Sei sulla pagina 1di 46

Y    




‡ ñ   
insuficiência de rendimentos
e consumos;
‡ ñ   
insuficiência de recursos também
de natureza social, cultural, política e ambiental.
‡U

             
         
   Bruto da Costa
^      


O              


           

O Y             
              
O      !        

       
O "          
O # $             
       !     
  
O %&   
] riqueza de um  #) 4 +5 6 %17
país pode ser calculada %1 ' . (((
através do seu PIB (Produto 2 3 / *, *((
Interno Bruto), isto é, o valor
* + 2 /' ,((
total de todos os bens e
serviços produzidos por ano / 0  1  /,* ((
num país. ]ssim, os países u "  //u (((
mais ricos são aqueles que , #   ., /((
apresentam o PIB mais . -+  ''* u((
elevado.
 - ,* '((
] tabela seguinte
mostra-nos os 10 países ' % + u *((
   a nível mundial. ( )   u  '((
mbora o PIB seja um indicador bastante
importante, devemos ter em conta que ele esconde,
muitas vezes, realidades diferentes, porque não nos
dá conta das desigualdades internas, isto é, das
condições de vida das populações.
É normal pensar-se que, por um país ter
um PIB bastante elevado, a sua população seja
monetariamente favorecida, porém, tal não
acontece. Os 10 países que têm a população mais
rica não correspondem aos 10 países mais ricos do
mundo. ]ssim, países como o Luxemburgo,
Liechtenstein e a Suiça estão no topo da tabela das
populações mais ricas do mundo.

O melhor exemplo para


mostrar esta situação é o caso do
Brasil. ste país ocupa um lugar na
tabela dos 10 países mais ricos e, no
entanto, é sabido que existem
números escandalosos de pessoas
que vivem na miséria.
ñ         
      ! "  #  
   $        
    #        #!
       $ %
  &'  (          
 !       
      #      
            
)  *     #!

+       ,)


     -    %  
    "      
    -        
      - -  
        !
Com efeito, a pobreza cresce e expande-se a todos os países.
nquanto 1/5 da população mundial que vive nos países mais ricos distribui entre si
86% do consumo, apenas 1,3% do consumo mundial vai para 1/5 dos que vivem nos
países mais pobres. ] prosperidade e opulência para poucos, contrasta com a luta pela
sobrevivência para a imensa maioria!
] tabela seguinte mostra-nos os 10 países .  a nível mundial.

 #) 4 +5 6 %17


X  /
2 ñ. .0 1/
* 2 .X ..3  4
/ 5 1
u 6 ,.+, /1
, 3  17/
. 2  1/
 8 $9 :7
' ñ  :7
( ;  :<<
‡ Mais de 2800 milhões pessoas, perto de metade da população
mundial, vivem com menos do equivalente a 2 dólares por dia;
‡ Quase mil milhões de pessoas são analfabetas; mais de mil
milhões de pessoas não têm acesso a água potável; cerca de 840
milhões de pessoas passam fome;
‡ Os 20% da população mundial que vivem nos países com
rendimentos elevados têm acesso a 86% do produto interno bruto
(PIB). Os 20% mais desfavorecidos vivem nos países mais pobres e
têm acesso apenas a cerca de 1% do PIB;
‡ O activo dos três homens mais ricos do mundo juntos excede o
produto nacional bruto dos 48 países mais pobres do mundo no seu
conjunto;
‡ ] sia Meridional tem o maior número de pobres (522 milhões dos
quais vivem com menos do equivalente a 1 dólar por dia).
. . X".. 369...
.    !.3

1.= >  -. ?.. /?...........................:/!@:7


:.= 6 A. /@.. /1...........................:/!//7
4.= 2 . //.. 114...........................:<!1?7
<.= ' ) . /7.. 11<...........................:!47
.= B . ?:.. //...........................:!1/7

:4.= 3  - /.. /4...........................1?!17

11.= 9  . <7<. 41................................@/7


1:.= + . <?<. :/................................?17
14.= 9 C.D . <?.. ::.............................1!1:7
1<.= >-. <@. 1................................?/7
1.= 2.E . 4<.. 1................................<7
‡ '.  . ./. . . .
F G . .;   .B  .:774.
 . . ) . . .
.H . -.. ..I.
2 
.4?. ./!. ...J.- .
 . . ). .KH ..
;   . .+  ..:71..
 $.. .%!.> .G. .
  .  ..  . . .  .
 .. . .. !
‡ Há 54 países que estão actualmente mais
pobres do que em 1990.
‡ m 21, há uma maior percentagem de pessoas
com fome.
‡ m 14, há mais crianças a morrer antes dos
cinco anos.
‡ m 12, a escolarização primária estão a
diminuir.
‡ m 34, a esperança de vida diminuiu. ]ntes,
estas reversões da sobrevivência eram raras.
‡ â em 9 países, mais de uma em cada
quatro pessoas não tem acesso a água
potável, a situação não está a melhorar.

‡ 
em 15 países, mais de uma
em cada quatro pessoas não tem acesso
a saneamento adequado e a situação não
está a melhorar.
‡ +..   .. .  ..1.G . .!

‡ & . ..%.. .  . .  !

‡ & . .... .. . . !

‡ '.".. .  . . - ....1//7. . .


- . . .J  .. .  . .  ..<.  ,#.
. !

‡ K.06BL26;'. . ..  . . ...


.. . ..- . .. ." . ..:7. .
 . . . .M N. .9  ..2  A.. .E  !

‡ '.H .3 3 *.I.2 . , . . .


   ..1L4....1//7.
‡ sta região tem mais países sem litoral e com pequenas
populações do que qualquer outra. Isto impede o
crescimento, ao tornar as exportações caras e limitar os
incentivos ao investimento directo estrangeiro.
‡ O peso da doença é maior do que em qualquer outra
região, especialmente o da malária e do VIH/SID]. Dos
42 milhões de pessoas que vivem com o VIH/SID], três
quartos do total vivem na frica Subsariana.
‡ Uma menor produtividade agrícola, devido, em grande
medida, a uma reduzida fertilidade dos solos em alguns
países, ao elevado custos dos adubos, a uma reduzida
utilização da irrigação.
‡ FOM

‡DO]S

‡GU]

‡CLUSÃO SOCI]L
3 ..D . .
3 
F  ..
; 

ñ  .+.
( 

+.
'H 
;.X ..3 
‡ xistem pequenas diferenças quanto aos tipos de
pobreza, conforme o local onde a encontramos:

‡ os países em vias de desenvolvimento,esta surge


associada à não satisfação de um conjunto de necessidades
básicas (alimentação, vestuário, alojamento, cuidados de
saúde).

‡ os países desenvolvidos, a pobreza é vista como a


escassez parcial de alguns bens.
;.X ..3 

‡ O fenómeno pobreza pode, no entanto ser


analisado de diferentes formas: o mais frequente é
o ponto de vista económico, mas também pode
ser analisada do ponto de vista social e aí
referimo-nos à exclusão social ± que designa a
ausência de condições materiais e não materiais,
de exercer todos os direitos e deveres que
assistem aos cidadãos.
;.X ..3 

‡ Pobreza ]bsoluta: stá ligado à ideia de subsistência ±


as condições básicas que permitem sustentar uma
existência física saudável.

‡ Pobreza elativa: elaciona a pobreza com o padrão de


vida geral prevalecente numa determinada sociedade,
isto é, o que é básico para uma determinada sociedade
pode ser superflúo noutra.
‡ ] proporção de crianças que vivem na pobreza desde o início dos
anos 90 aumentou em 17 dos 24 países ricos

‡ ]ustrália, oruega, eino Unido e stados Unidos da ]mérica ±


que apresentam uma redução importante desde o início da década
de 90. Destes países, o eino Unido é o que regista progressos
mais significativos na redução da taxa de pobreza infantil.

‡ ] Dinamarca e a Finlândia têm as mais baixas taxas de pobreza


entre as crianças, actualmente inferiores a 3%, e a oruega é o
único país onde a pobreza infantil pode ser descrita como ³muito
reduzida e em contínua diminuição´.

‡ Os níveis de pobreza são determinados por três elementos


fundamentais ± factores sociais, condições do mercado de trabalho
e políticas governamentais.
Primeiro Mundo Segundo Mundo Terceiro Mundo
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pa%C3%]Ds_em_desenvolvimento

ñ  ..  . . . .9 .


+ 
]lto rendimento
Médio-alto rendimento
Médio-baixo rendimento
Baixo rendimento
´  


Países em ascensão económica

US]
China
ússia
X   
l I: continua a ser um território em crise
+.. . .  .

3   .. .  .1//?$:777

Fonte: http://www.feedingminds.org/info/world_pt.htm
´   
   
X   

l http://www.youtube.com/watch?v=tnzMn4Mn
nrY
'  . .+  .:777
1. rradicar a pobreza absoluta e a fome
2. Universalizar o acesso à educação primária
3. Promover a igualdade de género e a autonomia das mulheres
4. eduzir a mortalidade infantil
5. Melhorar a saúde materna
6. Combater o HIV/]IDS, a malária e as outras doenças
7. Garantir a sustentabilidade ambiental
8. stabelecer uma parceria universal para o desenvolvimento

http://www.objectivo2015.org/
à
 
l endimento Baixo
l Vulnerabilidade à doença
l xclusão da educação
l Fome crónica e subnutrição
l Falta de acesso a serviços básicos (água
potável, saneamento e degradação do
ambiente)

M
   
  
ñ    

´  
    
 
ñ   
eduzir a pobreza e proteger o ambiente adoptando o conceito de
desenvolvimento sustentável

3.   . . . 

l gua e Saneamento
l Pobreza
l nergia e Clima
l Saúde
l Consumo Sustentável
l Gestão da Biodiversidade e dos cossistemas
l Comércio e Globalização
l Direitos Humanos
Y   
l Direito Internacional
l Segurança Internacional
l Desenvolvimento conómico
l Progresso Social
l Direitos Humanos

3'M.+&>;6'E
Y
l Y 
   K+2
l à    3'+
l M 
 3
&>6ñ D

Tentativas de assegurar a ³ligação entre as


nossas deliberações e o trabalho real no
terreno nas ações Unidas por todo o
Mundo´
]nabela Fontinha 37
³Oito milhões de pessoas morrem todos os anos porque são
demasiadamente pobres para sobreviver´
³]s ideias deste livro têm um magnetismo que ninguém esquecerá: o
fim da pobreza. É um desafio difícil de ignorar. ] fome, a doença, o
desperdício de vidas que a pobreza extrema constitui são uma
afronta a todos nós. Para Jeffrey Sachs, trata-se de uma equação
difícil, mas com solução. ]cho que não nos podemos dar ao luxo de
não o fazer´ 0YY
ë    ´  
  
l           
à0 à    0  à  3 
       !    
 " 
   3# 3    $
  3   3 3
! %

l     & 

l    


ë    ´  
  
l    

l '(   

l )3 
  

l '( ! 

l    3  3 


ë    ´  
  
l - 3  3      * 

l   Y3  

l      $  3  Y$


+,   +      *  "
3    #          
3#     - 3 
  $ ( 
!  
  $ 3      
"  "       #   
à0 3  *! %
à  à  

l Y *  3#    


       3     
   (    .
 !   $  ) 3 
Y %

l  3 3
   3#  !   
 "  $    ! .
   &  3     3%
à  à  

l Y *  3#    


       3     
   (    .
 !   $  ) 3 
Y %

l  3 3
   3#  !   
 "  $    ! .
   &  3     3%
à  à  

l   $    3#  !


(  
   3 ! $ !  
3 "   "  3%

l ) !   3 !    .


 !        
3          ! %
à  à  

l )      3   


 &  / 3 !   . " 
  3  "
  3  
     
  
 !* $  $   $
3      0 # 
    %