Sei sulla pagina 1di 26

Técnicas Visuais

Estratégias de Comunicação
Técnicas de comunicação visual
As técnicas visuais oferecem ao designer uma grande
variedade de meios para a expressão visual do conteúdo.

Cada artista desenvolve uma grafia pessoal.O artista,


designer, artesão ou comunicador visual está envolvido
num ponto crucial da sua tomada de decisões, num
processo extremamente complexo de seleção e rejeição.

Vamos apresentar algumas técnicas e seus opostos.


Transparência e Opacidade
A transparência envolve detalhes visuais através dos
quais se podem ver de tal modo que o que lhe fica atrás.

A opacidade é exatamente o contrário, ou seja, o bloqueio


total ou ocultamento dos elementos.
Estabilidade e Variação
A estabilidade é a técnica que expressa a
compatibilidade visual e desenvolve uma composição
temática uniforme e coerente.

A técnica da variação oferece diversidade e


sortimento seguida do mesmo tema.
Exatidão e Distorção
A exatidão é a técnica natural da câmera, é o modelo do
realismo nas artes visuais. A câmera segue os padrões do
olho, reproduzindo, conseqüentemente, muitos de seus
efeitos. A distorção adultera o realismo, procurando
controlar seus efeitos através do desvio da forma regular.
Regularidade e Irregularidade
A regularidade constitui a uniformidade dos elementos
e a ordem baseada em algum princípio. Seu oposto a
irregularidade enfatiza o inesperado e o insólito, sem
ajustar-se a nenhum plano decifrável.
Simplicidade e Complexidade
A ordem contribui para a simplicidade, uma técnica que
envolve a imediatez e a uniformidade da forma, livre de
complicações ou elaborações. A complexidade é
constituída por inúmeras unidades e forças elementares,
e resulta num difícil processo de organização.
Economia e Profusão
A presença de unidades mínimas é típica da técnica de
economia. A economia é uma organização visual
sensata em sua utilização dos elementos. A profusão é
carregada com muitos detalhes que atenuam e
embelezam através da ornamentação.
Minimização e Exagero
A minimização procura obter do observador a máxima
resposta a partir de elementos mínimos. Na verdade, é
a perfeita imagem do elemento. O exagero deve
recorrer a um relato profuso e extravagante em sua
tentativa de intensificar e amplificar.
Previsibilidade e Espontaneidade
A previsibilidade sugere alguma ordem ou plano
extremamente convencional. É preciso ser capaz de
prever de antemão como vai ser toda a mensagem
visual. A espontaneidade, por outro lado, caracteriza-se
por uma falta de aparente de planejamento. É uma
técnica saturada de emoção, impulsiva e livre.
Sutileza e Ousadia
A sutileza é uma técnica visual delicada de extremo
requinte e deve ser criteriosa para as soluções
encontradas.

A ousadia deve ser utilizada com audácia e confiança,


já que seu objetivo é conseguir o máximo de
visibilidade.
Sequencialidade e Acaso
A sequencialidade é uma ordenação pode seguir uma
fórmula qualquer, mas em geral envolve uma série de
coisas dispostas segundo um padrão rítmico. Uma técnica
casual deve sugerir uma ausência de planejamento, uma
desorganização intencional ou a apresentação acidental da
informação visual.
Agudeza e Difusão
A agudeza como técnica visual está estreitamente ligada à
clareza do estado físico e à clareza de expressão. Através
da precisão e do uso de contornos rígidos, o efeito final é
claro e fácil de interpretar. A difusão é suave, preocupa-se
menos com a precisão e mais com a criação de uma
atmosfera de sentimento e calor.
Repetição e Episodicidade
A repetição corresponde às conexões visuais ininterruptas
que segue algum padrão visual, são passos ininterruptos
que levam de um ponto a outro. As técnicas episódicas
indicam a desconexão, é uma técnica que reforça a
qualidade individual das partes do todo, sem abandonar por
completo o significado maior.