Sei sulla pagina 1di 16

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS – ICH


FACULDADE DE GEOGRAFIA – FGEO
EDUCAÇÃO ESPECIAL

Marabá, Fev. de 2018


Apresentação do grupo
• Ordem de apresentação
 Gutemberg Reis – Apresentação do Autismo
Emmanoel Nascimento – Caracteristicas do autismo
Lourivan
Marcos Reinan
Sara Bruna
Diêmison Ladislau
O que é Autismo

• O Autismo, também conhecido como Transtornos do Espectro Autista (TEA),


são transtornos que causam problemas no desenvolvimento da linguagem,
nos processos de comunicação, na interação e comportamento social da
criança. Atualmente, estima-se que 70 milhões de pessoas no mundo todo
possuem algum tipo de autismo, segundo a Organização Mundial da Saúde
(OMS). Com relação ao Brasil, esse número passa para 2 milhões. Uma
pesquisa atual realizada neste ano do Centro de Controle e Prevenção de
Doenças (CDC) diz que o autismo atinge ambos os sexos e todas as etnias,
porém o número de ocorrências é maior entre o sexo masculino (cerca de 4,5
vezes), (minutosaudavel,2018).
Características

 Transtorno de desenvolvimento grave que prejudica a capacidade de se comunicar e interagir.

 Atinge mais de 2 milhões de brasileiros

 interesses obsessivos e comportamentos repetitivos.

 O tratamento pode ajudar, mas essa doença não tem cura

 Requer um diagnóstico médico

 Raramente requer exames laboratoriais ou de imagem

 Dia 2 de abril é o dia Mundial da conscientização do autismo


IMPLICAÇÕES NO ENSINO APRENDIZAGEM DO ALUNO AUTISTA

DESENVOLVIMENTO LENTO

O nível de desenvolvimento da aprendizagem do autista geralmente é lento e gradativo, portanto, caberá


ao professor adequar o seu sistema de comunicação a cada aluno. O professor tem a responsabilidade a
dar atenção especial e sensibilização dos alunos e dos envolvidos para saberem quem são e como se
comportam esses alunos autistas.

DIFICULDADES EM UTILIZAR CORRETAMENTE AS PALAVRAS

Segundo GAUDERER (1987), as crianças com autismo, em geral, apresentam dificuldade em aprender a
utilizar corretamente as palavras, mas quando participam de um programa intenso de aulas parecem
ocorrer mudanças positivas nas habilidades de linguagem, motoras, interação social e a aprendizagem.
É preciso atender prontamente toda vez que a criança autista solicitar e tentar o diálogo, a interação é
essencial para esse convívio escolar.

O conteúdo do programa de uma criança autista deve


estar de acordo com seu potencial, de acordo com sua
idade e de acordo com o seu interesse. Se a criança
estiver executando uma atividade nova de maneira
inadequada, é importante a intervenção rápida do
professor, mesmo que para isso seja necessário segurar
a mão da criança ou até mesmo dizer-lhe a resposta.
(PEETERS, 1998 s/pág)
INCLUSÃO

Nos dias atuais é muito difícil abordar o tema inclusão do aluno com autismo, pois incluir é inserir o
aluno em um contexto diferentemente do que está, por que esse aluno apresenta comportamentos
estereotipados (movimentos repetitivos) tornando-se bizarros e diferentes diante da sociedade que
despertam em si o temor e a desconfiança dos mesmos.

DESAFIO DO PROFESSOR
Educar uma criança autista é uma experiência que leva o professor a rever questionar suas idéias
sobre desenvolvimento, educação normalidade e competência profissional. Torna-se um desafio
descrever um impacto dos primeiros contatos entre este professor e estas crianças tão
desconhecidas e na maioria das vezes imprevisíveis (BEREOHFF, 1991 s/pág).
Estratégias Pedagógicas para autistas
INTERVENÇÕES EDUCACIONAIS
 Uma vez diagnosticado o autismo em crianças, estas devem ser
submetidas a uma intervenção educacional rapidamente.
• Os tipos mais usuais são:
I. TEACCH: Tratamento e Educação para crianças autistas e com
distúrbios correlatos da comunicação;
II. ABA: Análise Aplicada do Comportamento;
III. PECS: Sistema de Comunicação através da troca de figuras.
TEACCH: Tratamento e Educação para Crianças
autistas e com distúrbio correlatos de
comunicação
• Método desenvolvido da década de 60 pelo Departamento de
Psiquiatria da Universidade da Carolina do Norte, EUA.
• O Método TEACCH utiliza uma avaliação chamada PEP-R (Perfil
Psicoeducativo Revisado) para avaliar a criança e determinar seus
pontos fortes e de maior interesse, e suas dificuldades, e, a partir
desses pontos, montar um programa individualizado.
• TEACCH visa o desenvolvimento da independência
do aluno de forma que ele precise do professor para o aprendizado
de atividades novas, mas possibilitando-lhe ocupar grande parte de
seu tempo de forma independente.
ABA: Análise Aplicada do Comportamento
• O tratamento comportamental analítico do autismo visa ensinar `a
criança habilidades que ela não possui, atraves da introduçãao destas
habilidades por etapas. Cada habilidade é ensinada, em geral, em
esquema individual, inicialmente apresentando-a associada a uma
indicação ou instrução. Quando necessário, é oferecido algum apoio
que deverá ser retirado tão logo seja possível, para não tornar a
criança dependente dele. O primeiro ponto importante é tornar o
aprendizado agradável para a criança. O segundo ponto é ensinar a
criança a identificar os diferentes estímulos.
PECS: Sistema de Comunicação através da
troca de figuras
• O PECS foi desenvolvido para ajudar
crianc¸as e adultos autistas e com outros
distúrbios de desenvolvimento a adquirir
habilidades de comunicação. O sistema é
utilizado primeiramente com indivíduos
que não se comunicam ou que possuem
comunicação, mas a utilizam com baixa
eficiência. O PECS visa ajudar a criança a
perceber que através da comunicação ela
pode conseguir muito mais rapidamente
as coisas que deseja, estimulando-se assim
a comunicar-se.
A Aventura da Caça ao Tesouro
Interesses:
Suspense, comédia pastelão, encontrar objetos escondidos, tesouros,
personagens favoritos da criança (por exemplo, a turma do Peter Pan).

Metas principais:
Participação física em jogo simbólico.
Flexibilidade – participação em jogo com diversas etapas, estrutura complexa e um conjunto de regras.
Desenvolver período de atenção compartilhada de 20 minutos ou mais.
Solução de problemas.
Comunicação verbal.

Preparação da atividade:
Confeccione um mapa do tesouro. O mapa consiste no tracejado de um caminho que passa por cerca de 5
ou 6 lugares imaginários antes de se chegar ao esconderijo do tesouro. Cada lugar tem um nome e uma
figura pictórica representativa. Numere os lugares de acordo com a sequência a ser seguida no mapa. Por
exemplo, o trajeto do mapa tem o início no lugar 1, que é casa da Wendy. O lugar 2 pode ser a árvore oca
onde os meninos perdidos moram, o lugar 3 a aldeia dos índios, o lugar 4 o barco do Capitão Gancho, o
lugar 5 a parte do mar onde mora o crocodilo Tique-Taque, e o lugar 6 a gruta do tesouro.
Confeccione também, antes da sessão, 6 pistas escritas em tiras de papel ou em cartões.