Sei sulla pagina 1di 34
Bases da Suplementação Aula I Prof. Janaína Fischborn
Bases da Suplementação
Aula I
Prof. Janaína Fischborn
Bases da Suplementação Aula I Prof. Janaína Fischborn Art. 2°. Respeitados os níveis máximos de segurança
Art. 2°. Respeitados os níveis máximos de segurança , regulamentados pela ANVISA e na falta
Art. 2°. Respeitados os níveis máximos de segurança ,
regulamentados pela ANVISA e na falta destes, os
definidos com o “Tolerable Upper Intake Levels (U L)”,ou
seja, Limite de Ingestão Máxima Tolerável, sendo este o
maior nível de ingestão diária de um nutriente que não
causará efeitos adversos à saúde da maioria das
pessoas. E desde que, com base no diagnóstico
nutricional, haja recomendação neste sentido, a
prescrição de suplementos nutricionais poderá ser
realizada nos seguintes casos:
I - estados fisiológicos específicos;
II - estados patológicos;e
III – alterações metabólicas.
Há cerca de 50 fatores essenciais a vida e manutenção da saúde ERASMUS, Udo. Fats
Há cerca de 50 fatores
essenciais a vida e
manutenção da saúde
ERASMUS, Udo. Fats that Heal, fats that Kill. Canada, September, 2005.
Art. 1°. Esta Resolução regulamenta a prescrição diet ética, pelo nutricionista, de suplementos nutricionais.
Art. 1°. Esta Resolução regulamenta a prescrição diet ética, pelo nutricionista,
de suplementos nutricionais. Parágrafo único. Para os fins desta Resolução
consideram -se:
I - prescrição dietética - prescrição a ser elaborada com base nas
diretrizes
estabelecidas no diagnóstico nutricional;
II - suplementos nutricionais - formulados de vitaminas, minerais,
proteínas e
aminoácidos, lipídios e ácidos graxos, carboidratos e fibras, isolados ou
associados entre si.
III - Ingestão Diária Recomendada (IDR) é a quantidade de proteína,
vitaminas e
minerais que deve ser consumida diariamente para atender às
necessidades nutricionais
da maior parte dos indivíduos e grupos de pessoas de um a população
sadia, conforme
ANVISA , RDC 269 de 22.09. 2005.
RDA Recomended Dietary Allowance • Refere-se ao consumo que alcança as necessidades nutricionais de 97-98%
RDA
Recomended Dietary Allowance
• Refere-se ao consumo que alcança as
necessidades nutricionais de 97-98% do
grupo;
• Para indivíduos saudáveis!!!
RDA=EAR+2DPD
EAR- Estimated Average Intake • Refere-se ao consumo que alcança as necessidades nutricionais estimadas para
EAR- Estimated Average Intake
• Refere-se ao consumo que alcança as
necessidades nutricionais estimadas para 50%
dos indivíduos do grupo.
AI- Adequate Intake
• Consumo que de acordo o Comitê das DRI
parece sustentar um estado nutricional definido,
como valores circulantes normais do nutriente,
crescimento, ou outros indicadores de saúde.
Ingestão Máxima • O maior nível de ingestão diária de um nutriente, que não causará
Ingestão Máxima
• O maior nível de ingestão diária de um
nutriente, que não causará efeitos
adversos a saúde, é estabelecido pelos
níveis máximos de segurança
regulamentado pela ANVISA e na falta
destes, os definidos como Tolerable
Upper Intake levels (UL)
Resolução CFN nº 390/2006
Interações nutricionais Interações Pré-absortivas: • Intraluminais: combinações químicas, competições e
Interações nutricionais
Interações Pré-absortivas:
• Intraluminais: combinações químicas,
competições e antagonismos
• Nas microvilosidades e enterócito: competições
antagonismos e interações metabólicas
Interações Pós-absortivas:
• No metabolismo do nutriente: interações
metabólicas de troca e de precursor
• A nível de excreção renal: interações
metabólicas
UL- Upper Level ou Tolerable Upper Intake Levels • Se refere ao nível mais alto
UL- Upper Level ou Tolerable Upper Intake
Levels
• Se refere ao nível mais alto do consumo
diário do nutriente que não apresenta
riscos de efeitos adversos para quase
todos os indivíduos da população geral.
Biodisponibilidade • Sistema digestivo • Competições • Receptores
Biodisponibilidade
• Sistema digestivo
• Competições
• Receptores
Competições • Podem ocorrer em nível de mucosa e pós absortivo. Em função de similaridades
Competições
• Podem ocorrer em nível de mucosa e pós absortivo. Em
função de similaridades estruturais nutrientes competem
por canais de absorção na mucosa intestinal ou por
sítios enzimáticos ou por ligação a proteínas
plasmáticas.
Exemplos :
• Cálcio e Ferro: competem pelo transporte no enterócito. Uma dose
de 300mg de cálcio pode levar ao declínio de 50 a 60% na
absorção de ferro não heme (Cozzolino, 1997).
• Ferro e Zinco: competem a nível intraluminal por quelantes
endógenos ou provenientes da dieta e a nível intracelular por
proteínas envolvidas no armazenamento e distribuição pelo
organismo.
• Também se antagonizam Zinco e cobre, competição útil em casos
de doença de Wilson, onde se pode lançar mão de suplemento de
zinco para diminuir a absorção do cobre (Brewer; Yuzbasiyan-
Guritan; Doh-yeel, 1990).
• 60mg Zn SOD • 50mg Zn hematócrito • 60% Fe não heme 300mg Ca
• 60mg Zn
SOD
• 50mg Zn
hematócrito
• 60% Fe não heme
300mg Ca
• 50% Zn
600mg Ca
• Ca, Zn, Fe e Cu na dieta
abs de Pb
(Cozzolino, 1997)
Formação de cisteína
Formação de cisteína
Interações Metabólicas: Um nutriente é necessário para a utilização do outro Exemplo: • Zinco e
Interações Metabólicas:
Um nutriente é necessário para a utilização do outro
Exemplo:
• Zinco e vitamina A: a proteína responsável pelo
transporte da vitamina A do fígado aos demais tecidos é
dependente de zinco (Cozzolino, 1997; Coelho, 1995).
O excesso de um nutriente pode bloquear ou diminuir a
retenção do outro
Exemplos:
• Proteína e Cálcio
• Ácidos graxos poliinsaturados e Vitamina E
Interações de Troca e de Precursor: São sempre positivas, nas interações de troca um nutriente
Interações de Troca e de
Precursor:
São sempre positivas, nas interações de
troca um nutriente pode substituir o outro
e nas interações de precursor, um
nutriente pode ser formado a partir do
outro.
Exemplos:
• Phenilalanina e tirosina
• Metionina e cisteína
• Triptofano e niacina
Síntese de Niacina 60 mg de Trp 1,0 mg de Niacina
Síntese de Niacina
60 mg de Trp
1,0 mg de Niacina
Interações com componentes dos alimentos
Interações com componentes dos
alimentos
• N=m M Ex: qual o número de mol em 200mg de Ca? m= 200mg
• N=m M Ex: qual o número de mol em 200mg de Ca? m= 200mg
• N=m M Ex: qual o número de mol em 200mg de Ca? m= 200mg
• N=m
M
Ex: qual o número de mol em 200mg de
Ca?
m= 200mg
M= 40uma
N=200:40= 5
Interação droga x nutriente
Interação droga x nutriente
Relações molares • Ca/Mg>8 Hipomagnesemia • P/Ca>5 < absorção de Ca • Fitato/Ca>6 <
Relações molares
• Ca/Mg>8 Hipomagnesemia
• P/Ca>5
< absorção de Ca
• Fitato/Ca>6
< absorção de Ca
• Fe/Zn>2
< utilização do Zn
• Zn/Fe>6
risco de anemia
• Ca/Fe>150
risco de anemia
• Ca/Zn>200
< utilização do Zn
• Zn/Cu>15
aumento da LDL
Sais x quelados • O sal de Cálcio mais usado é o Carbonato de Cálcio
Sais x quelados
• O sal de Cálcio mais usado é o Carbonato
de Cálcio que estatisticamente é
absorvido na dose de 20%, mas na
deficiência de ácido clorídrico fica em 4-
8%
• Exemplo:
Carbonato de Ca
Disponibiliza 20%
600mg
Absorção 4% a 8%
240 mg
9,6 a 19,2mg
Absorção de cálcio 50 44 45 40 35 30 27 25 23 25 20 17
Absorção de cálcio
50
44
45
40
35
30
27
25
23
25
20
17
15
10
Carbonato Leite
Cálcio
Citrato
Outros
Quelato
HEANEY RP. RECKER RR. WEAVER CM. Absorbability of calcium sources: the limited role of solubility.
Calcif Tissue Int, 46(5): 300-4, 1990.
Percentual (%) (%)Percentual
Capacidade das Cápsulas Número Capacidade aproximada 3 Até 130mg 2 130 a 180mg 1 180
Capacidade das Cápsulas
Número
Capacidade aproximada
3
Até 130mg
2
130
a 180mg
1
180
a 290mg
0
290
a 400mg
00
400
a 700mg
Centrum • Vitamina A 5.000 U I(acetato de retinol e betacaroteno) Vitamina B1 (mononitrato de
Centrum
• Vitamina A 5.000 U I(acetato de retinol e betacaroteno)
Vitamina B1 (mononitrato de tiamina) 1,5 mg
Vitamina B2 (riboflavina) 1,7 mg
Vitamina B6 (cloridrato de piridoxina) 3 mg
Vitamina B12 (cianocobalamina) 25 mcg
Vitamina C (ácido ascórbico) 60 mg
Vitamina D 400 UI
Vitamina E (acetato de di-alfa-tocoferila) 45 UI
Vitamina K1 (fitonadiona) 10 mcg
Nicotinamida 20 mg
Acido fólico 400 mcg
Ácido pantotênico 10 mg
(como pantotenato de cálcio)
Biotina 30 mcg
Boro 150 mcg **
Cálcio 200 mg
(como carbonato de cálcio e fosfato de cálcio)
Cálcio, Pool de sais orgânicos • Cálcio ascorbato 100mg (10% íon ativo) • Cálcio aspartato
Cálcio, Pool de sais orgânicos
• Cálcio ascorbato 100mg (10% íon ativo)
• Cálcio aspartato 100mg (20% íon ativo)
• 100mg (20% íon ativo)
Cálcio citrato
• 100mg (20% íon ativo)
Cálcio orotato
• 100mg (20% íon ativo)
Cálcio trifosfato
• Cálcio carbonato 100mg (20% íon ativo)
Equivalente a 153mg de cálcio ativo, mas
disponibiliza cerca de122,4mg de Ca pois tem
melhor chance de absorção e aproveitamento
Suplementos no mercado
Suplementos no mercado
Centrum • Cloro (como cloreto de potássio) 72 mg ** Cobre (como óxido cúprico) 2
Centrum
• Cloro (como cloreto de potássio) 72 mg **
Cobre (como óxido cúprico) 2 mg
Cromo (como cloreto de cromo) 130 mcg
Ferro (como fumarato ferroso) 4 mg
Fósforo (como fosfato de cálcio) 48 mg
Iodo (como iodeto de potássio) 150 mcg
Magnésio (como óxido de magnésio) 100 mg
Manganês (como sulfato de manganês)3,5 mg
Molibdênio (como molibdato de sódio)160 mcg
Níquel (como sulfato niqueloso) 5 mcg **
Potássio (como cloreto de potássio) 80 mg **
Selênio (como selenato de sódio) 20 mcg
Silício (como metassilicato de sódio) 2 mg **
Vanádio (como metavanadato de sódio)10 mcg
Zinco (como óxido de zinco) 15 mg
Pharmaton Extrato padronizado de Ginseng G115 (Panax ginseng) 40 mg vitamina A (palmitato de retinol)
Pharmaton
Extrato padronizado de Ginseng G115
(Panax ginseng)
40 mg
vitamina A (palmitato de retinol)
vitamina D3 (colecalciferol)
2667 UI
200 UI
vitamina E (acetato de racealfatocoferol)
10 mg
vitamina B1 (nitrato de tiamina)
vitamina B2 (riboflavina)
1,4 mg
1,6 mg
vitamina B6 (cloridrato de piridoxina)
vitamina B12 (cianocobalamina)
2 mg
1 mcg
biotina
150 mcg
nicotinamida
18 mg
vitamina C (ácido ascórbico)
60 mg
ácido fólico
cobre (sulfato cúprico)
0,10 mg
2 mg
manganês (sulfato de manganês monoidratado) 2,5 mg
magnésio (sulfato de magnésio)
ferro (sulfato ferroso)
10 mg
10 mg
zinco (sulfato de zinco monoidratado)
1 mg
cálcio (fosfato de cálcio dibásico)
selênio (selenito de sódio)
100 mg
50 mcg
lecitina de soja
100 mg
Stress Tabs • vitamina B1 (como nitrato de tiamina) 30 mg • vitamina B2 (riboflavina)
Stress Tabs
• vitamina B1 (como nitrato de tiamina) 30 mg
• vitamina B2 (riboflavina) 10 mg
• vitamina B6 (como cloridrato de piridoxina) 10 mg
• vitamina B12 (cianocobalamina) 25 mcg
• vitamina C (ácido ascórbico) 600 mg
• vitamina E (acetato de racealfatocoferol) 45 UI
• acido fólico 500 mcg
• ácido pantotênico (como pantotenato de cálcio) 25 mg
• Nicotinamida 100 mg
• cobre (como óxido cúprico) 3 mg
• zinco (como sulfato de zinco) 23,9 mg
Fitoterapia
Fitoterapia
Vitergan Zn plus • Zinco (oxido de zinco) 40 mg • Cobre (oxido de cobre)
Vitergan Zn plus
• Zinco (oxido de zinco) 40 mg
• Cobre (oxido de cobre) 0,5 mg
• Magnésio (oxido de magnésio) 100 mg
• Selênio (complexo) 40 mcg
• Beta-caroteno (pro-vitamina a) 5.000 UI
• Vitamina C 500 mg
• Vitamina E 150 UI
Dermavite Vitamina A (acetato de retinol) 2.500 UI Beta-caroteno 1.000 UI Vitamina C (ácido ascórbico)
Dermavite
Vitamina A (acetato de retinol) 2.500 UI
Beta-caroteno 1.000 UI
Vitamina C (ácido ascórbico) 120,0 mg
Vitamina E (acetato de tocoferol) 60 UI
Vitamina B2 (riboflavina) 8,5 mg
Vitamina B6 (cloridrato de piridoxina) 10,0 mg
Ácido fólico 400,0 mcg
Biotina 600,0 mcg
Cálcio (carbonato de cálcio) 270,0 mg
Zinco (óxido de zinco) 45,0 mg
Selênio (selenato de sódio) 50,0 mcg
Cobre (óxido cúprico) 2,0 mg
Manganês (sulfato de manganês) 5,0 mg
Cromo (cloreto de cromo) 200,0 mcg
Licopeno 5,0 mg
Silício (dióxido de silício) 20,0 mg
de manganês) 5,0 mg Cromo (cloreto de cromo) 200,0 mcg Licopeno 5,0 mg Silício (dióxido de
• Permite a suplementação de fitoterápicos apenas por via oral como decocção, infusão, tintura e
• Permite a suplementação de fitoterápicos
apenas por via oral como decocção,
infusão, tintura e extrato. Não fazem parte
os produtos fitoterápicos cuja legislação
vigente exija prescrição médica;
• O nutricionista só deve recomendar
fitoterápicos cuja origem seja conhecida e
adequada as normas da ANVISA.
Prescrição • Deve constar a nomenclatura farmacêutica (nome botânico), a parte do vegetal e a
Prescrição
• Deve constar a nomenclatura farmacêutica
(nome botânico), a parte do vegetal e a
forma farmacêutica a ser empregada:
Calendulla officinalis, flores. Extrato fluido a
40%
Tomar 1ml 2 vezes por dia
Herbal Extracts and Phytochemicals: Plant Secondary Metabolites and the Enhancement of Human Brain Function David
Herbal Extracts and Phytochemicals: Plant
Secondary Metabolites and the Enhancement
of Human Brain Function
David O. Kennedy and Emma L. Wightman
Adv Nutr, Jan 2011; 2: 32 - 50.
Fitoterápicos com prescrição médica • Arctostaphylos uva ursi Spreng – uva ursi • Cimicifuga racemosa
Fitoterápicos com prescrição
médica
• Arctostaphylos uva ursi Spreng – uva ursi
• Cimicifuga racemosa
• Ginkgo biloba
• Hypericum perforatum
• Piper methysticum Forst. F – kava-kava
• Saw Palmetto
• Tanacetum parthenium
• Valeriana officinalis
• Echinacea purpurea Moench
• Hamamelis Virginiana? Fonte: Anvisa
FITOQUÍMICOS
FITOQUÍMICOS
Fitoquímicos • Substâncias biologicamente ativas presentes em plantas e lhes conferem cor, sabor, odor e
Fitoquímicos
• Substâncias biologicamente ativas
presentes em plantas e lhes conferem cor,
sabor, odor e proteção contra doenças
Craveiro,Craveiro, AC;AC; CraveiroCraveiro AA.AA. AlimentosAlimentos Funcionais:Funcionais: aa novanova revolurevoluçção,ão, 20032003
Fitoquímicos Maiores fontes Sulfeto de alila Cebola e alho Indóis Brássicas Isoflavonas Soja Ácidos fenólicos
Fitoquímicos
Maiores fontes
Sulfeto de alila
Cebola e alho
Indóis
Brássicas
Isoflavonas
Soja
Ácidos fenólicos
Tomate, frutas cítricas, cenoura
Polifenóis
Chá verde, uvas
Saponinas
Feijão e legumes
Terpenos
Casca de frutas cítricas
• Uvas, cerejas, mirtilo, framboesa e outras pequenas frutas vermelhas: são importantes fontes de compostos
• Uvas, cerejas, mirtilo, framboesa e outras pequenas frutas
vermelhas: são importantes fontes de compostos antioxidantes
e antiinflamatórios com quantidades concentradas de vários
nutrientes essenciais para a detoxificação como zinco, cobre,
manganês, magnésio, selênio e cálcio.
• Cereais integrais e leguminosas: fornecem compostos
importantes como as fibras solúveis, que auxiliam na redução
de absorção das substâncias tóxicas no nível intestinal, seja
por melhorar a evacuação e a microbiota intestinal
• Chá verde ou preto: vários trabalhos demonstram sua
importância e sua ação como antioxidantes e sobre as enzimas
da fase II devido á presença de compostos fenólicos variados,
como a quercitina, catequinas e teaflavinas.
Curcuma longa • Antinflamatorio, antitumoral, analgésico e cardioprotetor • Dose: 400mg até 3x ao dia
Curcuma longa
• Antinflamatorio, antitumoral, analgésico e
cardioprotetor
• Dose: 400mg até 3x ao dia
• Alho e cebola: seus compostos enxofrados, como ajoeno, alicina, sulfetos e outros têm comprovada
• Alho e cebola: seus compostos enxofrados,
como ajoeno, alicina, sulfetos e outros têm
comprovada ação antioxidante e
hepatoprotetora.
• Limão : apresenta em sua composição
monoterpenos principalmente na casca. A
laranja também é uma boa fonte de terpenos.
• Brássicas (agrião, rúcula, brócolis, couves,
mostarda) contém compostos organoenxofrados
que modulam a biotransformação de
xenobióticos e podem influenciar a toxicidade e
carcinogenicidade de químicos ambientais
Cúrcuma : contém curcumina, que é um flavonóide presente no açafrão da terra e apresenta
Cúrcuma : contém curcumina, que é um
flavonóide presente no açafrão da terra e
apresenta potentes efeitos antioxidantes,
antiinflamatórios e antimutagênicos
Pode ainda possibilitar a formação e ação
de algumas enzimas (glutationa
peroxidase e glutationa-S-transferase)
Pode ainda possibilitar a formação e ação de algumas enzimas (glutationa peroxidase e glutationa-S-transferase)
Potencial antioxidante • Número e distribuição dos grupos OH nos anéis A, B e C
Potencial antioxidante • Número e distribuição dos grupos OH nos anéis A, B e C
Potencial antioxidante
• Número e distribuição dos grupos OH nos
anéis A, B e C (quanto mais hidroxilas no anel
B > ação antioxidante);
• Modificação nos anéis;
• Metilação ou glicosilação.
Antes de suplementar Avaliação do estado nutricional • Exame clínico e físico • Inquérito alimentar
Antes de suplementar
Avaliação do estado nutricional
• Exame clínico e físico
• Inquérito alimentar
• Exames laboratoriais
Conhecer as interações nutricionais
Corrigir e ou otimizar o sistema digestivo
Flavonóides Estrutura geral
Flavonóides
Estrutura geral
Subclasses Coloração Compostos Fontes Flavanóis Incolor Flavanonas Incolor Amarelo pálido Flavonas Amarelo
Subclasses
Coloração
Compostos
Fontes
Flavanóis
Incolor
Flavanonas
Incolor
Amarelo pálido
Flavonas
Amarelo pálido
Isoflavonas
Incolor
Flavonóis
Amarelo pálido
Antocianinas
Azul-vermelha
1º passo Otimizar a digestão!!!
1º passo
Otimizar a
digestão!!!
Má digestão
Má digestão
Importante • Mastigação • Reduzir líquidos com as refeições • Comer em ambiente tranqüilo
Importante
• Mastigação
• Reduzir líquidos com as refeições
• Comer em ambiente tranqüilo
Dica!!! • Inclusão na dieta de semente de abóbora, alho e ervas que auxiliam a
Dica!!!
• Inclusão na dieta de semente de abóbora,
alho e ervas que auxiliam a manter a flora
saudável;
alho e ervas que auxiliam a manter a flora saudável; Conduta • Remover patógenos, alergenos, xenobióticos
Conduta • Remover patógenos, alergenos, xenobióticos ; • Recolocar enzimas digestivas (bromelina, papaína, aloe
Conduta
• Remover patógenos, alergenos, xenobióticos
;
• Recolocar enzimas digestivas (bromelina, papaína,
aloe vera);
• Reequilibrar flora intestinal (prébióticos,
probióticos);
• Reparar com nutrientes tróficos quando necessário
(L-glutamina, Colostro) e dieta não irritativa (sem
frituras, café, refrigerantes,
).
Estratégias Hipocloridria • Vinagre de maçã • Limão • Hortelã • Lembrar do zinco
Estratégias Hipocloridria
• Vinagre de maçã
• Limão
• Hortelã
• Lembrar do zinco
Sugestão de programa de reparo • L-glutamina em pó – 2,5g Usar 1 dose dissolvida
Sugestão de programa de reparo • L-glutamina em pó – 2,5g Usar 1 dose dissolvida
Sugestão de programa de reparo • L-glutamina em pó – 2,5g Usar 1 dose dissolvida
Sugestão de programa de
reparo
• L-glutamina em pó –
2,5g
Usar 1 dose dissolvida em água em jejum por
10 dias (antes de iniciar o probiótico)
• FOS – 250 mg
Usar 2 doses ao dia por 10 dias
1 dose de manhã
1 dose a noite
Probióticos Há muitos mecanismos pelos quais os probióticos aumentam a saúde intestinal entre eles: •
Probióticos
Há muitos mecanismos pelos quais os probióticos aumentam
a saúde intestinal entre eles:
• Inibição de enzimas bacterianas envolvidas na síntese de
carcinógenos no cólon;
• Modulação da imunidade;
• Competição por nutrientes e produção de substâncias
antimicrobianas;
• Inibição de aderências epitelial ou de mucosa ;
Rolfe, RD. The Role of Probiotic Cultures in the Control of Gastrointestinal Health. Journal of Nutrition. 2000
Erickson, KL; Hubbard, NE. Probiotic Immunomodulation in Health and Disease. Journal of Nutrition. 2000
in Health and Disease. Journal of Nutrition. 2000 Maytenus ilicifolia, folhas • Utilizar 1 colher de
Maytenus ilicifolia, folhas • Utilizar 1 colher de chá da erva para 1 xícara de
Maytenus ilicifolia, folhas
• Utilizar 1 colher de chá da erva para 1
xícara de água quente. Deixar em infusão
por 5 minutos.
Beber 2 xícaras ao dia por 15 dias
1 xícara no desjejum
1 xícara no lanche da tarde
Sugestão de Probiótico • Lactobacilllus acidophilus 0,6 bilhões de UFC • Lactobacillus rhamnosus 1,2 bilhões
Sugestão de Probiótico
• Lactobacilllus acidophilus
0,6 bilhões de UFC
• Lactobacillus rhamnosus
1,2 bilhões de UFC
• Lactobacillus casei
0,9 bilhões de UFC
• Bifidobacterium bifidum
0,3 bilhões de UFC
• L-glutamina 1g
• FOS 6g
Aviar 30 doses em saches. Usar 1 dose dissolvida
em água 1 hora após o jantar por 30 dias.
Remoção de xenobióticos
Remoção de xenobióticos
hora após o jantar por 30 dias. Remoção de xenobióticos 2º passo Suporte para detoxificação Limpeza
2º passo Suporte para detoxificação Limpeza dos emunctórios naturais • Água • Fibras • Refinados
2º passo
Suporte para detoxificação
Limpeza dos emunctórios naturais
• Água
• Fibras
• Refinados
• Industrializados
• Xenobióticos
Fornecer nutrientes e fitoquímicos • Alimentos integrais • Frutas, verduras Menos produtos mais alimentos!!!!
Fornecer nutrientes
e fitoquímicos
• Alimentos integrais
• Frutas, verduras
Menos produtos
mais alimentos!!!!
SUPLEMENTAÇÃO NA DETOXIFICAÇÃO • Complexo B – reações de fase I e precursores NADH e
SUPLEMENTAÇÃO NA
DETOXIFICAÇÃO
• Complexo B – reações de fase I e
precursores NADH e FADH2;
• Nutrientes antioxidantes – proteção
metabólitos intermediárioa;
• Aminoácidos- reações de fase II.
COMPLEXO B
COMPLEXO B
Deficiência •• Beriberi • Ansiedade • Edemas • Cardiodistrofia • ICC • Depressão •
Deficiência
••
Beriberi
Ansiedade
Edemas
Cardiodistrofia
ICC
Depressão
Polineurite
Síndrome do Pânico
Infecções crônicas
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE TIAMINA Faixa Etária EAR RDA Meninos 14 a 18 anos 1,0mg 1,2mg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE TIAMINA
Faixa Etária
EAR
RDA
Meninos 14 a 18 anos
1,0mg
1,2mg
Meninas 14 a 18 anos
0,9mg
1,0mg
Homens 19 a 50 anos
1,0mg
1,2mg
Mulheres 19 a 50 anos
0,9mg
1,1mg
Homens > 50 anos
1,0mg
1,2mg
Mulheres > 50 anos
0,9mg
1,1mg
Tiamina • Transformação de energia • Síntese de NADPH e pentoses • Condução nervosa e
Tiamina
• Transformação de energia
• Síntese de NADPH e pentoses
• Condução nervosa e nas membranas
A deficiência de Tiamina causa Beriberi
(confusão mental, paralisia periférica, anorexia e taquicardia).
Risco de deficiência •Alcóolatras •Indivíduos com febre •Infusão excessiva de glicose •Consumidores
Risco de deficiência
•Alcóolatras
•Indivíduos com febre
•Infusão excessiva de glicose
•Consumidores excessivos de carboidratos refinados
•Deficientes em Mg, Ca, B 6 e B 12
•Deficientes em Folato
•Idosos
•Consumidores de peixes crus (TIAMINASE)
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 200mg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 200mg
Riboflavina • Precursor do FAD; • Atua como aceptor e doador de elétrons em diversas
Riboflavina
• Precursor do FAD;
• Atua como aceptor e doador de elétrons
em diversas reações de óxido-redução;
• -oxidação
• Ciclo de Krebs
• Cadeia transportadora de elétrons
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE RIBOFLAVINA Faixa Etária EAR RDA Meninos 14 a 18 anos 1,1mg 1,3mg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE RIBOFLAVINA
Faixa Etária
EAR
RDA
Meninos 14 a 18 anos
1,1mg
1,3mg
Meninas 14 a 18 anos
0,9mg
1,0mg
Homens > 18 anos
1,1mg
1,3mg
Mulheres > 18 anos
0,9mg
1,1mg
Gestantes 14 a 50 anos
1,2mg
1,4mg
Lactantes 14 a 50 anos
1,3mg
1,6mg
Niacina • Precursor do NAD (Cerca de 200 enzimas são dependentes da NAD+ e NADP+
Niacina
• Precursor do NAD (Cerca de 200 enzimas
são dependentes da NAD+ e NADP+
atuando como aceptor e doador de
elétrons);
• A deficiência de Niacina causa Pelagra
(diarréia, irritabilidade, confusão mental).
Deficiência • Queilose • Estomatite • Dermatite seborréica • Fotofobia • Alopecia • Depressão
Deficiência
• Queilose
• Estomatite
• Dermatite seborréica
• Fotofobia
• Alopecia
• Depressão
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 200mg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 200mg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE NIACINA Faixa Etária EAR RDA Meninos 14 a 18 anos 12mg 16mg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE NIACINA
Faixa Etária
EAR
RDA
Meninos 14 a 18 anos
12mg
16mg
Meninas 14 a 18 anos
11mg
14mg
Homens > 18 anos
12mg
16mg
Mulheres > 18 anos
11mg
14mg
Gestantes 14 a 50 anos
14mg
18mg
Lactantes 14 a 50 anos
13mg
17mg
Toxicidade Consumo excessivo de niacina em pacientes com tratamento terapêutico com ácido nicotínico (doses de
Toxicidade
Consumo excessivo de niacina em pacientes com tratamento
terapêutico com ácido nicotínico (doses de 30 a 1000mg/dia)
Rubor e vermelhidão
Pruridos
Enxaqueca
Fluxo sanguíneo intracraniano
Alterações gastrintestinais
McKENNEY, JM. PROCTOR, JD. HARRIS, S. CHINCHILI, VM. A comparision of the efficacy and toxic
effects of sustained- vs immediate-release niacin in hypercholesterolemic patients. J Am Med Assoc, 271:
672-677, 1994.
GIBBONS, LW. GONZALEZ, V. GORDON, N. GRRUNDY, S. The prevalencee of side effects with regular
and sustained- release nicotinic acid. Am J Med, 99: 378-385, 1995
NÍVEIS MÁXIMOS DE CONSUMO DIÁRIO - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
NÍVEIS MÁXIMOS DE CONSUMO DIÁRIO - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
30mg
Adultos > 18 anos
35mg
Gestantes 14 a 18 anos
30mg
Gestantes 19 a 50 anos
35mg
Lactantes 14 a 18 anos
30mg
Lactantes 19 a 50 anos
35mg
Lactantes 14 a 18 anos 30mg Lactantes 19 a 50 anos 35mg Toxicidade • Liberação de
Toxicidade • Liberação de Histamina • Danos hepáticos • Redução na excreção de ácido úrico
Toxicidade
• Liberação de Histamina
• Danos hepáticos
• Redução na excreção de ácido úrico
ÁCIDO PANTOTÊNICO Coenzima A ác. pantotênico sistema portal fosforilação carboxilação carboxilação
ÁCIDO PANTOTÊNICO
Coenzima A
ác. pantotênico
sistema portal
fosforilação
carboxilação
carboxilação
4P-pantoteína
4P-pantotenato
4P-pantoteína
cisteína
cisteína
Coenzima A
ACP
excreção urinária
Ácido pantotênico • Importante no metabolismo dos ácidos graxos, hormônios sexuais e adrenocorticais; A
Ácido pantotênico
• Importante no metabolismo dos ácidos
graxos, hormônios sexuais e
adrenocorticais;
A suplementação pode reduzir a produção de
sebo e o aparecimento da acne e também
aumenta a tolerância a alimentos ricos em
gordura
Leung LH. Pantothenic acid deficiency as the pathogenesis of acne vulgaris. Med Hypotheses, 1995.
Na Puberdade há aumento dos requerimentos de Coenzima A e ácido pantotenico para síntese dos
Na Puberdade
há aumento dos requerimentos de Coenzima
A e ácido pantotenico para síntese dos
hormônios sexuais
Deficiência de acido pantotênico para o
metabolismo dos ácidos graxos
Hipersecreção sebácea
ACNE
Doses de ácido pantotênico adultos • RDA – 5mg • UL – não estabelecida •
Doses de ácido pantotênico
adultos
• RDA – 5mg
• UL – não estabelecida
• ANVISA – 1000mg
Piridoxina • Reações de transaminação; • Metabolismo de lipídios; • Síntese de Niacina; TRIPTOFANO
Piridoxina
• Reações de transaminação;
• Metabolismo de lipídios;
• Síntese de Niacina;
TRIPTOFANO
NIACINA
KINURENINASE-PLP
• Ingestão de 10mg/dia de ácido pantotênico levou a diminuição da secreção de sebo e
• Ingestão de 10mg/dia de ácido
pantotênico levou a diminuição da
secreção de sebo e aparecimento da acne
Fontes da vitamina B5: fígado, cogumelos,
milho, abacate, carne de frango, ovos,
vegetais, legumes e cereais.
Leung LH. Pantothenic acid deficiency as the pathogenesis of acne vulgaris. Med Hypotheses, 1995
Piridoxina
Piridoxina
e cereais. Leung LH. Pantothenic acid deficiency as the pathogenesis of acne vulgaris. Med Hypotheses, 1995
Metabolismo de eritrócitos ERITRÓCITO O2 O2 PL PLP
Metabolismo de eritrócitos
ERITRÓCITO
O2
O2
PL
PLP
Deficiência • Crianças - convulsões e alterações eletro- encefalógráfica • Adultos - estomatites, queilose,
Deficiência
• Crianças - convulsões e alterações eletro-
encefalógráfica
• Adultos - estomatites, queilose, glossites,
irritabilidade, depressão
Toxicidade Suplementação de 25mg/dia de piridoxina por 10 dias as concentrações plasmáticas de folato em
Toxicidade
Suplementação de 25mg/dia de piridoxina
por 10 dias as concentrações
plasmáticas de folato em 27%, sem
reduzir os níveis de homocisteína
BOSY-WESTPHAL A. HOLZAPFEL A. CZECH N. MÜLLER MJ. Plasma folate but
not vitamin B(12) or homocysteine concentrations are reduced after short-term
vitamin B(6) supplementation. Ann Nutr Metab, 45(6): 255-8, 2001.
Síntese de neurotransmissores • serotonina • taurina • dopamina • histamina • norepinefrina
Síntese de neurotransmissores
• serotonina
• taurina
• dopamina
• histamina
• norepinefrina
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE VITAMINA B6 Faixa Etária EAR RDA Meninos 14 a 18 anos 1,1mg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE VITAMINA B6
Faixa Etária
EAR
RDA
Meninos 14 a 18 anos
1,1mg
1,3mg
Meninas 14 a 18 anos
1mg
1,2mg
Homens 19 a 50 anos
1,1mg
1,3mg
Mulheres 19 a 50 anos
1,1mg
1,3mg
Homens > 50 anos
1,4mg
1,7mg
Mulheres > 50 anos
1,3mg
1,5mg
TOXICIDADE Cuidado na intoxicação de metais!!!
TOXICIDADE
Cuidado na intoxicação de metais!!!
NÍVEIS MÁXIMOS DE CONSUMO DIÁRIO - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
NÍVEIS MÁXIMOS DE CONSUMO DIÁRIO - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
80mg
Adultos > 18 anos
100mg
Gestantes 14 a 18 anos
80mg
Gestantes 19 a 50 anos
100mg
Lactantes 14 a 18 anos
80mg
Lactantes 19 a 50 anos
100mg
BIOTINA biotina Bactérias Dieta biotina-proteína biotina biocitin (+)/biotinil (-)/biotina(- -) biotinidase
BIOTINA
biotina
Bactérias
Dieta
biotina-proteína
biotina
biocitin (+)/biotinil (-)/biotina(- -)
biotinidase
biotina + lisina
urina
ENTERÓCITO
difusão passiva
biotina
biotina +
reações
carboxibiotina
metabólitos
carboxilases
DEFICIÊNCIA A deficiência aguda de biotina causa alterações no status mental, hiperestesia, anorexia e náuseas.
DEFICIÊNCIA
A deficiência aguda de biotina causa alterações no
status mental, hiperestesia, anorexia e náuseas. Deficiência
crônica gera alopecia e dermatose seborréica.
O uso de biotina na dose de 2,5mg em humanos
demonstrou auxiliar na melhora da síndrome das unhas
frágeis.
Colombo V et al. Treatment of brittle fingernails with biotin:
scaning eletron microscopy. J Am Acad Dermatol, 1990.
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 200mg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 200mg
FUNÇÕES BIOQUÍMICAS ENZIMAS DEPENDENTES DA BIOTINA Piruvato carboxilase Acetil-CoA carboxilase Propionil-CoA
FUNÇÕES BIOQUÍMICAS
ENZIMAS DEPENDENTES DA BIOTINA
Piruvato carboxilase
Acetil-CoA carboxilase
Propionil-CoA carboxilase
-metilcrotonil CoA
Converte piruvato a oxaloacetato
Forma malonil CoA a partir de acetato
Converte propionato a succinato
Converte -metil-crotonil CoA em -
metilglutaconil CoA
Doses de Biotina adultos • AI – 30mcg • UL – não estabelecida • ANVISA
Doses de Biotina
adultos
• AI – 30mcg
• UL – não estabelecida
• ANVISA – 2,5mg
Acido Fólico
Acido Fólico
Interações Vitamina B12 Síntese de metionina com liberação de THF Proliferação de células com elevado
Interações
Vitamina B12
Síntese de metionina com liberação de THF
Proliferação de células com elevado turnover (eritroblasto
e eritrócitos).
Síntese de DNA
Ácido ascórbico
Proteção do folato contra reações oxidativas
Zinco
Folato parece reduzir a absorção de zinco
Toxicidade O excesso pode causar deficiência de B12
Toxicidade
O excesso pode causar deficiência de
B12
Formação do tubo neural
Formação do tubo neural
REMETILAÇÃO TRANSMETILAÇÃO Ác. fólico Purinas dihidrofolato Serina THF Metionina Glicina 10-formil-THF
REMETILAÇÃO
TRANSMETILAÇÃO
Ác. fólico
Purinas
dihidrofolato
Serina
THF
Metionina
Glicina
10-formil-THF
Dimetil- S-adenosil
glicina
metionina
Aceptor
Metionina
5,10 MTHF
sintetase
Betaína
Aceptor Metilado
5,10 MTHF
B 12
NADPH
S-adenosil
Colina
NH 2
redutase
homocisteína
5,10-metenil-THF
5 Me-THF
Homocisteína
CH 3
S
CH 2
CH 2
CH
COOH
NADP +
METIONINA
Cistationa
Serina
B 6
sintetase
5-formil-THF
NH 2
(Leucovorin)
HS
CH 2
CH 2
CH
COOH
Cistationina
TRANSULFURAÇÃO
HOMOCISTEÍNA
Cistationina
B 6
NH 2
liase
HS
CH 2
CH
COOH
CISTEÍNA
Cisteína
MTHF = Metileno-tetra-hidro-folato
(Dennis & Robinson, 1996)
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE ÁCIDO FÓLICO Faixa Etária EAR RDA Adolescentes 14 a 18 anos 330mcg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE ÁCIDO FÓLICO
Faixa Etária
EAR
RDA
Adolescentes 14 a 18 anos
330mcg
400mcg
Adultos > 18 anos
320mcg
400mcg
Gestantes 14 a 50 anos
520mcg
600mcg
Lactantes 14 a 50 anos
450mcg
500mcg
NÍVEIS MÁXIMOS DE CONSUMO DIÁRIO - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
NÍVEIS MÁXIMOS DE CONSUMO DIÁRIO - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
800mcg
Adultos > 18 anos
1000mcg
Gestantes 14 a 18 anos
800mcg
Gestantes 19 a 50 anos
1000mcg
Lactantes 14 a 18 anos
800mcg
Lactantes 19 a 50 anos
1000mcg
Cobalamina • Ingestão inadequada? • Absorção inadequada? • Utilização inadequada? • Requerimentos
Cobalamina
• Ingestão inadequada?
• Absorção inadequada?
• Utilização inadequada?
• Requerimentos aumentados?
• Excreção aumentada?
• Catabolismo aumentado?
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE COBALAMINA Faixa Etária EAR RDA Adolescentes 14 a 18 anos 2,0mcg 2,4mcg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE COBALAMINA
Faixa Etária
EAR
RDA
Adolescentes 14 a 18 anos
2,0mcg
2,4mcg
Adultos > 18 anos
2mcg
2,4mcg
Gestantes 14 a 50 anos
2,2mcg
2,6mcg
Lactantes 14 a 50 anos
2,4mcg
2,8mcg
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 1mg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 1mg
Deficiência • Anemia megaloblástica • diarréia • fadiga • depressão • confusão
Deficiência
• Anemia megaloblástica
• diarréia
• fadiga
• depressão
• confusão
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 1000mcg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 1000mcg
Colina • Fosfatidilcolina • AI Homens 550mg • AI Mulheres 425mg • UL 3500mg •
Colina
• Fosfatidilcolina
• AI Homens 550mg
• AI Mulheres 425mg
• UL 3500mg
• ANVISA Não estabelecido
• Dose: 150 a 300mg/dia
Antioxidantes Suporte para os metabólicos intermediários Agentes protetores X Geradores de RL
Antioxidantes
Suporte para os metabólicos intermediários
Agentes protetores
X
Geradores de RL
Mecanismo de Defesa da Célula Marks, 1996, pg 335
Mecanismo de Defesa da Célula
Marks, 1996, pg 335
Recomendações nutricionais e limites de segurança Nutriente RDA ANVISA UL Tiamina 1,1mg M 200mg Não
Recomendações nutricionais
e limites de segurança
Nutriente
RDA
ANVISA
UL
Tiamina
1,1mg
M
200mg
Não
Nutriente
RDA/AI*
ANVISA
UL
Adultos
Máximo/dia
Máximo/dia
1,2mg
H
estabelecida
Biotina
30mcg*
2,5mg
Não
estabelecida
Riboflavina
1,1mg
M
200mg
Não
1,3mg
H
estabelecida
Acido fólico
400mcg
1mg
1000mcg
Niacina
14mg
M
-
35mg
16mg
H
Àcido
5mg
1000mg
Não
Cobalamina
2,4mcg
1000mcg
Não
estabelecida
pantotênico
estabelecida
Piridoxina
1,3mg
200mg
100mg
Fonte: Institute of Medicine e Anvisa
Anti-oxidantes Glutationa presentes peroxidase nos Alimentos O 2 Cadeia de transporte de elétrons ENERGIA Radical
Anti-oxidantes
Glutationa
presentes
peroxidase
nos
Alimentos
O 2 Cadeia de transporte de elétrons
ENERGIA
Radical livre
Superóxido
~5% O 2
-
H 2 O 2
H 2 O
O 2
Superóxido
dismutase
OH
Enzimas anti-oxidantes
Catalase
Sistema de defesa antioxidante • SOD • GPx • Catalase
Sistema de defesa antioxidante
• SOD
• GPx
• Catalase
2º Proteína da SOD2 sintetizada Transporte no REP SOD2 para a mitocôndria 1º Gene da
Proteína da
SOD2 sintetizada
Transporte
no REP
SOD2
para a
mitocôndria
Gene da SOD2
3º Vai para a
mitocôndria
está no DNA no núcleo
Antioxidantes Dietéticos Extracelulares Intracelulares Prevenção Prevenção Prevenção Zinco Albumina GPx
Antioxidantes
Dietéticos
Extracelulares
Intracelulares
Prevenção
Prevenção
Prevenção
Zinco
Albumina
GPx
Selênio
Bilirrubina
SOD (Zn, Cu, Mn)
Ceruloplasmina
Acido úrico
Ferritina
Coenzima Q10
Mioglobina
Catalases (Fe)
Metalotioneína (Zn)
Metaloenzimas rep (Zn)
Scavengers
Scavengers
Scavengers
Ácido ascórbico
Ácido ascórbico
Ácido ascórbico
Alfa-tocoferol
Alfa-tocoferol
Alfa-tocoferol
Carotenóides
Carotenóides
Carotenóides
Koury, JC; Donagelo, CM. Zinco, estresse oxidativo e atividade física. Rev Nutr Campinas, 2003.
oxidativo e atividade física. Rev Nutr Campinas, 2003. Nutrientes Protetores • Vitamina C • Vitamina E
Nutrientes Protetores • Vitamina C • Vitamina E • Zinco • Cobre • Selênio •
Nutrientes Protetores
• Vitamina C
• Vitamina E
• Zinco
• Cobre
• Selênio
• Manganês
Vitamina C • Antioxidante; • Inibe a formação de nitrosaminas; • Dá estabilidade ao ácido
Vitamina C
• Antioxidante;
• Inibe a formação de nitrosaminas;
• Dá estabilidade ao ácido fólico
(dihidrofolato e tetrahidrofolato);
• Converte radical tocoferil em a-tocoferol, a
forma ativa da vitamina E;
Vitamina C • Leucócitos tem alta concentração; • Reações de hidroxilação tornam substâncias mais solúveis
Vitamina C
• Leucócitos tem alta concentração;
• Reações de hidroxilação tornam
substâncias mais solúveis e
conseqüentemente mais fáceis de serem
excretadas;
• Atua na hidroxilação de colesterol durante
a síntese de ácidos biliares.
Deficiência ESCORBUTO Petéquias Equimoses Descoloração de cabelos Hemorragias perifolicular Dispinéia Fraqueza
Deficiência
ESCORBUTO
Petéquias
Equimoses
Descoloração de cabelos
Hemorragias perifolicular
Dispinéia
Fraqueza
Fadiga
Depressão
Histeria
Instabilidade vasomotora
Ascorbato absorve mais no íleo distal (transporte Na dependente); Acido dehidroascorbico maior absorção no jejuno
Ascorbato absorve mais no íleo distal
(transporte Na dependente);
Acido dehidroascorbico maior absorção no jejuno
(GLUT);
Toxicidade • excreção urinária de oxalato de cálcio • aumentada excreção urinária de ácido úrico
Toxicidade
• excreção urinária de oxalato de cálcio
• aumentada excreção urinária de ácido
úrico
• episódios de diarréia
• toxicidade pelo ferro em pessoas
susceptíveis
Absorção Vitamina C % absorção Mg equivalentes 24 a 27mg 30mg 80 a 90% 100mg
Absorção
Vitamina C
% absorção
Mg
equivalentes 24 a 27mg
30mg
80 a 90%
100mg
80%
80mg
200mg
72%
144mg
500mg
63%
315mg
1000mg
50%
500mg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE VITAMINA C Faixa Etária EAR RDA Meninos 14 a 18 anos 63mg
RECOMENDAÇÕES DIÁRIAS DE VITAMINA C
Faixa Etária
EAR
RDA
Meninos 14 a 18 anos
63mg
75mg
Meninas 14 a 18 anos
56mg
65mg
Homens > 18 anos
75mg
90mg
Mulheres > 18 anos
60mg
75mg
Gestantes 14 a 18 anos
66mg
80mg
Gestantes 19 a 50 anos
70mg
85mg
Lactantes 14 a 18 anos
96mg
115mg
Lactantes 19 a 50 anos
100mg
120mg
NÍVEIS MÁXIMOS DE CONSUMO DIÁRIO - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
NÍVEIS MÁXIMOS DE CONSUMO DIÁRIO - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
1800mg
Adultos > 18 anos
2000mg
Gestantes 14 a 18 anos
1800mg
Gestantes 19 a 50 anos
2000mg
Lactantes 14 a 18 anos
1800mg
Lactantes 19 a 50 anos
2000mg
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 1000mg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 1000mg
Recomendações Diárias de Vitamina E Faixa Etária EAR RDA* Adolescentes 14 a 18 anos 12mg
Recomendações Diárias de Vitamina E
Faixa Etária
EAR
RDA*
Adolescentes 14 a 18 anos
12mg
15mg
Adultos > 18 anos
12mg
15mg
Gestantes 14 a 50 anos
12mg
15mg
Lactantes 14 a 50 anos
16mg
19mg
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
800mg
Adultos > 19 anos
1000mg
Gestantes 14 a 18 anos
800mg
Gestantes de 19 a 50 anos
1000mg
Lactantes de 14 a 18 anos
800mg
Lactantes de 19 a 50 anos
1000mg
Vitamina E • Fundamental para proteção das membranas
Vitamina E
• Fundamental para proteção das
membranas
Fator de conversão 1 UI = 0,63mg da vitamina
Fator de conversão
1 UI = 0,63mg da vitamina
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 1200UI
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 1200UI
Zinco • SOD citoplasmática; • Desidrogenases hepáticas; • Sistema imunológico; • Enzimas digestivas.
Zinco
• SOD citoplasmática;
• Desidrogenases hepáticas;
• Sistema imunológico;
• Enzimas digestivas.
Recomendações Diárias de Zinco Faixa Etária EAR RDA* Meninos 14 a 18 anos 8,5mg 11mg
Recomendações Diárias de Zinco
Faixa Etária
EAR
RDA*
Meninos 14 a 18 anos
8,5mg
11mg
Meninas 14 a 18 anos
7,3mg
9mg
Homens > 18 anos
9,4mg
11mg
Mulheres > 18 anos
6,8mg
8mg
Gestantes 14 a 18 anos
10mg
12mg
Gestantes 19 a 50 anos
9,5mg
11mg
Lactantes 14 a 18 anos
10,9mg
13mg
Lactantes 19 a 50 anos
10,4mg
12mg
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
34mg
Adultos > 19 anos
40mg
Gestantes 14 a 18 anos
34mg
Gestantes 19 a 50 anos
40mg
Lactantes 14 a 18 anos
34mg
Lactantes 19 a 50 anos
40mg
Zinco • Importante para as rotas anabólicas e cofator essencial para muitas enzimas envolvidas na
Zinco
• Importante para as rotas anabólicas e cofator
essencial para muitas enzimas envolvidas na
síntese protéica.
BERGER et al. Trace element supplementation after major burns increases burned skin trace element concentrations
and modulates local protein metabolism but not whole body substrate metabolism. Am J Clin Nutr, 2007
Atenção O uso crônico de zinco pode gerar: HDL-colesterol Níveis de Cobre Atividade da Superóxido
Atenção
O uso crônico de zinco pode gerar:
HDL-colesterol
Níveis de Cobre
Atividade da Superóxido Dismutase Cobre-Zinco
Da resposta imune
Boukaiba N, Flament C, Acher S, Chappuis P, Piau A, Fusselier M, Dardenne M, Lemonnier D. A physiological amount of zinc
supplementation: Effects on nutritional, lipid, and thymic status in an elderly population. Am J Clin Nutr, 57:566–572, 1993.
FOSMIRE GJ. 1990. Zinc toxicity. Am J Clin Nutr 51:225–227.
Chandra Rk.Excessive Intake Of Zinc Impairs Immune Responses. J Am Med Assoc 252:1443–1446, 1984.
Black Mr. Medeiros Dm. Brunett E. Welke R. Zinc supplements and serum lipids in young adult white males. Am J Clin Nutr
47:970–975, 1988.
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 30mg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 30mg
Cobre Monoamina Oxidase Envolvida na inativação de catecolaminas, reage com substâncias como serotonina,
Cobre
Monoamina
Oxidase
Envolvida na inativação de catecolaminas, reage com
substâncias como serotonina, norepinefrina, tiramina
e dopamina
Diamina
Oxidase
Inativa a histamina, atuando no intestino delgado,
onde a histamina estimula a secreção ácida; inativa
poliaminas envolvidas na proliferação celular
Lisil Oxidase
Atua sobre as cadeias laterais lisina e hidroxilisina do
colágeno e da elastina; atua na formação de tecido
conjuntivo
Ceruloplasmina
(Ferroxidase I)
Catalisa a oxidação de ferro ferroso e desempenha
um papel na transferência de ferro do
armazenamento para locais de síntese de
hemoglobina
Tirosinase
Catalisa a conversão de tirosina em dopamina e a
oxidação de dopamina para dopaquinona; sua
deficiência leva ao albinismo (por formar melanina)
Recomendações Diárias de Cobre Faixa Etária RDA* Adolescentes 14 a 18 anos 890mcg Adultos >
Recomendações Diárias de Cobre
Faixa Etária
RDA*
Adolescentes 14 a 18 anos
890mcg
Adultos > 19 anos
900mcg
Gestantes < 18 anos
1000mcg
Gestantes >18 anos
1000mcg
Lactantes < 18 anos
1300mcg
Lactantes >18 anos
1300mcg
ANVISA Níveis máximos de segurança: • Adultos = 9mg
ANVISA
Níveis máximos de segurança:
• Adultos = 9mg
Formação É essencial para a ligação cruzada do colágeno e da de tecido elastina; desempenha
Formação
É essencial para a ligação cruzada do colágeno e da
de tecido
elastina; desempenha um papel na formação óssea,
conjuntivo
mineralização esquelética e integridade do tecido
conjuntivo no coração e sistema vascular
Metabolismo
As ferroxidases I e II oxidam ferro ferroso para que possa
do Ferro
ser transportado do lúmen intestinal e locais de
armazenamento para os locais de eritropoiese, fato que
explica a relação entre anemia e deficiência de cobre;
pode ser necessário para a formação de células normais
da medula óssea
Sistema
Formação e manutenção da mielina, composta por
Nervoso
fosfolipídios, cuja síntese depende da atividade da
Central
citocromo-c-oxidase
Formação
O papel do cobre na pigmentação está relacionado à
de pigmento
necessidade de tirosinase na síntese de melanina;
melanina
despigmentação de pêlos e pele é observada com
deficiência de cobre
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
8000mcg
Adultos > 19 anos
10.000mcg
Gestantes < 18 anos
8000mcg
Gestantes >18 anos
10.000mcg
Lactantes < 18 anos
8000mcg
Lactantes >18 anos
10.000mcg
Recomendações Diárias de Manganês Faixa Etária AI Meninos 14 a 18 anos 2,2mg Meninas 14
Recomendações Diárias de Manganês
Faixa Etária
AI
Meninos 14 a 18 anos
2,2mg
Meninas 14 a 18 anos
1,6mg
Homens > 18 anos
2,3mg
Mulheres > 18 anos
1,8mg
Gestantes 14 a 50 anos
2mg
Lactantes 14 a 50 anos
2,6mg
Atenção • Em altas doses o manganês pode exercer efeito neurotóxico; • Atenção redobrada em
Atenção
• Em altas doses o manganês pode exercer
efeito neurotóxico;
• Atenção redobrada em hepatopatas.
BARCELOUX DG. Manganese. J Toxicol Clin Toxicol 37:293–307, 1999.
SPAHR L. BUTTERWORTH RF. FONTAINE S. et al.Increased blood manganese in cirrhotic patients: Relationship to
pallidal magnetic resonance signal hyperintensity and neurological symptoms. Hepatology, 24:1116–1120, 1996.
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 10mg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 10mg
Establishing optimal selenium status: results of a randomized, double-blind, placebo-controlled trial1,2,3,4 Rachel
Establishing optimal selenium status: results of a
randomized, double-blind, placebo-controlled
trial1,2,3,4
Rachel Hurst, Charlotte N Armah, Jack R Dainty, et al
Am J Clin Nutr 91: 923-931, 2010
Plasma selenoprotein P is a useful biomarker of
status in populations with relatively low selenium
intakes because it responds to different dietary forms of
selenium. To optimize the plasma selenoprotein P
concentration in this study, 50 µg Se/d was required
in addition to the habitual intake of 55 µg/d. In the
context of established relations between plasma
selenium and risk of cancer and mortality, and
recognizing the important functions of selenoprotein P,
these results provide important evidence for deriving
estimated average requirements for selenium in adults.
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
9mg
Adultos > 19 anos
11mg
Gestantes 14 a 18 anos
9mg
Gestantes 19 a 50 anos
11mg
Lactantes 14 a 18 anos
9mg
Lactantes 19 a 50 anos
11mg
Selênio Glutationa peroxidase- na deficiência de Se a atividade da enzima reduz em 90% (a
Selênio
Glutationa peroxidase- na deficiência de Se a atividade da
enzima reduz em 90% (a castanha do Pará contém 840
mcg por 100 g)
Suppression of mTOR via Akt dependent and independent mechanisms in selenium treated colon cancer cells:
Suppression of mTOR via Akt dependent and independent
mechanisms in selenium treated colon cancer cells: involvement
of AMPK1
Yun-Kyoung Lee1, Song Yi Park2, Young-Min Kim2, et al.
Carcinogenesis, 2010
• Activation of the mammalian target of rapamycin (mTOR) pathway
promotes tumorigenesis, and inhibiting the mTOR complex 1
(mTORC1) has emerged as an attractive target for suppressing
tumor growth. We found that selenium treatment of HT-29 colon
cancer cells suppressed mTORC1 through Akt independent
and dependent pathways. In Akt-independent mTORC1 inhibition
in selenium treated colon cancer cells, AMPK1 was crucial for
suppression of mTORC1 activity. In contrast, the Akt-dependent
mTORC1 inhibition by selenium did not require AMPK1. The
importance of the AMPK1-mTORC1 pathway in mediating the anti-
proliferative action of selenium was examined in xenograft tumors,
and the suppression of mTORC1 as well as Akt was concomitant
with an increase in AMPK1 activity. These findings suggest that
the anti-proliferative effect of selenium is mediated by an Akt-
independent AMPK1/mTORC1 pathway, or by the Akt/tuberous
sclerosis complex 2 (TSC2)/mTORC1 pathway.
Selenium bioavailability: current knowledge and future research requirements1,2,3,4,5 Susan J Fairweather-Tait, Rachel
Selenium bioavailability: current knowledge and future research
requirements1,2,3,4,5
Susan J Fairweather-Tait, Rachel Collings and Rachel Hurst
American Society of Clinical Nutrition, 2010
Information on selenium bioavailability is required to derive dietary
recommendations and to evaluate and improve the quality of food products. The
need for robust data is particularly important in light of recent suggestions of
potential health benefits associated with different intakes of selenium. The
issue is not straightforward, however, because of large variations in the
selenium content of foods (determined by a combination of
geologic/environmental factors and selenium supplementation of fertilizers and
animal feedstuffs) and the chemical forms of the element, which are absorbed
and metabolized differently. Although most dietary selenium is absorbed
efficiently, the retention of organic forms is higher than that of inorganic forms.
There are also complications in the assessment and quantification of selenium
species within foodstuffs. Often, extraction is only partial, and the process can
alter the form or forms present in the food. Efforts to improve, standardize, and
make more widely available techniques for species quantification are required.
Similarly, reliable and sensitive functional biomarkers of selenium status are
required, together with improvements in current biomarker methods. This
requirement is particularly important for the assessment of bioavailability,
because some functional biomarkers respond differently to the various
selenium species. The effect of genotype adds a potential further dimension to
the process of deriving bioavailability estimates and underlines the need for
f h
h
f
ili
h
f
i
i
i
i
i
Recomendações Diárias de Selênio Faixa Etária EAR RDA* Adolescentes 14 a 18 anos 45mcg 55mcg
Recomendações Diárias de Selênio
Faixa Etária
EAR
RDA*
Adolescentes 14 a 18 anos
45mcg
55mcg
Adultos > 18 anos
45mcg
55mcg
Gestantes 14 a 50 anos
49mcg
60mcg
Lactantes 14 a 50 anos
59mcg
70mcg
ANVISA Níveis máximos de segurança • Adultos= 150mcg
ANVISA
Níveis máximos de segurança
• Adultos= 150mcg
Selênio • Selênio (aa complex) • Seleniometionina • Selenito • Selenato • Selenocisteína
Selênio
• Selênio (aa complex)
• Seleniometionina
• Selenito
• Selenato
• Selenocisteína
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL Faixa Etária UL Adolescentes 14 a 18 anos
Níveis Máximos De Consumo Diário - UL
Faixa Etária
UL
Adolescentes 14 a 18 anos
400mcg
Adultos > 19 anos
400mcg
Gestantes 14 a 50 anos
400mcg
Lactantes 14 a 50 anos
400mcg
Antioxidantes • Metanálise conclui que suplementação de vitaminas pode ser prejudicial e estar associada a
Antioxidantes
• Metanálise conclui que suplementação de
vitaminas pode ser prejudicial e estar associada
a aumento da mortalidade
• Confusão nesta área pode ser resultado da
necessidade de combinar vitaminas
• Dietas rica em antioxidantes pode ser mais
benéfica do que o uso de suplementos em
função do efeito combinado
Bjelakovic, G et al. Mortality in randomized trials of antioxidant suplements for primary and secundary
prevention. Systematic rewiew and meta-analyses. JAMA, 2007
Spence,DJ. Nutrition and stroke prevention. Stroke, 2006
O poder do Chá
O poder do Chá
Matricaria chamomilla Foeniculum vulgare Bidens Pilosa • Indicado sempre antes de iniciar a terapia com
Matricaria chamomilla
Foeniculum vulgare
Bidens Pilosa
• Indicado sempre antes de iniciar a terapia
com os demais chás e também no auxílio
do tratamento da má digestão, gases e
desintoxicação
Matricaria chamomilla Foeniculum vulgare Bidens Pilosa • Extrato aquoso que inclui Bidens pilosa demonstrou
Matricaria chamomilla
Foeniculum vulgare
Bidens Pilosa
• Extrato aquoso que inclui Bidens
pilosa demonstrou significativo efeito
antiinflamatório, reduzindo edema
causado por artrite crônica induzida
em ratos
CHIH, HW; LIN, CC; TANG, KS. Anti-inflammatory activity of Taiwan folk
medicine “ham-hong-chho” in rats. Am J Chin Med, 1995.
Camelia sinensis • Rico em polifenóis (epigalocatequina 3 galato, epigalocatequina, epicatequina 3 galato e
Camelia sinensis
• Rico em polifenóis (epigalocatequina 3 galato,
epigalocatequina, epicatequina 3 galato e
epicatequina), que neutralizam ROS e quelam
íons metálicos.
CHUNG, S. et all. Effects of tea consumption on nutrition and health 1 . Journal of Nutrition, 2000.
CRAIG, Winston J. Health-promoting properties of common herbs 1, 2 . Am J Clin Nutr, v.70, n.3,
sep. 1999.
HASAN, M.; NIHAL, A. tea poluphenols: prevention of cancer and optimizing health 1,2,3. Am J
Clin Nutr, v. 71, n. 6, jun, 2000.
HERBALS, cancer prevention and health 1 . Am Society for Nutritional Sciences, 2001.
KERRY, N.; RICE-EVANS, C. Inhibition of peroxynitrite-mediates oxidation of dopamine by
flavonoid and phenolic antioxidants and their structural relationships. J Neurochem, 1999.
RIEMERSMA, R.A. et all. Tea flavonoids and cardiovascular health.
RICE-EVANS, C. A.; MILLER, N.J.; PAGANGA, G. Structure-antioxidant activity relationships
of flavonoids and phenolic acids. Free Rad Biol Med, 1996.
Matricaria chamomilla Foeniculum vulgare Bidens Pilosa • Associação de Bidens pilosa L. e Bidens chilensis
Matricaria chamomilla
Foeniculum
vulgare
Bidens Pilosa
• Associação de Bidens pilosa L. e Bidens
chilensis mostrou significativa
hepatoproteção, com redução da atividade
aumentada das transaminases causada na
indução de lesões hepáticas em ratos pela
administração do acetominofen
CHIN, H.W.; LIN, C.C.; TANG, K.S.The hepatoprotective effects
of Taiwan folk medicine ham-hong-chho in rats. Am J Chin
Med, 1996.
Smilax officinales Mentha piperita • Indicado também antes de iniciar a terapia com outro chá
Smilax officinales
Mentha piperita
• Indicado também antes de iniciar
a terapia com outro chá e como
auxiliar no processo de
desintoxicação pelas
propriedades digestivas e
depurativas.
Smilax officinales Mentha piperita • Rica em esteróides e saponinas; • As ações depurativas do
Smilax officinales
Mentha piperita
• Rica em esteróides e saponinas;
• As ações depurativas do sangue
ficaram evidentes após a
salsaparrilha ter demonstrado a
capacidade de neutralizar
substâncias microbianas na corrente
sanguínea.
MOWREY, DB. The Scientific Validation of herbal medicine. Keats
publishing, 1996.
TSCHESCHE, R. Advances in the chemistry of antibiotic
substances from higher plants.In: WAGNER, H&
HORHAMMER, L. Pharmacognosy and phytochemistry, 1971.
Atividade colerética e colagoga
Atividade colerética e colagoga
Exemplo de prescrição Sylibum marianum 150mg Usar 2 doses ao dia 30 dias 1 dose
Exemplo de prescrição
Sylibum marianum
150mg
Usar 2 doses ao dia 30 dias
1 dose no desjejum
1 dose no jantar
Fitoterápicos detoxificantes • Alho – Allium sativum • Clorella – Chlorella pyrenoidosa • Dente de
Fitoterápicos detoxificantes
• Alho – Allium sativum
• Clorella – Chlorella pyrenoidosa
• Dente de leão- taraxacum officinalis
• Tanchagem – Plantago major
• Salsaparrilha – Smilax aristochifolia
• Alcachofra – Cynara scolymus
• Chá verde – Camelia sinensis
• Chapeú de couro – Echinodorus macrophyllum
Cardo Mariano • Atua nos hepatócitos como antagonista de diversos agentes hepatotóxicos; • Modifica a
Cardo Mariano
• Atua nos hepatócitos como antagonista de
diversos agentes hepatotóxicos;
• Modifica a estrutura celular externa impedindo a
penetração dos agentes hepatotóxicos;
• Estimula a atividade da polimerase A dos
nucléolos, com conseqüente aumento da
síntese protéica, estimulando a capacidade de
regeneração tecidual e a produção de novos
hepatócitos.
Aminoácidos Suporte para fase II • N-acetil-cisteína 600 a 1200mg dia • L-taurina 75 a
Aminoácidos
Suporte para fase II
• N-acetil-cisteína
600 a 1200mg dia
• L-taurina
75 a 500mg dia
• L-metionina
200 a 400mg dia
• L-glutamina
500 a 4500mgdia
Cisteína • L-cisteína • N-acetil-cisteína • Dose para adultos: 13mg/kg dia • Recomendações atuais: até
Cisteína
• L-cisteína
• N-acetil-cisteína
• Dose para adultos: 13mg/kg dia
• Recomendações atuais: até 100mg/kg
L-Taurina • Doses: 75 a 500mg/dia • Cardiopatas até 1000mg/dia EX de prescrição: • N-acetil-cisteína
L-Taurina
• Doses: 75 a 500mg/dia
• Cardiopatas até 1000mg/dia
EX de prescrição:
• N-acetil-cisteína 300mg
• L-taurina 150mg
• Fosfatidilcolina 100mg
• L-metonina 100mg
Usar 1 dose a noite antes de deitar por 30 dias
L-triptofano • Precursor serotonina • TPM, compulsão alimentar, depressão e insônia • Doses: 250-1000mg/dia
L-triptofano
• Precursor serotonina
• TPM, compulsão alimentar, depressão e
insônia
• Doses: 250-1000mg/dia
Taurina • Solubilidade da bile; • Estabilização de membranas celulares; • Melhora a sensibilidade a
Taurina
• Solubilidade da bile;
• Estabilização de membranas celulares;
• Melhora a sensibilidade a insulina;
• Antioxidante;
• Prevenção e tratamento de glaucoma (cel
que recebem luz);
• Equilíbrio entre Na e K celulares, no
músculo cardíaco evita arritmias.
L-glutamina • Carreador de nitrogenio- síntese ptn e destoxificação da amonia • Intermediário metabólico-
L-glutamina
• Carreador de nitrogenio- síntese ptn e
destoxificação da amonia
• Intermediário metabólico- doador grupo
amina
• fonte de energia- respiração celular
• Dose: 500 a 4500mg/dia
Aloe Vera • Contém todas vitaminas, inclusive B12; • 18 aminoácidos (10 essenciais); • 20
Aloe Vera
• Contém todas vitaminas, inclusive B12;
• 18 aminoácidos (10 essenciais);
• 20 minerais (Mg, K, P,
);
• Enzimas SOD, catalase, celulase,
proteases
Aloe vera • Extratos de Aloe barbadensis conseguem induzir enzimas de Fase II, e proteger
Aloe vera
• Extratos de Aloe barbadensis conseguem
induzir enzimas de Fase II, e proteger
células contra danos por raios ultravioleta;
• O Acemanan tem importante atividade
imunomoduladora e antioxidante, e protege
diversos modelos animais do
desenvolvimento de Câncer.
Athernon, P. Aloe vera revisited. Br J Phytother 1998;4(4):176-83
Vazquez B. et al. Anti-inflammatory activity of extracts from Aloe vera gel. J Ethnopharmacol
1996;55:69-75
Davis RH. Aloe Vera: A Scientific Approach. New York:Vintage Press, 1997
Sucos destoxificantes Nutrientes, Fitoquímico Água, Fibra
Sucos destoxificantes
Nutrientes, Fitoquímico
Água, Fibra
Beterraba, abacaxi, hortelã e agrião Ingredientes: • 2 ramos de agrião • 2 rodelas de
Beterraba, abacaxi, hortelã e
agrião
Ingredientes:
• 2 ramos de agrião
• 2 rodelas de abacaxi
• ½ beterraba pequena crua
• 1 folha de hortelã
• Água
Modo de preparo:
• Bater todos os ingredientes no liquidificador e
servir em seguida
Sugestão de uso Aloe Vera Gel 30ml Usar 2 doses ao dia 30 dias 1
Sugestão de uso
Aloe Vera Gel
30ml
Usar 2 doses ao dia 30 dias
1 dose (2 colheres de sopa) no desjejum
1 dose (2 colheres de sopa) no jantar
Suco de Abacaxi com Mamão Ingredientes: • 2 fatias de abacaxi com a casca •
Suco de Abacaxi com Mamão
Ingredientes:
• 2 fatias de abacaxi com a casca
• 1 colher de semente de linhaça
• 2 ameixas pretas sem caroço
• 1 fatia de mamão
• 1 folha de couve
• Água ou gelo
Modo de preparo:
• Bater todos os ingredientes no liquidificador.
Colocando em prática • Água de linhaça em jejum; • Suco de um limão +
Colocando em prática
• Água de linhaça em jejum;
• Suco de um limão + 2 colheres de sopa de
suco de aloe vera + 1 folha de couve e a
semente de linhaça;
• Restrição de alimentos
de origem animal pela manhã.
Colocando em prática Bidens pilosus • Infusão de 1 colher de chá da erva por
Colocando em prática
Bidens pilosus
• Infusão de 1 colher de chá da erva por 5
min em água quente
Beber 1 xícara do chá 2 x ao dia por 10 dias
1 xícara no desjejum
1 xícara no lanche da tarde
Orientações para a suplementação •Preferir a vitamina C revestida se houver distúrbios digestivos; • É
Orientações para a
suplementação
•Preferir a vitamina C revestida se houver distúrbios
digestivos;
• É interessante que a proporção entre zinco e cobre seja
de 15:1 ou 20:1;
• Na prescrição de minerais, dar preferência aos quelados;
•Os bioflavonóides atuam sinergicamente com a
vitamina C e uma proporção interessante fica em torno
de 20% do teor de vitamina C presente na fórmula.
Vitamina C revestida 250 mg Quercetina 50 mg Hesperidina 25 mg Rutina 25 mg Usar
Vitamina C revestida
250 mg
Quercetina
50 mg
Hesperidina
25 mg
Rutina
25
mg
Usar 2 dose(s) ao dia por 30 dias
1 dose no desjejum
1 dose no jantar
Clorella Fonte de clorofila e aminoácidos Usar 5 tabletes 2 a 3x ao dia 30
Clorella
Fonte de clorofila e aminoácidos
Usar 5 tabletes 2 a 3x ao dia 30 dias
Exemplo de Suporte nutricional Sr. Fulano de Tal 17/04/10 Vitamina E 30UI Tiamina 2,5mg Riboflavina
Exemplo de Suporte nutricional
Sr. Fulano de Tal
17/04/10
Vitamina E
30UI
Tiamina
2,5mg
Riboflavina
2,5mg
Niacinamida
2,5mg
Pantotenato de cálcio
2,5 mg
Piridoxina
2,5mg
Biotina
50mcg
Ácido fólico
200mcg
Cianocobalamina
25mcg
Magnésio quelado
100mg
Zinco quelado
15 mg
Selênio aa complex
25mcg
Cobre quelado
0,5mg
Molibdênio quelado
25 mcg
Manganês quelado
0,5 mg
Aviar 60 doses em cápsulas de clorofila (uso oral)
Usar 2 dose(s) ao dia por 30 dias
1 dose no desjejum
1 dose no jantar
Sugestões de exames Avaliação Bioquímica •Ferritinina • Hemograma completo •Homocisteína • Glicemia de
Sugestões de exames
Avaliação Bioquímica
•Ferritinina
• Hemograma completo
•Homocisteína
• Glicemia de jejum
• Insulina em jejum
•Proteína C reativa
• Ácido Úrico
•TGO
• Uréia
•TGP
• Creatinina
•GGT
• Colesterol total
•TSH
• HDL
•T3
• LDL
•T4 livre
• Triglicerídios
•IGE e IGG total
Vitaminas e Minerais • Elementos nutricionais no sangue • Ácido fólico • Vitamina B12 •
Vitaminas e Minerais
• Elementos nutricionais no sangue
• Ácido fólico
• Vitamina B12
• Vitamina D3
• Cálcio iônico
• Fósforo
• Magnésio
• Manganês
• Sódio
Painel na Hemácea
Magnésio
Manganês
Cobre
Zinco
Cálcio
Fósforo
Sódio
Potássio
• Cloro
• Potássio
• Zinco
• Cobre
• Cromo
• Selênio
Muito obrigada!!! Dra. Janaína Fischborn Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Nutrição Clínica
Muito obrigada!!!
Dra. Janaína Fischborn
Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e
Nutrição Clínica Estética
Diplomada pelo The Institute for Functional
Medicine dos EUA
Metais Dosagem de metais •Alumínio (sangue) •Cádmio (sangue) •Chumbo (sangue) •Níquel (sangue)
Metais
Dosagem de metais
•Alumínio (sangue)
•Cádmio (sangue)
•Chumbo (sangue)
•Níquel (sangue)
•Mercúrio (urina)
•Arsênico (urina)