Sei sulla pagina 1di 43

FISIOTERAPIA

Metabolismo

Profa Elisa Barcellos Cordenonsi


Conceito de Metabolismo

•Atividade celular altamente dirigida e


coordenada, que envolve sistemas
multienzimaticos;
•Soma de todas as transformações químicas que
ocorrem na célula ou organismo.
Funções do Metabolismo
•Obter energia química do sol ou de nutrientes;
•Converter moléculas dos nutrientes e da célula
em precursores de macromoléculas;
•Polimerizar precursores em macromoléculas;
•Sintetizar e degradar biomoléculas de acordo
com necessidade celular.
Metabolismo e Energia

•Os organismos transformam energia e matéria


do meio ambiente
–Células vivas e os organismos precisam realizar
trabalho para permanecerem vivos e para se
reproduzir;
•Síntese contínua de componentes celulares requer
trabalho químico;
•Contração muscular – requer trabalho mecânico
Energia

•Bioquímica
–Bioenergética
•Transformações ou trocas de
energia das quais todos os
organismos vivos dependem
•Organismo vivo:
–Sistema aberto: troca energia e
matéria com seu meio
–Obtêm combustíveis químicos da
vizinhança e extraem a energia
oxidando-os; ou absorvem energia da
luz solar.
Energia
•A quantidade de energia realmente disponível
para realização de trabalho é chamada
de energia livre, G.
•Cada composto envolvido em uma reação
química contém uma certa quantidade de
energia potencial relacionada com o tipo e o
número de suas ligações.
No que diz respeito às trocas de energia, há dois tipos de
reações químicas.

•Reações exergônicas:
–São aquelas que ocorrem
espontaneamente e liberam
energia.
–São exemplos de reações desse
tipo, as reações de combustão.
•Nos organismos vivos, as
reações desse tipo são
conhecidas vulgarmente como
“queima de calorias”.
No que diz respeito às trocas de energia, há dois tipos
de reações químicas.
•Reações endergônicas:
–Não ocorrem espontaneamente.
–Para ocorrerem precisam receber energia,
vinda das reações catabólicas.
•Um exemplo dessa classe de reações é a
síntese de uma proteína, a partir dos
aminoácidos.
–A ligação C-H requer 414kJ·mol−1
; a ligação C-C 343 kJ·mol−1 ; a
ligação C-O 351 kJ·mol−1 ; a ligação
C=C 615 kJ·mol−1 e a ligação C=O
686 kJ·mol−1
Divisão do Metabolismo
•Anabolismo
–Sintetizam-se novos compostos mais complexos a
partir de moléculas simples. É a fase biossintética e
consumidora de energia do metabolismo.

•Catabolismo
–É a fase degradativa que produz energia livre a
partir da degradação de moléculas mais complexas
durante o metabolismo.
Como o organismo obtém energia?

1. Eles captam componentes do meio (alimentos), extraem


energia livre desses alimentos a partir de reações
exergônicas, e transferem esta energia para reações
endergônicas que são acopladas às primeiras;
2. Eles usam a energia absorvida da luz solar para a realização de
reações fotoquímicas exergônicas, às quais eles acoplam reações
endergônicas.
Alimentos e Energia
•Alimentos = Nutrientes
•Fonte de energia;
•Manutenção e síntese de
novos tecidos do organismo;
•Proteínas, carboidratos,
lipídeos, vitaminas, sais
minerais, água, fibras e outras
substâncias;
•Carboidratos, lipídeos e
proteína são os únicos
nutrientes capazes de fornecer
energia ao homem
Alimentos e Energia
• OMS recomenda:
–Valores diários (por Kg de peso
de cada nutriente):
• 0,8g de proteína;
• 4 a 6g de carboidrato
• 1 a 2g de lipídeo.
Alimentos e Energia
Valor energético dos alimentos:
–Medido em calorias ou joules
–Quanto maior a energia (caloria) do alimento, maior é a
quantidade de energia que ele poderá fornecer ao
organismo.
•Lipídeo – energia bruta (EB)
de 9 Kcal/g *
•Carboidrato – EB= 4kcal/g
•Proteína – EB= 4kcal/g
Vias metabólicas
•Série de reações enzimáticas relacionadas que
resultam em produtos específicos.
•Não ocorrem isoladamente, mas são organizadas em
sequências de múltiplas etapas denominadas rotas, nas
quais o produto de uma reação serve como substrato
da reação subsequente.
Vias metabólicas e Enzimas

•O fato de uma reação ser exergônica


(espontânea) não significa que ela
necessariamente se processará de forma rápida.
•O caminho que vai do reagente ao produto
quase que invariavelmente envolve uma barreira
energética, chamada barreira da ativação, a qual
precisa ser superada para que qualquer reação
ocorra.
Enzimas
•A quebra e a síntese de ligações geralmente
requerem o tensionamento e a torção das ligações
existentes, criando um estado de transição de alto
nível de energia livre, tanto em relação ao reagente
quanto ao produto.
•O ponto mais alto da
coordenada da reação,
no diagrama, representa
o estado de transição.
Enzimas
•No interior das células todas as reações
químicas ocorrem devido à presença de enzimas
–Catalisadores que são capazes de aumentar
enormemente a velocidade de reações químicas
específicas sem serem consumidos no processo.
•As enzimas como catalisadores agem
diminuindo a barreira de ativação entre o
reagente e o produto.
•As enzimas promovem reações químicas em
cadeia.
Enzimas
•Da reação, as enzimas ligam-se às moléculas dos reagentes no
estado de transição, diminuindo, desta maneira, a energia de
ativação e acelerando enormemente a velocidade da reação

As reações catalisadas por


enzimas normalmente se
processam a velocidades ao redor
de 1010 até 1014 vezes maior do
que as reações não catalisadas
Vias Metabólicas
•Glicólise
–oxidação da glicose para obter ATP;
•Ciclo de Krebs
–oxidação do acetil-CoA para obter energia;
•Fosforilação oxidativa
–síntese de ATP a partir da energia liberada pelo
transporte de elétrons na cadeia respiratória;
•Via das pentoses-fosfato
–síntese de pentoses, CO2 e o NADPH.
Vias Metabólicas
• Ciclo da uréia
–eliminação de NH4 + sob formas menos tóxicas;

• β-oxidação dos ácidos graxos


–Transformação de ácidos graxos em acetil-CoA, para utilização no ciclo
de Krebs;

• Gliconeogênese
–síntese de glicose a partir de moléculas menores;

• Glicogênese
–síntese de glicogênio a partir da condensação de muitos monômeros de
glicose.

•Glicogenólise
–conversão do glicogênio em glicose.
Catabolismo e Polímeros

Anabolismo

Monômeros
3 níveis de
complexidade

Intermediários
metabólicos
Os 3 estágios do Catabolismo
•Estágio I
–Hidrólise de moléculas complexas em blocos
estruturais componentes:
•Carboidratos – glicose
•Proteínas – aminoácidos
•Lipídeos – glicerol e ácidos graxos
Os 3 estágios do catabolismo
•Estágio II
–Conversão dos blocos estruturais em
intermediários simples
•Acetil CoA e outras moléculas simples
•Pequena quantidade de energia é liberada na
forma de ATP
Os 3 estágios do catabolismo
•Estágio III
–Rota final comum da oxidação das
moléculas combustíveis
•Ciclo de Krebs
•Cadeia Respiratória
–Grande quantidade de energia é gerada na
fosforilação oxidativa
Regulação do Metabolismo
•As células vivas não só podem sintetizar
simultaneamente milhares de tipos diferentes
de moléculas de carboidratos, lipídios, proteínas
e ácidos nucléicos e suas subunidades mais
simples, mas também podem fazê-lo nas
precisas proporções requeridas pelas células.
–As enzimas-chave em cada via metabólica são
reguladas de tal forma, que cada tipo de molécula
precursora é produzida em quantidade apropriada
às necessidades correntes da célula.
Estratégias de Regulação do
Metabolismo
•A regulação das vias metabólicas depende:
–Situação fisiológica (repouso ou exercício
vigoroso);
–Situação nutricional vigente (jejum ou
alimentado);
–Demandas energéticas
•É feita por interferência direta em
determinadas reações químicas que compõem o
metabolismo
–Aumento da oferta de substratos para as reações
subsequentes ou acúmulo de metabólitos;
–Propagadas para todas as vias metabólicas.
Estratégias de Regulação do
Metabolismo
•Alteração da Concentração de Enzimas
–Produzida pela própria célula e sua concentração
pode ser alterada por variação na velocidade de sua
síntese ou na velocidade de sua degradação (meia-
vida);
•Controle da síntese de enzimas
–Dieta rica em carboidratos – ativação dos genes que
codificam enzimas da glicólise
–Regulação a longo prazo - dias
Estratégias de Regulação do
Metabolismo
•Alteração da atividade das enzimas
–Regulação a curto prazo – segundos ou
minutos
–Velocidade da reação catalisada pode ser
aumentada ou diminuída
Estratégias de Regulação do
Metabolismo
•Ação hormonal
–Responsáveis pela coordenação das respostas dos
diversos órgãos e tecidos ao mesmo sinal
–Atuam sobre tecidos específicos, provocando
respostas também específicas
CARBOIDRATOS
CARBOIDRATOS - CHO
•Nomes
–Glicídios, hidratos de carbono, glícidos,
glucídeos glúcidos, glúcides, sacarídeos ou
açúcares.
•Definição e Composição
–Compostos orgânicos que consistem de
carbono, hidrogênio e oxigênio - Cn(H2O)n
–Fornecer energia ao organismo – 4 Kcal/g
CARBOIDRATOS - CHO
•Fonte:
–cereais (arroz, trigo, milho, aveia, etc)
–tubérculos (batatas, mandioca, mandioquinha, etc)
–açúcares (mel, frutose, etc)

•3 grupos:
–Monossacarídeos
–Dissacarídeos
–Oligossacarídeos e Polissacarídeos
•Açúcares simples
Monossacarídeos
–Não sofrem hidrólise para serem absorvidos pelo
organismo
–Glicose (dextrose): frutas e vegetais
•Melhor forma de açúcar para ser utilizada quando é
necessário um suprimento imediato de energia
•É a forma de açúcar encontrada normalmente na corrente
sanguínea

–Frutose (levulose): mel e frutas


•+ doce dos açúcares simples

–Galactose: parte da lactose


•No organismo, a glicose pode ser transformada em
galactose, para que as glândulas mamárias possam
produzir lactose
Dissacarídeos
•2 moléculas de monossacarídeos
–Lactose (açúcar do leite) – 1/6 de doçura
•4 a 6% - leite de vaca
•5 a 8 % - leite humano

–Maltose (açúcar do malte)


•amido digerido por enzimas de grãos germinados

–Sacarose (açúcar da cana)


–açúcar de mesa – 30 a 40% do total de Kcal

•Lactose = glicose + galactose


•Maltose = glicose + glicose
•Sacarose = glicose + frutose
Maltose
Enzimas X Açúcares

galactose
•Lactase → quebra → lactose

glicose

glicose
•Sacarase → quebra → sacarose

frutose
Oligossacarídeos e Polissacarídeos
•Rafinose
–Trissacarídeos
•Sacarose + Galactose
•Estaquiose
–Tetrassacarídeo
•Rafinose + Galactose

– São encontrados em leguminosas (soja e feijão) –


disfunções digestivas, como a flatulência, pois não
são digeridos e passam para o intestino grosso,
onde são fermentados.
Polissacarídeos
•Moléculas que podem conter várias centenas
de unidades de glicose – armazenagem de
energia
•Amido, dextrina e glicogênio
–Celuloses, hemiceluloses, pectinas, gomas e
mucilagens
•Não digeridos pelos seres humanos – fibras dietéticas
Metabolismo dos carboidratos
•Vias catabolicas:
•1 - Glicolise aerobica (piruvato)
•2 - Glicolise anaerobica (ac. lactico)
•Vias anabolicas:
•1 – Glicogenese (Glicose → Glicogenio)
•2 – Ciclo das pentoses ( Glicose → Ribose-5-
fosfato)
•3 – Cadeia respiratoria (Mitocondria: NADH2 e
FADH2 →ATP)
•4 – Gliconeogenese ( não carboidratos
Metabolismo de Carboidratos