Sei sulla pagina 1di 24
Apresentando o fascículo O fascículo que você tem em mãos é o quarto da coleção
Apresentando o fascículo O fascículo que você tem em mãos é o quarto da coleção

Apresentando o fascículo

O fascículo que você tem em mãos é o quarto da coleção que será publicada durante o Procefet-2008 e tem como finalidade complementar seus estudos de preparação, não só para as avaliações do Procefet, como também para o prosseguimento de seus estudos no ensino médio.

Neste fascículo, você vai encontrar as questões relativas à Segunda Avalia- ção do Procefet-2006 comentadas e resolvidas. Além disso, elaboramos para você um simulado contendo quatro questões de Língua Portuguesa, quatro questões de Matemática, duas de cidadania e uma proposta de produção textual.

Aproveitamos para lembrá-lo de que é muito importante que você organize o seu tempo de estudo, resolva os exercícios propostos e, quando tiver alguma dúvida, entre em contato conosco por carta ou, se preferir, mande um e-mail para coted@cefetrn.br.

A equipe do Procefet

um e-mail para coted@cefetrn.br . A equipe do Procefet Diretor Geral Francisco das Chagas de Mariz

Diretor Geral Francisco das Chagas de Mariz Fernandes Diretor da Unidade Sede de Natal Enilson Araújo Pereira Diretor da Unidade de Mossoró Clóvis Costa de Araújo Diretor da Unidade da Zona Norte de Natal Anna Catarina Costa Dantas Diretor da Unidade de Currais Novos Rady Dias de Medeiros Diretor da Unidade de Ipanguaçu Paulo Roberto Leiros de Souza Chefe de Assessoria de Comunicação Social Arilene Lucena de Medeiros Diretor de Ensino Belchior de Oliveira Rocha Coordenador de Tecnologias Educacionais e Educação a Distância Erivaldo Cabral da Silva Equipe do Procefet Ana Lúcia Sarmento Henrique, Arlindo Lopes Barbosa, Cristiane Borges Angelo, Elizabete Alves de Freitas, Leonor de Araujo Bezerra Oliveira, Colaborado- res deste fascículo Manoel Lopes Costa, Ilane Ferreira Cavalcante Revisores Ana Lúcia Sarmento Henrique, Carmen Rosane Pinto Frazón Ilustrador João Carlos Medeiros de Morais Bolsista Marciana da Costa Silva

Carlos Medeiros de Morais Bolsista Marciana da Costa Silva Diretor Presidente Gladstone Vieira Belo Diretor Geral

Diretor Presidente Gladstone Vieira Belo Diretor Geral Albimar Furtado Diretor de Redação Osair Varconcelos Diretor Executivo Operacional Habib Bichara Promoções e Projetos Especiais Afonso Laurentino Ramos Editores do Suplemento Francisco Francerle e Adriana Amorim (84) 4009-0166 - Ramal 0192

Projeto Gráfico e Diagramação Firenzze Design & Comunicação (84) 3086-1228 - atendimento@firenzze.com | www.firenzze.com

CEFET-RN/Unidade Sede Av. Senador Salgado Filho, 1559 - Tirol, 59.015-000 – Natal/RN CEFET-RN/Zona Norte Rua Brusque, s/n, Conj. Santa Catarina, Potengi, 59.112-490 – Natal/RN CEFET-RN/Currais Novos Estrada do Totoró, Zona Rural de Currais Novos, s/n, 59.380-000 – Currais Novos/RN CEFET-RN/Ipanguaçu Povoado Base Física, Zona Rural, s/n, 59.508-000 Ipanguaçu/RN CEFET-RN/Mossoró Rua Raimundo Firmino de Oliveira, 400 Conj. Ulrick Graff, Costa e Silva, 59.628-330 Mossoró/RN

TEXTO 1 - TECNOlOGIA E SOCIEDADE

Por Henrique Rattner

“A palavra progresso não tem nenhum sentido enquanto ainda existirem crianças infelizes.” Albert Einstein

O progresso técnico seria a resposta aos males de nossa sociedade?

Temos, por um lado, os defensores do aumento sem restrições da P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), ou seja, das verbas orçamentá- rias e particulares atribuídas aos esforços de inovação tecnológica,

sob forma de mais pesquisas, patentes, publicações científicas e suas aplicações no processo produtivo. Freqüentemente, pesquisadores e tecnólogos prometem mais do que podem efetivamente entregar, para obterem mais financiamentos para suas atividades. Assim, prejudicam sua credibilidade junto à sociedade quando esta percebe os exageros nas promessas e a omissão dos riscos e problemas inerentes ao de- senvolvimento de certas tecnologias de ponta, tais como a engenharia genética, a energia nuclear e, mais recentemente, a nanotecnologia. Por isso, quando nos deparamos com propostas, planos e projetos de política científica e tecnológica, devemos sempre indagar: Para quê? Para quem? A que custo? Alguns cientistas afirmam que ciência e tecnologia servem a toda

a humanidade. Afinal, o progresso técnico ajudaria a impulsionar o

desenvolvimento da sociedade humana, vencendo a superstição e a ignorância ao imprimir maior racionalidade às ações humanas. Afir- ma-se que a inovação e, particularmente, seus produtos tecnológicos estimulam a competitividade e, dessa forma, contribuem para o cres- cimento econômico do país. Conseqüentemente, a competitividade é considerada um valor supremo da vida social, como se fosse uma lei da natureza característica da espécie humana. Deixa-se de mencionar, propositadamente, que o mais longo período

da história da vida humana foi orientado pela cooperação e solidarie- dade, valores fundamentais para a sobrevivência da espécie. Considerar a competição como norma geral do comportamento social

é pôr em segundo plano a preocupação com o próximo. A ideologia

da competição e da produtividade faz parte de uma visão de mun- do dominada pela corrida atrás da acumulação ilimitada de riquezas,

nem sempre por meios civilizados e legítimos. Não existiriam outras opções de estilo de vida que valeriam a pena

transmitir aos jovens e às crianças? Para a sociedade, coletivamente, só haverá vantagens na busca de maior produtividade quando seus resultados forem distribuídos para elevar o nível de bem-estar coletivo. Isso pode ser atingido mediante a elevação proporcional dos salários, a redução dos preços de bens e serviços ou o aumento de investimentos dos lucros gerados na expansão do sistema produtivo. Contrariando tal lógica produtivista, os excedentes do proces- so produtivo na América Latina vêm sendo, historicamente, desviados para o consumo de luxo das elites, para o entesouramento sob forma de aquisição de terras e de moeda estrangeira ou, modernamente, do envio para paraísos fiscais de aplicações especulativas no mercado financeiro internacional. Deixemos bem claro: não se discute aqui a necessidade da P&D nas so- ciedades contemporâneas, mas a condição de que esta seja ambiental- mente segura, socialmente benéfica (para todos) e eticamente aceitável. Resumindo, ciência e tecnologia não são ética ou politicamente neutras. Cientistas e tecnólogos não podem deixar de lado suas posições sociais e seus valores. Em cada estágio da evolução social, as tecnologias utilizadas refletem as contradições e os conflitos entre o poder econômico (com sua tendência à concentração de riquezas, poder e acesso à informação) e as aspirações de participação democrática, autonomia cultural e autogestão. Por isso, a sociedade civil tem o dever e o direito de exercer o controle sobre as inovações tecnológicas que não podem ficar a critério único de cientistas, tecnocratas, políticos e empresários. Impõe-se uma avaliação prospectiva baseada no princípio da precaução e que contemple, além dos aspectos técnicos e financeiros, a necessidade inadiável de superar a situ- ação de desigualdade e o processo de deterioração do meio ambiente.

VOCABUlÁRIO Especulativa: 1. teórica; 2. curiosa; 3. que se aproveita das circunstân- cias para proveito próprio; 4. referente a espelho. Inerente: 1. inseparável; 2. intrínseco; 3. essencial; 4. próprio. Nanotecnologia: 1. tecnologia relativa a componentes excessivamente pequenos, da ordem da bilionésima parte da unidade de referência. Prospectivo: 1. relativo a futuro; 2. sondagem; 3. conjunto de técnicas relativas à pesquisa e localização de jazidas minerais ou petrolíferas.

RATNNER, Henrique. Ciência e Tecnologia. Disponível em <http://www.espacoacademico.com.br/048/48rattner.htm>. Acesso em 03/10/2005. Adaptado para uso nesta prova.

Acesso em 03/10/2005. Adaptado para uso nesta prova. PROCEFET 2008 - FASCÍCULO 04 | 3

TEXTO 2 - PARA ONDE VAI O E-LIXO

Camila Artoni

A maioria dos aparelhos elétricos e eletrônicos usados está acumulando

poeira. Estima-se que três quartos deles estejam apenas ocupando es- paço em garagens e armários. O restante foi jogado fora e ganhou um desses destinos:

Reuso Uma boa maneira de aumentar a vida útil dos eletrônicos é passá-los adiante. Muitos computadores antigos do primeiro mundo são exporta- dos para os países em desenvolvimento. Os benefícios da reutilização são claros, já que os aparelhos demoram mais para virarem lixo. O pro- blema é que, quando isso acontece, em geral, os equipamentos estão em áreas menos preparadas para lidar com resíduos tóxicos, o que sig- nifica que, provavelmente, tomarão um rumo pouco ecológico.

Exportação Apesar da Convenção da Basiléia, que proíbe o movimento de lixo tóxico

entre países, muitos despejos eletrônicos atravessam as fronteiras para terminarem no terceiro mundo. Uma inspeção de 18 portos europeus, feita este ano, levantou que 47% dos resíduos destinados à exportação eram ilegais, lixo eletrônico entre eles. Somente no Reino Unido, pelo menos, 23 toneladas métricas de e-lixo foram despachadas para a Índia,

a África, a China ou o Extremo Oriente em 2003. Calcula-se que, nos EUA, entre 50% e 80% do lixo destinado à reciclagem tenha o mesmo fim.

Incineração

A queima de produtos eletrônicos libera metais pesados, como chumbo,

cádmio e mercúrio, na atmosfera e em forma de cinzas (que, muitas vezes, são despejadas em rios). O mercúrio presente no ambiente pode chegar à nossa cadeia alimentar, principalmente, por meio dos peixes. Retardantes de chamas bromados geram poluentes altamente tóxicos quando incinerados.

Reciclagem Embora o reaproveitamento de materiais possa ser uma saída inteligen-

de materiais possa ser uma saída inteligen- te, os produtos químicos perigosos presentes nos

te, os produtos químicos perigosos presentes nos eletrônicos podem afetar as pessoas que lidam diretamente com a reciclagem, assim como a vizinhança e o ambiente. Em países desenvolvidos, o processo de reci- clagem acontece em lugares específicos para isso, sob condições mais ou menos controladas. No restante do mundo, a operação, na maior parte das vezes, não sofre nenhuma fiscalização. O desmanche é feito à mão em lixões, muitas vezes por crianças.

Design verde Para os ambientalistas, só existe uma maneira segura de descartar ele- trônicos: produzi-los “limpos”, ou seja, livre de substâncias tóxicas. Muito do material usado hoje pode ser substituído. Um exemplo é o chumbo das soldas, que pode ser trocado por liga de estanho. Alguns fabricantes já abriram mão de usar retardantes de chamas bromados e PVC em seus produtos e passaram a empregar similares.

ORTONI, Camila. O lado B da tecnologia. Disponível em <http://revistagalileu.globo.com/Galileu/0.6993,ECT1023727-1939-1,00.html>. Acesso em 04 out. 2005. Adaptado para uso nesta avaliação.

TEXTO 3

TEXTO 3 VASCONCELOS, Yuri. Cidades: Futuro Sombrio, em Uma viagem futurística. Em Mundo Estranho, fev.2005, p.36.
TEXTO 3 VASCONCELOS, Yuri. Cidades: Futuro Sombrio, em Uma viagem futurística. Em Mundo Estranho, fev.2005, p.36.

VASCONCELOS, Yuri. Cidades: Futuro Sombrio, em Uma viagem futurística. Em Mundo Estranho, fev.2005, p.36.

TEXTO 4 - OS NÚMEROS DA SUCATA ElETRÔNICA •O tempo médio de vida útil de
TEXTO 4 - OS NÚMEROS DA SUCATA ElETRÔNICA
•O tempo médio de vida útil de um computador nas nações desenvolvi-
das caiu de seis para apenas dois anos entre 1997 e 2005.
•Telefones celulares têm ciclo de vida de 18 meses nos mesmos países.
•A indústria vendeu 183 milhões de novos computadores em 2004
– 11,6% a mais do que em 2003.
•674 milhões de celulares foram vendidos em todo o mundo no mes-
mo período, superando em 30% os índices do ano anterior.
•Em 2010, Estados Unidos, Europa e Pacífico Asiático já terão
acrescentado à soma mais 150 milhões. Até lá, haverá 178 milhões
de novos usuários de informática na China e 80 milhões na Índia. No
México, 46% dos habitantes terão um computador.
ORTONI, Camila. O lado B da tecnologia. Disponível em <http://revistagalileu.globo.com/
Galileu/0.6993,ECT1023727-1939-1,00.html>. Acesso em: 04 out. 2005. Texto adap-
tado para uso nesta avaliação.

TEXTO 5 A PElEJA DO CORDEl DA FEIRA COM A INTERNET

Vou lhe contar, cidadão,

Uma história bem brejeira

E

Querendo um mundo de paz

assim ele vivia

tudo que a vida traz Nada nunca é demais

A

Que ao mundo o levou

Que começou numa feira

Mas ninguém compreendia

E foi se modernizando.

Pois agora na Internet

Pelas bandas do sertão

Quando dizia que um dia

O

cordel vai mais distante

E de forma bem ligeira

Chegou à terra inteira Causando admiração.

Severino Rio Grande Fazia muito cordel Falava até de bordel Assim a arte se expande De soldado, coronel, Matuto, arranha-céu, Falava até de Gandhi.

Ia sair nos jornais.

Mexendo com linotipo Telex e Off set No fax pintou o sete Sem falar no teletipo Fazia até enquete Só não comia gilete Pois não achava bonito.

Os anos foram passando

A maquininha Olivetti

Que usou anos seguidos Inda tinha nos ouvidos Qual serpentina e confete Mas a marca dos sabidos Que ganhou novos sentidos Agora era a Internet.

Nem mesmo questionou

A nova moda lançada

E de forma enviesada

Basta somente um instante

E a história se repete

São Gonçalo do Amarante Paris, Itu, num berrante Todo mundo se derrete

Acho que dei o recado

Quem quiser diga o contrário Pois em todo abecedário

Tem alguém inconformado

E nesse rimar diário

 

O

tempo não vai pra trás

Seus cordéis lá colocou

Quero o futuro no páreo

Com uns tipos manuais

E

aquele nosso rapaz

Foi uma festa danada

Mas não esqueço o passado.

Muitos impressos fazia

Ia

se adaptando

A

homepage lançada

MEDEIROS, Valter. A peleja do cordel da feira com a Internet. Disponível em <http://paginas.terra.com. br/arte/cordel/ap027Internet.htm>. Acesso em 14/10/2005.Texto adaptado para uso nesta prova.

Respostas

comentadas

líNGUA PORTUGUESA

AS qUESTõES 1 A 8 REFEREM-SE AO TEXTO 1 – TECNOlOGIA E SOCIEDADE.

01) Segundo a opinião do autor sobre as tecnologias,

(A)

a ciência e a tecnologia servem para toda a humanidade.

(B)

a sociedade deve ter o controle sobre as inovações tecnológicas.

(C)

o progresso técnico é a resposta para todos os males da socie- dade.

(D)

a inovação tecnológica estimula a competitividade e o desenvolvi- mento da sociedade.

a competitividade e o desenvolvi- mento da sociedade. RESOlUçãO Observando a epígrafe de Einstein citada logo

RESOlUçãO

Observando a epígrafe de Einstein citada logo no início do Texto 1, já percebemos que ele desenvolve a idéia de que toda a pesquisa e de- senvolvimento tecnológicos só são relevantes se atenderem também a valores inerentes ao humano como a felicidade, a liberdade, entre outros. Ele questiona a tecnologia que não esteja a serviço do bem estar humano e apenas sirva à competitividade e ao mercado. Esse tipo de desenvolvimento, diz ele, não é útil para toda a humanidade. Esse mesmo argumento traz também a idéia de que o progresso téc- nico não é uma resposta a todos os males da sociedade. O autor, inclusive, afirma que toda a pesquisa e desenvolvimento tecnológicos só são verdadeiramente úteis quando são ambientalmente “seguras” socialmente “benéficas” (para todos) e eticamente “aceitáveis”. Des- se modo , diz ele, “é preciso controlar a pesquisa e o desenvolvimento de forma a guiá-la para o bem-estar de todos”

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

“A palavra progresso não tem nenhum sentido enquanto ainda existi - rem crianças infelizes”.

02) Assinale a opção que apresenta o trecho do Texto 1 que melhor retoma a idéia expressa na citação de Einstein

(A) “Para a sociedade, coletivamente, só haverá vantagens na busca de maior produtividade quando seus resultados forem distribuídos para elevar o nível de bem-estar coletivo.”

(B)

“A ideologia da competição e da produtividade faz parte de uma visão de mundo dominada pela corrida atrás da acumulação ilimitada de ri- quezas.”

(C)

“Alguns cientistas afirmam que ciência e tecnologia servem a toda a hu- manidade.”

(D)

“O progresso técnico seria a resposta aos males da sociedade?”

RESOlUçãOtécnico seria a resposta aos males da sociedade?” Como já comentamos na resolução da questão 01,

Como já comentamos na resolução da questão 01, o desenvolvimento tec- nológico ideal é aquele que serve ao bem-estar da sociedade. Essa é a idéia que o texto de Einstein ressalta, afirmando que o progresso só existirá quan- do todas as crianças forem felizes. As demais alternativas são trechos do texto que não traduzem a idéia expressa por Einstein na citação, ao contrário, questionam o progresso e a competitividade como aspectos de desenvolvi- mento pleno da sociedade, não respondem ao enunciado da questão.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

03) Considerando sua inserção no Texto 1, os valores fundamentais para a sobrevi- vência da espécie humana são

(A)

ciência e progresso.

(B)

direitos e tecnologia.

(C)

competitividade e técnica.

(D)

cooperação e solidariedade.

RESOlUçãOe técnica. (D) cooperação e solidariedade. Como o texto questiona o progresso e a ciência que

Como o texto questiona o progresso e a ciência que não estejam voltados para o bem-estar social, assim como critica a competitividade excessiva e a técnica pela técnica, já eliminamos as alternativas A e C. O autor defende a tecnologia aliada à ética e à responsabilidade social, não necessariamente aos direitos, mas a direitos e deveres. Ele defende, textualmente, portanto, a cooperação e a solidariedade como elementos fundamentais à sociedade humana.

OPçãO CORRETA: lETRA (D).

04) Assinale a alternativa correta em relação à classificação gramatical e à forma- ção de palavras, considerando-se sua inserção no Texto 1.

(A)

Pesquisa e Desenvolvimento é um substantivo formado por justaposição.

(B)

Entesouramento é um adjetivo formado por prefixação e sufixação.

(C)

Autogestão é um substantivo composto por aglutinação.

(D)

Nanotecnologia é um adjetivo formado por derivação.

PROCEFET 2008 - FASCÍCULO 04 |

RESOlUçãOPesquisa e Desenvolvimento são dois termos que separados têm significados independentes. No texto, entretanto, eles

Pesquisa e Desenvolvimento são dois termos que separados têm significados

independentes. No texto, entretanto, eles são utilizados em conjunto, sempre interligados pela conjunção e, e ganham um significado novo, representando as verbas orçamentárias dedicadas à pesquisa e à inovação tecnológica. É, portanto, um conceito novo criado a partir da união de duas outras palavras

e, nessa união, nenhuma dessas palavras perde qualquer letra. Assim, é um

termo novo criado a partir da justaposição.

Entesouramento, autogestão e nanotecnologia são substantivos. O primeiro é derivado do verbo entesourar. O termo autogestão é criado a partir da junção

do prefixo auto (grego)+ gestão (latim), através do processo de hibridismo. E

a palavra nanotecnologia é formada a partir de termos cujas origens provêm

do grego. O prefixo nano + o termo tecnologia, formando, a partir de deriva- ção prefixal, uma nova palavra.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

(C)

ressaltar e explicitar o sentido da expressão socialmente benéfica.

(D)

apresentar e intercalar o sentido da expressão eticamente aceitável.

RESOlUçãOe intercalar o sentido da expressão eticamente aceitável. O autor não utilizou parênteses para isolar ou

O autor não utilizou parênteses para isolar ou introduzir algum ter- mo novo, pois o conteúdo dos parênteses não traz nenhum conceito inovador. A expressão para todos chama a atenção e explica o que o autor compreende como Pesquisa e Desenvolvimento socialmente benéfica. O termo também não tem a função de apresentar a expres- são eticamente aceitável, pois se refere à expressão anterior, visto vir antes da conjunção e, que introduz o último item da enumeração.

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

07) No trecho, o entesouramento sob forma de aquisição de terras e de moeda estrangeira, o vocábulo aquisição pode, sem prejuízo para o sentido do Texto 1, ser substituído por

O trecho a seguir refere-se às questões 5 e 6.

(A)

venda.

(B) compra.

(C)

conquista.

(D) apreensão.

Deixemos bem claro: não se discute aqui a necessidade de P&D nas socie- dades contemporâneas, mas a condição de que esta seja ambientalmente segura, socialmente benéfica (para todos) e eticamente aceitável.

05) Segundo o trecho, a P&D

RESOlUçãOe eticamente aceitável. 05) Segundo o trecho, a P&D (A) é condição para uma sociedade eticamente

(A)

é condição para uma sociedade eticamente aceitável.

(B)

não é necessária para as sociedades contemporâneas.

Aquisição, no contexto acima, significa compra, pois o autor está criti- cando o excesso de enriquecimento de alguns através da compra de terras e de moeda estrangeira. A conquista deixaria implícita uma luta, mas o texto não fala sobre isso e a apreensão implicaria em tomar de alguém esses valores, sobre o que o texto também não discorre.

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

(C)

discute a importância de uma sociedade socialmente benéfica para todos.

(D) deve ser ambientalmente segura, socialmente benéfica e eticamente aceitável.

RESOlUçãO

RESOlUçãO

08) Preencha os espaços com V ou F, conforme as afirmativas sejam ver- dadeiras ou falsas, baseando-se nas informações do Texto 1. Em seguida, assinale a opção que corresponde à seqüência encontrada.

Segundo o texto a Pesquisa e Desenvolvimento só são aceitáveis se aliadas

a valores fundamentais do ser humano, assim sendo, não são condições

imprescindíveis para uma sociedade eticamente aceitável, o que elimina a al- ternativa A. Mas o autor não retira a importância da P & D para as sociedades contemporâneas, o que ele deseja é que ela sirva ao bem-estar de todos, o que também elimina as alternativas B e C.

OPçãO CORRETA: lETRA (D).

06) Nesse trecho, o uso dos parênteses serve para

( ) Não há necessidade de se investir em P&D nas sociedades con-

temporâneas.

( ) Ciência e tecnologia não podem ser consideradas ética ou po-

liticamente neutras.

( ) As inovações tecnológicas devem ser controladas apenas pelos cientistas, tecnocráticos, políticos e empresários.

( ) P&D, nas sociedades contemporâneas, só deve existir se for

ambientalmente segura, socialmente benéfica (para todos) e etica- mente aceitável.

( ) As inovações tecnológicas devem contemplar a superação da

(A)

introduzir e isolar uma reflexão.

desigualdade social e o processo de deterioração do meio ambiente

(B)

destacar e ampliar uma informação acessória.

(A)

F, V, F, V, V.

(B) F, F, V, F, F.

 

(C)

V, F, F, F, V.

(D) V, V, F, V, F.

RESOlUçãOO autor do texto considera relevante o investimento em P&D nas sociedades contemporâneas, mas considera

O autor do texto considera relevante o investimento em P&D nas sociedades

contemporâneas, mas considera que, como ciência e tecnologia não são neutras, esse investimento deve ser feito de forma a atender a todos de forma ética e segura, ou seja, controlada.

No entanto, esse controle, segundo Rattner, não deve ficar “a critério único de cientistas, tecnocratas, políticos e empresários.” É imprescindível “além dos aspectos técnicos e financeiros, a necessidade inadiável de superar a situação de desigualdade e o processo de deterioração do meio ambiente.”

Assim, a primeira e a segunda afirmativas são falsas por não corresponde- rem às idéias do autor. A seqüência correta, portanto, é F, V, F, V, V.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

RESOlUçãOportanto, é F, V, F, V, V. OPçãO CORRETA: lETRA (A). Reaproveitamento de materiais, processo de

Reaproveitamento de materiais, processo de reciclagem e operação são expressões que repetem a idéia de reciclagem presentes no texto. Isso é um pronome demonstrativo utilizado como substituto do subs- tantivo reciclagem evitando repetir essa expressão que vem imediata- mente anterior no texto.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

O trecho a seguir refere-se à questão 11.

Em países desenvolvidos, o processo de reciclagem acontece em lugares específicos para isso, sob condições mais ou menos con- troladas.

11) Assinale a alternativa que reescreve o trecho, mantendo o sentido original.

AS qUESTõES 9 A 11 REFEREM-SE AO TEXTO 2 - PARA ONDE VAI O E-LIXO

(A)

Para isso, o processo de reciclagem em países desenvolvidos mais ou menos acontece sob condições controladas.

09) A leitura do Texto 2 mostra que o e-lixo é destinado

(B)

Em países desenvolvidos, sob condições controladas, o processo de reciclagem ocorre em lugares específicos para isso.

(A)

à exportação, à incineração, ao design verde.

(C)

O processo de reciclagem em países desenvolvidos, sob condi-

(B)

ao reuso, à exportação, à incineração, à reciclagem.

ções mais ou menos controladas, ocorre em locais específicos.

(C)

à exportação, à incineração, à reciclagem, ao design verde.

(D) Sob condições mais ou menos controladas e em lugares específicos, o

(D)

ao reuso, à exportação, à incineração, à reciclagem, ao design verde.

processo de reciclagem acontece em países desenvolvidos para isso.

RESOlUçãOde reciclagem acontece em países desenvolvidos para isso. A autora comenta cada um desses itens, utilizando-os

A autora comenta cada um desses itens, utilizando-os como tópicos de seu

texto. As outras questões não apresentam todas as alternativas propostas pela autora do texto, apenas algumas, o que não responde completamente às questões. O design verde não é uma forma de tratar o e-lixo, mas uma for- ma de evitar a sua produção, usando materiais não poluentes na fabricação de produtos eletrônicos.

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

10) Assinale a alternativa em que todas as palavras ou expressões retomam o termo reciclagem no item intitulado Reciclagem.

RESOlUçãOretomam o termo reciclagem no item intitulado Reciclagem. Na alternativa A o Para isso inicial, dá

Na alternativa A o Para isso inicial, dá a entender que o controle do processo de reciclagem acontece sob condições controladas para chegar a alguma coisa.

A alternativa B afirma que o processo de reciclagem só ocorre quan-

do há condições controladas.

E a alternativa D leva a acreditar que o processo de reciclagem ocorre em condições mais ou menos controladas e em lugares específicos

e apenas em países desenvolvidos para a reciclagem, uma vez que o pronome isso retoma o termo reciclagem.

(A)

isso, operação, desmanche, lixões.

Nenhuma dessas opções contempla o conteúdo do texto original,

(B)

reciclagem, processo de reciclagem, lixões, crianças.

que aborda o fato de que só nos países desenvolvidos é que o pro-

(C)

materiais, produtos químicos, eletrônicos, desmanche.

cesso de reciclagem tem lugar e condições específicas para ser feito.

(D)

reaproveitamento de materiais, processo de reciclagem, isso, operação.

Isso fica claro na opção C.

OPçãO CORRETA: lETRA (C).

AS qUESTõES 12 A 15 REFEREM-SE AO TEXTO 3 CIDADES FUTURO SOMBRIO

12) O Texto 3

(A)

afirma que as cidades serão sombrias.

(B)

garante que o futuro das cidades será sombrio.

(C)

alerta para as conseqüências do crescimento desordenado das cidades.

(D)

confirma que a tecnologia pode trazer sérias conseqüências para

as

cidades.

RESOlUçãOpode trazer sérias conseqüências para as cidades. O Texto 3 demonstra algumas das situações críticas que

O Texto 3 demonstra algumas das situações críticas que poderão

afetar as cidades no futuro se o homem não tiver o cuidado, hoje, de preservar o meio ambiente e de procurar meios alternativos de desenvolvimento. Portanto, ele faz uma alerta para as conseqüências do crescimento urbano desordenado.

RESOlUçãOpara as conseqüências do crescimento urbano desordenado. A palavra excesso está acompanhada de um artigo (

A palavra excesso está acompanhada de um artigo (O) o que a caracteriza

como um substantivo, seu adjetivo seria excessivo. A palavra rígidos está qualificando o substantivo rodízios, sendo, portanto, um adjetivo; e um é artigo indefinido masculino singular que se refere à palavra colapso.

OPçãO CORRETA: lETRA (C).

15) É correto afirmar que

I. Existe apenas uma oração no período.

II. A palavra excesso funciona como núcleo de sujeito.

III. As palavras rígidos e um funcionam como adjunto adnominal.

 

(A)

Só a afirmativa I está correta.

OPçãO CORRETA: lETRA (C).

(B)

Só a afirmativa II está correta.

(C)

As afirmativas I e III estão corretas.

13) O primeiro parágrafo do Texto 3

(D)

As afirmativas II e III estão corretas.

(A)

é narrativo e tem como função mostrar o futuro das cidades.

(B)

é descritivo e tem como função alertar sobre o futuro das cidades.

(C)

é dissertativo e tem como função criticar o futuro das cidades.

(D)

é descritivo e narrativo e tem como função discutir sobre o futuro das cidades.

RESOlUçãOe tem como função discutir sobre o futuro das cidades. O texto descreve cenas que poderão

O texto descreve cenas que poderão ser comuns nas grandes ci-

dades do futuro e essa descrição funciona como uma espécie de alerta para que pensemos sobre a necessidade de agirmos de forma

a evitar o crescimento desordenado das cidades e a degradação

ambiental que ocorreria como conseqüência desse crescimento.

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

O trecho a seguir refere-se às questões 14 e 15.

O excesso de população também impõe rígidos rodízios de água para

RESOlUçãOtambém impõe rígidos rodízios de água para Temos dois verbos (impõe e evitar) e, portanto, duas

Temos dois verbos (impõe e evitar) e, portanto, duas orações no período.

A palavra excesso é o núcleo do sujeito o excesso de população. É esse ex-

cesso que impõe rodízios de água. O termo rígidos está qualificando o tipo de rodízio e o artigo indefinido um demonstra a indefinição do substantivo colapso. Para compreender bem isso, basta lembrarmos que o adjunto adno- minal é um termo que modifica um nome, especificando ou delimitando seu significado e, portanto, tem valor adjetivo. Podem funcionar como adjunto o

adjetivo, a locução adjetiva, o artigo, os pronomes adjetivos, os numerais e

a oração adjetiva.

OPçãO CORRETA: lETRA (D).

A qUESTãO 16 REFERE-SE AO TEXTO 4 – OS NÚMEROS DA SUCATA ElETRÔNICA

16) Considerando-se sua inserção no segundo item do Texto 4 a expressão nos mes- mos países refere-se

evitar um colapso no abastecimento

(A)

à expressão nações desenvolvidas.

 

aos vocábulos China, Índia e México.

 

(B)

14) As palavras em negrito são, respectivamente,

(C)

à expressão países do Pacífico Asiático.

(D)

aos vocábulos Estados Unidos e Europa.

(A)

adjetivo, adjetivo e artigo.

(B)

substantivo, adjetivo e artigo.

(C)

adjetivo, substantivo e numeral.

(D)

substantivo, substantivo e numeral.

RESOlUçãOA expressão nos mesmos países está substituindo, no segundo item do Texto 4, a expressão

A expressão nos mesmos países está substituindo, no segundo item do

Texto 4, a expressão nações desenvolvidas presente no primeiro item desse mesmo texto. Substitui para não repetir, mantendo o mesmo

significado.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

AS qUESTõES 17 E 18 REFEREM-SE à lEITURA COMPARATIVA ENTRE OS DIVERSOS TEXTOS DESTA AVAlIAçãO.

17) A leitura dos textos 2 e 4 leva-nos a concluir que o neologismo e-lixo significa

RESOlUçãO2 e 4 leva-nos a concluir que o neologismo e-lixo significa O Texto 2 trata do

O Texto 2 trata do destino dado ao e-lixo em países desenvolvidos e nos que

ainda estão em desenvolvimento. O Texto 3 alerta para o futuro das cidades se houver um crescimento urbano desordenado, nesse caso, o aumento da violência é apenas um dos itens desse futuro, há também a verticalização das moradias, a vigilância eletrônica nas ruas, o excesso de lixo, entre outros.

As questões 1, 2 e 8 desta avaliação, de certa forma, já nos levam a perceber que o Texto 1 trata da necessidade de a sociedade controlar a P&D, para que

a tecnologia seja produzida para o benefício de todos. O Texto 4, tanto no seu

título (Os números da sucata eletrônica) como na evolução histórica (de 1995 à previsão para 2010), mostra que, cada vez mais, produzimos lixo eletrônico.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

(A)

uma escultura denominada Monstro do Lixo.

(B)

o local destinado à reciclagem de lixo eletrônico.

AS qUESTõES 19 E 20 REFEREM-SE AO TEXTO 5

 

(C)

os equipamentos elétricos e eletrônicos que estão em desuso.

(D)

os aparelhos elétricos e eletrônicos que contêm elementos tóxicos.

RESOlUçãO

RESOlUçãO

19) Assinale a opção que, segundo o Texto 5, representa graficamente a evolução dos recursos tecnológicos e seu uso como veículo de expressão do gênero cordel.

representa graficamente a evolução dos recursos tecnológicos e seu uso como veículo de expressão do gênero
representa graficamente a evolução dos recursos tecnológicos e seu uso como veículo de expressão do gênero

(A)

(B)

O Monstro do lixo é uma escultura feita com e-lixo, não o conceito dessa expressão. O local destinado à reciclagem é um local que re-

cebe o e-lixo para desmonte e reaproveitamento. Os aparelhos elétri- cos e eletrônicos que contêm elementos tóxicos só se transformarão em e-lixo quando estiverem em desuso, portanto, a alternativa que melhor conceitua o termo é a C, ou seja, o termo e-lixo refere-se ao entulho dos equipamentos elétricos e eletrônicos que já não são mais

 
o termo e-lixo refere-se ao entulho dos equipamentos elétricos e eletrônicos que já não são mais
 
o termo e-lixo refere-se ao entulho dos equipamentos elétricos e eletrônicos que já não são mais
 

usados.

(C)

(D)

OPçãO CORRETA: lETRA (C).

18) Sobre os textos 1, 2, 3 e 4 desta avaliação, é correto afirmar

I. O Texto 1 trata da necessidade de a sociedade controlar a P&D.

II. O Texto 2 questiona o tema lixo eletrônico.

III. O Texto 3 alerta para o aumento da violência.

RESOlUçãOIII. O Texto 3 alerta para o aumento da violência. A maquininha Olivetti/Que usou anos seguidos/Inda

A maquininha Olivetti/Que usou anos seguidos/Inda tinha nos ouvidos/Qual serpentina e

IV.

O Texto 4 mostra que produzimos cada vez mais lixo eletrônico.

confete/Mas a marca dos sabidos/Que ganhou novos sentidos/Agora era a Internet.

(A)

As alternativas I e IV estão corretas.

O

cordel, narrado em primeira pessoa, conta a história de um cordelista que

(B)

As alternativas I e II estão corretas.

costumava fazer seus cordéis à mão, datilografando-os, posteriormente, em

(C)

As alternativas II e III estão corretas.

uma máquina Olivetti. A seguir, ele descobre a Internet e outras tecnologias, como o telex e o fax e se encanta com elas, passando a digitar seus cordéis

(D)

As alternativas III e IV estão corretas.

 

divulgá-los na rede. É uma narrativa, portanto, que demonstra uma linha sempre ascendente de desenvolvimento.

e

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

20) Sobre o uso da palavra maquininha é correto afirmar que, aliada à idéia de pe- quenez, existe um sentimento de

22) Segundo o autor do Texto 3, futuramente as cidades estarão abarrotadas de moradores e, conseqüentemente, a produção de lixo aumentará a degra- dação ambiental. Se considerarmos que cada brasileiro produz em média 1

(A)

tristeza pela máquina que virou e-lixo.

kg de lixo domiciliar por dia, uma cidade com 500 mil habitantes produzirá

(B)

euforia pelo uso de uma nova tecnologia.

ao final de um ano

(C)

crítica pelo uso de uma tecnologia tão antiga.

(D)

carinho pela máquina que tantos serviços prestou.

(A)

1 825 toneladas de lixo.

RESOlUçãO

RESOlUçãO

(B)

18 250 toneladas de lixo.

(C)

182 500 toneladas de lixo.

(D)

1 825 000 toneladas de lixo.

RESOlUçãO

RESOlUçãO

O poeta, ao utilizar um termo no diminutivo (maquininha) associando-o a imagens positivas (serpentina e confete), que lembram festa, está demons-

trando certo carinho em relação ao passado, quando utilizava a máquina de escrever Olivetti. Sua visão, portanto, não é de tristeza, pois o texto não

Você pode encontrar a resposta deste problema, efetuando o produto

afirma que sua máquina antiga foi para o lixo, demonstra carinho pelo fato de ela tê-lo servido por tantos anos. Quanto à euforia pelo uso de uma nova tec- nologia, o poeta está, sim, eufórico, mas o termo não se refere à maquininha, como o enunciado coloca, mas à Internet, ao fax e ao Telex.

entre a quantidade (em kg) de lixo domiciliar produzido por dia, por habitante, pela quantidade de habitantes (500 mil) e pela quantidade de dias do ano (365). Total por ano:

OPçãO CORRETA: lETRA (D).

Respostas

comentadas

MATEMÁTICA

21) O Texto 1 faz referência à nanotecnologia, que é uma tecnologia relativa a com- ponentes excessivamente pequenos, trabalhando com estruturas de 1 bilionésimo do metro. O número 0,000000001 (1 bilionésimo) escrito em notação científica é

(A)

(B)

(C)

(D)

1 x 10 - . 1 x 10 -9 . 1 x 10 -11 . 1 x 10 -13 .

RESOlUçãO1 x 10 - 9 . 1 x 10 - 1 1 . 1 x 10

Os nove zeros à esquerda da unidade (1) serão representados no expoente da potência de base 10 com sinal negativo. Dessa forma, você pode representar 0,000000001 como sendo 10 -9 , significando que houve a divisão (entre potên- cias de mesma base) do metro (100 m = 1 m) em um bilhão (10 9 ) de partes.

10 0

m

10 9

=

10

0

9

=

10

9

m

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

1 . 500 000 . 365 = 182 500 000 kg.

Como 1 tonelada equivale a 1 000 kg, montamos uma regra de três para fazer a conversão do valor em quilogramas para tonelada. As- sim, temos:

1

ton

1 000 kg

x

182 500 000 kg

1

ton

1 000

kg

1

ton

×

182500000

kg

 

=

x

Þ =

 
   
 

x

182500000

kg

1 000

kg

x

= 182500 ton

 

OPçãO CORRETA: lETRA (C).

23) O Texto 3 destaca a produção de lixo e esgoto como fator de contribui- ção para a degradação ambiental. Mas, além desses fatores, há outros que afetarão a população em todo o planeta, também contribuindo para a degra- dação ambiental, como o desmatamento na Floresta Amazônica. Segundo dados da Revista Veja, de 12/10/2005, só nos últimos 15 anos, 28,8 milhões de hectares da Floresta Amazônica foram desbastados – metade de tudo o que foi destruído desde 1500. Considerando-se que 1 hectare equivale a 0,01 km 2 , podemos dizer que a área da Floresta Amazônica desbastada nos últimos 15 anos é igual a

(A)

28.800 km 2 .

(B)

288.000 km 2 .

(C)

2.880.000 km 2 .

(D)

28.800.000 km 2 .

RESOlUçãO A área dada no problema está em hectares (ha) e as respostas estão em

RESOlUçãO

A área dada no problema está em hectares (ha) e as respostas estão em

quilômetros quadrados (km 2 ). Assim, devemos fazer a conversão de ha para km². Para isso, basta que você utilize a correspondência dada no enunciado da questão:

1ha = 0,01 km²

Sabendo-se que 1 ha corresponde a 0,01 km² e dispondo de 28,8 milhões de hectares para serem convertidos em km², temos:

28 800 000 . 0,01 km² = 288 000 km²

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

Considere o texto a seguir para responder à questão 24
Considere o texto a seguir para responder à questão 24

A Amazônia tem 20 milhões de habitantes, em 5 milhões de quilô-

metros quadrados. Embora seja uma das mais baixas densidades demográficas do mundo, representa risco suficiente para um ecos- sistema frágil e cuja organização ainda é praticamente desconhecida pelos cientistas.

24) Calculando a densidade demográfica da Amazônia, com base nas informações do texto acima, encontramos o valor de

(A)

4 hab/km 2 .

(B)

5 hab/km 2 .

(C)

6 hab/km 2 .

(D)

hab/km 2 .

RESOlUçãO. (C) 6 hab/km 2 . (D)  hab/km 2 . Densidade demográfica (D) é a

Densidade demográfica (D) é a razão entre o número de habitantes de uma determinada região e a área ocupada por essa região. Logo, temos:

D

20000000 hab

=

5000000 km

2

D

= 4

/

hab km

2

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

25) Segundo o Texto 4, a indústria vendeu 183 milhões de novos computado- res em 2004 – 11,6% a mais do que em 2003. Considerando-se esses dados, podemos dizer que, em 2003, a indústria vendeu, aproximadamente,

(A)

158 milhões de computadores.

(B)

164 milhões de computadores.

(C)

10 milhões de computadores.

(D)

19 milhões de computadores.

Resoluçãode computadores. (D) 19 milhões de computadores. O problema afirma que, no ano de 2003, foi

O problema afirma que, no ano de 2003, foi vendida certa quantida-

de de computadores. Essa quantidade x mais 11,6 % dessa mesma quantidade correspondem a 183 milhões (quantidade vendida em 2004). Se você montar e resolver a equação, que corresponde a esse enunciado, terá a quantidade de computadores (x) vendida em 2003:

x +

11,6

100

x = 183

100x + 11,6x = 18 300 111,6x = 18 300

x = 164,4

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

26) Dos indicadores relevantes na avaliação das condições de moradia, le- vantados através do Censo Demográfico 2000, destacam-se os bens exis- tentes no domicílio. De uma maneira geral, a presença de bens, além de informar sobre a situação econômica das famílias, está relacionada com o bem-estar e saúde dos moradores, com a economia de tempo na execução das tarefas domésticas e com a locomoção, assim como ao acesso à infor- mação e ao lazer (IBGE, Censo Demográfico 2000). O gráfico 1 destaca a porcentagem de microcomputadores, por domicílio, de acordo com as cinco regiões brasileiras:

De acordo com a leitura do gráfico, podemos dizer que (A) a região Sudeste liderou

De acordo com a leitura do gráfico, podemos dizer que

(A)

a região Sudeste liderou o número de domicílios com microcom- putadores, chegando a apresentar uma proporção superior ao tri- plo da encontrada na região Norte.

(B)

a região Sul chegou a apresentar o dobro da proporção encontra- da na região Centro-oeste.

(C)

a soma das proporções das regiões Norte e Nordeste é o dobro da proporção da região Centro-oeste.

(D)

a diferença entre as proporções das regiões Sul e Nordeste é nula.

entre as proporções das regiões Sul e Nordeste é nula. RESOlUçãO Analisando cada opção oferecida no

RESOlUçãO

Analisando cada opção oferecida no problema comparativamente aos valores de cada coluna do gráfico estatístico apresentado, você verá que:

Região Sudeste = 14, milhões (maior quantidade) Região Norte = 4,5 milhões Triplo da região Norte = 13,5 milhões

Logo: 14, milhões > 13,5 milhões.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

27) O quadro 1 mostra o resultado parcial de uma enquete, realizada via Internet, através do site http:// www.enquetes.com.br, obtido em 14/10/2005, às 9h. O questionamento da enquete é: Em sua opinião, a tecnologia ajudou o mundo a se transformar em um mundo melhor?

Opções de resposta

N o votos

Sim

60

Não

15

Preferiria que não existissem muitos avan- ços tecnológicos.

9

Os

avanços tecnológicos estão rápidos de-

16

mais para podermos alcançá-los

O

mundo em desenvolvimento sofre com

37

ameaça tecnológica dos países desen- volvidos.

a

 

TOTAl

137

Se escolhermos, ao acaso, uma pessoa votante, dentre as 137 que já votaram, po- demos dizer que

(A)

a probabilidade de ela ter votado na alternativa sim é de 50%.

(B)

a probabilidade de ela ter votado na alternativa não é de 15%.

(C)

a probabilidade de ela ter votado na alternativa Preferiria que não existissem muitos avanços tecnológicos é de aproximadamente 21%.

(D)

a probabilidade de ela ter votado na alternativa O mundo em desenvolvimen- to sofre com a ameaça tecnológica dos países desenvolvidos é de aproxima- damente 2%.

dos países desenvolvidos é de aproxima- damente 2%. RESOlUçãO Este problema requer a análise de cada

RESOlUçãO

Este problema requer a análise de cada alternativa por meio do conceito de probabilidade, ou seja, sendo E um evento, a probabilidade de ocorrer o evento é calculada pela divisão entre casos favoráveis e casos possíveis:

(

p E

)

casos favoráveis

=

casos possíveis

O número de casos possíveis para qualquer alternativa é o total de pessoas

votantes, isto é, 13.

O número de casos favoráveis deve ser analisado de acordo com a afirma-

tiva da opção:

a) Nessa alternativa, o número de casos favoráveis é o número de pessoas que responderam “sim”, ou seja, 60.

Daí,

p(E) =

60

13 p(E) @ 0,43

p(E) @ 43 % (falsa)

b) Na opção b, o número de casos favoráveis é número de pessoas que res- ponderam “não”, ou seja, 15.

Daí,

p(E) =

15

13

p(E) @ 0,11 p(E) @11 % (falsa)

c) O número de casos favoráveis na opção C corresponde ao número de

pessoas que responderam “preferiria

”, ou seja, 9.

Daí,

p(E) =

9

13

p(E) @ 0,0 p(E) @ % (falsa)

d) Na opção D, o número de casos favoráveis é o número de pessoas

que responderam “o mundo

Daí,

”, ou seja, 3.

p(E) =

3

13

p(E) @ 0,2 p(E) @ 2 % (verdadeira)

OPçãO CORRETA: lETRA (D).

0,2 p(E) @ 2 % (verdadeira) OPçãO CORRETA: lETRA (D). RESOlUçãO O total de kWh/mês será

RESOlUçãO

O total de kWh/mês será encontrado quando você multiplicar o valor da po- tência de cada aparelho pela quantidade de horas usadas no mês, que é obtida, multiplicando o tempo de uso diário pela quantidade de dias.

Computador e monitor:

28) Um quilograma de papel reciclado economiza 5 000 kWh de energia

160 W . 4h . 12 d = 160 W . 48 h = 680 Wh

elétrica. Considerando-se que uma residência consome mensalmente 125 kWh, quantas residências com esse mesmo consumo podem ser atendidas

Impressora:

com a energia economizada na reciclagem de 1 kg de papel?

90 W . 0,5h . 5d

=

90 W . 2,5 h = 225 Wh

(A)

(B)

(C)

(D)

25.

30.

35.

40.

= 90 W . 2,5 h = 225 Wh (A) (B) (C) (D) 25. 30. 35.

Resolução

A questão afirma que 1 kg de papel reciclado economiza 5 000 kWh

de energia elétrica e pergunta quantas residências que consomem 125 kWh/mês podem ser atendidas com essa quantidade de energia. Para responder corretamente a essa questão, você deve dividir o total de energia pela quantidade de energia gasta por uma residência, ou seja,

n

=

5000 kWh

125

kWh n = 40.

Em outras palavras, a produção de 5 000 kWh de energia atende a 40 residências que consomem 125 kWh/mês.

OPçãO CORRETA: lETRA (D).

29) O quadro 2 mostra a potência, o tempo diário de uso e a quantidade de dias em que foram usados por mês um computador, seu monitor e uma impressora.

Aparelho

Potência

Tempo diário de uso

quantidade de dias em que foram usados no mês

Computador

160 W

4 h

12 dias

e monitor

Impressora

90 W

30 min

5 dias

De acordo com o quadro, podemos dizer que o consumo dos apare- lhos acima discriminados, no referido mês foi de

(A)

,905 kWh.

(B)

,680 kWh.

(C)

,455 kWh.

(D)

,366 kWh.

Total: 680 + 225 = 905 Wh

Observe que as respostas estão em kWh e você encontrou o valor em Wh. Logo, é necessário fazer a transformação: 1 kWh equivale a 1 000 W. Portan- to, dividimos o resultado por 1 000 para encontrar o valor em kWh.

Assim, 905

1 000

=

,905 kWh

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

30) A tela de um monitor de microcomputador tem as medidas da altura, da largura

e da diagonal proporcionais, respectivamente, aos números 3, 4 e 5. Sabendo-se que

a sua diagonal mede 14 polegadas e que 1 polegada equivale a 2,54 cm, podemos dizer que as medidas dessa tela, em centímetros, são

dizer que as medidas dessa tela, em centímetros, são (A) 21,336; 28,448 e 35,56. (B) 20,338;

(A)

21,336; 28,448 e 35,56.

(B)

20,338; 2,55 e 33,28.

(C)

19,551; 26,698 e 32,565.

(D)

18,556; 25,446 e 31,991.

RESOlUçãO19,551; 26,698 e 32,565. (D) 18,556; 25,446 e 31,991. Nessa questão, temos a seguinte relação de

Nessa questão, temos a seguinte relação de proporcionalidade:

a

3

=

l

4

=

d

5

onde a é a altura;

l é a largura; e

d é a diagonal.

Você sabe que d = 14 polegadas; e que 1 pol = 2,54 cm, então:

d

= 14 x 2,54 cm

d

= 35,56 cm (diagonal)

Utilizando as igualdades duas a duas temos:

a) Para o cálculo da altura:

d

d

a

a

35,56

35,56

a

a

=

=

Þ

Þ

= Þ

= Þ

5

5

3

3

5

5

3

3

a =

a =

21,366

21,366

cm

cm

b) Para o cálculo da largura:

d

d

l

l

35,56

35,56

l

l

=

=

Þ

Þ

= Þ l =

= Þ l =

5

5

4

4

5

5

4

4

28,448

28,448

cm

cm

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

31) Um programa de computador de 4Mb leva um tempo total “x” para ser “baixa- do” da Internet. Uma pessoa foi baixá-lo, mas ocorreu um problema de navegação e somente 2,5 Mb foram baixados, 3 minutos antes do tempo total “x”. Com base nesses dados, podemos dizer que o tempo total “x” que o programa levaria para ser baixado, em minutos, seria de

(A)

(B)

(C)

(D)

10.

9.

8.

.

baixado, em minutos, seria de (A) (B) (C) (D) 10. 9. 8. . RESOlUçãO O valor

RESOlUçãO

O valor de x, na questão, será encontrado quando você resolver a proporção entre a fração do arquivo baixado (2,5 Mb) e o tempo gasto (x – 3 minutos) em relação ao tamanho total do arquivo (4 Mb) e o tempo previsto (x).

2,5

4

=

x

x

x

- 3

-

x

-

3)

x

=

4(

4

-

x =

x = 8

1,5

4

12

=

2,5

12

x

2,5

2,5

=

x

x

12

OPçãO CORRETA: lETRA (C).

32) Um determinado microcomputador é vendido em duas lojas A e B. Na loja A o microcomputador custa R$ 170,40 a menos que na loja B. Se a loja B oferecesse um desconto de 12%, os preços ficariam iguais nas duas lojas. Sendo assim, podemos dizer que

(A)

o microcomputador custa R$ 1 249,60 na loja A e R$ 1 420,00 na loja B.

(B)

o microcomputador custa R$ 1 250,00 na loja A e R$ 1 09,60 na loja B.

(C)

o microcomputador custa R$ 1 300,00 na loja A e R$ 1 129,60 na loja B.

(D)

o microcomputador custa R$ 1 366,00 na loja A e R$ 1 195,60 na loja B.

RESOlUçãOcusta R$ 1 366,00 na loja A e R$ 1 195,60 na loja B. A solução

A solução dessa questão será dada pela resolução de um sistema de

duas equações com duas incógnitas (x e y), onde:

x

é o preço na loja A;

e

y é o preço na loja B, com x menor que y.

Montando o sistema de equações, temos:

y


y

x

= 10,40

12

100

y

=

x

Equação

Equação

I

II

.

De acordo com a equação I, y = 10,40 + x.

Substituindo y na equação II, você ficará com:

10,40 + x

12

(10,40

+ x

)

100

=

x

100 . (10,40 + x) – 12 . (10,40 + x) = 100x

1 040 + 100x – 2044,8 – 12x = 100x

14 995,2 = 12x

x =

14995,2

12

x = 1 249,60

Substituindo o valor de x na equação I, você terá:

y

– 1 249,60 = 10,40

y

= 1 420,00

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

33) O quadro 3 mostra os materiais que compõem um computador, em valo- res percentuais, em relação a sua massa total:

MATERIAl

VAlOR PERCENTUAl

Plástico

40%

Metais

37%

Dispositivos eletrônicos

5%

Borracha

1%

Outros

17%

TOTAl

100%

Supondo que um computador tenha 8 kg de massa, podemos afirmar que ele possui

(A)

444 g de metais e 480 g de plástico.

(B)

5 kg de plástico e 100 g de borracha.

(C)

3,5 kg de metais e 3 kg de outros materiais.

(D)

400 g de dispositivos eletrônicos e 80 g de borracha.

RESOlUçãOSe você calcular cada percentual dado em função dos 8 kg de massa do computador

Se você calcular cada percentual dado em função dos 8 kg de massa do computador e reduzir a gramas, você vai encontrar valores, entre os quais dois deles correspondem à alternativa correta:

dispositivos eletrônicos:

5% de 8 kg

borracha:

1% de 8 kg

5

100

8 000

1

100

8000

=

=

400

80

g

g

OPçãO CORRETA: lETRA (D).

34) A figura 1 representa um CD, cujo diâmetro total é de 12 cm e cujo diâmetro do círculo vazado é de 1,5 cm. De posse desses va- lores, a área da superfície sombreada, na figura 1, em centímetros quadrados, mede (considere x = 3,14)

(A) 111,2. (B) 224,25. (C) 365,11. (D) 445,09. RESOlUçãO Uma forma de encontrar a área
(A)
111,2.
(B)
224,25.
(C)
365,11.
(D)
445,09.
RESOlUçãO
Uma forma de encontrar a área pedida no problema é fazer a
diferença entre as duas áreas: a área total (círculo de 12 cm de
diâmetro) e a área menor (círculo de 1,5 cm de diâmetro).

A área do círculo é dada por: A = pr 2 . O raio (r) é a metade do diâ- metro e p = 3,14.

Área TOTAL = 3,14 . p . 62 Área TOTAL = 113,04

Área CÍRC. VAZADO = 3,14 . (0,5) 2 Área CÍRC. VAZADO = 1,66

Área CÍRC. SOMBREADO = A T - A CV Área CÍRC. SOMBREADO = 111,24 cm 2

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

CÍRC. SOMBREADO = 111,24 cm 2 OPçãO CORRETA: lETRA (A). DAOW, Luisa; CARUSO, Francisco. Tirinhas de

DAOW, Luisa; CARUSO, Francisco. Tirinhas de ciências. Disponível em <http://www.cbpf. br/~caruso/tirinha. Acesso em 14 out . 2005

35) Considerando-se que a placa da tirinha deveria indicar a velocidade máxima permitida naquele trajeto, a ação da personagem permite-nos afirmar que

(A) a grandeza velocidade média pode ser determinada pela razão entre distância

e tempo.

(B) a grandeza velocidade média pode ser determinada pelo produto entre distância

e tempo.

(C) a grandeza velocidade média pode ser determinada, dividindo-se o tempo pela

distância.

(D) a grandeza velocidade média não depende da distância percorrida.

velocidade média não depende da distância percorrida. RESOlUçãO Na placa do segundo quadro da tirinha, consta

RESOlUçãO

Na placa do segundo quadro da tirinha, consta apenas a indicação de 80 km. Isso representa apenas a grandeza distância e não uma razão entre duas grandezas. Isto é, indicaria apenas que foram percorridos 80 km.

No terceiro quadro da tirinha, a garota corrige a placa, deixando a indicação de 80 km/h, o que representa uma razão entre as grandezas distância percorrida em quilômetros (d) e o tempo em horas (t) gasto no percurso, que é a definição de ve- locidade média. Portanto, a grandeza velocidade média pode ser determinada pela razão entre distância e tempo.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

36) Um grupo de alunos do CEFET-RN organizou uma festa para arrecadar recursos para sua festa de formatura. Os ingressos custaram: R$ 5,00 para adultos; R$ 2,50 para crianças e R$ 2,00 para alunos da escola. Uma das alunas fez um programa de computador que forneceu, a cada nova entrada vendida, o total arrecadado na bilheteria. Se a aluna chamou de x o nú- mero de ingressos vendidos aos alunos da escola; de y o número de ingressos vendidos aos adultos; e de z o número de ingressos vendidos às crianças, a expressão algébrica digitada no programa do computador para que o mesmo informasse o total arrecadado foi

(A)

2x + 5y + 2,5z.

(B)

2,5x + 2y + 5z.

(C)

5x + 2,5y + 2z.

(D)

2x + 2,5y + 5z.

RESOlUçãOConsiderando que: x é o número total de ingressos vendidos para os alunos e que

Considerando que:

x é o número total de ingressos vendidos para os alunos e que cada ingresso de aluno custa R$ 2,00;

y é o número total de ingressos vendidos para os adultos e que o ingresso

de adulto custa R$ 5,00; e

z é o número total de ingressos vendidos para crianças e que cada um deles custa R$ 2,50.

Podemos, portanto, representar o valor total arrecadado com a venda dos ingressos pela expressão:

2x + 5y + 2,5z.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

37) A operação de troca entre as moedas de dois países é chamada de Câmbio. Se a cotação do dólar, em um determinado dia, é de R$ 2,25 significa que para comprar U$ 1,00 (um dólar) gastaríamos R$ 2,25. Se dispuséssemos de R$ 450,00, nesse dia, poderíamos comprar

(A)

(B)

(C)

(D)

U$ 200,00.

U$ 225,00.

U$ 300,00.

U$ 450,00.

RESOlUçãO(A) (B) (C) (D) U$ 200,00. U$ 225,00. U$ 300,00. U$ 450,00. Para resolver essa questão,

Para resolver essa questão, você pode recorrer a uma regra de três. Saben- do-se que U$ 1,00 equivale a R$ 2,25, e chamando-se de x o valor, em dólar, que equivalerá a R$ 450,00, temos:

U$ 1,00 R$ 2,25

x R$ 450,00

1

=

2,25

x

=

1

450

x

x

450

2,25

 

= 200

.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

38) Se reduzirmos à metade a área da base de um cilindro e quadruplicarmos a medida de sua altura, o seu volume

(A)

duplicará.

(B)

reduzir-se-á à metade.

(C)

ficará o mesmo.

(D)

quadruplicará.

RESOlUçãO(C) ficará o mesmo. (D) quadruplicará. A fórmula do volume de um cilindro (V) é dada

A fórmula do volume de um cilindro (V) é dada pelo produto da base

(p . R 2 ) pela altura (h). Ou seja, V = p . R 2 . h.

A metade da área da base é

R

2 e o quádruplo da altura é 4 . h.

2

Então, o volume, após essas modificações, passou a ser:

V

=

R

2

2

. 4h V =

2

R × 4

×h

2

V = 2(p . R 2 . h).

Desse modo, você observa que o volume ficou duplicado.

OPçãO CORRETA: lETRA (A).

39) Sabendo-se que o volume de um paralelepípedo retângulo é representa- do pela expressão algébrica 4a 2 + 20a + 25 e a área de sua base é expressa por 6a + 15, podemos dizer que a expressão algébrica que representa a altura desse poliedro é

(A) 2a + 5.

(B)

(C)

2

a+

5

2

3

a+

5

2

.

.

(D) 3a + 5.

é (A) 2a + 5. (B) (C) 2 a + 5 2 3 a + 5

RESOlUçãO

O volume de um paralelepípedo retângulo é obtido pelo produto da

área da base (Sb) pela altura (h), ou seja, V = Sb .h.

Portanto, a altura (h) é obtida pela divisão entre volume (V) e a área da base (Sb).

Logo, temos:

h =

h

=

V

S

b

4

a

2

+

20

a

+

25

6

a +

15

Para resolver essa divisão de polinômios você deve fatorar cada po-

linômio:

Observe que o polinômio 4a² + 20a + 25 possui dois termos quadrados

perfeitos: 4a² e 25 cujas raízes são 2a e 5. Observe também que o tercei-

ro termo (20a) é o dobro do produto das raízes dos quadrados perfeitos:

2 . 2a . 5. Logo, a forma fatorada do polinômio 4a² + 20a + 25 é (2a +5)²

ou (2a + 5) . (2a +5).

Já o binômio 6a + 15 deve ser fatorado por fator comum em evidência. Ob- serve que o fator comum desse binômio é o número 3. Portanto, sua forma fatorada é 3 . (2a + 5).

Substituindo os polinômios fatorados na igualdade,

2 4 a + 20 a + 25 h = 6 a + 15 Você
2
4
a
+
20
a
+
25
h =
6
a +
15
Você terá:
(2
a
+
5)(2
a
+
5)
2
a
+
5
h
=
Þ =
h
3(2
a +
5)
3
OPçãO CORRETA: lETRA (B).

40) As expressões algébricas que representam o perímetro e a área da figura 2 são,

respectivamente,

2y

2y

2x 2x x x x x x x x x Fig 2 Fig 2
2x
2x
x x
x x
x x
x x
Fig 2
Fig 2

(A)

16x + 4y e 5x 2 + 8xy.

(B)

12x + 4y e 5x 2 + 8xy.

(C)

12x + 2y e 4x 2 + 6xy.

(D)

10x + 2y e 3x 2 + 5xy.

RESOlUçãO+ 2y e 4x 2 + 6xy. (D) 10x + 2y e 3x 2 + 5xy.

Perímetro (2p) de uma figura plana é a soma da medida de seus lados. Usan- do o sentido horário para calcular o perímetro da figura, você tem a expres- são:

2p = 2x + (x + x + 2y) + (2x + x + x) + (2y + x + x + x + x) 2p = 12x + 4y

Para calcular a área total da figura, você pode dividir a figura em três retân- gulos, calcular a área de cada um e em seguida somar as áreas desses três retângulos.

um e em seguida somar as áreas desses três retângulos. Área do retângulo 1 Area Ret

Área do retângulo 1 Area Ret 1 = (2x) . (2x + 2y) Área Ret 1 = 4x² + 4xy

Área do retângulo 2 Área Ret 2 = x . (x + 2y) Área Ret 2 = x² + 2xy

Área do retângulo 3 Área Ret 3 = x . 2y Área Ret 3 = 2xy

Logo, a área da figura (AFIG) será dada pela soma das áreas dos três retângulos.

AFIG = Área Ret 1 + Área Ret 2 + Área Ret 3

AFIG

AFIG = 5x² + 8xy

= 4x² + 4xy + x² + 2xy + 2xy

OPçãO CORRETA: lETRA (B).

qUESTãO SUBJETIVA

+ 2xy + 2xy OPçãO CORRETA: lETRA (B). qUESTãO SUBJETIVA Os textos desta avaliação fazem referên-

Os textos desta avaliação fazem referên- cia à tecnologia, numa perspectiva ética e cidadã, desde a sua produção até o descarte de equipamentos elétricos e ele- trônicos. Lembre-se de que o termo tec- nologia está relacionado tanto a produtos (como telefones, celulares, videogames, fax, softwares, vídeos, computadores, In-

ternet, realidade virtual etc.) quanto aos usos que destinamos a eles em cada época e situação. Escolha um dos produtos acima e, baseado nos textos desta prova, em seus conhecimentos e no que foi discutido nos fascículos e nas teleaulas sobre ética e cidadania, produza um e-mail, observando as seguintes orientações:

1. Imagine que seu nome é Cefetine e seu e-mail é cefetine@cefetrn. br

2. Você vai escrever para Unedine, sua professora de Iniciação Tecno- lógica e Cidadania, cujo e-mail é unedine@uned.br.

3. A professora Unedine pediu que você pesquisasse sobre o uso adequado e inadequado das tecnologias como parte do processo de avaliação da disciplina.

4. Seu texto deverá apresentar, do ponto de vista ético e cidadão, dois usos adequados e dois inadequados para o produto que você escolheu.

5. Observe o uso adequado da linguagem à situação de comunica- ção explicitada.

6. Leve em consideração seus conhecimentos sobre a estrutura do gênero e-mail, para produzir seu texto de forma adequada.

Atenção: o espaço reservado à produção é apenas indicativo. O fato de você não preencher todo o espaço ou ultrapassar um pouco não implicará em prejuízo para a avaliação que será feita.

20 | PROCEFET 2008 - FASCÍCULO 04
RESOlUçãO Para responder a essa questão, você deve atentar: a) Em relação aos elementos textuais

RESOlUçãO

Para responder a essa questão, você deve atentar:

a) Em relação aos elementos textuais

•Estrutura do e-mail de forma adequada: preenchimento do cabeçalho: e- mail do destinatário (unedine@cefetrn.br) e assunto (ex.: avaliação/ uso ade- quado e inadequado da tecnologia); •Uso de vocativo no corpo do texto (ex: Professora, Unedine etc.) •Coesão e coerência; •Linguagem adequada à situação de comunicação (dentro do padrão formal escrito, por se tratar de uma avaliação).

b) Em relação aos elementos gramaticais

Observância dos aspectos lingüístico-gramaticais do padrão formal escrito:

ortografia, acentuação, pontuação e concordância nominal e verbal. Veja que se trata de um trabalho escolar, parte do processo de avaliação da disciplina, portanto, mesmo sendo enviado por e-mail, deve respeitar as normas do padrão escrito formal.

c) Em relação à pertinência ao tema e ao proposto na questão

Seu texto deve apresentar, desde uma perspectiva ética e cidadã (e isso é muito importante!), dois usos adequados e dois inadequados para um pro- duto selecionado entre os apresentados como sugestão (telefones, celulares, videogames, fax, softwares, vídeos, computadores, Internet, realidade virtual).

, vídeos, computadores, Internet , realidade virtual). líNGUA PORTUGUESA, MATEMÁTICA E CIDADANIA TEXTO 1 PAÍS

líNGUA PORTUGUESA, MATEMÁTICA E CIDADANIA

TEXTO 1

PAÍS CRESCE MENOS EM TECNOLOGIA

Avanço brasileiro em computadores e telefones celulares fica abaixo da média da América Latina

Renato Cruz

Não é somente na economia em geral que o crescimento brasileiro tem decepcionado. O País cresce menos que a média latino-americana no setor de tecnologia, conforme índice medido pela consultoria espanhola Everis. Mesmo com a explosão do mercado

de celulares no País, que deve atingir 100 milhões de aparelhos este mês, o nú- mero de telefones móveis por mil habitantes cresceu 18,5%, chegando a 519, no terceiro trimestre do ano, comparado com o mesmo período de 2005. Segundo a consultoria The Yankee Group, devem ser vendidos 37,1 milhões de celulares este ano no Brasil, sendo 60% do total para reposição de aparelhos para pessoas que já são clientes.

A América Latina fechou o terceiro trimestre com 554 computadores por mil ha-

bitantes, um avanço de 20,6%. A campeã de crescimento, entre os quatro países acompanhados pela Everis, foi a Argentina, com um aumento de 42,4%, che- gando a 729 computadores por mil habitantes. Além do Brasil e da Argentina, a consultoria acompanha, com indicadores separados, o México e o Chile. “Houve

melhora nos índices brasileiros, mas, do ponto de vista relativo, o avanço foi mais lento que os demais”, explicou Flávio Araripe, sócio-diretor da Everis.

A consultoria IT Data projeta que, este ano, o mercado brasileiro crescerá 47% sobre o de 2005, alcançando a marca de 8,3 milhões de máquinas vendidas.

O mercado de computadores portáteis irá dobrar, passando de 313 mil laptops

comercializados em 2005 para 650 mil. Mesmo com o crescimento nas vendas de computadores, incentivado por cor- tes de impostos e pelo câmbio favorável, o Brasil fica abaixo da média regional no acesso à Internet. O número de usuários de Internet por mil brasileiros au- mentou 22,3%, comparado a 24,3% na média regional. O total de computadores

por mil habitantes avançou 15,8%, frente aos 16,7% de crescimento regional. No mesmo período, a Argentina avançou 23,7% e o Chile 25,3%.

CONSOLIDADO

A Everis consolida números sobre tecnologia e sobre o ambiente econômico e

social dos países em seu Indicador da Sociedade da Informação (ISI), que tem como objetivo orientar investidores em novos projetos. O Brasil ficou com 3,93 pontos no terceiro trimestre, comparado a 3,89 no trimestre anterior. A média latino-americana atingiu 4,33, um crescimento de 1,8%. Entre os quatro países acompanhados pela consultoria, o Brasil tem a pior pontuação. Quando se leva em conta somente os indicadores de tecnologia, o Brasil está à frente do México. O que prejudica mais o País são os indicadores de ambiente, principalmente no que diz respeito ao crescimento da economia como um todo. “Estamos em último na relação entre PIB e habitantes”, apontou Araripe. “O de- sempenho da economia tem relação direta com a tecnologia da informação”. No que diz respeito ao ambiente econômico, o resultado do Brasil foi benefi- ciado pela queda do risco país e pela melhora na classificação de risco pela Standard & Poor’s, em fevereiro. O crescimento real médio do Produto Interno

Bruto (PIB) do Brasil, nos últimos três anos, ficou em 3,2% no terceiro trimes- tre, comparado a uma média de 4,2% da América Latina. A Argentina cresceu 8,5%; o Chile, 6%; e o México, 4,1%. “O Brasil perde no crescimento”, destacou Araripe. “Outra pesquisa mostrou que

o País está em penúltimo lugar na América Latina, à frente do Haiti. É preciso ha- ver mudanças estruturais para que aumente o nível de confiança do investidor”.

O PIB por habitante do Brasil ficou em US$ 5.054. Apesar de ser maior que

a média da América Latina, de US$ 4,248, está abaixo do de outros países

pesquisados. O maior é o do Chile, de US$ 8.624, seguido pelo México (US$ 7.982) e pela Argentina (US$ 5.200).

Fonte: O Estado de São Paulo Disponível em <http://www.link.estadao.com.br/index.cfm?id_ conteudo=9757>. Acesso: 21 de junho de 2007.

TEXTO 2 A Internet é um conglomerado de redes em escala mundial de milhões de
TEXTO 2 A Internet é um conglomerado de redes em escala mundial de milhões de
TEXTO 2
A Internet é um conglomerado de redes em escala mundial de milhões de computadores
interligados pelo Protocolo de Internet que permite o acesso a informações e todo tipo
de transferência de dados. Ela é a principal das novas tecnologias de informação e
comunicação (NTICs). Ao contrário do que normalmente se pensa, Internet não é sinô-
nimo de World Wide Web (www). Esta é parte daquela, sendo que a World Wide Web,
utiliza hipermídia na formação básica, um dos muitos serviços oferecidos na Internet.
De acordo com dados de março de 2007, a Internet é usada por 16,9% da população
mundial (em torno de 1,1 bilhão de pessoas).
Disponível em <http://pt.wikipedia.org>. Acesso em: 13 de junho de 2007.
TEXTO 3 Disponível em: <http://mundohq.fotoblog.uol.com.br>.Acesso em: 21/06/2007
TEXTO 3
Disponível em: <http://mundohq.fotoblog.uol.com.br>.Acesso em: 21/06/2007

questões

As questões 1 e 2 referem-se ao Texto 1.

01) O autor do Texto 1 afirma que, em relação aos demais países da América latina, o Brasil

(A)

apresenta o melhor índice de desenvolvimento tecnológico.

(B)

apresenta índice de desenvolvimento tecnológico mais rápido que

o dos demais países.

(C) apresenta índice de desenvolvimento tecnológico mais lento que

o dos demais países.

(D) não apresenta nenhum índice de desenvolvimento tecnológico.

02) Observe os fragmentos do Texto 1 a seguir e responda a que se refere o pronome que (em negrito) em cada um desses fragmentos.

FRAGMENTO 1

Mesmo com a explosão do mercado de celulares no País, que deve atingir 100 milhões de aparelhos este mês, o número de telefones móveis por mil habitantes cresceu 18,5%, chegando a 519, no terceiro trimestre do ano, comparado com o mesmo período de 2005.

FRAGMENTO 2

A Everis consolida números sobre ‘tecnologia e sobre o ambiente econômico e social dos países em seu Indicador da Sociedade da In- formação (ISI), que tem como objetivo orientar investidores em novos projetos. O Brasil ficou com 3,93 pontos no terceiro trimestre, compa- rado a 3,89 no trimestre anterior.

(A)

A 100 milhões de celulares, no fragmento 1, e a ambiente econômico, no fragmento 2.

(B)

A explosão do mercado de celulares no país, no fragmento 1, e a Indi- cador da Sociedade da Informação, no fragmento 2.

(C)

A 100 milhões de celulares, no fragmento 1, e a Indicador da Socieda- de da Informação, no fragmento 2.

(D)

A explosão do mercado de celulares no país, no fragmento 1, e a am- biente econômico, no fragmento 2.

As questões 3 e 4 referem-se ao Texto 2

03) O Texto 2 é um verbete da enciclopédia virtual Wikipédia e sua função é

(A)

explicar o que é Internet.

(B)

contar a história da Internet.

(C)

descrever como funciona a Internet.

(D)

relatar uma experiência com a Internet.

04) A partir da leitura do Texto 02 podemos afirmar que

(A)

a Internet tem o poder de facilitar o acesso à informação de forma democrática para uma grande quantidade de pessoas.

(B)

a Internet dificulta o acesso à informação para a grande maioria das pessoas.

(C)

a Internet só veicula conteúdos para um universo restrito de pes- soas.

(D)

os pontos públicos de acesso à Internet só atendem a uma pe- quena elite de usuários de computador.

A questão 5 refere-se ao Texto 3:

05) O Texto 3 é uma tirinha que apresenta um adolescente que se senta em

frente ao computador para elaborar um trabalho escolar, mas se distrai jo- gando paciência. Tendo isso por base, poderíamos afirmar que a tirinha nos alerta para o fato de que

(A)

é muito melhor deixar os trabalhos escolares para fazer depois, pois aprendemos mais e melhor com os jogos.

(B)

não devemos fazer os trabalhos escolares em casa, uma vez que nossa casa é lugar de lazer.

(C)

é divertido jogar, mas não podemos deixar de fazer as nossas obrigações escolares.

(D)

jogar não é divertido e é mais importante que realizar as atividades escolares.

06) Os textos 1 a 3 discutem os aspectos ligados ao desenvolvimento tec- nológico e ao acesso à tecnologia. A partir da leitura desses textos, pode-se afirmar que

I) a Internet tem permitido o acesso cada vez maior da população mundial à informação.

II) os computadores não são utilizados pelos adolescentes para reali-

zar pesquisas escolares. III) apesar de ter crescido muito, o Brasil ainda não apresenta o índice de maior desenvolvimento tecnológico da América Latina.

(A)

Apenas I e II estão corretas.

(B)

Apenas II e III estão corretas.

(C)

Apenas I e III estão corretas.

(D)

Todas as afirmativas estão corretas.

07) Observe o quadro:

quadro - Número de computadores por 1 000 habitantes.

locais

Número inicial

Aumento

Número final

(3º Trirn./2005)

(3º Trirn./2006)

América latina

X

20,6%

554

Argentina

Y

42,7%

729

Fonte: Jornal O Estado de São Paulo.

Partindo dessas informações, os valores de X e Y são, respectivamente,

(A)

459 e 512.

(B)

545 e 92.

(C)

516 e 469.

(D)

92 e 545.

08) Em um dia que US$ 1,00 esteja valendo R$ 2,02; um PIB de US$ 5 054,00 por habitante, corresponde a

(A)

R$ 10 290,08.

(B)

R$ 10 209,08.

(C)

R$ 10 309,08.

(D)

R$ 10 390,08.

10 209,08. (C) R$ 10 309,08. (D) R$ 10 390,08. 09) Um computador para uso doméstico

09) Um computador para uso doméstico está sendo vendido em uma loja por um preço menor que R$ 1 000,00. Se 120 pessoas comprassem um computador cada uma, seria gasto, em R$,

Provavelmente você já utilizou a Internet para obter informações ou para pesquisar acerca de algum conteúdo necessário para a elabo-

(A)

mais de um milhão.

ração de um trabalho escolar, não é mesmo? Ao pesquisar, você se preocupa em resumir o conteúdo pesquisado, ou apenas copia e

(B)

entre 1,5 e 3,0 mil.

cola as informações encontradas? Qual é a prática corrente entre os

(C)

menos de 120 mil.

seus colegas na escola? Até que ponto você acredita nas informa-

(D)

mais de 120 mil.

10) Um computador portátil (um notebook, por exemplo) tem as seguintes medidas:

ções veiculadas na rede? Como você seleciona as informações para a elaboração de seus trabalhos escolares? Que outros meios você utiliza além da Internet?

3,2 cm de altura, 35,7cm de comprimento e 25,7cm de largura. O volume que esse computador ocupa está em torno de

Elabore um relato, na primeira pessoa do singular, comentando como

(A)

2 936 cm 3 .

você pesquisa e elabora seus trabalhos escolares: se você utiliza a rede ou não, que outros meios você utiliza, como você seleciona as

(B)

2 936 m 3 .

informações encontradas e quais os cuidados que você tem na orga-

(C)

2 936 dm 3 .

nização e na estrutura de seus trabalhos. Seja sincero!

(D)

2 936 mm 3 .

Para estruturar sua redação, sugerimos que você coloque cada um desses itens em um parágrafo e desenvolva cada um deles com exemplos, comparações, justificativas etc.

GABARITO

QUESTÕES

OPÇÃO CORRETA

1

C

2

B

3

A

4

A

5

C

6

C

A

8

B

9

C

10

A

3 A 4 A 5 C 6 C  A 8 B 9 C 10 A