Sei sulla pagina 1di 56

FONTE: Lições Bíblicas. Maravilhosa Graça. O Evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos.

CPAD, maio de 2016


Inclinação do Espírito.
Os que são justificados pela fé em Cristo, nasceram de novo, e, portanto,
são regenerados. São filhos de Deus. Eles ocupam-se inteiramente das
coisas de Deus.
Procuram conhecer cada vez mais a Cristo, inteirar-se da Palavra de Deus,
dedicar-se à evangelização, à oração, ao jejum, ao louvor. Sua expectativa
é a vinda de Jesus!

Inclinação da carne (Rm 8 v.7).


Isso significa ter mente carnal, vida controlada pela carne. Tal
pessoa não está sob o domínio do Espírito. Quem assim vive,
não pode agradar a Deus (v.8). Só conseguiremos agradar a
Deus fazendo-lhe a vontade.
Mas só o conseguiremos se estivermos sob a direção do
Espírito Santo. FONTE: Lições Bíblicas. A liberdade sob a lei do Espirito Santo. Maio de 1998. CPAD.
1.1 o que é carne?
Dentro do contexto neotestamentário, o vocábulo carne é sarx.

Essa palavra é utilizada para designar a natureza adâmica que domina o velho homem
e o leva a praticar as obras da carne relacionadas em Gálatas 5.19-21.

FONTE: Lições Bíblicas. As obras da carne e os frutos do Espirito. CPAD, Janeiro de 2017
Livres em cristo
Aqueles que estão em Cristo foram libertados de:

Condenação

A lei do pecado

A lei da morte

FONTE: http://www.estudosdabiblia.net/romanos13.htm
...
Em Cristo, Deus fez o que a lei não podia fazer (Rm 8.3-4). Jesus veio na carne para fazer o
que a lei não fez por causa da fraqueza da carne. Deus, através de Jesus, condenou o pecado.
Assim ele cumpre o propósito da lei em nós.

A lei era oposta ao pecado (condenou o pecado), mas não


venceu o pecado. As pessoas sujeitas à lei ainda andavam na
carne, sujeitas à morte. Em Jesus, Deus condenou e venceu o
pecado.

Aqueles que participam dessa vitória andam segundo o


Espírito, não segundo à carne.

FONTE: http://www.estudosdabiblia.net/romanos13.htm
A santidade da lei

Um interlocutor atento poderia argumentar que o apóstolo estaria desqualificando a Lei,


reduzindo-a a algo extremamente mal. Paulo se adianta e responde: “Assim, a lei é santa; e o
mandamento santo, justo e bom” (Rm 7.12).

Não há nenhum problema com a Lei. A Lei é boa e seu propósito também.

O problema, portanto, não estava na Lei, mas naqueles que se regiam por ela. Como o apóstolo
já havia argumentado, o problema estava dentro do homem, no pecado que habitava nele, e não
na existência de uma lei externa (Rm 7.18).

FONTE: Lições Bíblicas. Maravilhosa Graça. O Evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos. CPAD, maio de 2016
OBRAS DA CARNE (o inimigo interior).
• "Carne" (gr. sarx) é a natureza pecaminosa com seus desejos corruptos, a qual
continua no cristão após a sua conversão, sendo seu inimigo mortal (Rm 8.6-
8,13; Gl 5.17,21). Aqueles que praticam as obras da carne não poderão herdar o
reino de Deus (5.21). Por isso, essa natureza carnal pecaminosa precisa ser
resistida e mortificada numa guerra espiritual contínua, que o crente trava
através do poder do Espírito Santo (Rm 8.4-14; ver Gl 5.17).

Embora Paulo às vezes use "carne" (sarx) em referência ao corpo físico


(Romanos 2:28) ou ao aspecto humano (Romanos 3:20), a palavra significa
muito mais do que isso em Gálatas 5:16-24. O corpo pode tornar-se um
instrumento da glória de Deus (Romanos 12:1; 1 Coríntios 6:20), mas a "carne"
não (Romanos 8:5-8). O corpo pode ser redimido e transformado (Romanos
8:23; Filipenses 3:21), mas a "carne" deve morrer (Gálatas 5:24).
As obras da carne
• Uma obra é algo que o homem produz para si mesmo; um fruto é algo produzido por um
poder que ele não possui. Os homens não podem fabricar um fruto. Isto quer dizer que o
homem pode produzir o mal por si só, com bastante facilidade, e não pode deixar de fazê-
lo; a bondade, no entanto, tem que ser produzida para ele por um poder que não é seu. A
verdade é que, embora a tradução (das paráfrases) "os baixos instintos da natureza"
frequentemente faça bom sentido, não atinge suficientemente o sentido.
• A essência da carne é a seguinte. Nenhum exército pode invadir um país pelo mar a não
ser que possa obter uma cabeça de ponte. A tentação não teria a capacidade de afetar os
homens, a não ser que houvesse algo já existente no homem que correspondesse à
tentação. O pecado não poderia obter nenhuma cabeça de ponte na mente, coração, alma e
vida do homem a não ser que houvesse um inimigo dentro dos portões que estivesse
disposto a abrir a porta ao pecado. A carne é exatamente a cabeça de ponte através da
qual o pecado invade a personalidade humana. A carne é como o inimigo do lado de dentro
e que abre o caminho para o inimigo que está forçando a porta.

Fonte: As obras da carne e o fruto do Espírito. William Barclay


Fonte: http://lazaradeusefiel.blogspot.com.br/2014/08/ha-um-espirito-no-homem.html
1.2 o que é o espírito?

A palavra espírito no grego é pneuma.

Esse termo significa sopro, vento,


respiração e principio da vida. Esse
vocábulo também descreve o espírito que
habita no homem o qual foi soprado por
Deus (Gn 2.7)

FONTE: Lições Bíblicas. As obras da carne e os frutos do Espirito. CPAD, Janeiro de 2017
O Espírito de Deus (Rm 8 v.9)

 O Espírito Santo é chamado “Espírito de Cristo” (At 16.7; Fp 1.19).

 São referências à deidade absoluta de Jesus (Jo 1.1; 9.5; Tt 2.13).

 Veja que o Espírito Santo, ou “Espírito de Cristo”, habita em nós (v.9).

 No versículo seguinte, lemos que Cristo habita em nós (v.10), e o v.11 diz que
somos morada da Trindade.

FONTE: Lições Bíblicas. A liberdade sob a lei do Espirito Santo. Maio de 1998. CPAD.
Mudança de homem religioso para homem
espiritual.

Interessante é observar o contraste entre os capítulos 7 e 8 de Romanos. No capítulo 7,


o apóstolo afirma por duas vezes: “o pecado habita em mim” (Rm 7.17,20). No capítulo 8,
é o Espírito Santo quem habita em nós (v.9).

Agora, somos devedores ao Espírito, que nos deu vida, e não à carne, que resulta em
morte (vv.12,13).

FONTE: Lições Bíblicas. A liberdade sob a lei do Espirito Santo. Maio de 1998. CPAD.
(1 Co 2.14)

(1 Co 3.1)

Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/361926/
Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/65655/
1.3 andar na carne x andar no espirito
Espírito X Carne (Rm 8.5-17)
Este trecho apresenta vários pontos de contraste entre a carne e o Espírito

...
Carne Espírito
Os que inclinam para a carne cogitam das coisas Os que inclinam para o Espírito cogitam das
carnais. coisas espirituais.
O pendor (inclinação ou tendência) da carne leva
O pendor do Espírito leva à vida e à paz.
à morte.
Inimizade contra Deus. Os fiéis estão no Espírito.
Não sujeito à lei de Deus;
Estão debaixo da Lei e vontade do Senhor.
Não agrada a Deus.
Não pertence a Cristo. Cristo habita nos fiéis.
Corpo morto por causa do pecado. O espírito é vida por causa da justiça.
O Espírito de Deus ressuscitará o corpo daqueles
Aqueles que vivem segundo a carne caminham em que ele habita;
para a morte. Aqueles que, pelo Espírito, matam os feitos da
carne, caminham para a vida.
Os filhos andam segundo o Espírito e gozam
Aqueles que andam segundo a carne são intimidade com Deus;
escravos, atemorizados. Os filhos de Deus são seus herdeiros, e serão
glorificados com Cristo.
Carnais e espirituais (Rm 8 vv.5,6).
O apóstolo fala de dois grupos de pessoas os carnais e os espirituais. Cabe a cada crente
fazer uma análise introspectiva para verificar se suas inclinações são carnais ou espirituais.

O homem é aquilo que imagina a sua alma (Pv 23.7). E Jesus afirmou que o homem fala
daquilo que o seu coração estiver cheio (Lc 6.45).

O pensamento do homem norteia o seu comportamento. Se a


mente é carnal, seu comportamento é carnal, resultando em morte;
se a mente é espiritual, seu comportamento é espiritual, resultando
em vida e paz.

FONTE: Lições Bíblicas. A liberdade sob a lei do Espirito Santo. Maio de 1998. CPAD.
O Espírito X A Carne (Romanos 8:1-17)

No final do capítulo 7, Paulo disse que Jesus Cristo é a resposta à necessidade mais urgente do
homem: a libertação da morte espiritual (7:24-25).

O capítulo 8 afirma que Deus (Pai, Filho e Espírito Santo) trabalha para a salvação dos
fiéis. É um capítulo que consola todos que lutam contra o pecado no serviço ao Senhor.

FONTE: http://www.estudosdabiblia.net/romanos13.htm
SUBSÍDIO TEOLÓGICO

Ao descrever este conjunto de opostos, Paulo nos lembra de verdades vitais e


maravilhosas. O que não conseguimos fazer. Deus consegue e fará, tanto em nós quanto
para nós.

“Nunca nos tornaremos as pessoas verdadeiramente boas que desejamos ser, tentando
obedecer à Lei de Deus. Mas, nos tornamos gradativamente mais justas à medida que
confiarmos no Espírito de Deus para nos orientar e capacitar"

FONTE: (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento, 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 414
GÁLATAS 5
O ESPÍRITO NATUREZA PECADORA
Amor Lei

Em conflito com a natureza pecadora Em conflito com o Espírito

Se conduzido pelo Espírito, não está sob


A Lei é ‘contra' seus atos
a Lei

A natureza pecadora produz atos óbvios


O Espírito produz frutos bons e justos
de pecado

FONTE: (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento, 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 414
Como ser guiado pelo Espírito
• A revelação da habitação interior do Espírito foi o remédio que Paulo ofereceu aos
cristãos de Corinto, para a sua falta de espiritualidade. É importante notar que os
cristãos em Corinto se preocupavam com os sinais visíveis do derramamento do
Espírito Santo e que tiveram muitas experiências de "línguas" e de milagres,
enquanto que, ao mesmo tempo, as suas vidas estavam cheias de contradições e
eram um opróbrio para o nome do Senhor. Tinham, de forma absolutamente
evidente, recebido o Espírito Santo e, contudo, permaneciam espiritualmente
imaturos; e o remédio que Deus lhes ofereceu foi o mesmo que hoje oferece à Sua
Igreja para o mesmo mister e o mesmo problema. (NEE 1957, p.89).
• O discípulo de Jesus deve seguir os passos do Mestre, deixando-O guiar em todas as
situações, sem nunca envergonhá-LO. O fruto nos habilita a falar, agir e ser como
Cristo, disciplina o uso dos dons, evidencia a habitação do Espírito no crente e
transforma o caráter à semelhança de Cristo (2 Co 3.18).
A verdadeira espiritualidade - O Espírito na vida
cristã (dia-a-dia)
• Um exemplo vívido de onde havia crentes carnais era na Igreja coríntia. Paulo
afirma que quando esteve com eles, não lhes pôde falar como a espirituais
(verdadeiramente guiados pelo Espírito), mas como a carnais (dominados pelas
fraquezas da carne), como a bebês em Cristo (1 Co 3.1). Tinham dons, mas não
haviam desenvolvido o fruto ou a maturidade.

Paulo sempre toma o cuidado de não enfatizar demasiadamente uma verdade, ao ponto de levar
as pessoas a uma direção errada. Os gentios realmente estavam livres da Lei. Não deviam usar
sua liberdade para dar ocasião (oportunidade, pretexto) à carne (para deixar os desejos e
impulsos da carne assumir o controle). Pelo contrário, deviam servir uns aos outros pelo amor
(Gl 5.13). Isso importa em ter a mesma auto-disciplina que Jesus revelava ter quando Ele, o
Senhor da glória, humilhou-se e ficou em nosso meio "como aquele que serve" (Lc 22.25-27; Fp
2.5-8).
2.1 A cobiça
Quem de fato deve controlar a vida do crente é o Espírito Santo.

A natureza pecaminosa nos incentiva a viver em concupiscência, luxúria, desejos


descontrolados e paixões impuras (2 Pe 2.10).A Bíblia nos ensina que a concupiscência
da carne não procede de Deus (1Jo 2.16).

Eva cobiçou o fruto da árvore que Deus havia ordenado que não comesse. Seu desejo
trouxe terríveis consequências para sua vida e para a humanidade (Gn 3-6).

Os desejos da carne serão sempre contrários à vontade de Deus.

FONTE: Lições Bíblicas. As obras da carne e os frutos do Espirito. CPAD, Janeiro de 2017
2.2 a oposição da carne

Precisamos ter cuidado, pois a oposição da carne


contra o Espírito é algo contínuo. Essa oposição
somente será vencida se procurarmos viver cheios do
Espírito Santo.

A carne não pode ter vez na vida do crente, posto


que a força do Espírito Santo é maior, porém o
embate entre a carne e o Espírito vai perdurar até o
dia que receberemos do Senhor um corpo glorificado
(Fp 3.21).

FONTE: Lições Bíblicas. As obras da carne e os frutos do Espirito. CPAD, Janeiro de 2017
Carne (Rm 8.v.3).
O conceito paulino de carne em Romanos pode
aplicar-se à humanidade (Rm 3.20), à natureza
humana (1.3), ao corpo (2.28),à descendência de um
homem (4.1),à fragilidade humana (6.19), à velha
natureza do crente (6.6; 7.18,25) e ao homem não
regenerado (8.8).

No v.3 diz respeito à natureza humana de Cristo


(8.3). Ver 1Jo 3.5; 1Pe 2.22; 2Co 5.21.

FONTE: Lições Bíblicas. A liberdade sob a lei do Espirito Santo. Maio de 1998. CPAD.
SUBSÍDIO devocional
 Não cumprireis a concupiscência da carne

Nunca devemos subestimar o poder da nossa natureza pecadora, e nunca devemos tentar combatê-la
com as nossas próprias forças. Satanás é um tentador ardiloso, e nós temos uma capacidade ilimitada
de inventar desculpas. Em lugar de tentar superar o pecado com a nossa própria força de vontade,
devemos aproveitar o tremendo poder de Cristo.

Deus permite a vitória sobre a nossa natureza pecadora — Ele envia o Espírito Santo para residir em
nós e nos capacitar. Mas a nossa capacidade de resistir aos desejos da natureza pecadora irá
depender do quanto estamos dispostos a 'viver de acordo' com o Espírito Santo. Para cada crente, este
processo diário requer decisões constantes.

FONTE: Comentário do Novo Testamento: Aplicação pessoal. Vol.2. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p. 294
A liberdade do
Uma obra divina. Espírito (Rm
8.v.4).
• Uma vez que a carne está debilitada e • A liberdade em Cristo que gozamos
impotente para guardar a lei, acha-se advém do fato de não estarmos debaixo
esta impossibilitada de salvar. O da lei, mas da graça (Rm 6.14). Uma vez
problema, então, não era da lei, mas do debaixo da graça, “não andamos
homem sem qualquer poder para segundo a carne, mas segundo o
guardá-la. Espírito”

• A lei diz: “faça e viva”, entretanto, a • É no capítulo 8 que a operação do


graça diz: “viva e faça”. Fazemos a Espírito Santo na vida do cristão é
vontade de Deus com a ajuda e a manifesta com mais clareza.
direção do Espírito Santo para a nossa
santificação.

FONTE: Lições Bíblicas. A liberdade sob a lei do Espirito Santo. Maio de 1998. CPAD.
OBRAS DA CARNE (o inimigo interior).
A "carne" que milita contra o Espírito não é a mente ou o intelecto, pois a mente, como
o corpo, pode ser transformada e renovada, treinada para servir aos propósitos divinos
(Romanos 12:2).
Essa "carne" não é nem a mente nem o corpo em si mesmos, mas uma atitude pela qual o homem opta e
que o põe contra Deus. Na "mente carnal", a vontade do homem torna-se suprema. Seus desejos têm
que ser atendidos acima de todas as coisas. Estes podem ser as concupiscências da carne ou os desejos
da mente (Efésios 2:3), mas serão satisfeitos a qualquer custo. É por isso que "as obras da carne", contra
as quais Paulo adverte, abrangem mais que os apetites do corpo. É na mente que escolhemos servir a
nós mesmos. É na mente que nos tornamos arrogantes e egoístas e tomamos decisões que desonram o
corpo (Romanos 1:24) e escurecem o raciocínio (1:21). Viver em toda obra da carne significa fazer o que
eu quero não simplesmente satisfazer os meus desejos carnais mais baixos, mas atender os desejos do
meu ego. O orgulho e a paixão vivem na "carne" em perfeita harmonia.

Precisamos conhecer os nossos inimigos. Não são as pessoas, mas os desejos perversos que procuram
roubar o nosso coração de Deus. Existe uma forma racional de enfrentarmos esses adversários crucificá-
los impiedosamente e sem olhar para trás (Gálatas 5:24). Será penoso (1 Pedro 4:1), mas não tanto
quanto a perda da eternidade.
3.1 o que é o fruto do
espírito
Segundo o Dicionário Bíblico Wycliffe, "o fruto do
Espírito são os hábitos e princípios misericordiosos
que o Espírito Santo produz em cada cristão".

O Espírito Santo desenvolve o seu fruto em nós à


medida que nos aproximamos de Deus e procuramos
ter uma vida de comunhão e santidade.

FONTE: Lições Bíblicas. As obras da carne e os frutos do Espirito. CPAD, Janeiro de 2017
A definição humana de liberdade, segundo Aurélio, é: “Faculdade de cada um decidir ou agir
segundo a própria determinação. Estado ou condição de homem livre”. Seguindo este raciocínio,
as pessoas tendem a pensar que liberdade é simplesmente poder fazer na vida tudo o que
desejam.

Mas, a Palavra de Deus ensina que não se pode ser livre “andando segundo a carne”, pois a
carne escraviza. Por outro lado, quem anda segundo o Espírito é, de fato, livre. Pode. assim,
servir a Deus livremente, pois “os que são segundo o Espírito inclinam-se para as coisas do
Espírito”.

Desta forma, esta lição explica a liberdade debaixo da lei do Espírito, a qual mostra-nos que
embora submissos à lei de Cristo. Ele não nos trata como escravos, mas como filhos amados.
Recebemos o Espírito Santo e por meio dEle somos guiados.

FONTE: Lições Bíblicas. A liberdade sob a lei do Espirito Santo. Maio de 1998. CPAD.
O Fruto do Espírito
• Andar no Espírito é ser guiado pelo Espírito! Significa, portanto, algo mais
do que milagres. Significa vitória sobre os desejos e os impulsos carnais.
Significa cultivar o fruto do Espírito, o melhor antídoto às concupiscências
carnais.

• Observemos o fruto do Espírito relacionado com as concupiscências da


carne, para verificarmos se estamos no Espírito ou não. Para Paulo, não
existe terreno neutro nesses assuntos. As obras da carne não se
manifestam, se somos dirigidos pelo Espírito.
O Fruto do Espírito
• Realmente, essa é uma ilustração do fruto do Espírito que começa com o amor e que se resume no amor. É
chamado fruto do Espírito, porque brota do Espírito. Não cresce naturalmente do solo da nossa carne
humana. O amor é idêntico ao que Deus demonstrou no Calvário, quando Ele enviou seu Filho para morrer
por nós, enquanto ainda éramos pecadores (Romanos 5.8). É descrito em 1 Coríntios 13.4-7 como sofredor
(paciente com os que nos provocam e nos lesam), benigno (que paga o mal com o bem), livre de inveja
(inclusive a malícia, a má vontade), humilde, sem se encher de sua própria importância, sempre cortês,
nunca egoísta nem cobiçoso, nunca irritável nem facilmente provocado, nunca levando em conta os danos
que sofre, nem se alegra nas falhas ou nas desgraças alheias. Suporta firme com fé e esperança todas as
circunstâncias da vida. Não é de se admirar que nunca fracassará, nunca cessará! (HORTON 1993, p.97)
• Essa cooperação com o Espírito é necessária para o crescimento e o desenvolvimento do fruto do Espírito.
Alguns supõem que pelo fato de termos vida no Espírito, ou sermos batizados com o Espírito Santo, o
fruto aparecerá sozinho. Mas tudo o que cresce sozinho, na maioria dos jardins, é erva daninha. Se o
fruto é desejado, deve ser cultivado. Deus faz parte dessa obra (Jo15.1). Mas temos a nossa parcela de
contribuição. Assim, o fruto não será algo secreto e oculto que não evidencia sua presença. Podemos
saber se ele está se desenvolvendo em nós. E os que estão ao nosso redor também o saberão (Mt 12.33).
3.2 os frutos provam a nossa verdadeira santidade
O arrependimento genuíno é evidenciado pelos nossos frutos, ou seja, nossas ações. Como
conhecemos uma árvore? Por seus frutos.

Logo, o verdadeiro crente é reconhecido por seu caráter e suas ações.

FONTE: Lições Bíblicas. As obras da carne e os frutos do Espirito. CPAD, Janeiro de 2017
Objetivo do texto de Rm 7.13-25.

• Paulo mostra a luta do homem religioso querendo obedecer à vontade de Deus, sem
Jesus e sem o Espírito Santo. O propósito do apóstolo, nessa passagem, é mostrar que
nada podemos fazer para obedecer a Deus sem a ajuda do Espírito Santo.

• Somos absolutamente impotentes, e necessitamos da libertação do pecado e do “eu”.


Mas isso só é possível em Jesus Cristo, nosso Senhor. Por isso, o Espírito Santo não
aparece nessa passagem, e o nome de Jesus só aparece no v.25, que é o versículo de
transição para o capítulo 8, e que inicia com “portanto”.

FONTE: Lições Bíblicas. A liberdade sob a lei do Espirito Santo. Maio de 1998. CPAD.
3.3 a santidade que o espírito santo gera em nós
O Espírito Santo nos molda e nos ensina o que é certo e o que é errado à medida que buscamos a Deus
em oração, leitura da Palavra e jejuns.

Quando deixamos de ser meninos, estamos prontos para produzir bons frutos (Lc 8.8). O crente
precisa andar em novidade de vida, em santidade.

Segundo os pressupostos bíblicos, a santificação do crente é:

Posicional.

Progressiva.

Final.
Santificação.
Uma coisa é tornar-se cristão. Outra é viver a vida cristã. Tudo que recebemos na
salvação, na justificação e na regeneração se manifesta na santificação. Isso significa
vida cristã na prática (1 Ts 4.3; 2 Co 7.1; Hb 12.14).

a) Santificação posicional — Nesse sentido, ela é imediata. "Na qual vontade [Deus]
que temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo feita uma vez" (Hb
10.10). Esse fato se dá na conversão do pecador: É imediato, total, e coloca o homem na
posição de filho de Deus (1 Pe 1.3,4), ou seja, posicionalmente santo (Rm 1.7; Hb 3.1).

Fonte: Manual de Doutrinas das Assembleias de Deus no Brasil. CPAD


Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/2571530/
Santificação.
b) Santificação progressiva — "Quem é santo seja santificado ainda" (Ap 22.11).
Essa santificação acontece no decorrer da vida cristã. Enquanto a santificação
posicional é imediata, a progressiva é dinâmica e paulatina. Quanto mais o crente
se consagra para Deus, mais santificado se torna (1 Co 7.1). A santificação
progressiva aperfeiçoa-se no temor de Deus. Ela é aperfeiçoada com oração, estudo
da Palavra de Deus, jejum, e através de uma vida dedicada à obra de Deus (Rm
6.12,13, 22; 1 Ts 4.1).

c) Santificação completa (absoluta) — Acontecerá por ocasião da redenção do corpo,


na ressurreição (Rm 8.22,23) ou no arrebatamento, quando formos transformados.

Fonte: Manual de Doutrinas das Assembleias de Deus no Brasil. CPAD


Fonte: http://pt.slideshare.net/preduoliveira/mortos-
porm-vivos-romanos-6110
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne (Cl 5.16).

O texto original apresenta 'andai (peripateite) em Espírito'. Esta frase reflete uma expressão
idiomática comum em hebraico, na qual 'andar' significa ‘conduzir a própria vida'.

Os judaizantes disseram aos gálatas que conduzissem as suas vidas Observando a Lei.

Mas Paulo argumentou que a lei não tem papel algum na vida do cristão.

FONTE: RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro; CPAD, 2012, p. 412
...
A pessoa que procura ser 'justificada pela lei' (5.4) cai da graça, e se separa de Cristo como a
fonte da vida justa.

Em Romanos 7.4-6, Paulo vai ainda mais adiante, e diz que a natureza pecadora na verdade é
energizada (ou estimulada) pela Lei. Então, o que o cristão deve fazer?

O cristão deve conduzir sua vida observando não a Lei,


mas o Espirito de Deus. Pois, Paulo promete, a pessoa
que olhar para o Espírito (confiar nEle) 'não cumprirá a
concupiscência da carne [sarx]"

FONTE: RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro; CPAD, 2012, p. 412
Conheça mais
O Espírito... contra a carne (Gl 5.17)

O conflito espiritual interiormente no crente envolve a totalidade da sua pessoa. Este conflito
resulta ou numa completa submissão às más inclinações da 'carne', o que significa voltar ao
domínio do pecado; ou numa plena submissão à vontade do Espírito Santo, continuando o
crente sob o senhorio de Cristo (Rm 8.4-14).

O campo de batalha está no próprio cristão, e o conflito continuará


por toda a vida terrena, visto que o crente por fim reinará com Cristo
(Rm 7.7-25; 2 Tm 2.12; Ap 12.11)."

FONTE: Lições bíblicas. As Obras da Carne e o Fruto do Espírito. / Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, p.1801.
Curta e Compartilhe!
Créditos
Presidente: Pr. João Ceno Ohlweiler
Vice-Presidente / Autor do Projeto: Pr. Roberto Ohlweiler
Apresentador: Pr. Adriano Sebben

Pesquisa, layout e preparação dos subsídios: Carla da Rosa


Artes dos Slides: Estevão Castani

Televisão/Internet: RCR TV – ADCRICIÚMA


SC
Diretor: Ev.Tiago Albertini
Diretor de Imagem: Kennedy Sandri / Ezequiel Fidelis
Edição: Jessé Filipe Dias
Cinegrafia: Pb. Adriano Fidelis