Sei sulla pagina 1di 43

Ministério da Educação

Ministério da Educação Agrupamento de Escolas de S. João da Talha – Geografia A – “Transportes:

Agrupamento de Escolas de S. João da Talha

– Geografia A –

“Transportes: O Metropolitano de Lisboa” 11.º F Ana Fonseca N.º2 David Oliveira N.º4
“Transportes: O Metropolitano de Lisboa”
11.º F
Ana Fonseca N.º2
David Oliveira N.º4

Diogo Martins N.º 5

Telma Vieira N.º 15

S. João da Talha, Maio 2011

Professor: José Manuel Almeida

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Índice

Nota introdutória ……………………………………

História e evolução da rede do Metro de Lisboa ………… Páginas 4 a 10

Página 3

……………

o Composições que já circulam no Metro de Lisboa

Linhas do Metro de Lisboa actualmente em funcionamento …. Página 11

Projectos futuros …………….……………………………

Páginas 12 a 17

o Opinião da população acerca dos serviços prestados pelo Metro e

os futuros alargamentos

Bilhetes de viagem ………………………………………………

Página 18

Acessibilidade ……………………………………………………

Página 19

Páginas 20 a 22

Página 23

Bibliografia …………………………………………………………. Página 24

Convenientes e inconvenientes do Metro …

Conclusão …………………………………………………………

…………

o

Livros

o

Sites

Anexos ………………………………………………………. Páginas 25 a 42

o

Inquérito realizado

o

Resultados dos inquéritos

Dos 10 aos 19 anos

Dos 20 aos 29 anos

Dos 30 aos 39 anos

Dos 40 aos 49 anos

Dos 50 aos 59 anos

Dos 60 aos 70 anos

De todas as idades

Observações ………………………………………………………. Página 43

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Nota introdutória

O grupo de alunos de Geografia A de 11ºano, escolheu o tema “Os Transportes: O Metropolitano de Lisboa”, que visa dar a conhecer informações consideradas acerca do mesmo.

Neste trabalho pretendemos falar acerca da evolução e da história deste tipo de transporte, apresentar as vantagens e desvantagens do mesmo, dar a conhecer os planos futuros e acabar com algumas dúvidas comuns existentes.

Pretendemos também, a partir de inquéritos realizados posteriormente, poder fazer conclusões acerca de questões como que outros meios de transportes, para além do metro, as pessoas usam habitualmente, e, se o metro e as suas instalações são ou não seguras e de confiança.

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

História e evolução da rede do Metro de Lisboa

Logótipo
Logótipo

Metropolitano

Henrique de Lima e Cunha, engenheiro militar, foi o autor do primeiro projecto de um sistema de caminhos-de-ferro subterrâneos para a cidade de Lisboa no ano de 1888, onde apresentava um sistema completo de linhas que formariam uma rede. Outros tentaram apresentar projectos para o metropolitano de Lisboa, mas sem qualquer efeito.

Só mais tarde, a partir da 2ª Guerra Mundial surge a decisão de se construir um metropolitano em Lisboa. É então criada uma sociedade, em 1948, que tinha como objectivo o estudo técnico e económico, em regime exclusivo, de um sistema de transportes colectivos. Mas apenas a 1 de Julho de 1949 é que foi concedida a instalação e exploração do respectivo serviço público.

A construção iniciou-se apenas no ano de 1955 a 7 de Agosto, e quatro anos depois, a 29 de Dezembro, foi por fim inaugurado o metropolitano.

a 29 de Dezembro, foi por fim inaugurado o metropolitano. Metro de Lisboa , 1959 Desde

Metro de Lisboa, 1959

Desde o início das obras de construção do Metropolitano de Lisboa até aos dias de hoje, o metro sofreu

várias alterações que lhe permitiram não só usufruir de uma maior

flexibilidade, como também fornecer aos seus utilizadores um serviço mais cómodo e eficaz.

Quando o metro foi inaugurado, a rede era constituída por uma linha em Y que ligava os Restauradores á Rotunda, hoje

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

designada Marquês de Pombal, onde se separava em dois ramos, um para Entre Campos e outro para Sete Rios, que é hoje o actual Jardim Zoológico. Isto foi um importante acontecimento para a cidade pois permitia a correspondência entre os dois primeiros troços.

O Metropolitano de Lisboa era à data da sua construção, o décimo quarto Metropolitano a ser construído na Europa e o vigésimo quinto no mundo, tendo no primeiro ano transportado 15,3 milhões de passageiros.

Em 1963 a configuração da Linha do Metropolitano de Lisboa sofreu a sua primeira alteração com a anexação de uma nova linha, o Rossio, que se ligava aos Restauradores. Esta visou um plano de alargamento do metro, que após a construção do troço Rossio-Anjos em 1966, ficou concluído, em 1972, o troço Anjos-Alvalade.

1966, ficou concluído, em 1972, o troço Anjos-Alvalade. Metro de Lisboa , 1963 Com o 25

Metro de Lisboa, 1963

Com o 25 de Abril de 1974 deu- se uma das alterações mais importantes em termos administrativos do Metropolitano de Lisboa: a empresa foi nacionalizada, e a nova administração rapidamente encetou esforços para melhorar as condições do Metro de Lisboa, que ficavam bastante aquém das condições fornecidas pelas redes de Metro das principais capitais Europeias. Em vista disso, foram imediatamente encetadas obras de remodelação na rede, que permitiu, em 1978,com o alargamento das estações, passar a poder receber quatro carruagens em simultâneo em vez de duas. Também a rede foi amplificada neste período, com um processo longo e demoroso durante a década de

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

80, que permitiu não só a construção de mais um troço entre Sete- Rios e o Colégio Militar, como também a anexação de mais uma estação, a Cidade Universitária, colocada imediatamente após a estação de Entre Campos. Esta obra, realizada entre 1980 e 1988, não só permitiu um alargamento da rede, como passou a permitir a passagem de 6 carruagens em simultâneo. Neste período também se realizaram obras de remodelação, sobretudo do ponto de vista estético que visaram melhorar visualmente as diversas estações e o próprio cais.

O ano 1993 foi também importantíssimo para o Metro de Lisboa, não só porque foi neste ano que foi construída mais uma estação, a do Campo Grande, que se ligava a Alvalade e à Cidade Universitária, como entretanto teve lugar um programa de prolongamento da

extensão das naves e dos cais das estações, estas obras foram efectuadas sem interrupção da exploração. A juntar à modernização das carruagens, entraram em exploração as duas unidades triplas ML90 com indicador de destino digital e mais confortáveis.

ML90 com indicador de destino digital e mais confortáveis. Metro de Lisboa , 1993 Nesse ano

Metro de Lisboa, 1993

Nesse ano assistiu-se também ao aparecimento do “Plano de expansão da rede II”, que tinha como objectivo preparar o metropolitano de Lisboa para a Exposição Mundial que ocorreria na cidade cinco anos mais tarde (Expo 98). Com este plano, o Metro de Lisboa sofreu uma renovação profunda, quer a nível de infra- estruturas, quer a nível logístico, procedendo-se, entre 1995 e 1998

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa” Metro de Lisboa , 1998 à criação de 12 novas estações

Metro de Lisboa, 1998

à

criação

de

12

novas

estações

(Marquês

de

Pombal

(Linha

Verde

e

Azul).,

Carnide,

Fontinha,

Rato,

Cais

do

Sodré,

Chelas,

Oriente,

Alameda, Olaias, Bela Vista,

Cabo

Ruivo), sendo que o último

troço a ser concluído, ligava a Alameda ao Oriente que,

prolongamento da linha vermelha foi concluído e aberto ao público três dias antes da exposição global se iniciar.

no

Para além disso, assistiu-se também à desconexão de algumas linhas, tendo outras mudado de nome (como aconteceu com a já referida estação de Sete-Rios, que a partir de 1998 adquiriu a designação de Jardim Zoológico). De referir ainda que foi nesta altura que surgiu a ideia de diferenciar as linhas (verde, azul, vermelha e amarela), dando uma maior organização ao espaço. Depois da Expo, o Metropolitano não estagnou, continuando a investir na construção de novas estações, tendo-se verificado até ao final do ano de 1998 a construção de três novas estações (Cabo Ruivo, Baixa/Chiado e Olivais).

No ano de 1999, deu-se mais um passo para a modernização do Metro de Lisboa, com a apresentação do novo Lote de Material circulante, o ML97, que incluía novidades como o sistema digital automático de aviso aos passageiros e possuía uma maior capacidade de transporte, em virtude de possuir 18 unidades triplas num total de 54 carruagens. Ao virar do milénio, o Metropolitano de Lisboa tinha um total incrível de 361 carruagens, naquele que foi o

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

maior número que se atingiu até hoje, devido à desactivação recente de algumas das carruagens iniciais.

O desenvolvimento do Metro de Lisboa continuou com o início do novo século, nomeadamente com a sua expansão em 2002 até Telheiras.

Em 2004, assistiu-se a um acontecimento histórico para o Metropolitano de Lisboa que, pela primeira vez na sua história viu a sua área de abrangência sair fora dos limites da cidade de Lisboa, com a construção de um novo troço de cinco estações que faziam a ligação entre o Campo Grande e Odivelas. Nesse mesmo ano verificou-se a construção de duas novas estações, em Alfornelos e Amadora Este.

Em 2007, chegou ao fim um dos temas mais polémicos e

sensíveis relacionados com o Metro de Lisboa nestes últimos anos:

o troço que liga as estações de Terreiro do Paço e Santa Apolónia.

A obra estava prevista para conclusão em 2003, mas ocorreu no

ano 2000 um aluimento de terras motivado pela existência de várias

fissuras no túnel, o que levou a uma inundação, que não só inundou

o túnel, como causou o caos na cidade de Lisboa, levando ao

encerramento da Praça do Comércio e da Avenida Infante D. Henrique. Felizmente, no

Verão de 2007 as obras de construção foram finalmente terminadas, tendo o troço sido inaugurado em Dezembro nesse mesmo ano.

finalmente terminadas, tendo o troço sido inaugurado em Dezembro nesse mesmo ano. Metro de Lisboa, 2009

Metro de Lisboa, 2009

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Em 2009 deu-se a última alteração na rede do Metro de Lisboa até à data, com a anexação de um troço que ligou a Alameda a São Sebastião. Esta construção foi também um marco histórico importante para o Metro de Lisboa, já que foi a primeira vez que passou a haver cruzamentos entre todas as linhas.

Ano

Comprimento da Rede (km)

Nº de Estações

Linhas

2010

39,6

52

4

2005

35,6

44

4

2000

27,7

36

4

1995

18,9

25

1

1990

15,8

24

1

1985

11,9

20

1

1980

11,9

20

1

1975

11,9

20

1

1970

8,5

15

1

1965

7,0

12

1

1960

6,5

11

1

Evolução do Metro, de 1960 a 2010

Composições que já circularam no Metropolitano de Lisboa

Série ML7: Foi a composição utilizada nos primórdios do Metro de Lisboa, tendo começado a sua circulação precisamente no ano em que o Metro foi inaugurado: 1959. Esta composição tem, em condições normais capacidade para 173 passageiros (36 sentados e 137 de pé). Possui uma aceleração inicial de 0,9m/s² e uma velocidade máxima de 60 km/h. Possui sistema de travagem reostático. Série ML79: Entrou em serviço em 1984 e o seu serviço foi desactivado em 2002. Tem a capacidade para transportas 164 passageiros (40 sentados e 124 de pé). Possui uma aceleração inicial de 1,1 m/s² e apresenta uma velocidade máxima de 72 km/h. Possui sistema de freio reostático.

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Série ML90: Esta composição entrou em circulação em 1993 e tem a capacidade para albergar 330 passageiros (88 sentados e 242 em pé). Tem uma aceleração inicial de 1,0 m/s 2 e velocidade máxima de 72 km/h. Possui sistema de travagem electrodinâmico. Série ML95: Entrou em circulação no ano de 1997. Tem a capacidade de transportar 340 passageiros (88 sentados e

252 em pé). A sua aceleração inicial é de 1,0 m/s 2 e a sua

velocidade máxima é de 72 km/h. O seu sistema de travagem também é electrodinâmico.

Série ML97: Entrou em serviço no ano de 1999, e tem capacidade para transportar 350 passageiros (82 sentados e

268 em pé). A sua aceleração inicial é de 1,0 m/s 2 e a sua

velocidade máxima atinge os 72 km/h. Possui um sistema de

travagem electropneumático.

Série ML99: Começou a circular no ano 2000, estando capacitada para transportar 350 passageiros (82 sentados e

268 de pé). Tem uma aceleração inicial de 1,0 m/s 2 e a sua

velocidade máxima atinge os 72km/h. Tem um sistema de

travagem electropneumático.

atinge os 72km/h. Tem um sistema de travagem electropneumático. Rede do Metro de Lisboa , de

Rede do Metro de Lisboa, de 2006 a 2010

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Linhas do Metro de Lisboa actualmente em funcionamento

Linha

1ª Operação

Tipo

Extensão (km)

Estações

Azul

1959

Subterrâneo

13

km

17

Amarela

1959

Subterrâneo

11

km

13

Verde

1963

Subterrâneo

9

km

13

Vermelha

1998

Subterrâneo

8

km

9

Existem quatro linhas ferroviárias subterrâneas disponíveis aos utilizadores do metro. Estas são as linhas azul, amarela, verde e vermelha.

A linha azul, teve a sua primeira operação no ano 1959 e,

actualmente tem uma extensão de 13 km, em que, ao circular-mos nesta, podemos encontrar dezassete estações.

A linha amarela, teve igualmente a sua primeira operação em

1959. Tem actualmente uma extensão de 11 km constituídos por treze estações.

A linha verde, inaugurou-se no ano de 1963. Esta linha tem

vindo a desenvolver-se e, hoje em dia é constituída por 9 km em

que podemos encontrar treze estações.

Na linha vermelha, iniciaram-se os percursos ferroviários subterrâneos no ano 1998. Para além de ser a mais recente linha do Metropolitano de Lisboa, esta também já evoluiu tendo uma extensão de 8 km, com nove estações.

Ambas as linhas ferroviárias do metropolitano lisboeta são subterrâneas, ao contrário de outros metropolitanos, como o do Porto.

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Projectos futuros

O Metropolitano de Lisboa, já está a iniciar as obras construção para o alargamento da sua rede até ao Aeroporto e à Reboleira, nas linhas Vermelha e Azul respectivamente. Deste modo a rede de metropolitano de Lisboa passaria a contar com mais de 40 km de linha e com 53 estações.

Para além dos alargamentos já referidos, propostos para 2011, o Metropolitano de Lisboa propõe-se também a alargar a sua rede até Sacavém e ao Infantado entre 2014 e 2015, num plano, que pretende que, em 2020 o Metropolitano de Lisboa conte com 89 estações espalhadas ao longo de 102 km de linha.

com 89 estações espalhadas ao lo ngo de 102 km de linha. Logótipo do Metro Também

Logótipo do Metro

Também se estudou a criação de uma linha das colinas, que estabeleceria a ligação entre os bairros históricos da cidade de Lisboa, onde o acesso em transporte individual é insuficiente

ou sem capacidade. Segundo os planos iniciais, esta linha ligaria Campo de Ourique a Santa Apolónia numa

distância de 8,5 km, passando por 8 estações. No entanto, segundo os últimos desenvolvimentos, este projecto foi “metido na gaveta”, passando a ser considerado como “não prioritário”.

Actualmente, devido aos elevados prejuízos pelos quais a rede do metro está a passar, há também a necessidade de aumentar os proveitos e reduzir os custos. Para isso está a ser estudada pela rede do Metropolitano a venda dos naming rights (cedência do nome) das linhas do metropolitano a empresas

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

privadas, tal como acontece já em diversas actividades, nomeadamente no futebol, como são exemplos o Estádio Axa em Braga ou o Emirates Stadium, em Londres. Isto não só contribuiria para um importante retorno financeiro para a empresa, como também permitiria a sua valorização e a melhoria da sua imagem quer no país, quer no estrangeiro.

Por outro lado, existe o forte risco dos responsáveis do M.L. (metropolitano de Lisboa), ou da sua tutela, se oporem à concretização deste acordo. Teme-se igualmente, a potencial reacção negativa que pode haver por parte das pessoas em relação ao tipo de acordo e às empresas ou marcas seleccionadas. A alteração do nome de estações e linhas pode, também, gerar alguma confusão.

Quanto ao montante a arrecadar pelo M.L. com este tipo de acordo, parece improvável que o mesmo seja suficiente para eliminar os seus prejuízos anuais, sendo necessário complementar essa receita adicional com outras novas, de modo a que esse objectivo se concretize.

Opinião da população acerca dos serviços prestados pelo Metro e os futuros alargamentos

Aos efectuarmos este trabalho realizaram-se alguns inquéritos junto dos utilizadores do Metro, inquéritos esses que tiveram como objectivo, conhecer as suas necessidades, e o seu grau de satisfação em relação aos serviços prestados pelo Metropolitano de Lisboa.

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

A primeira pergunta do inquérito estava relacionada com o meio de transporte que os inquiridos utilizavam nas suas deslocações até ao Metro. Ao olhar para os resultados (ver em anexo), notámos que o meio de transporte mais utilizado, é o autocarro, apesar de haver alguma tendência para o autocarro perder alguma importância à medida que a idade das pessoas entrevistadas aumenta, apesar de também aí este modo de transporte ser o meio mais utilizado.

Portanto, pelas respostas dadas a esta pergunta, podemos concluir que, face às necessidades existentes, seria bom o Metropolitano de Lisboa fazer uma aposta cada vez mais concreta e incisiva na multimodalidade, especialmente entre Metro e autocarro.

Consideramos que o exemplo dado pela Estação do Oriente é perfeito para ilustrar o que se requer da rede do Metro de Lisboa no que diz respeito à capacidade de atender às necessidades dos utilizadores.

A segunda pergunta abordava o grau de satisfação que os utilizadores do Metro tinham em relação ao tempo/custo das suas viagens.

Pelos resultados obtidos, concluímos que, existe um grau de satisfação quase total em relação aos jovens, mas à medida que a idade dos inquiridos aumenta o grau de satisfação diminui, apesar de se manter em valores bastante consideráveis. Também concluímos que o grau de insatisfação é maior no sexo masculino do que no feminino, factor ao qual atribuímos ao facto de normalmente haverem mais mulheres a circular no Metro do que

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

homens, sendo portanto maior o seu grau de adaptação ao custo e tempo de viagem.

Quanto a este problema cremos que pouco se pode fazer, já que consideramos o tempo de deslocação, ao utilizar o Metro, razoável, e o preço dificilmente sofrerá alterações, em virtude dos problemas económicos que o Metro de Lisboa actualmente atravessa.

A terceira pergunta estava relacionada com a regularidade que os utilizadores entrevistados utilizavam o Metro, e daí tiramos resultados bastante interessantes.

Mais uma vez, nota-se uma grande diferenciação de respostas conforme a idade do utilizador. No caso dos utilizadores mais jovens, a utilização é essencialmente diária, já que muitos usam o metro como meio de transporte para a universidade, ou, em certos casos, para o trabalho. No entanto, quanto mais idosos são os inquiridos, mais residual é a utilização do Metro, sendo que, no nível etário mais alto, dos 70 aos 79 anos, não encontrámos qualquer inquirido que dissesse que utilizava o Metro diariamente.

inquirido que disse sse que utilizava o Metro diariamente. População no Metro Consideramos estes resultados normais,

População no Metro

Consideramos estes resultados normais, já que, em virtude da maior parte da população mais idosa já se encontrar reformada e ter filhos/netos que os transportam em caso de necessidade esporádica, não tendo grande necessidade de utilizar o Metro. Tal

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

cenário pode ser atenuado pela multimodalidade, mas será sempre difícil inverter esta tendência.

A quarta pergunta procurava saber qual das novas linhas propostas e, já abordadas neste trabalho, satisfaria as necessidades dos utilizadores.

Quanto a esta pergunta, concluímos essencialmente que a maior parte dos utilizadores do Metro já se sente satisfeito com a actual rede, já que a maior parte dos inquiridos responderam que nenhuma das novas linhas correspondem às suas necessidades. No entanto a linha que demonstra maior interesse por parte das pessoas que responderam afirmativamente à questão, foi a linha vermelha.

Concluímos que estes resultados se devem ao facto das pessoas que seriam beneficiadas por tais linhas utilizam actualmente outros meios de transporte, pelo que seria extremamente difícil encontrá-los na linha do metro no decorrer do inquérito. No entanto temos a certeza de que estas linhas beneficiarão muito mais pessoas do que as que transparecem nos resultados do inquérito.

do que as que transparecem nos resultados do inquérito. Maquinista do comboio subterrâneo pergunta pretendíamos

Maquinista do comboio subterrâneo

pergunta

pretendíamos saber o grau de segurança dos utilizadores ao utilizarem o metro.

Na

quinta

obtivemos um

resultado surpreendente, já

Aqui

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

que as pessoas mais idosas demonstraram nas suas respostas sentir mais segurança do que a população mais jovem, com excepção do grupo etário dos 10 aos 19 anos.

Na nossa opinião tais resultados deveram-se não só à irresponsabilidade dos mais jovens, o que denota um valor mais baixo no grupo etário dos 10 aos 19 anos, e também que os idosos, em virtude de utilizarem menos o metro como meio de transporte não têm grande noção dos perigos que pode haver quando se utiliza o mesmo, nomeadamente a nível de roubos.

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Bilhetes de Viagem

Os bilhetes de viagem, tal como o Metropolitano de Lisboa no seu todo, também têm evoluído de modo a corresponder às necessidades da população. A grande alteração surgiu em 2004, quando a rede do Metro passou os limites da cidade de Lisboa. Para responder a isto, foi criado um sistema de duas coroas:

a coroa L, para a circulação dentro dos limites da cidade, e a coroa 1, para fora dos mesmos, competindo ao utilizador comprar o ingresso correspondente para o local para onde deseja viajar.

correspondente para o local para onde deseja viajar. Bilhete do transporte ferroviário “Lisboa Viva” Para

Bilhete do transporte ferroviário “Lisboa Viva”

Para além disso, foram introduzidos os cartões 7 Colinas e Viva Viagem, que facilitam a circulação e reduzem perdas de tempo desnecessárias para os utilizadores na aquisição do seu ingresso.

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Acessibilidade

O Metropolitano de Lisboa, enquanto empresa, frequentada por milhares de utilizadores diariamente, procura oferecer aos seus usuários as melhores condições de acessibilidade e conforto possíveis.

Para facilitar a circulação, existem por toda a rede do metro elementos mecânicos como as escadas rolantes, tapetes rolantes e elevadores. Também existem facilidades para pessoas com deficiência auditiva e visual, tais como avisos luminosos de chegada do metro e abertura e fecho de portas no caso de o utilizador ser portador de deficiência auditiva, e avisos sonoros e relevos no chão propositadamente colocados perto da linha de segurança da plataforma para as pessoas portadoras de deficiência visual.

Para além destas funcionalidades, o Metro está, em colaboração com a ACAPO (Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal), na utilização no Metro de Lisboa de mais funcionalidades que ajudem este tipo de pessoas, tais como a instalação de suportes para cadeiras de rodas nas carruagens do Metro de Lisboa, a instalação de uma Linha-Guia desde o fim da escada de um dos acessos à superfície até à linha de segurança ao longo do bordo dos cais (para as estações existentes), sob a forma de pavimentos coláveis, e ainda a instalação de painéis com indicações de orientação em relevo e em Braille.

instalação de painéis com indicações de orientação em relevo e em Braille. Escadas rolantes do Metro

Escadas rolantes do Metro

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Convenientes e inconvenientes do Metro

O Metropolitano integra o conjunto de transportes ferroviários,

no qual é indicado para o transporte de pessoas a pequenas distâncias.

O facto de ser, principalmente movido a energia eléctrica, faz

com que o Metro responda positivamente a um dos grandes problemas de todos os meios de transporte, uma vez que os baixos

consumos de energia traduzem-se num reduzido impacto ambiental, ao contrário dos restantes transportes, prejudicando mais o ambientes com os gases libertados para a atmosfera. A distância tempo/custo é, um dos aspectos mais positivos que o Metropolitano apresenta, pois as viagens rápidas e fraco congestionamento exprimem uma elevada redução destes dois parâmetros.

No entanto, o Metro apresenta aspectos negativos, pois o carácter fixo dos seus itinerários implica obrigatoriamente o transbordo de passageiros, aumentando assim a distancia-tempo/custo, traduzindo-se numa fraca flexibilidade, bem como a comodidade dos passageiros. O horário amplo oferece um serviço regular podendo

assim, ter como já referido, viagens rápidas entre longas distâncias.

assim, ter como já referido, viagens rápidas entre longas distâncias. Escada rolante fora de serviço 20

Escada rolante fora de serviço

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Este transbordo obriga por parte da identidade reguladora do metropolitano, a criação de estações no qual irá aumentar a mão- de-obra, assim como o gasto de capital na criação das mesmas, pois as vias férreas tem de ser totalmente construídas em simultâneo, ou seja, não podem ser construídas por etapas, facto que traduz a que apenas os países desenvolvidos consigam realizar estas obras, uma vez que possuem mais capacidade de investimento e manutenção das mesmas, para que este transporte, possa ter e oferecer aos seus passageiros todas as condições necessárias de segurança. Este constante investimento na manutenção das infra-estruturas, deve-se ao facto deste tipo de transporte ser de elevado peso.

Esta segurança tem-se vindo a notar ao longo dos anos, uma vez que o metropolitano é considerado um dos transportes terrestres mais seguro, em termos de viagem, o que, em comparação com o transporte rodoviário, este apresenta uma fraca sinistralidade assim como um elevado nível de conforto.

Como já foi mencionado, o metropolitano é adequado para o transporte quer a curtas ou médias, uma vez que apresenta a particularidade de uma elevada capacidade de carga de passageiros, pois com o desenvolvimento mecânico, este transporte suporta um elevado número de carruagens.

este transporte suporta um elevado número de carruagens. Interior do transporte Um dos aspectos mais positivos

Interior do transporte

Um dos aspectos mais positivos no Metro, é o facto de este completar grande parte dos transportes, como por exemplo, o transporte marítimo, ferroviário, aéreo ou rodoviário. Com o

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

elevado número de estações disponíveis, a acessibilidade a este tipo de transporte é simples, rápida e cómoda, no entanto, o Metro não chega aos principais pontos de interesse da cidade de Lisboa.

Estas infra-estruturas são muitas vezes, locais de abrigo a pessoas que não têm habitação própria, causando um certo mau estar aos utilizadores do metropolitano, podendo até estes, serem vítimas de ameaças ou furtos, no entanto, este cenário tem vindo a diminuir ao longo dos anos uma vez que o metropolitano tem vindo a reforçar a segurança. Outra das grandes desvantagens do metropolitano é que, em caso de avaria numa das linhas, esta fica impedida de realizar o trajecto normal, afectando assim os restantes veículos metropolitanos, não cumprindo assim os horários estabelecidos.

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Conclusão

Este trabalho foi elaborado pelo grupo com grande esforço e reflexão, mas também com grande prazer e empenho.

Consideramos que este trabalho, aqui exposto, foi o resultado de uma pesquisa minuciosa e prolongada, que envolveu uma grande quantidade de análise e reflexão sobre os resultados obtidos.

O aspecto do trabalho que mais gostámos de realizar, foi a elaboração dos inquéritos, não só devido à experiência do contacto directo com as pessoas, como também à capacidade de análise que foi requerida para tirarmos conclusões acerca dos mesmos, que, apesar de ter sido extremamente exigente, foi extremamente gratificante.

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Anexos

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Este questionário é anónimo, e serve para avaliar o desempenho do Metropolitano na sociedade. As futuras informações vão ser utilizadas como estatísticas para um trabalho escolar no âmbito da disciplina de Geografia A, com o tema: O metropolitano em Lisboa.

F

M

Zona de residência

Zona de trabalho

1. Para efectuar a chegada ao seu destino, quais os tipos de transporte que utiliza, para além do metro?

Autocarro

Táxi

Comboio

Barco

Transporte próprio

Outros

2. No geral, sente que o metro satisfaz as suas necessidades em relação ao tempo/custo?

Sim

Não

3. Com que regularidade utiliza o metro?

Todos os dias

Algumas vezes

Raramente

4. Das futuras redes, qual a que satisfaz mais as suas necessidades? Para a linha vermelha:

São Sebastião a Alvito;

Oriente a Aeroporto (em construção);

Moscavide a Sacavém;

Aeroporto a Hospital Amadora; Para a linha verde:

Baixa Chiado ao Campo Grande; Para a linha amarela:

Odivelas a Bons Dias;

Odivelas ao Infantado;

Rato a Alcântara;

Para a linha azul:

Amadora Este a Reboleira (em construção);

Colégio Militar/Luz a Benfica;

Nenhuma das novas redes me satisfaz as necessidades.

5. Sente-se seguro quando utiliza os serviços do metro?

Sim

Não

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Resultados dos inquéritos

Dos 10 aos 19 anos

Nota: Corresponde a 15% das pessoas que questionámos.

1. Para efectuar a chegada ao seu destino, quais os tipos de transportes

que utiliza, para além do metro.

Transportes

Feminino

Masculino

Percentagens

Autocarro

4

4

8x100/15= 53%

Táxi

1

0

1x100/15= 7% *

Comboio

0

2

2x100/15= 13% *

Barco

0

0

0x100/15= 0%

Transporte Próprio

1

0

1x100/15= 7% *

Outros

1

2

3x100/15= 20%

Total

7

8

53+7+13+0+7+20= 100%

2.No geral, sente que o metro satisfaz as suas necessidades em relação ao tempo/custo?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

7

7

14x100/15= 93%

Não

0

1

1x100/15= 7% *

Outros

0

0

0x100/15= 0%

Total

7

8

93+7+0= 100%

3. Com que regularidade utiliza o metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Todos os dias

6

5

11x100/15= 73%

Algumas vezes

1

2

3x100/15= 20%

Raramente

0

1

1x100/15= 7% *

Total

7

8

73+20+7= 100%

4. Das futuras redes, qual a que satisfaz mais as suas necessidades?

Para a linha vermelha

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

São Sebastião a Alvito

0

0

0x100/15= 0%

Oriente a Aeroporto

0

1

1x100/15= 7% *

Moscavide a Sacavém

0

0

0x100/15= 0%

Aeroporto a Hospital Amadora

0

0

0x100/15= 0%

Total

0

1

0+7+0+0= 7%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Para a linha verde

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Baixa Chiado ao Campo Grande

0

0

0x100/15= 0%

Total

0

0

0%

Para a linha amarela

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Odivelas a Bons Dias

 

0

 

0

0x100/15= 0%

Odivelas ao Infantado

 

0

 

0

0x100/15= 0%

Rato a Alcântara

 

0

 

0

0x100/15= 0%

Total

 

0

 

0

0+0+0= 0%

Para a linha azul

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Amadora Este a Reboleira

0

0

0x100/15= 0%

Colégio Militar/Luz a Benfica

0

0

0x100/15= 0%

Total

0

0

0+0= 0%

Nenhuma das novas redes satisfaz as necessidades

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Nenhuma das novas redes

7

7

14x100/15= 93%

Total

7

7

93%

Todas as linhas

Respostas

Feminino

 

Masculino

 

Percentagens

Linha Vermelha

 

0

 

1

 

1x100/15= 7% *

Linha Verde

 

0

 

0

 

0x100/15= 0%

Linha Amarela

 

0

 

0

 

1x100/15= 0%

Linha Azul

 

0

 

0

 

0x100/15= 0%

Nenhuma das redes

 

7

 

7

 

14x100/15= 93%

Total

 

7

 

8

7+0+0+0+93= 100%

5. Sente-se seguro quando utiliza os serviços do metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

7

7

14x100/15= 93%

Não

0

1

1x100/15= 7% *

Total

7

8

93+7= 100%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Dos 20 aos 29 anos

Nota: Corresponde a 25% das pessoas que questionámos.

1. Para efectuar a chegada ao seu destino, quais os tipos de transportes

que utiliza, para além do metro.

Transportes

Feminino

Masculino

Percentagens

Autocarro

7

7

14x100/25= 56%

Táxi

0

0

0x100/25= 0%

Comboio

1

1

2x100/25= 8%

Barco

0

1

1x100/25= 4%

Transporte Próprio

1

0

1x100/25= 4%

Outros

2

5

7x100/25= 28%

Total

11

14

56+0+8+4+4+28= 100%

2. No geral, sente que o metro satisfaz as suas necessidades em relação

ao tempo/custo?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

9

11

20x100/25= 80%

Não

1

3

4x100/25= 16%

Outros

1

0

1x100/25= 4%

Total

11

14

80+16+4= 100%

3. Com que regularidade utiliza o metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Todos os dias

9

7

16x100/25= 64%

Algumas vezes

2

4

6x100/25= 24%

Raramente

0

3

3x100/25= 12%

Total

11

14

64+24+12= 100%

4. Das futuras redes, qual a que satisfaz mais as suas necessidades?

Para a linha vermelha

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

São Sebastião a Alvito

1

0

1x100/25= 4%

Oriente a Aeroporto

0

0

0x100/25= 0%

Moscavide a Sacavém

0

1

1x100/25= 4%

Aeroporto a Hospital Amadora

0

1

1x100/25= 4%

Total

1

2

4+0+4+4= 12%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Para a linha verde

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Baixa Chiado ao Campo Grande

1

1

2x100/25= 8%

Total

1

1

8%

Para a linha amarela

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Odivelas a Bons Dias

 

0

 

1

1x100/25= 4%

Odivelas ao Infantado

 

1

 

0

1x100/25= 4%

Rato a Alcântara

 

0

 

0

0x100/25= 0%

Total

 

1

 

1

4+4+0= 8%

Para a linha azul

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Amadora Este a Reboleira

0

0

0x100/25=0%

Colégio Militar/Luz a Benfica

0

0

0x100/25=0%

Total

0

0

0+0= 0%

Nenhuma das novas redes satisfaz as necessidades

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Nenhuma das novas redes

8

10

18x100/25= 72%

Total

8

10

72%

Todas as linhas

Respostas

Feminino

 

Masculino

 

Percentagens

Linha Vermelha

 

1

 

2

 

3x100/25= 12%

Linha Verde

 

1

 

1

 

2x100/25= 8%

Linha Amarela

 

1

 

1

 

2x100/25= 8%

Linha Azul

 

0

 

0

 

0x100/25= 0%

Nenhuma das redes

 

8

 

10

 

18x100/25= 72%

Total

 

11

 

14

12+8+8+0+72= 100%

5. Sente-se seguro quando utiliza os serviços do metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

10

13

23x100/25= 92%

Não

1

1

2x100/25= 8%

Total

11

14

92+8= 100%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Dos 30 aos 39 anos

Nota: Corresponde a 15% das pessoas que questionámos.

1. Para efectuar a chegada ao seu destino, quais os tipos de transportes

que utiliza, para além do metro.

Transportes

Feminino

Masculino

Percentagens

Autocarro

4

5

9x100/15= 60%

Táxi

1

0

1x100/15= 7% *

Comboio

0

1

1x100/15= 7% *

Barco

0

0

0x100/15= 0%

Transporte Próprio

1

0

1x100/15= 7% *

Outros

2

1

3x100/15= 20%

Total

8

7

60+7+7+0+7+20= 100%

2. No geral, sente que o metro satisfaz as suas necessidades em relação

ao tempo/custo?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

6

6

12x100/15= 80%

Não

1

0

1x100/15= 7% *

Outros

1

1

2x100/15= 13% *

Total

8

7

80+7+13= 100%

3. Com que regularidade utiliza o metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Todos os dias

5

7

12x100/15= 80%

Algumas vezes

2

0

2x100/15= 13% *

Raramente

1

0

1x100/15= 7%

Total

8

7

80+13+7= 100%

4. Das futuras redes, qual a que satisfaz mais as suas necessidades?

Para a linha vermelha

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

São Sebastião a Alvito

0

1

1x100/15= 7%

Oriente a Aeroporto

0

0

0x100/15= 0%

Moscavide a Sacavém

0

0

0x100/15= 0%

Aeroporto a Hospital Amadora

0

0

0x100/15= 0%

Total

0

1

7+0+0+0= 7%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Para a linha verde

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Baixa Chiado ao Campo Grande

0

0

0x100/15= 0%

Total

0

0

0%

Para a linha amarela

Respostas

 

Feminino

 

Masculino

Percentagens

Odivelas a Bons Dias

 

0

 

0

0x100/15= 0%

Odivelas ao Infantado

 

0

 

0

0x100/15= 0%

Rato a Alcântara

 

0

 

0

0x100/15= 0%

Total

 

0

 

0

0+0+0= 0%

Para a linha azul

Respostas

Feminino

   

Masculino

Percentagens

Amadora Este a Reboleira

 

0 0

0x100/15= 0%

Colégio Militar/Luz a Benfica

 

1 0

1x100/15= 7%

Total

 

1 0

0+7= 7%

Nenhuma das novas redes satisfaz as necessidades

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Nenhuma das novas redes

7

6

13x100/15= 87% *

Total

7

6

87%

Todas as linhas

Respostas

Feminino

 

Masculino

 

Percentagens

Linha Vermelha

 

0

 

1

 

1x100/15= 7%

Linha Verde

 

0

 

0

 

0x100/15= 0%

Linha Amarela

 

0

 

0

 

0x100/15= 0%

Linha Azul

 

1

 

0

 

1x100/15= 7%

Nenhuma das redes

 

7

 

6

 

13x100/15= 87%

Total

 

8

 

7

7+0+0+7+87= 100%

5. Sente-se seguro quando utiliza os serviços do metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

7

7

14x100/15= 93 *

Não

1

0

1x100/15= 7%

Total

8

7

93+7= 100%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Dos 40 aos 49 anos

Nota: Corresponde a 23% das pessoas que questionámos.

1. Para efectuar a chegada ao seu destino, quais os tipos de transportes

que utiliza, para além do metro.

Transportes

Feminino

Masculino

Percentagens

Autocarro

4

7

11x100/23= 48% *

Táxi

0

0

0x100/23= 0%

Comboio

1

0

1x100/15= 4% *

Barco

1

0

1x100/15= 4% *

Transporte Próprio

1

0

1x100/15= 4% *

Outros

4

5

9x100/23= 39% *

Total

11

12

48+0+4+4+4+39= 100%

2. No geral, sente que o metro satisfaz as suas necessidades em relação

ao tempo/custo?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

9

6

15x100/23= 65% *

Não

2

5

7x100/23= 30% *

Outros

0

1

1x100/23= 4% *

Total

11

12

65+30+4= 100%

3. Com que regularidade utiliza o metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Todos os dias

9

6

15x100/23= 65% *

Algumas vezes

1

2

3x100/23= 13% *

Raramente

1

4

5x100/23= 22% *

Total

11

12

65+13+22= 100%

4. Das futuras redes, qual a que satisfaz mais as suas necessidades?

Para a linha vermelha

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

São Sebastião a Alvito

0

0

0x100/23= 0%

Oriente a Aeroporto

0

0

0x100/23= 0%

Moscavide a Sacavém

0

1

1x100/23= 4%

Aeroporto a Hospital Amadora

1

0

1x100/23= 4%

Total

1

1

0+0+4+4= 8%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Para a linha verde

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Baixa Chiado ao Campo Grande

0

0

0x100/23= 0%

Total

0

0

0%

Para a linha amarela

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Odivelas a Bons Dias

 

0

 

0

0x100/23= 0%

Odivelas ao Infantado

 

0

 

0

0x100/23= 0%

Rato a Alcântara

 

0

 

0

0x100/23= 0%

Total

 

0

 

0

0+0+0= 0%

Para a linha azul

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Amadora Este a Reboleira

0

0

0x100/23= 0%

Colégio Militar/Luz a Benfica

0

0

0x100/23= 0%

Total

0

0

0+0= 0%

Nenhuma das novas redes satisfaz as necessidades

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Nenhuma das novas redes

10

11

21x100/23= 91%*

Total

10

11

91%

Todas as linhas

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Linha Vermelha

1

1

2x100/23= 9%*

Linha Verde

0

0

0x100/23= 0%

Linha Amarela

0

0

0x100/23= 0%

Linha Azul

0

0

0x100/23= 0%

Nenhuma das redes

10

11

21x100/23= 91%*

Total

11

12

9+0+0+0+91= 100%

5. Sente-se seguro quando utiliza os serviços do metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

7

10

17x100/23= 74%*

Não

4

2

6x100/23= 26%*

Total

11

12

74+26= 100%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Dos 50 aos 59 anos

Nota: Corresponde a 9% das pessoas que questionámos.

1. Para efectuar a chegada ao seu destino, quais os tipos de transportes

que utiliza, para além do metro.

Transportes

Feminino

Masculino

Percentagens

Autocarro

3

1

4x100/9= 44%*

Táxi

0

1

1x100/9= 11%*

Comboio

0

0

0x100/9= 0%

Barco

1

0

1x100/9= 11%*

Transporte Próprio

0

1

1x100/9= 11%*

Outros

2

0

2x100/9= 22%*

Total

6

3

44+11+0+11+11+22= 100%

2. No geral, sente que o metro satisfaz as suas necessidades em relação

ao tempo/custo?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

4

2

6x100/9= 67%*

Não

2

1

3x100/9= 33%*

Outros

0

0

0x100/9= 0%

Total

6

3

67+33+0= 100%

3. Com que regularidade utiliza o metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Todos os dias

4

2

6x100/9= 67%*

Algumas vezes

1

1

2x100/9= 22%*

Raramente

1

0

1x100/9= 11%*

Total

6

3

67+22+11= 100%

4. Das futuras redes, qual a que satisfaz mais as suas necessidades?

Para a linha vermelha

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

São Sebastião a Alvito

0

0

0x100/9= 0%

Oriente a Aeroporto

0

1

1x100/9= 11%*

Moscavide a Sacavém

0

1

1x100/9= 11%*

Aeroporto a Hospital Amadora

1

0

1x100/9= 11%*

Total

1

2

0+11+11+11= 33%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Para a linha verde

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Baixa Chiado ao Campo Grande

0

0

0x100/9= 0%

Total

0

0

0%

Para a linha amarela

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Odivelas a Bons Dias

 

0

 

0

0x100/9= 0%

Odivelas ao Infantado

 

0

 

0

0x100/9= 0%

Rato a Alcântara

 

0

 

0

0x100/9= 0%

Total

 

0

 

0

0%

Para a linha azul

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Amadora Este a Reboleira

0

0

0x100/9= 0%

Colégio Militar/Luz a Benfica

0

0

0x100/9= 0%

Total

0

0

0%

Nenhuma das novas redes satisfaz as necessidades

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Nenhuma das novas redes

5

1

6x100/9= 67%*

Total

5

1

67%

Todas as linhas

Respostas

Feminino

 

Masculino

 

Percentagens

Linha Vermelha

 

1

 

2

 

3x100/9= 33%*

Linha Verde

 

0

 

0

 

0x100/9= 0%

Linha Amarela

 

0

 

0

 

0x100/9= 0%

Linha Azul

 

0

 

0

 

0x100/9= 0%

Nenhuma das redes

 

5

 

1

 

6x100/9= 67%*

Total

 

6

 

3

33+0+0+0+67= 100%

5. Sente-se seguro quando utiliza os serviços do metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

4

3

7x100/9= 78%*

Não

2

0

2x100/9= 22%*

Total

6

3

78+22= 100%

“Os Transportes: Metropolitano de Lisboa”

Dos 60 aos 69 anos

Nota: Corresponde a 7% das pessoas que questionámos.

1. Para efectuar a chegada ao seu destino, quais os tipos de transportes

que utiliza, para além do metro.

Transportes

Feminino

Masculino

Percentagens

Autocarro

0

2

2x100/7= 29%*

Táxi

0

0

0x100/7= 0%

Comboio

0

1

1x100/7= 14%*

Barco

0

0

0x100/7= 0%

Transporte Próprio

0

1

1x100/7= 14%*

Outros

2

1

3x100/7= 43%*

Total

2

5

29+0+14+0+14+43= 100%

2. No geral, sente que o metro satisfaz as suas necessidades em relação

ao tempo/custo?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Sim

2

3

5x100/7= 71%*

Não

0

0

0x100/7= 0%

Outros

0

2

2x100/7= 29%*

Total

2

5

71+0+29= 100%

3. Com que regularidade utiliza o metro?

Respostas

Feminino

Masculino

Percentagens

Todos os dias

1

1

2x100/7= 29%*

Algumas vezes

1

1

2x100/7= 29%*

Raramente

0