Sei sulla pagina 1di 17

Apresentação

Oficina Zine 1

Você já deve ter visto algum dia um filme muito bom, tão legal que você ficou morrendo de vontade de contar para todos os seus amigos como era esse filme: os personagens, a história, a trilha, o momento mais emocionante/instigante etc.; você queria contar tudo. Essa vontade incontrolável de compartilhar o que você viu, leu ou ouviu surge porque você quer que eles, os seus amigos, dividam a mesma sensação ou a mesma emoção que você sentiu ao ver um filme, ler um livro ou ouvir uma música. Isso é absolutamente normal. Acontece comigo, com você, com seus colegas; com todo mundo. Eu, por exemplo, quando escuto uma música que acho o máximo, morro de vontade de mostrá-la para todo mundo; quero que todo mundo a ouça; fico querendo compartilhar com meus amigos as experiências que eu tive ao escutá-la: “olha esse baixo!”, “essa percussão é demais!!”, “presta atenção no que ele diz nesse trecho” etc. Existe uma forma muito criativa e inovadora de compartilhar com as pessoas essas nossas experiências: produzir um fanzine. Durante essa oficina, você, seus colegas e seu professor irão adentrar nesse universo dos fanzines.

O Autor.

1 Oficina escrita por Eduardo de Moura Almeida com a colaboração de Jacqueline Peixoto Barbosa.

Para que vocês possam conhecer mais o universo dos fanzines, a proposta é que realizem as seguintes atividades:

I. Conhecendo o Fanzine

Atividade 1. Quem escreve Fanzine? Por quê? E para quem?

Atividade 2. E eu, sou fã do que mesmo?

II. . Do que é feito um Fanzine?

Atividade 3. Do que falam os Fanzines? Do que eu falaria no meu Fanzine?

Atividade 4. O que os Zineiros escrevem?

III. . Como fazer um Fanzine?

Atividade 5. Como é que se faz um Fanzine? É fácil?

a)

Como assim

?

O que é diagramação?

b)

E um “boneco”, o que é isso? É de brincar?

IV.

Produzindo um Fanzine, finalmente!

Atividade 6. Como é mesmo? Nós editores teremos que

Atividade 7. Mãos à obra!

V. Auto-avaliação. Eu sou o meu crítico mais severo.

Atividade 8. Será que fizemos um Fanzine legal?

VI. Avaliando os fanzines produzidos

Atividade 9. Eu sou o crítico dos fanzines de meus colegas

Atividade 10. Por fim, eu sou o crítico da oficina

I. Conhecendo o Fanzine.

Atividade 1. Quem escreve Fanzine? Por quê? E para quem?

Fanzine, ou zine para os íntimos, é um tipo de publicação bem parecido com um jornal ou com uma revista. No entanto, existe algo de único nessa publicação: Zine é, digamos assim, um estilo de vida. Fazer um fanzine é como andar de skate, “curtir um som”, ter uma banda ou fazer poesia. Quem publica um fanzine tem atitude: quer mexer, provocar e incomodar. Um zineiro tem prazer em publicar seus desenhos, seus textos e suas ilustrações; desta forma ele dá vida a sua imaginação, a sua criatividade e, principalmente, ao seu universo particular:

fanzine é um espaço único de divulgação, de comunicação, de posicionamento e de compartilhamento. Por meio dessas publicações, é possível conhecer pessoas; cria-se um veículo de comunicação entre um grupo que não tem espaço na mídia oficial. Portanto, o fanzine não deve ser confundido com um jornal ou uma revista: a arte de um fanzine é provocadora e irreverente. Não existe certo ou errado em um fanzine. Vale tudo: colagem, desenho, fotografia, ilustração digital etc.

1. Veja uma página de fanzine e tente identificar o que o autor usou: colagem, desenho, computador

digital etc. 1 . Veja uma página de fanzine e tente identificar o que o autor

2. Explore os elementos da página:

Quais são as referências culturais externas (símbolos, dizeres que circulam em outros contextos etc.) presentes?

O

que a exclamação representa?

O

lugar da colagem do “urgente, declarações” diz alguma coisa?

_

3. Procure localizar ness a página de fanzine algumas das características desse tipo de publicação mencionadas.

_

4. Caso algum colega seu já tenha feito um fanzine ou tenha costume de ler fanzines ele poderá acrescentar alguma s informações sobre esse tipo de publicação. Registre aqui a contribuição do seu colega:

_

A

tividade 2. E eu, sou fã do que mesmo?

Como já foi dito, quem escreve um fanzine quer participar, agir e criar dentro de uma comunidade ou de um grupo sem espaço de comunicação e de divulgação na mídia oficial. E você, gostaria de falar sobre o quê? Existem muitos as suntos que um fanzine pode abordar, e stes são apenas alguns. Escolha um dos temas abaixo:

[

]música

[

]games

[

]quadrinhos [

]livros, contos, poesia

[

]filmes, animações

1. Existe, na verdade, uma possibilidade enorme de temas para você escolher. Só não se esqueça do seguinte: fanzine é uma ótima oportunidade de falar para todo mundo o que você sempre quis, mas para os quais nem sempre encontrou ouvidos disponíveis. Portanto, essa é a h ora: os zineiros querem te escutar.

Escolha um tema com o qual você se identifique e diga porque você escolheu esse assunto e não outro.

_

I

I. Do que é feito um Fanzine?

A tividade 3. Do que falam os Fanzines? Do que eu falaria no meu Fanzine

?

Os fanzines falam, normalmente, sobre música. Mas, como nós vimos na atividade passada, os temas de um fanzine variam muito, eles vão desde estilos musicais (rap, reggae, rap, rock, punk), a tipos de filme (suspense, terror, filme B, filmes independentes), passando por quadrinhos (mangá, animes, comicnovels e tc.). Não existem regras fixas para um zineiro:

ele é independente e questionador. Os

fanzines são ligados aos movimentos de contracultura. Assim, os fanzines são ligados a manifestações e expressões artísticas, como as artes plásticas, a música e a literatura. Os fanzines são, portanto, parte indissociável de movimentos contestadores marcados pela contracultura: o movimento punk - surgido no final da década de 70, inspirado pelo princípio de autonomia do tipo “faça você mesmo” e pela perspectiva

marginal,

buscando se constituir como uma alternativa à cultura tradicional - e o indie -

Fazem parte da contracultura os movimentos artísticos de mobilização e contestação social que tiveram seu auge nos anos 50 e 60 com a Bea Generation (grupo de escritores americanos da década de 50 que tinham uma produção visceral inspirada pelo ritmo do jazz) e com o movimento Hippie (movimento das décadas de 60 e 70 que pregava a vida comunitária em comunhão com a natureza, negavam o nacionalismo e a guerra e pregavam o amor e a paz). Além desses dois, a contracultura é formada por movimentos culturais que questionam os valores, normas, gostos e padrões de comportamento tradicionais ou da dita cultura valorizada e que buscam, por meio das expressões individuais, uma transformação de consciência.

denominação surgida nos anos 80 que busca definir aqueles artistas que desenvolveram meios

e princípios de produzirem e viverem independentemente da indústria cultural - foram grandes

promotores dos fanzines. Os fanzines são, assim, um meio de divulgação desses movimentos

artísticos. Uma vez que a mídia oficial não os divulgam, os zineiros criaram a sua própria mídia.

Está na hora de você buscar materiais para o seu fanzine. Pesquise: trace algumas met as

de pes quisa e colete materiais: fotos, ilustrações, quadrinhos, desenhos, textos, frases etc

Mas, antes, forme um grupo de 4 a 5 colegas que tenham algum tipo de interesse em

comum: esse grupo será a sua equipe de zineiros; o corpo editorial do seu fanzine. Portanto,

daqui para frente, todas as atividades coletivas referentes à produção de fanzine serão fe itas

por esse grupo. Dê um nome ao grupo (o mesmo nome do fanzine de vocês) e divirta-se.

Agora vamos à primeira tarefa atribuída aos editores do fanzine: buscar mat eriais.

T race com o grupo de editores do seu fanzine algumas metas de pesquisa:

1.

Retomem os assuntos que cada membro do grupo definiu na atividade 1. Veja se o grupo coloca de acordo com algum dos temas ou escolham outro que agrade a todos do grupo.

se

2.

Escolham um nome para o grupo de vocês.

3.

Definam as fontes de pesquisa (livro, Internet, jornal, revista etc.).

4. Busquem textos e imagens já existentes sobre o tema que vocês escolheram. Por exemplo:

se vocês escolheram fazer um fanzine sobre um grupo musical ou sobre um estilo musical, selecionem letras de músicas, opiniões de fãs, fotografias da banda, imagens de show, de capas de CD; se vocês escolheram fazer um fanzine sobre literatura, procurem fotos de autores, livros, personagens de histórias importantes, poesias, contos, aforismos, opiniões de leitores etc. Portanto, vocês devem escolher imagens e textos para recortar, transformar, colar, desenhar e criar a partir deles.

Atenção: vocês usarão sua pesquisa, os textos e as imagens, para fazer o zine: as imagens e os textos pesquisados por vocês formarão a base das páginas do seu fanzine por meio de colagens. Vejam o site: http://www.ninaflores.net/afazeres.htm. Rolem a página até o final e cliquem nos itens “produção ligada a fanzines”. Cliquem em “aldeia” e depois em “subjetividades no papel” e tenham uma idéia de como serão as suas colagens. Cliquem nos links “prev” e “next” para ver outras fotos dessas páginas. Acesso em 05/10/2008.

Atividade 4. O que os Zineiros escrevem?

Um dos tipos de textos muito presentes em fanzines é a resenha. Essa é uma forma que

os zineiros encontram para divulgar o trabalho dos seus amigos ou artistas que admiram. O

objeto da resenha pod e ser alguma banda, artista, show, livro, conto, poema, quadrinho,

evento, outro zine etc.

1.

Leiam as seguintes resenhas e digam se vocês já leram algo parecido. Se já, onde?

Jão Quadrado é o nome da banda independente que está fervendo no cenário paulistano. Formada pelo ex vocalista dos Gatudos, João

Quadrado, apresenta um som muito consistente:com guitarras barulhentas e baterias jazzísticas. A Jão Quadrado não é tão boa quanto a antiga banda do João, os

novo

Gatudos, mas vale conferir o som do gênio indie paulistano”.

“A novidade de hoje é um livro de contos. O jovem autor paulistano, Rogério S. acaba de publicar seu 2° livro pela editora Legos, intitulado Noites. O novíssimo livro de Rogério S.

aborda, de maneira sensível, a precária condição vivida pelos jovens

moradores de rua da um livro imperdível”.

Lapa. Noites é

_

2.

Qual é o objetivo dessas resenhas?

As resenhas publicadas em jornais, revistas e livros são textos feitos com o intuito de apresentar e divulgar algo aos leitores. Portanto, é um texto que fala o que é, como é, e se esse algo é “bom” ou “ruim” na opinião do autor da resenha, se vale a pena ou não conhecer a obra resenhada. As resenhas críticas fazem uma apreciação de um determinado livro, artista ou obra para que os leitores possam se informar sobre as novidades culturais. A diferença é que a obra resenhada nos zines, em geral, é de autoria de alguém não conhecido pela mídia.

3. Identifiquem os elementos de uma resenha. Leiam as resenhas e grifem as frases que apresentam/descrevem a obra ou o artista e circulem aquelas que avaliam a obra.

 

“Bom dia, meu amor. Sonhou? É a

 

novidade editorial do mês de abril. O novo livro da escritora

pernambucana Gil de Tuca Barbosa

narra a vida de uma garota perdida entre o sonho de ser cantora e a realidade apresentada pela vida. Bom

dia, meu amor. Sonhou? É um

suspense emocionante que nos prende do começo ao fim”.

Qual é o título da obra resenhada?

Qual o nome da autora?

Do que fala o livro resenhado:

Qual é o gênero do livro:

A resenha recomenda ou não a obra? Justifique.

4.

Agora, façam pequenas resenhas a partir das seguintes informações:

a)

Banda: Os Seus. Estilo: indie. Origem: Osasco. Tempo de banda: 1 ano. critica: um som diferente, com influências que vão desde o rap ao jazz Apreciação: positiva. Indicação: escutar a música A mãe do Freud. Resenha:

b)

Livro: Lama Autor: Daniel Fernandes. Origem do autor: São Paulo Gênero: conto. critica: os contos são depressivos e muito descritivos, não apresentam nenhuma novidade e causam cansaço. Apreciação: negativa. Indicação: apesar do geral ruim, tem um conto que vale a pena ser lido: a menina mulher da

pele preta.

Resenha:

5. Agora, façam uma resenha para o seu fanzine. A partir do tema que o seu grupo escolheu,

cada integrante do corpo editorial deverá selecionar uma obra para fazer uma resenha com o intuito de divulgar as obras escolhidas aos seus leitores. Por exemplo, se o seu fanzine é sobre

literatura, façam uma resenha de um livro que contenha: o nome do livro, do autor, a editora, a origem do autor, o gênero do livro, uma breve síntese do enredo e a sua crítica ao livro.

Resenha:

6. Agora, vamos a mais uma tarefa para os editores do fanzine: ilustrar as resenhas com as imagens que vocês já pesquisaram; fotografias, desenhos próprios, pequenas frases recortadas de jornais e revistas etc.

Modelo: Folha sulfite (A4) dobrada ao meio. As imagens podem ser recortadas de jornal, revista, impressas da internet ou desenhadas por vocês. As resenhas, feitas no computador ou à mão devem ser associadas às imagens nas páginas. Vocês também podem incluir outros textos pesquisados na atividade 3:

Imagem Imagem 3. frases de 1. Imagem fãs 2. Resenha Resenha 2. Resenha 3. letra
Imagem
Imagem
3. frases de
1. Imagem
fãs
2.
Resenha
Resenha
2.
Resenha
3. letra da
1.
música
(ou
poema)
P.1
P.2

Como fazer um Fanzine?

Atividade 5. Como é que se faz um Fanzine? É fácil?

a) Como assim

?

O que é diagramação?

Nós já vimos que os textos de fanzine podem ser feitos de várias maneiras: por meio de

colagem, escrito à mão, no computador etc. Mas, nós ainda não vimos algo muito importante:

como colocar isso tudo em uma página. Como você já deve ter percebido, os zines não utilizam

um jeito convencional de inserir os vários elementos nas páginas. Ao contrário, nos zines, o que

vale é a criatividade, a ousadia no estilo. Pois bem, saber fazer uma página é saber diagramar.

Para os textos convencionais, existem algumas regras de diagramação, mas como você já pode

prever, não há regras para um zineiro

Quebrar as regras convencionais faz parte do “jogo”.

1. Veja algumas regras de diagramação de publicação convencionais e compare com uma

página de fanzine. Em seguida, diga com quais das regras o zineiro brincou e subverteu.

diga com qu ais das regras o zineiro brincou e subverteu. REGRAS DE DIAGRAMAÇÃO PARA PUBLICAÇÕES

REGRAS DE DIAGRAMAÇÃO PARA PUBLICAÇÕES CONVENCIONAIS

1. Não abuse das letras. Escolha

um tipo de letra e não mude.

2. Coloque os elementos, texto e

imagem, de maneira adequada e

alinhada.

3. Escolha bem o tamanho das

letras permitindo uma boa leitura.

4. Componha texto e imagem de

maneira harmoniosa.

2.

No site http://www.ninaflores.net/relicario.htm vejam os fanzines produzidos pela autora e

reconheçam as estratégias de diagramação utilizadas pela artista ninaflores. Quais são essas

estratégias? Como ela compôs as capas dos fanzines: por meio de colagens, com quais materiais (fotografia, recortes de jornal, escrita a mão, desenhos) etc.?

3. Sigam as etapas e brinquem com as regras de diagramação, vocês também.

Agora vamos a mais uma tarefa para os editores do fanzine: criar algumas páginas divertidas para o fanzine. Vocês já fizeram resenhas e ilustraram essas resenhas; agora só falta construir páginas nas quais os editores de um fanzine expressam artisticamente suas opiniões por meio de colagens, desenhos e textos diversos.

1 o Dobrem uma folha A4 ao meio. 2 o Escolham um texto (você pode recorrer aos textos pesquisados na atividade 3.). 3 o Escolham uma imagem. 4 o Observem o quadro anterior contendo as regras de diagramação. 5 o Subvertam algumas regras de diagramação: criem duas páginas para o seu Zine, uma para cada metade do sulfite.

iem duas páginas para o seu Zine, uma para cada metade do sulfite. b) E um
iem duas páginas para o seu Zine, uma para cada metade do sulfite. b) E um

b) E um “boneco”, o que é isso? É de brincar?

Vamos recapitular o que vocês já fizeram até aqui: pesquisaram textos e imagens, fizeram resenhas, ilustraram as resenhas e construíram páginas para o zine de vocês. Mas como transformar essas páginas em uma publicação? Por enquanto, as resenhas, ilustrações e páginas que criamos não formam um zine. Pois bem, essa é a função do “boneco”: guiar-nos na seguinte tarefa: transformar páginas criativas em um fanzine bem original. Portanto, vamos fazer nosso primeiro boneco.

Mais algumas tarefas para os editores do fanzine:

1 o . Definam um roteiro para o fanzine: com o que vocês produziram durante as aulas (resenha, ilustrações, capa, contracapa, textos e páginas nas quais os editores do fanzine expressem artisticamente suas opiniões) definam uma seqüência; uma ordem para as páginas do zine.

2 o . Definam o número de páginas para do fanzine. Como os fanzines são feitos de folhas A4 dobradas ao meio, o número de páginas de um fanzine é sempre um múltiplo de 4 (4, 8,12, 16, 20

3 o . Montem o “boneco”.

A montagem do “boneco”

1 o Definam o número de folhas. Se vocês escolheram que o fanzine terá 10 páginas (contando com a capa e a contra capa), é fácil saber quantas folhas ele terá. Para saber quantas folhas de papel A4 vocês usarão na montagem do fanzine, é só dividir 10 por 2. Portanto, vocês precisarão de 5 folhas. Lembrem-se que cada folha significa duas páginas, sempre utilizando a frente e o verso. Então, se o seu zine tiver 10 folhas, ele terá 20 páginas.

2 º Dobrem as folhas. Peguem o número de folhas necessárias para fazer o seu fanzine e dobre-as ao meio.

3 o Juntem as folhas. Coloquem as folhas umas dentro das outras como se fosse um sanduíche.

4 o Numerem as folhas, do começo ao fim.

5 o Escrevam indicações nas folhas que irão auxiliá-los no momento de fazer o fanzine. Por exemplo, (capa, resenha, páginas em que os editores do fanzine expressem artisticamente suas opiniões).

6º Produzam uma capa, usando imagens (fotos, desenhos que vocês mesmos façam), textos, enfim, o que vocês quiserem. Coloquem o nome do fanzine, que pode ser o nome do grupo que vocês criaram na atividade 3.

IV. Produzindo um Fanzine, finalmente!

Atividade 6 Como é mesmo? Nós os editores teremos que

Nós já aprendemos bastante sobre os fanzines, já fizemos até algumas páginas para ele. Agora,

falta pouco. Logo vocês terão um zine próprio.

1. Assinalem as etapas já percorridas por vocês, editores.

(

) nós sabemos sobre o que falar no zine: já escolhemos o tema do fanzine;

(

) nós já pesquisamos materiais interessantes para compor o zine: fotografias, ilustrações,

quadrinhos, trechos (imagens) de obras dos autores presentes no zine, trechos de textos/falas

de outras pessoas, outros textos que produzimos etc.;

(

) nós já escolhemos obras e artistas para fazer resenhas sobre eles;

(

) nós já produzimos resenhas sobre as obras escolhidas;

(

) nós já ilustramos as resenhas;

( ) nós já criamos páginas nas quais expressamos artisticamente nossas opiniões sobre o tema

escolhido;

( ) nós já definimos um roteiro para o nosso zine (capa, resenha, páginas nas quais os editores

expressam artisticamente suas opiniões etc. );

(

) nós já sabemos quantas folhas são necessárias para fazer o zine;

(

) nós já sabemos o que vai em cada página do zine;

(

) nós já fizemos um “boneco” do zine.

Atenção! É muito importante que todas as etapas anteriores tenham sido realizadas. Caso

contrário a qualidade do seu fanzine pode ficar comprometida.

Atividade 7. Mãos à obra!

1. Agora, vamos ao fanzine. Acompanhem os lembretes e marquem um X, conforme vocês forem executando as tarefas.

( ) Juntem os materiais que vocês já produziram para o fanzine (capa, resenha, páginas nas

quais vocês expressaram artisticamente suas opiniões sobre o tema do fanzine, trechos (imagens) de obras dos autores presentes, trechos de textos/falas de outras pessoas, outros textos que produziram etc.).

( ) Em seguida, colem tudo no seu boneco.

( ) Estipulem um número de cópias (10 é um bom número, dessa forma vocês poderão distribuir o fanzine na sua escola e para os seus colegas).

(

) E

ufa! é só grampear.

V. Auto-avaliação. Eu sou o meu crítico mais severo.

Atividade 8. Será que fizemos um Fanzine legal?

1. Coloque S (para sim) ou N (para não) nos parênteses:

(

) seguimos os passos propostos para a elaboração do zine;

(

) usamos diferentes tipos de materiais e linguagens para compor o zine;

( ) misturamos trechos de textos (imagens) do autor das obras incluídas, textos de outros autores e nossos próprios textos;

(

) as resenhas feitas apresentam a obra e tecem comentários avaliativos;

(

) a diagramação do zine produzido foi criativa, rompendo com um formato tradicional;

(

) conseguimos expressar nossa opinião sobre o tema do zine;

(

) nosso zine é atrativo, tem grandes chances de interessar a outros leitores.

VI. Avaliando os fanzines produzidos

Atividade 9. Eu sou o crítico dos fanzines de meus colegas

1) Agora, compartilhem seu zine com os outros colegas e grupos. A classe vai avaliar os zines produzidos com base no seguinte roteiro:

(

) o fanzine tem um tema claro;

(

) houve uma boa pesquisa de materiais para compor o zine;

( ) o zine mistura vozes: textos (imagens) do autor das obras incluídas, textos de outros autores e textos dos autores do zine;

( ) o zine contém capa, resenha e páginas nas quais os editores do fanzine expressam

artisticamente suas opiniões;

(

) as resenhas feitas apresentam a obra e tecem comentários avaliativos;

(

) a diagramação do zine produzido foi criativa, rompendo com um formato tradicional;

(

) os autores conseguiram expressar sua opinião sobre o tema do zine;

Atividade 10. Por fim, eu sou o crítico da oficina

Agora vocês vão avaliar oralmente o projeto todo:

O que vocês acharam da escolha do tema do projeto – fanzines?

Destaquem os aspectos positivos do desenvolvimento do projeto.

Destaquem os aspectos negativos do desenvolvimento do projeto. O que poderia ser melhorado?

Vocês se envolveram com o projeto, gostaram de desenvolvê-lo? E sua classe?