Sei sulla pagina 1di 2

O olho humano

O olho é o órgão que detecta os sinais luminosos e os codifica de modo a que o cérebro p
rocesse a informação fornecida.
Para melhor podermos compreender o processo de visão, é necessário conhecer a constitu
ição e funcionamento do olho humano.
Assim sendo, passo a enumerar as funções dos vários constituintes do olho
:
Esclerótica: membrana protectora, dura e branca, onde se aloja o globo ocular.
É a parte branca do olho.
Córnea: Camada protectora transparente que tem a tarefa de concentrar grande par
te da luz (é a primeira lente do olho). É um dos componentes de focagem do olho.
Íris: Zona colorida do olho, feita de um anel de músculos que contém uma abertura ch
amada pupila. Tem a forma de um donut , é pigmentada e é a responsável pela cor dos olhos
. A íris regula a quantidade de luz que entra no olho, expandindo-se quando entra
muita luz e contraindo-se quando a luz e insuficiente.
Pupila: Encontra-se atrás da córnea e no centro da íris. Quando a íris se contrai a pu
pila aumenta e diminui quando a íris relaxa.
Cristalino: Situa-se atrás da íris. Funciona como uma pequena lente convergente qu
e faz com que a imagem dos objectos se forme na retina. É um excelente componente
de focagem do olho, uma vez que é ajustável. Esta propriedade do olho designa-se por
poder de acomodação.
Músculos ciliares: Quando se observam objectos próximos, os músculos contraem-se e a
s fibras relaxam tornando o cristalino mais largo; quando se observam objectos m
ais distantes, os músculos relaxam e o cristalino torna-se mais alongado.
Retina: Camada de tecido constituído por células sensíveis à luz. Transforma a luzem
sinais luminosos que são enviados ao cérebro pelo nervo óptico. É na retina que se proje
cta a imagem, tal como uma película fotográfica. As células da retina são de dois tipos:
os cones e os bastonetes. Os cones são sensíveis à intensidade luminosa. A sua tarefa
é distinguir entre o obscuro e a luz.
Nervo óptico: encontra-se por detrás do olho e leva os impulsos nervosos ao cérebro
.
Vasos sanguíneos: permitem a oxigenação do olho.
Humor vítreo: é uma substância gelatinosa transparente que preenche o espaço entre o
cristalino e a retina, fazendo com que o olho se mantenha firme e ao mesmo tempo
elástico. Representa quatro quintos da massa do globo ocular.

miopia :
A miopia é uma deficiência visual, sendo um problema inverso à hipermetropia. O indivídu
o míope sofre de má visão ao longe, obtendo imagens esbatidas e desfocadas, vendo com
nitidez apenas objetos próximos.
A miopia surge em resultado de um alongamento do globo ocular no sentido ântero-po
sterior, do que resulta que a imagem projetada pelo cristalino se forma à frente (
antes) da retina.
Esta anomalia pode ser corrigida através do uso de lentes divergentes, côncavas, cuj
a graduação é proporcional à deformação do globo ocular.
A miopia:
Um míope não consegue ver objetos distantes com nitidez porque as imagens desses obj
etos formam-se antes da retina. Isso acontece por excesso de curvatura no crista
lino ou na córnea, ou nos dois, ou ainda por um excessivo alongamento do globo ocu
lar. Para corrigir a miopia são usadas lentes divergentes que deslocam as imagens
um pouco mais para trás.

Como funciona o olho Humano


Bem como uma máquina fotográfica o olho humano possui uma lenta que regula
o foco das imagens bem como as focaliza em diferentes distâncias. Esta lente
é chamada de cristalino e localiza-se junto á íris. A função do cristalino é fazer
com que os raios paralelos provindos das imagens virtuais converjam para um
mesmo ponto no fundo do olho, na retina. A retina é um tecido foto sensível,
assim como o filme fotográfico. Porém ao invés da luz deixar marcas nesta a retina
transforma os estímulos luminosos em sinais eléctricos que serão interpretados
pelo cérebro. É ai que acontece os defeitos refractivos.