Sei sulla pagina 1di 53

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

FAMED – SOBRAL
S1M2 - BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR

Metabolismo dos Carboidratos

Prof. Dr. Vicente de Paulo T. Pinto


Metabolismo dos Carboidratos

Glicólise
Fermentação
Gliconeogênese
Síntese e Degradação do Glicogênio
Conversão do Piruvato a Acetil-CoA
Ciclo do Ácido Tricarboxílico
Cadeia Transportadora de Elétrons
Fosforilação Oxidativa
Metabolismo

●Somatório de todas as reações químicas em um


organismo
●De modo global é muito complexo
●Tentaremos detalha-lo baseado em funções, de
modo a tornar mais fácil sua compreensão.
●Veremos, deste modo, como a energia está
relacionada aos processos metabólicos
Mapa Metabólico
Metabolismo Energético

Cada macromolécula é degradada, dando origem


precursores ou unidades fundamentais
Carboidratos Açúcares simples
Lipídeos Ácidos graxos e glicerol
Proteínas Aminoácidos

Na degradação de macromoléculas cada passo é


cuidadosamente controlado
ATP é utilizado como unidade básica de
transferência de energia
Energia, ATP e o Movimento de Grupos Fosfato
Visão Geral dos Processos Catabólicos
Estágio 1

Hidrólise do bolo alimentar

Controlado pelo
sistema
digestório
Estágio 1

Glândulas Salivares
Secretam amilase – digerem o amido
Estômago
Secreta HCl e pepsina – desnatura e degrada
proteínas
Pâncreas
Secreta enzimas proteolíticas e lipases – degrada
proteínas e lipídeos
Estágio 1

Fígado e Vesícula Biliar


Produzem e secretam sais biliares – emulsificam
lipídeos, favorecendo sua digestão
Intestino Delgado
Finaliza a degradação – liberando aminoácidos,
hexoses, ácidos graxos e glicerol.
Permite a captação de nutrientes e posterior
distribuição
Tipos de Hidrólise
Carboidratos
Tipos de Hidrólise

Proteínas
Tipos de Hidrólise

Lipídeos
Estágio 2
Conversão de monômeros em formas
completamente oxidáveis

Açúcares Glicose ou frutose


Convertidos em acetil-CoA
A.A. São todos desaminados
Podem entrar em qualquer estágio
Ac.Graxo Convertidos em acetil-CoA
Glicerol também é utilizado
Estágio 3

Completa oxidação dos nutrientes e produção


de ATP

●Todos são convertidos a acetil-CoA


●O grupo acetil é introduzido no ciclo do ácido
tricarboxílico
●Sendo convertido em CO2 e energia (ATP)
Glicólise

●Primeiro estágio do catabolismo dos carboidratos


●Açúcares simples são metabolizados a piruvato
●Processo anaeróbico – não necessita de oxigênio
●Todos os organismos vivos utilizam este processo

Envolve
Glicose, 02 ADP,2 ATP, 2 NAD+ 2PO4-2
10 diferentes enzimas
Reações da Glicólise
Ativação

Estágio de 6
carbonos
Requer
energia
Reações da Glicólise
Fosforilação ao nível do substrato

Estágio de 3
carbonos
Para cada
glicose, 02
piruvatos são
produzidos
Reações da Glicólise
Balanço

Saldo de energia = 02 ATPs


Todavia, as 02 moléculas de piruvato podem ser
dirigidas ao ciclo do ácido tricarboxílico para a
produção de mais energia
Regulação da Glicólise

Como todas as vias metabólicas a glicólise está sob


constante controle da célula
Processo é regulado por 03 enzimas
Hexoquinase
Inibida por glicose-6-fosfato
Fosfofrutoquinase
Inibida por ATP e citrato
Piruvato quinase
Regulação da Glicólise
O Destino do Piruvato

A via glicolítica é similar em todos os organismos


O destino do piruvato pode variar significativamente
Em nossas células, sob condições aeróbias, o
piruvato é convertido a acetil-CoA - mitocôndrias
Fermentação

Um processo anaeróbio além da glicólise


Em nosso organismo é usada para produzir NAD+
quando não há oxigênio suficiente
NAD+ deve ser regenerado a NADH, caso contrário a
glicólise é interrompida

Vejamos rapidamente 02 tipos de fermentação


Lactato Etanol
Fermentação Láctica

Lactato Produzido nos músculos [O2]

Conversão anaeróbia de piruvato a lactato permite a


regeneração de NAD+
O organismo pode, então, produzir mais ATP – isso
tem um preço (gera um débito de O2)
A célula tem que usar O2 para oxidar o lactato
Fermentação Alcoólica

Usada por bactérias anaeróbias para obter energia


adicional da glicose
Ciclo do Ácido Cítrico

Estágio final do metabolismo dos carboidratos,


lipídeos e aminoácidos

Ciclo Oxidativo - requer O2

Também conhecido como ciclo de Krebs


Homenagem a Hans Krebs – quem primeiro o
descreveu
Ciclo do Ácido Cítrico

Um processo
que envolve 9
passos.
Convertendo
acetato (acetil-
CoA) em CO2
Ciclo do Ácido Cítrico
Energia e o Ciclo do Ácido Cítrico
Enzimas do Ciclo do Ácido Cítrico
Passos Importantes do Ciclo do Ácido Cítrico

Acetil-CoA entra no ciclo e a porção


acetato combina-se com oxaloacetato
Saiba para formar citrato
disso!
Nos 8 passos seguintes o citrato é re-
convertido a oxaloacetato
Neste processo cada acetato é oxidado
a 2 CO2
Ao final do ciclo, além do oxaloacetato
a célula também irá dispor de GTP,
NADH + H+ FADH2
O oxaloacetato é, então, re-utilizado no
Onde Ocorrem as Reações

●Síntese ocorre no citoplasma


glicólise
produção de ácidos graxos e aminoácidos
●Oxidação ocorre na mitocôndria
ciclo do ácido cítrico
oxidação dos lipídeos
oxidação dos aminoácidos
Isto facilita o controle das reações, uma vez que elas
Fosforilação Oxidativa
 parte da energia do metabolismo é obtida através
deste processo
NADH e FADH2 são utilizados para produzir ATP a
partir de sua oxidação

NADH nicotinamida adenina dinucleotídeo


FADH2 flavina adenina dinucleotídeo

A oxidação depende do fluxo contínuo de elétrons


através de estruturas complexas presentes na
Cadeia Transportadora de Elétrons

Espaço intermembranar
Componentes da Cadeia Transportadora de
Elétrons
Componentes da Cadeia Transportadora de
Elétrons
Componentes da Cadeia Transportadora de
Elétrons
Cadeia Transportadora de Elétrons

●Esta parte do processo é responsável pela


oxidação:
NADH  NAD+
FADH2  FAD+

●Resultando no [H+] no espaço intermembranar


●Esta diferença [H+] é que conduz a segunda
porção do sistema
ATP Sintase e o Complexo F1
ATP Sintase e o Complexo F1

Neste passo, a diferença de [H+] entre a matrix


mitocondrial e o espaço intermembranar é quem
gera a energia necessária para a produção de ATP

Passos consistem de:


Transporte de H+ movimento  H+

Ação da F1 Produção de ATP


ATP Produzido por Molécula de Glicose

Glicólise

Ciclo do Ácido Cítrico

* 3 ATPs em músculos e cérebro


30 ATP / Glicose
Rendimento Energético
Controle do Ciclo do Ácido Cítrico
Existem várias rotas para o controle do ciclo
 O2

 demanda energética   [ATP] e  [NADH],

resultando em inibição:

conversão de piruvato  acetil-CoA


produção de citrato (somente ATP)
alguns passos intermediários do ciclo
 [ADP] podem estimular estes mesmos passos do
Gliconeogenese

Processo de síntese (de novo) da glicose


Ocorre principalmente no fígado
Precursores comuns

Lactato
Todos os aminoácidos exceto leucina e lisina
Glicerol dos ácidos graxos

Ocorre somente em condições de jejum


Ciclo de Cori

O músculo não possui a enzima capaz de converter


lactato a glicose-6-P
Utilização de Ácidos graxos e Aminoácidos

Lipídeos e proteínas
também podem ser
utilizados como fonte de
energia
Não tão facilmente
quantos os carboidratos
Lipídeos
ou
Aminoácidos
Glicogênio

Polímero de glicose que serve como fonte de energia


de rápida mobilização para o organismo
Cada indivíduo adulto armazena, em média,
glicogênio capaz de satisfazer as necessidades
energéticas por 24h
Glicogênio

Estocado em
pequenos grânulos
no fígado e músculos
esqueléticos
Controle dos Níveis de Glicose

Insulina
Hormônio produzido pelas células  do pâncreas
Estocada como pró-insulina (forma inativa) em
pequenos grânulos
Liberação induzida pelo [glicose] sanguínea
Estimula a captação de glicose pelos tecidos por
ligar-se a receptores na membrana celular,
permitindo a entrada da glicose na célula
Controle dos Níveis de Glicose

Glucagon
Hormônio também produzido no pâncreas e numa
forma inativa
[glicose] resulta na sua conversão à forma ativa e
conseqüente liberação
Sua chegada às células hepáticas resulta em
conversão do glicogênio em glicose e seguida de
liberação na circulação
Controle dos Níveis de Glicose

Epinefrina (Adrenalina)
Hormônio do ”lutar ou correr”
Possui efeitos semelhantes ao do glucagon, porém
são evidenciados nos músculos
Também age a nível de SNC
Resulta numa rápida ativação de todos os sistemas