Sei sulla pagina 1di 26

Genocídio do Ruanda

Direitos Humanos

Trabalho realizado pelo grupo


nº3, 12LH2:
• Ana Catarina Silva, nº3
• Ana Sofia Leal, nº7
• Flávia Soares, nº16
• Soraia Guimarães, nº29
Introdução

• Direitos Humanos: genocídio do Ruanda;

• Objetivos: dar a conhecer a situação do Ruanda e o incumprimento dos Direitos Humanos, como as
poucas ajudas Humanitárias recebidas pelo país;

• Metodologia: pesquisas de sites; entrevista de uma vítima e com a história de duas personagens que
vivenciaram o massacre; visualização do filme “Hotel Ruanda”.
Ruanda
• Localização

Ilustração 1 e 2. Localização do Ruanda


Ruanda
• Caraterísticas do Clima

Ilustração 3. Clima do Ruanda – Temperatura média mensal e precipitação


Ruanda
• Caracteristicas demográficas

Ilustração 4. Crescimento populacional no Ruanda


Ruanda
• Caraterísticas Religiosas

• 56,5% professam a religião católica

• 37,1% professam os protestantes

• 4,6% professam o islamismo

• 0,1% professam as religiões tradicionais

• 1,7% não possuem crenças culturais


Ruanda
• Caraterísticas Sociais

Ilustração 6. Etnias no Ruanda (2002)

Ilustração 5. Grupos étnicos do Ruanda


Ruanda
• Caraterísticas Culturais:

Ilustração 7. arte Imigongo Ilustração 8. Dança das vacas Ilustração 9.Dança dos heróis
(umushagirriro) (intore).
Ruanda
• Caraterísticas Económicas

Ilustração 10. Ruanda - PIB


Ilustração 11. Franco Ruandês
• Características políticas
Presidentes Juvénal Théodore Pasteur Bizimungu Paul Kagame
Habyarimana Sindikubwabo

Período dos 1 de agosto de 9 de abril de 19 de julho de 24 de março de


mandatos 1983 - 6 de 1994 - 19 de 1994- 23 de 2000-
abril de 1994 julho de 1994 março de 2000 atualmente
Grupo étnico Hutu Hutu Hutu Tutsi
Antecedentes do Genocídio
século/ ano Acontecimento
século IX Os grupos étnicos viviam em harmonia;
século XVII Começaram a surgir manifestações entre as duas etnias;
século XVIII O Ruanda era um reino governado por reis Tutsi;
1899 O Ruanda tornou-se numa colónia alemã;
1919 O Controlo do Ruanda foi assumido pela Bélgica;
1959 O rei Mutara III faleceu, o que provocou confrontos entre os dois
povos;
1961 A Bélgica pôs fim à monarquia, e Gregoire Kayibanda tornou-se
Presidente.
Antecedentes do Genocídio
século/ ano Acontecimento
1962 A ONU, em assembleia geral, torna independente o Ruanda;
1973 Os militares resolveram interferir nas perseguições e tomaram o
poder pela força;
1988 Os militares permanecem no poder, provocando manifestações
públicas;
1990 Os exilados Tutsis que sofreram perseguições, resolveram unir-se e
formar o FPR;
1993 Assinatura dos acordos de Arusha;
1994 Os Interhamwe, são treinados e equipados para enfrentar os tutsis.
Genocídio do Ruanda
• Os rebeldes tutsi e o atual presidente do Ruanda iam assinar um
tratado de paz proposto pela ONU;

•A 6 de Abril de 1994, ocorre a queda do avião, onde estava Juvénal


Habyarimana, iniciando-se o massacre ente hutus e tutsis;

• A 7 de Abril de 1994, a primeira-ministra hutu, os capacetes azuis


belgas e vários ministros foram assassinados;

Ilustração 12. vítima do genocídio


Genocídio do Ruanda

• A 15 de Julho, os Hutus mantinham uma guerra contra a FPR;

• Os média eram utilizados para mandar mensagens de ódio contra


os tutsis, por exemplo “eliminar baratas”.

Ilustração 12. vítima do genocídio


Genocídio do Ruanda
• As forças especiais belgas e francesas ignoraram a situação e retiraram do país cerca de 3 500 estrangeiros;

• O conflito durou até 18 de julho de 1994, estima-se que 500 000 a 1 000 000 de ruandeses morreram, cerca de 70% da
população tutsi.

Ilustração 13. vítima do genocídio Ilustração 14. Evolução da taxa de mortalidade no Ruanda
Genocídio do Ruanda
• A igreja católica Romana de Nyarubuye, tornou-se um memorial às vítimas
do genocídio;

• No crânio é possível visualizar as marcas de violência, como os buracos de


tiros e as aberturas causadas por machados e facões.

Ilustração 15. Igreja de Nyarubuye

Ilustração 16. Crânio dos cadáveres


no memorial
Genocídio do Ruanda
• Paul Rusesabagina, conta como salvou a sua família tutsi e centenas de
sobreviventes do genocídio.

• O relato de um tutsi que, aos 14 anos, escapou por


Ilustração 17. Retrato
de Paul Rusesabagina diversas vezes da morte até conseguir fugir do país,
durante o genocídio de 1994.
Ilustração 18. Retrato de Claude Gatebuke
com 14 anos
Genocídio do Ruanda
Intervenção Humanitária no Ruanda
• O genocídio foi financiado com o dinheiro de programas internacionais;

• A ONU colocou um pequeno grupo militar no país, mas apesar disso foram completamente incapazes de proteger as
populações;

• A ONU e a Bélgica, tinham forças de segurança no Ruanda, mas não conseguiram obter a permissão para tentarem acabar
com o genocídio.

• Os belgas e a maioria da força de paz da ONU, tentaram acabar com o conflito, mas tiveram de se retirar;
Intervenção Humanitária no Ruanda
• Os franceses, aliados do governo hutu, enviaram militares para a criação de uma zona segura, mas não foi bem executada;

• A França foi acusada de saber dos planos do genocídio;

•A instituição financeira francesa violou o decreto das Nações Unidas.


Consequências do Genocídio

• O Ruanda ficou devastado:

 as infraestruturas e a estrutura social destruídas;

Ilustração 19. destruição do país


 aumento da fome, pobreza e doenças;

 centenas de milhares de sobrevenientes ficaram com traumas


psicológicos;

Ilustração 20. Crianças que fugiram do Ruanda


Os Direitos Humanos
• o que são?

• “Os direitos humanos são direitos inerentes a todos os seres humanos, independentemente de raça, sexo,
nacionalidade, etnia, idioma, religião ou qualquer outra condição.”

•A Declaração Universal dos Direitos Humanos é um marco na história dos direitos humanos, foi proclamada a 10 de
dezembro de 1948 pela assembleia geral das Nações Unidas.

•O dia 7 de abril é marcado pelas Nações Unidas como Dia Internacional de Reflexão sobre o Genocídio de 1994
Tribunal Penal Internacional
• Quando foi criado?
Novembro de 1995.

• Quem o criou?
Conselho de Segurança das Nações Unidas.

• Qual era a sua finalidade?


Julgar os responsáveis pelo genocídio e outras violações das leis
internacionais, como crimes de guerra e contra a humanidade, violações de
Ilustração 21. Símbolo do Tribunal Penal
Internacional.
artigos, entre outros.
Tribunal Penal Internacional
• Em dezembro de 2008, o tribunal condenou a prisão perpétua os três principais dirigentes do
governo.

• A 20 de dezembro de 2012, condenou o ex-ministro de planeamento do Ruanda.

Ilustrações 22, 23, 24. Theoneste Bagosora, Aloys Ntabakuze e Anatole Nsengiyumva. Ilustração 25 . Augustin
Ngirabatware
Ruanda atualmente
• Os ruandeses hutu e tutsi podem casar-se e possuem os mesmos direitos;

• O país conta com uma democracia, e até já teve uma mulher na presidência;

• O país viveu uma grande recuperação social e, hoje em dia, apresenta um modelo de
desenvolvimento que é considerado exemplar para países em desenvolvimento;

• Em 2001, o Ruanda adotou uma nova bandeira.

Ilustração 26 . Bandeira do Ruanda


Conclusão
• Este trabalho permitiu-nos uma melhor compreensão do massacre no Ruanda, da cultura Ruandesa e da
população que vivenciou esta terrível catástrofe;

• O trabalho permitiu-nos a consciencialização das desigualdades étnicas e a crueldade do ser humano em pleno
século XX;

• Este assunto sensibilizou-nos e emocionou-nos para questões desta natureza;

• Este trabalho deixou-nos marcas, não só pelo assunto que abordamos, mas também, pelo facto de trabalharmos
em equipa, debatermos juntas sobre o assunto e por alguns factos que nos chocaram e demasiado degradantes.