Sei sulla pagina 1di 12

INTERCESSORES EM ORDEM DE

BATALHA
"À frente do seu exército, o
Senhor faz ouvir a sua voz, pois
seu batalhão é imenso e poderoso
para executar sua palavra. Sim, o
dia do Senhor é grandioso e
temível! Quem o poderá
suportar?"
(Joel 2,11)
A palavra do profeta Joel é clara
quando diz que o Senhor está à
frente do seu exército. Os
intercessores são esse grande
exército do Senhor e precisamos
estar preparados, a postos, em
ordem de batalha, porque os
combates virão. E contra quem
combatemos? Contra satanás e
as forças do mal.
Temos visto que o inimigo não faz mais
nada as escondidas, ele age as claras, não
se
esconde mais e no dia-a-dia revela suas
obras de destruição sobre os filhos de
Deus.
O quanto temos visto as insídias do
maligno contra os jovens provocando
desejo de suicídio e morte, o quanto tem
atacado a inocência das crianças, as
famílias provocando divisões, atacando a
Igreja e os Grupos de Oração provocando
escândalos.
São inúmeras as ameaças que a
humanidade inteira tem enfrentando.
Sem dúvida estamos em uma batalha
espiritual acirrada que é travada dia e
noite, sem trégua entre o bem e o mal.
Portanto, não podemos ser
intercessores letárgicos, alienados,
indiferentes diante de toda essa
realidade hostil que nos envolve.
As trombetas estão soando, convocando o
exército de Deus, mas muitos estão
distraídos com as coisas deste mundo,
preocupados, em falta com o treinamento
diário e contínuo que um bom soldado
deve ter para suportar o combate. Quando
não nos preparamos para os
combates espirituais que inevitavelmente
teremos que enfrentar para fazer a
vontade de Deus, acabamos na trágica
situação de servos de Deus em fuga do
próprio Deus.
Os intercessores como exército de Deus devem
estar preparados, para que a cada dia
possam se tornar mais fortalecidos, tornando-se
aptos pelo poder do Espírito Santo para a
batalha.
A nossa preparação como soldados do exército
do Senhor se inicia quando nos decidimos por
uma vida de conversão sincera e santidade. Só
quando buscamos uma vida nova em Cristo, que
o Senhor inicia o nosso treinamento para nos
tornar valentes guerreiros, e assim, ter
autoridade espiritual para usarmos com eficácia
as armas espirituais ofensivas e defensivas que
encontramos em Efésios 6.
É o próprio Senhor que nos pede:
“Suporta comigo os trabalhos, como bom
soldado de Jesus Cristo." (II Timóteo 2,3)
Somos treinados por vezes no sofrimento,
nas dificuldades, desafios, perseguições,
no silêncio e demora de Deus em meio as
nossas orações. Não devemos desanimar.
“Aliás, sabemos que todas as coisas
concorrem para o bem daqueles que
amam a Deus, daqueles que são os
eleitos, segundo os Seus desígnios.”
(Romanos 8, 28)
O intercessor que compreende que está
sendo treinado, capacitado em Deus, o seu
viver passa a ser Cristo.
Para chegarmos a esse ponto precisamos
-Renunciar aos medos
-Renunciar as murmurações
-Renunciar as inseguranças para
assumirmos os nossos postos e
nos colocarmos em ordem de batalha.
O intercessor não pode baixar a guarda,
para não ser surpreendido pelo ataque do
inimigo.
Não somos soldados isolados, mas
fazemos parte de algo maior, de um Corpo,
de um exército que tem um Grande General
invencível e cujas ordens devemos
obedecer. Ele é o Senhor dos exércitos. Ele
tem convocado, recrutado intercessores
para estar em ordem de batalha.
Precisamos ouvir sua voz para executar as
suas ordens e nos tornarmos vitoriosos nas
batalhas.
Porém, temos encontrado intercessores
feridos de guerra
- Alguns porque querem caminhar sozinhos, com
a justificativa que sempre serviram na
intercessão de uma determinada forma e vão
continuar assim (isso se chama desobediência)

- Outros porque querem usar a intercessão em


beneficio próprio (isso se chama infidelidade)

- E ainda outros porque negligenciam sua vida de


oração, baixam a guarda e são atingidos (isso se
chama imprudência)
Dessa forma, a desobediência, a infidelidade e
a imprudência têm sido as armas com que o
inimigo tem aliciado muitos intercessores,
ferindo-os e deixando-os fora da linha de
combate, fora do ordenamento do Senhor.
Hoje o Senhor convoca os intercessores para
estar em ordem de batalha, e isso significa
estar a postos, alinhados para executar Sua
Palavra e poder conquistar
territórios espirituais e resgatar almas para
Jesus.