Sei sulla pagina 1di 34

UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Faculdade de Odontologia
PPGODO – Mestrado em Saúde Bucal Coletiva
ODO00066 - Planejamento e Políticas de Saúde Bucal Coletiva
Andressa Arduim – Diana Tremea – Rogério Moreira

CORRENTES DE PENSAMENTO
EM PLANEJAMENTO DE
SAÚDE NO BRASIL

Porto Alegre
2018
-- 8ª CNS - 1986
-- CF Art.196 -1988
-- SUDS – 1988-89
-- Lei 8.080 - 1990
... ... ...

Organização do Sistema Único de Saúde


SUS
atual
-- CF Art.196 -1988
-- SUDS – 1988-89
-- Lei 8.080 - 1990
-- 8ª CNS - 1986

... ... ...

SUS
Organização do Sistema Único de Saúde atual

• Ciências Políticas
Desenvolvimento • Administração
científico da Saúde
• Economia Sanitária
-- CF Art.196 -1988
-- SUDS – 1988-89
-- Lei 8.080 - 1990
-- 8ª CNS - 1986

... ... ...

SUS
Organização do Sistema Único de Saúde atual

• Ciências Políticas
Desenvolvimento • Administração
científico da Saúde Debate teórico
• Economia Sanitária

Experimentação
prática
-- CF Art.196 -1988
-- SUDS – 1988-89
-- Lei 8.080 - 1990
-- 8ª CNS - 1986

... ... ...

SUS
Organização do Sistema Único de Saúde atual

• Ciências Políticas
Desenvolvimento • Administração
científico da Saúde Debate teórico
• Economia Sanitária

Reforma do sistema Experimentação


de serviços de saúde prática
VERTENTES DO DEBATE: PLANEJAMENTO
E GESTÃO EM SAÚDE - Mehry (1995); Riveira; Artmann (1999)):

ENSP

USP

UNICAMP

ISC-UFBA
VERTENTES DO DEBATE: PLANEJAMENTO
E GESTÃO EM SAÚDE - Mehry (1995); Riveira; Artmann (1999)): - Análise
estratégica
Planejamento Situacional (Matus) Gestão
ENSP Teoria de Ação Comunicativa (Habermas) Estratégica
- Liderança

- Cultura
organizacional

USP

UNICAMP

ISC-UFBA
VERTENTES DO DEBATE: PLANEJAMENTO
E GESTÃO EM SAÚDE - Mehry (1995); Riveira; Artmann (1999)): - Análise
estratégica
Planejamento Situacional (Matus) Gestão
ENSP Teoria de Ação Comunicativa (Habermas) Estratégica
- Liderança

- Cultura
organizacional
- Político-
Teoria do Processo de Trabalho Práticas gerenciais
USP Teoria das necessidades sociais de saúde de saúde - Promocionais
- Preventivas
- Assistenciais

UNICAMP

ISC-UFBA
VERTENTES DO DEBATE: PLANEJAMENTO
E GESTÃO EM SAÚDE - Mehry (1995); Riveira; Artmann (1999)): - Análise
estratégica
Planejamento Situacional (Matus) Gestão
ENSP Teoria de Ação Comunicativa (Habermas) Estratégica
- Liderança

- Cultura
organizacional
- Político-
Teoria do Processo de Trabalho Práticas gerenciais
USP Teoria das necessidades sociais de saúde de saúde - Promocionais
- Preventivas
- Assistenciais
Análise e cogestão de coletivos - Gestores
Planejamento - Profissionais
UNICAMP Micropolítica do trabalho em saúde
Participativo
Tecnologia leve para planejamento em saúde - Trabalhadores
- Usuários

ISC-UFBA
VERTENTES DO DEBATE: PLANEJAMENTO
E GESTÃO EM SAÚDE - Mehry (1995); Riveira; Artmann (1999)): - Análise
estratégica
Planejamento Situacional (Matus) Gestão
ENSP Teoria de Ação Comunicativa (Habermas) Estratégica
- Liderança

- Cultura
organizacional
- Político-
Teoria do Processo de Trabalho Práticas gerenciais
USP Teoria das necessidades sociais de saúde de saúde - Promocionais
- Preventivas
- Assistenciais
Análise e cogestão de coletivos - Gestores
Planejamento - Profissionais
UNICAMP Micropolítica do trabalho em saúde
Participativo
Tecnologia leve para planejamento em saúde - Trabalhadores
- Usuários

Planejamento Fluxograma
Vigilância em Saúde para prestar
ISC-UFBA Atenção Integral à Saúde
Estratégico- Estratégico-
Situacional Situacional
ABORDAGENS TEÓRICAS AO ESTUDO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS

• teoria de seleção racional

• incrementalismo

• análise de sistemas
a) determinação da agenda;
b) formulação e legitimação da política;
• ciclo da política pública c) implementação da política;
d) avaliação da política
• “política da burocracia”

• “coalizão de defesa”

• teoria da seleção pública


ABORDAGENS TEÓRICAS AO ESTUDO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS

• teoria de seleção racional

• incrementalismo

• análise de sistemas
a) determinação da agenda;
b) formulação e legitimação da política;
• ciclo da política pública c) implementação da política;
d) avaliação da política
• “política da burocracia”

• “coalizão de defesa”

• teoria da seleção pública


Ciclo da política pública (Kindon (1995))

Construção da agenda: pré-decisão (agenda estratégica) e


decisão (plano/programa de ação)

a) reconhecimento do problema (evidências)


Ciclo da política pública (Kindon (1995))

Construção da agenda: pré-decisão (agenda estratégica) e


decisão (plano/programa de ação)

a) reconhecimento do problema (evidências)

b) formulação de alternativas
Ciclo da política pública (Kindon (1995))

Construção da agenda: pré-decisão (agenda estratégica) e


decisão (plano/programa de ação)

a) reconhecimento do problema (evidências)

b) formulação de alternativas

c) negociação política entre os players (“jogo de pressões entre os atores”)


Ciclo da política pública (Kindon (1995))

Construção da agenda: pré-decisão (agenda estratégica) e


decisão (plano/programa de ação)

a) reconhecimento do problema (evidências)

b) formulação de alternativas

c) negociação política entre os players (“jogo de pressões entre os atores”)

d) agenda propriamente dita (planos, programas e projetos governamentais)


“Janela de Oportunidade”:

Consenso (ou no mínimo, apoio) entre os atores (players)

governamentais não governamentais

Servidores públicos: • opinião pública


• do Executivo; • grupos de interesse
• do Legislativo; • especialistas
• do Judiciário • acadêmicos
• partidos políticos
• mídia
Modelo teórico para a análise de políticas de saúde
ENFOQUE ESTRATÉGICO-SITUACIONAL:
EIXO DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO NO SUS

- o “objeto do planejamento”: problemas e oportunidades reais de intervenção


ENFOQUE ESTRATÉGICO-SITUACIONAL:
EIXO DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO NO SUS

- o “objeto do planejamento”: problemas e oportunidades reais de intervenção

- o “processo de planejamento” é complexo, com articulação de diferentes


contribuições (ou “momentos”  explicativo, normativo, estratégico e tático-
operacional), inter-relacionados e sem uma lógica sequencial única e rígida
ENFOQUE ESTRATÉGICO-SITUACIONAL:
EIXO DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO NO SUS

- o “objeto do planejamento” são os problemas e oportunidades reais de intervenção

- o “processo de planejamento” é complexo, com articulação de diferentes


contribuições (ou “momentos”  explicativo, normativo, estratégico e tático-
operacional), inter-relacionados e sem uma lógica sequencial única e rígida

- o “produto do planejamento” é um plano modular flexível (objetivos, atividades,


produtos e resultados, responsáveis, participantes, prazos e recursos)
ENFOQUE ESTRATÉGICO-SITUACIONAL:
EIXO DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO NO SUS

- o “objeto do planejamento” são os problemas e oportunidades reais de intervenção

- o “processo de planejamento” é complexo, com articulação de diferentes


contribuições (ou “momentos”  explicativo, normativo, estratégico e tático-
operacional), inter-relacionados e sem uma lógica sequencial única e rígida

- o “produto do planejamento” é um plano modular flexível (objetivos, atividades,


produtos e resultados, responsáveis, participantes, prazos e recursos)

- na “gestão do plano e gerência de operações”, pretende-se uma democratização


das relações entre gestores, profissionais e usuários dos serviços
Fluxograma (estratégico-)situacional

- sistematiza as informações disponíveis sobre os problemas  visualização imediata


Fluxograma (estratégico-)situacional

- sistematiza as informações disponíveis sobre os problemas  visualização imediata

- é multirreferencial (ou interdisciplinar)


Fluxograma (estratégico-)situacional

- sistematiza as informações disponíveis sobre os problemas  visualização imediata

- é multirreferencial (ou interdisciplinar)

- possibilita o diálogo entre todos os sujeitos envolvidos


Fluxograma (estratégico-)situacional

- sistematiza as informações disponíveis sobre os problemas  visualização imediata

- é multirreferencial (ou interdisciplinar)

- possibilita o diálogo entre todos os sujeitos envolvidos

- permite a identificação da contribuição de cada instituição na intervenção sobre


determinantes, condicionantes ou fatos relativos a cada problema
Um Fluxograma (estratégico-)situacional permite:

- integração de cada instituição


Um Fluxograma (estratégico-)situacional permite:

- integração de cada instituição

- elaboração de um pensamento comum


Um Fluxograma (estratégico-)situacional permite:

- integração de cada instituição

- elaboração de um pensamento comum

- definição de objetivos e desenvolvimento de atividades


Um Fluxograma (estratégico-)situacional permite:

- integração de cada instituição

- elaboração de um pensamento comum

- definição de objetivos e desenvolvimento de atividades

- integração de sujeitos distintos no processo


Um Fluxograma (Estratégico-)Situacional permite:

- integração de cada instituição

- elaboração de um pensamento comum

- definição de objetivos e desenvolvimento de atividades

- integração de sujeitos distintos no processo

- geração de novas ideias e motivação para o trabalho


Ex. de Fluxograma - Componentes do “Vetor de Peso de um Ator”
Ex. de Fluxograma – Compreensões da Realidade por cada Ator”

Visões Explicações dinâmicas


subjetivas atuando no jogo social
Player 1 1 1

Player 2 Player 3 3
3

2 2
SIM Empoderamento
da população

Enfoque Construção de
situacional nova cidadania

Corresponsabilização
NÃO
pela promoção do
bem-estar coletivo