Sei sulla pagina 1di 8

The Drake Chronicles 02 – Blood

Feud

Capítulo 3
Isabeau

Eu não pensei, só reagi.

Um agente da Helios-Ra não deveria ser capaz de romper a


segurança da casa dos Drake, agora que são a família reinante,
especialmente quando o mesmo tinha um braço quebrado. Eu não
poderia considerar-lhes a minha família governante particularmente,
mas eu não ia deixar Solange ser estacada por um caçador, após
todas as dificuldades que eu tinha passado para salvá-la.

Chocante. Eu era a única que se sentia assim.

Se eu tivesse um momento para perceber a reação deles, ou a


falta dela, eu poderia ter pensado nisso. Eles simplesmente olharam
para o intruso e agora estavam positivamente horrorizados porque eu
estava voando pelo ar, com as presas arreganhadas.
Eu não gosto de caçadores.

Este foi rápido, eu poderia dizer isso. Ele escorregou nos plugs
do nariz que pendurou em seu pescoço e levou muito menos tempo
para perceber que eu estava a atacar do que os outros. O olhar de
surpresa em seu rosto poderia ter sido cômico se não tivesse tentado
alcançar o botão de liberação do pó Hypnos. Eu sabia que estava
escondido em sua manga. Uma vez que o segredo foi revelado sobre
sua nova droga, ele se espalhou como fogo selvagem através dos
informantes.

— Não! — Solange gritou, mas eu não tinha certeza de para


quem ela estava gritando.

Caí na frente do caçador antes que o pó Hypnos elevava-se em


frente a ele, só um pouco. Eu agachei-me e rolei para fora do
caminho. Eu nunca tinha realmente experimentado Hypnos, mas eu
tinha ouvido falar bastante sobre para querer evitá-lo. Havia sido
criado pela Helios-Ra como mais uma arma em seu arsenal na luta
contra a nossa espécie.

Os ferormônios de um vampiro poderiam confundir os seres


humanos, poderia fazê-los esquecer o que tinham visto ou feito, e
poderia até fazê-los sucumbir a nós, sem a menor ameaça de
violência, se o vampiro fosse bastante forte. A Helios-Ra tinha ficado
cansada das batalhas terminando com os seus caçadores vagando
perplexos e sem armas, ou simplesmente mortos, enquanto
The Drake Chronicles 02 – Blood
Feud
esperavam humildemente por uma presa ou uma faca. Certamente
nem todos os vampiros eram tão civilizados como os Drakes
pretendiam ser.

E agora o pó Hypnos estava começando a viajar entre as tribos


de vampiro, tornando-nos vulneráveis de uma maneira que nunca
tínhamos sido antes. Os ferormônios não funcionavam em outros
vampiros, mas Hypnos, sim ele funcionava.

Eu não tive tempo de cobrir o nariz e a boca. O pó era tão fino,


como o delicado açúcar de confeiteiro em uma torta envenenada.
Tentei alcançar uma de minhas estacas, com os dedos atrapalhados.

— Não — o caçador disparou. — Não se mexa. Quieta.

Eu apenas recebia ordens de Kala. Eu tentei pular sobre os


meus pés, mas não consegui. A droga era realmente tão nefasta
como eu tinha ouvido falar. Ele ordenou que eu ficasse onde estava, e
isso era tudo que eu podia fazer, eu nem podia mexer a boca para
falar. Mesmo que cada parte de mim gritava para a liberação, todos
os músculos doíam com a pressão e minha mente tagarelava como
um texugo acuado, com todos os dentes e garras e a necessidade de
violência.

Mas tudo que eu podia fazer era ficar ali.

Charlemagne estava em cima de mim, rosnando, pêlos


eriçados. Os cães dos Drake rosnaram em resposta, mas claramente
ainda não tinham decidido quem era o inimigo.

Logan tentou se aproximar de mim, movendo-se devagar e


com cautela. — Isabeau, não entre em pânico.

Não entre em pânico? Não entre em pânico? Eu estava


praticamente presa dentro de meu próprio corpo, incapaz de fazer o
que eu queria. Eu estava à mercê de vampiros reais e um caçador.

Eu sou uma idiota.

Eu não tinha aprendido nada com Kala para me proteger nesta


situação depois de deixar as cavernas dos Hounds. Eu,
provavelmente, merecia morrer aqui em uma nuvem de poeira. Mas
isto deixaria Greyhaven livre, minha primeira e segunda morte
totalmente impunes. Inaceitável. Na verdade, eu rosnava como os
cães, com a minha necessidade desesperada de ser livre.

— Isabeau, me escute. — Logan se agachou para olhar para


mim, pois Charlemagne não iria deixá-lo chegar mais perto. Seus
The Drake Chronicles 02 – Blood
Feud
olhos estavam muito verdes, muito intensos. Sua mandíbula estava
apertada. Atrás dele, Solange tocou o braço do caçador, como se ela
estivesse preocupada com ele. Ele pegou a mão dela em resposta.

Esta família não faz sentido.

— Os efeitos vão desaparecer em breve — Logan prometeu-


me suavemente, dando-me toda a sua atenção. A luz das lâmpadas
fez sua gravata parecer neve congelada. —Você não corre nenhum
perigo. Eu não vou deixar nada acontecer com você.

Eu olhei pra ele, e depois por cima de seu ombro


incisivamente. Ele lançou à sua irmã e seu caçador um olhar breve. —
Kieran é um amigo — explicou. — Ele não vai te machucar, eu
prometo.

Eu queria dizer a ele que eu podia cuidar de mim mesma.

Mas eu não podia.

Eu nunca poderia perdoar a qualquer um deles por me ver


assim.

— Sinto muito — Solange disse a kieran, e então para mim. —


Realmente. Ele não é como os outros Helios-Ra. — Kieran não parecia
particularmente lisonjeado com isso. Ele usava o dedutível preto
como a maioria dos caçadores. Ele parecia como os outros Helios-Ra
para mim. — Ela é uma Hound? — Perguntou ele, parecendo
surpreso. Seu braço estava envolto em um molde macio.

— Ela é uma convidada — Logan disparou. Lucy agachou ao


lado dele, olhando simpática. Charlemagne não se mexeu. Uma gota
de sua saliva bateu no meu pescoço.

— Eu sei que é uma merda, Isabeau — disse Lucy. — Kieran


fez isso comigo há duas semanas.

— Merda — ele murmurou. — Vocês tinham me amarrado a


uma cadeira.
Lucy fez um gesto como se isso não fosse uma desculpa
suficiente. — Tanto faz. — Ela se virou para mim. — Você vai se sentir
normal novamente em alguns minutos. Prometo. — Ela quis dizer o
que ela disse, eu podia sentir o cheiro da verdade nela mesmo que eu
não estivesse totalmente convencida.

Eu não podia agüentar o jeito que todos estavam olhando para


mim. Eu sabia o que eu deveria parecer em meus couros de batalha,
minhas cicatrizes, minhas presas duplas e meu cão raivoso do meu
The Drake Chronicles 02 – Blood
Feud
lado. Estava orgulhosa por ser serva de Kala, por ser uma Hound, mas
o resto das tribos de vampiros evidentemente, não nos vêem da
mesma maneira.

— Vamos dar-lhe algum espaço — disse Logan em silêncio,


como se ele soubesse o que eu estava pensando. — Eu vou ficar aqui.
Por que o resto de vocês não espera na sala.

— Você tem certeza? — Solange perguntou.

— Eu não acho que ela vai ficar muito contente quando ela sair
disso — acrescentou Kieran duvidosamente.

— Apenas vá — Logan quase suspirou.

Quando eles saíram, foi um pouco menos horrível. Eu preferiria


estar completamente sozinha. O pensamento de Logan me vendo
como uma fraca não me emocionou. Mas, ainda assim, houve um
certo tipo de conforto à sua presença, que não fazia sentido, uma vez
que acabara de conhecê-lo. Deve ser outro efeito do Hypnos.

Eu tentei me mexer de novo, mas não conseguiu. Eu podia


falar, entretanto, o que foi um alívio. Deve estar começando a passar.
— Charlemagne — murmurei. — Ça va*.

Ele sentou no meu pé, obediente, mas não convencido. Logan


ficou onde estava.

— Você quer que eu te leve lá em cima para o seu quarto? —


Perguntou ele.

— Não — eu disse duramente. Eu não era uma flor delicada, eu


havia sobrevivido à Revolução e estive enterrada por mais de 200
anos. Eu podia lidar com mais dez minutos deitada no chão. É melhor
não demorar mais do que dez minutos. Embora eu não conseguisse
lembrar exatamente o que era como estar em um caixão, eu
imaginava que me sentia um pouco como isso. Eu estava contente
por ter superado isso, ou deitada em coma durante séculos. Suor
acumulou-se sob o meu cabelo, frio na parte de trás do meu pescoço.
É preciso muito para fazer um vampiro suar. Minha expressão deve
ter sido selvagem, pois Logan amaldiçoou.

— Não é assim que pretendíamos apresentá-la à nossa família.


Eu espero que você não use isto contra nós por muito tempo. O
caçador é um pouco exuberante. Ele não está acostumado a nós
ainda.
The Drake Chronicles 02 – Blood
Feud
Eu bufei quando o controle sobre a minha voz finalmente
voltou. — Eu não posso acreditar que um caçador da Helios-Ra sente
que pode apenas entrar pela porta da frente.

— Ele e Solange ficaram ...próximos.

— Ela tem um desejo de morte? Nós não a salvamos para


entregá-la aos desejos deles.

Ele balançou a cabeça, seus cabelos despenteados caindo


sobre a testa pálida.

— ... Ele a ama. Bem, ele está apaixonado, de qualquer modo.


Eu não conhecia o termo, mas eu entendi o seu significado
bem o suficiente. Eu suspirei.
— Eu pensei que ela seria mais inteligente.

Ele ergueu as sobrancelhas. — Ela é muito inteligente. — Ele


olhou pensativo. — Você não acredita no amor, então?

— Não. — Eu queria olhar para longe, não podia. — Eu não sei.

Seu sorriso era decididamente dissoluto. Eu tinha visto isso em


jovens aristocratas na casa do meu tio. Eu tentei ignorá-lo. Eu
flexionei meus dedos, mas não era capaz de fazer muito mais.
* ça va (Frances) significa: tudo esta bem.

Quando a porta da frente se abriu tanto Charlemagne quanto


eu ficamos tensos. Lutei para sentar-me, para alcançar uma arma,
qualquer arma. Logan se levantou e ficou entre mim e os recém-
chegados. Os quatro que entraram tinham que de ser seus irmãos, as
semelhanças físicas eram muito pronunciadas. Charlemagne
resmungou, levantando-se novamente. Eles pararam no meio da
conversa, olharam para a menina selvagem prostrada no mármore.

Eu apertei os dentes. Esta dificilmente era a maneira de


fomentar o respeito pela minha tribo.

— Logan — um deles demorou. — Sua técnica está declinando


se você precisa de cães para impedi-los de fugir.

— Muito engraçado, Quinn — Logan murmurou. — Esta é


Isabeau.

Eles congelaram olhando um para o outro.

— Isabeau, meus irmãos: Quinn, Marcus, Connor e Duncan.


Sebastian ainda está nas cavernas.
The Drake Chronicles 02 – Blood
Feud

— Un plaisir — eu disse secamente. Meu treinamento de


Hound pode não ter me preparado para ser cortês, sob qualquer
circunstância, mas a minha educação aristocrática tinha.

— Prazer em conhecê-la. — Connor piscou. — Por que você


está no chão?

— Hypnos — disse eu.

Quinn bufou. — Cara, Hypnos e cães? Eu pensei que você era a


pessoa que deveria ser bom com as meninas, Darcy* — Eu reconheci
o apelido. Eu tinha lido vorazmente quando eu tinha me acostumado
ao meu novo corpo e seus apetites. Eu precisava me acostumar com
as centenas de anos de história também.

— Cale a boca — disse Logan. — Kieran soprou Hypnos sobre


ela.

Quinn arreganhou as presas. — Por que diabos ele fez isso?

— Bem, para ser justo, ela tentou chutá-lo na cabeça.

Quinn sorriu para mim. — Eu já gosto de você.

Eu tentei levantar novamente. Eu não poderia ficar lá por mais


nenhum segundo, enquanto eles olhavam para mim com curiosidade.
Eu estava muito ansiosa para poder retirar as minhas presas duplas.
Se eu fosse humana, eu teria hiperventilado até agora. Logan olhou
para mim, amaldiçoando.
*Ele se refere ao Mr. Darcy de Orgulho e Preconceito de Jane
Austin
— Eu vou levar você lá para cima — ele murmurou. — Chame
o seu cão — acrescentou ele, escavando-me em seus braços.
Charlemagne estava ali, pressionado os joelhos de Logan.

— Ça va — eu sussurrei, mesmo se eu não tivesse certeza se


acreditava inteiramente. Charlemagne trotou ao nosso lado quando
Logan subiu as escadas, carregando-me suave e facilmente. Eu fiquei
envergonhada e agradecida. As emoções contraditórias não faziam a
atual situação mais fácil de lidar.

— Eu sei que você disse que não quer que eu faça isso — ele
sussurrou. — Mas é melhor do que todos os meus irmãos fazendo
piadas sobre sua cabeça, certo?
The Drake Chronicles 02 – Blood
Feud
Eu balancei a cabeça, porque eu não confiava em minha voz.
O fato de que eu podia movimentar a minha cabeça o suficiente para
concordar com ele foi animador. Ele percebeu o pequeno movimento.

— A qualquer momento — prometeu.

O segundo andar da casa cheirava ainda mais como fumaça e


água. A parede em frente estava fracamente queimada. Ele seguiu o
meu olhar.

— Esperança — ele disse de forma sucinta.

Esperança comandou uma unidade perigosa da Helios-Ra, que


tinha raptado Solange e tentaram queimar a fazenda de seus pais.
Isto só tinha sido há uma semana, no máximo, e os prejuízos ainda
eram visíveis.

Logan me levou a um corredor e chutou uma porta aberta para


um quarto de hóspedes. As janelas tinham persianas espessas de
madeira com fortes fechaduras de ferro no interior. Havia uma
estreita escrivaninha e uma cadeira acolchoada perto da lareira. A
cama de mogno era enorme e com aparência macia, com uma
geladeira pequena e discreta no final da mesa. Eu sabia que seria
abastecida com sangue. Eu ainda era jovem o bastante para precisar
me alimentar imediatamente ao acordar, algo que todas as crianças
Drake também devem estar lidando. Isto melhorou drasticamente a
minha opinião sobre as suas capacidades de hospedagem até o
momento.

Logan me deitou suavemente na cama, inclinando-se tão perto


que eu podia ver as manchas de verde mais escuro em sua íris. Engoli
em seco.

— Eu sinto que conheço você — ele murmurou. — Isso é


estranho?

Eu não sabia o que dizer. Charlemagne pulou para deitar ao


meu lado na colcha, quebrando o momento antes que eu pudesse
encontrar uma resposta. Logan deu um passo atrás.

— Eu vou te deixar sozinha — disse ele. — Quando Lucy saiu


do Hypnos, ela quebrou o nariz de Nicholas. Eu aposto que você tem
um forte impulso e acontece que eu gosto do meu nariz exatamente
onde ele está. Ninguém vai incomodá-la — acrescentou ele
ferozmente.
The Drake Chronicles 02 – Blood
Feud
— Desça quando estiver pronta. Eu estarei esperando .

Ele se curvou. — Mademoiselle.

A porta se fechou silenciosamente atrás dele. Quando eu pude


ouvir seus passos descendo as escadas para a sala, permiti a mim
mesma um suspiro muito pequeno. Charlemagne, inclinou a cabeça,
curiosamente.

— Isso não está indo de acordo com os planos — eu disse a


ele.