Sei sulla pagina 1di 39
Capítulo 9: Transferência de calor por radiação térmica Radiação térmica Propriedades básicas da radiação
Capítulo 9: Transferência de calor
por radiação térmica
Radiação térmica
Propriedades básicas da radiação
Transferência de calor por radiação
entre duas superfícies paralelas
infinitas
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação térmica É a energia emitida, na forma de ondas eletromagnéticas, por toda matéria que
Radiação térmica
É a energia emitida, na forma de ondas
eletromagnéticas, por toda matéria que se encontre
a uma temperatura absoluta finita.
• A emissão é atribuída às mudanças nas configurações
eletrônicas dos átomos ou moléculas que constituem a
matéria (atividade atômica e molecular). Por isto, toda
matéria que estiver a uma temperatura absoluta finita vai
emitir radiação.
• A radiação pode ser emitida por sólidos, líquidos e gases.
• Na ausência de um meio interveniente (como por exemplo
no vácuo), há transferência de calor por radiação entre duas
superfícies que estejam com temperaturas diferentes.
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação térmica • Propriedades típicas de uma onda: c λ = v onde “λλλλ” é
Radiação térmica
• Propriedades típicas de uma onda:
c
λ =
v
onde “λλλλ” é o comprimento de onda, “c” é a velocidade da luz
no meio material e “v” é a freqüência.
• Para a propagação no vácuo: c = c o = 2,998.10 8 m/s
• A unidade de λλλλ é comumente o micro (ou
micrômetro):
1 µµµµm = 10 -6 m
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Distribuição espectral da radiação eletromagnética Radiação térmica • Para a transferência de calor
Distribuição espectral da radiação eletromagnética Radiação térmica • Para a transferência de calor
Distribuição espectral da radiação
eletromagnética
Radiação térmica
• Para a transferência de calor interessa a fração
intermediária entre 0,1 e 100 µµµµm (uma fração da
região ultravioleta e todo o espectro de luz visível e
infravermelho). Esta fração é a chamada radiação
térmica.
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Poder emissivo Corresponde à taxa de radiação que é emitida pela superfície por unidade de
Poder emissivo
Corresponde à taxa de radiação que é emitida
pela superfície por unidade de área.
• Existe o poder emissivo espectral, E λλλλ (W/m 2 µµµµm), que
corresponde à taxa pela qual a radiação de comprimento de
onda λλλλ é emitida em TODAS as direções no espaço
hemisférico de uma superfície, por unidade de área da
superfície e por intervalo (dλλλλ) de comprimento de onda.
E
λλλλ
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Poder emissivo total (E n ) Corresponde à taxa de radiação que é emitida por
Poder emissivo total (E n )
Corresponde à taxa de radiação que é emitida
por unidade de área em todas as direções
possíveis e em todos os possíveis
comprimentos de onda (W/m 2 ):
E
=
E
(
λ
)
d
λ
n
λ
0
C
1
A partir da lei de Planck,
para um corpo irradiante
ideal:
E λ
= [
5
λ
exp
(
C
/
λ
T
)
1
]
2
8
4
2
C
= 3,742.10
W
µm
/m
1
4
C
= 1,439.10 µmK
2
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Corpo negro • É um corpo ideal cuja superfície é um emissor perfeito de radiação
Corpo negro
• É um corpo ideal cuja superfície é um emissor perfeito
de radiação (em todas as direções e comprimentos de
onda), também conhecido como irradiante ideal:
– Para uma dada temperatura e comprimento de onda,
nenhuma superfície pode emitir mais radiação que um corpo
negro;
– A emissão é difusa: depende de T e λλλλ, porém não depende da
direção.
• Também é um absorvedor ideal de radiação incidente,
independente do comprimento de onda ou da direção
da radiação.
• Serve como padrão de comparação para a radiação de
superfícies reais.
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Corpo negro • A distribuição espectral da radiação de um corpo negro (lei de Planck):
Corpo negro
• A distribuição espectral da radiação de um corpo
negro (lei de Planck):
Em qualquer λλλλ, a
radiação emitida por
um corpo negro
aumenta a medida
que T aumenta;
Quando T aumenta,
diminui o λλλλ em que
a radiação é máxima
(Lei de Wien):
3
2,90.10
λ
=
radmax
T
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Poder emissivo total (E n ) • Integrando a equação de E n , encontra-se
Poder emissivo total (E n )
Integrando a equação de E n , encontra-se o
poder emissivo total de um corpo negro (lei de
Stefan-Boltzmann):
4
E
=
E
(
λ
)
d
λ
E
= σ
T
n
λ
n
0
onde “σσσσ” é a constante de Stefan-Boltzmann (5,67.10 -8
W/m 2 K 4 ) e “T” é a temperatura absoluta da superfície
(K).
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Temperatura da superfície do Sol • Considerando T sol = 5760 K: E n =
Temperatura da superfície do Sol
• Considerando T sol = 5760 K:
E n = 5,67x10 -8 .(5760) 4 = 6,24x10 7 W/m 2 = 62,4 MW/m 2
• Então a taxa de energia total (Q) emitida pelo Sol (área
As) será:
Q = E n .As = E n .4 .ππππ .(Rs 2 ) = 3,80x10 26 W
Onde Rs: raio do Sol ( = 696.000 Km)
• A taxa de energia Q atravessa a área (Ad) da
superfície (≈≈≈≈ esfera) descrita pela órbita da Terra,
resultando na intensidade média de energia que
atinge o topo da atmosfera da Terra (E o ):
= E n /Ad
= E n /4.ππππ.(d 2 ) = 1.351 W/m 2
E o
Onde d: distância (média) entre o Sol e a Terra (= 149,6 x 10 6 km)
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Temperatura da superfície do Sol • Medidas realizadas por satélites indicam para E o ,
Temperatura da superfície do Sol
• Medidas realizadas por satélites indicam para E o ,
também denominada CONSTANTE SOLAR, o valor:
E o = 1.372 W/m 2
• Este valor se refere à distância média entre a Terra e
o Sol, cuja variação provoca uma diferença de
aproximadamente 7% entre a energia total recebida
entre o ponto de maior proximidade e de maior
afastamento .
• Na verdade, deve-se mencionar que foi partindo-se
dos valores medidos de E o que determinou-se a
temperatura da superfície do Sol.
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação emitida em um intervalo de λλλλ • Pode ser obtida considerando que seja uma
Radiação emitida em
um intervalo de λλλλ
• Pode ser obtida considerando que seja uma fração
do poder emissivo total de uma superfície de um
corpo negro a mesma temperatura.
• A Tabela 9.1 mostra a fração de radiação no
intervalo de λλλλ entre 0 e λλλλ 1 em função da relação λλλλT:
F
= F
− F
λ −λ
0−λ
0−λ
1
2
2
1
E
=
F
.E
λ −λ
, n
λ −λ
n
1
2
1
2
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Propriedades básicas da radiação • Irradiação • Emissividade • Radiosidade EM-524 Fenômenos de Transporte
Propriedades básicas da radiação
• Irradiação
• Emissividade
• Radiosidade
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Irradiação • Corresponde à taxa na qual a radiação atinge uma superfície (W/m 2 ).
Irradiação
• Corresponde à taxa na qual a radiação atinge uma
superfície (W/m 2 ).
• A radiação incidente pode ser proveniente de uma
fonte específica, como por exemplo o Sol, ou de
outra superfície.
• A irradiação total (G) é obtida pela integração em
toda a faixa de comprimento de onda:
G
=
G
(λ) λ
d
λ
0
Onde G λλλλ corresponde à irradiação espectral
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Irradiação • Uma parte da irradiação é absorvida, outra parte é refletida e a parcela
Irradiação
• Uma parte da irradiação é absorvida, outra parte é
refletida e a parcela restante é transmitida através
do corpo:
G
refletida
absorvida
transmitida
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Irradiação: absortividade • A fração da radiação total incidente que é absorvida pela superfície é
Irradiação: absortividade
• A fração da radiação total incidente que é absorvida
pela superfície é chamada de absortividade (αααα) e
varia com o comprimento de onda:
radiação absorvida
1
α
=
=
α
G d
λ
0 ≤ α ≤1
λ
λ
radiação incidente
G
0
• Se αααα < 1, existe uma parcela da radiação que é não
absorvida, ou seja, é refletida ou transmitida.
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Irradiação: refletividade • É a fração da radiação total incidente que é refletida pela superfície
Irradiação: refletividade
• É a fração da radiação total incidente que é refletida
pela superfície (ρρρρ) e como a absortividade, varia com o
comprimento de onda:
radiação refletida
1
ρ
=
=
ρ
G d
λ
0 ≤ ρ ≤1
λ
λ
radiação incidente
G
0
• Existem dois tipos de reflexão: especular e difusa.
– Na reflexão especular, o ângulo de incidência é igual ao
ângulo de reflexão (ex: superfícies polidas);
– E na difusa, a reflexão é uniformemente distribuída em todas
as direções (ex: superfícies rugosas).
• Um corpo real não exibe nem reflexão especular pura
e nem reflexão difusa pura.
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Irradiação: transmissividade • É a fração da radiação total incidente que é transmitida através do
Irradiação: transmissividade
• É a fração da radiação total incidente que é
transmitida através do corpo (ττττ) e também depende
do comprimento de onda:
radiação transmitida
1
τ
=
=
τ
G d
λ
λ
λ
radiação incidente
G
0
α + ρ +τ =1
• Logo:
• Para a maioria das superfícies sólidas, a
transmissividade é igual a zero, já que os corpos
são normalmente opacos à radiação incidente:
τ = 0
α + ρ =1
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Emissividade total (εεεε) É a razão entre a energia real emitida por um corpo qualquer
Emissividade total (εεεε)
É a razão entre a energia real emitida por um corpo qualquer e a
energia emitida por um corpo negro à mesma temperatura.
1
ε
=
ε
E d
λ
0 ≤ ε ≤1
λ
λ
E
n
0
• Se a radiação incidente na superfície que está a T1se origina de
de uma outra superfície que também está à T1, então a
distribuição espectral da energia será idêntica e a emissividade
e a absortividade) da superfície são iguais:
α
= ε
λ
λ
• Se ocorrer:
– Um equilíbrio térmico entre a superfície e a vizinhança ou
– A superfície for um corpo cinzento: a emissividade e
absortividade da sua superfície independem de λλλλ e da
direção.
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Emissividade total (εεεε) • A radiação de um corpo real não é inteiramente difusa: –
Emissividade total (εεεε)
• A radiação de um corpo real não é inteiramente difusa:
– A aproximação do comportamento de um corpo real para um
corpo cinzento pode causar erros significativos caso se
trabalhe em λλλλ onde a absortividade não é aproximadamente
constante.
• A emissividade do corpo real depende:
– do ângulo de observação, do λλλλ, da T;
– e da natureza da superfície, ou seja, dos acabamentos
superficiais que por sua vez são influenciados pelos métodos
de fabricação, pintura, tratamento térmico, etc.
• Valores tabelados da emissividade são geralmente
normais à superfície do corpo (Tabela 9.2).
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar • Depende de três fatores: a) da quantidade de energia refletida e absorvida
Radiação solar
• Depende de três fatores:
a) da quantidade de energia refletida e absorvida
pela atmosfera;
b) da latitude geográfica;
c) da posição no tempo: mês, dia, hora.
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar a) Influência da Atmosfera • Reflexão da luz para o espaço exterior é
Radiação solar
a) Influência da Atmosfera
• Reflexão da luz para o espaço exterior é em
média 35% da energia incidente (varia entre 30 e
40%)
• Absorção da radiação pela atmosfera: depende
da densidade do ar (pressão e temperatura), da
composição (quantidade de CO 2 , H 2 O, partículas
sólidas, gases, etc.) e da distância (espessura da
atmosfera) que a radiação percorre até atingir a
superfície (latitude local, mês, dia e hora)
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar Efeito da espessura da atmosfera: Raios solares θ Espessura da atmosfera TERRA •
Radiação solar
Efeito da espessura da atmosfera:
Raios
solares
θ
Espessura da
atmosfera
TERRA
• A distância percorrida no nascer e no pôr do Sol chega a
11 vezes a espessura observada na incidência normal
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar b) Influência da Latitude (φφφφ) Define-se a latitude como sendo o ângulo que
Radiação solar
b) Influência da Latitude (φφφφ)
Define-se a latitude como sendo o ângulo que a
reta que une o centro da Terra e um determinado
ponto (P) da superfície do planeta faz com o plano
definido pela linha do Equador.
Hemisfério Norte: latitudes norte (N)
ou positivas
P
φ
Hemisfério Sul: latitudes sul (S)
ou negativas
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar b) Influência da Latitude (φφφφ) Diminuição da energia solar anual média na superfície
Radiação solar
b) Influência da Latitude (φφφφ)
Diminuição da energia solar anual média na
superfície da Terra em função da latitude:
Latitude
% da energia incidente em relação à
energia incidente no Equador
0 o
100
10
o
98,5
20
o
94,6
30
o
88,1
40
o
79,0
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar c) Influência da Condição Temporal: A data (mês e dia no ano) e
Radiação solar
c) Influência da Condição Temporal:
A data (mês e dia no ano) e a hora do dia
complementam a inclinação exata do Sol em
relação à superfície da Terra, pois determinam a
declinação solar (δδδδ), o ângulo horário (h) e o
ângulo zenital (z).
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar • Declinação solar (δδδδ): inclinação do equador terrestre em relação ao plano de
Radiação solar
• Declinação
solar
(δδδδ):
inclinação
do
equador
terrestre em relação ao plano de órbita da Terra em
torno do Sol.
Outono H.Sul
(21 de março)
Terra
Sol
Inverno H.Sul
(21 de junho)
Verão H.Sul
(21 de dezembro)
Primavera H.Sul
(21 de setembro)
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar •Ângulo horário (h): é o ângulo entre o plano meridional de um ponto
Radiação solar
•Ângulo horário (h): é o ângulo entre o plano
meridional de um ponto sobre a superfície e o
plano meridional que contém o Sol.
Representa a variação diária da inclinação do Sol
entre o nascente (aproximadamente às 6 horas da
manhã) e o poente (aproximadamente às 6 horas
da tarde).
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar • Ângulo zenital (z): é o ângulo que realmente interessa para o cálculo
Radiação solar
Ângulo zenital (z): é o ângulo que realmente
interessa para o cálculo da energia solar incidente
sobre a superfície, pois define o ângulo entre os
raios solares e a normal sobre a superfície
Raios
considerada.
solares
z
Área horizontal
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiação solar global, total por ano EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Dra. Carla K. N.
Radiação solar global, total por ano
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Radiosidade (J) Corresponde a quantidade de radiação que deixa um corpo (taxa de energia transferida
Radiosidade (J)
Corresponde a quantidade de radiação que deixa um
corpo (taxa de energia transferida por unidade de
área).
• É a soma da radiação incidente que é refletida e a
que é emitida por uma superfície.
• Pode ser expressa em termos da emissividade e da
refletividade da superfície:
J
= ε
E
n + ρ
G
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas: – A radiação
Transferência de calor por radiação
Entre duas placas planas paralelas
infinitas:
– A radiação que deixa uma superfície vai
atingir a outra.
– A superfície 1 está a uma temperatura T1 e a
superfície 2, T2;
T1
T2
– A taxa total de energia que deixa a superfície
1 é J 1 A 1 e que deixa superfície 2 é J 2 A 2 ;
– A taxa líquida de calor transferido entre as
superfícies é:
&
&
Q = J A − J
A
= A J
(
− J
)
Q J
=
J
1
1
2
2
1
2
2
A 1
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpos negros): –
Transferência de calor por radiação
Entre duas placas planas paralelas
infinitas (corpos negros):
– A emissividade e a absortividade são totais:
ε
= ε
=
1
α
= α
=
1
1
2
1
2
T1
T2
– A refletividade e a transmissividade serão
zero e as radiosidades serão:
4
J
= ε
E
+ ρ
G
E
= σ
T
n
n
4
4
J
= σT
J
= σT
1
1
2
2
&
– A taxa líquida de calor transferido entre as
superfícies por unidade de área é:
4
4
Q = σ
(
A
T
T
)
1
2
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpo cinzento opaco):
Transferência de calor por radiação
Entre duas placas planas paralelas infinitas
(corpo cinzento opaco):
– A transmissividade é zero e a radiosidade será:
J
= ε
E
+ ρ
G
= ε
E
+ (1−ε)
G
n
n
J
ε
E
T1
T2
n
G =
(
1 −
ε)
– A taxa líquida de calor transferido de uma
superfície (corpo cinzento opaco) pode ser
expressa como a diferença da radiosidade
(radiação que deixa a superfície) e da irradiação
(radiação que chega):
E
J
&
n
Q
=
A J
(
G
)
=
[(
1 −
ε /ε
)
A]
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpos cinzentos opacos):
Transferência de calor por radiação
Entre duas placas planas paralelas
infinitas (corpos cinzentos opacos):
– Caso as duas superfícies sejam corpos
cinzentos opacos, a taxa líquida de calor
perdido pela superfície 1 será igual a que é
ganha pela superfície 2:
T1
T2
E
J
J
E
E
J
&
n
1
1
2
n
2
n 2
2
Q
=
A J
(
G
)
=
=
= −
[(
1
ε
)
A
]
[(
1
ε
)
A
]
[(
1
ε
)
A]
1
1
1
1
2
2
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpos cinzentos opacos):
Transferência de calor por radiação
Entre duas placas planas paralelas
infinitas (corpos cinzentos opacos):
E
J
J
E
E
J
&
n
1
1
2
n
2
n 2
2
Q
=
A J
(
G
)
=
=
= −
[(
1
ε
)
A
]
[(
1
ε
)
A
]
[(
1
ε
)
A]
1
1
1
1
2
2
E
J
1
ε
1 −
ε
&
n 1
1
1
2
Q
=
A J
(
G
)
=
R
=
R
=
[(
1
ε
)
/
ε
A
]
ε
A
ε
A
1
1
1
2
&
J
J
Q
J 1
J 2
&
E n1
E n2
1
2
Q
=
J A
J
A
=
=
J
J
1
1
2
2
1
2
T1
1 / A
A
T2
1
−ε
1
−ε
J
J
1
1
1
2
&
1
2
Q
=
J A
J
A
=
R
=
1
1
2
2
A
ε
A
1 / A
A
ε 1 A
2
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpos cinzentos opacos):
Transferência de calor por radiação
Entre duas placas planas paralelas
infinitas (corpos cinzentos opacos):
E n1
J 1
J 2
E n2
T1
T2
1
−ε
1
−ε
1
1
2
A
ε
A
ε 1 A
2
4
4
E
E
σ
T
σ
T
&
n
1
n
2
1
2
Q =
Σ
R
[
(
1
ε
)/
ε
A]
+
1
/
A
+ (
[
1
ε
)/
ε
A]
1
1
2
2
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
F I M EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero
F I M
EM-524 Fenômenos de Transporte
Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero