o total das receitas e o
total das despesas mais custos realizados para gerar essas receitas, ou seja, Rendas de capital
é o resultado diretamente gerado pelas atividades operacionais da empresa. São os resultados positivos
Não são computados, na sua apuração, as rendas de capital e as despesas de investimentos realizados.
a elas atribuíveis. Também são chamadas de
ganhos financeiros.
Lucro líquido é a diferença entre a receita gerada pela venda dos produtos,
mercadorias ou serviços prestados e o seu custo total (quanto custou para os Despesas atribuíveis
produtos ou as mercadorias serem vendidos ou para a prestação dos serviços, São as despesas decorrentes
mais todas as despesas realizadas pela empresa em sua operação). da realização de investimentos.
Exemplos: comissões pagas,
Simplificadamente podemos defini-lo como o lucro líquido operacional que taxas de administração
consta das demonstrações contábeis. financeira.

DESPESAS FIXAS
São aquelas despesas normalmente suportadas pela empresa, durante Lembrete
cada exercício financeiro, independentemente do volume produzido ou Quer a empr es a pr oduz a ou quer
comercialize uma unidade ou um milhão
negociado, e que perduram mesmo após a ocorrência de sinistro que de unidades, as despesas fi xas não se
paralise ou reduza suas atividades. alteram.

A definição das despesas fixas a serem incluídas no seguro exige uma prévia e Independentemente de a empresa estar
funcionando à plena carga ou não, ou
criteriosa análise contábil do plano de contas da empresa, realizada com o
mesmo que ela esteja paralisada, as
assessoramento do seu contador. Será necessário que se identifiquem os gastos despesas fixas perduram.
fixos que, muitas vezes, estão incluídos, sob títulos gerais, no plano contábil.

UNIDADE 2 17
Não é aconselhável a exclusão de quaisquer despesas fixas da cobertura do
Seguro de Lucros Cessantes, porque o segurado não será indenizado por
todas as perdas que poderá sofrer. O ideal é que seja garantida a totalidade
das despesas fixas. Neste caso, basta declarar que todas as despesas fixas
serão cobertas pelo seguro (não precisa discriminá-las).

Porém, se o cliente optar pela contratação de somente parte de suas


despesas fixas, estas devem ser identificadas, na apólice, com o mesmo nome
constante do plano de contas da empresa. O conjunto destas despesas fixas
seguradas pela apólice é chamado de despesas fixas especificadas.

São exemplos de despesas fixas:

• salários e ordenados;
• honorários;
• FGTS;
• indenizações;
• aviso prévio;
• Previdência Social;
• Seguros (exceto o de Transportes);
• energia elétrica (das instalações gerais, não ligadas à produção);
• gás (das instalações gerais, não ligadas à produção);
Amortização • água (das instalações gerais, não ligadas à produção);
Fator contábil redutor do Ativo
• telefone;
Permanente Diferido, baseado • portes e telegramas, telex;
na adoção de parâmetros • despesas com limpeza;
contábeis usualmente aceitos, • assistência: médico-hospitalar, jurídica, contábil, administrativa, técnica;
que ajustam os valores • contribuições e associações;
relacionados nesse ativo. • impostos em geral, desde que não ligados à produção, como IPTU e
Servem, como exemplos, IPVA (atenção: ICMS, ISS, IPI não são despesas fixas, por estarem ligados
marcas e patentes; à produção e, assim, não perduram em caso de paralisação – total ou
minas subterrâneas e parcial – da empresa, quando de um sinistro de dano material);
subaquáticas. • propaganda e publicidade;
• revistas, jornais, livros técnicos;
Depreciação • despesas da área de Relações Públicas;
Fator contábil redutor do • conservação e manutenção;
Ativo Permanente Imobilizado, • aluguéis;
baseado na existência, no uso • vigilância;
e na conservação dos bens • juros sobre empréstimos;
relacionados nesse ativo. • depreciação do ativo; e
• amortizações.

DESPESAS VARIÁVEIS
São as despesas ligadas à produção ou à venda, que não perduram após
a ocorrência de sinistro coberto que cause paralisação da empresa.

Comentário

As despesas variáveis não estão abrangidas pelo Seguro de Lucros


Cessantes, pois como deixam de existir quando ocorre o sinistro
que paralisa a atividade do segurado, não terão que ser realizadas.
Logo, este tipo de despesa não precisará ser ressarcida pelo seguro e,
portanto, não irá compor o lucro bruto segurável.

18 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Como exemplos de despesas variáveis, temos:

• consumo de matérias-primas;
• fretes;
• ICMS, IPI, ISS; e
• PIS, COFINS, Imposto de Renda.

CONDIÇÃO Balanço Patrimonial


ECONÔMICO-FINANCEIRA Retrato da situação
econômico-financeira em
DE UMA EMPRESA determinado momento.

A análise econômico-financeira de uma empresa é realizada através de suas Demonstração do


Resultado do Exercício
demonstrações contábeis (Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado
do Exercício, Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos, e da Receitas e despesas auferidas
Demonstração do Fluxo de Caixa). pela empresa em determinado
período.
A condição econômico-financeira de uma empresa em funcionamento só
Demonstração de
pode apresentar uma das três situações abaixo: Origens e Aplicações
de Recursos
• a empresa opera com lucro; Variações do capital de giro ou
• a empresa opera com resultado nulo; ou capital circulante.
• a empresa opera com prejuízo.
Fluxo de Caixa
É com base nessas possíveis situações que o Seguro de Lucros Cessantes opera. Movimentação (entradas e
saídas) de recursos financeiros
da empresa.
A Empresa Opera com Lucro
É a situação ideal, pretendida por todos os empresários.

Nesse caso, a cobertura do Seguro de Lucros Cessantes tem por objetivo


indenizar o lucro que a empresa obteria em condições normais de
funcionamento, ou seja, o lucro líquido somado às despesas fixas.

Lucro Bruto Segurável = Lucro Líquido + Despesas Fixas

Lucro Líquido Lucro Líquido

Despesas Despesas Despesas


Fixas Fixas Fixas

Despesas Despesas
Variáveis Total Variáveis
Lucro Bruto
Preço Total Preço de Venda
Segurável
de Custo

UNIDADE 2 19
Estudo de Caso 1

Dados apurados pela Contabilidade da Empresa A

Movimento de Negócios (Vendas) R$ 100.000,00


Despesas Fixas (R$ 30.000,00)
Despesas Variáveis (R$ 60.000,00)
Total das Despesas (R$ 90.000,00)
Lucro Líquido R$ 10.000,00

Lucro Bruto Segurável = R$ 10.000,00 + R$ 30.000,00 = R$ 40.000,00

R$ 10.000,00
R$ 10.000,00

R$ 30.000,00 R$ 30.000,00 R$ 30.000,00

R$ 60.000,00 R$ 60.000,00

Lucro Bruto
Preço Total Preço de Venda Segurável
de Custo

A Empresa Opera com Resultado Nulo


A situação, embora difícil de ocorrer na prática, é bastante didática para o
estudo desse seguro.

Caracteriza-se pelo preço de venda ser equivalente ao preço total de custo.


No caso, a cobertura tem por objetivo indenizar as despesas fixas (pois
não há lucro líquido).

Lucro Bruto Segurável = Despesas Fixas

Despesas Fixas Despesas Fixas Despesas Fixas

Despesas Despesas
Variáveis Variáveis
Lucro Bruto
Preço Total Preço de Venda
Segurável
de Custo

20 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Estudo de Caso 2

Dados apurados pela Contabilidade da Empresa B

Movimento de Negócios (Vendas) R$ 100.000,00


Despesas Fixas (R$ 30.000,00)
Despesas Variáveis (R$ 70.000,00)
Total de Despesas R$ 100.000,00
Lucro Líquido Zero

Lucro Bruto Segurável = R$ 30.000,00

R$ 30.000,00 R$ 30.000,00 R$ 30.000,00

R$ 70.000,00 R$ 70.000,00

Preço Total Preço de Venda Lucro Bruto


de Custo Segurável

A Empresa Opera com Prejuízo


É a situação empresarial mais desfavorável, mas nem por isso seria desvantajosa
ou desaconselhável a contratação do Seguro de Lucros Cessantes.

Pelo contrário, nesse caso, o objetivo seria o de não permitir o agravamento


da situação econômico-financeira da empresa, mantendo o mesmo nível
de prejuízo que havia antes do sinistro.

Lembre-se de que o seguro jamais pode proporcionar lucro ao segurado.


Então, se por ocasião do sinistro a empresa atuava com prejuízo, o máximo
que poderia obter do Seguro de Lucros Cessantes seria a mesma situação de
prejuízo em que se encontrava antes.

O seguro, nesse caso, terá como objetivo indenizar a diferença entre o total das
despesas fixas e o prejuízo, ou seja, o objetivo do seguro será financiar a parcela
das despesas fixas que as vendas financiariam se não tivesse ocorrido o sinistro.

Podemos afirmar que, se a empresa opera com prejuízo, os custos são


superiores às vendas; logo o lucro líquido é negativo (representação
matemática para o prejuízo, em que a empresa estava).

Se o lucro líquido é negativo (prejuízo), o lucro bruto é o resultado da


seguinte equação:

Lucro Bruto = (– Lucro Líquido) + Despesas Fixas

Ou seja: se a empresa apresenta prejuízo, a equação será a seguinte:

Lucro Bruto Segurável = Despesas Fixas – Prejuízo

UNIDADE 2 21
Verifica-se que assim é alcançado o objetivo do Seguro de Lucros Cessantes,
pois, ao indenizar a parte das despesas fixas que os prejuízos que vinham
ocorrendo, restabelece a situação financeira que seria alcançada se não
houvesse o sinistro.

Estudo de Caso 3

Dados apurados pela Contabilidade da Empresa C

Movimento de Negócios (Vendas) R$ 100.000,00


Despesas Fixas (R$ 30.000,00)
Despesas Variáveis (R$ 120.000,00)
Total das Despesas (R$ 150.000,00)
Prejuízo (Lucro Líquido) (R$ 50.000,00)

Lucro Bruto Segurável = R$ 30.000,00 – R$ 50.000,00 = (R$ 20.000,00)

Despesas Fixas Prejuízo


R$ 30.000 R$ 50.000

Despesas Variáveis Vendas


R$ 120.000 R$ 100.000

Preço Total Preço de Venda Lucro Bruto


de Custo Segurável

Nesse caso, temos um lucro bruto segurável negativo, o que significa que
as receitas (vendas) da empresa não conseguem pagar suas despesas fixas,
ou seja, se a empresa deixar de operar, obterá um melhor resultado (seu
prejuízo será menor).

A Empresa C não tem lucro a perder, portanto, não deve fazer o Seguro de
Lucros Cessantes.

22 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Estudo de Caso 4
Dados apurados pela Contabilidade da Empresa D

Movimento de Negócios (vendas) R$ 100.000,00


Despesas Fixas (R$ 30.000,00)
Despesas Variáveis (R$ 90.000,00)
Total de Despesas (R$ 120.000,00)
Lucro Líquido (Prejuízo) (R$ 20.000,00)

Lucro Bruto Segurável = R$ 30.000,00 – R$ 20.000,00 = R$ 10.000,00

Preço Total Preço de Venda Lucro Bruto


de Custo Segurável

Repare que o caso da Empresa D é diferente. Embora suas receitas (vendas)


não consigam pagar a totalidade das suas despesas fixas, uma parte destas
despesas é paga. Logo, se houver uma paralisação dos negócios, como a
empresa irá pagar esta parte das despesas?

Ou seja, diferentemente da Empresa C, a Empresa D tem lucro a perder.


Portanto, poderá contratar o Seguro de Lucros Cessantes para cobrir a parcela
das despesas fixas que suas receitas conseguem pagar quando a empresa
está operando.

Conclusão
O Seguro de Lucros Cessantes ampara a empresa que opera obtendo
lucro líquido (Empresa A); a que opera obtendo nem lucro líquido
nem prejuízo (Empresa B); e até a que opera obtendo prejuízo
(Empresa D).

O lucro bruto segurável é igual à diferença entre o valor das vendas


(faturamento) e as Despesas Variáveis (incluindo-se nestas despesas, os
custos de venda, de produção ou de prestação de serviços), sempre que
o valor das vendas ultrapassar as Despesas Variáveis. A empresa será
indenizada, em caso de sinistro, das perdas geradas pela redução
do faturamento, ou seja, do lucro bruto perdido.

No caso de o faturamento (vendas) da empresa ser igual ou inferior às


suas despesas variáveis, o Seguro de Lucros Cessantes não se aplicará,
porque o interesse segurável, que é o lucro bruto, não existirá (como
é o caso da empresa C).

UNIDADE 2 23
PARTICIPAÇÃO DO LUCRO BRUTO
NO MOVIMENTO DE NEGÓCIOS
DA EMPRESA
Movimento de Negócios
É considerado movimento de negócios de uma empresa o total das quantias
pagas ou devidas ao empresário segurado, por mercadorias ou produtos vendidos
ou por serviços prestados, no curso das atividades industriais, comerciais ou de
serviços realizadas nos locais cobertos pelo seguro. É o resultado monetário
bruto da atividade empresarial, ou seja, o dinheiro que o empresário
segurado recebe por suas vendas ou prestação de serviços.

O movimento de negócios corresponde às receitas operacionais líquidas, ou,


simplesmente, ao faturamento (vendas líquidas).

A análise do movimento de negócios da empresa servirá de base para a


determinação dos valores a segurar, bem como para a apuração das perdas
financeiras sofridas em decorrência de sinistro.

Além das condições gerais, no Seguro de Lucros Cessantes, por suas


particularidades, são incluídas definições e especificações, de acordo com
a atividade desenvolvida pelo segurado. Essas definições e especificações
descrevem quais são os critérios que serão utilizados para a apuração do Valor
em Risco, bem como quais são as perdas cobertas pela apólice e como essas
perdas serão apuradas no momento do sinistro.

Comentários Para empresas comerciais e de prestação de serviços, utiliza-se apenas a


Essas especificações são complementares especificação movimento de negócios (vendas).
à especificação movimento de negócios
(venda) e foram incluídas no Seguro
Já para empresas industriais, para as quais são exigidos maiores detalhamentos,
de Lucros Cessantes com o objetivo
de resolver problemas relacionados à além da apuração pela especificação movimento de negócios (vendas),
regulação de sinistros em indústrias. poderão ser utilizadas, de acordo com o tipo de indústria, as especificações
produção (unidades ou valor de venda) ou consumo, a saber:
Assim, utilizando-se as definições de
produção (unidades ou valor de venda)
e consumo, ficará evidente a queda na • produção (unidades) – utilizada para indústrias que fabricam um único
produção de produtos prontos (assim como tipo de produto;
a queda no consumo de matérias-primas),
acarretando a redução de estoques
do segurado para suprir as vendas • produção (valor de venda) – utilizada para indústrias que fabricam vários
(movimento de negócios). Portanto, a produtos e utilizam diversas matérias-primas; e
seguradora indenizará o lucro perdido,
proporcionado pela redução da produção
ou consumo na indústria segurada. • consumo – utilizada para indústrias que fabricam mais de um produto e
consomem uma única matéria-prima.

24 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Exemplo

Uma indústria de sapatos contratou uma apólice de Seguro de Lucros


Cessantes decorrentes do evento Incêndio por um período indenitário
de 3 meses. Alguns dias depois, o local segurado foi atingido por
um sinistro de incêndio, que só causou danos materiais ao setor de
produção. Em consequência disso, a indústria passou a produzir
apenas 50% dos sapatos que produzia normalmente. Como havia
sapatos estocados, que não foram danificados pelo sinistro, as vendas
dessa indústria realizaram-se normalmente durante os 3 meses que
foram necessários para o retorno da produção (normalização de suas
atividades), apesar de a reposição do estoque ter ficado limitada a
apenas 50% das saídas desses produtos prontos do depósito.

Se a seguradora fizesse a apuração das perdas de lucro apenas com


base na definição movimento de negócios, concluiria que não houve
perda nesses 3 meses, o que seria injusto com o segurado. Por isso
é que, em casos como esses, utilizam-se as definições produção
(unidades ou valor de venda) ou consumo, porque somente através
da análise da queda na fabricação de produtos prontos ou no consumo de
matérias-primas é que serão verificadas as perdas financeiras ocorridas
que serão cobertas pelo Seguro de Lucros Cessantes.

Isso é necessário porque o Seguro de Lucros Cessantes objetiva


restabelecer as mesmas condições financeiras existentes, na empresa
segurada, antes da ocorrência do sinistro.

Margem de Lucro Bruto


O lucro bruto segurável é representado pela soma do lucro líquido com
as despesas fixas. Então, podemos afirmar que a participação desse lucro
bruto no movimento de negócios da empresa é denominada margem de
lucro bruto e costuma se apresentar como a relação percentual entre o lucro
bruto segurável (somatório das despesas fixas com o lucro líquido, se houver)
e o movimento de negócios.

Margem de Lucro Bruto = Lucro Bruto Segurável × 100


Movimento de Negócios

Ou seja, a margem de lucro bruto é a percentagem que o lucro bruto


segurável representa no movimento de negócios da empresa.

Entende-se como margem de lucro bruto, a parcela máxima do faturamento


(movimento de negócios) que é garantida pelo Seguro de Lucros Cessantes.

A finalidade de se conhecer a margem de lucro bruto da empresa é facilitar


a determinação da importância segurada e a apuração do valor em risco
e da indenização cabível, em caso de sinistro.

UNIDADE 2 25
Para a contratação do Seguro de Lucros Cessantes, é fundamental a correta
identificação das despesas fixas, o cálculo do lucro líquido e a definição do
movimento de negócios (faturamento).

Exemplo

Movimento de Negócios (Vendas) R$ 100.000,00


Despesas Fixas (R$ 20.000,00)
Despesas Variáveis (R$ 70.000,00)
Total das Despesas (R$ 90.000,00)
Lucro Líquido R$ 10.000,00 (R$ 100.000 – R$ 90.000)
Lucro Bruto Segurável R$ 30.000,00 (R$ 10.000 + R$ 20.000)

Margem de Lucro Bruto = (R$ 30.000,00 ÷ R$ 100.000,00) × 100 = 30%

Neste caso, o lucro bruto segurável representa 30% do movimento


de negócios (vendas) da empresa, sendo, portanto, a parcela máxima
do faturamento que será garantida pelo Seguro de Lucros Cessantes.

Aplicação prática

Calcule a margem de lucro bruto para o Seguro de Lucros Cessantes


de uma empresa, que apresenta os seguintes dados contábeis:

• Despesas Fixas: R$ 1.000.000,00


• Despesas Variáveis: R$ 1.200.000,00
• Prejuízo: R$ 200.000,00
• Movimento de Negócios (Vendas): R$ 2.000.000,00

Solução:
1o Passo – como não foi dado o valor do lucro bruto, teremos de
calculá-lo. Verifica-se que a empresa não opera com lucro líquido, mas
com prejuízo. Portanto, o seguro irá garantir a parcela das despesas
fixas que superam o prejuízo, ou seja:

Lucro Bruto = Despesas Fixas – Prejuízo


Lucro Bruto = R$ 1.000.000,00 – R$ 200.000,00 = R$ 800.000,00

2o Passo – Cálculo da Margem de Lucro Bruto, em que:

Margem de Lucro Bruto = (R$ 800.000,00 ÷ R$ 2.000.000,00) × 100


= 40%

26 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 2

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[1] A participação do lucro bruto no movimento de negócios da empresa é
obtida:

(a) Com base nos valores, em estoque, dos produtos acabados na data
do evento.
(b) Pela soma lucro líquido + despesas fixas, dividida pelo movimento
de negócios.
(c) Pela soma lucro bruto + despesas fixas, dividida pelo movimento
de negócios.
(d) Pela soma lucro líquido + despesas variáveis, dividida pelo movimento
de negócios.
(e) Pela soma gastos adicionais + despesas com instalação em novo local,
dividida pelo movimento de negócios.

[2] Entre as despesas abaixo, a(s) que NÃO se enquadra(m) na definição de


despesa fixa para efeito de Seguro de Lucros Cessantes é o (são os/as):

(a) Encargos sociais sobre a folha de pagamento.


(b) Propaganda e publicidade.
(c) 13o salário.
(d) Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).
(e) Despesas com telefone e assinaturas de revistas, jornais e livros
técnicos.

[3] O valor segurável no Seguro de Lucros Cessantes pode ser resumido


conforme uma das operações abaixo:

(a) Lucro líquido antes do imposto de renda mais depreciações de máquinas.


(b) Diferença de vendas brutas ocorridas após o sinistro.
(c) Lucro líquido operacional mais despesas fixas.
(d) Lucro líquido mais despesas não dedutíveis.
(e) Lucro líquido operacional mais todas as despesas.

[4] Se uma determinada empresa opera com prejuízo, o objetivo do Seguro


de Lucros Cessantes é o de indenizar:

(a) A rentabilidade positiva da empresa.


(b) As despesas variáveis.
(c) Somente os gastos adicionais.
(d) A diferença entre as despesas fixas e o prejuízo.
(e) A soma do lucro bruto com as despesas fixas.

FIXANDO CONCEITOS 2 27
Fixando Conceitos 2

[5] As especificações produção (unidades), produção (valor de venda) e


Anotações: consumo:

(a) São típicas de riscos comerciais.


(b) Não são utilizadas, em nenhuma circunstância, nos sinistros de Lucros
Cessantes.
(c) Aplicam-se a riscos industriais e são complementares à especificação
movimento de negócios.
(d) São aplicáveis quando uma loja comercial é paralisada por impedimento
de acesso.
(e) Aplicam-se aos riscos comerciais, mas não são complementares à
especificação movimento de negócios.

[6] De uma determinada empresa, foram obtidos os seguintes dados


contábeis:

Lucro Líquido Final = R$ 250.000,00


Lucro Líquido Operacional = R$ 200.000,00
Despesas Fixas = R$ 300.000,00
Despesas Variáveis = R$1.500.000,00
Movimento de Negócios = R$2.000.000,00

A margem de lucro bruto para o Seguro de Lucros Cessantes da empresa


é de:

(a) 10%
(b) 15%
(c) 25%
(d) 50%
(e) 100%

[7] ASSINALE COM “V” AS AFIRMATIVAS VERDADEIRAS E COM “F”, AS FALSAS

No Seguro de Lucros Cessantes, com relação à cobertura de despesas fixas:

( ) O segurado poderá decidir se garantirá total ou parcialmente as despesas


fixas.
( ) Despesas fixas são aquelas que perduram após a ocorrência do sinistro.
( ) Somente as despesas variáveis relacionadas na apólice serão indenizadas.
( ) As despesas fixas relacionadas na apólice são denominadas despesas
fixas especificadas.
( ) O segurado poderá garantir a totalidade das despesas variáveis.

Assinale a opção correta:

(a) F,F,V,V,V
(b) V,V,F,F,V
(c) F,V,V,F,V
(d) V,F,V,V,V
(e) V,V,F,V,F

28 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 2

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[8] As chamadas despesas variáveis, no Seguro de Lucros Cessantes, são
aquelas que:

(a) Aumentam em demasia, por causa do sinistro.


(b) Simplesmente deixam de existir, após um sinistro com perda total.
(c) Significam a mesma coisa que gastos adicionais.
(d) Somadas às despesas fixas, perfazem aquilo que se chama de lucro
bruto para efeito de seguro.
(e) A rigor não existem, pois todas as despesas de uma empresa são fixas.

[9] No Seguro de Lucros Cessantes, a expressão “movimento de negócios”


significa:

(a) Os gastos com propaganda e publicidade da empresa segurada.


(b) A movimentação de mercadorias no espaço físico da indústria.
(c) A transferência de estoques da matriz para as filiais da empresa.
(d) O total das quantias que o segurado receberá quando vender estoques
acumulados e salvados após o sinistro.
(e) O total das quantias pagas ou devidas ao segurado por mercadorias
vendidas ou por serviços prestados no curso das atividades, nos locais
mencionados na apólice.

[10] O valor do lucro bruto para Lucros Cessantes de uma empresa que
apresenta os dados contábeis abaixo corresponde a:

Lucro Líquido Operacional = R$ 100.000,00


Lucro Líquido Final = R$ 200.000,00
Despesas Variáveis = R$ 1.900.000,00
Despesas Fixas = R$ 2.000.000,00
Movimento de Negócios = R$ 4.000.000,00

Assinale a opção correta:

(a) R$ 1.100.000,00
(b) R$ 1.200.000,00
(c) R$ 1.000.000,00
(d) R$ 2.100.000,00
(e) R$ 2.200.000,00

FIXANDO CONCEITOS 2 29
Fixando Conceitos 2

[11] Com base nos dados da questão anterior, a margem de lucro bruto para
Anotações: Lucros Cessantes da empresa corresponde a:

(a) 20%
(b) 25%
(c) 30%
(d) 52,5%
(e) 55%

30 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


3
COBERTURA BÁSICA –
FORMAS DE CONTRATAÇÃO
E CARACTERÍSTICAS

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Conceituar período indenitário, entender como ele funciona, quando inicia e termina, quais seus limites
mínimos e máximos e sua influência no Seguro de Lucros Cessantes.
• Compreender a forma de contratação do Seguro de Lucros Cessantes e quando se aplica o rateio.
• Entender as opções de abrangência da cobertura básica do seguro em relação ao lucro bruto segurável.
• Compreender o conceito de gastos adicionais, citar exemplos deste tipo de gastos, bem como calcular
seus limites.
• Identificar as características da cobertura de impedimento de acesso, seu funcionamento e como ela
é concedida.
• Calcular a importância segurada da cobertura básica do Seguro de Lucros Cessantes.
• Calcular as taxas básica e final, bem como o prêmio do Seguro de Lucros Cessantes.
• Entender os critérios e as consequências da inclusão de franquias no Seguro de Lucros Cessantes.
• Compreender as etapas do processo de regulação de um sinistro de Lucros Cessantes, as parcelas indenizáveis,
bem como calcular a indenização devida ao segurado.

UNIDADE 3 31
32 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
O
Seguro de Lucros Cessantes somente será acionado se ocorrer
sinistro de Danos Materiais, de eventos previstos na apólice, que
provoquem a paralisação ou a redução do movimento de negócios,
e fique caracterizado que ocorreu a perda de lucro bruto da empresa, em
consequência da ocorrência desse sinistro de Danos Materiais.

Portanto, o Seguro de Lucros Cessantes não pode ser considerado um


“ramo puro”, pois não pode ser contratado isoladamente, mas sim,
necessariamente, conjugado a outro de Danos Materiais. A empresa que
desejar contratar o Seguro de Lucros Cessantes para determinado evento
deverá ter apólice de seguro que garanta os danos materiais que possam ser
causados por aquele evento.

Exemplo: uma empresa, para contratar uma apólice de Lucros Cessantes em


decorrência de incêndio, deverá possuir cobertura de incêndio, amparando o
seu patrimônio físico contra este evento.

Assim sendo, os eventos cobertos em Lucros Cessantes são acidentes aos quais
estão sujeitos os bens da empresa e que podem causar perturbações no giro
de seus negócios (movimento de negócios ou faturamento ou vendas).

Atenção
Não é demais repetir que, teoricamente, qualquer Seguro de Dano
Material pode ter sua cobertura agregada à de Lucros Cessantes mas,
na prática, as situações de conjugação mais utilizadas são feitas com
as coberturas de: Incêndio; Queda de Raio; Explosão de Gás de Uso
Doméstico; Explosão de Aparelhos e Substâncias; Incêndio Resultante
de Queimadas em Zonas Rurais; Vendaval, Furacão, Ciclone, Tornado,
Granizo, Queda de Aeronaves, Impacto de Veículos Terrestres e
Fumaça; Tumultos (podendo-se optar pela inclusão de Atos Dolosos);
Desmoronamento; Alagamento; Derrame ou Vazamento de Sprinklers;
Deterioração de Mercadorias em Ambientes Frigorificados; Danos
Elétricos; Quebra de Máquinas.

PERÍODO INDENITÁRIO
Após a ocorrência de um evento (fato gerador), haverá a necessidade de um
tempo para a empresa recuperar o ritmo normal de suas atividades. Esse tempo
é denominado período indenitário no Seguro de Lucros Cessantes, o qual
deverá, obrigatoriamente, ser definido na apólice, estimado pelo segurado,
expresso em meses e limitado, no máximo, a 36 meses.

Período indenitário, portanto, é o tempo necessário para a empresa


recuperar o ritmo normal de suas atividades, após a ocorrência de um
sinistro de Danos Materiais que provoque a paralisação ou a redução de
seu movimento de negócios.

O início do período indenitário coincide com a data da ocorrência do


sinistro de Danos Materiais e seu término ocorre ou com a normalização
das atividades da empresa ou quando se esgota o número de meses
estabelecido na apólice para o evento ocorrido, prevalecendo o fato que
ocorrer primeiro.

UNIDADE 3 33
Como o período indenitário está relacionado ao restabelecimento do
movimento de negócios do segurado, e não com a reparação do dano
material decorrente, mesmo que já tenha sido reparado o dano material, o
período indenitário continuará até a retomada da situação financeira anterior
à ocorrência do sinistro de Dano Material.

Esta é uma característica própria do Seguro de Lucros Cessantes: a


garantia prolonga-se no tempo, podendo até ultrapassar a vigência
da apólice, dependendo da época em que ocorrer o fato gerador (sinistro de
Danos Materiais) do sinistro de Lucros Cessantes e da grandeza do período
indenitário. Entretanto, é necessário que o sinistro de Dano Material ocorra
dentro da vigência da apólice do Seguro de Lucros Cessantes.

É importante que o período indenitário seja bem dimensionado para cada


evento coberto, observando-se as consequências de um sinistro (limpeza e
remoção de bens destruídos; planejamentos, obtenção das licenças necessárias;
reconstrução dos prédios; reinstalação de equipamentos; recuperação do
processo produtivo), pois, de acordo com o evento, a empresa levará mais
ou menos tempo para retomar suas atividades normais. Portanto, o segurado
deve fixar, na apólice, o período indenitário de cada evento, de acordo com o
tempo necessário a essa retomada. Obviamente, cada evento (fato gerador)
pode causar danos de extensões diferentes, necessitando de períodos
indenitários distintos.

Normalmente, um incêndio é um acidente mais grave do que um dano elétrico.


Portanto, o número de meses para retomar as atividades será maior após um
incêndio do que após um dano elétrico. Consequentemente, o período indenitário
para o evento incêndio será maior do que aquele para danos elétricos.

Exemplo

Situação hipotética de um sinistro Incêndio numa indústria de


autopeças, que atingiu os prédios e seus conteúdos (M.M.U e M.M.P),
e para o qual foi contratado um período indenitário de 15 meses.

SINISTRO 11o MÊS 15o MÊS


(Retomada da (Fim do P.I.
produção) contratado
na apólice)

O período indenitário pode variar de 1 a 36 meses e é um dos parâmetros base


para a determinação da importância segurada, pois quanto maior o período
indenitário, maior será o volume de lucro bruto que o segurado poderá perder
com a ocorrência de um sinistro. O período indenitário é também determinante
para o cálculo da taxa e do prêmio do seguro de lucros cessantes.

34 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Aplicação prática
Por quanto tempo o segurado teria direito à indenização, pelo Seguro
de Lucros Cessantes, com base nos dados abaixo?

• Vigência: 01/01/12 a 01/03/13


• Data do sinistro de Dano Material: 01/03/12 (zero hora)
• Data da finalização da reparação do Dano Material: 30/04/12 (24h)
• Data da normalização das atividades por parte do segurado:
31/05/12
• Período indenitário fixado na apólice: 5 meses

É importante lembrar que, para fins de sinistro de Lucros Cessantes,


não existe relação entre o prazo do seguro (vigência) e o período
indenitário, pois este começa a vigorar a partir da data do sinistro de
Dano Material que cause perturbação ou paralisação no movimento
de negócios do segurado. Contudo, é necessário que o sinistro de Dano
Material ocorra dentro da vigência da apólice de Lucros Cessantes.

Resposta:
– a data do sinistro de Dano Material (01/03/12) ocorreu dentro
da vigência da apólice e, considerando que tal sinistro tenha
causado perturbação no movimento de negócios do segurado,
será indenizável pela apólice de Lucros Cessantes.

– assim, o período indenitário começará a contar a partir da data do


sinistro de Danos Materiais (01/03/12) e encerrar-se-á quando findar
este período (previsto na apólice) ou quando se der a normalização
das atividades do segurado (mesma situação financeira anterior à
ocorrência do sinistro).

– pelo exemplo, como a normalização das atividades do segurado


ocorreu três meses após a ocorrência do sinistro de Danos
Materiais, o período indenitário coberto será de 3 meses
(de 01/03/12 a 31/05/12).

01/01/12 01/03/12 30/04/12 31/05/12 31/07/12 01/01/13

Início do PI Fim do PI máximo


(fixado na apólice)

E se o segurado somente viesse a normalizar as suas atividades


em 30/09/12, após a ocorrência do sinistro de Danos Materiais?
Nesse caso, seria obedecida a limitação dos meses do período
indenitário fixado na apólice, de 5 meses (de 01/03/12 a 31/07/12).

UNIDADE 3 35
VALOR EM RISCO E RATEIO
O Seguro de Lucros Cessantes (tradicional) é contratado a risco total, ou
seja, a importância segurada deverá corresponder ao valor em risco.

O valor em risco, em Lucros Cessantes, representa o volume de despesas


fixas mais o lucro líquido apurado durante o período indenitário estipulado na
apólice. Ou seja, o valor em risco constitui o lucro bruto que seria obtido pela
empresa durante o período indenitário, caso não tivesse ocorrido o sinistro.

Se a apólice contratada for somente para despesas fixas ou somente para


o lucro líquido, o valor em risco será considerado por cada cobertura,
respectivamente.

Então, sendo o valor em risco superior à importância segurada, o segurado


será considerado responsável pela diferença existente e estará, portanto,
proporcionalmente sujeito ao mesmo risco da seguradora.

Nesse caso, o valor da indenização será rateado entre a seguradora e o


segurado, proporcionalmente à relação entre a importância segurada
e o valor em risco.

Isso se aplica ao Seguro de Lucros Cessantes por se tratar de um seguro


proporcional (sujeito à cláusula de rateio).

P × IS
Indenização =
VR

Comentários Onde:
1) Entende-se por cláusula de rateio
a c láusula c omum aos se gur os
P = Prejuízo Indenizável
proporcionais a risco tot al (nos IS = Importância Segurada
quais a importância segurada deve VR = Valor em Risco
corresponder ao valor em risco).
Determina ela que se, por ocasião do
sinistro, a importância segurada for
inferior ao valor em risco, o segurado
irá par ticipar dos prejuízos, na Exemplo
proporção da diferença entre aquela
importância segurada e o respectivo
valor em risco. 1) seguro a risco total:
Prejuízo Indenizável: R$ 10.000.000.00
2) Atualmente, a maioria das apólices é
contratada a 1o risco relativo, ou seja,
IS = R$ 60.000.000,00
o segurado declara o seu valor em VR = R$ 240.000.000,00
risco (VRD) e estipula o LMI – limite Como a IS é menor que o VR, aplica-se o rateio:
máximo de indenização. No momento I = P × IS/VR = 10.000.000 × 60.000.000 / 240.000.000 =
do sinistro, é apurado o valor em risco
(VRA). Se o VRD for menor que o VRA, 2.500.000
será aplicado o rateio: I = P × VRD / Neste caso, a indenização será de R$ 2.500.000,00. O valor da
VRA. No Brasil, é comum não se aplicar indenização é sempre limitado ao valor da IS.
o rateio se o VRD for maior ou igual a
80% do VRA. Há, também, casos de
contratações a 1o risco absoluto (sem 2) seguro a risco relativo:
rateio, casos nos quais são incluídas Prejuízo Indenizável: R$ 10.000.000.00
cláusulas de ajustamento do prêmio).
A indenização, em qualquer caso,
LMI = R$ 100.000.000,00
ficará limitado ao LMI contratado na VRD = R$ 200.000.000,00
apólice. VRA = R$ 400.000.000,00

36 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Como o VRD é menor que 80% do VRA, aplica-se o rateio:
(I = P × VRD / VRA)

Indenização = R$ 10.000.000 × R$ 200.000.000 / R$ 400.000.000


= R$ 5.000.000
Neste caso, a indenização será de R$ 5.000.000,00. O valor da
indenização é sempre limitado ao valor do LMI.

COBERTURA BÁSICA –
ABRANGÊNCIA
A cobertura básica do Seguro de Lucros Cessantes abrange as perdas de
lucro bruto e, levando-se em consideração a situação econômico-financeira
da empresa, é facultado ao segurado garantir em sua apólice:

• totalidade do lucro bruto – somatório das despesas fixas totais e do lucro


líquido de determinada atividade. É a escolha desejável, pois, em caso de
sinistro, o segurado, desde que faça a importância segurada suficiente, terá
reposta a totalidade de suas perdas oriundas da paralisação das atividades
cobertas pelo seguro.

Lucro Bruto Segurado = Lucro Líquido + Despesas Fixas Totais

• apenas a totalidade das suas despesas fixas – neste caso, o seguro não
garantirá o lucro líquido que o segurado obteria caso o sinistro não tivesse
ocorrido.

Lucro Bruto Segurado = Despesas Fixas Totais

• apenas parte das suas despesas fixas – neste caso, o segurado escolhe
algumas de suas despesas fixas e as relaciona na apólice. São as chamadas
despesas fixas especificadas; ou seja, as demais despesas fixas e o lucro
líquido de sua atividade não estarão cobertos pela apólice.

Lucro Bruto Segurado = Despesas Fixas Especificadas

• apenas o lucro líquido – neste caso, o segurado garantirá única e


exclusivamente o lucro líquido que obteria se não paralisasse suas
atividades, ou seja, não garante suas despesas fixas.

Atenção
Lucro Bruto Segurado = Lucro Líquido
O corretor de seguros deve orientar seus
clientes a contratar o Seguro de Lucros
Cessantes para garantir a totalidade do
• apenas parte das despesas fixas e o lucro líquido – neste caso, o lucro bruto. Caso o segurado opte por
segurado exclui do seguro algumas despesas fixas, garantindo apenas as garantir somente parte desse lucro bruto,
o corretor de seguros deve expressar,
suas despesas especificadas e o lucro líquido de sua atividade. formalmente, qual é a sua recomendação e
qual foi a decisão do segurado, para evitar
quaisquer problemas num sinistro futuro.
Lucro Bruto Segurado = Lucro Líquido + Despesas Fixas Especificadas

UNIDADE 3 37
GASTOS ADICIONAIS
São as despesas extraordinárias realizadas, pelo segurado, com o objetivo de
eliminar ou reduzir a queda no movimento de negócios durante o período
indenitário.

Ao contratar a cobertura básica do Seguro de Lucros Cessantes, estão


incluídos, sem pagamento de prêmio adicional, a cobertura para gastos
adicionais que poderão ser realizados, pelo segurado, comprovadamente, para
evitar ou atenuar as perdas de lucro bruto consequentes de um sinistro.

Quando ocorre um sinistro que afeta o movimento de negócios da empresa, é


de interesse do segurado que se restabeleça o ritmo normal de suas atividades
o mais rapidamente possível.

Podem surgir situações em que se torna necessária a efetivação de algumas


despesas não previstas nos custos operacionais da empresa, como: aluguel
de equipamentos para substituir, temporariamente, aqueles que foram
danificados; e contratação de mão de obra para jornadas extras de trabalho,
com o intuito de reduzir o tempo de paralisação e, por consequência, os
prejuízos indenizáveis. Logo, é justo que tais despesas sejam indenizadas
pela seguradora.

Esses gastos e seu consequente reembolso constituem situações


particulares da indenização de Lucros Cessantes, pois:

• nem sempre o segurado terá esses gastos; e


• se os tiver, mas for apurado que não proporcionaram redução na queda
do movimento de negócios, eles não serão considerados gastos adicionais,
já que não representaram redução nas perdas da apólice e, portanto, não
serão indenizados.

Limitações de Gastos Adicionais


Ressaltamos que, para que os gastos sejam considerados gastos adicionais,
deverá ocorrer o que se chama de custo × benefício, ou seja:

Perturbação ou paralisação do movimento de negócios, em consequência de


sinistros de danos materiais de evento amparado pelo Seguro de Lucros Cessantes

Ø
Queda do movimento de negócios
Ö Perda do Lucro Bruto
Ø Gastos (despesas extraordinárias)
Redução da queda do movimento
Sem reflexo na queda do
de negócios, consequentemente à
movimento de negócios
redução da Perda do Lucro Bruto

Ø Ø
Amparado pela cobertura básica, Não será amparado pelo
sob o título de gastos adicionais Seguro de Lucros Cessantes

38 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Como o Seguro de Lucros Cessantes garante uma parcela do giro de negócios
da empresa (lucro bruto), a indenização pelos gastos adicionais também
respeitará esse conceito, ficando limitada à aplicação da margem de lucro
bruto sobre a redução verificada na queda do movimento de negócios.

Limite de Indenização de Gastos Adicionais = Margem de Lucro


Bruto (em %) × Redução na Queda do Movimento de Negócios

Exemplo

Uma empresa que possua apólice de Lucros Cessantes para o evento


explosão sofre um sinistro que atinge determinado equipamento
(caldeira) que estava coberto pela apólice de Danos Materiais. Sem essa
caldeira, a fábrica ficará parada, aguardando a sua reposição. O segurado
poderá alugar uma nova caldeira, por exemplo, por R$ 200.000,00/mês
até que a antiga possa realizar suas funções na fábrica.

O valor pago pelo aluguel acrescido de todas as despesas e os custos


extraordinários gastos pelo segurado estão abrangidos pela cobertura
básica a título de gastos adicionais, desde que esses gastos resultem em
redução da queda do movimento de negócios e, consequentemente,
em redução da perda de lucro.

Nesse caso específico, se o segurado nada fizesse, o negócio ficaria


parado até o conserto da caldeira (que poderia demorar 6 meses).
Já alugando uma, ele consegue fazer a fábrica voltar a produzir em 1 mês
por exemplo, mas precisa pagar uma despesa que não teria se o sinistro
não tivesse ocorrido. Esse gasto estará coberto pelo Seguro de Lucros
Cessantes desde que proporcione redução na perda de lucro bruto.

IMPEDIMENTO DE ACESSO
O objetivo do Seguro de Lucros Cessantes é garantir a situação financeira
da empresa após um sinistro de Danos Materiais causado por evento
coberto, desde que qualquer dos bens móveis ou imóveis existentes no
local segurado venha a ser danificado ou destruído em consequência de tais
eventos e provoque perturbação ou paralisação no movimento normal dos
negócios da empresa.

Entretanto, essa perturbação ou paralisação pode ser provocada pela


interdição do estabelecimento ou do logradouro onde a empresa
funciona, em virtude de ocorrência de evento (previsto na apólice) em outro
local da vizinhança. Então, mesmo que nenhum dos locais mencionados na
apólice tenha sofrido o dano material, ficará garantida a indenização pela
cobertura de Impedimento de Acesso, desde que o período de interdição
do estabelecimento ou logradouro seja superior a 48 horas e determinada
por autoridade competente.

UNIDADE 3 39
Portanto, para a caracterização da cobertura de impedimento de acesso, é
necessário que:

• os danos materiais ocorram na vizinhança do local segurado, causando-lhes


perdas materiais;
• o evento causador do dano material na vizinhança esteja garantido pela
apólice do segurado;
• a interdição do local seja decretada por autoridade competente; e
• o período de interdição seja superior a 48 horas.

A cobertura de impedimento de acesso funciona independentemente do


fato de nenhum dos locais segurados ter sofrido dano material (apenas seus
vizinhos). É uma garantia compreendida na cobertura básica do Seguro de
Lucros Cessantes, portanto não há necessidade de pagamento de prêmio
adicional nem de se estabelecer verba específica.

Exemplo

Um determinado segurado contratou o Seguro de Lucros Cessantes


decorrente somente de Incêndio. Um posto de gasolina, vizinho ao
local segurado, sofreu um alagamento, e todo o logradouro (inclusive o
local segurado) foi interditado pela Defesa Civil, paralisando o negócio
do segurado por 7 dias.

A cobertura de impedimento de acesso não funcionará, porque o evento


coberto pelo Seguro de Lucros Cessantes contratado pelo segurado é
somente Incêndio e não Alagamento.

Para que o sinistro estivesse coberto pela cobertura de Impedimento


de Acesso, considerando-se o exemplo dado, o segurado teria que
ter incluído no seu Seguro de Lucros Cessantes o evento alagamento
(é claro que o segurado teria que contratar o Seguro de Danos
Materiais para Alagamento também, pois isto é um requisito para
contratação do seguro).

IMPORTÂNCIA SEGURADA
Como o Seguro de Lucros Cessantes é contratado a Risco Total (aqueles em que
a IS deve corresponder a 100% do VR, sob pena da aplicação do rateio), para
poder estipular a importância que deve ser garantida na apólice, o segurado
precisa estimar o valor do lucro bruto segurado (valor em risco).

O valor em risco, no Seguro de Lucros Cessantes, corresponde ao valor do


lucro bruto que seria obtido pelo segurado durante o período indenitário, se
o sinistro não tivesse ocorrido. Como vimos, cada evento pode ter um período
indenitário diferente; logo teremos que estimar o valor em risco para cada
evento. Portanto, teremos de estabelecer uma importância segurada para
cada evento.

40 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Para a fixação da importância segurada, é necessário definir qual será
abrangência da cobertura (o que será garantido pelo seguro), entre as opções Observações
que se seguem: 1) Há, ainda, a opção de segurar algumas
despesas fixas, ou seja, o segurado
especifica quais as despesas quer
• 1a opção – a totalidade do lucro bruto, ou seja, o lucro líquido e todas garantir (despesas fixas especificadas),
as despesas fixas, que é a opção mais aconselhável, haja vista que isso excluindo as outras que, assim, não
estão relacionadas na apólice.
permitirá ao seguro cumprir integralmente sua função de restabelecimento
da mesma situação financeira da empresa segurada; 2) Quando o seguro é contratado a 1o
risco relativo, o segurado deve declarar
o valor em risco (VRD). Para calcular
• 2a opção – somente o lucro líquido; e
o VRD, deve ser seguido o mesmo
roteiro indicado nesta unidade, pois,
• 3a opção – somente despesas fixas. em caso de sinistro, o valor em risco
a ser apurado pela seguradora (VRA)
será baseado nesse roteiro.
Considerando-se a escolha do segurado com base nos valores relativos às
despesas fixas, lucro líquido e vendas, extraídos dos relatórios contábeis do
último exercício financeiro encerrado da empresa, podemos calcular a margem
de lucro bruto segurado para Lucros Cessantes, que demonstra o quanto o
lucro bruto para Lucros Cessantes representa (em percentual) em relação ao
faturamento (vendas) da empresa.

Além disso, em conjunto com o segurado, deverá ser feita uma estimativa
de vendas futuras da empresa, mês a mês, para o período de vigência do
seguro mais o número de meses do período indenitário de cada evento a ser
coberto pela apólice, considerando-se os ajustamentos necessários em virtude
da tendência do negócio.

Saiba mais

Como o Seguro de Lucros Cessantes é passível de rateio, depois de


escolhido o período indenitário, deve-se tomar, na previsão de vendas,
o maior volume de vendas (faturamento) possível de ser perdido durante
o mesmo número de meses do período indenitário escolhido (sempre
em meses consecutivos). Este procedimento também é justificado por
não sabermos em que mês, precisamente, ocorrerá o sinistro, portanto,
precisamos garantir o maior lucro bruto que poderá ser perdido durante
o período indenitário.

Todos os dados extraídos dos relatórios financeiros da contabilidade do


segurado, sejam as vendas ou a margem de lucro bruto para lucros cessantes,
devem ser ajustados, considerando-se a marcha das atividades do segurado,
suas variações e as circunstâncias especiais que as afetaram e que poderão
afetar os negócios (tendência de negócios), de modo que os dados assim
ajustados representem, tão aproximadamente quanto possível, os resultados
que devem ser alcançados pelo segurado durante o período acima referido.

UNIDADE 3 41
Os ajustamentos anteriormente citados são determinados no Seguro de
Lucros Cessantes pela cláusula Tendência do Negócio e Ajustamentos,
que faz parte integrante das condições específicas da apólice. Essa cláusula
dispõe que, no momento do sinistro, o regulador do sinistro deve considerar
em suas apurações, seja do valor em risco, seja das perdas indenizáveis, a
marcha das atividades da empresa, suas variações e as circunstâncias especiais
que as afetaram, quer antes quer depois do evento, ou que as teriam afetado
se o evento não tivesse ocorrido, de modo que os dados assim ajustados
representem, o mais próximo possível, os resultados que seriam alcançados
durante o período indenitário, se o evento não tivesse ocorrido.

Para a aplicação desses ajustes, os reguladores encontram muitas dificuldades,


haja vista o caráter subjetivo de que se revestem. Contudo, o objetivo desse
dispositivo é ser justo com o segurado, estabelecendo os resultados que
“realmente” seriam obtidos, se sua atividade não sofresse os impactos do
sinistro, para repor as perdas efetivamente ocorridas. Portanto, deve ser
analisada toda a evolução dos negócios da empresa, considerando-se, entre
outros aspectos:

• o crescimento ou decréscimo na venda e/ou produção (investimentos


efetuados, ampliação, abertura e fechamento de locais operacionais);
• a situação no mercado em que atua;
• as variações nas contas de resultado com influências na margem de lucro;
Atenção • os investimentos efetuados; e
• A impor tância segurada deve ser • os índices da inflação na economia e uma série de outros fatores e
igualada ao valor em risco, pois se a circunstâncias que tenham influência na formação da tendência do negócio
IS for igual ao VR, não haverá rateio; do segurado.
• S e f o r e m e s t ip ul a d o s p e r ío d o s
indenitários específicos para cada Após as apurações retromencionadas, aplica-se, então, a margem
even to cober to, encon tr ar emos de lucro bruto à previsão de vendas (maior volume de vendas em risco),
valores em riscos di ferentes e, em período igual ao do período indenitário (PI), obtendo-se, assim, o valor
consequentemente, devemos
estipular impor tâncias seguradas
máximo de lucro bruto que poderá ser perdido, pelo segurado, em caso de
diferentes; e sinistro. Este valor, correspondente ao valor em risco, deve ser a importância
segurada da cobertura básica. Então:
• Se os períodos indenitários forem
iguais, os valores em riscos serão
iguais, logo as importâncias seguradas Importância Segurada = maior volume de vendas
devem ser as mesmas.
(período igual ao PI) × MLB

Resumindo, para calcular a importância segurada da cobertura básica, temos


as seguintes etapas:

1) definir quais são as despesas fixas que serão garantidas (despesas


especificadas) na apólice; lucro líquido e a margem de lucro bruto para
lucros cessantes;

2) definir quais serão os eventos que serão cobertos e respectivos períodos


indenitários;

3) projetar as vendas futuras (de acordo com a tendência dos negócios do


segurado) para os meses da vigência da apólice mais o mesmo número
de meses do período indenitário contratado para cada evento; e

4) encontrar a maior perda de lucro bruto possível, ou seja, aplicar a margem


de lucro bruto ao maior volume de vendas possíveis de serem perdidas
durante o período indenitário de cada evento. Este deve ser o valor da
importância a ser segurada da cobertura básica do Seguro de Lucros
Cessantes de cada evento.

42 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Aplicação prática
Um depósito de bebidas deseja contratar um Seguro de Lucros Cessantes
anual (vigência de janeiro a dezembro de 2014). Sabendo-se que haverá
garantia da cobertura básica para o lucro líquido e a totalidade das
despesas fixas, e que o evento coberto será alagamento, com período
indenitário de 4 meses, que importância segurada deverá ser estipulada
para o seguro?

1) Cálculo da Margem de Lucro Bruto (MLB)


Foram extraídos os seguintes dados do último exercício financeiro
encerrado:
– Lucro Líquido: R$ 300.000,00
– Despesas Fixas: R$ 900.000,00
– Movimento de Negócios (faturamento): R$ 3.000.000,00

Então: MLB = [ (R$ 300.000 + R$ 900.000) ÷ R$ 3.000.000 ] ×


100 = 40%

2) Previsão de Faturamento (Vendas Futuras)


Como o período indenitário estipulado pelo segurado foi de 4
meses, precisamos ter as estimativas de vendas futuras para o
período de vigência da apólice (janeiro a dezembro de 2014) mais
os 4 meses subsequentes, ou seja, de janeiro a abril de 2015.
Para fazer essas estimativas, devem ser aplicados todos os
ajustamentos necessários, considerando-se a tendência do negócio.
Feito isso, foram encontrados os seguintes valores:

Mês Previsão de Vendas (R$)


Janeiro/14 200.000,00
Fevereiro/14 250.000,00
Março/14 180.000,00
Abril/14 190.000,00
Maio/14 230.000,00
Junho/14 250.000,00
Julho/14 240.000,00
Agosto/14 300.000,00
Setembro/14 320.000,00
Outubro/14 350.000,00
Novembro/14 380.000,00
Dezembro/14 600.000,00
Janeiro/15 300.000,00
Fevereiro/15 320.000,00
Março/15 380.000,00
Abril/15 400.000,00

Deverão ser considerados os 4 meses consecutivos de maior


volume de vendas, no caso setembro a dezembro de 2014, que,
somados, perfazem o total de R$ 1.650.000,00.

3) A Importância Segurada será de:


Importância Segurada = maior volume de vendas × MLB =
R$ 1.650.000 × 40% = R$ 660.000,00

UNIDADE 3 43
TAXAÇÃO
Como regra geral, a taxação da cobertura básica do Seguro de Lucros
Cessantes é calculada com a aplicação da taxa básica (ou taxa média)
do seguro de dano material para o conteúdo referente ao evento coberto,
multiplicado por um coeficiente de agravação, em função do período
indenitário escolhido pelo segurado.

Taxa de Lucros Cessantes = Taxa Dano Material × Coeficiente de Agravação

Tabela de Coeficiente de Agravação


Período Indenitário Percentagem Aplicável
até 01 mês 320%
até 02 meses 212%
até 03 meses 188%
até 04 meses 168%
até 05 meses 156%
até 06 meses 148%
até 07 meses 137%
até 08 meses 127%
até 09 meses 116%
até 10 meses 111%

Lembrete até 11 meses 105%


Existem Seguros de Danos Materiais que até 12 meses 100%
apresentam mais de uma taxa para sua até 15 meses 96%
contratação, como o Seguro de Incêndio
Tradicional, no qual temos taxas para até 18 meses 92%
prédio e taxas para conteúdo (Máquinas, até 21 meses 88%
Móveis, Objetos, Utensílios e Instalações
– M.M.U e Mercadorias e Matérias até 24 meses 84%
Primas – M.M.P). Para fins de Seguro de até 27 meses 80%
Lucros Cessantes, será adotada a taxa
média ponderada referente somente até 30 meses 76%
ao Seguro de Danos Materiais do até 33 meses 72%
conteúdo, ou seja, as taxas de prédio
serão desprezadas. até 36 meses 68%

Exemplos de Cálculos da Taxa e do Prêmio

1) Caso o cliente deseje contratar o Seguro de Lucros Cessantes


decorrente de Incêndio, com período indenitário de 4 meses e
importância segurada de R$ 800.000,00, será necessário, para se
obter o valor do prêmio:

• apurar a taxa média a ser aplicada no Seguro de Lucros Cessantes,


trabalhando somente com prêmios e importâncias seguradas de
conteúdo, desprezando os prêmios e as importâncias seguradas
de prédio;

• a partir da apólice do Seguro de Danos Materiais (Incêndio),


verifica-se que há 2 locais segmentados, sendo que:

44 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Local 1
Bens Importância Segurada Taxa Prêmio
Prédio R$ 100.000,00 0,20% R$ 200,00
MMU R$ 200.000,00 0,40% R$ 800,00
MMP R$ 250.000,00 0,40% R$ 1.000,00

Local 2
Bens Importância Segurada Taxa Prêmio
Prédio R$ 150.000,00 0,30% R$ 450,00
MMU R$ 250.000,00 0,50% R$ 1.250,00
MMP R$ 300.000,00 0,50% R$ 1.500,00

Total Importância Segurada Prêmio


R$ 1.250.000,00 R$ 5.200,00

Logo:
Taxa Média = (Prêmio Conteúdo ÷ IS Conteúdo) × 100 =
= (800 + 1.000 + 1.250 + 1.500) ÷ (200.000 + 250.000 + 250.000
+ 300.000)
Taxa Média = (4.550 ÷ 1.000.000) × 100 = 0,455%

• na tabela de coeficientes de agravação, em função do período


indenitário, para um período escolhido (4 meses) obtém-se a
percentagem de 168%;
• taxa aplicável no Seguro de Lucros Cessantes = 0,455% × 168%
= 0,7644%;
• prêmio de Lucros Cessantes = R$ 800.000,00 × 0,7644% =
R$ 6.115,20.

2) Caso o segurado deseje contratar o Seguro de Lucros Cessantes


decorrente de alagamento, com período indenitário de 6 meses
e importância segurada de R$ 1.000.000,00, será necessário para
se obter o valor do prêmio:

• apurar a taxa aplicada no Seguro de Dano Material (alagamento):


como a taxa de conteúdo é única (0,60%) para ambas as plantas,
não precisamos calcular a média, pois para Lucros Cessantes, a
taxa básica será 0,60%;
• na tabela de coeficientes de agravação, em função do período
indenitário para um período escolhido (6 meses), obtém-se a
percentagem de 148%;
• a taxa aplicável no Seguro de Lucros Cessantes será de: 0,60% ×
148% = 0,888%; e
• prêmio de Lucros Cessantes = R$ 1.000.000,00 × 0,888% =
R$ 8.880,00.

UNIDADE 3 45
FRANQUIA DEDUTÍVEL
(FACULTATIVA)
O segurado, a seu critério, poderá assumir uma franquia dedutível, por sinistro,
entre as opções previstas na tarifa de Seguro de Lucros Cessantes. De acordo
com a opção adotada para essa franquia facultativa, será concedido um
desconto no prêmio do seguro, como segue:

Franquia (% da IS) Desconto (%)


0,25 5
0,50 7,5
0,75 10,0
1,00 12,5

Atenção

De conformidade com a tarifa do Seguro de Lucros Cessantes


(Tradicional) há um limite mínimo (atualizado regularmente pelas
normas de seguro vigentes no Brasil) de importância segurada para
essa concessão, bem como somente poderá ser aplicada aos seguros
com período indenitário de, no mínimo, 3 meses.

INDENIZAÇÃO
A ocorrência de danos materiais decorrente de qualquer evento contratado
(fato gerador) que afete o ritmo de atividades de uma empresa deve ser
mensurada pela redução provocada na receita de vendas, ou seja, na queda
do movimento de negócios.

A responsabilidade, no Seguro de Lucros Cessantes, estará sempre condicionada


às limitações ou às restrições impostas pelas condições do Seguro de Danos
Materiais, ou seja, antes de tudo, o sinistro de Dano Material (fato gerador)
ocorrido deverá estar perfeitamente coberto pelo Seguro de Danos Materiais.

A partir da constatação da queda no movimento de negócios, o Seguro de


Lucros Cessantes indenizará a parte proporcional que represente o conjunto
lucro líquido e as despesas fixas dentro do movimento de negócios, definido
como a margem de lucro bruto.

Os critérios utilizados para a apuração dos prejuízos, em caso de sinistro,


são regidos pelas especificações correspondentes ao ramo de atividade da
empresa segurada.

• Empresas comerciais e de prestação de serviços – especificação


movimento de negócios (vendas).

• Empresas industriais – especificação movimento de negócios (vendas)


e, de acordo com o tipo de indústria, especificações produção (unidades
ou valor de venda) ou consumo (matérias-primas).

46 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


A rapidez na liquidação do sinistro dependerá de informações precisas
fornecidas na época da contratação e de uma perfeita organização contábil Liquidação de sinistros
da empresa. Pagamento da indenização,
se cabível, ao segurado ou
beneficiário indicado.
Antes das definições dos valores correspondentes à indenização a ser
recebida pelo segurado, devem ser observadas algumas etapas, após a
ocorrência do sinistro, que veremos a seguir:

Etapas após a Ocorrência do Sinistro


Reconhecimento, por Parte da Seguradora da Apólice
de Danos Materiais, da Cobertura do Evento Ocorrido

Não é obrigatório que a seguradora da apólice de Danos Materiais seja


a mesma da apólice de Lucros Cessantes. Entretanto, é usual que seja a
mesma seguradora. Sendo a mesma seguradora, os processos de sinistros
(inspeção, regulação e liquidação) serão realizados, simultaneamente,
podendo ser considerado um ponto favorável para o segurado, pois o mais
importante para sua atividade empresarial é a empresa retornar ao mercado
o mais rápido possível.

Observação do Comportamento do Movimento de


Negócios (Realizado) da Empresa para a Avaliação
dos Reflexos do Sinistro de Danos Materiais
A observação será realizada durante o período de tempo (período indenitário)
em que o movimento de negócios da empresa estiver abalado pelo sinistro de
Danos Materiais e constatado através da contabilidade da empresa.

Portanto, cabe aqui também a determinação do período indenitário.

O início do período indenitário coincide com a data da ocorrência do sinistro


de Danos Materiais e seu término ocorre ou com a normalização das atividades
da empresa ou quando se esgota o número de meses estabelecido para tal
período, prevalecendo o fato que ocorrer primeiro.

O movimento de negócios realizado durante o período indenitário representa


o total das quantias pagas ou devidas ao segurado, por mercadorias vendidas
ou por serviços prestados, no curso de suas atividades, realizadas nos locais
cobertos pelo seguro. É o resultado monetário bruto da atividade empresarial,
ou seja, o dinheiro que a empresa recebe ou irá receber por suas vendas ou
prestação de serviços, durante o prazo necessário ao restabelecimento do
negócio em virtude do sinistro.

Os resultados de atividades, desenvolvidas em locais diferentes dos mencionados


na apólice, serão computados na apuração dos prejuízos, como parte integrante
do movimento de negócios do segurado, conforme determinam as condições
que regem o seguro através da cláusula Atividades em Locais Diferentes dos
Mencionados na Apólice. Veja no exemplo a seguir:

UNIDADE 3 47
Exemplo
Podemos imaginar um segurado que seja proprietário de duas lojas
próximas e similares (segurados por apólices diferentes). Se uma delas
fosse fechada em decorrência de um sinistro, a outra teria receita
extra, decorrente do desvio, para ela, dos negócios que normalmente
se realizariam na loja sinistrada. Essa receita seria o resultado de
Atividades em Locais Diferentes dos Mencionados na Apólice. A queda
no movimento de negócios será apurada pela diferença líquida, ou seja,
será o montante real da queda ocorrida nos negócios do segurado,
considerando-se as 2 lojas.

Estabelecimento dos Valores que Servirão de Base


para a Indenização, ou Seja: Valor em Risco, Margem
de Lucro Bruto, Movimento de Negócios (Padrão e
Padrão Ajustado), Queda do Movimento de Negócios
– Movimento de Negócios:
Para o cálculo do movimento de negócios padrão, temos que observar
os movimentos de negócios, nos meses correspondentes em anos
anteriores ao do sinistro, e os valores desses movimentos nos meses
do período indenitário.
O movimento de negócios padrão deve ser ajustado em conformidade
com a tendência do negócio do segurado para representar o valor
efetivo (ou o mais próximo possível) dos negócios que seriam realizados
se o sinistro não tivesse ocorrido (é o valor que o segurado venderia
durante o período indenitário).

– Queda do Movimento de Negócios:


A queda no movimento de negócios é a diferença entre o movimento
de negócios padrão (ajustado) e o movimento de negócios efetivamente
realizado durante o período indenitário (já considerados os resultados
de Atividades em Locais Diferentes dos Mencionados na Apólice).

Queda no Movimento de Negócios = Movimento de Negócios


Padrão (ajustado) – Movimento de Negócios realizados
efetivamente durante o Período Indenitário

Movimento de Movimento de Queda do


Negócios Padrão Negócios Movimento de
(ajustado) Realizado Negócios

Margem de Lucro Bruto

48 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Apuração da Indenização Final, Considerando
os Gastos Adicionais Efetuados e a Aplicação do
Rateio, se Houver
Durante o processo de regulação dos sinistros são analisados diversos
documentos.

Documentos Contábeis Analisados


sintetiza as operações da empresa
num determinado exercício financeiro,
Demonstrativos de destacando o resultado líquido
Resultado do Exercício extraímos o movimento de negócios padrão
(Receita Líquida Operacional) e
o Lucro Líquido/Prejuízo (Operacional)
Documentos identifica os subitens de cada um dos itens
Contábeis do Demonstrativo de Resultados
Demonstração
Analítica das Contas obtemos os custos e as despesas relacionados
do Resultado
extraímos as despesas consideradas fixas e
seguráveis

avaliação da situação financeira da empresa


Balanço Patrimonial
e seus estoques

Parcelas Indenizáveis
A cobertura básica do Seguro de Lucros Cessantes abrange duas parcelas
indenizatórias, que veremos a seguir:

Perda do Lucro Bruto


Para calcular as perdas, basta multiplicar a margem de lucro bruto pela queda
no movimento de negócios verificada durante o período indenitário.

Perda do Lucro Bruto = Margem de Lucro Bruto (em %) ×


Queda do Movimento de Negócios

Gastos Adicionais
Caso o segurado realize gastos adicionais, o Seguro de Lucros Cessantes
garantirá seu reembolso desde que a realização de tais gastos resulte em
redução das perdas de lucro bruto de valor igual ou superior ao valor gasto.
Ou seja, a indenização estará limitada à perda de lucro bruto evitada em
virtude dos gastos adicionais realizados pelo segurado.

A limitação prevista equivale à aplicação da margem de lucro bruto na queda


de movimento de negócios, que esses gastos evitaram que ocorresse.

Limitação de Gastos Adicionais = Margem de Lucro Bruto (em %) ×


Redução na Queda do Movimento de Negócios

UNIDADE 3 49
Caso o segurado tenha optado por não segurar todas as suas despesas fixas,
arcando, consequentemente, em caso de sinistro, com uma das parcelas do
lucro bruto segurável, ele ficará também responsável por uma parte dos
gastos adicionais.

Nesse caso, a indenização referente aos gastos adicionais dar-se-á na proporção do


lucro bruto segurado (lucro líquido mais despesas fixas seguradas) e do lucro bruto
total (lucro líquido mais totalidade das despesas fixas); ou seja, além da limitação
anteriormente indicada, o valor a ser indenizado, referente a gastos adicionais,
será rateado entre o segurado e a seguradora na proporção supracitada.

Então, depois de apurados os valores indenizáveis das parcelas (importância


pagável por perda de lucro bruto e gastos adicionais), procede-se à análise
da relação importância segurada/valor em risco para aplicar ou não o rateio,
determinando-se a indenização final.

Este conceito se aplica ao Seguro de Lucros Cessantes por se tratar de um


seguro proporcional (sujeito à cláusula de rateio).

Exemplo Simplificado de Indenização


Num sinistro de Lucros Cessantes, devidamente coberto, foram apurados:

Movimento de Negócios Padrão (ajustado): R$ 5.000.000,00


Movimento de Negócios no Período Indenitário: R$ 1.000.000,00
Margem de Lucro Bruto: 40%
Gastos Adicionais Realizados: R$ 500.000,00
Valor em Risco Apurado: R$ 10.000.000,00

Obs.: a totalidade dos negócios gerados durante o período indenitário


só foi viabilizada em virtude dos gastos adicionais realizados pelo
segurado.

Dados da apólice:
Importância Segurada: R$ 9.000.000,00, cobrindo a totalidade do
Lucro Bruto.

Calcular a indenização devida ao segurado.

Solução:
Para chegar à indenização final, precisamos verificar os valores
das perdas de lucro e dos gastos adicionais, ou seja, as parcelas
indenizatórias do seguro:

a) perdas de lucro – precisamos saber qual foi a queda do movimento


de negócios para calcular as perdas de lucro. Assim, temos:

Queda do Movimento de Negócios = Movimento de Negócios Padrão


(ajustado) – Movimento de Negócios no Período Indenitário
Queda do Movimento de Negócios = R$ 5.000.000,00 –
R$ 1.000.000,00
Queda do Movimento de Negócios = R$ 4.000.000,00
Perda de Lucro Bruto = Queda do Movimento de Negócios × Margem
de Lucro Bruto
Perda de Lucro Bruto = R$ 4.000.000,00 × 40%
Perda de Lucro Bruto = R$ 1.600.000,00

50 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


b) gastos adicionais – precisamos saber qual é o limite, considerando
o resultado alcançado.

Limite de Gastos Adicionais = Margem de Lucro Bruto × Redução


da Queda no Movimento de Negócios
Limite de Gastos Adicionais = 40% × R$ 1.000.000,00 =
R$ 400.000,00
Valor dos Gastos Adicionais Realizados = R$ 500.000,00, portanto
superior ao limite; logo o valor indenizável será R$ 400.000,00
(sempre o menor).
Importância Pagável (Prejuízo Indenizável) = R$ 1.600.000,00 +
R$ 400.000,00
Prejuízos Indenizáveis = R$ 2.000.000,00

É necessário verificar se a IS é suficiente. Como a IS é menor que o


VR, aplica-se o rateio:

Logo:
Prejuízos Indenizáveis × Importância Segurada
Indenização =
Valor em Risco

R$ 2.000.000,00 × R$ 9.000.000,00
Indenização =
R$ 10.000.000,00

Indenização = R$ 1.800.000,00

UNIDADE 3 51
52 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
Fixando Conceitos 3

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[1] O valor em risco no Seguro de Lucros Cessantes representa:

(a) O volume de despesas fixas e de lucro líquido que seriam obtidos


durante o período indenitário.
(b) As despesas variáveis apuradas.
(c) As despesas fixas e variáveis apuradas no último ano.
(d) As vendas líquidas apuradas no último ano.
(e) O lucro líquido e as despesas variáveis que seriam obtidos durante o
período indenitário.

[2] Os gastos adicionais, para serem considerados como tais, para efeito do
Seguro de Lucros Cessantes:

(a) Devem resultar em redução na queda de movimento de negócios.


(b) São sempre indenizáveis, desde que tenha havido boa-fé por parte do
segurado.
(c) Destinam-se a cobrir deficiências do Seguro de Danos Materiais.
(d) Nada têm a ver com o Seguro de Lucros Cessantes.
(e) São indenizáveis, desde que realizados antes do sinistro.

[3] Após todas as pesquisas e ajustes necessários, a importância segurada da


cobertura básica em Lucros Cessantes é determinada através da:

(a) Aplicação da margem de lucro bruto ao faturamento da empresa,


previsto para o período indenitário.
(b) Aplicação de um percentual, previamente acordado com a seguradora,
sobre o faturamento da empresa.
(c) Aplicação de um percentual, previamente acordado com a seguradora,
sobre a soma do lucro líquido com as despesas fixas da empresa.
(d) Consulta a uma tabela, em que estão estabelecidos níveis de faturamento
por atividade desenvolvida.
(e) Consulta a uma tabela, em que estão estabelecidos níveis de
faturamento em função do ativo líquido da empresa.

FIXANDO CONCEITOS 3 53
Fixando Conceitos 3

ASSINALE COM “V” AS AFIRMATIVAS VERDADEIRAS E COM “F”, AS FALSAS


Anotações:
[4] No Seguro de Lucros Cessantes:

( ) Para cada evento coberto, pode haver um período indenitário diferente.


( ) O período indenitário é um dos parâmetros para a determinação da
importância segurada.
( ) O período indenitário pode variar de 1 a 24 meses.
( ) O período indenitário pode ultrapassar a vigência da apólice.
( ) Para a determinação do número de meses do período indenitário,
devemos considerar o planejamento e a recuperação do processo
produtivo.

Assinale a opção correta:

(a) V,F,V,F,V
(b) F,F,V,F,V
(c) F,V,F,F,V
(d) V,F,V,V,F
(e) V,V,F,V,V

[5] São aspectos que devem ser considerados para a previsão das tendências
de negócios e ajustamentos:

( ) A situação da empresa no mercado em que atua.


( ) O crescimento previsto de vendas.
( ) Os investimentos efetuados.
( ) As variações nas contas de resultado.
( ) Os índices da inflação na economia.

Assinale a opção correta:

(a) V,F,V,F,V
(b) V,V,V,V,V
(c) F,V,V,F,F
(d) F,F,F,V,V
(e) V,V,F,F,V

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

[6] Num determinado sinistro, o regulador apurou uma queda de movimento


de negócios de R$ 48.000.000,00. Sendo a margem de lucro bruto igual a
35%, podemos afirmar que a perda de lucro bruto foi igual a:

(a) R$ 16.800.000,00
(b) R$ 17.800.000,00
(c) R$ 18.800.000,00
(d) R$ 24.000.000,00
(e) R$ 48.000.000,00

54 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 3

[7] Após a ocorrência de um evento (fato gerador), haverá um decurso de tempo


para que a empresa recupere o ritmo normal de suas atividades. Esse tempo Anotações:
necessário para a empresa recuperar suas atividades é chamado de:

(a) Período de carência.


(b) Franquia dedutível.
(c) Franquia simples.
(d) Período indenitário.
(e) Vigência.

[8] Os principais fatores a serem considerados na determinação do período


indenitário são:

(a) Evento coberto e período de tempo para retorno às atividades normais


da empresa.
(b) Evento coberto e lucro da empresa.
(c) Evento coberto e prejuízo da empresa.
(d) Localização e atividade da empresa.
(e) Localização e lucro da empresa.

[9] ASSINALE COM “V” AS AFIRMATIVAS VERDADEIRAS E COM “F”, AS FALSAS

Para a determinação da importância segurada, é necessário:

( ) Estabelecer quais despesas fixas serão seguradas.


( ) Calcular a margem de lucro bruto.
( ) Conhecer a previsão das vendas futuras.
( ) Aplicar o percentual de lucro sobre as vendas futuras.
( ) Definir o período indenitário.

Assinale a opção correta:

(a) V,V,V,V,V
(b) V,F,V,F,V
(c) F,F,V,F,F
(d) V,V,F,F,V
(e) F,V,F,V,V

[10] MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

O período indenitário está relacionado:

(a) Somente à reparação do dano material.


(b) Ao final da vigência da apólice.
(c) Ao restabelecimento do movimento de negócios do segurado.
(d) Ao valor do lucro líquido.
(e) Ao valor das despesas fixas.

FIXANDO CONCEITOS 3 55
Fixando Conceitos 3

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[11] Com relação à cobertura de impedimento de acesso, podemos afirmar que:

(a) Exige interdição do local por autoridade competente.


(b) Precisa possuir verba própria na apólice.
(c) Ampara o segurado mesmo se o evento ocorrido não estiver previsto
na apólice.
(d) Só é eficaz se o evento ocorrer no interior do estabelecimento
segurado.
(e) Ampara os danos a partir do momento de ocorrência do evento em
causa.

[12] Haverá aplicação de rateio no Seguro de Lucros Cessantes se o valor em


risco for:

(a) Superior às vendas brutas.


(b) Igual à importância segurada.
(c) Superior à importância segurada.
(d) Inferior ao lucro líquido.
(e) Superior às despesas variáveis.

[13] No Seguro de Lucros Cessantes, os gastos adicionais:

(a) Exigem verba própria e destacada na apólice.


(b) Só são vendidos para segurados possuidores de riscos industriais.
(c) Limitam-se a cobrir os custos extras com a modernização da indústria,
pelo segurado, após o sinistro.
(d) Destinam-se a reembolsar o segurado dos honorários pagos a peritos
contadores.
(e) Estão incluídos na cobertura básica.

[14] Para a análise da importância a ser segurada no Seguro de Lucros


Cessantes, deverá ser feito(a) um(a):

(a) Levantamento de suas aplicações na bolsa de valores.


(b) Consulta ao mercado futuro.
(c) Balanço sobre as tendências do mercado mundial nos últimos anos.
(d) Avaliação patrimonial dos bens móveis e imóveis da empresa.
(e) Estimativa das vendas futuras da empresa.

[15] O período indenitário adequado será aquele que represente:

(a) O mesmo número de meses da vigência da apólice.


(b) O período que o segurado necessitar para que seu negócio retorne
aos níveis normais.
(c) No mínimo, 12 meses.
(d) No mínimo, 24 meses.
(e) O tempo que o segurado necessitar para reconstruir o prédio, em caso
de sua destruição total.

56 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 3

[16] Devido à ocorrência de um sinistro Incêndio nas dependências de uma


loja de material de construção, foi verificada uma perda de lucro bruto de Anotações:
R$ 100.000,00. Considerando que a importância segurada estipulada na
apólice era de R$ 200.000,00, e o valor em risco apurado foi de R$ 400.000,00,
a indenização devida ao segurado será igual a:

(a) R$ 50.000,00
(b) R$ 100.000,00
(c) R$ 150.000,00
(d) R$ 200.000,00
(e) R$ 400.000,00

[17] No Seguro de Lucros Cessantes, o objetivo da cláusula Tendência dos


Negócios e Ajustamentos é:

(a) Aumentar a indenização em caso de sinistro.


(b) Aumentar o prêmio a ser pago para a contratação do seguro.
(c) Reajustar os valores a serem indenizados, de acordo com o índice de
inflação do período indenitário.
(d) Penalizar o segurado que contratar o seguro com importância segurada
inferior ao valor em risco, aplicando um duplo rateio.
(e) Ajustar todos os dados (contábeis e outros) de modo que os valores
assim apurados representem, com a maior aproximação possível, a
realidade da empresa.

[18] Considere os dados a seguir, que foram extraídos da apólice de Seguro


Incêndio do Segurado ABC Ltda.

Plantas Bens Cobertos Imp. Segurada R$ Taxa Prêmio R$

1 Prédio 1.000.000,00 0,10% 1.000,00

1 MMU e MMP 2.000.000,00 0,20% 4.000,00

2 MMP 2.000.000,00 0,40% 8.000,00

Totais – 5.000.000,00 – 13.000,00

Para contratar uma apólice anual de Lucros Cessantes decorrente de evento


Incêndio, por um período indenitário de 10 meses e com importância segurada
de R$ 2.000.000,00, a ABC Ltda. pagará de prêmio líquido de:

(a) R$ 4.500,00
(b) R$ 4.995,00
(c) R$ 6.000,00
(d) R$ 6.660,00
(e) R$ 8.880,00

FIXANDO CONCEITOS 3 57
Fixando Conceitos 3

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[19] A apólice de Lucros Cessantes será acionada sempre que:

(a) Houver queda de vendas, tanto em consequência de sinistro coberto


quanto de alterações na conjuntura econômica.
(b) Houver um dano material, garantido por apólice própria, cujo evento seja
coberto e que conduza a uma redução no giro de negócios do segurado.
(c) O período indenitário se encerrar antes do término de vigência do
contrato.
(d) Houver um dano material, garantido por apólice própria, mesmo que
o evento ocorrido não esteja coberto por essa apólice.
(e) Não houver franquia na apólice de danos materiais.

[20] Para a cobertura de impedimento de acesso funcionar, entre outras


condições, o período de interdição do local segurado ou do logradouro deverá
ser superior a:

(a) 24 horas.
(b) 48 horas.
(c) 72 horas.
(d) 96 horas.
(e) 120 horas.

[21] De acordo com a tarifa de Seguro de Lucros Cessantes, o segurado poderá


escolher um período indenitário de:

(a) 1 a 36 meses.
(b) 1 a 12 meses.
(c) 3 a 36 meses.
(d) 6 a 24 meses.
(e) 1 a 24 meses.

58 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 3

[22] ASSINALE COM “V” AS AFIRMATIVAS VERDADEIRAS E COM “F”, AS


FALSAS Anotações:

No Seguro de Lucros Cessantes, com relação aos gastos adicionais é correto


afirmar que:

( ) Os gastos adicionais são amparados pela cobertura básica.


( ) Para inclusão da cobertura de gastos adicionais, é necessário pagar o
prêmio adicional cabível.
( ) Para inclusão da cobertura de gastos adicionais, não é necessário destacar
verba específica.
( ) Os gastos adicionais garantem a indenização de despesas variáveis não
incluídas no lucro bruto.
( ) Através dos gastos adicionais, pagam-se gastos com peritos contadores,
para auxiliar o segurado na reclamação do sinistro.

Assinale a opção correta:

(a) V,F,V,V,F
(b) V,V,F,F,V
(c) V,F,V,F,F
(d) F,F,V,V,F
(e) F,V,V,F,V

[23] CONSIDERE AS PROPOSIÇÕES A SEGUIR

São etapas que devem ser observadas após a ocorrência de sinistro de Lucros
Cessantes:

I) Fixação da importância segurada.


II) Reconhecimento, por parte da seguradora, da apólice de Danos Materiais
por meio da qual o evento ocorrido está coberto.
III) Cálculo dos prejuízos de danos materiais e fixação da indenização de
prédios, máquinas etc.
IV) Apuração da indenização final, considerando os gastos adicionais
efetuados e aplicação do rateio, se houver.

Assinale a opção correta:

(a) Apenas as afirmativas I e III estão corretas.


(b) Apenas as afirmativas II e III estão corretas.
(c) Apenas as afirmativas II e IV estão corretas.
(d) Apenas as afirmativas I, II e IV estão corretas.
(e) As afirmativas I, II, III e IV estão corretas.

FIXANDO CONCEITOS 3 59
Fixando Conceitos 3

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[24] Considere as proposições a seguir:

I) O período indenitário é um dos parâmetros utilizados para estipular a


importância segurada e calcular o prêmio no Seguro de Lucros Cessantes.
II) A ocorrência de um sinistro pode acarretar, para uma empresa, o
dispêndio de diversos tipos de gastos que ela não efetua normalmente.
Esses gastos são garantidos pela cobertura básica, através dos gastos
adicionais, desde que resultem na redução das perdas de lucro bruto.
III) O bom dimensionamento do período indenitário no Seguro de Lucros
Cessantes é essencial para a contratação de uma garantia adequada,
devendo-se considerar o completo restabelecimento do giro de negócios
do segurado.

Assinale a opção correta:

(a) Apenas a afirmativa I está correta.


(b) Apenas a afirmativa II está correta.
(c) Apenas a afirmativa III está correta.
(d) Apenas as afirmativas I e III estão corretas.
(e) As afirmativas I, II e III estão corretas.

[25] A cobertura básica do Seguro de Lucros Cessantes pode compreender:

(a) O lucro líquido operacional.


(b) O lucro líquido final e as despesas variáveis.
(c) As despesas variáveis.
(d) As vendas totais no período indenitário.
(e) Todas as despesas fixas e as despesas variáveis.

[26] Considerando que a taxa do Seguro de Danos Materiais para danos elétricos
é de 0,20%, a taxa para contratar um Seguro de Lucros Cessantes decorrente
de tal evento, por um período indenitário de 2 meses, corresponderá a:

(a) 0,20%
(b) 0,40%
(c) 0,424%
(d) 0,480%
(e) 0,640%

60 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 3

[27] Para o cálculo da margem de lucro bruto de uma empresa, devemos levar
em consideração: Anotações:

(a) As despesas fixas, o lucro líquido e o movimento de negócios.


(b) As despesas variáveis e o lucro líquido.
(c) O movimento de negócios e o período indenitário.
(d) O movimento de negócios e as despesas variáveis.
(e) As despesas variáveis e as despesas fixas.

[28] A indenização final devida ao segurado que sofreu um sinistro de Lucros


Cessantes, tendo sido apurados os seguintes valores, corresponde a:

– Importância Segurada = Valor em Risco = R$ 5.000.000,00


– Queda do Movimento de Negócios = R$ 1.000.000,00
– Margem de Lucro Bruto = 40%
– Gastos Adicionais Efetuados = R$ 250.000,00

Em virtude dos gastos adicionais realizados pelo segurado, a queda no


movimento de negócios foi reduzida em R$ 500.000,00 durante o período
indenitário.

Assinale a opção correta:

(a) R$ 160.000,00
(b) R$ 400.000,00
(c) R$ 500.000,00
(d) R$ 600.000,00
(e) R$ 650.000,00

FIXANDO CONCEITOS 3 61
62 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
4
COBERTURAS ADICIONAIS
DO SEGURO DE LUCROS
CESSANTES

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Identificar quais são as coberturas adicionais que podem ser contratadas no Seguro de Lucros Cessantes.
• Entender o funcionamento da cobertura de honorários de peritos contadores e seu limite.
• Compreender a abrangência da cobertura de despesas com instalação em novo local e seu limite.
• Compreender as características da cobertura adicional de extensão de cobertura a fornecedores e/ou
compradores, sua forma de contratação e distinguir esta cobertura da cobertura básica.

UNIDADE 4 63
64 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
A
mpliar ou não os limites da cobertura básica pela contratação de
coberturas adicionais é prerrogativa do segurado, que tem a opção
de incluir condições particulares em sua apólice mediante o pagamento
de prêmio adicional e de estipulação de verba específica. Trataremos apenas
das principais coberturas adicionais (que são específicas do Seguro de Lucros
Cessantes):

• Honorários de Peritos Contadores;


• Despesas com Instalação em Novo Local; e
• Extensão da Cobertura a Fornecedores e/ou Compradores.

Para cada cobertura adicional, são definidas cláusulas específicas que


estabelecem as condições sob as quais elas são garantidas pela apólice. A
seguir, apresentamos, resumidamente, cada uma dessas cláusulas.

HONORÁRIOS DE PERITOS
CONTADORES
Essa cobertura permite a definição de uma verba para pagamento de
honorários a profissionais contadores que venham a ser contratados, pelo
segurado, para auxiliá-lo na preparação da reclamação de um sinistro de
Lucros Cessantes.

A verba definida para as despesas com honorários de peritos contadores


está limitada, no máximo, a 1% da importância segurada básica (lucro
bruto). Para definição do prêmio adicional dessa cobertura, aplica-se a mesma
taxa básica do evento coberto à verba segurada. Não se aplica rateio nessa
cobertura, ou seja, ela é a 1o Risco Absoluto.

Vale ressaltar que a cobertura deverá ser contratada para cada um dos
eventos previstos na cobertura básica ou na extensão de cobertura a
fornecedores e/ou compradores, ou seja, deverão ser estipuladas verbas
separadamente, uma para cada evento e, consequentemente, serem pagos
os respectivos prêmios adicionais.

DESPESAS COM INSTALAÇÃO


EM NOVO LOCAL Lembrete
Embora essa cobertura se pareça com a de
Essa cobertura permite a definição de uma verba a ser utilizada pelo Gastos Adicionais, difere dela pelo fato de
o segurado fixar uma verba própria, e ser
segurado que quer se instalar, definitivamente, em outro local, no caso de cobrado dele um prêmio adicional, sendo
impossibilidade de continuar suas atividades no local sinistrado. Através dessa aplicada a mesma taxa do dano material
cobertura, o segurado pode retornar, mais rapidamente, ao ritmo normal (evento coberto).
de suas atividades, instalando-se em outro local (definitivamente). Essa cober tura adicional também
é concedida a 1 o Risco Absoluto,
Podem ser cobertas as despesas, por exemplo, de compra de um novo ou seja, não se aplica rateio, e sua
verba não poderá ultrapassar o valor
ponto comercial, obras de adaptação, balcões, vitrines e outras instalações.
da importância segurada da cobertura
Entretanto, a cobertura não indeniza a aquisição de um novo imóvel, nem básica (lucro bruto).
a despesa com o aluguel desse móvel.

UNIDADE 4 65
EXTENSÃO DA COBERTURA
A FORNECEDORES E/OU
COMPRADORES
Muitas empresas dependem, fundamentalmente, de alguns fornecedores
ou compradores. Nesses casos, a ocorrência de um sinistro no local onde
estão instalados os fornecedores ou os compradores pode, de alguma forma,
refletir no movimento de negócios da empresa segurada.

Importante

Essa cobertura permite a definição de uma verba destinada a


garantir o segurado contra as perdas de lucro bruto e a realização
de gastos adicionais em consequência de um sinistro que venha
a ocorrer nas instalações (local) de alguns de seus fornecedores
e/ou compradores.

Portanto, é condição, para que a indenização seja devida, que o


sinistro ocorrido no endereço do fornecedor ou comprador venha
a provocar a paralisação total ou parcial no movimento dos negócios
do segurado, e que o evento causador do sinistro (danos materiais)
tenha sido contratado para o local sinistrado.

Fornecedor 1 Ö Ö Comprador 1

Fornecedor 2
Ö Empresa segurada
Ö Comprador 2

Fornecedor 3
Ö Ö Comprador 3

Perturbação no movimento
de negócios na empresa
segurada
Ocorrência de sinistro de Ocorrência de
Danos Materiais no local sinistro de Danos
do fornecedor Materiais no local do
comprador

Para contratar a cobertura, o segurado deverá definir em sua apólice:

• os nomes dos fornecedores e/ou compradores para os quais deseja


extensão de cobertura – o segurado deverá contratar essa cobertura
somente para aqueles fornecedores e/ou compradores que tenham grande
influência em seu volume de negócios;

• o percentual de influência de cada fornecedor e/ou comprador no


movimento de negócios do segurado;

• os locais onde essas empresas (fornecedores e/ou compradores) realizam


suas atividades e que possam ser atingidos pelos eventos cobertos;

66 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


• os eventos que deseja garantir (eventos cobertos), referentes a cada
fornecedor/comprador;

• o período indenitário para cada evento coberto referente a cada fornecedor


e/ou comprador; e

• a importância segurada para cada evento coberto referente a cada


fornecedor e/ou comprador.

Para calcular a importância segurada, adota-se o mesmo procedimento da


cobertura básica, sendo que, ao resultado obtido, aplica-se o percentual
de influência de cada fornecedor e/ou comprador para definir o valor efetivo
do lucro bruto que o segurado poderá perder com o sinistro.

Exemplo

Quando uma indústria de grande porte se instala numa região, é comum


que várias outras indústrias de menor porte se instalem próximas a ela,
para facilitar o fornecimento de suprimentos à primeira. Caso ocorra um
incêndio, por exemplo, na fábrica de grande porte, como as fábricas
que lhe fornecem os suprimentos irão sobreviver, já que o único
(exclusivo) comprador paralisou sua produção e, consequentemente,
suspendeu as compras de suprimentos?

Então, seria interessante que essas fábricas fornecedoras de suprimentos


fizessem um Seguro de Lucros Cessantes para suas instalações
e contratassem, também, a cobertura adicional de extensão ao
comprador (no caso, a indústria de grande porte), para garantir uma
possível perda de lucro bruto decorrente da redução dos seus negócios,
causada pela paralisação desse importante comprador, resultante de
um dano material causado por evento coberto que possa ocorrer no
local do comprador.

UNIDADE 4 67
68 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
Fixando Conceitos 4

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[1] No Seguro de Lucros Cessantes, constituem cobertura básica e acessória,
pela ordem:

(a) Despesas com Instalação em Novo Local e Honorários de Peritos


Contadores.
(b) Despesas Fixas e Lucro Líquido.
(c) Lucro Líquido e Honorários de Peritos Contadores.
(d) Extensão de Cobertura a Fornecedores e/ou Compradores e
Impedimento de Acesso.
(e) Gastos Adicionais e Despesas Fixas.

[2] Com relação à cobertura acessória de Despesas com Instalação em Novo


Local, de Lucros Cessantes, é correto afirmar que essa cobertura:

(a) Objetiva indenizar as despesas necessárias (como a compra de


um novo ponto comercial, aluguel etc) para o segurado se instalar,
provisoriamente, em novo local.
(b) Tem como finalidade permitir ao segurado adquirir máquinas mais
novas do que as sinistradas.
(c) Objetiva indenizar a compra de um novo imóvel para o segurado se
instalar definitivamente.
(d) Tem como objetivo indenizar as despesas de aluguel do novo local
onde o segurado venha a se instalar definitivamente.
(e) Tem por objetivo indenizar a compra de novo ponto comercial, além
de outras despesas necessárias, para o segurado se instalar em novo
local, definitivamente.

[3] Constituem coberturas acessórias do Seguro de Lucros Cessantes:

(a) Honorários de Peritos Contadores e Impedimento de Acesso.


(b) Despesas Fixas e Despesas com Instalação em Novo Local.
(c) Lucro Líquido e Gastos Adicionais.
(d) Lucro Bruto e Despesas com Instalação em Novo Local.
(e) Honorários de Peritos Contadores e Extensão de Cobertura a
Fornecedores e/ou Compradores.

[4] Em relação à cobertura de Extensão a Fornecedores e/ou Compradores,


podemos afirmar que:

(a) Deve ser contratada por toda empresa que possua apólice de Lucros
Cessantes.
(b) Deve ser contratada por toda empresa, porém somente para um único
fornecedor/comprador.
(c) Não é necessário definir verba específica, pois a cobertura é dada
automaticamente, pela cobertura básica.
(d) Deve ser contratada pela empresa que dependa fundamentalmente
de seus fornecedores/compradores.
(e) Para definir a verba, considera-se o percentual de influência do
fornecedor/comprador sobre o lucro líquido do segurado.

FIXANDO CONCEITOS 4 69
Fixando Conceitos 4

[5] Considere as afirmativas abaixo, em relação à cobertura de Despesa com


Anotações: Instalação em Novo Local do Seguro de Lucros Cessantes:

I) Permite a definição de uma verba para compra de materiais diversos e


para a recuperação do local sinistrado, possibilitando a instalação do
segurado.
II) É necessário definir verba específica e cobrança de prêmio adicional.
III) Garante a compra de novo imóvel, que servirá de instalação provisória
para o segurado.
IV) Não se aplica rateio, pois a cobertura é concedida a 1o Risco Absoluto.

Assinale a opção correta:

(a) Somente as afirmativas I e II estão corretas.


(b) Somente as afirmativas I e III estão corretas.
(c) Somente as afirmativas II e IV estão corretas.
(d) Somente as afirmativas I, III e IV estão corretas.
(e) As afirmativas I, II, III e IV estão corretas.

[6] O segurado tem opção de incluir em seu Seguro de Lucros Cessantes


algumas coberturas adicionais, de forma a ampliar os limites da cobertura
básica. Uma dessas coberturas, que podem ser incluídas no Seguro de Lucros
Cessantes mediante pagamento de prêmio, é a cobertura para:

(a) Despesas com Instalação em Novo Local.


(b) Despesas Variáveis do Comprador.
(c) Impedimento de Acesso.
(d) Gastos Adicionais.
(e) Perda de Lucro Bruto do Fornecedor.

[7] ASSINALE A ALTERNATIVA QUE PREENCHA CORRETAMENTE AS LACUNAS:

As coberturas de ______________________ e ______________________ estão


abrangidas pela cobertura básica do Seguro de Lucros Cessantes; portanto, não
é necessário estabelecer verbas específicas nem pagar prêmios adicionais.

(a) Gastos Adicionais / Impedimento de Acesso


(b) Honorários de Peritos / Extensão de Cobertura ao Fornecedor e/ou
Comprador
(c) Despesas com Instalação em Novo local / Extensão de Cobertura a
Fornecedores e/ou Compradores
(d) Despesas com Instalação em Novo local / Gastos Adicionais
(e) Honorários de Perito / Gastos Adicionais

70 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 4

[8] CONSIDERE AS PROPOSIÇÕES A SEGUIR


Anotações:
Quando da contratação da cobertura acessória de Extensão de Cobertura a
Fornecedores/Compradores, o segurado deverá especificar na apólice:

I) O nome do fornecedor/comprador aos quais deseja estender sua


cobertura.
II) O percentual de influência de cada fornecedor/comprador.
III) Os eventos que deseja garantir e respectivos períodos indenitários.
IV) A importância segurada de danos materiais de cada fornecedor/comprador.

Assinale a opção correta:

(a) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.


(b) Apenas as afirmativas II e III estão corretas.
(c) Apenas as afirmativas I, II e III estão corretas.
(d) Apenas as afirmativas II, III e IV estão corretas.
(e) As afirmativas I, II, III e IV estão corretas.

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

[9] Com relação à cobertura adicional de Honorários de Peritos Contadores,


podemos afirmar que:

( ) Sua verba não poderá ultrapassar 0,1% do valor da importância segurada


da cobertura básica.
( ) É concedida a Primeiro Risco Absoluto.
( ) Serão cobertas por esta garantia as despesas com a contratação de
advogados para preparar uma ação indenizatória contra a seguradora.
( ) Essa cobertura adicional deve ser contratada para cada um dos eventos
cobertos pela cobertura básica, bem como pela extensão de cobertura
a fornecedores e/ou compradores

Assinale a alternativa correta:

(a) V,F,F,V
(b) F,V,F,V
(c) V,F,F,F
(d) F,V,V,F
(e) V,V,F,V

[10] O valor máximo para contratação da cobertura acessória de Honorários


de Peritos corresponde a(o):

(a) 10% da importância segurada da cobertura básica.


(b) 1% da importância segurada da cobertura básica.
(c) prêmio da cobertura básica + emolumentos.
(d) 15% da importância segurada da cobertura de impedimento de acesso.
(e) 100% da importância segurada da cobertura básica.

FIXANDO CONCEITOS 4 71
Fixando Conceitos 4

[11] São coberturas adicionais que podem ser incluídas na apólice de Seguro
Anotações: de Lucros Cessantes:

I) Despesas Fixas.
II) Lucro Líquido.
III) Despesas com Instalação em Novo Local.
IV) Honorários de Peritos Contadores.

Assinale a opção correta:

(a) Somente as afirmativas I e III estão corretas.


(b) Somente as afirmativas III e IV estão corretas.
(c) Somente as afirmativas I, II e IV estão corretas.
(d) Somente as afirmativas II, III e IV estão corretas.
(e) As afirmativas I, II, III e IV estão corretas.

72 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


5
CONDIÇÕES GERAIS
DA APÓLICE DE
LUCROS CESSANTES

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Entender as características gerais das condições gerais do Seguro de Lucros Cessantes e seu limite
de indenização.
• Identificar os casos de perdas de direitos no Seguro de Lucros Cessantes.
• Compreender o funcionamento da cláusula de devolução de prêmio do Seguro de Lucros Cessantes.
• Calcular o valor do prêmio a devolver, aplicando os termos da cláusula de devolução de prêmio.

UNIDADE 5 73
74 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
A
s condições gerais do Ramo Lucros Cessantes assemelham-se em
muito às dos Seguros de Danos Materiais, a que se conjugam pela
vinculação existente entre eles.

A responsabilidade pelos eventos mencionados na apólice de Lucros Cessantes


estará sempre condicionada às limitações ou às restrições impostas pelas
apólices, para aqueles mesmos eventos, dos Seguros de Danos Materiais dos
bens em risco nos locais mencionados na apólice.

Exemplo: se o Seguro de Danos Materiais de Incêndio não cobre o incêndio


decorrente de tumultos, o Seguro de Lucros Cessantes também não cobrirá
as perdas decorrentes deste tipo de evento.

Historicamente, no Brasil, as coberturas de Danos Materiais e a de Lucros


Cessantes eram garantidas, separadamente, por apólices distintas (encontramos,
ainda hoje, esse tipo de contratação, porém não é usual).

Por exemplo, para um Seguro de Tumultos, a apólice de Danos Materiais


era emitida no Ramo Tumultos, enquanto a de Lucros Cessantes, no Ramo
Lucros Cessantes. Tal fato não descaracterizava, em hipótese alguma, a
obrigatoriedade do segurado de possuir cobertura para o dano material, se
desejasse a de Lucros Cessantes.

Nos tempos atuais, com a tendência crescente verificada no mercado, no


sentido de simplificação e de otimização das operações de seguro, o usual é a
conjugação das coberturas de Danos Materiais e Lucros Cessantes na mesma
apólice. Como exemplo, podemos citar os seguintes casos:

• Seguros Compreensivos Multirriscos Empresariais/Condomínios, que


garantem vários danos materiais e podem incluir lucros cessantes,
encontrados sob diversas formas, como diárias de interrupção de negócios,
despesas fixas, de acordo com o tipo de produto e a seguradora;

• Quebra de máquinas que incluem a cobertura de Lucros Cessantes


decorrentes de quebra de máquinas, emitida no Ramo Riscos de
Engenharia, que conjuga, no mesmo contrato, as coberturas de Danos
Materiais e Lucros Cessantes (esse tipo de cobertura, atualmente, está
sendo contratada através das apólices de Riscos Nomeados ou de Riscos
Operacionais); e

• Riscos Nomeados e Riscos Operacionais, emitidas no Ramo 96, em que


vários danos materiais podem ser conjugados com os respectivos lucros
cessantes deles decorrentes.

As principais cláusulas, cujas particularidades em Lucros Cessantes merecem


destaque, em relação àquelas já conhecidas da maioria dos Seguros de Danos
Materiais, são:

• Limite de Indenização;
• Perda de Direitos; e
• Devolução de Prêmio.

UNIDADE 5 75
LIMITE DE INDENIZAÇÃO
Qualquer que seja o número de eventos ocorridos durante a vigência da
apólice, a soma das indenizações pagas e/ou pagáveis não poderá exceder
à correspondente importância segurada, a menos que, após qualquer
indenização paga, o seguro seja reintegrado, da quantia indenizada, por
meio de endosso.

O prêmio das eventuais reintegrações será cobrado na base pro rata temporis,
pelo tempo a decorrer, a contar da data da ocorrência do evento.

PERDA DE DIREITOS
Quaisquer declarações inexatas ou omissões do segurado, a respeito de
circunstâncias que possam influir no conhecimento do risco ou na taxa do prêmio,
isentam a seguradora do pagamento das indenizações e da restituição do
prêmio vencido, salvo se o segurado provar justa causa de erro.

Dentre os casos de nulidade ou de caducidade constantes da apólice ou


previstos em lei, ressaltamos que o segurado perderá o direito à indenização
nas seguintes hipóteses:

• se, por qualquer motivo, não quiser continuar com suas atividades normais
de comércio, indústria ou serviços, ainda que em locais diferentes dos
mencionados na apólice, bem como se, sem prévia e expressa concordância
da seguradora, houver alteração, de interesse do segurado, no objeto do
contrato, na espécie de comércio ou indústria do segurado ou, ainda,
modificação de sua natureza, bem como sua transferência, salvo a legítimo
herdeiro; e

• se a reclamação da ocorrência de sinistros for fraudulenta, de qualquer ponto


de vista; se o segurado tiver feito declaração falsa no sentido de apoiá-la; se
quaisquer meios fraudulentos ou simulações forem empregados para obter
qualquer benefício por meio da apólice; se a perda ou dano for ocasionado
por ato do segurado ou de seus prepostos; se o segurado deixar de praticar
ou impedir que a seguradora pratique os seguintes atos:

– fazer o que estiver ao seu alcance ou permitir que seja feito o


razoavelmente viável para atenuar as consequências do evento, para
evitar a interrupção ou a perturbação no giro dos seus negócios e evitar
ou diminuir os prejuízos resultantes do evento;
– se deixar de apresentar os livros comerciais devidamente escriturados,
com observância das formalidades e dos prazos legais, e os documentos
indispensáveis à comprovação da reclamação apresentada; e
– se deixar de cumprir, fiel e exatamente, as demais cláusulas e condições
do contrato.

76 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Comentários

A empresa, para receber a indenização do Seguro de Lucros Cessantes,


deve, obrigatoriamente, retornar às atividades desenvolvidas
anteriormente. Ou seja, a indenização não poderá ser utilizada para a
mudança de ramo de negócio.

• A condição acima estabelecida é decorrência do próprio objetivo


do seguro, cuja finalidade é a de garantir, após o sinistro,
a continuidade do movimento de negócios da empresa.
Evita, então, que o seguro seja utilizado de forma indevida.

• É também regra geral do Seguro de Lucros Cessantes que o


segurado, além de não poder agravar o risco, tome todas as
providências ao seu alcance para evitar ou diminuir a propagação
de um sinistro.

DEVOLUÇÃO DE PRÊMIO
Embora esta cláusula não conste das condições gerais, pois é uma cláusula
particular, vale a pena mencioná-la nesta unidade, por ser do maior interesse
do segurado. Logo, deve ser recomendada para todas as apólices. Essa cláusula
é gratuita, somente aplicável às apólices com vigência anual.

Permite a devolução, ao segurado, de parcela do prêmio pago quando, ao


final da vigência da apólice, apurar-se que o valor em risco (lucro bruto) foi
menor que a importância segurada contratada por cada evento designado.
Nesse caso, o segurado teria pagado um prêmio maior que o devido, fazendo
jus à devolução da parcela excedente. Essa devolução não poderá ser maior
que 50% do prêmio pago.

Para comprovar que houve excesso de importância segurada, o


segurado deverá enviar à seguradora relatório, preparado por auditores
independentes, demonstrando o cálculo do valor em risco, no prazo máximo
de 90 dias, a contar da data de vencimento da apólice. A seguradora terá
120 dias, a contar do vencimento da apólice, para emitir o endosso de
devolução.

Procedimentos
• Será calculado, pelos auditores independentes, o valor real do lucro
bruto segurado (valor em risco) da empresa segurada, sendo entregue à
seguradora, dentro do prazo máximo de 90 dias do vencimento da apólice,
um relatório específico contendo esta avaliação. Caso o valor em risco
seja menor que a importância segurada da apólice, a seguradora emitirá,
dentro do prazo estabelecido, o endosso de devolução do prêmio pago
em excesso, limitado a 50% do valor que foi pago.

UNIDADE 5 77
Exemplo

O segurado DRC S/A possui uma apólice de Lucros Cessantes decorrentes


do evento incêndio com:

• Período Indenitário de 15 meses;


• Vigência de 30 de novembro de 2011 a 30 de novembro de 2012; e
• Importância Segurada de R$ 20.000.000,00, com Prêmio Líquido
pago de R$ 100.000,00 (taxa final de 0,50%)

No dia 31 de janeiro de 2013, o auditor independente da empresa


segurada apresenta o relatório de avaliação do Seguro de Lucros
Cessantes da empresa, em que determinou que o seu Valor em Risco
é de R$ 8.000.000,00. O segurado entrega esse relatório à seguradora
em 05/02/2013, desejando obter a devolução de parte do prêmio que
pagou, conforme estabelece a cláusula particular de sua apólice.

Qual será o valor do prêmio a ser devolvido ao segurado?

Resposta: as condições impostas pela cláusula de devolução de


prêmio foram todas respeitadas, ou seja, foi entregue o relatório,
feito por auditor independente, em menos de 90 dias depois do fim
da vigência da apólice. Logo, a seguradora devolverá o prêmio pelo
excesso de importância segurada, limitado a 50% do prêmio líquido
pago, conforme os cálculos abaixo:

Prêmio a devolver:
Comentário
O Seguro de Lucros Cessantes pode ser • Excesso de IS = IS – VR = R$ 20.000.000,00 – R$ 8.000.000,00
contratado por período inferior a 1 ano.
= R$ 12.000.000,00
Nesse caso, será utilizada, para calcular
o prêmio devido, a tabela de prazo curto. • Prêmio a devolver: R$ 12.000.000,00 × 0,5% = R$ 60.000,00,
A cláusula de Devolução de Prêmio porém está limitado a 50% de R$ 100.000,00 = R$ 50.000,00
não poderá ser incluída nesse tipo de
apólice, em face da obrigatoriedade de
vigência anual. Conclusão: Serão devolvidos ao segurado R$ 50.000,00.

Atualmente, tem sido praticada pelo mercado, em especial nos seguros de


grandes empresas, a cláusula de Ajustamento do Prêmio do Seguro de Lucros
Cessantes, ou seja, após o final da vigência da apólice, o segurado declara
qual foi o seu valor em risco, e apura-se o prêmio devido. A diferença entre o
prêmio devido e o pago é cobrada do segurado ou devolvida (caso o devido
seja menor do que o pago).

78 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Fixando Conceitos 5

MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
[1] O limite de indenizações pagas pela mesma apólice nunca poderá
ultrapassar o(a)(s):

(a) Lucro bruto.


(b) Importância segurada.
(c) Lucro líquido.
(d) Despesas fixas.
(e) Despesas variáveis.

[2] A apólice de Lucros Cessantes estabelece que o segurado perderá o direito


à indenização, entre outras razões, se:

(a) Por qualquer motivo, quiser continuar com suas atividades de comércio
ou indústria.
(b) Por qualquer motivo, não quiser continuar com suas atividades de
comércio ou indústria, ainda que em locais diferentes dos indicados
na apólice.
(c) Por qualquer motivo, quiser continuar com suas atividades de comércio
ou indústria, mas em locais diferentes dos indicados na apólice.
(d) Em decorrência do sinistro, alegar que pretende continuar com suas
atividades de comércio e indústria.
(e) Em decorrência do sinistro, abandonar a ideia de paralisar, definitivamente,
as atividades de sua empresa e quiser continuar com suas atividades
de comércio e indústria, ainda que em locais diferentes dos indicados
na apólice.

[3] Quanto à aplicabilidade da cláusula de Devolução de Prêmio, é correto


afirmar que:

(a) Trata-se de cláusula com pagamento de prêmio na ordem de 50% da


taxa da cobertura principal.
(b) Caso o prêmio pago pelo segurado seja superior a 80% do prêmio
devido, a restituição será integral.
(c) É necessária a apresentação de um relatório preparado por auditores
independentes.
(d) Não é permitida a inclusão dessa cláusula para seguros de empresas
industriais.
(e) Caso o segurado tenha pagado um prêmio menor do que o devido,
prevalecerá a cláusula de Devolução de Prêmio, mas sempre limitada
a 50% do prêmio pago.

FIXANDO CONCEITOS 5 79
Fixando Conceitos 5

[4] Considere os dados abaixo, extraídos de uma apólice de Seguro de Lucros


Anotações: Cessantes decorrentes de alagamento, com período indenitário de 6 meses,
na qual foi incluída a cláusula de Devolução de Prêmio:

Vigência: 01 de janeiro de 2012 a 01 de janeiro de 2013


Importância Segurada: R$ 10.000.000,00
Taxa Final: 0,60%
Prêmio Líquido Anual: R$ 60.000,00

Caso o segurado entregue à seguradora, no dia 30 de março de 2013, o


relatório preparado por auditores independentes, definindo que o seu Valor
em Risco para o Seguro de Lucros Cessantes é de R$ 3.000.000,00, o prêmio
a ser devolvido ao segurado será de:

(a) Não haverá devolução, pois o prazo de entrega do relatório expirou


em 01 de março de 2013.
(b) R$ 18.000,00
(c) R$ 30.000,00
(d) R$ 42.000,00
(e) R$ 60.000,00

80 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


6
FORMAS DE CONTRATAÇÃO
DO SEGURO DE LUCROS
CESSANTES

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Entender o cenário atual e identificar as diversas formas nas quais pode ser contratada a cobertura de Lucros
Cessantes.
• Compreender como a cobertura de Lucros Cessantes é incluída nos Seguros Compreensivos.
• Compreender como a cobertura de Lucros Cessantes é incluída nos Seguros de Riscos Nomeados.
• Compreender como a cobertura de Lucros Cessantes é incluída nos Seguros de Riscos Operacionais.
• Comparar as diversas formas de contratação do Seguro de Lucros Cessantes e identificar as diferenças, entre
outras características específicas, do seu público-alvo e objetivos.

UNIDADE 6 81
82 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
O
s seguros de proteção às receitas das empresas (entre os quais se
insere o de Lucros Cessantes) foram modernizados, aperfeiçoados e
ampliados. Até poucos anos atrás, o único ramo destinado a proteger
receitas era o de Lucros Cessantes. Quando muito, tínhamos algumas coberturas
acessórias em ramos específicos, que protegiam, em caráter particularíssimo
e com óbvia limitação de amplitude, determinadas receitas.

Exemplo: poderíamos citar a cobertura de Perda de Aluguel, utilizada no


Ramo Incêndio, na qual o proprietário do prédio (imóvel) segurado, que esteja
alugado, em caso de sinistro coberto, recebe, além do necessário à reparação
ou reposição do imóvel, o aluguel que seria devido pelo inquilino, se este ficar
impossibilitado de continuar habitando o imóvel.

Fora essas pequenas coberturas, quem quisesse proteger a sua receita teria
de recorrer ao tradicional Seguro de Lucros Cessantes, com todas as restrições
e dificuldades que este apresentava.

A partir do final da década de 1980, foi implementado pelo então Instituto


de Resseguros do Brasil (atual IRB-Brasil Resseguros S.A.), mediante cobertura
facultativa de resseguro (caso a caso), o Seguro de Lucros Cessantes
Decorrentes de Quebra de Máquinas, cujas apólices eram emitidas no Ramo
Riscos de Engenharia e conjugavam, num único contrato, a cobertura de
Danos Materiais de Quebra de Máquinas e os Lucros Cessantes decorrentes.

Embora, em teoria, representasse um grande avanço, infelizmente, esse


seguro foi inviabilizado comercialmente, pois a quantidade de documentos
e de informações exigidas era muito extensa. Atualmente, ele já não oferece
tantas dificuldades burocráticas.

Também em meados da década de 1980, foi contratada, no Brasil, a


primeira apólice de um tipo de seguro já praticado há tempos, nos mercados
norte-americano e europeu, que revolucionou o mercado. Denominavam-se
Riscos Operacionais e conjugava, numa única apólice, quaisquer danos
materiais não expressamente excluídos em suas condições, bem como, de
forma opcional, os Lucros Cessantes deles decorrentes.

Entretanto, a burocracia e a quantidade de informações também eram enormes


(fato compreensível nos primeiros anos, pois foi um salto muito grande).
Com o passar dos anos, experiências foram acumuladas, reservas técnicas
foram angariadas e a contratação desse seguro foi sendo simplificada.

Alguns anos após, foram introduzidos, no mercado nacional, os Seguros


de Multirrisco e Riscos Nomeados, semelhante ao de Riscos Operacionais,
mas que, em vez de cobrir todos os riscos, cobriam somente aqueles escolhidos
pelo segurado. Isso era feito, dentro de determinados limites, com grande
flexibilidade, e também havia a opção de contratar, na mesma apólice, a
cobertura de Lucros Cessantes para a totalidade do lucro bruto ou só para
as despesas fixas.

Na década de 1990, foi lançado, pelo Governo Federal, um Plano Diretor do


Sistema de Seguros, que visava à desregulamentação e ao desenvolvimento
do mercado segurador.

Esse plano teve como uma de suas diretrizes básicas a abordagem do seguro
primordialmente sob o enfoque do consumidor (segurado); o sujeito-fim dos
serviços prestados pelo sistema segurador, no sentido de que o seguro se
tornasse mais acessível, de melhor qualidade e que fosse possível a redução
de seus custos.

UNIDADE 6 83
Outra importante medida foi a introdução, no mercado, de outros tipos de
seguros para a proteção de receitas, emitidos na mesma apólice dos respectivos
danos materiais, entre os quais destacamos a Interrupção de Negócios
consequentes de Danos Materiais – Perda de Receita Bruta, que é utilizado
no Seguro de Riscos Industriais de Grande Porte.

Em 2007, através da Lei Complementar 126, foi realizada a abertura do


mercado de resseguros do Brasil, gerando grandes expectativas em relação
aos novos resseguradores, que estão se cadastrando na SUSEP para poder
operar no mercado brasileiro. Até o fim de outubro de 2011, havia mais de 100
resseguradores cadastrados e um número bem expressivo de corretores de
resseguros. As mudanças esperadas não ocorreram, mas houve forte redução
de preços dos seguros de propriedades e de Lucros Cessantes (especialmente
nos grandes segurados), porém vários segmentos (como as fábricas de colchões)
estão com muita dificuldade para renovar seus seguros. É que os resseguradores
não aceitam este tipo de risco mais agravado. O preço do seguro desses
segmentos aumentou muito, e as condições ficaram mais restritivas.

Para os corretores de seguros, é importante destacar que eles precisam ficar


atentos a todo esse movimento, pelos seguintes motivos:

• poder oferecer aos seus clientes as melhores opções que o mercado dispõe,
para não serem surpreendidos pelos concorrentes (há uma expectativa de
que os novos resseguradores tragam novos produtos, menores preços,
condições mais flexíveis); e

• verificar quem são os resseguradores das seguradoras onde estão


sendo feitos seus seguros, pois a garantia que o IRB-Brasil Re. oferecia
para todas as operações de resseguro do país não existe mais, e se um
ressegurador “quebrar” pode gerar a “quebra” da seguradora que faz
resseguro com ele.

FORMA ATUAL DE CONTRATAÇÃO


DE LUCROS CESSANTES
Compreensivos Multirriscos
Empresariais/Condomínios
Os Seguros Compreensivos Multirriscos Empresariais/Condomínios são
aqueles em que são conjugados diversos tipos de coberturas de diversos
ramos, inclusive Lucros Cessantes. Cada seguradora “desenha” seus produtos
e os submete à aprovação da SUSEP. Neles, é definida uma cobertura básica
(normalmente Incêndio, Raio e Explosão de Qualquer Natureza), sendo
obrigatória a contratação desta cobertura. As condições desses produtos
são preestabelecidas; portanto, o cliente terá de se enquadrar ao que lhe é
oferecido, ou seja, a apólice poderá ter as coberturas que o segurado desejar,
desde que previstas no produto e nos padrões estabelecidos pela seguradora,
com a devida aprovação da SUSEP.

A cobertura de Lucros Cessantes, nos Seguros Compreensivos Empresariais/


Condomínios será aquela com que a maioria dos corretores terá contato na sua
vida profissional, haja vista que os condomínios comerciais/shopping centers,
as micros, as pequenas e as médias empresas contratam este tipo de apólice
para se proteger das perdas em seu patrimônio físico, bem como nos lucros
gerados por suas atividades.

84 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


A garantia de lucros cessantes é uma das coberturas adicionais facultativas,
oferecidas pelos Seguros Compreensivos Multirriscos, sob diversas
denominações (Diária de Interrupção de Atividade, Despesas Fixas, Lucros
Cessantes, entre outras).

Como não existe uma padronização para a contratação da cobertura de Lucros


Cessantes nos Seguros Compreensivos Multirriscos, cada seguradora, quando
prepara seus produtos, estabelece as condições que garantirão cada risco e
as submetem à SUSEP.

No caso das coberturas de Lucros Cessantes, há diversas formas oferecidas


no mercado que, em sua maioria, garantem somente as despesas fixas
(alguns produtos garantem a totalidade, outros apenas algumas despesas
fixas especificadas). Raros são os produtos que oferecem a garantia de lucro
líquido. Quanto ao período indenitário, ele é preestabelecido (normalmente
até 6 meses); quanto à franquia, ela é obrigatória e fixada em tempo (24
horas, 48 horas, 7 dias, 15 dias, entre outras) e há, também, casos em que
são fixados valores mínimos (em R$).

Lembrete

Sem sombra de dúvida, a introdução, no mercado brasileiro dos Seguros


Compreensivos Multirriscos, popularizou a cobertura de Lucros Cessantes.
Entretanto, essa massificação ocorreu através da garantia para as
despesas fixas, que é normalmente oferecida nesses produtos.

Usualmente, a cobertura é oferecida a 1o Risco Absoluto (não há a


aplicação da cláusula de rateio). Porém, há casos em que ela é oferecida
a 1o Risco Relativo (dependendo do produto oferecido pela seguradora
e dos valores envolvidos).

Os produtos das seguradoras estabelecem limites para a verba da cobertura


de Lucros Cessantes, cujo valor máximo varia de produto para produto.

Riscos Nomeados
Da mesma forma que o Seguro Compreensivo Multirriscos, o Seguro de
Riscos Nomeados permite à empresa segurada escolher os riscos que deseja
contratar; contudo, neste seguro, ela terá flexibilidade de escolha. Não há
coberturas predeterminadas, a não ser a referente à de Incêndio, que é
oferecida, em conjunto, com Queda de Raio e Explosão de Qualquer Natureza,
tornando-se, assim, a cobertura principal ou básica do Seguro de Riscos
Nomeados. Como esses seguros envolvem importâncias seguradas enormes, a
maior parte desses riscos são garantidos pelos resseguradores. Normalmente,
são esses resseguradores que definem as condições de cobertura, o preço
(prêmio), franquias.

UNIDADE 6 85
A contratação do Seguro de Riscos Nomeados é possível para empresas de
Atenção médio e grande porte, e, nesse caso, para aquelas cujo perfil de risco é bem
No Seguro de Riscos Nomeados, é definido e limitado. Portanto, não seria recomendável a contratação do
possível a contratação da cobertura
de Lucros Cessantes decorrentes dos Seguro de Riscos Operacionais (mais abrangente; logo de maior custo).
Danos Materiais, bem como na forma de
Interrupção de Negócio Consequente A cobertura de Lucros Cessantes é oferecida no Seguro de Riscos Nomeados e pode
de Danos Materiais – Perda de Receita
Bruta, do mesmo modo que no Seguro
abranger integralmente o lucro bruto. Além disso, é possível escolher o período
de Riscos Operacionais. indenitário (1 a 36 meses), e há franquia obrigatória em dias, sendo que, às vezes,
essa franquia é fixada em valor. A cobertura será concedida a 1o risco relativo,
podendo, em alguns casos, ser oferecida a 1o risco absoluto. O segurado escolhe
cada evento que deseja garantir em Lucros Cessantes, sendo que os danos materiais
relativos a esses eventos devem estar garantidos pela apólice.

Riscos Operacionais
O Seguro de Riscos Operacionais se caracteriza por sua cobertura do tipo All Risks,
isto é, abrange todas as perdas ou todos os danos materiais causados aos bens
segurados, exceto os formalmente considerados excluídos em suas condições.

Sua comercialização está voltada para complexos industriais (encontramos,


também, esse tipo de apólice sendo contratada para grandes riscos comerciais
e de prestação de serviços, como as concessionárias de serviços públicos), que
estão sujeitos a riscos visíveis e outros imperceptíveis, em face das atividades
desenvolvidas no local. Da mesma forma que o Seguro de Riscos Nomeados,
esses seguros envolvem importâncias seguradas enormes, sendo que a maior
parte desses riscos são garantidos pelos resseguradores. Normalmente, são
esses resseguradores que definem as condições de cobertura, o preço (prêmio),
franquias.

Saiba mais
A cobertura oferecida é de Interrupção de Negócio Consequente de
Danos Materiais – Perda de Receita Bruta, ou de Lucros Cessantes
decorrentes dos Danos Materiais, da mesma forma que no Seguro de
Riscos Nomeados.

A cobertura de Interrupção de Negócios Consequente de Danos


Materiais – Perda de Receita Bruta – abrange a totalidade do lucro
bruto. Não há a figura do período indenitário, mas período de
interrupção, que representa o espaço de tempo que decorrer entre o
momento da ocorrência do acidente e aquele quando, com a devida
diligência e rapidez, os bens segurados danificados forem reparados
ou repostos e colocados, prontos para uso, nas condições anteriores
ao “acidente”, não se limitando à data do vencimento da apólice.
Esse período se encerra quando o segurado retorna à mesma capacidade
de produção ou quando se esgota a importância segurada da apólice.
São fixadas franquias obrigatórias em dias, sendo, às vezes, fixadas
em valor. Se o sinistro de Danos Materiais atingir apenas os estoques
de produtos acabados e não houver perda de produção, não haverá
perda indenizável pela referida cobertura.

A cobertura é concedida a 1o Risco Relativo, podendo, em alguns casos,


ser oferecida a 1o Risco Absoluto.

86 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Quadro-resumo
Comparativo entre Algumas Coberturas de Lucros Cessantes

Riscos Operacionais/
Itens Tradicional Multirriscos Riscos Nomeados
Perda de Receita

Micro, pequenas e Médias e grandes


Público-alvo Todas as empresas Complexos industriais
médias empresas empresas

Despesas Fixas
São raros os produtos
Lucro Bruto Lucro Bruto
que garantem a Lucro Bruto (Lucro Líquido
Bens Cobertos (Lucro Líquido e (Lucro Líquido e
totalidade do Lucro e Despesas Fixas)
Despesas Fixas) Despesas Fixas)
Bruto (Lucro Líquido e
Despesas Fixas)

Reconduzir à mesma Indenizar as perdas Reconduzir à mesma Reconduzir à mesma


Objetivos
situação financeira financeiras cobertas situação financeira capacidade de produção

Fixados nos produtos Não há


Não há opção, variando A indenização cessará
Fixado na apólice Fixado na apólice
Período de 3 a 6 meses, de quando a empresa tiver
Com livre escolha Com livre escolha
Indenitário acordo com o produto. a mesma capacidade de
de 1 a 36 meses de 1 a 36 meses
Há alguns produtos que produção ou esgotar-se a
permitem até 12 meses Importância Segurada

Taxa agravada pelo


Taxa agravada pelo Taxa fixada no produto Não há aplicação de
Coeficiente do Período
Taxação coeficiente do Período Há casos em que se coeficiente de Período
Indenitário (somente
Indenitário aplica um coeficiente Indenitário
evento Incêndio)

1o Risco Absoluto
1o Risco Relativo (há a 1o Risco Relativo (há a
(não há a possibilidade
possibilidade de rateio) possibilidade de rateio)
Concessão da A Risco Total (há a de rateio)
Em alguns casos, a 1o Em alguns casos, a 1o
Cobertura possibilidade de rateio) Para certos valores a
Risco Absoluto (não há a Risco Absoluto (não há a
1o Risco Relativo (há a
possibilidade de rateio) possibilidade de rateio)
possibilidade de rateio)

Obrigatória
Facultativa Obrigatória Obrigatória
Em horas ou dias, e
Franquia Em valor (% da Em dias, sendo que, às Em dias, sendo que, às
raras vezes em valor
Importância Segurada) vezes, é fixada em valor vezes, é fixada em valor
(mínimo)

UNIDADE 6 87
88 SEGURO DE LUCROS CESSANTES
Fixando Conceitos 6

[1] MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA


Anotações:
Nos dias atuais, a cobertura de Lucros Cessantes pode ser contratada:

(a) Somente no Ramo de Lucros Cessantes.


(b) De forma independente, não sendo necessária a contratação do dano
material equivalente.
(c) Somente para empresas com valor segurável igual ou superior a
US$ 24,000,000.00.
(d) Conjugada com o(s) respectivo(s) dano(s) material(ais) em uma mesma
apólice.
(e) Inclusive para pessoas físicas desempregadas.

[2] NUMERE A COLUNA DA DIREITA DE ACORDO COM A DA ESQUERDA

Com relação ao público-alvo, das diferentes formas de contratação de Seguro


de Lucros Cessantes, encontradas nas apólices comercializadas atualmente,
temos:

I) Tradicional ( ) Grandes complexos industriais.


II) Multirriscos Empresariais ( ) Micro, pequenas e médias empresas.
III) Riscos Nomeados ( ) Médias e grandes empresas.
IV) Riscos Operacionais ( ) Todas as empresas.

Assinale a opção correta:

(a) I,II,IV,III
(b) II,III,I,IV
(c) IV,I,II,III
(d) IV,II,I,III
(e) IV,II,III,I

FIXANDO CONCEITOS 6 89
Fixando Conceitos 6

[3] A cobertura de Lucros Cessantes comercializada no Seguro de Riscos


Anotações:
Operacionais – Perda de Receita tem por objetivo:

(a) Reconduzir a indústria à situação financeira anterior ao sinistro.


(b) Aumentar a capacidade de produção da indústria.
(c) Indenizar as perdas materiais ocorridas durante a produção.
(d) Reconduzir a indústria à capacidade de produção anterior ao
sinistro.
(e) Ampliar o número de produtos comercializados pela indústria.

90 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Testando Conhecimentos
[1] Apure a margem de lucro bruto:
Anotações:
(a) Despesas Fixas ....................................................R$ 100.000,00
Despesas Variáveis ..............................................R$ 50.000,00
Lucro Líquido Operacional ..................................R$ 50.000,00
Movimento de Negócios.....................................R$ 200.000,00

(b) Despesas Fixas ....................................................R$ 150.000,00


Despesas Variáveis .............................................R$ 230.000,00
Lucro Líquido Final ............................................R$ 50.000,00
Lucro Líquido Operacional .................................R$ 80.000,00
Movimento de Negócios.....................................R$ 460.000,00

(c) Vendas (movimento de negócios) ......................R$ 200.000,00


Aluguéis .............................................................R$ 20.000,00
Salários ..............................................................R$ 20.000,00
Compra de Matéria-Prima ..................................R$ 85.000,00
Fretes .................................................................R$ 10.000,00
Luz, gás, telefone ...............................................R$ 10.000,00
ICMS, IPI ............................................................R$ 5.000,00
Lucro Líquido Operacional ..................................R$ 50.000,00

[2] Suponha que ocorreu um sinistro e o segurado, com o objetivo de reduzir os


prejuízos, efetuou gastos adicionais de R$ 15.000,00 (entre horas extras e aluguéis
de máquinas), obtendo uma redução na queda de movimento de negócios da
ordem de R$ 50.000,00. A indenização relativa a estes gastos seria de:

Dados Apurados:

• Despesas Fixas ....................................................R$ 90.000,00


• Lucro Líquido Operacional ..................................R$ 10.000,00
• Total de Vendas do Exercício ...............................R$250.000,00
• Importância Segurada ........................................R$100.000,00
• Valor em Risco ...................................................R$100.000,00

TESTANDO CONHECIMENTOS 91
[3] Calcular o valor a ser indenizado:
Anotações:
(a) Margem de Lucro Bruto......................................25%
Queda nas Vendas (movimento de negócios) ......R$100.000,00
Importância Segurada ........................................R$200.000,00
Valor em Risco ...................................................R$200.000,00

(b) Margem de Lucro Bruto......................................40%


Queda nas Vendas (movimento de negócios) ......R$200.000,00
Importância Segurada ........................................R$100.000,00
Valor em Risco ...................................................R$200.000,00

(c) Despesas Fixas ....................................................R$200.000,00


Prejuízo ..............................................................R$ 50.000,00
Vendas (movimento de negócios) .......................R$600.000,00
Queda nas Vendas (movimento de negócios) ......R$120.000,00
Importância Segurada .......................................R$100.000,00
Valor em Risco ...................................................R$200.000,00

[4] Para uma apólice que vigorar de janeiro a dezembro de 2014, determinar
as importâncias seguradas para as coberturas de Lucros Cessantes, em
decorrência de incêndio e vendaval, com período indenitário de 5 e 2 meses,
respectivamente, analisando os dados abaixo:

Exercício Financeiro de 2013 Previsão de Vendas


Mês Vendas Despesas Fixas Mês Vendas
Jan 100.000 15.000 Jan/14 150.000
Fev 100.000 20.000 Fev/14 150.000
Mar 150.000 40.000 Mar/14 225.000
Abr 100.000 25.000 Abr/14 150.000
Mai 150.000 50.000 Mai/14 225.000
Jun 150.000 45.000 Jun/14 225.000
Jul 400.000 180.000 Jul/14 600.000
Ago 200.000 75.000 Ago/14 300.000
Set 250.000 93.000 Set/14 375.000
Out 200.000 95.000 Out/14 300.000
Nov 350.000 140.000 Nov/14 525.000
Dez 150.000 48.000 Dez/14 225.000
Total 2.300.000 826.000 Jan/15 200.000
Fev/15 200.000
Mar/15 325.000
Abr/15 200.000
Mai/15 325.000

Lucro Líquido Operacional no Exercício Financeiro de 2013 = 94.000,00

92 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


[5] Foi contratada uma apólice de Lucros Cessantes em 01/01/2012,
com vigência até 01/01/2013, e cujo período indenitário foi estipulado em Anotações:
6 meses. Em 01/04/2012, ocorreu um sinistro coberto que destruiu parte das
instalações do segurado. Em 31/07/2012, as instalações foram recuperadas
e, em 30/08/2012, os negócios voltaram à normalidade. Qual o período
indenitário coberto?

[6] ASSINALE A OPÇÃO CORRETA

Num sinistro coberto por apólice de Seguro de Lucros Cessantes, ocorrido


numa loja de roupas em Blumenau-SC, foram apurados:

• Movimento de Negócios Padrão (ajustado): R$ 3.500.000,00


• Movimento de Negócios no Período Indenitário: R$ 1.500.000,00
• Gastos Adicionais de R$ 400.000,00. Em virtude desses gastos, o
segurado conseguiu realizar a totalidade dos negócios durante o Período
Indenitário.
• Margem de Lucro Bruto para Lucros Cessantes: 35%
• Importância Segurada: R$ 10.000.000,00
• Valor em Risco: R$ 12.500.000,00

A indenização final devida ao segurado corresponderá a:

(a) R$ 560.000,00
(b) R$ 700.000,00
(c) R$ 880.000,00
(d) R$ 980.000,00
(e) R$ 1.100.000,00

[7] CONSIDERE AS PROPOSIÇÕES A SEGUIR

São eventos passíveis de serem cobertos em Lucros Cessantes:

I) Alagamento
II) Impedimento de Acesso
III) Gastos Adicionais
IV) Danos Elétricos

Somente estão corretas as alternativas:

(a) I e II.
(b) I e IV.
(c) II e III.
(d) III e IV.
(e) I, II, III e IV.

TESTANDO CONHECIMENTOS 93
MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA
Anotações:
[8] Para uma empresa contratar o Seguro de Lucros Cessantes decorrentes
de incêndio, ela deverá ter seu patrimônio físico amparado por seguro de
incêndio. Esta é uma exigência da seguradora com o objetivo de:

(a) Garantir a reposição dos bens materiais atingidos em caso de


sinistro, o que permitirá ao segurado retornar mais facilmente às
suas atividades normais.
(b) Permitir melhor qualidade nos trabalhos de regulação e liquidação do
sinistro.
(c) Reduzir a possível aplicação da cláusula de rateio.
(d) Ampliar a capacidade de retenção da seguradora.
(e) Possibilitar o pagamento da indenização da apólice de Lucros Cessantes
por um período maior.

[9] Uma empresa possui um lucro bruto para Lucros Cessantes no valor de
R$ 3.000.000,00 e despesas fixas que totalizam R$ 2.200.000,00. Sendo
assim, podemos afirmar que essa empresa apresenta:

(a) Resultado nulo.


(b) Prejuízo de R$ 200.000,00.
(c) Prejuízo de R$ 1.000.000,00.
(d) Lucro líquido operacional de R$ 800.000,00.
(e) Lucro líquido operacional de R$ 1.200.000,00.

[10] Nos Seguros de Danos Materiais, objetivam-se coberturas para os bens


físicos móveis e imóveis. Por outro lado, nos Seguros de Lucros Cessantes,
uma vez identificadas e apuradas as perdas através de dados contábeis, o
objeto é o(a):

(a) Ganho de receita líquida para uma empresa.


(b) Manutenção da operacionalidade e lucratividade de uma empresa.
(c) Ganho de venda bruta para uma empresa.
(d) Elevação da lucratividade de uma empresa.
(e) Aumento da operacionalidade e da lucratividade de uma empresa.

94 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


[11] CORRELACIONE AS COLUNAS ABAIXO E DEPOIS MARQUE A ALTERNATIVA
CORRETA Anotações:

Para efeitos de Seguros de Lucros Cessantes, despesas fixas são aquelas que
perduram, mesmo após a ocorrência de sinistro, as quais paralisam ou reduzem
as atividades de uma empresa. Já as despesas variáveis não perduram. Sendo
assim, associe os tipos de despesas a seus respectivos exemplos:

1) Despesas fixas.
2) Despesas variáveis.

( ) Compra de matérias-primas.
( ) Salários e ordenados.
( ) ICMS, IPI, ISS.
( ) Previdência Social.
( ) Despesas de conservação e manutenção.

Agora assinale a alternativa correta:

(a) 1,1,2,2,1
(b) 1,1,2,2,2
(c) 1,2,2,2,1
(d) 2,1,2,1,1
(e) 2,1,1,1,2

[12] MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

Um segurado possui apólice de Seguro Compreensivo Multirrisco Empresarial,


na qual foi contratada a cobertura para os danos materiais decorrentes de
incêndio para os seus bens, sendo:

Prédio: importância segurada de R$ 250.000,00 e taxa de 0,25%.


MMP: importância segurada de R$ 480.000,00 e taxa de 0,45%.

Nesses casos, a taxa que será cobrada desse segurado para contratar o
Seguro de Lucros Cessantes decorrente do evento incêndio, com um período
indenitário de 8 meses, é de:

(a) 0,25%
(b) 0,38%
(c) 0,45%
(d) 0,57%
(e) 0,65%

TESTANDO CONHECIMENTOS 95
[13] ANALISE AS PROPOSIÇÕES A SEGUIR E DEPOIS MARQUE A ALTERNATIVA
Anotações: CORRETA

Sobre a cobertura adicional de Despesas com Instalação em Novo Local,


podemos afirmar que:

I) Essa cobertura prevê indenização para aquisição de um novo imóvel ou


a despesa de aluguel desse imóvel.
II) Sua verba não poderá ultrapassar o valor da importância segurada da
cobertura básica.
III) As despesas de compra de um novo ponto comercial podem ser
cobertas.
IV) É concedida a Primeiro Risco Absoluto.

Agora assinale a alternativa correta:

(a) Somente I é proposição verdadeira.


(b) Somente I e IV são proposições verdadeiras.
(c) Somente II e III são proposições verdadeiras.
(d) Somente I, II e III são proposições verdadeiras.
(e) Somente II, III e IV são proposições verdadeiras.

[14] MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

Uma empresa contratou seu Seguro de Lucros Cessantes por um período


anual, com taxa de 0,25%, importância segurada de R$ 15.000.000,00 e
incluiu na apólice a cláusula de devolução de prêmio. Não houve qualquer
sinistro reclamado durante a vigência do seguro. Em menos de 90 dias após
a vigência, a empresa apresentou à sua seguradora um relatório elaborado
por auditor independente, que comprovava um Valor em Risco da ordem de
R$ 6.500.000,00.

Nesse caso, a devolução do prêmio à empresa segurada foi de:

(a) R$ 10.500,00
(b) R$ 18.750,00
(c) R$ 21.250,00
(d) R$ 25.500,00
(e) R$ 37.500,00

[15] ANALISE SE AS PROPOSIÇÕES SÃO VERDADEIRAS OU FALSAS E DEPOIS


MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

Atualmente, há seguros que conjugam as coberturas de Danos Materiais e de


Lucros Cessantes na mesma apólice, como, por exemplo, os Seguros (de):

( ) Riscos Diversos – Alagamento.


( ) Compreensivos Multirriscos Empresariais.
( ) Riscos Operacionais.
( ) Riscos Nomeados.

Agora assinale a alternativa correta:

(a) V,F,F,F
(b) F,F,F,V
(c) F,V,F,F
(d) V,F,V,F
(e) F,V,V,V

96 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


[16] MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA
Anotações:
Os Seguros Multirriscos oferecem a garantia de lucros cessantes para pequenas
e médias empresas. Sobre o período indenitário desses seguros, podemos
afirmar que:

(a) É fixado de acordo com o produto, variando de 3 a 6 meses, mas há


casos de até 12 meses.
(b) É de livre escolha, variando de 1 a 36 meses.
(c) Não há período indenitário, pois a indenização cessará quando a
empresa tiver a mesma capacidade de produção ou quando esgotar
a importância segurada.
(d) É obrigatório por até 36 meses, para garantir a normalidade operacional
da empresa.
(e) É de 24 meses.

[17] MARQUE A ALTERNATIVA QUE PREENCHA CORRETAMENTE A(S)


LACUNA(S)

No Seguro de Lucros Cessantes, o _______________ corresponde às receitas


operacionais líquidas, ou, simplesmente, ao faturamento (vendas líquidas).

(a) movimento de negócios


(b) lucro bruto segurado
(c) lucro líquido operacional
(d) valor em risco de novo
(e) valor em risco atual

[18] MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

Após a ocorrência de um evento (fato gerador), haverá a necessidade de um


determinado período de tempo para que a empresa possa recuperar o ritmo
normal de suas atividades. É o tempo designado como período indenitário (PI)
no Seguro de Lucros Cessantes, o qual deverá, obrigatoriamente, ser definido
na apólice. Com base nisso, é correto afirmar que o PI deverá iniciar na data
do sinistro e terminar obrigatoriamente quando:

(a) O prazo de vigência da apólice for atingido.


(b) Expirar o prazo definido, contratualmente, na apólice.
(c) Houver a normalização das atividades da empresa ou o esgotamento
do número de meses estabelecido na apólice, prevalecendo o fato que
ocorrer primeiro.
(d) For atingido o período máximo de 36 ou 24 meses, de acordo com a
atividade empresarial.
(e) Houver a normalização das atividades da empresa.

TESTANDO CONHECIMENTOS 97
[19] CORRELACIONE AS COLUNAS ABAIXO E DEPOIS MARQUE A ALTERNATIVA
Anotações: CORRETA

Associe as coberturas do Seguro de Lucros Cessantes ao seu respectivo


enquadramento:

1) Cobertura Básica.
2) Cobertura Adicional.

( ) Honorários de Peritos Contadores.


( ) Gastos Adicionais.
( ) Impedimento de Acesso.
( ) Despesas com Instalação em Novo Local.

Agora assinale a alternativa correta:

(a) 2,1,1,2
(b) 2,1,2,1
(c) 2,2,1,1
(d) 1,2,2,1
(e) 1,1,2,2

[20] MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

O Seguro de Lucros Cessantes indeniza as perdas financeiras ocorridas, ou


seja, o lucro bruto que o segurado deixou de obter por causa do sinistro.
Considerando que as despesas fixas compõem uma parte do lucro bruto,
devemos entendê-las como sendo aquelas que:

(a) Estão ligadas à produção ou à venda.


(b) Decorrem de ato ou de fato da autoridade fiscal.
(c) O segurado terá de realizar mesmo sem ter receita para financiá-las.
(d) São necessárias à reparação dos bens danificados.
(e) Estão relacionadas à inadimplência do segurado com seus
fornecedores.

[21] MARQUE A ALTERNATIVA QUE PREENCHA CORRETAMENTE A(S)


LACUNA(S):

Para empresas comerciais e de prestação de serviços, visando à apuração


do valor em risco, utilizamos apenas a especificação movimento de
negócios (vendas). Já para empresas industriais, poderão ser utilizadas,
de acordo com o tipo de indústria, as especificações ____________________
ou ____________________.

(a) produção (unidades ou valor de venda) / consumo


(b) despesas / receitas
(c) consumo / despesas
(d) produção (unidades ou valor de venda) / faturamento
(e) consumo / receitas

98 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


[22] MARQUE A ALTERNATIVA QUE PREENCHA CORRETAMENTE A(S)
LACUNA(S): Anotações:

A Cobertura Adicional de Honorários de Peritos Contadores permite a definição


de uma verba para pagamento de honorários a profissionais contadores
que venham a ser contratados pelo segurado, para auxílio na preparação
da reclamação de um sinistro. A verba a ser definida para tal despesa ficará
limitada ao máximo de ___________ da importância segurada básica, sendo
que tal cobertura funciona a ______________.

(a) 1% / 1o Risco Absoluto


(b) 1% / Risco Total
(c) 2% / 1o Risco Absoluto
(d) 3% / Risco Total
(e) 5% / 1o Risco Relativo

[23] ANALISE SE AS PROPOSIÇÕES SÃO VERDADEIRAS OU FALSAS E DEPOIS


MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

Em relação à cobertura adicional de Extensão de Cobertura a Fornecedores


e/ou Compradores, podemos afirmar que:

( ) É contratada a 1o Risco Absoluto.


( ) Garante a perda de lucro e gastos adicionais do fornecedor ou comprador
relacionados na apólice.
( ) Deve ser contratada somente para aqueles fornecedores e/ou
compradores que tenham grande influência no movimento de negócios
do segurado.
( ) O segurado deverá definir, em sua apólice, a importância segurada para
cada evento coberto, referente a cada fornecedor e/ou comprador que
deseja contratar essa cobertura.

Agora assinale a alternativa correta:

(a) V,F,F,F
(b) F,V,V,V
(c) F,V,F,F
(d) F,F,V,V
(e) V,F,F,V

[24] ANALISE AS PROPOSIÇÕES A SEGUIR E DEPOIS MARQUE A ALTERNATIVA


CORRETA

Com relação às despesas de uma empresa e o Seguro de Lucros Cessantes,


podemos afirmar que:

I) As despesas fixas são aquelas normalmente suportadas pela empresa


durante cada exercício financeiro.
II) As despesas fixas dependem do volume produzido.
III) As despesas variáveis estão diretamente ligadas à produção ou à venda.
IV) As despesas variáveis são garantidas pelo Seguro de Lucros Cessantes.

Agora assinale a alternativa correta:

(a) Somente I é proposição verdadeira.


(b) Somente III é proposição verdadeira.
(c) Somente I e III são proposições verdadeiras.
(d) Somente I, II e IV são proposições verdadeiras.
(e) I, II, III e IV são proposições verdadeiras.

TESTANDO CONHECIMENTOS 99
MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA
Anotações:
[25] No Seguro de Lucros Cessantes, para uma empresa que opera com lucro,
o lucro bruto segurável é igual à (ao):

(a) Receita líquida menos o custo das mercadorias vendidas.


(b) Lucro líquido menos as despesas variáveis.
(c) Receita bruta mais as despesas variáveis.
(d) Lucro líquido mais as despesas fixas.
(e) Receita bruta menos as despesas fixas.

[26] Após a ocorrência de um sinistro de Danos Materiais, haverá a necessidade


de um tempo para a empresa recuperar o ritmo normal de suas atividades.
Esse tempo é denominado:

(a) Período de carência.


(b) Período indenitário.
(c) Vigência do seguro.
(d) Período de manutenção.
(e) Ciclo operacional.

[27] ANALISE SE AS PROPOSIÇÕES SÃO VERDADEIRAS OU FALSAS E DEPOIS


MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

Os eventos cobertos pelo Seguro de Lucros Cessantes são os acidentes a que


estão sujeitos os bens da empresa segurada, devidamente especificados na
apólice, que podem causar paralisações ou perturbações no seu movimento
de negócios. Portanto, podemos afirmar que, nas apólices atuais, os eventos
abaixo podem ser conjugados à cobertura de Lucros Cessantes:

( ) Incêndio/Queda de Raio/Explosão de Qualquer Natureza.


( ) Alagamento.
( ) Tumultos.
( ) Desmoronamento.

Agora assinale a alternativa correta:

(a) V,F,F,F
(b) F,V,V,V
(c) V,V,F,V
(d) V,V,V,V
(e) V,V,F,F

[28] MARQUE A ALTERNATIVA QUE PREENCHA CORRETAMENTE A(S)


LACUNA(S):

Como o Seguro de Lucros Cessantes é contratado a ________________, para


estipular a importância a ser segurada (lucro bruto), o segurado deve calcular o
seu valor em risco. Se, em caso de sinistro, o valor em risco apurado for superior
à importância segurada, será aplicada a penalidade do rateio ao segurado.

(a) Risco Total


(b) 1o Risco Relativo
(c) 1o Risco Absoluto
(d) 2o Risco Relativo
(e) 2o Risco Absoluto

100 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


[29] ANALISE SE AS PROPOSIÇÕES SÃO VERDADEIRAS OU FALSAS E DEPOIS
MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA Anotações:

Com relação à cobertura de Impedimento de Acesso, de um Seguro de Lucros


Cessantes, podemos afirmar que:

( ) Ela somente funciona se um dos locais segurados for atingido pelo evento
coberto pela apólice.
( ) É uma garantia compreendida na cobertura básica.
( ) Tem de ser estabelecida verba específica para a cobertura.
( ) Não há necessidade de pagamento de prêmio adicional.

Agora assinale a alternativa correta:

(a) F,V,F,V
(b) F,F,V,V
(c) F,V,V,V
(d) V,V,V,F
(e) V,F,V,V

[30] MARQUE A ALTERNATIVA QUE PREENCHA CORRETAMENTE A(S)


LACUNA(S):

Visando à ampliação da cobertura básica, é prerrogativa do segurado a inclusão


de condições particulares em sua apólice. Portanto, mediante o pagamento de
prêmio adicional e de estipulação de verba específica, podem ser agregadas
as coberturas adicionais de _______________ e de ______________ ao contrato
de Seguro de Lucros Cessantes.

(a) Honorários de Peritos Contadores / Impedimento de Acesso


(b) Despesas com Instalação em Novo Local / Honorários de Peritos
Contadores
(c) Extensão da Cobertura a Fornecedores e/ou Compradores / Gastos
Adicionais
(d) Impedimento de Acesso / Gastos Adicionais
(e) Extensão da Cobertura a Fornecedores e/ou Compradores / Impedimento
de Acesso

[31] MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA

Os seguros de proteção às receitas das empresas, entre os quais se insere o


Seguro de Lucros Cessantes, foram modernizados, aperfeiçoados e ampliados
a partir do final da década de 1980. Importante medida foi a introdução, no
mercado, de outros tipos de seguros para a proteção de receitas, emitidos
na mesma apólice dos respectivos danos materiais. Para os seguros utilizados
nas indústrias de grande porte, destaca(m)-se a(s):

(a) Diária de interrupção de atividade industrial.


(b) Despesas fixas.
(c) Perda de Receita Líquida.
(d) Interrupção de negócios consequentes de danos materiais – Perda de
Receita Bruta.
(e) Interrupção de lucratividade industrial – Perda de Receita Líquida.

TESTANDO CONHECIMENTOS 101


MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA
Anotações:
[32] A parcela máxima do faturamento (movimento de negócios), garantida
pelo Seguro de Lucros Cessantes, é entendida como a(s):

(a) Margem de lucro bruto.


(b) Vendas brutas.
(c) Despesas variáveis.
(d) Vendas líquidas.
(e) Despesas financeiras.

[33] Para contratar o Seguro de Lucros Cessantes, a empresa deve atender,


entre outros, ao seguinte requisito:

(a) Ter Seguro de Vida dos seus funcionários.


(b) Ter Seguro de Acidentes Pessoais dos seus funcionários.
(c) Estar devidamente inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas
– CNPJ, do Ministério da Fazenda.
(d) Estar devidamente inscrita no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF, do
Ministério da Fazenda.
(e) Não ter registro de sinistro anterior.

[34] No Seguro de Lucros Cessantes, devemos entender como “fato gerador


do risco” a:

(a) Ocorrência de sinistro de Danos Materiais.


(b) Perda expressiva do lucro bruto.
(c) Perturbação do movimento de negócios do segurado.
(d) Responsabilidade contratual de fornecimento de produtos.
(e) Falência da empresa.

[35] MARQUE A ALTERNATIVA QUE PREENCHA CORRETAMENTE A(S)


LACUNA(S):

Quando o segurado opta por não garantir todas as suas despesas fixas, o
lucro bruto segurado corresponderá ao somatório do lucro __________ mais
as despesas __________.

(a) líquido / fixas especificadas


(b) líquido / variáveis
(c) bruto / fixas totais
(d) bruto / variáveis
(e) bruto / fixas especificadas

102 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Gabarito
Fixando Conceitos

Unidade 1 Unidade 2
1–D 5–A 1–B 5–C 9–E
2–A 6–A 2–D 6 – C* 10 – D*
3–B 7–C 3–C 7–E 11 – D*
4–D 4–D 8–B

Unidade 3
1–A 6 – A* 11 – A 16 – A* 21 – A 26 – C*
2–A 7–D 12 – C 17 – E 22 – C 27 – A
3–A 8–A 13 – E 18 – D* 23 – C 28 – D*
4–E 9–A 14 – E 19 – B 24 – E
5–B 10 – C 15 – B 20 – B 25 – A

Unidade 4 Unidade 5 Unidade 6


1–C 7–A 1–B 1–D
2–E 8–C 2–B 2–E
3–E 9–B 3–D
3–C
4–D 10 – B
4 – C*
5–C 11 – B
6–A

* Questões com Memória de Cálculo.

GABARITO 103
Memória de Cálculo
Unidade 2
Questão 6)
MLB = (Lucro Líquido Operacional + Despesas Fixas) ÷ Movimento de
Negócios
MLB = [(200.000 + 300.000) ÷ 2.000.000] × 100 = 25%

Questão 10)
LB = Lucro Líquido + Despesas Fixas
LB = 100.000 + 2.000.000 = 2.100.000,00

Questão 11)
MLB = (Lucro Bruto ÷ Movimento de Negócios) × 100
MLB = (2.100.000 ÷ 4.000.000) × 100 = 52,5%

Unidade 3
Questão 6)
Perda do Lucro Bruto = Queda no Movimento de Negócios × Margem de
Lucro Bruto
Perda do Lucro Bruto = 48.000.000 × 35% = 16.800.000,00

Questão 16)
Indenização = (Perda do Lucro Bruto × Importância Segurada) ÷ Valor em
Risco
Indenização = (100.000 × 200.000) ÷ 400.000 = 50.000

Questão 18)
Para calcular o prêmio, precisamos obter a taxa básica aplicável ao evento, que,
para o evento incêndio, corresponderá à taxa média ponderada de conteúdo
(excluídos os dados referentes ao Seguro de Prédios), qual seja:

Taxa Média Ponderada – Incêndio = Somatório de Prêmios de Conteúdo ÷


Somatório de Importâncias Seguradas de Conteúdo.
Taxa Média Ponderada – Incêndio = (4.000 + 8.000) ÷ (2.000.000 + 2.000.000)
= 12.000 / 4.000.000 = 0,30%

Além da taxa básica acima, para obter a taxa de lucros cessantes, temos de
encontrar o coeficiente relativo ao período indenitário, qual seja:
PI = 10 meses → Coeficiente = 111%
A taxa de lucros cessantes virá de aplicação do coeficiente sobre a taxa básica:
0,30% × 111% = 0,333%.
Prêmio Líquido = Importância Segurada de Lucros Cessantes × Taxa de Lucros
Cessantes
Prêmio Líquido = 2.000.000 × 0,333% = 6.660,00

Questão 26)
Para obter a taxa de lucros cessantes, precisamos da taxa básica, que, nesse
caso, corresponderá à taxa do dano material-danos elétricos, ou seja 0,20%; e
aplicar a esta taxa o coeficiente aplicável de acordo com o período indenitário,
que, no caso, será de 212% (2 meses). Logo, a taxa de lucros cessantes será
de: 0,20% × 212% = 0,424%

104 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Questão 28)
Parcela relativa à Perda de Lucro Bruto = Queda no Movimento de Negócios
× Margem de Lucro Bruto
Perda de Lucro Bruto = 1.000.000 × 40% = 400.000,00

Limite para Gastos Adicionais = Redução na Queda do Movimento de Negócios


× Margem de Lucro Bruto
Limite para Gastos Adicionais = 500.000 × 40% = 200.000,00, então:
Parcela indenizável relativa aos Gastos Adicionais = 200.000,00 (o segurado
gastou R$ 250.000,00, que ultrapassou o limite indenizável)

Indenização Total = Parcela relativa à Perda de Lucro Bruto + Parcela relativa


aos Gastos Adicionais
Indenização Total = 400.000 + 200.000 = 600.000,00
Como a IS = VR, não há aplicação do rateio; logo a indenização será de
R$ 600.000,00.

Unidade 5
Questão 4)
Considerando-se que todas as condições necessárias à aplicação da cláusula
de Devolução de Prêmio (confecção de relatório elaborado por auditor
independente e entregue no prazo) estão atendidas e que há excesso de
importância segurada para uma apólice anual, será devolvido ao segurado o
prêmio pago referente a esse excesso, limitado a 50% do valor pago, como
segue:

Excesso de Importância Segurada = Importância Segurada – Valor em Risco


Excesso de IS = 10.000.000 – 3.000.000 = 7.000.000
Taxa de Lucros Cessantes = 0,60%
Prêmio a devolver = 7.000.000 × 0,60% = 42.000; porém como está limitado
a 50% do prêmio pago (R$ 60.000 × 50% = R$ 30.000), o valor do prêmio
a ser devolvido é de R$ 30.000,00.

GABARITO 105
Testando Conhecimentos

1–* 8–A 15 – E 22 – A 29 – A
2–* 9 – D* 16 – A 23 – D 30 – B
3–* 10 – B 17 – A 24 – C 31 – D
4–* 11 – D 18 – C 25 – D 32 – A
5–* 12 – D* 19 – A 26 – B 33 – C
6 – C* 13 – E 20 – C 27 – D 34 – A
7–B 14 – B* 21 – A 28 – A 35 – A

Memória de Cálculo

Testando Conhecimentos
Questão 1)
a) Lucro Bruto para Lucros Cessantes = Lucro Líquido Operacional + Despesas
Fixas
LB = 50.000 + 100.000 = 150.000
MLB = LB ÷ Movimento de Negócios × 100 = 150.000 ÷ 200.000 × 100
MLB = 75%

b) Lucro Bruto para Lucros Cessantes = Lucro Líquido Operacional + Despesas


Fixas
LB = 80.000 + 150.000 = 230.000
MLB = LB ÷ Movimento de Negócios × 100 = 230.000 ÷ 460.000 × 100
MLB = 50%

c) Despesas Fixas = aluguéis + salários + luz, gás, telefone


Despesas Fixas = 20.000 + 20.000 + 10.000 = 50.000,00

MLB = [(Lucro Líquido Operacional + Despesas Fixas) ÷ Movimento de


Negócios] × 100
MLB = [ (50.000 + 50.000) ÷ 200.000 ] × 100 = 50%

Questão 2)
Lucro Bruto para Lucros Cessantes = Lucro Líquido Operacional + Despesas Fixas
LB = 10.000 + 90.000 = 100.000
MLB = LB ÷ Movimento de Negócios × 100 = 100.000 ÷ 250.000 × 100
MLB = 40%
Limite para Gastos Adicionais = Redução na Queda no Movimento de Negócios
× MLB
Limite para Gastos Adicionais = 50.000 × 40% = 20.000
Como o limite é maior que o valor gasto, a indenização corresponde a este
último, ou seja, R$ 15.000,00.

106 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Questão 3)
a) Perda do Lucro Bruto = Queda nas Vendas × Margem de Lucro Bruto
Perda do Lucro Bruto = 100.000 × 25% = 25.000,00
Como a IS = VR não há rateio
Indenização = 25.000,00

b) Perda do Lucro Bruto = Queda nas Vendas (Movimento de Negócios) ×


Margem de Lucro Bruto
Perda do Lucro Bruto = 200.000 × 40% = 80.000,00
IS < VR → aplica-se o rateio
Indenização = (Perda do Lucro Bruto × Importância Segurada) ÷ Valor
em Risco
Indenização = (80.000 × 100.000) ÷ 200.000 = 40.000,00

c) MLB = [(Despesas Fixas – Prejuízo) ÷ Movimento de Negócios] × 100


MLB = [(200.000 – 50.000) ÷ 600.000 ] × 100 = 25%
Perda do Lucro Bruto = Queda nas Vendas (Movimento de Negócios) ×
Margem de Lucro Bruto
Perda do Lucro Bruto = 120.000 × 25% = 30.000,00
IS < VR → aplica-se o rateio
Indenização = (Perda do Lucro Bruto × Importância Segurada) ÷ Valor
em Risco
Indenização = (30.000 × 100.000) ÷ 200.000 = 15.000,00

Questão 4)
MLB = [(Lucro Líquido + Despesas Fixas) ÷ Movimento de Negócios] × 100
MLB = [(94.000 + 826.000) ÷ 2.300.000 ] × 100 = 40%

Lucros Cessantes decorrentes de incêndio com PI = 5 meses, então:

Os 5 meses consecutivos de maior faturamento:

Mês Vendas
Jul 600.000
Ago 300.000
Set 375.000
Out 300.000
Nov 525.000
Total 2.100.000

Importância Segurada = Previsão de Vendas com PI × Margem de Lucro Bruto


Importância Segurada = 2.100.000 × 40% = 840.000,00

Lucros Cessantes decorrentes de vendaval com PI = 2 meses, então:

Os 2 meses consecutivos de maior faturamento:

Mês Vendas
Jul 600.000
Ago 300.000
Total 900.000

Importância Segurada = Previsão de Vendas no PI × Margem de Lucro Bruto


Importância Segurada = 900.000 × 40% = 360.000,00

GABARITO 107
Questão 5)
Período Indenitário Contratado ........................ 6 meses
Início: Dano Material .................................. 01/04/2012
Fim: Normalização das Atividades................ 30/08/2012
Período Indenitário Coberto ............................. 5 meses (de 01/04/2012
a 30/08/2012)

Questão 6)
Primeiro, devemos apurar as perdas cobertas pelo seguro, quais sejam:

1) Perda do Lucro Bruto = Queda no Movimento de Negócios × Margem de


Lucro Bruto, sendo: Queda no Movimento de Negócios = Movimento
de Negócios Padrão (ajustado) – Movimento de Negócios Realizado
durante o Período Indenitário
Queda no Movimento de Negócios = 3.500.000 – 1.500.000 = 2.000.000
Margem de Lucro Bruto = 35%
Perda de Lucro Bruto = 2.000.000 × 35% = 700.000

2) Gastos Adicionais:
Limite de Gastos Adicionais = Redução na Queda do Movimento de
Negócios em Virtude do Gasto × Margem de Lucro Bruto para Lucros
Cessantes
Limite de Gastos Adicionais = R$ 1.500.000 × 35% = 525.000
Como o limite é maior do que o valor gasto, será indenizável o total do
gasto efetuado (R$ 400.000)
Total Indenizável = Perda de Lucro + Gasto Adicional = R$ 700.000 +
R$ 400.000 = R$ 1.100.000
Como o Seguro de Lucros Cessantes é contratado a Risco Total, a IS deve
corresponder ao VR, sob pena de aplicação do rateio; logo:
IS = R$ 10.000.000, VR = R$ 12.500.000, IS < VR; logo I = P × IS ÷ VR
Indenização = R$ 1.100.000 × R$ 10.000.000 ÷ R$ 12.500.000 =
R$ 880.000

Questão 9)
Lucro Bruto para Lucros Cessantes = Lucro Líquido Operacional + Despesas
Fixas
3.000.000 = Lucro Líquido Operacional + 2.200.000, logo:
Lucro Líquido Operacional = 3.000.000 – 2.200.000
Lucro Líquido Operacional = R$ 800.000,00

Questão 12)
Taxa Final do Seguro de Lucros Cessantes = taxa básica × Coeficiente do
Período Indenitário
Taxa básica = taxa do dano material = no caso de incêndio, é a taxa média
ponderada de conteúdo; logo como só temos uma taxa de conteúdo (MMP),
a taxa básica do evento incêndio é 0,45%.
Taxa final = 0,45% × 127% (encontrado na página 46 para 8 meses de PI)
= 0,57%

Questão 14)
O prêmio anual pago foi de R$ 15.000.000,00 × 0,25% = 37.500,00
O excesso de IS foi de R$ 15.000.000 – R$ 6.500.000 = R$ 8.500.000,00
O prêmio a ser devolvido seria de R$ 8.500.000 × 0,25% = R$ 21.250,00,
porém o máximo que pode ser devolvido é de 50% do prêmio pago; logo o
prêmio a ser devolvido é de R$ 37.500,00 × 50% = R$ 18.750,00.

108 SEGURO DE LUCROS CESSANTES


Referência Bibliográfica
FUNENSEG. Diretoria de Ensino Técnico. Seguro de lucros cessantes. Assessoria técnica de José Carlos
de Lacerda Souza. 18. ed. Rio de Janeiro: Funenseg, 2014. 110 p.

FUNENSEG. Seguro de lucros cessantes. Rio de Janeiro: Funenseg, 1990 (apostila do Curso de Gerente
Técnico de Seguros).

IRB. Tarifa de lucros cessantes. 2. ed. Rio de Janeiro: IRB, 1990.

Manuais Técnicos de Seguros. Manual incêndio e lucros cessantes. São Paulo: Editora Manuais Técnicos
de Seguros, 1986.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 109