Sei sulla pagina 1di 19

4. DETERMINANTES

4.1. Definição e Propriedades

Definição 1 O determinante de uma matriz quadrada A de ordem 2 é por

definição a aplicação

Exemplo 1:

A =

det : M ( IR ) → IR 2 × 2 ⎡ aa ⎤ aa
det : M
(
IR
)
IR
2
×
2
aa
aa
11
12
11
12
A
=
det
(
A
)
=
=−
aa
aa
11
22
21
12
aa
aa
21
22
21
22
⎡ 3
5 ⎤
3
5
⇒ det A
()
=
= ×− −− × =
3
(
1)( 2) 5
2
1
2
1

7

Definição 2 O determinante de uma matriz quadrada A de ordem 3 é por

definição a aplicação

det : M ( IR ) → IR 3 3 × ⎡ aaa ⎤ aaa
det :
M
(
IR
)
→ IR
3 3
×
aaa
aaa
11
12
13
11
12
13
Aa
=
a
a
→=
det
(
Aa
)
a
a
=
21
22
23
21
22
23
aaa
aaa
31
32
33
⎥ ⎦
31
32
33
aa
aa
a
a
22
23
21
23
21
22
=+−
aaa
+
11
12
13
aa
aa
a
a
32
33
31
33
31
32
= +−a
det
()
Aa
det
()
Aa+
det
(
)
11
11
12
12
13
A 13

onde

A ij

é a matriz obtida de A por eliminação da linha i e coluna j.

=

Exemplo 2:

2 1 0 1 1 4 4 1 1 1 = 2 1 4 −
2 1
0
1 1
4
4
1
1
1 = 2
1
4
− 1
+ 0
2 5
− 3
5
− 3
2
− 3
2
5
= 2(5 − 8)− (5 + 12) = −23

=

Definição 3 O determinante de uma matriz quadrada A de ordem n é por

definição a aplicação

det : M

n

×

n

(

IR

)

A

det

IR

()

Aa

=

11

det

(

A

11

)

a

12

det

(

A

12

)

(

+L+−

1

)

n + 1

a

1

n

det

(

A

1

n

onde

A ij

é a matriz obtida de A por eliminação da linha i e coluna j.

Exemplo 3:

)

0

1

0

1

 
   

1

1

0

1

0

1

1

0

1

0

 

1

0

1 1

0 1

 

=− 1

0

1

0

1

0

1

1

=−× 1

1

1 ×

1

− ×

1

0

1

1

0

 

3

4

2 3

1 2

   

1

3

4

1

2

3

1

2

3

4

 

(4 0)(3 2)(0 1) 4 1 1

=− −

− − =− − + =−

4

 

2

0

1

0

 

Exercício 2: Calcule

2

1

1

0

.

0

3

0

1

0

3

2

0

Propriedades dos Determinantes:

Se A é uma matriz quadrada com pelo menos uma coluna ou uma

linha nulas, então det(A) = 0 .

(

det A

)

(

= det A

T

)

.

Para qualquer matriz quadrada A, temos que

O determinante de uma matriz triangular (inferior ou superior) é

igual ao produto dos elementos da diagonal principal.

O determinante da matriz identidade é igual a um.

Se B é uma matriz quadrada obtida de A por meio de troca de duas

linhas (ou duas colunas) entre si, então det(B) = −det()A .

Se B é a matriz quadrada que se obtém de A multiplicando-se uma

sua linha (ou coluna) por α IR , então det(B)= α det()A .

Se B é a matriz quadrada que se obtém de A substituindo-se uma sua

linha (ou coluna) pela que dela se obtém adicionando-lhe um

múltiplo escalar de outra, então det(B) = det(A).

Se B é a matriz quadrada que se obtém da soma da linha i (coluna j)

da matriz A' com a linha i (coluna j) da matriz A'' , sendo as restantes

linhas (colunas) das matrizes A', A'' e B iguais, então

det(B) = det(A')+ det()A'' .

Nota: Em geral, para A B

,

M

n×n

(IR)

, temos:

det(A + B) det()A + det(B).

det(αA)α det()A ; de facto,

det α

( A)

= α

n

det

(A)

.

Exercício 3: Calcule os seguintes determinantes, utilizando apenas as

propriedades:

 

a

b

c

3.1:

c

a

b

b

c

a

Exercício

4:

1

2

igualdade:

3

4

 

a

b

c

d

 

a

b

c

d

 

3.2:

a

b

c

d

 

a

b

c

d

Sem

calcular

o

valor

dos

determinantes,

1

1

4

 

1

1

1

1

4

8

15

=

2

4

8

1

.

9

27

40

3

9

27

1

16

64

85

4

16

64

1

demonstre

a

4.2. Técnicas Para o Cálculo de Determinantes

4.2.1. Regra de Sarrus

O determinante de uma matriz de terceira ordem pode ser calculado

utilizando uma regra conhecida por Regra de Sarrus.

Os "termos positivos" de uma matriz A de terceira ordem obtêm-se

multiplicando os elementos da diagonal principal e multiplicando os

vértices dos triângulos que se podem construir de base paralela à diagonal

principal:

a

a

a

a a 11 12 13 a a 21 22 23 a 31 a 32 33
a
a
11
12
13
a
a
21
22
23
a
31 a
32
33

Assim, segundo o esquema de cima, os "termos positivos" são:

a

11

a

22

a

33

,

a

12

a

23

a

31

,

a

21

a

13

a

32

.

Os "termos negativos" da matriz A obtêm-se multiplicando os elementos da diagonal secundária e multiplicando os vértices dos triângulos que se podem construir de base paralela à diagonal secundária:

a

a

a

11

21

31

a a 12 13 a a 22 23 a a 32 33
a
a
12
13
a
a
22
23
a
a
32
33

Assim, segundo o esquema de cima, os "termos negativos" são:

a

13

a

22

a

31

,

a

21

a

12

a

33

,

a

11

a

23

a

32

.

Subtraindo a soma dos “termos negativos” à soma dos “termos positivos”, obtemos o valor do determinante de A.

Ou seja,

()

det A

= a

11

a

22

a

33

+ a

12

a

23

a

31

+ a

21

a

13

a

32

a

13

a

22

a

31

a

21

a

12

a

33

a

11

a

23

a

32

 

2

1

2

 

Exemplo 4:

1

1

1 1

0

1

=

(0

1

+ +

2)(0

2

− −

1)

=

6

Exercício 5: Calcule os seguintes determinantes, usando a regra de Sarrus:

 

1

1

3

 

2

1

3

5.1:

2

4

2

5.2:

1

1

2

1

2

3

0

0

4

4.2.2. Eliminação de Gauss

Consiste em transformar uma matriz quadrada de ordem n numa matriz

triangular aplicando algumas das propriedades enunciadas anteriormente.

Exemplo 5:

1 2 0 23 1 3 3 123 1 1 2 1 = − 0
1
2
0
23
1
3
3
123
1
1
2
1
=
0
2
3
=−
023
=
3
3
3
4
L 1
L 2
L 3
L 1
4
5
6
456
4
56
1
2
3
12
3
1
1
=−
0
2
3
=
0
2
3
=− 13 32 × 1 × 2 × −
3
3
3
⎝ ⎜
⎟ ⎠
+
036
L 3
2
L 2
3
0
0
2

= 1

 

0

2

0

0

2

 

1

0

1

0

1

Exercício 6: Calcule

0

3

0

3

0

usando a eliminação de Gauss.

0

0

4

0

0

2

0

0

2

0

4.2.3. Fórmula de Laplace

Por definição o determinante é calculado usando o desenvolvimento

segundo a primeira linha. Este, no entanto, pode ser calculado usando o

desenvolvimento segundo qualquer linha i ou qualquer coluna j do

seguinte modo:

Fórmula de Laplace segundo a linha i:

det A

() (

=−

1

)

i

+

1

a

i1

(

det A

i1

)

(

+−

1

)

i

+

2

a

i2

(

det A

i2

)

(

+L+−

1

)

i

+

n

a

in

()

det A

in

Fórmula de Laplace segundo a coluna j:

det A

() (

=−

1

)

1

+

j

a

1 j

( )(

1 j

+−

det A

1

)

2

+

j

a

2 j

(

det A

2 j

)

(

+L+−

1

)

n

+

j

a

nj

(

det A

nj

)

onde

A ij

é a matriz de ordem n 1 obtida de A por eliminação da linha i e

da coluna j e os sinais (

sinais:

1

) i

+

j

podem ser obtidos da seguinte matriz de

+

⎢ +

− +

− +

− +

M

M

M

L

L

L

.

 

0

1

0

0

Exercício 7: Calcule o valor do

1

0

1

0

0

1

0

1

0

0

1

0

7.1: segundo a 4ª linha; 7.2: segundo a 2ª coluna.

4.3. Menores, Menores Complementares e Complementos Algébricos

Definição 4 Dada uma matriz A, quadrada de ordem n, chama-se submatriz quadrada de A de ordem m à matriz formada pelos elementos comuns a m linhas e m colunas (m n).

Chama-se menor de ordem m ao determinante de uma submatriz de ordem m. Dois menores dizem-se complementares sempre que em cada um deles estão representadas as linhas e as colunas que não figuram no outro. Chama-se complemento algébrico de um menor ao produto do seu menor

complementar por (

colunas envolvidas no menor complementar.

totalmente

constituída por elementos da diagonal principal de A.

)

s

1 onde s é a soma das ordens das linhas e das

diz-se

principal

se

a

sua

diagonal

é

Um

menor

de

A

Nota: Para a formação do expoente s podemos usar as colunas e as linhas envolvidas no menor em vez do menor complementar.

Exemplo 6: Para

A =

a

a

a

a

11

21

31

41

a

a

a

a

12

22

32

42

a

a

a

a

13

23

33

43

Menor:

a 11

a 41

a

a

13

43

;

Menor complementar:

a 22

a 32

a

a

24

34

;

Complemento algébrico: (

1

)

2

+++

3

2

Menor:

a 11

a 21

a

a

12

22

;

Menor complementar:

a 33

a 43

a

a

34

44

;

Complemento algébrico: (

1

)

3

+++

4

3

4

4

a

14

a

24

a

34

a

44

a

22

a

24

a

32

a

34

a

33

a

34

a

43

a

44

temos

.

.

Menor:

a 32
a
32

;

a 11

a

13

a

14

 

a 21

a

23

a

24

;

a 41

a

43

a

44

 

a 11

a

13

a

14

 

1

)

15

a 21

a

23

a

24

 

a 41

a

43

a

44

Menor complementar:

Complemento algébrico: (

.

4.4. Inversa de uma Matriz

4.4.1: Definição e propriedades

Definição 5 Uma matriz quadrada A de ordem n, diz-se invertível, se

existir uma matriz B de ordem n tal que AB = BA = I .

A matriz B chama-se inversa de A e representa-se por

B

=

A

1

.

A

1

Exemplo 7: Calcule a inversa de

A =

Resolução:

AX

=⇔ I

⎡⎤

⎢⎥

⎢⎥

⎣⎦

12

34

x 11

x

21

x 12

x

22

⎥ ⎦

=

⎡⎤

⎢⎥

⎢⎥

⎣⎦

10

01

1 2

3

4

usando a definição

=


x

11

x

12

+

+

2

x 21

2

x 22

=

1

0

⇔⇔

0

341

34

11

x

12

x

+

+

x 21

x 22

=

=



⎣ ⎢

1020

0102

3040

0304

⎥ ⎦



⎢ ⎣

x 11

x 12

x

21

x 22

=

⎡⎤

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥ ⎣⎦

1

0

0

1

,

isto é,

Então, usando o algoritmo de Gauss, vem:

⎡ − 2 ⎡ 0 1 0 2 1 ⎤ 0 ⎡ 1 2 0
− 2
⎡ 0
1
0
2
1
⎤ 0
1
2
0
1
⎤ 0
1
2
0
1
x
11
1
⎢ 2 0
0
1
0
⎥ 1
0
0
2
0
⎥ 1
0
0
2
0
x
12
3
=
⎢ 0 0
3
0
4
⎥ L
0
0
2
0
− 3
0
0
2
0
− 3
x
− 3
L
− 3
L
21
3
1
4
2
⎢ 2
1
⎣ ⎢ 3
0
0
4
1
0
3
0
4
1
⎥ ⎦ L
0
0
0
− 2
1
x
22
⎣ ⎢ ⎦
2
− 2
1
1
Logo
A
=
3
1
2
2

Exemplo 8:

A =

sistema AX = I .

1

0

1

0

não é invertível, pois não é possível resolver o

Teorema 1 Seja A uma matriz quadrada de ordem n, então A é invertível

sse car(A) = n (sse A é não singular), isto é, após a eliminação de

Gauss, a matriz em escada de linhas não tem nenhum zero na diagonal

principal.

Propriedades: Sejam A e B matrizes não singulares de ordem n. Então

A

1

é única.

(A

1

)

1

()

A

T

1

(

AB

)

1

= A

=

=

(

A

B

.

1

1

) T

A

.

1

.

Se A e B são matrizes quadradas tais que AB = I , então também

BA = I e, consequentemente,

duas matrizes quadradas, então

det(AB) = det()A det()B e consequentemente, se A é invertível,

Se

B

A

1

.

=

A

e

B

são

det

(

A

1

)

= det

( ())

A

1

=

1

det

(A)

.

Uma matriz quadrada A de ordem n é

singular sse car(A) = n sse det(A) 0 .

invertível sse A é não

Exercício 8: Suponha que B

de ordem n. Prove que B

m

=

= P

P

1

A

m

1

AP

P

,

sendo A, B e P matrizes quadradas

m

Z

.

Exercício 9: Sejam A e B matrizes de ordem n invertíveis. Mostre que

A

1

+

B

1

=

A

1

(

A

+

B B

)

1

.

4.4.2: Método da Adjunta para o cálculo da matriz inversa

Definição 6 Chama-se adjunta de A, à matriz que se obtém de

substituição de cada elemento, pelo respectivo complemento algébrico. A

adjunta de A denota-se por Adj(A).

A

T

por

Exercício 10: Calcule a matriz adjunta das matrizes seguintes

10.1:

A =

1

2

3

4

10.2:

4

0

A = −

1

1

4

1

0

1

4

Esta definição permite o cálculo da inversa de uma matriz do seguinte

modo:

A

T

⎯⎯→ ⎯⎯→

A

()

Adj A

⎯⎯→

A

1

=

()

Adj A

det

(A)

Nota: Só podemos calcular a inversa de A se det(A) 0 .

Exercício 11: Calcule inversa de cada uma das matrizes usando a matriz

adjunta.

11.1:

A

=

3

⎣ ⎢

5

4

⎥ ⎦

7

11.2:

A =

2

⎢ ⎢ − 2

3

1

4

5

0

⎥ ⎦

1

4

4.5. Resolução de Sistemas de Equações Lineares: Regra de Cramer

Consideremos o sistema de equações lineares:

a

11

a

a

21

31

x

x

x

1

1

1

+

+

+

a

a

a

12

22

32

x

x

x

2

2

2

+

+

+

a

a

a

13

23

33

x

x

x

3

3

3

= = b b

=

b

1

2

3

a

a

a

11

21

31

a

a

a

12

22

32

a

a

a

13

23

33

x

x

⎦ ⎢ ⎣ x

1

2

3

⎥ ⎢

⎥ ⎢

⎦ ⎥

=

b ⎤ ⎥ ⎥ ⎥ ⎦

⎣ ⎢

1

b

2

b

3

Ax

=

Suponhamos que det(A) 0 , então existe a inversa

A

1

de A, logo

Ax

=⇔ b

A

−− 11

Ax

=

A

b

Ix =

A

1

b

⇔= x

A

1

b

⇔= x

1

det

(

A

)

Adj

(

⎥ ⎦

⎡⎤

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥

⎣⎦

+−+

11

21

)

det

det

()

()

AA

12

+

()

(

det

det

det

(

(

)

)

det

det

det

(

(

(

A 31

Ab

)

)

)

⎡⎤

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥

⎢⎥

⎣⎦

x

1

b

1

2

b

3

1

⇔=

x

3

x A

2

det

(

A

)

det

A 22

32

33

+−+

AAA

13

23

x

1

x

2

x

3

=

=

=

det

(

A 11

)

b 1

det

(

)

Ab

21

2

+

det

(

)

Ab 31

3

det

()

Ab

−+

12

1

det

(

A

)

det

(

)

Ab 22

2

det

(

)

Ab

32

3

det

()

Ab

13

1

det

det

(

A

)

(

)

Ab

23

2

+

det

(

)

Ab

33

3

det

(

A

)

)

A b

b

onde

A

ij é a matriz obtida de A por eliminação da linha i e coluna j.

Daqui resulta:

x

1

=

b a 1 a 12 13 b a 2 a 22 23 b a 3
b
a
1 a
12
13
b
a
2 a
22
23
b
a
3 a
32
33

det

(A)

;

x

2

=

a b b a a 21 2 23 b a a 31 3 33
a b
b
a
a 21
2
23
b
a
a 31
3
33

11

1

a

13

det

(A)

;

x

3

=

a b a 11 12 1 a b a 21 22 2 a b a
a b
a
11
12
1
a
b
a 21
22
2
a
b
a 31
32
3

det

(A)

.

Esta propriedade pode ser generalizada através da seguinte regra:

Regra de Cramer : Seja A uma matriz quadrada de ordem n não singular,

então o sistema Ax = b tem uma única solução dada por

x j

=

det

(

C

j

)

det

(A)

onde

C

j é a matriz que se obtém de A substituindo a coluna j pela matriz

coluna b.

Exercício 12: Use a regra de Cramer para resolver os sistemas:

12.1:

2x + y =

− +

x

2y

8

=

7

12.2:

2x

+

x +

⎩ ⎪ 3x

y

z

5y

y

+

4z

2z

=

=

=

1

0

2

4.6 Exerc´ıcios

1. Calcule os seguintes determinantes:

1

(a) 2

3

4

;

(b)

1

0

2

4

;

(c)

2

1

1

2

.

2. Calcule os seguintes determinantes, usando a regra de Sarrus:

(a)

2 3

4

1 1

2

1

3

2

;

(b)

2

1

1

1

0

4

3

2

2

;

(c)

2 2

5

2

0 2

2

1

2

3. Calcule o seguinte determinante, usando a elimina¸c˜ao de Gauss

4. Calcule os seguinte determinantes,

( i) usando a elimina¸c˜ao de Gauss;

( ii) usando a f´ormula de Laplace.

(a) 1

1

2

(d)

0

1

0

0

2

1

0

4

2

0

3

0

0

3

2

2

0

1

0

4

0

;

0

0

3

0

2

(b)

2

1

0

0

0

;

a

0

0

0

0

0

c

0

(e)

0

0

0

d

0

b

0

0

;

(c)

0

1

0

0

1

2

2 2 0

3 4

0

5

1

2

3

2

1 2

0

1

1

0

1

0

.

0

1

0

1

0

0

1

0

;

.

1

1

1

1

1

1

1

4

1

1

3

1

1

2

1

1

.

5.

Calcule, da forma que achar mais conveniente (pode evidentemente misturar as t´ecnicas

aprendidas) os seguinte determinantes:

(a)

(c)

2 1

1

0

1

0

3

2

4

;

1

1

3 1

3

2

2

0

1 2

0

2

3

0 2

4

(b)

;

1

1

0

3 1

0

1

1

3

0

2

0 1

0

0 2

1

2

3

1

1

0

3

1

0

2 1

1

3

1

(d)

2

3

1

2

1

0

1

3

1 2

2

4

2 1 1

3

2

1

2

2

0

1

.

;

6. Sendo A n × n, qual ´e a rela¸c˜ao com detA de :

(a) det(2 A) ?

(b) det( A) ?

(c) det( A 2 ) ?

7. Se A ´e uma matriz invert´ıvel de ordem n, mostre que det( A 1 ) =

1

det( A) .

8. Relativamente a cada uma das matrizes seguintes, use determinantes para encontrar os

valores dos parˆametros para os quais a matriz ´e invert´ıvel.

(a)

α β

α

0

β

1

0

β

0

Duas

9. matrizes

;

(b)

1

1

0

1

0 1

λ

0

λ

1

0

1

1 1

λ

1

;

(c)

1

1

0

1

0

α

1

α

0

αβ

β

α 2 + β α + αβ

1

α 2 + β

α

.

A e B dizem-se semelhantes se existir