Sei sulla pagina 1di 14

http://paulomfernandez.blogspot.

com Pagina 1
UM OLHAR SOBRE CUBA

Visite meu blog:


http://paulomfernandez.blogspot.com

‘Eu trabalhei na ilha de Fidel’


Repórter passa 14 dias em Cuba e conta como é o dia-a-dia no país,
que desde julho está com seu comandante afastado do poder. A fuga do
roteiro turístico incluiu estadia em acampamento e trabalho voluntário
Valéria Maniero
-----------------------
Valeria.maniero@extra.inf.br

O destino era Cuba, o país socialista ficaria hospedada e o motivo da viagem. Temi o
que, desde 1959, ano da revolução, divide mesmo destino de alguns jornalistas que foram
opiniões mundo afora. Como desafio, conhecer, impedidos de entrar no país, ano passado, logo
em 14 dias, um pouco do dia-a-dia da ilha de após a divulgação da doença de Fidel. No
Fidel, afastado do poder desde julho para se entanto, instantes depois, a confusão se desfez,
submeter a uma cirurgia. Para entender a quando expus minha condição de integrante de
realidade do país, que a maioria só conhece uma brigada de solidariedade.
pelos livros de História e pelos índices sociais, a Já no acampamento, em pouco tempo
idéia era fugir do esquema estritamente percebi que, num sistema socialista, o trabalho
turístico. é valorizado pelo Estado, que recompensa os
Resolvi, então, participar de um empregados com maior produtividade com
programa, em que desembolsei US$ 1.240,00 eletrodomésticos, viagens a paraísos turísticos
(R$ 2.600,00), que o governo cubano oferece e até mesmo moradias populares. O governo
uma vez por ano a países da América Latina. O cubano, como é de se esperar, encabeça as
roteiro de viagem incluía estadia em contratações. Segundo o professor Alejandro
acampamento, trabalho voluntário, participação Aguilar, chefe do setor interno do Instituto
em conferências e visitas a escolas e hospitais, Nacional de Investigações Econômicas, 76,8%
instituições que enchem os cubanos de orgulho. dos empregos são estatais e 23,4%, privados.
Para eles, o importante era mostrar a vitrine do Mas o olhar sobre Cuba não se limita ao
país, mas não havia como fechar os olhos para trabalho na ilha socialista do Caribe. A vigilância
mazelas como o crescimento da prostituição e do governo, a educação, o turismo e o lazer são
os problemas com moradia e transporte. alguns dos próximos temas desta série de
Para participar da experiência, se reportagens sobre a terra de Fidel.
jornalista não era a condição. Como outros 95
brasileiros embarquei no dia 14 de janeiro para
Cuba, levando na bagagem itens pouco comuns
em viagens de férias, como roupa de trabalho
que incluía botas e luvas para a colheita de
laranjas. Como muitos turistas, tomei o cuidado
de não carimbar o passaporte para evitar
futuros transtornos se decidisse viajar para os
Estados Unidos, o inimigo número um de Cuba,
que costuma chamar o país, localizado a
apenas 144 quilômetros, de império.
Na chegada ao aeroporto José Martí,
Valéria retira galhos que atrapalhariam a colheita,
uma surpresa: um agente estranhou a profissão uma das tarefas.
indicada e, de imediato, me perguntou onde
Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007
Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina 2
UM OLHAR SOBRE CUBA

‘Há incentivos para aqueles que têm os melhores rendimentos’

Caroline Caraíba Alves


25 anos, de Curitiba (Paraná), estudante de direito.

Trabalhei durante quatro manhãs em atividades básicas de poda e colheita de


laranjas. Conversando com as pessoas, entendi um pouco mais do sistema de trabalho
das cooperativas. Lá em Cuba, elas têm apoio direto do Estado e são vistas como fundamentais para
o crescimento do país de modo justo. Os trabalhadores são remunerados de acordo com seu esforço
e há incentivos para quem tem os melhores rendimentos

Despertador às 5h45m
A rotina de trabalho começava cedo no Como a intenção do trabalho era mais
acampamento Julio Antonio Mella, no município simbólica, sobrava tempo para provar laranjas e
de Caimito, que fica a 40 minutos de Havana: frutas locais, como a toronja (maior e mais
às 5h45m, um galo eletrônico cantava, amarga) e ouvir histórias contadas pelo
despertando do sono os brigadistas espalhados agricultor Tomás Gracía, que administra a área
pelos alojamentos. Em seguida, músicas onde trabalhamos. Segundo ele, nosso esforço
revolucionárias e a leitura da famosa carta de concentrado correspondia a um mês de seu
Che Guevara a Fidel Castro, quando decidiu trabalho.
partir para a Bolívia.
Depois do café da manhã, que incluía
pão com presunto ou manteiga, leite, iogurte
ou suco de laranja, todos se reuniam no pátio
para a distribuição das tarefas. Como
estávamos numa área rural, o trabalho era
sempre nos laranjais.
No primeiro dia, como alguns brasileiros
e uruguaios, recebi a incumbência de retirar os
ramos caídos próximo às árvores, para que não
atrapalhassem a colheita dos frutos. Depois, foi
a vez de tirar ervas daninhas que subiam nas O trabalho voluntário foi coordenado pelo agricultor
laranjeiras e galhos espalhados pelos caminhos. Tomás Garcia

Desemprego de 1,9%
Implantado desde a revolução, o Alejandro Aguilar, em 2000, eram 153,3 mil.
trabalho voluntário faz parte da rotina dos Em 2005, 169,4 mil pessoas trabalhavam como
estudantes, que podem ser convocados para artesãos, taxistas, abriram restaurantes
várias atividades, como reforma de escolas, ou (Paladares), cafeterias ou tinham autorização
para atuar no campo, a exemplo da experiência para alugar quartos aos turistas.
oferecida aos 400 brigadistas da América Em Cuba, o valor do salário mínio é de
Latina. 225 pesos por mês, o que corresponde a cerca
Segundo dados oficiais, a taxa de de R$ 27,40. Entretanto, o valor da cota básica
desemprego na ilha do “comandante”, como (canastra), alimentação garantida a todos os
Fidel é chamado, é de 1,9%. Quem tem cubanos, é de aproximadamente 10 pesos (por
permissão do governo e paga imposto, pode pessoa), porque é subsidiada pelo governo. Se
trabalhar por conta própria, prática que só o morador da ilha pudesse comprar mais de
cresce no país. Segundo o economista uma cesta, teria condição de adquirir 22
Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007
Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina 3
UM OLHAR SOBRE CUBA
canastras. Para se ter uma idéia, aqui no Rio, a Dieese. Com um salário mínimo de R$ 350,00,
cesta básica custa R$ 172,80, segundo o no entanto, não dá nem para comprar duas.

VOCÊ SABIA?
SALÁRIO MÉDIO
O salário médio é de 385 pesos, o que equivale a R$ 50,54.

AUTORIDADES
Um ministro recebe 700 pesos cubanos por mês. Lá, a política não é vista como profissão.
Segundo o economista Alejandro Aguilar, do Instituto Nacional de Investigações Econômicas, os
ministros continuam desempenhando seu cargo anterior, seja de médico ou professor.

SEM ELEIÇÕES
O presidente e o vice não são eleitos diretamente pelo povo, mas por uma Assembléia Geral
para um mandato de cinco anos. Por este sistema, Fidel Castro se mantém no poder desde 1959.

Estudar sempre. Lucrar, jamais


Na ilha de Fidel, crianças e jovens são obrigados a freqüentar a escola
por, pelo menos, nove anos. A educação é gratuita até o nível superior,
mas cidadãos são proibidos de abrir negócios para ganhar dinheiro com
a profissão
A economia parou no tempo, mas os freqüentar a escola por, pelo menos, nove anos.
cubanos se orgulham na hora de falar dos bons Esse é o mínimo exigido para conseguir
índices sociais, como forma de equilibrar a qualquer trabalho que não cobre conhecimento
balança. Com 97% da população alfabetizada, o técnico.
país de 11 milhões de habitantes oferece
educação gratuita, obrigando os estudantes a
Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007
Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina 4
UM OLHAR SOBRE CUBA
- É como um brasileiro sem CPF. Se um são de graça, mas se as crianças não
cubano não tem os nove anos de estudo, não é comparecem, os pais podem ser multados,
ninguém – explica um jornalista. repreendidos em público ou, em último caso,
No entanto, é proibido por lei abrir presos.
negócio próprio, como consultório médico, e Depois, a vida acadêmica pode ser
lucrar com a profissão, para que não haja trilhada pelo ensino técnico ou pré-
enriquecimento. Em Cuba, um engenheiro, por universitário, que dura mais três anos. O
exemplo, pode trabalhar por conta própria, próximo passo é a universidade (pelo menos
conseguindo autorização do governo para ter cinco anos).
um restaurante ou ser taxista, mas não tem o Segundo dados oficiais, há 606.323
direito de abrir uma empresa na sua área. estudantes universitários (79% deles em sedes
municipais). Para quem vive no Brasil, os
Pais podem ser presos números causam inveja: 30 mil pessoas
Durante o ensino básico, os estudantes trabalham em pesquisas científicas e, para cada
permanecem nas escolas das 8h às 16h30m, mil habitantes, há 1,8 pesquisadores e
intercalando aulas teóricas com atividades engenheiros.
esportivas e culturais. A alimentação e livros

Crianças durante uma visita a um museu: os estudantes são obrigados a freqüentar a escola por pelo menos
nove anos, o mínimo exigido para se conseguir trabalho

Cultura da revolução até na escola

No lugar de propaganda para o alimentação e alojamento gratuitos, além de


consumo, o apelo é ideológico: “Sem educação uma coordenação integrada: alunos ajudam na
não há revolução possível”, diz um outdoor direção.
instalado na província de Sancti Spíritus, na Para se despedir dos convidados, uma
região central. Estamos a caminho de uma homenagem aos brasileiros. Com banquinho e
escola de instrutores de arte que, para receber violão, dois alunos cantaram “Desafinado”, de
os brigadistas da América Latina – que viajaram Tom Jobim, arrancando aplausos da platéia.
a Cuba pelo programa oferecido pelo governo – Também faz parte do programa visitar a
preparam exposição de arte e apresentação Escola Latino-Americana de ciências Médicas
musical, além de teatro e dança. (ELAM), próxima a Havana. Afinal, medicina é
Nessa instituição, há 650 jovens com uma das especialidades da ilha. Na instituição,
idade a partir dos 15 anos, que terminaram o dois mil alunos estrangeiros têm bolsa de
ensino básico e, depois de uma prova de estudo, sendo 200 brasileiros, com direito a
habilidade, ingressaram na escola para estudar alimentação, alojamento e livros gratuitos, além
música, dança teatro ou artes plásticas. Ali de 100 pesos cubanos por mês.
também há aulas de informática, literatura, Quando o assunto é educação, a frase de
espanhol, inglês, entre outras disciplinas. José Martí, ícone da independência, está na
- Daqui, sairão como instrutores de arte, ponta da língua: “Ser culto é o único modo de
com a missão de massificar a cultura – diz um ser livre”, dizem, se o tema vem à tona.
dos 73 professores da escola, que oferece

Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007


Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina 5
UM OLHAR SOBRE CUBA

O outdoor da Federação das Mulheres Cubanas exalta a participação feminina para fazer o país se transformar
durante a revolução comunista do país

VOCÊ SABIA?
PARTICIPAÇÃO
Segundo dados oficiais, as mulheres representam 66% da força de trabalho qualificada.
Setenta por cento dos fiscais são do sexo feminino.

INDÚSTRIA
De acordo com o economista Alejandro Aguilar, chefe do setor interno do Instituto Nacional
de Investigações Econômicas, 33% dos cargos nas indústrias do país são preenchidos por
mulheres.

TRABALHO
As mulheres representam 63,3% dos graduados em universidades, 70% dos professores e
71% dos trabalhadores da área da saúde.

LICENÇA-MATERNIDADE
Se a mulher ganha mais do que o marido, o homem poderá cuidar do bebê durante a
licença-maternidade, que pode chegar a um ano.

CRIANÇAS
Quando há eleições, a vigilância dos locais de votação é feita pelas crianças, para que desde
pequenas aprendam noções de civismo. A informação é de Jorge Lezcano Pérez, assessor da
presidência da Assembléia Nacional do Poder Popular.

TREINAMENTO
Desde os cinco anos, as crianças cubanas podem participar de treinamentos num local
chamado Acampamento de Pioneiros Exploradores. Lá, elas aprendem a sobreviver na selva
somente com os recursos da natureza.

Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007


Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina 6
UM OLHAR SOBRE CUBA

Na escola de medicina, há 200 brasileiros que ganham livros de graça e mais 100 pessoas

MEMÓRIA – HISTÓRIA DA REVOLUÇÃO

Paredões e falta de liberdade de imprensa

Apesar de ser um dos 52 integrantes da Comissão de Direitos Humanos da Organização das


Nações Unidas (ONU), Cuba é freqüentemente acusada de violar os mais básicos preceitos de
garantias humanas. Como lembrou o intelectual uruguaio Eduardo Galeano, em 2003, é o
paradoxo desse país “tão capaz de grandeza” que “comete estes atos que pecam contra a
esperança”.
A própria historia dessa ilha se confunde com atos nebulosos. Ao assumir o poder em 1959,
Fidel Castro promovia a reforma agrária enquanto mandava fuzilar colaboradores do governo
anterior. Foram muitos “paredões” desde então. Em abril de 2003, o regime condenou 75
opositores a penas de até 28 anos de prisão, além de executar três homens que haviam
seqüestrado um barco para chegar aos EUA.
Não há liberdade de imprensa no país. Segundo o Instituto Internacional de Imprensa, em
2003, 28 profissionais de comunicação foram sentenciados a cumprir longas penas de prisão. Em
2002, outra instituição – os Repórteres Sem Fronteira – acusou Cuba de tentar retira-la da ONU.

Desenvolvimento em marcha lenta


Transporte precário, comida racionada e casas superlotadas são
algumas das pedras no caminho do povo cubano, que sofre com a falta
de investimentos públicos
Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007
Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina 7
UM OLHAR SOBRE CUBA
A frota antiga chama a atenção dos Alejandro Aguillar, chefe do setor interno do
turistas, que registram imagens, Instituto Nacional de Investigações Econômicas,
impressionados com os carros que ainda rodam que tenta explicar a razão, levando em conta a
em Cuba, como o Lada, lembrança do apoio política adotada pelo governo:
soviético. Mas o envelhecimento da frota, no - Hoje, temos de priorizar o transporte
entanto, é apenas um dos problemas do setor de cargas, em detrimento do de passageiros,
de transporte no país, que sofre com a falta de para poder mover os recursos da agricultura,
investimentos públicos. que vão garantir o funcionamento da economia
Conhecidos como os melhores mecânicos – afirma Aguillar.
do mundo, os cubanos são obrigados a esperar Segundo ele, uma das providências
mais de uma hora em pontos-de-ônibus para ir tomadas recentemente foi a aquisição de mil
ou voltar do trabalho. Já faz parte da rotina ônibus para fazer o transporte entre as
acordar horas antes ou chegar atrasado no províncias (estados).
emprego.
Em Havana ou na região central, a Carona até em caminhão
realidade não é diferente: longas filas Além de ônibus, os cubanos costumam
denunciam que o setor, como a questão usar caminhões para se deslocar dentro da ilha.
habitacional e de alimentos, é um dos entraves Pedir carona é prática institucionalizada. E
para o desenvolvimento do país. Para explicar o funciona até mesmo para os turistas: em um
problema, a resposta gira sempre em torno do trajeto de aproximadamente 11 quilômetros,
bloqueio econômico que, segundo eles, impede numa localidade perto de Havana, a repórter
o país de comprar bens com tecnologia pegou duas caronas, sendo uma delas em um
americana. caminhão, que também transportava animais.
Se você sair na rua e perguntar a Para minimizar o problema, veículos
população, vão dizer que é um dos problemas oficiais que passam por pontos-de-ônibus
mais sérios que temos na atualidade. Não é só lotados são obrigados a parar e levar grupos de
econômico, mas social – admite o professor pessoas.

Cubanos fazem fila para embarcar num ônibus; espera passa de uma hora e pedir carona até em caminhões é
uma prática comum

Várias gerações debaixo do mesmo teto


Já diz o ditado que4 quem casa quer convivência de até três gerações debaixo do
casa. Em Cuba, o desejo é o mesmo, mas a mesmo teto.
compra de imóveis é proibida pelo governo para - Temos de escolher entre morar com a
evitar enriquecimento. E o que se vê, num país mãe ou a sogra. Aqui na minha casa são 13
que costuma ter famílias numerosas, é a pessoas – conta a técnica em contabilidade
Liani Hernández Carpio, de 21 anos, que mora
Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007
Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina 8
UM OLHAR SOBRE CUBA
com o filho e o resto da família num local - Não é bem assim. A gente sempre
conhecido como Casa dos Conspiradores, na briga, não tem jeito – diz, rindo, rodeada pela
cidade histórica de Trinidad (província de Sancti irmã Daibelys Lara, de 25 anos, que, encantada
Spiritus, região central de Cuba), que passa por com a bermuda jeans da repórter, propões uma
processo de restauração. troca, sem sucesso.
Ao ser questionada sobre como é viver Segundo um taxista, além da opção de
cercada de tanta gente, a mãe de Liani se dividir a casa com a família, há a saída ilegal:
antecipa, elogiando a boa convivência entre os forjar um casamento com alguém que tem um
filhos. Com olhar reprovador, a técnica de imóvel, em troca de dinheiro, para depois ficar
contabilidade retruca: com a casa.

Liani (de blusa rosa) é recém-casada, mas tem que dividir a casa da mãe com 13 parentes

Saúde pública como vitrine


País investe em médicos de família e na por mês. As novas mamães não dispõem de
prevenção muito luxo – são nove camas em cada sala
pintada de azul escuro – mas o bom
Investir no serviço público de saúde é atendimento está garantido: mulheres que
prioridade em Cuba, um país conhecido mundo fazem parto normal ficam três dias internadas,
afora pelos médicos de família e pela cultura da enquanto a cesariana requer dois dias a mais.
prevenção. Em toda a ilha, os mais de 70 mil Com cem leitos, a unidade, que já
médicos – 33.769 deles atuando em sediou um quartel antes da revolução, oferece,
comunidades – contribuem para uma invejável por exemplo, atendimento pediátrico e
estatística: a média é de um profissional para tratamento de hemodiálise, além de nela se
cada 169 habitantes. Na Espanha, por exemplo, realizarem pequenas cirurgias.
o número é de 238 e no Canadá, chega a 476. - Temos 179 médicos de famílias nas
No final de janeiro, no Hospital Joaquim comunidades, que trazem para cá somente os
Paneca Consuegra, no município de Yaguajay, pacientes que precisam ser atendidos – conta o
estado de Sancti Spiritus, sobravam leitos no diretor da unidade, que só trabalha em um
setor de obstetrícia, responsável por 500 partos único hospital.

Leitos vazios no Hospital Joaquín Paneca, que sediou um quartel antes da revolução.

Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007


Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina 9
UM OLHAR SOBRE CUBA

VOCÊ SABIA?
NOVAS MORADIAS
A previsão do governo é construir este ano cem mil moradias em todo o país.

DISTRIBUIÇÃO
Como há déficit habitacional, há critérios para a distribuição das casas. Famílias numerosas,
trabalhadores que se destacam em suas atividades e atletas têm preferência.

PUXADINHO
Como ocorre por aqui, já é possível expandir a moradia em Cuba. Quem tem autorização do
governo pode construir por conta própria. O estado ajuda com materiais.

CONSTRUÇÃO
Quem vai morar na casa costuma ajudar a construí-la. Quando isso acontece, o trabalhador
é afastado de seu emprego original – os colegas devem manter a produtividade – para levantar a
sua moradia.

Moradias em construção: governo cria critérios para distribuí-las

Homens pescam no Malecón, um dos pontos turísticos de Havana: a moeda criada para ser usada pelos
visitantes vale mais do que o peso cubano e tem seu valor fixado pelo governo.

Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007


Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina
10
UM OLHAR SOBRE CUBA

Os dois lados da moeda


Saída encontrada por Cuba para vencer a crise econômica, o turismo
fez aportar na ilha males como o crescimento da prostituição. É
também o dinheiro dos visitantes que já começa a produzir a tão
condenada diferença social.
Para sair da crise, a alternativa de Cuba outro lado, o salário dos demais profissionais,
da era de Fidel foi investir em turismo, torcendo como médicos e professores, é pago em peso
para que a produção econômica, que chegou a cubano, a moeda que vale cinco centavos de
cair 35% no início da década de 90, voltasse a dólar.
se recuperar. Como os próprios cubanos dizem, Diante desse cenário, parece atraente,
era o mal necessário. Hoje, apesar de atrair do ponto de vista econômico, trocar a profissão
dinheiro e gerar empregos, o setor, que criou de engenheiro pela de taxista, como fez um
uma moeda própria (o peso convertido), já profissional que não quis se identificar:
produz diferenças sociais e aumento da Hoje ganho muito mais.
prostituição. Também é nas áreas freqüentadas pelos
Quem trabalha com turismo ganha mais turistas, principalmente em Havana Velha, que
no fim do mês, porque recebe em chavito, a a prostituição cresce.
moeda criada pelo governo para ser usada - Temos enfrentado o problema do ponto
pelos visitantes. E é o próprio governo que fixa de vista educativo, não repressivo – diz Pilla
seu valor, hoje equivalente a 86 centavos de Moreno Hernández, do setor de relações
euro. Com isso, ainda que não possa comprar internacional da Federação das Mulheres
casas e carros, por ser proibido, esses Cubanas, que oferece tratamento psicológico e
trabalhadores têm mais a acesso a bens de orientação para o trabalho das prostitutas.
consumo, como alimentação e roupas. Por

Novelas são campeãs de audiência


Quando o novela é paixão nacional, sinônimo de sucesso
turista se e boa audiência.
apresenta como Em janeiro, todos queriam saber o fim
brasileiro, a reação de “Senhora do Destino” e da personagem
dos cubanos beira Maria do Carmo, interpretada por Suzano
a euforia. E a Vieira. Um dos seus filhos, o galã Viriato
primeira (Marcelo Anthony) arrancava suspiros das
lembrança, na cubanas, que estamparam em camisas simples
maioria das vezes, o rosto do ator. A criatividade não parou por aí.
não tem a ver com O recente surto de gripe foi apelidada de
futebol. Num país Nazareth (Renata Sorrah), a vilã da novela.
com pouco Quando a repórter dizia que era do Rio,
entretenimento, a a resposta era:
- Você também mora na Baixada? –
perguntavam, fazendo referência à região dos
personagens da novela.

Cubanos param para ver últimos dias de Senhora do Destino

Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007


Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina
11
UM OLHAR SOBRE CUBA

Cesta de comida não chega ao fim do mês


Moradores têm que pagar mais em por eles, ou então lançar mão do peso
mercado paralelo convertido. Com o chavito, os cubanos podem
comprar, por exemplo, a preços bem mais
Para que todos tivessem o mínimo para elevados, alimentos em geral, biscoitos,
sobreviver, o governo criou, à época da produtos de higiene pessoal – sempre em falta
revolução, uma cesta de alimentos (cota na ilha – ou gasolina.
básica) oferecida aos cubanos a preços No dia-a-dia, as pessoas lidam com
subsidiados. Todos os meses, para adquirir essas duas moedas, mas que tem acesso ao
produtos como arroz, carne e açúcar entre chavito, como os profissionais ligados ao
outros itens, os moradores da ilha devem se turismo, podem se alimentar e se vestir melhor.
dirigir ao mesmo armazém (bodega) do seu
bairro. O valor total sai em conta, já que a Em recuperação
moeda é o peso cubano, mas o problema é que Afastado do poder, Fidel Castro falou ao
a cesta não dura até o final do mês. Para vivo, ontem, em um programa de rádio da
complementa-la, a saída é comprar outros Venezuela, ao lado de Hugo Chavez. Ele disse
alimentos não subsidiados, pagando mais caro que está se recuperando.

Cubanos compram legumes e verduras num armazém para completar a cesta básica

VOCÊ SABIA?
BARRADOS
Os cubanos não podem se hospedar em hotéis, que são reservados aos turistas e aos
moradores com autorização, como os esportistas. Evitar a prostituição é um dos objetivos dessa
medida. Para se divertir, os moradores têm à disposição os campings.

NOVELA
Senhora do Destino foi exibida até o dia 23 de fevereiro, três vezes por semana, às
20h50m, depois do jornal, em horário nobre. No dia 26 começou Cabocla.

CURIOSIDADE
Restaurantes privados que servem comidas simples são chamados de paladares, por causa
da novela Vale Tudo, em que Regina Duarte abriu um estabelecimento com o mesmo nome.

SUCESSO
Quando o país transmitia a novela Escrava Isaura, o governo cancelou o racionamento de
energia.

Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007


Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina
12
UM OLHAR SOBRE CUBA

Informantes do governo como


vizinhos
Em Cuba, cada quarteirão tem um grupo de moradores a serviço do
estado que controla a vida dos demais

1960 pelo próprio Fidel, essa rede civil,


chamada Comitê de Defesa da Revolução
(CDR), tem a tarefa de controlar a população e
zelar para que os ideais do governo sejam
mantidos. Dos 11 milhões de habitantes da ilha,
há mais de oito milhões nos CRDs.
Assim, quando há alguém estranho à
comunidade, é rapidamente identificado.
Também é de responsabilidade desses comitês,
por exemplo, mobilizar eleitores e organizar
campanhas de vacinação ou de combate à
dengue.
Quando Fidel se afastou do poder, em
julho, por problemas de saúde, os CDRs
entraram em alerta. O estado de saúde do líder,
aliás, que anteontem conversou no rádio com o
presidente da Venezuela, Hugo Chavez,
preocupa os cubanos que, à espera de notícias,
acreditam em sua recuperação. Por todo o país,
outdoors fazem referência ao presidente.
- Ele está se recuperando. É como ter
alguém da família doente: as pessoas preferem
não falar sobre isso – resume o músico Reinier
Valdés, repetindo o mesmo comentário ouvido
outras vezes na ilha.
Outdoor instalado em Havana faz referência á frase
Trabalhando como taxista há um ano e
usada à época da revolução de 1959 meio em Havana, o engenheiro Libel Ferrer
pede mudanças no país:
Em Cuba é assim: em cada quarteirão, - Para nós que nascemos depois da
há um grupo de moradores, eleitos pelos revolução, ter educação e saúde faz parte da
demais, que detém informações de todos os nossa realidade. Já nos acostumamos a isso.
vizinhos daquela quadra. No cadastro, por Tenho dinheiro, mas não posso comprar meu
exemplo, há nome, número de moradores por carro e minha casa. Mesmo assim, respeito
moradia e ocupação dos adultos. Criada em Fidel e espero que se recupere.

Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007


Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina
13
UM OLHAR SOBRE CUBA

Moradores se reúnem perto de um CDR, na região central

VOCÊ SABIA?
COMITÊS DE DEFESA
Todas as noites, mulheres e homens se revezam para vigiar o quarteirão onde moram. A
medida, segundo os dirigentes dos CDRs, serve para impedir a ação de contra-revolucionários.
Jovens que ficam nas ruas até tarde também são orientados a voltar para casa.

CRIAÇÃO
Os CDRs foram criados em 1960, após um discurso de Fidel. Depois de ouvir o estouro de
bombas, jogadas segundo fontes oficiais, por inimigos, o presidente disse que esses comitês não
permitiriam atentados contra a vida dos cubanos: “Estão jogando com o povo e não sabem a
força que ele tem”.

HOSPEDAGEM
Somente os cubanos que tem autorização do governo podem hospedar turistas.

TIO
Algumas crianças chamam Fidel de tio.

Sérgio Carrieri visita exposição perto de Havana em janeiro / Cartaz em Havana pede vida longa à Fidel e ao
irmão Raul

Alegria e decepção

Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007


Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7
http://paulomfernandez.blogspot.com Pagina
14
UM OLHAR SOBRE CUBA
A conversa de Fidel com o presidente da
Venezuela, Hugo Chaves, transmitida
anteontem pelo rádio, convenceu muitos
cubanos de que o líder, afastado desde julho
pode voltar ao poder.
- Cada vez que aparece, está melhor.
Quase voltou a ser o Fidel que estávamos
acostumados – disse a professora Gertudris
Olivera, que mora em Santiago de Cuba.
O mesmo bate-papo – publicado na
íntegra pelo jornal O Granma, do Partido
Comunista – frustrou os opositores que torcem
por mudanças políticas na ilha. Isso porque com
seu afastamento, o irmão Raúl Castro assumiu
Cubano lê jornal que traz a conversa de Fidel com outro estilo de governar, falando com clareza de
Chávez problemas como alimentação e transporte.

Futuro ainda nebuloso sem Fidel


Na hora de falar sobre o futuro da ilha continuará, seja quem for a pessoa que tome o
sem Fidel, especialistas ouvidos pelo Extra se lugar dele. Não queremos perder nossas
dividem, Na opinião de Claudia Furiatti, autora conquistas sociais.
do livro “Fidel Castro, uma biografia Para o presidente do Instituo Cubano de
consentida”, a transição já vem acontecendo, Amizade com os Povos (ICAP), Sérgio
com a redistribuição do poder, e não devem Hernández, o país está preparado para viver
ocorrer mudanças políticas. sem Fidel:
No entanto, para Wiliam Gonçalves, - Homens como ele não nascem todos os
professor de relações internacionais, as dias, mas teremos que seguir.
transformações são inevitáveis.
- Fidel exerceu um papel que nenhum
outro poderá ocupar. Os outros líderes que
estão próximos a ele também têm idade
avançada. Tudo leva a mudanças, o que pode
não significar o fim do poder do partido
comunista – defende.
No campo econômico, o professor
acredita que a solução será chinesa.
- Já há processo de abertura. Esse é o
cenário mais razoável – diz.
Da mesma opinião compartilha o
professor Luís Fernando Ayerbe, da
Universidade Estadual Paulista (UNESP).
- Essa abertura econômica deverá ser Cubano protesta em Miami, dizendo que Fidel está
controlada pelo governo, como vem morto
acontecendo no setor de turismo. Ainda que
Fidel não volte, não haverá queda do regime,
mas continuidade – diz Ayerbe.
A descentralização do poder é defendida
por Laura Tavares, professora da UFRJ.
- O projeto socialista não é só do Fidel.
Os cubanos estão comprometidos com essa
idéia.

‘Teremos que seguir’


Moradora de Havana, a professora de
literatura Mery Pupo pensa parecido:
- Depois do desaparecimento do nosso
comandante, o processo revolucionário
Matéria publicada no Jornal Extra nos dias 25/02 a 01/03 de 2007
Criação Paulo M Fernandez – E-mail: paulomfernandez@pop.com.br
Documento protegido por senha 7