Sei sulla pagina 1di 8

Sermão de Santo

António
aos Peixes - Trabalho de
apresentação oral
Trabalho realizado por:
Daniela Mendes nº2 e
Tomás Soeiro nº13
11º1C
Peixe-aranha
O peixe-aranha é uma espécie de peixe venenoso. Possui
espinhos venenosos nas suas barbatanas dorsais e nas
brânquias. Possui pequenas dimensões e uma cor acastanhada
e acinzentada. Este peixe tem uma camuflagem quase perfeita,
imitando a areia (por mimetismo), fazendo com que a sua
presença seja muito difícil de detetar.

Ao contrário de outros peixes-ósseos, o peixe-aranha não


possui uma bexiga natatória. Como tal, ele afunda-se se parar
de nadar ativamente.
Peixe-aranha
Após enterrar-se, fica com os olhos e os espinhos
expostos. É encontrado especialmente em zonas de
águas pouco profundas. Assim, é mais comum entrar em
contacto com banhistas. A maior parte dos ferimentos
provocados por este peixe localizam-se nos pés.

Este peixe apresenta grande vitalidade, permanecendo


vivo muitas horas após serem retirados da água, mesmo
depois de mortos, a sua picada permanece venenosa
por muito tempo.
Sermão
Agora, peixes, vos apresento um dos mais imunes entre vós: a ele se referiam como Peixe-aranha,
aquele que fora vezes e vezes tentado pelo Demónio, mas a todas as suas artimanhas resistira. Este é,
com certeza, o peixe mais firme na fé, buscando nela o refúgio contra qualquer uma das tentações que
se viam no seu caminho.

Passava, contudo, despercebido por entre todos, pelas suas cores que, tal como a areia, desviam as
atenções de todo o seu parecer. Pequeno no seu tamanho, mas grande na sua fé; os seus espinhos,
venenosos e cortantes, repeliam todos os ataques que o inimigo lhe aprontava, afugentando-o.

Lembrai-vos, também que o grande e sábio Pregador, tal como este Peixe-aranha, deixou o seu traço nos
pensamentos que cultivou, estes que, ainda hoje, são pronunciados como sal que acarreta a palavra
Divina. Sal este capaz de conservar o verdadeiro fado que o Criador guarda para vós.
Sermão
Está escrito nas sagradas páginas «Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E
Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando
forem tentados, ele mesmo providenciará um escape, para que o possam suportar.» [Co. 1.10-13].

Essas pontas, obra divina, vos protegem das mãos do abismo. Abismo este, que vos leva com ele para o
desespero e vazio da felicidade terrena. Deixam-se, vocês, naufragar no vastíssimo mar da falsa
existência humana?

Oh! Mas como andarão, vós, irmãos, nessa vossa vida sempre à beira do abismo? Não percebeis que
tudo à vossa volta tomba em vós?! E, então, não mostrais, vós, resistência ao que vos quer diminuir?
Ouçam prudentemente aquilo que vos falo: ganhai os vossos escudos, tão fortalecidos, como os
daqueles que por Ele lutaram, para que deixem de ser pequenos.
Sermão
Agora, peixes, vos apresento um dos mais imunes entre vós: a ele se referiam como Peixe-aranha,
aquele que fora vezes e vezes tentado pelo Demónio, mas a todas as suas artimanhas resistira. Este é,
com certeza, o peixe mais firme na fé, buscando nela o refúgio contra qualquer uma das tentações que
se viam no seu caminho.

Passava, contudo, despercebido por entre todos, pelas suas cores que, tal como a areia, desviam as
atenções de todo o seu parecer. Pequeno no seu tamanho, mas grande na sua fé; os seus espinhos,
venenosos e cortantes, repelem todos os ataques que o inimigo lhe apronta, afugentando-o.

Lembrai-vos, também que o grande e sábio Pregador, tal como este Peixe-aranha, deixou o seu traço
nos pensamentos que cultivou, estes que, ainda hoje, são pronunciados como sal que acarreta a palavra
Divina. Sal este capaz de conservar o verdadeiro fado que o Criador guarda para vós.
Sermão
Está escrito nas sagradas páginas «Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E
Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando
forem tentados, ele mesmo providenciará um escape, para que o possam suportar.» [Co. 1.10-13].

Essas pontas, obra divina, vos protegem das mãos do abismo. Abismo este, que vos leva com ele para o
desespero e vazio da felicidade terrena. Deixam-se, vocês, naufragar no vastíssimo mar da falsa
existência humana?

Oh! Mas como andarão, vós, irmãos, nessa vossa vida sempre à beira do abismo? Não percebeis que
tudo à vossa volta tomba em vós?! E, então, não mostrais, vós, resistência ao que vos quer diminuir?
Ouçam prudentemente aquilo que vos falo: ganhai os vossos escudos, tão fortalecidos, como os
daqueles que por Ele lutaram, para que deixem de ser pequenos.
Fontes bibliográficas
http://www.fciencias.com/2016/10/28/peixe-aranha-comum-vida-destaque/

http://mentesirrequietas.blogspot.pt/2012/08/peixe-aranha-camuflado-e-venenoso.html

http://safeplace52.blogspot.pt/2013/06/peixe-aranha-o-terror-dos-mares-do-sul.html