Sei sulla pagina 1di 29

Culicidae

Família Culicidae
• Taxonomia
1. Culicinae
 Culex, Aedes, Haemagogus,
Wyeomya, Sabethes.
2. Anophelinae
 Anopheles.
3. Toxorhynchitinae
 Toxorhynchites.
Culicinae
• Possui 2750 espécies, sendo 1200
do gênero Aedes e 800 do gênero
Culex.
• As tribos mais importantes são a
Aedini e Culicini.
• Dentro destes dois gêneros estão as
espécies de maior importância
médico-veterinária.
• Transmitem harboviroses e filárias.
Culex

Aedes
Anophelinae
• Possui três gêneros, porém só
Anopheles é de importância.
• Vetor da malária.
Lacroix R, Mukabana
WR, Gouagna LC,
Koella JC (2005)
Malaria infection
increases
attractiveness of
humans to
mosquitoes. PLoS
Biol. 3(9): e298.
Toxorhynchitinae
• Possui somente um gênero,
Toxorhynchites.
• Adultos grandes, metálicos e não
hematófagos.
• Larvas predadoras de outras larvas de
mosquitos.
• Fitotelmata.
Ciclo de vida
Anopheles

Culex
Aedes

Ovos
Anophelini

Culicini
Anophelini
Posição de
descanso do
adulto

Culicini
Anopheles
Anopheles
• Os anófeles do novo
mundo são divididos
em dois sub-gêneros:
 Nyssorhynchus: se
criam em coleções
de água no solo;
 Kertesia: se criam
em imbricamentos
das folhas de
bromélias.
• A principal espécie de
transmissora de malária no Brasil
é o Anopheles (Nyssorhyncus)
darlingi.
• Antropofilia, domesticidade,
susceptibilidade ao plasmódio, e
densidade.
• Cria-se em grandes coleções de
água, desde que sejam límpidas e
ensolaradas, ou parcialmente
sombreadas.
Aedes
Aedes aegypti
• Foi importado da África para a América
na época da escravidão.
• Se espalhou por todo o continente,
sendo controlado em 1955.
• Foi reintroduzido em Belém e São Luiz
em 1976
• Em 1985/1986 e em 1997/1998
estava presente em todos os estados
brasileiros.
Distribuição de
Aedes aegypti no
mundo
Aedes albopictus
• Trazido do Japão pelos navios
transportadores de minério de ferro em
Vitória, em 1985 ou 1986.
• Conhecido como “Tigre Asiático”.
• Não é um bom transmissor de dengue
e febre amarela.
• Habita bem o ambiente silvestre.
A. aegypti A. albopictus
A.
albopictus
Reinfestação do Aedes aegypti

1930s 1970 2001


DENGUE CLÁSSICO - início súbito : com febre alta
.dores:cabeça, atrás dos olhos, costas, musculares,
articulares, ósseas
.erupções na pele
.coceira principalmente em palmas e plantas
.prostração, náuseas, vômitos, dor abdominal, diarréia,
tonturas ao sentar ou levantar,
.exantemas

Em alguns poucos pacientes


hemorragias discretas na
boca, na urina ou no nariz.
Raramente há complicações.
A febre- pode desaparecer no terceiro dia
manifestações podem progredir.

Cura- 1 a 7 dias, no máximo 10.

Alguns sintomas podem prenunciar gravidade


vômitos muito freqüentes, dor abdominal, tonturas
com hipotensão postural, hemorragias

dengue anterior, idosos, hipertensão arterial, diabetes,


asma brônquica e outras doenças respiratórias crônicas
DENGUE HEMORRÁGICO

forma grave de dengue


No início os sintomas dengue clássico
após o 5º dia: sangramento e choque.

Os sangramentos
vários órgãos.

Choque circulatório.
morte.
Culex
Culex quinquefasciatus
•Espécie mais antropofílica do gênero.
• Habitos hematófagos noturnos.
• Transmissor da Wuchereria bancrofti e
principal perturbador do repouso noturno
humano no Brasil.
• Pica só dentro de casa.
• Se cria em águas poluídas, ricas em
matéria orgânica.