Sei sulla pagina 1di 25

Aconselhamento

Ajudando numa crise


AJUDANDO NUMA CRISE

Nós às vezes enfrentamos crises:


- a morte de um ente querido;
- o nascimento de uma criança
deformada;
- o colapso de um casamento;

- a reprovação no vestibular;

- a ocorrência de um acidente de
automóvel
Ajudando numa crise

Nos abalam, e podem


fazer com que nos
sintamos
ameaçados,
ansiosos, confusos, e
deprimidos.
Ajudando numa crise

Crise : é qualquer
evento ou série de
circunstâncias que
ameaça o bem-estar
de uma pessoa e
interfere com sua rotina
de vida.
Ajudando numa crise

Na nossa rotina diária enfrentamos os


problemas e desafios da vida de
modo mais eficiente ou menos.
Surge uma situação que é tão nova e
ameaçadora que nossos modos
costumeiros de lidar com problemas
já não funcionam. De repente, vemo-
nos forçados a depender de
métodos novos.
Ajudando numa crise

No passado, as pessoas
usualmente se voltavam aos
parentes em tais ocasiões,
procurando o seu conselho
e aceitando a sua ajuda e
simpatia. Na América do
Norte as coisas são
diferentes.
Ajudando numa crise

Na ausência dos parentes,


portanto, voltamo-nos aos
vizinhos, aos amigos, aos
demais membros da igreja, e
aos pastores. Estas são as
pessoas que estão em cena no
momento da crise e que melhor
podem ajudar.
Principais tipos de crises

As crises podem ser divididas em


duas categorias gerais :

- Crises de desenvolvimento;

- Crises acidentais.
Os principais tipos de Crises

As crises de desenvolvimento são


aquelas que ocorrem em tempos
previstos à medida que viajamos
pela vida afora.
Ex.:O primeiro dia de escola, lidar com
a adolescência, ajustar-se ao
casamento, fazer face às
inseguranças da meia-idade,
adaptar-se à aposentadoria .
São resolvidas à medida que o
indivíduo a ajustar-se .
Principais tipos de crises
Crises acidentais, são muito menos
previsíveis e, golpeiam com mais
força.
Ex.: Uma perda repentina de posição
ou posses, a morte no trânsito de
um ente querido, o rompimento
inesperado de um noivado, a perda
súbita do emprego.
Pode submeter o indivíduo a
exigências extremas e criar
confusão à medida que pondera o
que deve fazer em seguida.
Reagindo às Crises

A pessoa em crise volta-se a seus


métodos habituais. Descobre
que os antigos métodos não
funcionam mais.
Permanece em tensão e a pessoa
tem um senso de frustração e
confusão por causa da sua
incapacidade de ficar à altura.
Reagindo às Crises

Todos os recursos interiores da


pessoa são mobilizados. A pessoa
experimenta vários métodos de
ensaio e erro para lidar com o
problema, esgota as suas reservas
de força física, quebra a cabeça
para pensar em modos novos de
tratar da situação, e aprende a
aceitar circunstâncias que não
podem ser alteradas, ou a tirar o
melhor proveito delas.
Reagindo às Crises
Se tudo isto fracassar, a pessoa acaba
entrando em colapso físico ou
mental, ou os dois (esgotamento ou
colapso nervoso). Não sobram mais
recursos ou resistência para lidar
com a tensão. A pessoa desespera-
se, exaure, e se retira para um
mundo irreal, ou persiste
irracionalmente nalgum
comportamento que talvez negue o
problema mas nada faz para
solucioná-lo.
A singularidade de cada crise

A crise é única, sem igual .


É difícil predizer o que um
indivíduo, pode fazer numa
crise.
Pessoas entram em colapso,
outras descobrem que têm
tremendas reservas
interiores.
A singularidade de cada crise

Algumas características :
- Ansiedade - decisão errada.
- Incapacidade - não consegue
confiar mais em si mesma.
- Zangada porque outras pessoas
estão dirigindo a sua vida.
Não sabe com quem irar-se,
ataca as pessoas mais
próximas.
Ajudando numa crise

Às vezes há ira contra Deus,


seguida por sentimentos de
culpa. Há também, uma
diminuição da eficiência em
nosso comportamento diário.
Remoe o problema, e
questiona; todas essas coisas
tomam tempo e gastam energia.
Lidando com uma crise

Uma crise
representa um ponto
crucial que afeta
nosso ajustamento
futuro e saúde
mental.
Lidando com uma crise

Se sabemos lidar
com a crise,
adaptar-nos a
nossas novas
circunstâncias;
Lidando com uma crise

então desenvolvemos
maior auto-confiança
e experiência, que
nos ajudará a lidar de
modo mais eficaz
com crises futuras.
Lidando com uma crise

Quanto mais
próximos estamos da
pessoa em crise —
quanto mais temos
consciência da
situação;
Lidando com uma crise

tanto mais provável é


que seremos
procurados, e tanto
mais facilmente
podemos intervir por
início próprio.
Lidando com uma crise

A família e a igreja
são de importância
crucial no
aconselhamento nas
crises.
Lidando com uma crise

Quando aparecem a
doença, a morte na
família, perdas
financeiras, contendas
entre os cônjuges e
outras crises,
Lidando com uma crise

o alvo do conselheiro é ajudar


a pessoa a evitar o
comportamento,
sentimentos ou
pensamentos errados, e a
focalizar-se, naquilo que é
saudável e construtivo.
Lidando com uma crise

O conselheiro de crises
deve estar
geograficamente
próximo da pessoa em
crise,disponível, móvel
e flexível .