Sei sulla pagina 1di 15

Vida e Obra

SANTO ATANÁSIO

Vida e Obra SANTO ATANÁSIO Patrologia Prof. Pe. Rodrigo Noronha Grupo 2: ANTÔNIO VITORINO DILSON RODRIGUES

Patrologia

Prof. Pe. Rodrigo Noronha

Grupo 2:

ANTÔNIO VITORINO DILSON RODRIGUES EVERTON LUIZ IVANI ALVES MARIA DO CARMO MARTINS

Vida

  • Nasceu em 295 em Alexandria

  • Morreu em 373

  • Principal defensor da fé de Nicéia contra os arianos

  • Diácono e secretário do bispo

Alexandre de Alexandria

  • É considerado santo pela Igreja Católica Romana e pela Ortodoxa

Vida  Nasceu em 295 em Alexandria  Morreu em 373  Principal defensor da fé
  • Seus contemporâneos o definiam como pessoa honesta, virtuosa, cristão verdadeiro, asceta, bispo autêntico

Vida

  • 5 vezes exilado:

    • 1º. exílio em 335 - por ter recusado readmitir Ário na Igreja. Imperador Constantino o exilou para Tréveros

    • 2º. exílio, em 340 - Atanásio refugiou-se junto ao Papa Júlio I, em Roma

    • 3º. exílio, em 350 - ficou entre os monges do deserto egípcio, sob o imperador Juliano

    • 4º. exílio, em 362 como perturbador da paz e

inimigo dos deuses

  • 5º. exílio, em 365 - após decisões do sínodo em Alexandria, pela reconciliação entre os semi-arianos e os adeptos de Nicéi

Obra

  • Escritos apologéticos e dogmáticos

  • Escritos históricos e dogmático-polêmicos

  • Escritos exegéticos

Escritos apologéticos e dogmáticos

  • Oratio contra gentes, sobre a insensatez do politeísmos e a razão do monoteísmo

  • Oratio de incarnatione Verbi, que prova a fé na encarnação de Cristo , contra judeus e pagãos

  • Essas duas obras formam um todo e se relacionam (Cf. Altaner e Stuiber , 2010 )

Escritos apologéticos e dogmáticos

  • Obra dogmática mais importante de Atanásio (Cf. Altaner e Stuiber , 2010 )

    • 3 livros das Orationes contra Arianos.

      • 1º sobre a “origem eterna do Filho gerado do Pai e à consubstancialidade do Filho com o Pai”;

      • 2º e o 3º “analisam as passagens bíblicas alegadas pelos arianos”

Escritos históricos e dogmático-polêmicos

  • Conjunto de numerosas cartas e dissertações nas quais Atanásio se ergueu contra seus inimigos, ofensiva ou defensivamente.

  • Exemplos:

    • Epistola ad epíscopos encyclica: protesta contra sua própria deposição;

    • Apologia contra Arianos;

    • Ep. Ad Epictetum episcopum Corinthi; Ep. Ad

Adelphium episcopum; Ep. Ad maximum

philosophum: três cartas dogmáticas nas quais Atanásio explana o dogma cristológico;

Escritos exegéticos

  • Das obras exegéticas de Atanásio conhece-se

apenas fragmentos por ‘’catenae’’.

  • Novas descobertas e pesquisas confirmam uma notícia de Jerônimo de que Atanásio

tenha escrito em várias ocasiões sobre a

virgindade.

Doutrina

  • Homoousia do Filho com o Pai: “ (

...

)

o nome

do Filho encerra o conceito de ser gerado;

mas ser gerado não significa provir da

vontade do Pai, mas da substância do Pai

  • Homoousia do Espírito Santo:

  • o Filho como a fonte imediata do Espírito Santo: “o Espírito Santo procede do Pai pelo

Filho”

Doutrina

  • Cristo é uma só pessoa: tudo o que fez pertencia simultaneamente às duas naturezas, humana e divina.

  • Tudo o que o corpo de Cristo sofreu, o Logos

referia-o a si.

  • Maria é, portanto, a mãe de Deus.

Influência na Antiguidade Cristã

  • “Um dos pilares da Igreja” (Contemporâneos)

  • “Pai da fé ortodoxa do Cristo(Pacômio)

  • Participação no Concílio de Nicéia:

    • essencial para a definição da divindade do Verbo, consubstancial ao Pai, gerado, não criado

    • Influência no cânon 19 : os paulianistas que

desejam voltar à Igreja católica devem ser batizados de novo

Influência na Antiguidade Cristã

  • Defesa da fé contra o Arianismo

  • Consolidação do entendimento da Igreja do próprio mistério da Trindade

  • Esclarecimento sobre a natureza e a geração

do Logos.

  • Participação no Concílio de Nicéia: essencial para a definição da divindade do Verbo, consubstancial ao Pai, gerado, não criado

Epístola a Epíteto

  • “o Verbo, recebendo nossa natureza humana e

oferecendo-a em sacrifício, assumiu-a em sua

totalidade, para nos revestir depois de sua natureza

divina.”

  • “Eis porque Maria está verdadeiramente presente neste mistério; foi dela que o Verbo assumiu, como próprio, aquele corpo que havia de oferecer por nós.” (

...

)

O anjo não lhe disse simplesmente: aquele

que nascer em ti, para não se julgar que se tratava de um corpo extrínseco nela introduzido; mas: de ti (cf. Lc 1,35 Vulg.), para se acreditar que o fruto desta

concepção procedia realmente de Maria”.

Epístola a Epíteto

“ (

...

)

mesmo tendo o Verbo tomado um corpo

no seio de Maria, a Trindade continua sendo a

mesma Trindade, sem aumento nem

diminuição. É sempre perfeita, e na Trindade

reconhecemos uma só Divindade; assim, a Igreja proclama um único Deus no Pai e no

Verbo.

Epístola a Epíteto

  • As palavras de João: O Verbo se fez carne (Jo 1,14) têm o mesmo sentido que se pode atribuir a uma expressão semelhante de Paulo: O Cristo fez-se maldição por nós (cf. Gl 3,13). Pois da íntima e estreita união com o Verbo, resultou para o corpo humano um engrandecimento sem par: de mortal tornou- se imortal; sendo animal, tornou-se espiritual; terreno, transpôs as portas do céu.