Sei sulla pagina 1di 15

Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

A NOVA MUSEOLOGIA
O MOVIMENTO
(1958-1972)
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

características :
 contestador, criativo, transformador;

 tornou possível ações museais mais


ajustadas às necessidades dos cidadãos, por
meio da participação;

 visa o desenvolvimento social;


Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

preocupações:
 com o papel social e pedagógico dos
museus e com sua relação com o público;

 redefinir a missão dos museus (de coletores


passivos para participantes ativos);

 interação do museu com o meio onde está


inserido;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

contexto histórico e político (final sec. XX)


Revoluções nas comunicações;
Crescente urbanização, progresso e suas conseqüências;
Aparecimento de novas formações políticas(MERCOSUL,
União Européia);
 Marginalização das minorias étnicas e de gênero;
Declínio da sociedade industrial e da consciência de
classe;
Mudanças na estrutura do mundo do trabalho;
As instituições tradicionais não são mais capazes de
incorporar as novas demandas da sociedade;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

Fim do sec. XX marca a museologia com:


surgimento dos ecomuseus;

avaliação das instituições museológicas e da Atuação do


profissional de museu;

crise de identidade institucional, na qual os museus se


confudiram com outros modelos de ação cultural;

surgimento de cursos de Museologia;

atuação de organismos nacionais (DEMU/IBRAM) e


internacionais (ICOM e UNESCO);
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

documentos considerados marcos:

 Seminário Regional da UNESCO, Rio de Janeiro – 1958;

Declaração da mesa Redonda de Santiago-Chile – 1972;

Declaração de Quebec – 1984;

Declaração de Caracas – 1992;


Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

documentos considerados marcos:


 Reiteração do museu como agencia educativa;

 Conceito de museu integral;

 Necessidade de existência de profissionais com


ideário em comum;

 Afirmação do museu enquanto canal de


comunicação;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

Seminário Regional da UNESCO (Rio de Janeiro)1958:


Simbolizou um novo paradigma para a problemática
educacional (função educativa do museu);

Declaração da Mesa Redonda de Santiago-Chile – 1972:


Museu integral: considera a totalidade dos problemas da
sociedade;
Museu enquanto ação e instrumento de mudança social;
Considerado como o referencial base do Movimento;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

Declaração da Mesa Redonda de Santiago-Chile – 1972:


A lição dos bastidores:
A escolha dos expositores:todos latinoamericanos;
A escolha dos temas: educação, meio ambiente e
urbanismo;

conseqüências:
 multiplicação de museus locais;

 a noção de museu integral, da função social do museu e


do compromisso político do museólogo é admitida
largamente;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

Declaração de Quebec – 1984;


Pretensões:
Dar continuidade às reflexões de Santiago;
Organizar “o que se sentia ser um movimento” que ocorria
simultaneamente em vários países;
Demonstrar a existência de uma nova postura
museológica;
Conquistas:
 criação do MINON, reconhecido pelo ICCOM como
afiliada;
Reconhecimento do direito á diferença nas práticas
museológicas;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

Declaração de Caracas – 1992;


necessidade de atualizar os conceitos formulados 20 anos
antes em Santiago;
É encarada como uma avaliação critica de todo o
percurso;
 reafirma o museu enquanto um canal de comunicação;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

Princípios básicos da museologia


Reconhecimento das identidades e das culturas de todos
os grupos humanos;

Utilização da memória coletiva como um referencial básico


para o entendimento e transformação da realidade;

O preservar é substituído pelo apropriar-se e reapropiar-


se;(ver texto p.10, citação Kosik);

Passagem do sujeito contemplativo para o sujeito que age


e transforma a realidade;

A arte não é a única expressão cultural do homem;


Aula 3_museologia e seu campo de atuação

Princípios da nova museologia


O objeto está a serviço o homem (o desenvolvimento das
ações museológicas considerando como ponto de partida a
prática social e não as coleções);

Tempo e espaço não se fecham entre muros e paredes;

O profissional de museu é um ser social, um ator da


mudança, um servidor da comunidade;

O visitante não é um consumidor dócil, mas um criador que


pode e deve participar da construção do futuro;

A pesquisa, a conservação, a apresentação, a animação são


funções, grupos de técnicas, mas em caso algum missões do
museu;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

Expressões chave
Museu integral: aborda a totalidade dos problemas da
sociedade. O museu que tem a ênfase no homem, sujeito
do ato de conhecer e de transformar o conhecimento e o
mundo na sua relação com o meio;

Museologia ativa: experiências com base nos referenciais


da Nova museologia: ecomuseus, museus comunitários,
museus de vizinhança;

Desenvolvimento comunitário: processo educacional nos


sentido de liberar o homem para que seja sujeitoda sua
própria história;
Aula 8_ MUSEOLOGIA DESENVOLVIMENTO E AÇÃO COMUNITARIA

Processo museológico (metodologias)


Diversidade de processos, mas apoiados nas propostas de
educação transformadora e da pesquisa-ação (ver p.14);

Participação e autogestão são princípios básicos destes


processos;

Pluridisciplinaridade e transdiciplinaridade: vários métodos e


técnicas encontram-se, interpõem-se e se complementam;