Sei sulla pagina 1di 8

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego

AVALIAÇÃO DE COMPORTAMENTO

6º CICLO DE COLETAS RESPEITO À PRIORIDADE DO PEDESTRE NA TRAVESSIA

– RESPEITO À PRIORIDADE DO PEDESTRE NA TRAVESSIA Foto: Carlos Alberto Vendramini Diretoria de Planejamento e

Foto: Carlos Alberto Vendramini

Diretoria de Planejamento e Educação no Trânsito DP Superintendência de Educação e Segurança SES Gerência de Educação de Trânsito GED

Março / 2012

DP Superintendência de Educação e Segurança – SES Gerência de Educação de Trânsito – GED Março

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego

Resumo Executivo

A partir do lançamento do Programa de Proteção do Pedestre pela Prefeitura do Município de São Paulo - PMSP, em 11 de maio de 2011, vem-se realizando pesquisas com o objetivo de acompanhar a evolução do respeito do condutor ao direito de travessia do pedestre. O primeiro ciclo de coletas, antes da implantação do Programa, ocorreu no período de 14 de fevereiro a 15 de abril de 2011; o segundo ciclo de coletas entre os dias 20 e 24 de maio/2011, o terceiro ciclo entre os dias 11 a 27 de julho. A coleta do quarto ciclo ocorreu duas semanas após a intensificação da fiscalização e aplicação de multas [08/08/2011] a condutores que não respeitassem a preferência de travessia do pedestre na faixa ou não sinalizassem com a luz indicadora de direção sua intenção de fazer uma conversão, no período de 22 a 26 de agosto de 2011. Fechando o primeiro semestre da campanha do Programa de Proteção ao Pedestre concluiu-se, também, a quinta coleta de dados, a qual foi realizada no período de 09 de outubro a 04 de novembro de 2011. Os dados apresentados nesta pesquisa se referem à sexta coleta de dados, a qual foi efetuada no período de 07 a 29 de fevereiro de 2012.

Os locais pesquisados e que estão sendo acompanhados são:

Rua Haddock Lobo x Rua Luís Coelho;Os locais pesquisados e que estão sendo acompanhados são: Rua Álvaro de Carvalho x Rua João

Rua Álvaro de Carvalho x Rua João Adolfo x Rua Alfredo Gagliotti;acompanhados são: Rua Haddock Lobo x Rua Luís Coelho; Rua Quintino Bocaiúva x Rua Riachuelo; e

Rua Quintino Bocaiúva x Rua Riachuelo; ede Carvalho x Rua João Adolfo x Rua Alfredo Gagliotti; Rua Dona Maria Paula x Rua

Rua Dona Maria Paula x Rua Francisca Miquelina.Alfredo Gagliotti; Rua Quintino Bocaiúva x Rua Riachuelo; e Esta pesquisa teve por objetivo identificar, por

Esta pesquisa teve por objetivo identificar, por meio de contagem objetiva, o comportamento dos condutores em relação ao respeito à prioridade dos pedestres e quanto ao uso da seta ao fazerem a conversão e, por meio de entrevistas mediadas por questionário, a percepção dos pedestres e dos condutores a esse mesmo respeito.

Outro objetivo, também, foi pesquisa de opinião, com condutores e pedestres, que visou ter conhecimento do percentual de usuários que tiveram conhecimento da campanha e, também, conhecimento do gesto do pedestre.

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego

Contagens

Como critério às contagens de respeito/desrespeito levou-se em conta que, para que se caracterizasse o desrespeito, era necessário que tanto o veículo quanto o pedestre desejassem passar pelo mesmo local ao mesmo tempo. Foi considerado como desrespeito o condutor que não aguardasse o pedestre fazer a travessia, caso o pedestre já estivesse na pista intencionando atravessá-la, ou se fizesse um gesto sinalizando seu desejo de travessia.

A contagem realizada neste sexto ciclo de coletas, em 782 veículos amostrados, de 07/fevereiro a 29/fevereiro/12, demonstrou um acréscimo no desrespeito do condutor em relação ao direito do pedestre, voltando-se a percentuais observados na quarta coleta de dados. Nas três primeiras pesquisas anteriores à fiscalização, o desrespeito foi de 89,6%, 86,1% e 90,3%, respectivamente, a partir da quarta coleta [medida após intensificação da fiscalização], o percentual de desrespeito baixou para o valor médio de 74,9%. Na quinta coleta, o percentual de desrespeito mostrou o maior percentual de respeito desde o início do programa, um percentual de 67,8%. Neste 6º ciclo de coleta de dados o percentual de desrespeito voltou a aumentar: 73,1%. O cruzamento das Ruas Maria Paula com Francisco Miquelina manteve a tendência de queda no desrespeito ao pedestre, a qual vinha apresentando desde o início das contagens. Já o cruzamento das ruas Haddock Lobo com Luís Coelho teve seu índice de desrespeito elevado em 13,1% em comparação com a quinta coleta, porém menor do que as três medições iniciais, conforme demonstra o quadro a seguir.

   

Desrespeito à preferência do pedestre

 

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

14/2/11 a

20/5/11 a

11/7/11 a

22/8/11 a

09/10/11 a

07/02/12 a

Cruzamento

15/4/11

24/5/11

22/7/11

26/8/11

04/11/11

29/02/12

Riachuelo

87,0%

86,3%

90,1%

71,5%

64,4%

69,0%

Dona Maria Paula

95,9%

90,4%

83,8%

73,2%

71,4%

64,5%

Álvaro de Carvalho

90,2%

70,7%

92,9%

85,2%

82,7%

90,9%

Haddock Lobo

91,2%

93,7%

92,6%

79,1%

67,2%

80,3%

Média

89,6%

86,1%

90,3%

74,9%

67,8%

73,1%

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego

Com relação ao acionamento da seta indicativa de mudança de direção para se realizar uma conversão, na amostra de 2.743 veículos pesquisados em coleta realizada de 07/02/12 a 29/02/12, a não utilização da seta foi registrada em 40,0% dos casos. Mantendo- se com poucas oscilações durante o intervalo das pesquisas, porém representando uma diminuição no índice de não utilização da seta de 7,2% desde o início das contagens.

   

Não utilização da seta

 

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

14/2/11 a

20/5/11 a

11/7/11 a

22/8/11 a

09/10/11 a

07/02/12 a

Cruzamento

15/4/11

24/5/11

22/7/11

26/8/11

04/11/11

29/02/12

Riachuelo

71,6%

67,5%

66,9%

68,8%

62,4%

62,1%

Dona Maria Paula

11,9%

6,6%

6,7%

10,5%

11,6%

5,7%

Álvaro de Carvalho

49,4%

42,9%

40,9%

46,4%

39,9%

43,3%

Haddock Lobo

16,9%

12,6%

16,2%

11,6%

12,2%

14,0%

Média

47,2%

42,1%

42,2%

44,2%

40,8%

40,0%

Percepções

As percepções de pedestres e condutores tem como base entrevistas de opinião a 419 condutores e 424 pedestres, com uma margem de erro de 5% . Em relação à percepção dos condutores sobre o respeito à prioridade de travessia do pedestre, a pesquisa recente, entrevistados 419 condutores, 91,0% ou 394 dos entrevistados alegaram que dão preferência de passagem ao pedestre que atravessa na faixa. O quadro a seguir ilustra os resultados das pesquisas anteriores e, observa-se que a percepção foi crescente, desde a primeira pesquisa.

Percepção em

           

relação ao

   

respeito à

prioridade de

travessia do

Pesquisa de

14/2/11 a

15/4/11

Pesquisa de

20/5/11 a

24/5/11

Pesquisa de

11/7/11 a

27/7/11

Pesquisa de

22/8/11 a

26/8/11

Pesquisa de

09/10/11 a

04/11/11

Pesquisa de

07/02/12 a

29/02/12

pedestre

Condutores dizem respeitar o direito de travessia do pedestre

           

94,90%

76,80%

85,20%

92,80%

95,50%

 

91,00%

 
 

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego

Entrevistados 424 pedestres de 07/02/12 a 29/02/12, 67,5% deles alegaram não sentirem-se respeitados pelo condutor no seu direito de travessia. Este índice vinha apresentando uma trajetória decrescente, porém, na quarta coleta de dados apresentou um aumento de 5% em relação ao resultado da terceira coleta [talvez devido ao início da fiscalização e a maior observação do pedestre em relação a seu direito] se mantendo nesta quinta coleta e voltando a apresentar queda [3,7%] no último estudo, conforme quadro a seguir:

Percepção do pedestre em relação ao respeito do motorista ao seu direito de travessia

           

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

14/2/11 a

20/5/11 a

11/7/11 a

22/8/11 a

09/10/11 a

07/02/12 a

15/4/11

24/5/11

27/7/11

26/8/11

04/11/11

29/02/12

Pedestres não se sentem respeitados pelos condutores

           

69,50%

68,60%

66,10%

71,10%

71,20%

67,50%

   

Na mesma entrevista dos condutores (419 entrevistados), buscou-se obter, ainda, com que freqüência eles acionavam a seta ao fazerem uma conversão. Na pesquisa recente, 07/02 a 29/02, 95,7% relataram que sinalizam com freqüência, enquanto que nas pesquisas anteriores este índice foi de 83,2% (pesquisa de 14/2/11 a 15/4/11), 85% (pesquisa de 20/5 a 24/5), 93,8% (pesquisa de 11/7 a 27/7), 97,2% (pesquisa de 22/8 a 26/8) e 95,9% (pesquisa de 09/10 a 04/11). A percepção que os condutores tem da utilização da seta se mantém crescente desde o início das pesquisas.

Percepção dos condutores em relação ao uso da seta para indicar conversão

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

14/2/11 a

20/5/11 a

11/7/11 a

22/8/11 a

09/10/11 a

07/02/12 a

 

15/4/11

24/5/11

27/7/11

26/8/11

04/11/11

29/02/12

 
 

Condutores dizem utilizar a seta

         

83,20%

85,00%

93,80%

97,20%

95,9%

95,7%

 
 

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego

Aos pedestres entrevistados (424 pedestres), foi-lhes perguntado se observavam que os motoristas acionavam a seta do veículo ao fazerem a conversão. Na pesquisa de 09/10/11 a 04/11/11, 41,7% dos pedestres entrevistados perceberam a utilização de forma freqüente. Nota-se que a percepção se mantém elevada em comparação com as duas primeiras pesquisas e teve uma leve queda em relação a terceira e a quarta coletas. Nesta última coleta esta percepção dos pedestres de que os condutores estão acionando a seta foi de 51,8%.

Percepção dos pedestres em relação ao uso da seta pelo condutor

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

Pesquisa de

14/2/11 a

20/5/11 a

11/7/11 a

22/8/11 a

09/10/11 a

07/02/12 a

15/4/11

24/5/11

27/7/11

26/8/11

04/11/11

29/02/12

Pedestres dizem que os condutores sinalizam

           

28,80%

32,70%

50,80%

47,10%

41,70%

51,80%

   
50,80% 47,10% 41,70% 51,80%     Pesquisa de opinião para saber: “O pedestre tem feito o

Pesquisa de opinião para saber: “O pedestre tem feito o gesto de mão?”

Em pesquisa de opinião realizada entre os dias 04 e 29 de fevereiro de 2012, o pedestre ao ser questionado se tem feito o gesto para demonstrar seu desejo de atravessar a rua 53,5% ou 227 afirmam não fazer o gesto “nunca”. Porém, em relação às coletas anteriores o pedestre já está se identificando como fazendo o gesto frequentemente(9,9%) ou sempre(19,1%) com um acréscimo de 13,3% em relação à percepção anterior, onde a resposta “sempre” foi citada apenas por 5,8% pelos pedestres respondentes.

Nas pesquisas anteriores:

Tem feito o gesto do pedestre

Coleta de dados 11 a 27 de julho de 2011

Coleta de dados de 09/10 a 04/11 de 2011

Coleta de dados de 07/02 a 29/02 de 2012

Nunca

318

80,3%

275

69,1%

227

53,5%

Ás vezes

58

14,6%

89

22,4%

74

17,5%

Sempre

15

3,8%

23

5,8%

81

19,1%

Frequentemente

5

1,3%

11

2,8%

42

9,9%

Não responderam

4

 

13

 

0

 

Total da amostra

400

 

411

 

424

 

Para efeito de cálculos foram consideradas apenas as respostas válidas

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego

Os condutores ao serem questionados se o pedestre tem feito o gesto para sinalizar o desejo de realizar a travessia, 49,3% dos condutores dizem que o pedestre “nunca” faz o gesto. Porém, comparando-se os resultados com os da coleta anterior, também os condutores, assim como os pedestres, relatam uma maior observação de que o gesto vem sendo inserido pelo pedestre para demonstrar sua intenção de travessia.

 

Coleta de dados de

 

Tem feito o gesto do pedestre

Coleta de dados de 07/02/12 a 29/02 de 2012

09/10/11 a 04/11/11 de

   

2011

 

Nunca

225

55,3%

206

49,3%

Ás vezes

124

30,5%

151

36,1%

Sempre

38

9,3%

40

9,6%

Frequentemente

20

4,9%

21

5,0%

Total da amostra

407

 

418

 

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego

Diretoria de Planejamento e Educação DP

Irineu Gnecco Filhode Tráfego Diretoria de Planejamento e Educação – DP Superintendência de Educação e Segurança – SES

Superintendência de Educação e Segurança – SES SES

Nancy SchneiderFilho Superintendência de Educação e Segurança – SES Departamento de Educação na Rua Elizabeth Moreira Munhoz

Departamento de Educação na Ruade Educação e Segurança – SES Nancy Schneider Elizabeth Moreira Munhoz Equipe Técnica: Lilian Rose da

Elizabeth Moreira Munhoz– SES Nancy Schneider Departamento de Educação na Rua Equipe Técnica: Lilian Rose da Silva Carvalho

Equipe Técnica:Departamento de Educação na Rua Elizabeth Moreira Munhoz Lilian Rose da Silva Carvalho Freire – Coordenação

Lilian Rose da Silva Carvalho Freire – Coordenação da Pesquisa Coordenação da Pesquisa

Francisco Alves - Coordenação de Campoda Silva Carvalho Freire – Coordenação da Pesquisa Jaqueline Sadala Mendonça – Apoio Técnico Estagiários

Jaqueline Sadala Mendonça – Apoio Técnico Apoio Técnico

Estagiários de Pesquisade Campo Jaqueline Sadala Mendonça – Apoio Técnico Gustavo de Oliveira Couto Henrique Euzébio Isaias Alves

Gustavo de Oliveira CoutoMendonça – Apoio Técnico Estagiários de Pesquisa Henrique Euzébio Isaias Alves dos Santos Mariane Fonseca da

Henrique EuzébioTécnico Estagiários de Pesquisa Gustavo de Oliveira Couto Isaias Alves dos Santos Mariane Fonseca da Paz

Isaias Alves dos Santosde Pesquisa Gustavo de Oliveira Couto Henrique Euzébio Mariane Fonseca da Paz Rafaela Quintino da Silva

Mariane Fonseca da PazGustavo de Oliveira Couto Henrique Euzébio Isaias Alves dos Santos Rafaela Quintino da Silva Rodolfo Morage

Rafaela Quintino da SilvaGustavo de Oliveira Couto Henrique Euzébio Isaias Alves dos Santos Mariane Fonseca da Paz Rodolfo Morage

Rodolfo Morage da SilvaGustavo de Oliveira Couto Henrique Euzébio Isaias Alves dos Santos Mariane Fonseca da Paz Rafaela Quintino