Sei sulla pagina 1di 6

SECRETARIA DA SEGURANÇA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO


PÚBLICA

Homicídios dolosos
praticados por policiais
X
Letalidade Policial

Secretaria da Segurança Pública


Sistema de Coleta Homicídios Dolosos: Exclusão de mortes Critério UNODC (Escritório da
de Estatística inclusive todas as mortes legítimas ONU para Drogas e Crimes)
Estadual ilegítimas praticadas por praticadas por
Amplo conhecimento público:
Res. SSP 160/01 Policiais como chacinas, policiais civis e Anuário do Fórum Brasileiro de
Art 2º § único execuções etc militares em Segurança Pública (que em
serviço e em folga relação a SP aponta que “Os
(Art 1º, Inc. III, IV e casos de homicídios dolosos
VIII da Lei praticados por policiais "em
9155/95) serviço" e "fora de serviço"
foram isolados e
RDO = Boletins de contados separadamente da
Lei 9.155/95 categoria homicídios dolosos”
Ocorrência da PC
Res. SSP 143/13: Ao disciplinar a
descentralização da alimentação de
dados no Sistema Eletrônico de
Letalidade Policial: Coleta de Dados, a resolução
classificação somente Amplo conhecimento público: determinou que, as Unidades
das “mortes legítimas” Artigo no 5º Relatório Nacional Policiais Territoriais passassem a
sobre os Direitos Humanos no fazer a inserção das ocorrências
praticadas por Policiais,
registradas nas Unidades Policiais
que não configurem Brasil de 2012 do NEV-USP
Especializadas, reiterando a
“homicídios dolosos” manutenção da classificação entre
(Res. SSP 516/00) “mortes legitimas” (intervenção
policial – art. 5º caput) e “mortes
ilegítimas” (homicídios dolosos – art.
5º, parágrafo único).
Em Serviço
Mortes
Homicídios Dolosos
ilegítimas*
Fora de Serviço

PC

Morte Decorrente de Intervenção Policial


em Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas em confronto
Mortes com a Polícia Civil em serviço” na publicação trimestral – site)
legítimas** Letalidade Policial

Fora de Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas por


* Computadas na Res. SSP 160/01 como Policiais Civis de folga” na publicação trimestral – site)
Homicídios Dolosos
** A Lei 9155/95 determina que sejam
computados separadamente como
letalidade Policial. Não computados na
Res. SSP 160/01.
Em Serviço
Mortes
Homicídios Dolosos
ilegítimas* Fora de Serviço

Morte Decorrente de Intervenção Policial em Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas em confronto com a
Polícia Militar em serviço” na publicação trimestral – site)
De 2001 a 2005
Morte Decorrente de Intervenção Policial Fora de Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas por Policiais
Militares de folga” na publicação trimestral – site)
PM
Morte Decorrente de Intervenção Policial em Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas em confronto com a
Polícia Militar em serviço” na publicação trimestral – site)

Morte Decorrente de Intervenção Policial Fora de Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas por Policiais
De 2006 a Ago08 Militares de folga” na publicação trimestral – site) – passou a contabilizar somente as hipóteses de justa reação
de policial em folga para proteger terceiros.
Mortes Homicídio Doloso Fora de Serviço Reações - publicado em D.O.E. – foi uma subdivisão da classificação de
legítimas** ocorrências de “mortes legítimas em folga” do período anterior e passou a contabilizar somente as hipóteses de
justa reação do próprio policial como vítima.

Morte Decorrente de Intervenção Policial em Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas em confronto com a
Polícia Militar em serviço” na publicação trimestral – site)
De Set08 a Mar15
Homicídio Doloso Fora de Serviço Reações (publicado em D.O.E.) – Houve fusão das hipóteses de
“mortes legítimas em folga”, passando a contabilizar as duas hipóteses do período anterior, ou seja,
quando o policial militar reagia para se defender e para defender terceiros.
* Computadas na Res. SSP 160/01
como Homicídios Dolosos Morte Decorrente de Intervenção Policial em Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas em confronto com a
Polícia Militar em serviço” na publicação trimestral – site)
** A Lei 9155/95 determina que sejam A partir de Abr15
computados separadamente como Morte Decorrente de Intervenção Policial Fora de Serviço (Publicado na linha “Pessoas mortas por Policiais
letalidade Policial. Não computados na Militares de folga” na publicação trimestral – site). Retornou à classificação realizada de 2001 a 2005,
Res. SSP 160/01. substituindo a antiga classificação para “mortes legítimas em folga” que era “homicídio doloso fora de serviço
reações”.
CLASSIFICAÇÃO DE LETALIDADE POLICIAL E ALTERAÇÕES METODOLÓGICAS REALIZADAS PELA POLÍCIA MILITAR, DESDE
2001, NAS HIPÓTESES DE “MORTES LEGÍTIMAS PRATICADAS POR POLICIAIS MILITARES FORA DE SERVIÇO”

O número de mortes em ocorrência legítimas denominadas “pessoas mortas por policiais militares de
folga”, entre 2001 e 2005 foi contabilizado pela Corregedoria da Polícia Militar como “morte decorrente de
intervenção policial fora de serviço”. Entre janeiro de 2006 e agosto de 2008, a Corregedoria da Polícia Militar
passou a classificar as “mortes legítimas” praticadas por policiais militares em reação a roubos e tentativas de
roubos como “homicídio doloso fora serviço – reações”, quando o próprio policial fosse vítima da injusta
agressão, tendo mantido a classificação de “morte decorrente de intervenção policial fora de serviço” para as
hipóteses de justa reação policial para proteger terceiros. Posteriormente, em setembro de 2008, a
Corregedoria da Polícia Militar, novamente, unificou as hipóteses de “mortes legítimas” praticadas por policiais
militares em folga, sob a denominação “homicídio doloso fora de serviço – reações”. Esta nomenclatura
permaneceu até março de 2015, quando a Corregedoria da Polícia Militar alterou, novamente, retornando a
classificação original de “morte decorrente de intervenção policial fora de serviço”. Todas as classificações
contabilizam as “mortes legítimas praticadas por policiais militares fora de serviço”.
Durante todo esse período, os dados sempre foram publicados mensalmente no Diário Oficial do
Estado pela própria Corregedoria da PM. Além disso, os dados sobre “mortes legítimas” denominados como
“morte decorrente de intervenção policial fora de serviço” também sempre foram publicados trimestralmente,
tanto no site, quanto no DOE pela SSP.
Desde 2001, independentemente da denominação, jamais as ocorrências de “mortes legítimas
praticadas por policiais militares fora de serviço” foram contabilizadas como “homicídios dolosos” na
Resolução SSP 160/01.
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA
COORDENADORIA DE ANÁLISE E PLANEJAMENTO - CAP

LETALIDADE POLICIAL PM - MORTES LETALIDADE POLICIAL PC- MORTES LETALIDADE POLICIAL PM + PC -


RESOLUÇÃO 160
ANO LEGÍTIMAS LEGÍTIMAS MORTES LEGÍTIMAS

HOMICÍDIO DOLOSO Nº DE VÍTIMAS EM HD EM SERVIÇO DE FOLGA(*) EM SERVIÇO DE FOLGA EM SERVIÇO DE FOLGA


2001 12.475 13.133 385 134 75 12 460 146
2002 11.847 12.532 541 132 69 20 610 152
2003 10.954 11.512 756 112 29 12 785 124
2004 8.753 9.363 545 78 28 12 573 90
2005 7.076 7.593 278 19 22 10 300 29
2006 6.057 6.559 495 99 51 15 546 114
2007 4.877 5.153 377 81 24 23 401 104
2008 4.432 4.696 371 110 26 13 397 123
2009 4.564 4.785 524 114 19 6 543 120
2010 4.325 4.544 495 92 15 7 510 99
2011 4.193 4.402 438 97 23 20 461 117
2012 4.836 5.209 546 73 17 19 563 92
2013 4.444 4.739 334 171 12 23 346 194
2014 4.293 4.526 693 152 13 21 706 173
2015(**) 2.809 2.965 469 136 25 15 494 151

Fonte: Res 160 e Res 516.


(*) Homicídios Dolosos - Fora de Serviço Reações (período de 2006 a mar15) e MDIP - Fora de Serviço (período de 2001 a set08 e a partir de abr15)
(**) Dados até Setembro.

Data dos DOE de 2015