Sei sulla pagina 1di 15

Com este trabalho pretendemos mostrar alguns vestígios romanos

em Portugal. Alguns destes vestígios são designados por castros,


antigas vilas, aldeias do povo romano.
Na margem esquerda do Rio Leça, no
Monte Castelo, localiza-se o Castro de
Guifões. Este antiquíssimo povoado,
seguramente com origem no Iº milénio
a.C., objecto de breves intervenções
arqueológicas nos finais do séc. XIX e em
meados do séc. XX possui inúmeras
estruturas enterradas.
Devido à sua localização próxima do mar, numa elevação de
grande importância estratégica sobre o antigo estuário do Leça terá
sido um povoado vocacionado para a exploração de recursos
litorais e, de uma forma muito privilegiada, para a actividade
comercial.
Situa-se em Oldrões, no concelho de Penafiel, na região Norte do País.

Localizado num outeiro destacado de suave declive, sobranceiro à ribeira de

Camba, afluente do rio Sousa, constituiu um importante ponto estratégico de

defesa e observação do território.

O castro seria fortificado com três


linhas de muralhas e uma área habitada
de cerca de 22 hectares, tendo sofrido
várias reformulações, observáveis nos
diversificados tipos de construção.
O Monte Padrão, situado na freguesia de Monte Córdova, concelho de Santo Tirso, é
um dos grandes castros do Entre Douro e Minho.

Das três linhas de muralhas originais, de que


temos conhecimento apenas por indícios, resta
apenas um troço da primeira cerca. As
fortificações eram construídas com silhares
assentes em seco, em aparelho poligonal, com
dois paramentos preenchidos com pedra miúda.
Situa-se no lugar de são miguel-o-anjo, num morro sobranceiro ao vale do rio
Pelhe. Freguesia de calendário, concelho de vila nova de Famalicão, distrito de
braga.

Este povoado, de fundação proto-histórica, permaneceu ocupado,


possivelmente com intercepções ate à idade média, período em que terá existido
no local um castelo, do qual não restam vestígios.
Situa-se a cerca de 6 km nordeste da povoa de varzim,freguesia de terroso,
concelho de povoa de varzim,distrito do porto.

Algumas casas dispoem de um


vestibulo situado do lado exterior e
destinado a proteger a entrada da
habitaçao.
Castro da Marruça

Castro/castelo de Picões

Castro da Cabreira

Castro da Gouveia

Castro de Santa Justa

Castro do Curral da Cerca


Situa-se na freguesia de Ferradosa

Povoado fortificado de pequena dimensão, de provável construção e ocupação


alti-medieval, defendido por uma linha de muralha em alvenaria de xisto, de planta
ovalada, implantado num estreito esporão rochoso. Não foi encontrado espólio à
superfície. No interior da cerca defensiva subsiste uma cisterna escavada na rocha.
Situa-se na freguesia de Gouveia

Povoado fortificado, defendido por duas cinturas de muralhas hoje muito


danificadas, com origem provável na Idade do Ferro e possível reocupação na Alta
Idade Média. O aparelho é constituído por blocos de xisto sumariamente aparelhados
e pedra miúda não aparelhada.
Resta um talude formado por terra
e grande acumulação de pedra.
Situa-se na freguesia de Gouveia

Povoado fortificado, defendido por uma cintura de muralhas de xisto não


afeiçoado, com origem provável na Idade do Ferro e possível reocupação na Alta
Idade Média.
Situa-se na freguesia de Gouveia

Povoado fortificado com origem provável na Idade do Ferro e possível reocupação


na Alta Idade Média, defendido por uma cintura de muralhas em xisto não afeiçoado.
Situa-se na freguesia de Vilarelhos

Povoado fortificado da Idade do Ferro, ocupado posteriormente pelos Romanos, do


qual restam apenas vestígios de um templo e uma necrópole de sepulturas do
período alti-medieval. Do conjunto faz parte ainda uma capela mais recente, com
remodelações ou reedificação no início de novecentos.
http://www.bragancanet.pt/patrimonio/afandegaoutros.htm#Castelo

Livros: “ALFANDEGA DA FÉ registos de um percurso histórico” e


“PORTUGAL património” de Álvaro Duarte de Almeida e Duarte Belo

Google