Sei sulla pagina 1di 7

GUARDIS DO SEGREDO

Narrativas de Iniciao das Mes de Santo

Ao narrar elas no apenas descrevem o que aconteceu, seguindo uma ordem cronolgica, factual, mas sim, o que a memria seleciona entre as experincias e as lembranas, por ser a memria uma construo social. As relaes estabelecidas entre o que cada uma dessas mulheres viveu e vive so fundantes para a construo das suas identidades e refletem as maneiras de fazer as escolhas, de situar pertenas, interesses, aspiraes e subjetividades.

Movimento de aproximao entre dois mundos e seus significados. Recordaces-referncias vida familiar, a trajetria de escolarizao, a religio.

Processo formativo e na construo da identidade.

TRAJETRIAS DE VIDA MARCADAS PELOS PRINCPIOS E VALORES TRANSCENDENTES

Narrativas de Iniciao das Mes de Santo

Laos de sociabilidade Resistncias, Abdicaes, Interdies Discursos de discriminao O desde de dentro e desde de fora No se meta na minha que eu no me meto na sua

REFERNCIAS

LUZ, Marco Aurlio de Oliveira. Agad: dinmica da civilizao africano-brasileira. Salvador. Centro editorial Didtico da UFBA: Sociedade de Estudos da Cultura Negra no Brasil. P.11/ 33, 1995. LUZ, Marco Aurlio. Do tronco ao Opa Exin . Rio de Janeiro: Pallas, 2002. LUZ, Narcimria C. do Patrocnio. Pssaros inaugurais: expanso dos princpios femininos da existncia. Sementes, Cadernos de Pesquisa. V.1, n.1, (jan/dez. 2000). Salvador: Departamento de Educao UNEB. LUZ, Narcimria. C. do Patrocnio. O Reencantamento do Mundo: Perspectivas de anlise para a compreenso do nosso tempo. Rio de janeiro. Editora Quartel. (2010) LUZ, Narcimria. ABEBE: a criao de novos valores na educao. Salvador: Edies SECNEB, 2000.

SANTOS, Deoscoredes, M, Mestre Didi. Contos Negros da Bahia e Contos de Nag, Salvador, Editora Corrupio, 2003.

TODAS AS MES RAINHAS SACERDOTIZAS QUE PELOS SEUS SABERES VIVIDOS--APRENDIDOS CORROBORAM PARA A MANUTENO DESTE CONTINUUM CIVILIZATRIO AFRICANO-BRASILEIRO NAS AMRICAS.

AX

Dialadiulo