Sei sulla pagina 1di 4

Food Design - a mais recente tendência em design

"Toblerone"
"Toblerone"
- a mais rece nte tendência em design "Toblerone" Setembro de 2004 Falar de design em

Setembro de 2004

Falar de design em alimentos pode nos fazer pensar, especialmente aqueles que não são designers e não conhecem a filosofia da Bauhaus, em uma coisa forçada ou em uma inflação desta palavra. Quem verdadeiramente sabe o que é design, ou seja, “cultura do projeto” e “inovação tecnológica”, poderá entender quanto espaço de trabalho ainda há no setor alimentício

para esta disciplina transversal. Para quem me pergunta:

“então o design pode ser aplicado a qualquer coisa?”, respondo que

certamente sim.

aplicado a qualquer coisa?”, respondo que certamente sim. "Pringles" A pesquisa tecnológica ligada ao design

"Pringles"

A pesquisa tecnológica ligada ao design e a forma de alguns

produtos tem, sem dúvida, contribuído para o seu sucesso: do tradicional chocolate suíço Toblerone, cuja arquitetura convida a

uma específica maneira de quebrar os pedacinhos, às mais recentes batatinhas Pringles, que nada mais são que um artifício químico-físico-morfológico, no qual o pedaço de batata é reconstruído em uma forma ergonômica que acomoda-se sobre o paladar e veicula as partículas que determinam o sabor somente sobre o lado em contato com as papilas gustativas. As famosas batatinhas nascem não somente para estimular o paladar, mas para deixá-lo o mais excitado possível; para esta finalidade elas tem uma forma especifica que se adapta perfeitamente à boca, prolongando o sabor. E para isso serve o famoso tubo, cômodo e perfeito para não esmagar o produto. Pouco importa se a batatinha, no fundo, não seja uma batatinha, mas somente o produto de uma farinha de batata compactada. No caso destes produtos, a forma vira o elemento que o caracteriza para identificá-lo, contribuindo evidentemente com a qualidade dos

ingredientes, tornando-o, assim, um produto de grande sucesso comercial.

O que, portanto, pode fazer o Food Design? Recentemente, as provocações de alguns

designers de um lado e as incursões de alguns grandes chefes de cozinha nas categorias do design do outro, foram elementos determinantes para criar o grande interesse atual neste novo setor, que virou objeto de seminários em cursos universitários nas Faculdades Politécnicas de Turim e Milão, iniciativas culturais e publicações, prováveis premissas para uma futura (freqüente) colaboração entre designer, grandes chefes e indústria. Temos aqui, portanto, obras que estimulam os cinco sentidos, nas quais a

matéria é “comida”.

"Cookie Cup 2003"
"Cookie Cup 2003"

O vencedor do prêmio "Lavazza" (renomada firma de café italiano de Turim), Enrique

Luis Sardi, criador do “Cookie Cup 2003”, merece um lugar de destaque entre os projetos. Analisando o costume bem italiano de tomar café, degustando sempre algum

biscoitinho, propõe uma integração ainda maior deste habito: ou seja, primeiro bebe-se

o café expresso e depois come-se

aplicada ao tema do food design. Neste caso, os protagonistas são o café e sua xícara, porque uma vez que a preta bebida é degustada, será possível comer também a xícara.

a xícara! Cookie Cup é a demonstração da pesquisa

A comida é prazer, é energia, é linguagem. Partindo destas premissas, o evento “Food

Design 2004”, organizado pelo grupo One Off, um núcleo criativo fundado em 2001 que reúne designers e event designers, tem o objetivo de projetar operações de comunicação ligadas ao design e as suas contaminações entre arte, vídeo, música, comida, biotecnologia. A mostra foi realizada com grande sucesso em uma galeria especializada de Turim, na Itália. O grupo One Off acredita que, com estes trabalhos, as idéias e sugestões propostas possam ter importância e capacidade de envolvimento no plano cultural e social; a iniciativa une a arte de cozinhar e o design evidenciando-as em conceitos às vezes provocativos, através dos quais objetos do cotidiano são projetados e realizados utilizando como material construtivo os ingredientes básicos da arte culinária. As qualidades específicas do produto alimentício são exaltadas e reinventadas

procurando ingredientes idôneos para virar objetos funcionais.

Entre os participantes da edição 2004 temos algumas propostas que se evidenciam, como os seguintes projetos:

“Pagnocca”: é um pão de formato diferenciado, que responde aos novos e diferenciados costumes de convivência. Desta maneira, o material pão vira um funcional utensílio para comer e de comer.

"Pagnocca"
"Pagnocca"

“Púcciami”: responde a um uso tipicamente italiano de “limpar” o prato quando a comida é muito gostosa: é uma fatia de pão moldado e pronto para lamber o molho sem sujar as mãos.

prato quando a comida é muito gostosa: é uma fatia de pão moldado e pronto para
"Púcciami"
"Púcciami"

“Spoon biscuit”: propõe diferentes tipos de colherinhas para café, feitas de massa, que terminam com gostos diferentes e, depois de serem usadas, podem ser comidas durante ou após a degustação do cafezinho.

“Cadeau”: trata-se de uma idéia simples de biscoito, caracterizado por uma fenda que permite prendê-lo à borda da xícara. Este detalhe permite usá-lo, também, como presente que acompanha a bebida em bares, restaurantes, refeitórios etc, ou ser utilizado (e comido) sozinho.

"Spoon Biscuit"
"Spoon Biscuit"
"Cadeau"
"Cadeau"

“Dedinho”: a idéia deste instrumento/objeto nasce do habito comum de passar o dedo sobre várias guloseimas, como nutella, chantilly, marmelada, sorvetes, para provar uma pequena quantidade. O biscoito é como um dedal, que você degusta e come com o seu creme predileto.

"Dedinho"
"Dedinho"
"Scuderia"
"Scuderia"

“Scuderia”: a proposta parte de uma pesquisa sobre brasões antigos da província de Spilimbergo (centro da Itália, região de origem do designer), como se o biscoito fosse uma expressão de uma família aristocrata: formas nobres para um ingrediente nobre. O resultado é uma coleção de biscoitos preciosos, para serem consumidos em ocasiões especiais.

“Edomilan Family Soft Biscuit”: Dividir a comida é um gesto cotidiano que sempre cria intimidade. Esta proposta parte de um biscoito

redondo, sozinho, que pode ser “montado” com outros, criando uma única peça, maior ou menor, de acordo com o número de pessoas que vão dividi-lo. Tem desenho e realização fácil, graças à sua massa

particularmente mole.

Vamos dividir juntos esta última guloseima!!!

"Edomilan Family Soft Biscuit"
"Edomilan Family Soft Biscuit"