Sei sulla pagina 1di 27

Deformação Plástica

 A deformação plástica é permanente, e a resistência e a dureza são


medidas da resistência de um material;

 Em escala microscópica corresponde ao movimento líquido ou global


de um grande número de átomos em resposta à aplicação de uma
tensão;

 Durante esse processo, as ligações interatômicas devem ser rompidas


e depois formadas novamente;

 Em sólidos cristalinos, a deformação plástica envolve na maioria das


vezes o movimento de discordâncias, as quais são defeitos cristalinos
lineares;

 Escorregamento é o processo pelo qual a deformação plástica é


produzida mediante ao movimento de uma discordância. 1
Deformação Plástica

 Mecanismos para aumentar a resistência por:

 Redução no tamanho de grão;

 Solução sólida;

 Encruamento

 Mecanismos para redução da resistência por:

 Recuperação;

 Recristalização;

 Crescimento de grão.

2
Deformação Plástica

3
Deformação Plástica

4
Deformação Plástica

5
Deformação Plástica -Materiais Policristalinos

Grãos Equiaxiais

6
Deformação Plástica -Materiais Policristalinos

Grãos Equiaxiais

Grãos antes e depois da deformação plástica 7


Deformação por Maclagem

8
Deformação por Maclagem

Maclas de deformação ocorrem em metais que possuem estruturas cristalinas


CCC e HC a baixas temperaturas e a taxas elevadas de carregamento (cargas de
impacto), condições segundo as quais o processo de escorregamento está
restrito; isto é, existem poucos sistemais de escorregamento que podem ser
9
operacionalizados.
Mecanismos de Aumento de
Resistência dos Metais
 Altas resistências sacrifica a ductilidade e a tenacidade;

 A seleção de ligas depende da capacidade de um material de ser


adaptado às características mecânicas exigidas para uma aplicação
específica;

 A deformação plástica macroscópica corresponde ao movimento de


grandes números de discordâncias, a habilidade de um metal para se
deformar plasticamente depende da habilidade das discordâncias para
se moverem;

 Restringir ou impedir o movimento de discordâncias confere maior


dureza e mais resistência a um material.

10
Redução no tamanho de grão

O tamanho dos grãos, ou diâmetro médio do grão, em um metal


policristalino influencia as suas propriedades mecânicas;
A redução no tamanho do grão aumenta a resistência e também a
tenacidade de muitas ligas;
Um material com granulação fina (um que possui grãos pequenos) é
mais duro e mais resistente do que um material que possui granulação
grosseira, uma vez que o primeiro possui uma maior área total de
contornos de grãos para dificultar o movimento das discordâncias;
Para muitos materiais o limite de escoamento se varia de acordo com
o tamanho do grão, onde s0 e Ke são constantes:

11
Redução no tamanho de grão

12
Redução no tamanho de grão

13
Aumenta da resistência por solução sólida

14
Liga de Níquel-Cobre
Aumenta da resistência por solução sólida

15
Aumenta da resistência por solução sólida

16
Encruamento

17
Encruamento

18
Encruamento

19
Endurecimento

20
Recristalização

a) Estrutura de grãos submaquecimentoor 3s etidos ao trabalho a frio (33%TF) b) Estágio inicial de recristalização 21
após aquecimento por 3s a 5800C. Os grãos muito pequenos são aqueles que foram recristalizados.
Recristalização

c) Substituição parcial de grãos trabalhados a frio por grãos recristalizados (4s a 5800C). 22
d) Recristalização completa (8s a 5800C)
Recristalização

e) Crescimento de grãos após 15 min a 5800C. 23


d) Crescimento de grão após10 min a 7000C.
Recristalização

24
Recristalização

25
Recristalização

26
Cresicmento de grão

27