Sei sulla pagina 1di 36

METODOLOGIA E TÉCNICAS DE

CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS

PONTO I

TÉCNICAS DE ANÁLISE DE
CONJUNTURA
A importância da conjuntura para a
construção dos cenários
Tópicos de discussão
• Introdução

• O que é conjuntura?

• O que é análise de conjuntura?

• A importância da conjuntura para a construção de


cenários

• Categorias para análise de conjuntura

• Guia prático para fazer análise de conjuntura


Introdução

• Não basta apenas estar com a leitura dos


jornais em dia para entender o que está
ocorrendo.

• No volume de informações que é veiculado


todos os dias é necessário identificar os
ingredientes, os atores, os interesses em
jogo.

• Fazer isso é fazer análise de conjuntura.


Introdução

• A todo momento, sabendo ou não, fazemos


“análises” de conjuntura em relação às mais
variadas situações de nosso dia a dia, em
função das quais tomamos nossas decisões:

– para sair de casa (o tempo, o trânsito, o ambiente);


– para escolher uma carreira ou profissão (mercado
de trabalho, satisfação pessoal, aptidões);
– para aceitar ou sair de um emprego;
– para casar;
– para disputar uma eleição.
Introdução

Tomamos nossas decisões


baseados em uma avaliação
da situação vista sob a
ótica do nosso interesse ou
necessidade.
Introdução
• Nessas decisões levamos em conta:

– as informações que temos


– buscamos nos informar
– avaliamos as possibilidades
– fazemos hipóteses do desenvolvimento dos fatos
– das reações possíveis das pessoas ou dos grupos
– medimos a “força” ou o perigo de nossos eventuais
“inimigos”

• A partir desse conjunto de informações e


avaliações tomamos nossas decisões
O que é conjuntura?

• Combinação ou concorrência de
acontecimentos ou circunstâncias num dado
momento.

• Conjunção de elementos de que depende,


num dado momento, a situação política,
econômica, social, etc. dum país ou de um
grupo de países ou de uma região.

• Uma configuração dada, definida num tempo


curto.
O que é análise de conjuntura?

• A análise de conjuntura é uma mistura de


conhecimento e descoberta, é uma leitura
especial da realidade e que se faz sempre em
função de alguma necessidade ou interesse.

• Não há análise de conjuntura neutra,


desinteressada: ela pode ser objetiva mas
estará sempre relacionada a uma
determinada visão do sentido e do rumo dos
acontecimentos.
O que é análise de conjuntura?
• A análise de conjuntura é não somente
parte da política como é si mesma um
ato político.

• Faz análise política quem faz política,


mesmo sem saber.

• Exemplo: quando um analista de RI vai a


um programa de TV analisar as eleições
americanas ele omite opiniões que
podem influir a opinião pública sobre tal
ou qual candidato.
O que é análise de conjuntura?

• Análise de conjuntura é uma tarefa


complexa, difícil e que exige não somente
um conhecimento detalhado de todos os
elementos julgados importantes e
disponíveis de uma situação determinada,
como exige capacidade de perceber,
compreender, descobrir sentidos, relações,
tendências a partir dos dados e das
informações.
Categorias para análise de conjuntura
• Para fazer análise de conjuntura são
necessárias algumas ferramentas próprias
para isso.

– São necessárias definir algumas categorias de


análise.

– É preciso ter um método de análise


Categorias para análise de conjuntura
• Acontecimentos

• Palco dos acontencimentos

• Atores

• Relação de forças

• Articulação (relação) entre “estrutura” e


“conjuntura”.

• Outras indicações que se deve levar em


conta na análise de conjuntura
Acontecimentos

• Fato x Acontecimento

• Na vida real acontecem milhares de fatos


todos os dias em todas as partes mas
somente alguns desses fatos são
considerados como acontecimentos.

• Acontecimentos são fatos que adquirem um


sentido especial para um país, uma classe
social, um grupo social ou uma pessoa.
Acontecimentos
• Existem ocorrência que se constituem em
“acontecimentos”, tais como greves gerais,
eleições presidenciais, guerras, catástrofes,
descobertas científicas de grande alcance.

• Essas ocorrências por sua dimensão e seus


efeitos afetam o destino e a vida de milhões
de pessoas, da sociedade em seu conjunto.

– Exemplo: O fracasso da Rodada de Doha pode


ser considerado um “acontecimento” dadas as
repercussões futuras que terá nas relações
internacionais de comércio nos próximos anos.
Acontecimentos
• Na análise de conjuntura o importante é
analisar os acontecimentos, sabendo
distinguir fato de acontecimento e, depois,
distinguir os acontecimentos segundo sua
ordem de importância.

• Essa importância e peso são sempre


relativos e dependem da ótica de quem
analisa a conjuntura, pois ela pode ser ótima
para uns e péssima para outros.

• Identificar os principais acontecimentos num


determinado momento, ou período de tempo,
é um passo fundamental para se caracterizar
e analisar uma conjuntura.
Palco dos acontecimentos

• As ações da trama social e política se


desenvolvem em determinados espaços que
podem ser considerados como o palco dos
acontecimentos.

• O palco de um conflito pode se deslocar de


acordo com o desenvolvimento da luta:
passar das ruas e praças para o parlamento,
daí para os gabinetes ministeriais e daí para
os bastidores.
Palco dos acontecimentos

• O palco dos acontecimentos influenciam o


desenvolvido das lutas sociais; a simples
mudança de palco já é uma indicação
importante de uma mudança no processo.

• A capacidade de definir o palco dos


acontecimentos onde as lutas vão se dar é
um fator de vantagem importante.
Atores
• O ator é alguém que representa, que encarna
um papel dentro de um enredo, de uma trama
de relações.

• Um determinado indivíduo é um ator social


quando ele representa algo para a sociedade
(para o grupo, a classe, o país), encarna uma
idéia, uma reivindicação, um projeto, uma
promessa, uma denúncia.

• Uma classe social, uma categoria social, um


grupo social, um país ou grupo de países
podem ser atores sociais.

• Instituições também podem ser atores sociais


Relações de Forças
• As classes sociais, os grupos de pessoas,
empresas, países, enfim, os diferentes grupos
sociais estão em relação uns com os outros.

• Essas relações podem ser de confronto, de


coexistência, de cooperação e estão sempre
revelando uma relação de força, de domínio,
igualdade ou de subordinação.

• Avaliar essa relação de forças é decisivo se se


quer tirar conseqüências práticas da análise de
conjuntura.
Relação entre “estrutura” e “conjuntura”.

• Estrutura é o conjunto de elementos estáveis


que presidem a organização da sociedade, da
economia e da política, que lhe dão uma forma,
uma ordem e uma estabilidade.

• Os acontecimentos, a ação desenvolvida pelos


atores sociais, gerando uma situação,
definindo uma conjuntura, não se dão no
vazio; eles se relacionam com a história, com o
passado, com relações sociais, econômicas e
políticas estabelecidas ao longo de um
processo mais longo.
Outras indicações que se deve levar em conta
na análise de conjuntura

• Perceber o conjunto de forças e problemas que estão


por detrás dos acontecimentos; para se extrair o
“sentido” dos acontecimentos é preciso compreender
seu pano de fundo, que nem sempre está claro.

• Tão importante quando entender o que já está


acontecendo é estar atendo aos sinais dos fenômenos
novos que começam a se manifestar.

• É importante buscar o “fio condutor” dos


acontecimentos. É fundamental pesquisar o
encadeamento, a lógica, as articulações, os sentidos
comuns dos acontecimentos.
Outras indicações que se deve levar em
conta na análise de conjuntura
• Existem duas leituras possíveis dos acontecimentos ou dois
modos de ler a conjuntura:

– A partir da situação ou do ponto de vista do poder dominante (a


lógica do poder).
– A partir do ponto de vista dos movimentos populares, das classes
subordinadas, da oposição ao poder dominante.

• De modo geral as análises de conjunturas são conservadoras: sua


finalidade é reordenar os elementos da realidade, da situação
dominante, para manter o funcionamento do sistema (correção de
rota).

• Partir do ponto de vista de quem questiona o status quo não é


“inventar” situações, acontecimentos e correlações de força que
satisfaçam a imaginação de analistas interessados, mas percebe-
los a partir da ótica dos interesses das classes subordinadas,
dado que toda análise de conjuntura só adquire sentido quando é
usada como um elemento de transformação da realidade.
Outras indicações que se deve levar em
conta na análise de conjuntura
• A análise de conjuntura de modo geral é uma
análise interessada em produzir um tipo de
intervenção política; é um elemento
fundamental na organização da política, na
definição de estratégias e táticas das diversas
forças sociais em luta.

• Uma na análise de conjuntura é


a percepção da complexidade e da dificuldade
em determinar relações de causalidade de tipo
unilinear, simples. Existe um elemento
constante de imprevisibilidade em relação à
ação política.
Guia prático para fazer análise de
conjuntura
• 1º passo: identificar fatos e acontecimentos

– A partir da leitura diária dos jornais e revistas (impressos ou


eletrônicos) captar as notícias relacionadas com o tema em
estudo que se tornaram manchete na imprensa (recortar ou
imprimir).

– Ler atentamente as matérias procurando identificar:


• Os fatos mais importantes (nem sempre o título da matéria revela
o fato mais relevante; é preciso “ler nas entrelinhas”).
• Os principais atores em questão (países, governos, instituições,
pessoas).

– Ordenar os fatos por ordem de importância, distinguindo


“fatos” de “acontecimentos”, registrando-os na planilha 1.

– Arquivar o material original em uma pasta temporária, para


eventuais consultas posteriores.
Guia prático para fazer análise de
conjuntura
Planilha 1 – Tema ....................................
Dia D1 D2 D3 D4 D5 D6 D7
Fato
01
02
03
04
05
Guia prático para fazer análise de
conjuntura
• 2º passo: relacionar fatos e acontecimentos

– Na medida em que a planilha for sendo preenchida, verificar se há


correlação de causalidade entre os fatos e registrar tais correlaçoes
por meio de setas. Nas análises sociais, a grande dificuldade é
identificar corretamente a relação e a correlação entre causa e efeito.
Como distinguir corretamente o que é causa e o que efeito de
determinadas conjunturas e estruturas socais.

– Exemplo:

• Num caso hipotético onde o objeto de estudo é a China, registra-se no D1


que houve eleições em Taiwan que foram vencidas por um partido
nacionalista pró-China.
• No D2 registra-se que houve manifestações separatistas no Tibet.
• No D3 registra-se que a China quer fazer dos Jogos de Pequim a vitrine da
China moderna.
• No D4 registra-se que o Congresso dos EUA quer aprovar uma tarifa de
importação sobre os produtos chineses para compensar uma taxa de
câmbio supostamente desvalorizada.

• Estes fatos podem estar correlacionados, ou não.


Guia prático para fazer análise de
conjuntura
Planilha 1 – Tema ....................................
Dia D1 D2 D3 D4 D5 D6 D7
Fato
nonon nonon nonon
01
nonon
02
onon nonon
03
nonon
04
05
Guia prático para fazer análise de
conjuntura

• 3º passo: relacionar conjuntura e estrutura

– Na medida em a conjuntura for sendo identificada, é


necessário que o cenarista tenha bem claro a distinção entre
conjuntura e estrutura de forma a:

• Perceber o conjunto de forças e problemas que estão por trás dos


acontecimentos de modo a identificar o “sentido” dos
acontecimentos e o pano de fundo no qual se desenrola
determinada ação.

– No caso do exemplo anterior, o pano de fundo pode a preocupação


dos Estados Unidos e demais potencias do Ocidente com a ascensão
econômica da China e com a possibilidade da China vir a dominar o
cenário econômico mundial, desafiando a hegemonia americana.
Guia prático para fazer análise de
conjuntura
• 4º passo: identificar os palcos dos acontecimentos

– É preciso olhar os palcos dos acontecimentos: espaços


sociais, lugares, onde estão ocorrendo os acontecimentos: se
é no Congresso, no Executivo, na sociedade civil; se é numa
cidade, região, no país como um todo, ou na esfera
internacional

• O palco dos dos acontecimentos podem se alterar rapidamente


alterando completamente o sentido e o rumo dos acontecimentos.
• Exemplos:

– Uma operação da política federal desencadeada supostamente para


investigar ações ilícitas de um empresário transformou-se num
evento político nacional pondo em confronto os poderes legislativo,
executivo e judiciário.

– As manifestações pró independência do Tibet ganharam uma nova


dimensão internacional com as Olimpíadas de Pequim.
Guia prático para fazer análise de
conjuntura

• 5º passo: identificar os atores

– É preciso identificar corretamente os agentes sociais, políticos


e econômicos que estão agindo e interagindo. Quem são esses
agentes? São pessoas individuais, grupos organizados,
movimentos sociais, partidos políticos, sindicatos, os meios
de comunicação, grupos econômicos nacionais,
internacionais, países, blocos de países?

– A identificação correta das forças que estão por trás dos fatos
e acontecimentos é um elemento fundamental na análise de
conjuntura, pois a partir dessa identificação podemos
identificar corretamente o “sentido” dos acontecimentos.
Guia prático para fazer análise de
conjuntura

• 6º passo: identificar a correlação de forças

– A correta avaliação da correlação de forças é decisiva para se tirar


conseqüências práticas da análise de conjuntura.

– No caso específico da construção de cenários prospectivos é preciso


estar atento para fatos, acontecimentos e novos atores, que mesmo
estando numa situação de pouca evidência no momento da análise,
podem representar “fatos portadores de futuro” que são elementos
fundamentais para a construção de cenários.

– Exemplo: pelos dados atuais, o uso da biomassa com alternativa


energética ao petróleo, tem uma importância quase insignificante;
isso não quer dizer, entretanto, que dentro de dez ou vinte anos essa
correlação não se altere e a biomassa se torna numa alternativa de
peso para a geração de energia.
Guia prático para fazer análise de
conjuntura

• 7º passo: identificar os “fatos portadores de


futuro”

– A análise de conjuntura é sempre realizada com algum


propósito. Usualmente, seu propósito é o de orientar a ação
política prática, seja num sentido conversador (correções de
rota), seja num sentido transformador (definir um nova rota).

– No caso específico deste curso nosso propósito é o projetar


cenários futuros. Nesse sentido, a análise de conjuntura
deverá permitir:
A análise da conjuntura atual deverá permitir:
• i) a identificação da situação no momento inicial do estudo

• ii) a visão clara das principais variáveis e dos indicadores

• iii) a identificação dos atores e a compreensão de seus


respectivos papéis

• iv) a tabulação das principais informações

• v) a identificação de rupturas

• vi) a identificação de fatos portadores de futuro

• vii) o refinamento dos limites da dimensão em estudo


Guia prático para fazer análise de
conjuntura

• 7º passo: identificar os “fatos portadores de


futuro”

– No caso específico deste curso a identificação dos “fatos


portadores de futuro” é a questão mais importante, pois será a
partir desses fatos que os cenaristas definirão os eventos e
formularão as questões a serem submetidas ao painel de
especialistas com o propósito de definir os cenários
prospectivos.

– A identificação incompleta ou deficiente dos “fatos portadores


de futuro” levará à construção de cenários equivocados e
irrelevantes do ponto de vista da definição de estratégias.
Guia prático para fazer análise de
conjuntura

• Bibliografia:

• SOUZA, H. J. (Betinho). Como se faz análise de


conjuntura. 26ª ed. Petrópolis: Editora Vozes,
2005.