Sei sulla pagina 1di 14

SÍNTESE PROTÉICA

GENÉTICA
UNITRI – 2018
PROF. ME. RODRIGO LOPES DE FELIPE
INTRODUÇÃO
• SÍNTESE PROTEÍNAS: TRADUÇÃO;

• ENVOLVE “INTERPRETAR” O CÓDIGO GENÉTICO;

• LINGUAGEM DE 4 LETRAS (A – U – G – C) NUCLEICOS


NUMA LINGUAGEM DE “20 LETRAS”;

• CÓDIGO GENÉTICO – TRADUZIDO EM PROTEÍNAS;

• ALTERAÇÕES NA SEQUÊNCIA ORIGINAL DOS


NUCLEOTÍDEOS – ALTERAÇÕES NA SEQUÊNCIAS DE A.A;
CÓDIGO GENÉTICO
• SE BASEIA NA SEQUÊNCIA DE 4 NUCLEOTÍDEOS,
AGRUPADOS EM UMA SEQUÊNCIA DE TRÊS BASES;
CÓDONS
• 64 CÓDONS DIFERENTES, AGRUPANDO AS BASES DE 3
EM 3;

• EXPRESSOS NO mRNA, TRADUZEM A.A ESPECÍFICOS;

• CÓDON DE INICIAÇÃO: AUG (METIONINA);

• CÓDON DE TERMINAÇÃO: UGA, AUG e UAA (STOP


CÓDONS);
CÓDIGO GENÉTICO - CARACTERÍSTICAS

ESPECIFICIDADE – UM CODÃO ESPECÍFICO CODIFICA SEMPRE O MESMO


AMINOÁCIDO;

UNIVERSALIDADE – O CÓDIGO GENÉTICO É VÁLIDO PARA QUALQUER SER


VIVO, UM mRNA, DE UMA ESPÉCIE AO SER TRADUZIDO EM OUTRA ESPÉCIE,
IRÁ ORIGINAR A MESMA PROTEÍNA;

REDUNDÂNCIA – UM MESMO A.A PODE TER MAIS DE UM CÓDON, PORÉM, UM


CÓDON SEMPRE CODIFICA O MESMO A.A, O CÓDIGO GENÉTICO NÃO É
AMBÍGUO;

LINEARIDADE – A LEITURA DO CÓDIGO GENÉTICO É FEITA SEM


SOBREPOSIÇÕES OU PAUSAS, OU SEJA, SE UM OU DOIS NUCLEOTÍDEOS SÃO
“DELETADOS” A LEITURA SE TORNA DIFERENTE A PARTIR DO PONTO;
COMPONENTES
NECESSÁRIOS / TRADUÇÃO
• AMINOÁCIDOS: 20 A.A COMUNS;

• tRNA: SE LIGAM DE FORMA ESPECÍFICA AOS A.A,


ANTICÓDONS, EXISTEM CERCA DE 50 DIFERENTES
TIPOS, SEU EMPARELHAMENTO PODE NÃO SER
TRADICIONAL, G PODE EMPARELHAR COM A C OU U, E
O U COM A A OU G, POR EXEMPLO;

• mRNA: VAI AO CITOSOL, TRADUÇÃO, SEQUÊNCIA DE


CÓDONS QUE DEFINE UMA PROTEÍNA;

• FONTES DE ENERGIA: ATP


COMPONENTES
NECESSÁRIOS / TRADUÇÃO
• RIBOSSOMO: PROTEÍNAS E rRNA, FORMADOS POR 2
SUBUNIDADES – EUCARIOTA (60s E 40s), PROCARIOTA
(50s E 30s);

- rRNA ASSOCIADOS A PROTEÍNAS, E SÍTIOS A E P (LIGAÇÃO


PARA MOLÉCULAS DE tRNA);
- COBREM DOIS CÓDONS VIZINHOS;
- A, CÓDON POSICIONADO, ESPECIFICA O PRÓXIMO A.A, P,
LIGADO À CADEIA QUE ESTÁ SENDO SINTETIZADA;

• FATORES PROTEICOS: PROTEÍNAS RELACIONADAS À


INICIAÇÃO, ELONGAÇÃO E LIBERAÇÃO DA CADEIA;
COMPONENTES
NECESSÁRIOS / TRADUÇÃO
ETAPAS DA BIOSSÍNTESE

• ATIVAÇÃO DOS
A.A: LIGAÇÃO DOS
AMINOÁCIDOS
AO(S) SEU(S) tRNA
ESPECÍFICO(S),
Aminoacil-tRNA
Sintetases;
ETAPAS DA BIOSSÍNTESE
ETAPAS DA BIOSSÍNTESE

• INICIAÇÃO DA CADEIA, DEPENDE DE:

- SUBUNIDADE RIBOSSOMAL 40S;


- DO mRNA;
- DO tRNA COM O ANTICODON DE INICIAÇÃO AUG
(METIONINA);
- E DE UMA SÉRIE DE PROTEÍNAS DENOMINADAS
“FACTORES DE INICIAÇÃO”, OU eIF, NO MÍNIMO, EM
NÚMERO DE 9, NOS EUCARIOTAS;
ETAPAS DA BIOSSÍNTESE

• ELONGAÇÃO DA CADEIA: TAMBÉM DEPENDENTE DE


FATORES, DETERMINADOS FATORES DE ELONGAÇÃO,
OU eF’s;

• POSICIONAMENTO DOS A.A, E FORMAÇÃO DA LIGAÇÃO


PEPTÍDICA;

• MOVIMENTO DO RIBOSSOMO, SINTETIZANDO A CADEIA;


ETAPAS DA BIOSSÍNTESE

• TERMINAÇÃO DA CADEIA: DEPENDENTE DE UM STOP


CÓDON;

• UAG, UGA OU UAA – DETERMINA A LIGAÇÃO DE UM


“FATOR DE LIBERTAÇÃO”, OU eRF;

• DETERMINA A QUEBRA DA LIGAÇÃO ENTRE O ÚLTIMO


A.A E SEU tRNA;
MODIFICAÇÕES PÓS-TRADUÇÃO

• REDUÇÃO DO TAMANHO: CONVERSÃO DE PROTEÍNAS


INACTIVAS E ZIMOGÊNIOS NAS SUAS FORMAS ACTIVAS,
POR REMOÇÃO DE SEQUÊNCIAS DE AMINOÁCIDOS
CATALISADAS POR ENDOPROTEASES ESPECÍFICAS;

• ALTERAÇÕES COVALENTES: FOSFORILAÇÃO,


GLICOSILAÇÃO, HIDROXILAÇÃO, ETC;

• CONJUGAÇÃO – ANEXAÇÃO DE OUTROS GRUPOS;

• ENDEREÇAMENTO – PROTEÍNAS SÃO DIRECIONADAS


PARA ORGANELAS ESPECÍFICAS, OU PARA A MEMBRANA,
OU PARA FORA DA CÉLULA;