Sei sulla pagina 1di 34

1 º e 2 º Reis

PARTE I
1º e 2º Reis
apresenta
JESUS CRISTO,
Nosso REI
“Não só devemos coroar Cristo como Rei da nossa vida, mas
também colocá-lo em seu legítimo trono.”
AUTOR :
•Não há uma opinião fechada. A tradição
judaica aponta para Jeremias, devido à
semelhança dos escritos com o livro do
próprio profeta. Mas também outros
atribuem a autoria ao profeta Ezequiel e
também ao profeta Isaías
TEMA :
• 1 e 2 Reis são a continuação dos livros de Samuel. Como o
nome sugere, registram os acontecimentos do reinado de
Salomão e dos reis de Judá e Israel, que o sucederam.

• Abrangem um período de quatrocentos anos e contam a


história do crescimento e depois do declínio do reino, que
acabou dividido.

• Israel e Judá são levados para o cativeiro. O Reino do Sul


(Judá) teve vinte reis, e o Reino do Norte (Israel) teve
dezenove.
TEMA :
• A monarquia davídica (linhagem) e o Reino de Israel e o
início de sua divisão
• O autor desenvolve a história da nação eleita em relação
à aliança de Jeová (Êx. 19:3-6).
Não devia haver outro deus além do Senhor (Êx. 20:2-6).
• A idolatria e a adoração de imagens foram consideradas
nesses livros como o pior de todos os pecados, os quais,
continuados e repetidos, provocaram a deportação de
Israel.
• A linguagem desses livros pode-se dizer que é
"deuteronômica" porque Deuteronômio fala de maneira
muito semelhante contra os mesmos pecados condenados
em I e II Reis. (Vamos reler Deut. 17:14-20 - cód. conduta)

• O autor de Reis apresenta a história de Israel e Judá aos


cativos, para lhes ensinar que o único caminho para a
liberdade é arrepender-se da idolatria, voltar para
Deus, guardar a aliança e confiar nas promessas divinas.
Procura despertar neles uma convicção da verdade
deste ensino e fortalecê-los nesta convicção.
• Quanto à aliança, os profetas foram mensageiros
divinos que lembravam ao povo as suas provisões
referente a mesma, e Seus instrumentos para
superintenderem o cumprimento dela.

• Era sua missão procurar, por meio de advertências,


ameaças e promessas, que o povo se mantivesse
apegado à ela (cons. Jr. 7:13; 11:1-8).

• Nestes livros, os reis são declarados bons ou maus


conforme se apegavam ou se afastavam da aliança.
Se rejeitarmos a Deus, Ele nos rejeitará. Se obedecermos a Deus,
Ele nos abençoará:
“ Naqueles dias começou o Senhor a diminuir os termos de Israel”
(2 Reis 10:32).
Estes são os dois livros de história mais importantes do mundo!
A vida dos reis e as histórias destes livros provam que:
1. Deus não faz acepção de pessoas (Atos 10:34,35).
2. Quando colocamos tudo no altar, Deus nunca nos deixa
esperando pelo fogo (1 Reis 18:38). Qual é o significado espiritual
disso?
3. O cativeiro foi devido à desobediência a Deus. Ele foi
profetizado antes (Deuteronômio 28:49). O que Deus fala do
indivíduo que se esquece Dele?
Os livros dos Reis:
 Começam com o rei Davi e terminam com o rei da
Babilônia.

 Começam com a construção do tempo e terminam


com a destruição do templo.

 Começam com o primeiro sucessor de Davi ao trono,


Salomão, e terminam com o último sucessor,
Joaquim, libertado do cativeiro pelo rei da Babilônia
Os livros dos Reis cobrem praticamente todo o período de
domínio dos reis sobre o povo escolhido de Deus.
Durante o reinado de Salomão, a nação atingiu o apogeu da sua
grandeza.

Com a morte de Salomão, a realeza de fato deixou de ser o meio


pelo qual Deus governava o seu povo.

O período dos profetas iniciou-se nessa época com o grande


profeta Elias. 1 Reis termina com a história desse profeta. 2 Reis
gira ao redor de Eliseu. Segue-se o declínio do reinado até vermos
tanto Israel como Judá levados para o cativeiro.
O ESPLÊNDIDO REINADO DE SALOMÃO
(1 Reis 1-10)
O livro começa com o rei Davi já velho, entrado em dias ,
contava apenas setenta anos.
Seu filho Salomão tinha dezenove. Por causa da debilidade de
Davi, inicia-se uma rebelião contra ele. A tentativa de Adonias,
no sentido de conseguir o trono do pai, era natural por ser ele o
filho mais velho (2 Samuel 3:4).
Essa rebelião exigiu ação imediata, e quem a tomou foi Natã, o
profeta. Davi percebeu que Salomão era o mais indicado para
sucedê-lo. Ele era o escolhido de Deus (1 Crônicas 22:9; 1 Reis 2:15).
Estava claro que a escolha de Salomão era popular (1 Reis 1:39,
40). Adonias viu logo que qualquer oposição seria inútil. Por
causa dessa rebelião, Salomão foi coroado antes da morte de
Davi (1 Reis 1:30, 39, 53).
 Salomão recebeu seu treinamento religioso(discipulado)de
Natã, o profeta. Esse sábio profeta o amava e lhe deu o
nome de Jedidias, "querido de Deus" (2 Samuel 12:25).

 O reinado de Salomão começou num esplendor de glória.


Era esplendor sem submissão. E como aconteceu com Saul,
a vida de Salomão terminou num anticlímax. O seu
coração não era de todo fiel para com o Senhor seu Deus,
como fora o de Davi, seu pai (1 Reis 11:4).
 Lembre-se, Deus deseja o nosso coração! (Pv. 23:26)
 Salomão, entretanto, foi um rei magnífico; seu trono foi o
mais grandioso que o mundo já tinha visto e sua vida,
cheia de acontecimentos de significação maravilhosa. Seu
reino de quase 100.000 quilômetros quadrados era dez
vezes maior que o reino que seu pai herdara.
TRAÇOS SALIENTES DE SALOMÃO:
I. Salomão, homem notável e bom ( + )
1. Cresceu sob a sábia orientação de Natã, que lhe deu o
apelido de Jedidias, "querido de Deus" (2 Samuel 12:25).
2. Seu reinado foi bem recebido. Toda a cidade clamou com
alegria: Salomão já está assentado no trono do reino (1 Reis
1:46).
3. As ordens de seu pai eram cheias de promessa (1 Reis 2:1-9).
4. Sua escolha de sabedoria foi uma escolha divina (1 Reis 3).
5. Seu gabinete foi maior do que o de qualquer rei de Israel
(1 Reis 4).
6. Sua grande tarefa foi a construção do templo. Grande
soma de foi gasta em erguê-lo. O culto de inauguração
revestiu-se de sublimidade.
7. O reino que ele estabeleceu atingiu afinal, depois de
quatrocentos anos, as vastas dimensões esboçadas por Josué
(Josué 1:4).
8. A riqueza e a glória do reino de Salomão fizeram com que
a rainha de Sabá ficasse como fora de si (1 Reis 10:5).
9. Sua beleza pessoal é descrita no Salmo 45.
10. Sua ardente afeição pode ser vista nos cânticos que têm o
seu nome (Cantares de Salomão). Salomão foi um grande e
glorioso rei, mas logo aparece a nota de declínio.
II. Salomão, homem fraco e faltoso ( - )
11. Diferente de seu pai Davi, ele tratou o irmão Adonias com
crueldade (1 Reis 2:24, 25).
2. Como Saul, seu coração se encheu de orgulho (1 Reis 10:18-
29).
3. Levado por suas mulheres pagãs, caiu na idolatria (1 Reis
11). Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos (2
Coríntios 6:14).
Salomão não demonstrou manter a sabedoria espiritual. O
livro de Eclesiastes, com sua nota de desespero, é uma
confissão disso. Ele não tinha o coração em paz com Deus.
O QUE É...

SABEDORIA
A palavra sabedoria provém do grego sophia e significa
“inteligência plena", isto é, excelência mental no sentido mais
pleno. Entretanto, sophia inclui não apenas o conhecimento,
mas a habilidade e o julgamento para aplicar tal
conhecimento às circunstâncias e situações da vida.

"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o


conhecimento do Santo é entendimento.”

Provérbios 9:10
Depois das palavras finais de admoestação de Davi a seu filho
para que fosse absolutamente leal a Jeová, o rei morreu,
tendo reinado por quarenta anos.

No início do reino, Deus apareceu a Salomão num sonho e lhe


disse que escolhesse o que desejasse. A sábia escolha do jovem
rei revelou um sentimento de incapacidade para realizar a
tarefa. O que foi que ele pediu ao Senhor? Deus lhe deu a
sabedoria que pediu. Qual é a promessa de Deus para nós?
(Tiago 1:5). “Pede-me o que queres que Eu te dê” (1 Reis 3:5).
Este é o elevado privilégio de todo homem. A vida de cada
pessoa indica o que pediu. Qual é sua escolha?
O jovem não se envaideceu quando Davi, seu pai, por duas
vezes o chamou de sábio (1 Reis 2:6-9). Salomão pediu um
"coração compreensivo".
Temos um coração que ouve a voz do Espírito?
Salomão foi o homem mais sábio que o mundo conheceu até
a vinda daquele que podia dizer de si mesmo:
“E eis aqui está quem é maior do que Salomão” (Mateus
12:42). Todo o mundo reconheceu Salomão, mas quando veio
Aquele que era maior do que ele, os seus não o receberam
(João 1:11). Que tragédia! E você, já o recebeu?
 Em primeiro lugar Salomão organizou seus líderes. Cercou-se de
um grupo sábio de ministros de Estado, cada um deles responsável
por um setor. Isso trouxe ao reino dias de extraordinária
prosperidade.
 O maior empreendimento do reinado de Salomão foi e edificação
do templo. Foi o que seu pai Davi tanto desejara fazer.

 Os imensos alicerces de grandes pedras lavradas, sobre os quais o


templo foi construído, permanecem até hoje, sob a mesquita de
Omar. Uma só laje tem quase 13 metros de comprimento. As
imensas pedras, o cedro aromático e o revestimento de ouro lhe
davam invulgar esplendor.
 O templo ficava situado num lugar histórico. No monte Moriá
Abraão ofereceu Isaque (Gênesis 22:2). Já vimos que Davi
comprou a eira de Araúna

 Os homens tinham de fazer peregrinações ao templo para


encontrar-se com Deus. Mas agora conhecemos a maravilhosa
verdade — nosso corpo é templo de Deus (1 Coríntios 3:16; 6:19).

 Seu corpo é realmente um templo? Deus quer habitar em você,


mas não pode fazê-lo se você estiver manchado pelo pecado.
O que você têm colocado no “templo” que faz com
que a presença de Deus se apague?
Há três templos terrenos mencionados nas Escrituras:

O primeiro é o de Salomão, que foi destruído pelos babilônios cerca


de 587 a.C. (2 Reis 25:8, 9).

O segundo é o de Zorobabel (Esdras 5:2; 6:15-18). Não se comparava


na elegância de suas linhas com o de Salomão.

O terceiro foi o templo de Herodes erigido em escala mais grandiosa


em 20 a.C. e completado em 64 A.D. Foi destruído por Tito no ano 70
A.D. A mesquita de Omar ergue-se hoje nesse local

Leia Atos 17:24 e 1 Coríntios 6:19


A GLÓRIA DO REINO DE SALOMÃO (1 Reis 1-10)

A rainha de Sabá foi testemunha do reino de Salomão em seu


apogeu e viu o cumprimento da oração que Davi fez por seu filho,
um ano antes de morrer.
A reputação de Salomão espalhara-se provavelmente com as
viagens da sua marinha (1 Reis 9:21-28).

A fama de Salomão estava ligada com Jeová. Foi isso que despertou
o interesse da rainha de Sabá. Ela ficou impressionada com (1) o
próprio Salomão, sua sabedoria e riqueza (1 Reis 10:1, 7); (2) sua
criadagem (versículo 8); e (3) seu Deus (versículo 9).
A GLÓRIA DO REINO DE SALOMÃO (1 Reis 1-10)
Estude 1 Reis 9:1-28 e 10:14-29 e veja os prováveis perigos que
cercaram Salomão em toda a sua glória.

Veja sua elevada posição, sua grande sabedoria, sua incontável


riqueza. É difícil não esquecer de Deus numa hora de tanta
prosperidade. A pessoa tende a pensar só nos seus bens. Foi toda essa
glória que levou Salomão à queda.

Por causa da sua apostasia, Deus levantou inimigos para o afligirem.


O livro de Eclesiastes descreve a futilidade da vida de Salomão nessa
época.