Sei sulla pagina 1di 98

PROJETO

PEDAGÓGICO

CURSO DE DESIGN DE MODA

FACULDADE DE ARTE & DESIGN


AGOSTO 2003
- SUMÁRIO
Projeto Pedagógico da FACULDADE DE ARTE & DESIGN / Curso de
Design de Moda

- PARTE I – DISPOSIÇÕES PRELIMINARES


– Apresentação
- Concepção e Objetivos
- Realização da Interdisciplinaridade
- Perfil, Habilidades, Aptidões e Competências de seus formandos
– Focos de atuação

- PARTE II – DADOS GERAIS


2.1 - Da Região Centro-Oeste de Minas Gerais
2.2 - Da FACULDADE DE ARTE & DESIGN
2.3 - Do Curso de Design de Moda

- PARTE III – ESTRUTURA DE FUNCIONAMENTO DO CURSO


3.1 - Das Disciplinas Curriculares
3.2 - Da Integração Ensino, Pesquisa e Extensão
3.3 - Monitoria
3.4 - Estágio e Prática
3.5 - Atividades Complementares
3.6 - Trabalho de Conclusão de Curso
3.7 - Publicações
3.8 - Convênios, Parcerias e Relações Externas
3.9 - Integração Graduação e Pós-Graduação
3.9.1 – Extensão
3.9.2 - Pós-graduação (stricto sensu, lato sensu)
3.9.3 - Seqüenciais (formação específica, complementação de estudos)
3.9.4 - Programas Especiais de Formação Pedagógica
3.9.5 - Programas de Extensão
3.9.6 - Programas de Pesquisa

2
3.10 - Corpo Docente
3.11 - Política de Capacitação Docente
3.12 - Plano de Carreira e Remuneração do Corpo Docente
3.13 - Currículo Pleno
3.14 - Processo de Avaliação
3.15 - Acompanhamento dos Egressos

- PARTE IV – DA IMPLEMENTAÇÃO DO CURSO


4.1 - Infra-Estrutura
4.2 - Cronograma
4.3 - Planejamento Econômico e Financeiro: Primeiro ao Oitavo Período

- PARTE V – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS

- ANEXOS – TERMO DE COMPROMISSO E CURRÍCULOS

3
PARTE I

DISPOSIÇÕES
PRELIMINARES

4
1.1 - Apresentação
A FACULDADE DE ARTE & DESIGN, com sede na cidade de
Divinópolis, Estado de Minas Gerais, estabelecimento isolado de ensino
superior, mantido pela Sociedade Dom Bosco de Educação e Cultura S/C Ltda.

1.2 - Concepção e Objetivos

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN tem como missão desenvolver as


potencialidades do ser humano, suas virtudes, sua excelência própria e assim
gerar a comunhão dos saberes com e em benefício da sociedade.

Como instituição educacional, integrante do Sistema Federal de Ensino


a FACULDADE DE ARTE & DESIGN no âmbito do/s curso/s que ministra os
seguintes objetivos:

I – Oferecer cursos de Educação Superior – graduação e pós-graduação


– na área do Design, inspirada em diferentes áreas do conhecimento,
objetivando a educação e a formação especializada do profissional:
Designer de Moda, alicerçando valores éticos, estéticos e científico-
culturais.

II – Propiciar o desenvolvimento das potencialidades da comunidade


educativa buscando a formação da excelência própria de todos os
envolvidos na FACULDADE DE ARTE & DESIGN e assim gerar a
comunhão dos saberes diluídos em todos os componentes curriculares
programados incluindo as interfaces com os outros cursos da FACED e
da FACULDADE DE ARTE & DESIGN.

III – Oferecer cursos nos diferentes níveis de abrangência – graduação e


pós-graduação, modalidades presenciais e à distância, de ensino,
pesquisa e extensão, aperfeiçoamento, e outros cursos tendo em vista
atender as demandas do mercado sócio, político e econômico da cidade
e região de Divinópolis.

5
IV – Qualificar profissionais do nível de Ensino Superior, concretizando a
formação ética, o desenvolvimento da autonomia intelectual e do
pensamento crítico, inseridos no processo de desenvolvimento político-
cultural e sócio-econômico do país e, em particular de Divinópolis e
região.

V – Promover e difundir o Design em articulação com a comunidade


empresarial por meio de pesquisas, atividades criadoras, geração,
comunhão e transferência de saberes e conhecimentos.

VI – Propiciar o ensino, a pesquisa e a extensão à comunidade,


qualificando profissionais capazes de construírem o progresso social
mediante a aplicação de enfoques teóricos, desenvolvimento das
potencialidades da arte, da ciência e da tecnologia, envolvendo os
diferentes saberes.

VII – Estabelecer intercâmbio com instituições congêneres, nacionais e


estrangeiras, com vistas à troca de experiências científico-culturais.

VIII – Promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e


técnicos que constitua patrimônio da humanidade comunicando o saber
Design por meio do ensino, da publicação e por outras formas de
comunicação.

IX – Propiciar o ensino à distância, qualificando profissionais em vários


setores da moda.

1.3 - Realização da Interdisciplinaridade

As diretrizes pedagógicas obedecerão a linhas teóricas inovadoras do


saber-saber, saber-ensinar, saber-aprender, saber-fazer, e saber-ser.

6
A interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade serão efetivadas por
meio de recursos pedagógicos estratégicos, como pedagogia de projetos,
estudos de caso, portfólio de ensino, aprendizagem e avaliação.

O desenvolvimento da autonomia intelectual do pensamento


crítico/reflexivo será propiciado por meio de diferentes trabalhos individuais e
de grupos, fomentando-se a pesquisa/ação, o trabalho de campo, trabalhos
práticos e dessa forma atender as necessidades da comunidade.

1.4 - Perfil, Habilidades, Aptidões e Competências de seus formandos

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN diante da demanda por


profissionais preparados para enfrentar os mercados nacionais e internacionais
bem como os desafios da cidade e região, propõe focar seus estudos,
pesquisas e trabalhos de extensão, alicerçados nos diferentes campos do
Design e das áreas afins, e na qualificação da prestação do serviço social, com
a finalidade de transpor esses desafios, e desse modo contribuir para a
melhoria da qualidade de vida da sociedade em que está inserida.

O Design de Moda tem estado desde sempre presente na história do


homem. É um elemento que diferencia as culturas e que se projeta na
especificação em relação ao conceito
(idéia+criatividade+originalidade+inovação) e em sua tendência constante de
pesquisa de novos processos tecnológicos, e na melhor logística para atender
a todos os setores e mercados ligados à moda nacional e internacional.

Falar de Design de Moda é falar da poesia dos elementos e das formas


que geram uma consciência de sua função social como fator conceitual de
transformação e desenvolvimento da sociedade e de sua cultura.

O Design de Moda há muito tempo deixou de ser só uma maneira


expressiva e formal. A inovação, a efetivação das tendências e produtos, e a
credibilidade das propostas frente ao cliente são indissociáveis.

7
O designer busca respostas e desenvolve ações que lhe permitam
inserir-se na sociedade, com sólidos argumentos para impor critérios e ter
postura disciplinária na melhor utilização de soluções e recursos que se
adaptam as exigências da humanidade.

O Design de Moda é antes de tudo comunicação humana, porque no


processo de Design, materializa-se idéias, soluciona problemas, melhoram a
qualidade de vida, prioriza o meio ambiente e também gera desenvolvimento
tecnológico, econômico e operacional.

O Design apresenta interface com diferentes áreas do saber como a


comunicação. Na medida em que uma sociedade realiza suas condições de
vida sócio-cultural, ela se manifesta de forma significativa. Dessa forma, por
meio do Design pode-se identificar o processo social e a linguagem que vem
conduzindo a emancipação humana.

O Design Industrial ajustado aos conceitos mercadológicos de Moda tem


em vista sempre a necessidade de pesquisar e utilizar propostas que resultem
em produtos interessantes e compatíveis com as exigências do consumidor
final.

A área de Design utiliza insumos da Matemática, Física e Química no


que se refere a cálculos e tecnologias; da História retira subsídios para
modelos e estilos; da Geografia obtém bases de clima, topografia e tendências
num mundo moderno. Da mesma forma, conceitos, princípios e tecnologias de
Meio Ambiente, Saúde, Artes – Cênicas e Plásticas, Literatura - em especial a
Poesia, Sociologia e Psicologia são bases para o desenvolvimento de
competências, habilidades, criatividade enfim o desenvolvimento das
potencialidades – da excelência própria do homem.

1.4.1 - Focos de atuação

A área de atuação da FACULDADE DE ARTE & DESIGN: as empresas,


as indústrias têxteis, da construção civil, calçadista, metalurgia, siderurgia,

8
moveleira, saúde, alimentícia e de pecuária, as instituições públicas e privadas,
as ONG’s, as instituições de ensino em todos os seus níveis e modalidades.

9
PARTE II

DADOS GERAIS

10
2.1 - Da Região Centro-Oeste de Minas Gerais

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN está situada na cidade de


Divinópolis, na região Centro Oeste de Minas Gerais, unidade Federativa
pertencente à região Sudeste, considerada uma das mais importantes do país.

Cumpre registrar dados fisiográficos do Município de Divinópolis. Este, é


constituído de uma área geográfica com 716 Km, equivalente a 0,12% da área
do Estado de Minas Gerais.

Dista 114 Km de Belo Horizonte, Capital Mineira e de acordo com o


censo 2002 possui 2.229.697 habitantes.

Segundo dados fornecidos pelo IBGE, Censo de 2002, o município de


Divinópolis possui a sétima maior população do Estado com 183.708
habitantes, correspondendo a uma densidade demográfica de 256,58 hab/Km;
uma taxa de crescimento de 21,29% em relação ao ano de 1991, crescimento
populacional que corresponde a 2,13% anuais, constituindo-se uma das
maiores cidades do Estado de Minas Gerais.

De sua população, mais de 60% (sessenta por cento) é de origem


italiana, fruto de maciças imigrações do final do Século XIX e início do
Século XX, com a concorrência de espanhóis e portugueses.

A infraestrutura econômica do município de Divinópolis, exerce uma


influência relevante no Estado. Detém um parque industrial competitivo, uma
agricultura moderna e um setor terciário dinâmico; comprova crescimento
sustentável com a inserção cada vez maior no Estado, região e país.

Acrescenta-se o fato da cidade possuir órgãos públicos federais e


estaduais, além de serviços públicos de saúde, educação e trabalho, com
atendimento local e regional.

11
Disso decorre relevante papel do Município nas relações do Brasil com o
exterior, constituindo-se pólo de exportação de têxteis e ferrosos.

2.2 - Da FACULDADE DE ARTE & DESIGN

A idéia da criação da FACULDADE DE ARTE & DESIGN surgiu a partir


da necessidade de atendimento aos alunos egressos do Ensino Médio, da
Educação Profissional, de outros cursos e modalidades de ensino, e que
desejaram aprimorar a sua performance pessoal e profissional, bem como de
empresários estabelecidos nesta e em cidades circunvizinhas, que
conclamavam por profissionais qualificados e capacitados no quadro de seus
funcionários.

2.3 - Do Curso de Design de Moda

O curso de DESIGN DE MODA, diz respeito ao fato de a região ser um


pólo de confecções de micro e pequenas empresas, com expressiva atividade
comercial, movimentando grande parte da economia local, regional e nacional,
exigindo conhecimentos teórico-práticos nos diferentes campos do saber.

A demanda, pois, por formação de profissionais de ensino superior,


pautado em padrões de qualidade exigidos contemporaneamente, foi essencial
para se constituir a FACULDADE DE ARTE & DESIGN, com o firme propósito
de estabelecer progressivamente a integração com a comunidade empresarial,
responsável pelo crescimento sócio-econômico e cultural da cidade e da
região.

Constata-se que questões político-econômico-sociais, estão produzindo


em Divinópolis e em toda a região centro oeste de Minas Gerais, contundentes
polêmicas sobre a necessidade de se estabelecer a excelência profissional dos
prestadores de serviço à comunidade como um todo. A FACULDADE DE
ARTE & DESIGN definiu-se por estabelecer em 2004, e de início ancorar
estudos amplos e profundos de ensino, pesquisa e extensão nas áreas do
Design e outras áreas afins.

12
PARTE III

ESTRUTURA DE
FUNCIONAMENTO
DO CURSO DE
DESIGN DE MODA

13
3.1 - Das Disciplinas Curriculares
1º PERÍODO 2º PERÍODO 3º PERÍODO 4º PERÍODO
ANTROPOLOGIA E MODA (80) PSICOLOGIA E MODA (40) DESENHO DE MODA Il (80) COMPUTAÇÃO GRÁFICA
BÁSICA I (80)
DESENHO DE EXPRESSÃO I (80) DESENHO DE EXPRESSÃO II HISTÓRIA DA INDUMENTÁRIA ARTE E CULTURA BRASILEIRA
(80) (80) (80)
DESENHO GEOMÉTRICO E DESENHO DE MODA I (80) LABORATÓRIO DE PROJETO, CRIAÇÃO E DESIGN
TÉCNICO DE MODA (80) COMPOSIÇÃO CRIATIVA II (80) DE COLEÇÃO I (80)
HISTÓRIA DA ARTE E DO HISTÓRIA DA ARTE E DO OFICINA DE MODELAGEM E OFICINA DE MODELAGEM E
DESIGN I (80) DESIGN II (80) PRODUÇÃO I (160) PRODUÇÃO II (160)
TEORIA DA COR (40) LABORATÓRIO DE
COMPOSIÇÃO CRIATIVA I (80)
METODOLOGIA DE PESQUISA SEMIÓTICA (40)
CIENTÍFICA I (40)
400 h/a 400 h/a 400 h/a 400 h/a

5º PERÍODO 6º PERÍODO 7º PERÍODO 8º PERÍODO


COMPUTAÇÃO GRÁFICA FOTOGRAFIA DE MODA E PRODUÇÃO DE MODA (120) ESTÁGIO SUPERVISIONADO
APLICADA À MODA(80) VÍDEO (80) (160)
TECNOLOGIA TÊXTIL (80) IDIOMAS TÉCNICOS (40) TÓPICOS ESPECIAIS ÉTICA E TRABALHO (40)
APLICADOS À MODA (40)
PROJETO, CRIAÇÃO E DESIGN TECNICAS DE ESTAMPARIA INTRODUÇÃO AO TRABALHO TRABALHO DE GRADUAÇÃO DE
DE COLEÇÃO II (80) (120) FINAL DE GRADUAÇÃO (120) MODA (80)
MOULAGE (80) PESQUISA MERCADOLÓGICA GESTÃO FINANCEIRA DE MODA ELETIVA 3 (40)
APLICADA À MODA (80) (40)
ERGONOMIA APLICADA (40) VITRINA – VISUAL ELETIVA 1 (40) ELETIVA 4 (40)
MERCHANDISING (80)
MARKETING DE MODA E MÍDIA ELETIVA 2 (40) ELETIVA 5 (40)
(40)
400 h/a 400 h/a 400 h/a 400 h/a

14
3.2 - Da Integração Ensino, Pesquisa e Extensão

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN deverá manter o curso de graduação


como centro de gravidade de suas ações, com estratégia de expansão planejada,
por meio do desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão,
institucionalizando, de acordo com seu plano de metas, cursos de pós-graduação
lato sensu, strictu sensu, mestrado e doutorado, com o fim precípuo de qualificar e
capacitar o segmento estudantil e empresarial da região, com a finalidade de
comum de beneficiar a sociedade.

Em 2010 a FACULDADE DE ARTE & DESIGN deverá ser reconhecida


pela:
- qualidade de seus cursos / Ensino;
- sentido e significância de seus estudos / Pesquisa;
- relevância de suas ações / Extensão,
formando cidadãos com princípios de valorização da vida em todas as suas
formas, vivenciando o respeito à dignidade da pessoa humana – sua liberdade
pessoal e estimulando o desenvolvimento das virtudes do ser humano – sua
excelência própria.

3.3 - Monitoria

Dentro das possibilidades do Núcleo de Planejamento, Acompanhamento e


Orientação Didático Pedagógica será a de estabelecer a permanente conexão
entre prática e teoria, possibilitando aos alunos, profissionais e afins propor
aplicando os conhecimentos teóricos adquiridos no dia a dia.

3.4 - Estágio e Prática

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN oferecerá ao aluno estágio


supervisionado, no respectivo curso, objetivando propiciar o conhecimento prático,

15
possibilitando a aplicação criativa dos conhecimentos teóricos adquiridos no
decorrer do curso.

O Núcleo de Criatividade Permanente – NCP - da FACULDADE DE ARTE


& DESIGN oferecerá ao aluno o conhecimento prático, possibilitando a aplicação
criativa dos conhecimentos teóricos adquiridos no decorrer do curso.

A preocupação permanente do NPC será a de estabelecer a permanente


conexão entre prática e teoria, aplicando os conhecimentos teóricos adquiridos no
dia a dia.

Pela experiência do estágio o aluno deverá ser capaz de compreender a


importância para a vida do Design de Moda, comprovar o conhecimento
transdisciplinar adquirido, sabendo aplicá-lo permanentemente.

Para que estes objetivos sejam alcançados é fundamental a contribuição de


um corpo docente capacitado, qualificado, com sólida formação teórica e grande
experiência prática.

A qualidade dos trabalhos desenvolvidos pelo corpo docente é o segredo para


o êxito do projeto do curso e se concretizem os resultados de excelência do
mesmo. Esta é a preocupação / razão do sucesso de todos os cursos ofertados
pela FACULDADE DE ARTE & DESIGN.

3.5 - Atividades Complementares

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN, seguindo as diretrizes estabelecidas


pelo MEC buscará efetivar a maior integração possível entre ensino, pesquisa e
extensão.

16
O direcionamento dos cursos, para realizar os objetivos desejados,
depende desta integração, uma vez que pretende formar profissionais aptos a
contribuírem na transformação social e capazes de interferir no seu processo de
constituição e na realidade sócio-politica.

A proposta didático-pedagógica dos cursos oferecidos pela FACULDADE


DE ARTE & DESIGN, entende que ensino, pesquisa, extensão e à distância são
atividades e relações indissociáveis e indispensáveis à concretude dos seus
objetivos gerais e específicos.

3.6 - Trabalho de Conclusão de Curso

Com a preocupação em manter a qualidade do ensino e se notabilizar pela


qualidade de seu curso/ensino, sentido e significância de seus estudos e
pesquisas será desenvolvido um projeto final de conclusão do Curso de Design de
Moda com suporte tecnológico de laboratórios e logística de mercado.

3.7 - Publicações

Os trabalhos desenvolvidos pelos núcleos e linhas de pesquisa do Curso de


Design de Moda para demandas sócio-econômico-culturais, serão devidamente
publicados promovendo conhecimentos que viabilizem a integração da sociedade
com a instituição de ensino.

3.8 - Convênios, Parcerias e Relações Externas

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN implementará parcerias e convênios,


no âmbito dos respectivos cursos, com os órgãos jurídicos, entidades e
movimentos sociais, com a administração pública e instituições de pesquisa,
órgãos de segurança, e instituições de saúde e os segmentos sociais e
empresariais da região.

17
Objetivará promover a atividade prática e de intercâmbio dos alunos, e
destes com o corpo docente, com as instituições de ensino em âmbito nacional e
internacional, de modo a propiciar crescimento do corpo discente, docente e
administrativo, além de colaborar efetivamente coma sociedade civil e o Estado
nos diversos níveis da federação.

Proporcionará condições adequadas aos Portadores de Necessidades


Especiais na infra-estrutura da FACULDADE DE ARTE & DESIGN atendendo as
exigências da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, nas
edificações, espaços, mobiliários e equipamentos urbanos.

Promoverá parcerias com as instituições públicas e privadas – Associação


dos Deficientes Físicos do Oeste de Minas - ADEFOM, Instituto Helena Antipoff,
APAE, Escola Municipal Raio de Sol e outros - visando a inclusão social dos
Portadores de Necessidades Especiais.

Buscará convênios e parcerias para viabilizar e ampliar os trabalhos de


mediação e conciliação, mediante a participação do alunado do Curso de Design
de Moda em empresas ou setores da moda, contribuindo, assim, para a formação
do designer.

3.9 - Integração Graduação e Pós-Graduação

A partir da perspectiva da pesquisa coloca-se em evidência que a relação


ensino, pesquisa e extensão da FACULDADE DE ARTE & DESIGN deve ser
estruturada em uma sólida formação social, política e interdisciplinar, o que implica
na necessidade de que se incentive de forma continuada o trabalho de pesquisa
tanto dos professores como dos alunos.

18
As linhas de pesquisa serão previamente determinadas pelo corpo docente
do Curso, em que os grupos de pesquisa promoverão periodicamente encontros e
seminários nos quais professores e alunos terão a oportunidade de apresentar e
discutir seus estudos e pesquisas, concretizando a reflexão/ativa e a construção
do saber-saber.

Esses grupos funcionarão como meio de integração entre os vários


segmentos da sociedade e da Faculdade, quais sejam, o corpo docente e discente
dos cursos da graduação e pós-graduação, diretores, coordenadores de pesquisa,
professores e orientadores das mesmas e outras áreas do conhecimento,
lideranças sociais, empresariais e políticas.

Esta integração garantirá a discussão e percepção do trabalho


interdisciplinar sobre os problemas psico-sócio-econômico e sociais, o que
permitirá o enriquecimento não somente da formação dos alunos, mas também do
corpo docente.

Ressalta-se que os núcleos e linhas de pesquisa do Curso de Design de


Moda da FACULDADE DE ARTE & DESIGN, buscarão desenvolver temas
relacionbados à área do Design e outras áreas afins.

O trabalho desenvolvido pelos grupos de pesquisa será fundamental para


a constituição e estruturação dos futuros cursos de pós-graduação –
especialização lato sensu e strictu sensu, mestrado e doutorado, cursos de
outras modalidades uma vez que, quando houver a implantação destes cursos, as
linhas de pesquisa, previamente propostas, já se encontrarão em andamento.

19
3.9.1 - Extensão

A relação ensino, pesquisa e extensão trabalhada no contesto da extensão,


será o maior desafio do curso de Design de Moda da FACULDADE DE ARTE &
DESIGN.

As ONG’s que atuam na sociedade em torno de questões sociais muito tem


contribuído para a integração entre sociedade e meio acadêmico. Desta forma
procurar-se-á aproximação das diversas ONG’s da região com a FACULDADE DE
ARTE & DESIGN promovendo esta relação importante interação entre a
sociedade e a instituição de ensino.

O programa de extensão seguirá a missão, objetivos, linha conceitual e


filosófica da FACULDADE DE ARTE & DESIGN, procurando responder às
necessidade da comunidade local e regional e a partir das necessidades
detectadas pelo corpo docente e discente, e estudos de demanda sócio-
econômico-cultural.

O projeto de extensão, atento às demandas e necessidades da sociedade,


e tendo por referência o trabalho inter e transdisciplinar, deverá abrir-se à
metodologias que viabilizem a integração da comunidade na discussão e
construção de alternativas para a efetivação dos direitos humanos e do
desenvolvimento sócio-econômico.

Se ensino e pesquisa são indissociáveis da extensão, somente um trabalho


de extensão com metodologias adequadas para a transformação da sociedade.

3.9.2 - Pós-graduação (stricto sensu, lato sensu)

Serão oferecidos cursos, de acordo com o Plano de Metas nos níveis de


ensino acima enunciados

20
3.9.3 - Seqüenciais (formação específica, complementação de estudos)

Os cursos seqüenciais poderão privilegiar os seguintes conhecimentos:


- Metodologia de Ensino – Habilidades Para o Aprender e o Ensinar
- Planejamento Estratégico
- Administração e Logística

3.9.4 - Programas Especiais de Formação Pedagógica

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN oferecerá aos seus professores


Curso Especial envolvendo o tema: Processos de Ensino, de Aprendizagem e de
Avaliação.

3.9.5 - Programas de Extensão

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN promoverá diferentes cursos de


extensão, que atendam as diferentes disciplinas, diferentes projetos, diferentes
linhas de pesquisa, enunciados no Projeto Pedagógico e neste PDI.

3.9.6 - Programas de Pesquisa

Os Programas de Pesquisa da FACULDADE DE ARTE & DESIGN serão


definidos de acordo com o perfil do aluno – egresso, perfil do curso, e das linhas
de pesquisa selecionadas pelos professores da Instituição de Ensino.

3.10 - Corpo Docente

Será preocupação prioritária da FACULDADE DE ARTE & DESIGN, manter


um corpo docente para o Curso de Design de Moda competente, com capacidade

21
magisterial comprovada e em sintonia com as atualizações constantes das
atividades cujos fundamentos e aplicações ministrem.

Aliado a esse propósito, pretende-se que a maioria dos docentes atue nas
disciplinas com estreita vinculação às áreas de conhecimento de sua qualificação
e experiência profissional, como mostra o quadro docente abaixo.

22
CORPO DOCENTE
DOCENTE DISCIPLINA CH GRADUAÇÃO MAIOR TITULAÇÃO

Angélica Oliveira - História da Indumentária 80 - Bacharelado em Educação e - Especialização em Temas


- Moulage 80 Artes Filosóficos
- Semiótica 40
- Produção de Moda 120
Arnaldo Pires Bessa - Metodologia da Pesquisa Científica 40
Antônio Eduardo dos - Gestão Financeira de Moda 40
Santos
Daniel Alves Maciel - Marketing de Moda e a Mídia 40 - Desenho Industrial
- Pesquisa Mercadológica Aplicada à Moda 80
Geraldo Magela de Oliveira - Fotografia e Vídeo 80 - Comunicação Social – - Mestre em Engenharia de
Habilitação em Publicidade e Materiais.
Propaganda
João Caixeta - Teoria da Cor 40 - Desenho Industrial -
- Vitrina – Visual Merchandising 80 Programação Visual
- Tópicos Especiais Aplicados à Moda 40
Lúcio Magalhães - Desenho de Expressão I 80 - Design Gráfico (Desenho - Especialização em Novas
- Desenho de Expressão II 80 Industrial/Programação Visual) Tecnologias em Comunicação
- Técnicas de Estamparia 120 - Artes Plásticas
Maria de Lourdes Couto - Laboratório de Composição Criativa I 80 - Desenho Industrial - Especialização em Processos
Nogueira - Laboratório de Composição Criativa II 80 de Ensino e Aprendizagem
- Estágio Supervisionado 200 - Mestre em Educação
Maria do Carmo N. C. - Desenho Geométrico e Técnico de Moda 80 - Desenho Industrial
Branco - Tecnologia Têxtil 80 - Licenciatura Plena em
- Introdução ao Trabalho Final de Graduação 120 Desenho e Plástica
Maria dos Anjos Beirigo - Oficina de Modelagem e Produção I 160 - Administração de Empresas
- Oficina de Modelagem e Produção II 160
- Idiomas Técnicos 40
Mônica Fischer - História da Arte e do Design I 80 - Arquitetura - Especialização em
- História da Arte e do Design II 80 - Licenciatura Plena Estimulação Essencial ao
- Arte e Cultura Brasileira 80 Desenvolvimento Humano.
- Ergonomia Aplicada 40 - Mestre em Sociologia

23
DOCENTE DISCIPLINA CH GRADUAÇÃO MAIOR TITULAÇÃO

Pierre Pedroso Lopes - Desenho de Moda I 80 - Design de Produtos - Especialização em Teoria e


- Desenho de Moda II 80 Prática do Ensino
- Projeto, Criação e Design de Coleção I 80
- Projeto, Criação e Design de Coleção II 80
Paulo Nobuhide Taminato - Computação Gráfica Básica I 80
- Computação Gráfica Aplicada 80
Sandro David - Antropologia e Moda 80 - Filosofia - Mestre em Educação
- Ética e Trabalho 40
Vera Lúcia Silva Prazeres - Psicologia e Moda 40 - Psicologia - Mestre em Educação
A definir - Trabalho de Graduação de Moda 80

DOCENTE DISCIPLINA ELETIVAS CH GRADUAÇÃO MAIOR TITULAÇÃO


A definir - Legislação Empresarial 40
A definir - Informática Aplicada à Gestão de Negócios de 40
Moda
A definir - Produção de Eventos 40
A definir - Figurino 40
A definir - Consultoria de Moda 40

24
3.11 - Política de Capacitação Docente

É preocupação precípua da FACULDADE DE ARTE & DESIGN constituir


um quadro docente qualificado, apto a fornecer ensino de bom nível, formando
profissionais em condições de atuarem produtivamente no mercado de 0trabalho.

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN promoverá permanente processo de


qualificação de seus professores, mediante estabelecimento de política de
financiamento de estudos, na Faculdade e fora dela, em sistema de rodízio, por
áreas aplicadas e estudos de aprofundamento, visando suprir necessidades de
seu corpo docente, bem como de profissionais da região, que atuem na área e
tenham interesse em qualificarem-se em áreas específicas.

A política de capacitação docente se dará através da imediata


implementação da pós-graduação (inicialmente lato e posteriormente strictu
sensu), realização de seminários e cursos específicos que tenham por objeto a
prática didático-pedagógica, bem assim a realização de seminários
transdiciplinares, com participação incentivada dos corpos docente e discente.

Estimulará a participação em congressos e seminários realizados neste e


em outros Estados da Federação, para as áreas respectivas de atuação dos
professores, observados os períodos e forma previamente estabelecidos pela
FACULDADE DE ARTE & DESIGN.

Incentivará / possibilitará em caráter permanente o ingresso de seus


docentes em programas de mestrado e doutorado, através de programas de
bolsa, reservando parte do tempo de trabalho desses docentes para a realização e
ou conclusão de curso.
Quanto aos professores doutores, adotar-se-á política de aperfeiçoamento
e atualização docente, integrada ao trabalho de pesquisa, possibilitará a
realização de pesquisas individuais e coletivas, além da participação em
seminários e congressos e seminários.

3.12 - Planos de Carreira e Remuneração do Corpo Docente

O Plano de Carreira proposto será estruturado em seis níveis salariais,


distribuídos em ordem crescente de 01 (um) a 7 (sete) e cada nível em três
padrões salariais.: A, B e C, como meio de incentivo funcional à forma de ingresso
na carreira.

Após a implantação do curso, efetuar-se-á a contratação de professores em


regime integral de 40 horas semanais de trabalho na mesma instituição, nelas
reservado o tempo de 20 horas semanais destinadas a estudos, pesquisa,
trabalho de extensão, gestão, planejamento e orientação de alunos.

Docentes em tempo parcial serão contratados com 12 ou mais horas


semanais de trabalho na mesma instituição, nelas reservado pelo menos 25% do
tempo para estudos, planejamento, avaliação e orientação de alunos.

Os deveres, direitos e responsabilidades e o regime disciplinar do pessoal


docente, bem como de toda a comunidade escolar estão dispostos no
Regimento.

A remuneração do corpo docente está prevista, por hora-aula, fixado o


valor/base no planejamento econômico financeiro.

Deve-se acrescentar que o docente receberá além do básico aqui previsto,


os acréscimos resultantes de sua progressão horizontal, proporcionados pelos
incentivos funcionais.

26
O Plano de Carreira Docente é estruturado em 06 (seis) níveis salariais,
distribuídos em ordem crescente de 01 (um) a 07 (sete) e cada nível em três
padrões salariais: A, B e C.

O acréscimo salarial será de 5% do nível 1 para o nível 2; de 10% do nível


2 para o nível 3; de 5% do nível 3 para o nível 4; de 10% do nível 4 para o nível
5; de 5% do nível 5 para o nível 6 e 5% do 6 para o nível 7. O acréscimo de um
padrão pelo outro será de 5%.

PADRÃO A B C
N 1 1,000 1,050 1,102
Í 2 1,050 1,102 1,157
V 3 1,155 1,212 1,272
E 4 1,212 1,272 1,335
L 5 1,333 1,399 1,468
6 1,399 1,468 2,541
7 1,468 1,541 1,618

Emprego da Tabela:

FCS = Fator de Correção Salarial: Valor indicado na tabela correspondente


ao nível e padrão do docente.
SR = Salário Referência: Salário relativo ao nível I, padrão A.
Salário base do docente = SR x FCS
A classificação do docente dentro de níveis salariais será realizada
observando-se:
a) disponibilidade orçamentária;
b) desempenho didático;
c) atualização profissional;
d) titulação profissional.

27
O docente em seu 1º ano de trabalho na Instituição será classificado nos
níveis 1 ou 2 se comprovar ser graduado ou especializado na sua área de
atuação.

A partir do segundo ano de docência na Instituição, o professor será


posicionado nos níveis 3 ou 4, observando-se a titulação acima.

Será enquadrado nos níveis, 5, 6 ou 7 os professores mestres, doutores e


pós-doutores, respectivamente.

A mudança do padrão A para o B dar-se-á, se o docente comprovar


experiência profissional relacionada à disciplina e para o padrão C se comprovar,
além, da experiência profissional, possuir também publicações e mérito.

A mudança de padrões será feita por consenso do Conselho de


Coordenadores, com base em assentamentos de informações pormenorizadas
sobre:
a) Curso de Pós-Graduação;
b) Experiência profissional comprovada;
c) Publicações de trabalhos;
d) Assiduidade e pontualidade.

Outras informações que possam ser úteis ao julgamento, tais como curva
de aproveitamento em termos de aprovação-renovação, cumprimentos dos
deveres e prazos em geral, especialmente quanto à devolução de provas e notas.

3.12.1 - Dos cargos

Entende-se por cargo a unidade simples, da classe docente,


correspondente a funções de magistério. A investidura no cargo inicial da classe

28
deverá ser feita por concurso, ressalvado o ingresso na implantação do curso.
Quanto à promoção de um cargo ao outro e o acesso ao nível de remuneração
superior dependerá da observância dos requisitos constantes deste plano.

Enquadram-se os docentes em três cargos, dentro dos quais há níveis de


remuneração, segundo o Regimento:
a) Professor Titular;
b) Professor Assistente;

O regime de dedicação resultará da disponibilidade do professor e dos


interesses da Instituição no contrato de trabalho, os docentes se disporão a partir
dele, ministrar palestras, conferências, seminários, simpósios, congressos e
congêneres, além, de reciclagem periódica em cursos de sua área.

3.12.2 - Formas de Participação do Corpo Docente nas Atividades de Direção


da Instituição

Os professores estão presentes na Congregação, órgão superior e de


direção pedagógica e didático-administrativa da Faculdade, e no Conselho de
Coordenadores. Os professores também participam diretamente do processo
decisório, em seus campos de atuação e nas Coordenações no Conselho de
Coordenadores, órgão consultivo e deliberativo de administração da Faculdade.

3.12.3 -Corpo técnico-administrativo – estruturação e políticas de


qualificação e carreira

Os serviços de contabilidade, tesouraria, processamento de dados, de


manutenção e limpeza das dependências físicas, de portaria, de protocolo e
expedição, vigilância e segurança utilizados pela FACULDADE DE ARTE &
DESIGN são vinculados à Superintendência da Mantenedora, realizando-se
segundo seu regulamento.

29
A FACULDADE DE ARTE & DESIGN terá dois órgãos de apoio
administrativo, vinculados à Diretoria. São eles o Setor de Acompanhamento e
Controle Acadêmico, cujo titular terá o título de Secretário, e Órgão Suplementar
composto de Biblioteca, e Núcleo de Assessoramento Didático. Ambos estão
subordinados à Mantenedora, competindo à FACULDADE DE ARTE & DESIGN
zelar pelos padrões e condições de trabalho, condizentes com a natureza de
instituição educacional, bem como por oferecer oportunidade de aperfeiçoamento
técnico-profissional a seus funcionários, estabelecidos no Regimento.

A Biblioteca estará sob a responsabilidade de profissional legalmente


habilitado, indicado pelo Diretor. O Núcleo de Assessoramento Didático será
coordenado por Professor especialista, designado pelo Diretor da Faculdade.

3.12.4 - Corpo discente – condições de acesso, registro e controle


acadêmico, políticas de qualificação, facilidades e oportunidades
oferecidas.

O processo seletivo da FACULDADE DE ARTE & DESIGN será feito


mediante edital, do qual constarão os cursos oferecidos com as respectivas vagas,
os prazos de inscrição, documentação exigida para a inscrição, a relação das
provas, os critérios de classificação e demais informações úteis.

A matrícula, ato formal de ingresso nos cursos oferecidos pela


FACULDADE DE ARTE & DESIGN, é feita por semestre, admitindo-se a
dependência em até duas disciplinas, observada a compatibilidade horária. É
renovada semestralmente, observado o calendário acadêmico.

A avaliação do rendimento acadêmico é feita por disciplina. Incide sobre o


aproveitamento escolar, e a frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento)
do total de aulas previstas para cada disciplina.

30
O ano letivo, independente do ano civil, abrange no mínimo 200 (duzentos)
dias, distribuídos em dois períodos letivos regulares de, no mínimo, 100 (cem) dias
cada um.

Os curso oferecido pela FACULDADE DE ARTE & DESIGN, na área de


Design de Moda terá 100 (cem) vagas, assim distribuídas: 50 (cinqüenta) vagas
em horário diurno, e 50 (cinqüenta) vagas em horário noturno.

Até a implantação do Campus próprio, os cursos serão ministrados na sede


da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis de Divinópolis
– FACED, instituição vinculada à Mantenedora Sociedade Dom Bosco de
Educação e Cultura - SODBEC. O horário de aulas será assim distribuído:
Matutino: de 07:30 às 11:05 h
Noturno: de 19:00 às 22:35 com possibilidade de aula aos sábados,
caso seja necessário para o cumprimento da carga horária e do número
de dias letivos exigidos pelas normas aplicáveis.

3.12.5 - Apoio Psicopedagógico, de Nivelamento e Extraclasse aos Discentes

FACULDADE DE ARTE & DESIGN instituirá um Núcleo de


Acompanhamento e Orientação Psicopedagógico. Este Núcleo de
responsabilidade do Coordenador terá caráter psicopedagógico e transdisciplinar,
e deverá propiciar políticas de orientação acadêmica aos discentes e à sua
aprendizagem, bem como implementará ações voltadas para a recuperação das
deficiências de formação do discente ingressante, e fixará carga horária para o
atendimento extraclasse aos discentes.

31
3.13 - Currículo Pleno
DISCIPLINAS CH (h/a) DOCENTE
1º MÓDULO
1. ANTROPOLOGIA E MODA 80 Sandro David
2. DESENHO DE EXPRESSÃO I 80 Lúcio Magalhães
3. DESENHO GEOMÉTRICO E TÉCNICO DE MODA 80 Maria do Carmo M. C. Branco
4. HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN I 80 Mônica Fischer
5. TEORIA DA COR 40 João Caixeta
6. METODOLOGIA DE PESQUISA CIENTÍFICA 40 Arnaldo Pires Bessa
2º MÓDULO
7. PSICOLOGIA E MODA 40 Vera Lúcia Silva Prazeres
8. DESENHO DE EXPRESSÃO II 80 Lúcio Magalhães
9. DESENHO DE MODA I 80 Pierre Pedroso Lopes
10. HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN II 80 Mônica Fischer
11. LABORATÓRIO DE COMPOSIÇÃO CRIATIVA I 80 Maria de Lourdes C. Nogueira
12. SEMIÓTICA 40 Angélica R. de Oliveira
3º MÓDULO
13. DESENHO DE MODA Il 80 Pierre Pedroso Lopes
14. HISTÓRIA DA INDUMENTÁRIA 80 Angélica R. de Oliveira
15. LABORATÓRIO DE COMPOSIÇÃO CRIATIVA II 80 Maria de Lourdes C. Nogueira
16. OFICINA DE MODELAGEM E PRODUÇÃO I 160 Maria dos Anjos Beirigo
4º MÓDULO
17. COMPUTAÇÃO GRÁFICA BÁSICA I 80 Paulo Nobuhide Taminato
18. ARTE E CULTURA BRASILEIRA 80 Mônica Fischer
19. PROJETO, CRIAÇÃO E DESIGN DE COLEÇÃO I 80 Pierre Pedroso Lopes
20. OFICINA DE MODELAGEM E PRODUÇÃO II 160 Maria dos Anjos Beirigo
5º MÓDULO
21. COMPUTAÇÃO GRÁFICA APLICADA 80 Paulo Nobuhide Taminato
22. TECNOLOGIA TÊXTIL 80 Maria do Carmo N. C. Branco
23. PROJETO, CRIAÇÃO E DESIGN DE COLEÇÃO II 80 Pierre Pedroso Lopes
24. MOULAGE 80 Angélica Oliveira
25. ERGONOMIA APLICADA 40 Mônica Fischer
26. MARKETING DE MODA E A MÍDIA 40 Daniel Alves Maciel
6º MÓDULO
27. FOTOGRAFIA E VÍDEO 80 Geraldo Magela de Oliveira
28. IDIOMAS TÉCNICOS 40 Maria dos Anjos Beirigo
29. TECNICAS DE ESTAMPARIA 120 Lúcio Magalhães
30. PESQUISA MERCADOLÓGICA APLICADA À MODA 80 Daniel Alves Maciel
31. VITRINA - VISUAL MERCHANDISING 80 João Caixeta
7º MÓDULO
32. PRODUÇÃO DE MODA 160 A definir
33. TÓPICOS ESPECIAIS APLICADOS À MODA 40 João Caixeta
34. INTRODUÇÃO AO TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO 160 Maria do Carmo N. C. Branco
35. GESTÃO FINANCEIRA DE MODA 40 Antônio Eduardo dos Santos
36. ELETIVA 1 40 A definir
37. ELETIVA 2 40 A definir
8º MÓDULO
38. ESTÁGIO SUPERVISIONADO 240 Maria de Lourdes C. Nogueira
39. ÉTICA E TRABALHO 40 Sandro David
40. TRABALHO DE GRADUAÇÃO DE MODA 120 A definir
41. ELETIVA 3 40 A definir
42. ELETIVA 4 40 A definir
43. ELETIVA 5 40 A definir

32
3.14 - Processo de Avaliação

O processo de avaliação do Curso de Design de Moda, oferecido pela


FACULDADE DE ARTE & DESIGN será efetivado no decorrer do curso, sendo
realizado três avaliações, no modo seguinte:

a) avaliação dos alunos pelos professores;


b) avaliação do aluno e do professor pela instituição;
c) avaliação da própria instituição, de sua infra-estrutura, instalações e outros
segmentos – avaliação institucional.

Será propiciado nesse processo a auto avaliação de todos os envolvidos no


desenvolvimento do Curso.

Para o processo de avaliação do pretendido curso observar-se-á a orientação


didático-pedagógica do curso em questão, e contará com um Núcleo de
Planejamento, Acompanhamento e Orientação Didático-Pedagógica - NUPA, sob
a responsabilidade do Coordenador do curso.

Este núcleo deverá ter um Coordenador responsável pela orientação e


coordenação do trabalho de pesquisa e monografia.

Este Núcleo desenvolverá um trabalho de caráter transdisciplinar, devendo


promover reflexões sobre as questões didático-pedagógicas e contará com a
presença da representação discente do Diretório Acadêmico ou órgão de
representação equivalente, criado pelos alunos.

Isso permitirá por exemplo avaliações mais apropriadas com as quais o


professor possa averiguar melhor não somente a apreensão do conteúdo
programático, mas também se o aluno está apto a opinar, interpretar,

33
compreender e aplicar os conceitos, as teorias e os princípios que envolvem uma
boa formação, em torno do Design de Moda.

Torna-se relevante a adoção de procedimentos técnicos e de profissionais


especializados no plano da avaliação pedagógica nos respectivos cursos para
correta aplicação dos princípios que fundamentem sua construção e uso, a fim de
que este, não seja prejudicial ou seja simplesmente para cumprir uma exigência
formal. Destarte será possível, por um lado, evitar certas deficiências dos modelos
de avaliação predominantes nos respectivos cursos e, por outro lado, fazer que a
orientação didático-pedagógica seja mais um aspecto a contribuir para a
excelência dos cursos oferecidos pela FACULDADE DE ARTE & DESIGN.

O Regimento da FACULDADE DE ARTE & E DESIGN, em seu Capítulo V,


refere a Avaliação e ao Rendimento Acadêmico:

“Art. 67 A avaliação do rendimento acadêmico é feita por disciplina,


incidindo sobre a freqüência e o aproveitamento.

Art. 68 A freqüência às aulas e demais atividades escolares, permitida


apenas aos matriculados, é obrigatória, vedado o abono de faltas.

§ 1º Independentemente dos demais resultados obtidos, é


considerado reprovado na disciplina o aluno que não obtenha a, no
mínimo, 75% (setenta e cinco por cento) das aulas e demais
atividades programadas.

§ 2º A verificação e registro de freqüência são da responsabilidade


do professor, e seu controle, para efeito do parágrafo anterior, da
Secretaria.

Art. 69 O aproveitamento escolar é avaliado através de acompanhamento


contínuo do aluno e dos resultados por ele obtidos nos exercícios escolares e no
exame final, sempre escritos.

§ 1º Compete ao professor da disciplina elaborar os exercícios, sob a


forma de prova e determinar os demais trabalhos, bem como julgar-
lhes resultados.

34
§ 2º Os exercícios escolares, em número de dois por período letivo
constam de trabalhos de avaliação, trabalho de pesquisa e outras
formas de verificação prevista no plano de ensino da disciplina.

Art. 70 A cada verificação de aproveitamento é atribuída uma nota


expressa em grau numérico de zero a dez.

Art. 71 A nota final do aluno em cada disciplina, verificada ao término do


período letivo, será a média aritmética simples entre as notas de verificação de
aproveitamento e a nota exame final.

Art. 72 É concedida prova substitutiva ao aluno que deixar de realizar prova


de aproveitamento escolar no período estabelecimento no calendário acadêmico.

§ 1º A prova substitutiva é realizada mediante requerimento do aluno


e em prazo estabelecido pela Secretaria.

§ 2º Conceder-se-á segunda chamada ao aluno que faltar ao exame


final, desde que desde que requerida, no prazo improrrogável de 8
(oito) dias que se seguirem à sua realização, uma vez justificada a
ausência e a juízo do Diretor.

Art. 73 Atendida em qualquer caso a freqüência mínima de 75% (setenta e


cinco por cento) e demais atividades escolares, é aprovado:

§ 1º independentemente do exame final, o aluno que obtiver nota de


aproveitamento não inferior a 6 (seis), correspondentemente média
aritmética, sem arredondamento, das notas dos trabalhos escolares
ou provas.

Art. 74 O aluno reprovado por não ter alcançado seja a freqüência, sejam
as notas mínimas exigidas, repetirá a disciplina, sujeito na repetência, às mesmas
exigências de freqüência e de aproveitamento estabelecidas neste Regimento.

Art. 75 É promovido à série seguinte o aluno aprovado em todas as


disciplinas do semestre letivo cursado, admitindo-se ainda a promoção com
dependência em até 2 (duas) disciplinas deste semestre.

Parágrafo único. O aluno reprovado em mais de 2 (duas) disciplinas


repetirá o período, ficando porém dispensado das disciplinas em que obteve
aprovação.”

35
3.15 - Acompanhamento dos Egressos

O perfil do aluno almejado pela FACULDADE DE ARTE & DESIGN é o de


um profissional com percepção ampla da realidade num contexto histórico, cultural
e tecnológico da cidade, da região e do país, de modo a permitir-se visão integral
do homem, da sociedade e do mundo.

Este profissional qualificado deverá apresentar sólida capacitação teórico-


científica e ético-política, sendo profundo conhecedor da sua área de
conhecimento e atender a sua formação acadêmica, transformando-se assim, num
profissional capaz de interferir nos rumos da sociedade, em benefício desta, nos
campos do direito, da psicologia e do serviço social, e de outros campos que
venham a ser constituídos.

Para definir um produto preocupa-se não apenas com a conceituação


desse produto, mas com seu merchandising, desde seu lançamento à avaliação
de sua aceitação no mercado. Assim o profissional formado por este curso estará
preparado para atuar em relação direta com profissionais de pesquisa, marketing,
empresários, dentre outros.

36
PARTE IV

DA
IMPLEMENTAÇÃO
DO CURSO DE
DESIGN DE MODA

37
4.1 - Infra-Estrutura

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN dispõe de infra-estrutura física


satisfatória que atende às exigências legais no seu primeiro ano de
funcionamento.

4.1.1- Salas de aula

A Mantenedora conta com uma infra-estrutura física de 22 (vinte e duas)


salas de aula, dentre as quais quatro (4) estão reservadas para os dois primeiros
anos do curso de Design de Moda, até que fique pronta a sede própria. Cada uma
das salas mencionadas mede 60m².

4.1.2 - Laboratórios

Na Mantenedora existe uma infra-estrutura específica para o Curso de


Design de Moda, assim distribuída:

LABORATÓRIO ESPECIFICAÇÕES ÁREA


Almoxarifado Espaço para armazenar materiais 5,50 X 2,80 m²
específicos do curso, tais como
papéis, lápis, tintas, pincéis, colas,
dentre outros.
Atelier Laboratório específico para 5,50 X 10,00 m²
montagem de peças.
Espaço Cultural Espaço destinado a socialização da 8,50 X 16,50 m²
comunidade acadêmica.
Sala de Apoio Espaço reservado como apoio aos 5,50 X 2,80 m²
núcleos, onde os alunos atenderão à
empresários mostrando sua
competência através de consultorias
relacionadas a Moda.
Laboratório de Espaço reservado para modelagem, 5,50 X 10,00 m²
Modelagem corte e mesa de passar.

38
LABORATÓRIO ESPECIFICAÇÕES ÁREA
Salão da Moda Espaço destinado a eventos 7,50 X 22,00 m²
relacionados a moda como desfiles,
wokshop, seminário, mostra de
trabalhos, dentre outros. Este espaço
será destinado também às aulas de
Desenho de Observação, Modelo
Vivo, Desenho Geométrico e Técnico,
Moulage.
Serigrafia Espaço para revelação de telas e 5,50 X 2,80 m²
apoio para as disciplinas afins.
Teciteca Espaço reservado a consulta de 5,50 X 10,00 m²
amostras de tecidos e aviamentos,
tendências da moda, revistas e
jornais.

4.1.3 - Outros espaços de uso coletivo

Auditório – 108m²
Videoteca – 53m²
Pátio Coberto/Área de Lazer/Convivência – 155m²
Sala de Leitura/Biblioteca – 166m²
Sanitários – 14 unidades – 12m²

4.1.4 - Instalações administrativas

Tesouraria – 16m²
Sala do Diretório Acadêmico – 19m²
Secretaria de Pós-Graduação – 18m²
Sala dos Professores – 29m²
Setor de Atendimento – 16m²
Sala da Coordenação I – 18m²
Sala da Coordenação II – 18m²
Sala da Coordenação III – 18m²
Sala de Arquivos – 16m²
Sala de Almoxarifado – 14m²
Sala de Reprografia – 29m²
Videoteca – 53m²
Sala de Audiências – 21m²
Sala de Direção – 15m²
Secretaria – 33m²

39
4.1.5 Condições de iluminação, ventilação e acústica

O Prédio é bem ventilado e tanto a iluminação quanto à acústica são


excelentes.

4.1.5 - Cronograma de expansão das instalações físicas

A Instituição possui um anteprojeto para novas instalações a serem


construídas em Divinópolis, com início de construção marcado para outubro. A
área a ser construída corresponde a 42.000,00m2.

4.1.6 - Infra-estrutua Planejada para Portadores e Necessidades Especiais

O prédio será todo adaptado e preparado para que portadores de


necessidades especiais não tenham dificuldades de locomoção e recursos para
deficientes auditivos estarão disponíveis na Instituição, atendendo a tudo o que
determina a portaria 1679/99.

Os portadores de deficiências físicas e auditivas, que desejam ingressar no


ensino superior, deverão encontrar condições adequadas para exercer esse
direito. Para orientar toda Instituição com relação ao ingresso de deficientes no
ensino superior, a Secretaria irá fornecer um manual de referência baseado na
Norma Brasil 9050, da Associação Brasileira de Normas Técnicas, que trata da
acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, como edificações, espaços,
mobiliárias e equipamentos urbanos.

Entre os requisitos exigidos para atender os portadores de deficiências


físicas estão os seguintes:
A) Rampas de acesso,
B) Vagas marcadas no estacionamento,

40
C) Adaptação das portas dos banheiros e barras de apoio.

- Para os deficientes auditivos:

A) Compromisso formal da Instituição de proporcionar intérpretes de línguas


de sinais;
B) Flexibilidade na correção das provas escritas, valorizando o conteúdo
semântico, entre outras exigências.
C) Difusão da língua de sinais no sistema de ensino.

Disponibilizar junto à companhia telefônica o Serviço de Intermediação


Surdo e Ouvinte para atender às pessoas surdas e às com deficiência de fala.
Através desse serviço, é possível realizar a comunicação entre as pessoas com
deficiência auditiva, utilizando-se do telefone para deficiente auditivo (TDA), um
aparelho telefônico que conta com recursos como visor e teclas, ou seja, quem
quer dar o recado digita a mensagem, que aparece no visor do aparelho telefônico
do receptor, que por sua vez, também responde através de digitação.

4.1.7 - Biblioteca

A FACULDADE DE ARTE & DESIGN já possui uma infra-estrutura montada


para a Biblioteca, que atualmente serve à Faculdade de Ciências Econômicas
Administrativas e Contábeis de Divinópolis – FACED, Faculdade também mantida
pela Sociedade Dom Bosco de Ensino e Cultura, e que posteriormente será
ampliada para atender ao Curso de Design de Moda, com a aquisição inicial de
3.600 exemplares, como se verá adiante.

A infra-estrutura já existente diz respeito à Biblioteca “Alberto Deodato”, que


visa atender a alunos e professores. Mantém seu acervo atualizado através de
compras, convênios, intercâmbios com outras instituições e recebimento de
doações.

41
A Biblioteca Alberto Deodato está instalada em uma área de 116m² e em
processo de aquisição de cabines individuais para leitura e estudo, ela possui hoje
espaço devidamente específico no lay out do prédio da FACED, onde também
funcionará a FACULDADE DE ARTE & DESIGN, específico para leitura e
trabalhos em grupo, processamento técnico e acervo. Seu horário de
funcionamento é de segunda-feira à sexta-feira, de 7 horas às 22 horas e 30
minutos e aos sábados de 7 horas às 12 horas.

No plano de expansão da biblioteca, os recursos previstos destinam-se não


apenas à qualificação dos serviços prestados e à aquisição de livros e periódicos,
mas também à possibilidade do uso de vídeos, mapas, recursos de interligação
teleinformatizada, que garantam um moderno e eficiente processo informativo,
disponível para os seus usuários.

Incluindo o projeto que prevê uma ampliação do espaço físico, aumentando


assim toda a capacidade do acervo, os recursos para a expansão, em todos os
seus aspectos, encontram-se identificados no planejamento econômico-financeiro
e serão garantidos pela mantenedora.

4.2 - Cronograma

O Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI da FACULDADE DE ARTE


& DESIGN determina o cronograma de suas atividades a partir do ano de 2003,
conforme tabela abaixo:

42
CRONOGRAMA
METAS 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
Participar da elaboração do Regimento e do Plano de Desenvolvimento X
Institucional – PDI
Aprimorar a cultura da gestão estratégica, garantindo a efetiva X X X X X X X (...)
implantação do PDI da FACULDADE DE ARTE & DESIGN.- 100%
Institucionalizar a FACULDADE DE ARTE & DESIGN, atendida a X
aprovação pelo MEC de seu processo de credenciamento.
Implantar o curso de graduação de Design de Moda, comprometendo-se X
com o elevado padrão de qualidade exigido pelo sistema de ensino e pela
sociedade.
Implantar curso/s de graduação na área de Artes e Design a ser X
considerado de elevado padrão de qualidade pelo sistema de ensino e
pela sociedade– mínimo de 2 cursos
Implantar programa de Pós-graduação Stricto Sensu oferecendo X
diferentes cursos com base em prospecção de mercado e capacidade
institucional buscando elevado padrão de qualidade.
Implantar cursos de extensão na área de Design e saberes afins X
pautados em padrão de qualidade exigidos pela comunidade educativa,
em prospecção de mercado e capacidade institucional.
Implantar cursos livres de extensão na área de Design e saberes afins X X X X X X X
pautados em padrão de qualidade exigidos pela comunidade, em
prospecção de mercado e capacidade institucional.
Possuir corpo docente qualificado, em níveis de excelência profissional. X X X X X X X (...)
Atendimento ao aluno – alcançar um diferencial personalizado em relação X X X X X X X (...)
ao atendimento/desenvolvimento das potencialidades do aluno. – 100%
Adequar a infra-estrutura física e tecnológica às necessidades acadêmico X X X X X X X (...)
administrativas da Faculdade.
CRONOGRAMA
METAS 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
Proporcionar condições adequadas aos Portadores de Necessidades X X X X X X X (...)
Especiais na infra-estrutura da FACULDADE DE ARTE & DESIGN
atendendo às exigências da ABNT – Associação Brasileira de Normas
Técnicas, nas Edificações, espaços, mobiliários e equipamentos urbanos.
Promover parcerias com as instituições públicas e privadas, Instituto X X X X X X X (...)
Helena Antipoff, APAE, Escola Municipal Raio de Sol, e outros – visando
a inclusão social dos Portadores de Necessidades Especiais, exceto
necessidades visuais.
Estabelecer intercâmbio com instituições congêneres, nacionais e X X X X X (...)
estrangeiras, com vistas a troca de experiências científico-culturais. –
Mínimo de 2 instituições congêneres.
Promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos X X X X X X (...)
que constitua patrimônio da humanidade comunicando o saber Design
por meio do ensino, da publicação e por outras formas de comunicação. –
100%
Implantar laboratórios experimentais na área de Arte e Design, a ser X
considerado de elevado padrão de qualidade pelo sistema de ensino e
pela sociedade – mínimo 2 laboratórios
Implantar oficinas de projetos na área de Arte e Design, a ser X
considerado de elevado padrão de qualidade pelo sistema de ensino e
pela sociedade – mínimo 2 oficinas
Implantar o Núcleo de Criatividade Permanente – NCP oferecendo apoio X
ao Curso de Design de Moda e a comunidade em geral
Implantar uma central de estágios ligado à coordenação para X X X X X (...)
direcionamento da comunidade educativa.
Promover eventos, workshop, palestras, seminários e atividades culturais X X X X X X X (...)
afins na área de Arte e Design.

44
Implantar oficinas afins didáticas para produção de protótipos e atividades
acadêmicas na área de Arte e Design. – Mínimo 2 oficinas
CRONOGRAMA
METAS 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
Implantar uma equipe para desenvolvimento do design corporativo, X X X X X X X X (...)
interfaces, multimídia, superfície e promocional da Faculdade de Arte &
Design.
Implantar uma central de logística ligado ao Núcleo de Criatividade X X X X X X X (...)
Permanente – NCP, oferecendo apoio ao curso de Design de Moda e a
comunidade educativa.
Promover a interdisciplinaridade e transdisciplinaridade entre as X X X X X X X (...)
Faculdades FACED e Divinópolis de desenvolvimentos de projetos
institucionais e acadêmicos.
Elaborar, executar e avaliar projetos institucionais de estudos para alunos X X X X X X X (...)
carentes.
A FACULDADE DE ARTE & DESIGN implantará acompanhamento e X X X X X X X (...)
orientação psico-pedagógica através do Núcleo de Assessoramento
Didático-Pedagógico ao Corpo Discente.

45
4.3 - Planejamento Econômico e Financeiro: Primeiro ao Oitavo Período

Os aspectos financeiros e orçamentários são de responsabilidade da


Entidade Mantenedora, devendo estar expressos no Planejamento de Viabilidade
Econômico-financeira da Sociedade Dom Bosco de Educação e Cultura –
SODBEC. As Instituições de Ensino, Faculdades-Mantidas submetem-se, no que
couber ao Estatuto da Mantenedora.
PARTE V

PROGRAMAS DAS
DISCIPLINAS
DO CURSO DE
DESIGN DE MODA

47
1º PERÍODO

 DISCIPLINA: ANTROPOLOGIA E MODA


CH: 80

 DOCENTE: Sandro David


PERÍODO: 1º
 EMENTÁRIO: Fundamentos do pensamento antropológico. Conceito de
cultura. Noções de humanidade. Unidade e diversidade do homem.
Conceitos de indumentária. Vestuário e moda, de acordo com as
características antropológicas e sociológicas de um país e como linguagem
estética e cultural de um povo. Moda como processo econômico de
produção e de consumo. Moda como símbolo do universo cultural.
Relações étnicas e seu legado para a moda. Conceitos de Design. Teorias
e organização da produção intelectual do design de moda.
 BIBLIOGRAFIA
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BENEDICT, Ruth. Padrões de cultura. Lisboa : Livros do Brasil,[19--]. 331 p. (Vida e
Cultura, 58).
GEERTZ, Clifford. A Interpretação das culturas. Rio de Janeiro : LTC, 1989. 323 p.
MEAD, Margaret. Sexo e temperamento. 4. ed. São Paulo : Perspectiva,1999. 316 p.
(Coleção Debates, 5).
SENNET, Richard. Carne e pedra : o corpo e a cidade na civilização ocidental. Rio de
Janeiro : Record,1997. 362 p. il.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado : pesquisa de antropologia política. 5.
ed. Rio Janeiro : Francisco Alves, 1990. 152 p.
ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. São Paulo : Martins Fontes,1996. 191 p.
(Topicos). Por.
FREYRE, Gilberto. Modos de homem, modas de mulher. 2. ed. Rio de Janeiro : Record,
1987. 181 p.
HOGGART, Richard. As utilizações da cultura 2 : aspectos da vida cultural da classe
trabalhadora. Lisboa : Presença, 1975. 250 p.
HOGGART, Richard. As utilizações da cultura 1 : aspectos da vida cultural da classe
trabalhadora. Lisboa : Presença, 1975. 219 p.
LEVI-STRAUSS, Claude. As estruturas elementares do parentesco. 2. ed. Petrópolis :
Vozes,1982. 540 p. il.
PRIORE, Mary del, BASSANEZI, Carla, RAMINELLI, Ronald. Historia das mulheres
no Brasil. São Paulo : Contexto, 1997. 678 p.
ROSALDO, Zimbalist (coord.); LAMPHERE, Louise (coord.). A mulher, a cultura e a
sociedade. São Paulo : Paz e Terra, 1979. 254 p. (O mundo, hoje, 31).
SIMMEL, Georg. Filosofia do amor. São Paulo : Martins Fontes,1993. 215 p.

48
VIDAL, Lux (org.). Grafismo indígena : estudos de antropologia estética. São Paulo :
Stúdio Nobel, 1992. 296 p.
WILLIAMS, Raymond. Cultura. São Paulo : Paz e Terra,1992. 239 p.

 DISCIPLINA: DESENHO DE EXPRESSÃO I


CH: 80

 DOCENTE: Lúcio Magalhães


PERÍODO: 1º
 EMENTÁRIO: Desenvolvimento das noções primordiais da linguagem
expressiva do desenho. O desenho como instrumento de observação e
análise das formas. O desenho como meio de expressão do pensamento
visual e como meio de representação.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
EDWARDS, Betty. Desenhando com o lado direito do cérebro. 12. ed. Rio de Janeiro :
Ediouro, 1984. 218 p. il.
OSTROWER, Fayga Perla.Criatividade e processo de criação.12.ed.Petrópolis:
Vozes, 1997.200p.170
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo : Martins Fontes,
1997. 236 p.
DONZELLI, Rinaldo. Desenhar uma pessoa. São Paulo : M. Fontes, 1979. 64 p.
HOGARTH, Burne. Luz e sombra sem dificuldade. Koln : Benedikt Taschen, 1999.
160p. il.

49
 DISCIPLINA: DESENHO GEOMÉTRICO E TÉCNICO DE MODA
CH: 80

 DOCENTE: Maria do Carmo M. C. Branco


PERÍODO: 1º
 EMENTÁRIO: Conceitos básicos do desenho geométrico e sua aplicação
na caracterização e técnicas próprias para o desenvolvimento do desenho
de moda. O desenho como instrumento de comunicação direta com o
modelista.Representação gráfica do corte e da costura. Leitura e análise da
representação do corte e da costura. Desenho de peças do vestuário.
Tecidos e dobras. Tecido e textura. Ilustração de detalhes. A costura.
Construção da ilustração de moda. Projeto de ilustrações.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
CASSIN-SCOTT, Jack. The illustrated encyclopaedia of costume and fashion : from
1066 to the present. London : Studio Vista, 1998. 192 p. il.
CELLA, Carla. Disegno di moda : materiali, tecniche e argomenti. Milano : U.
Hoepli,350 p.
KUMAGAI, Kojiro. Childrens fashion illustration. Tokio : Graphic-Sha, 1990. 125 p. il.
KUMAGAI, Kojiro. Ladies fashion illustration. Tokio : Graphic-Sha ,1982. 116 p. il.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
KUMAGAI, Kojiro. Childrens fashion illustration. Tokio : Graphic-Sha, 1990. 125 p. il.
MANDEL, Rachel. Desenho de moda: técnica em preto e branco e aguada. Rio de Janeiro
: Ediouro,1985. 53p. il.
RAMOS, Juan Eugene; LOPEZ, Antonio. Antonio 60, 70, 80 : three decades of fashion
illustration. London : Thames and Hudson,1995. 215 p. il.
SORAYAMA, Hajime. Hyper illustrations 2. Tokyo : Atsushi Oshita,1992. 1 v. Il
YAJIMA, Isao. Fashion illustration in Europe. Tokyo : Graphic-Sha,1988. 125 p. il.
PERIÓDICOS
DRAKE, Nicholas. Fashion illustration today : with 215 illustrations, 160 in color.
London : Thames and Hudson,1994. 175 p. il.
DRAKE, Nicholas. L'illustration de mode : aujourd'hui : les ceuvres de vingt-deux
grands artistes. Paris : F. Nathan,1987. 175 p. il.
ECOLE SUPERIEURE DES ARTS ET TECHNIQUES DE LA MODE. Méthode de
dessin fashion drawing method. Paris : ESMOD Edition, 1995. 142 p.
Fashion e cosmetics graphics. Tokyo : P.I.E. Books,1995. 204 p. il
GUEGAN, Yannick. Drapen en trompe-l'oeil. Paris : Dessain et Tolra, 1995. 95 p. il.
FASHION FORECAST INTERNATIONAL. Londres : Grange Press, 1999 . Semestral.
FASHION TRENDS THE STYLING BOOK. Düsseldorf : Branchie e Business, 2000.
Semestral.
SPORT STREET COLLEZIONI. Itália : Zanfi, 1999. Quadrimestral.
STYLE BOOK SPORTS AND YOUNG FASHION. Düsseldorf : Branchie e Business,
2000. Semestral.
SCHMUCK MAGAZIN. Ulm : s.n., 1999.

50
TEXTILE REPORT JEUNES CREATEURS. França : SLC, 1999. Semestral

51
 DISCIPLINA: HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN I
CH: 80

 DOCENTE: Mônica Fischer


PERÍODO: 1º

 EMENTÁRIO: Introdução à Pré-história. Antigüidade


Mesopotâmia – Arte Egipcia – Arte Egéia – Arte Micênica – Arte Grega e
(Arte

Arte Romana ). Idade Média ( Arte Bizantina – Arte Islâmica – Arte


Românica e Arte Gótica). Idade Moderna ( Arte Renascentista – Arte
Barroca/Rococó ).
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna : do iluminismo aos movimentos contemporâneos.
São Paulo : Companhia das Letras, 1996. 709 p.
GOMBRICH, E. H. A história da arte. 16. Ed. Rio de Janeiro : LTC, 1999. 688 p. il.
JANSON, Horst Woldemar; JANSON, Anthony F. Iniciação a historia da arte. São
Paulo : M. Fontes, 1988. 475 p. il.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ARNOLD, A. L. Mode grafik: ein lehrbuch zum selbsts-studium. 2 ed. Frankfurt:
A.Fachbuch, 1980. 128 p.
BARNES, Colin. Fashion illustration. London : Macdonald, 1988. 160 p.
BOSI, Alfredo. Reflexões sobre a arte. 5. Ed. São Paulo : Atica, 1995. 80 p. il.
(Fundamentos 8)
BRIVIO, Serena. Man's fashion. London : Brivio Textile Books, 1995. 175 p. il.
BUORO, Anamelia Bueno. O olhar em construção : uma experiência de ensino e
aprendizagem da arte na escola. 3. ed. São Paulo : Cortez,1998. 160 p.
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo : Martins Fontes,1997.
236 p.
ECO, Umberto. Viagem na irrealidade cotidiana. 9. ed. Rio de Janeiro :
N.Fronteira,1984. 353 p. Por.
ECOLE SUPERIEURE DES ARTS ET TECHNIQUES DE LA MODE. Méthode de
dessin fashion drawing method. Paris : ESMOD Edition, 1995. 142 p.
ENGELMEIER, Peter W.; ENGELMEIER, Regine. Fashion in film. Munich : Prestel,
1997. 249 p.
FARRELY, Liz . Wear me : fashion graphics interaction. London ; Booth-Clibborn,1995.
1v. il.
KUMAGAI, Kojiro. Fashion illustrations 2 : expressing textures. Tokyo : Graphic-sha,
1988. 125 p. il.
KUMAGAI, Kojiro. Sketching and drawing. Tokyo : Graphic-sha, 1990. 119 p. il.
MARTINELLI, Nino G. Studio del figurino : tecnica del disegno per il figurino di moda-
metodo professionale. Milano : Fernando Burgo,1994. 239 p. il.

52
NOVAES, Adauto (org.). O olhar. São Paulo : Companhia das Letras,1999. 495 p.
OLIVEIRA, Ana Claudia de; LANDOWSKI, Eric. Do inteligível ao sensível : em torno
da obra de Algirdas Julien Greimas. São Paulo : Educ, 1995. 269 p.
OLIVEIRA, Ana Claudia de. Vitrinas: acidentes estéticos na cotidianidade. São Paulo:
Educ, 1997. 181 p.il.
SILVA, Ignacio Assis (org.). Corpo e sentido : a escuta do sensível. São Paulo :
UNESP,1996. 282 p. il. (Seminários e Debates)
RYUUNAKA, S. Modernism : finest designs in modern style. Osaka : KAIGAI,1986.
139 p.
SAKMAR, Eva Marie. Fashion ilustration techiniques : workbook 2 : drawing the head.
Cincinnati : North Light Books,1987. 49 p.
SUDJIC, Deyan. Rei Kawakubo and come des garcons. London : Fourth Estate,1990.
160 p.
The scottish clans and their tartans : with ninety-six color plates. Nova Jersey :
Chartwell Books,1992. 204 p. il.
YANAGISAWA, Motoko. Fashion look : design and illustration collection. Tokyo :
Graphic-Sha,1992. 127 p. il
PERIÓDICOS
TEXTILE REPORT JEUNES CREATEURS. França : SLC, 1999. Semestral.
SCHMUCK MAGAZIN. Ulm : s.n., 1999.
SPORT STREET COLLEZIONI. Itália : Zanfi, 1999. Quadrimestral.
FASHION FORECAST INTERNATIONAL. Londres : Grange Press, 1999 . Semestral.
FASHION TRENDS THE STYLING BOOK. Düsseldorf : Branchie e Business, 2000.
Semestral.
STYLE BOOK SPORTS AND YOUNG FASHION. Düsseldorf : Branchie e Business,
2000. Semestral.

53
 DISCIPLINA: TEORIA DA COR
CH: 40

 DOCENTE: João Caixeta


PERÍODO: 1º
 EMENTÁRIO: O olho e a visão. Cor - desenvolvimento da teoria da
linguagem visual. Luz e cor. Aspectos físicos: cor luz / cor pigmento.
Aspectos psicológicos. Aspectos místicos e simbólicos. Classificação das
cores. Elementos de harmonia. A cor nas artes plásticas e nas artes
gráficas. A cor no folclore, cinema, design e na moda.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual : uma psicologia da visão criadora: nova
versão. 11. ed. São Paulo : Livraria Pioneira, 1997. 503 p.
FARINA, Modesto. Psicodinâmica das cores em comunicação. São Paulo : Edgard
Blucher, 1997. 223 p.
MUNARI, Bruno. Das coisas nascem coisas. São Paulo : Martins Fontes, 1998. 378 p.
OSTROWER, Fayga Perla. Criatividade e processo de criação. 12. ed. Petrópolis :
Vozes, 1997. 200 p.
PEDROSA, Israel. Da cor a cor inexistente. 7. ed. Rio de Janeiro : L. Christiniano, 1999.
224 p.
SENAC. DN. Elementos da cor / Luiz Fernando Perazzo; Ana Beatriz Fares; Denise
Alvarez. Rio de Janeiro : Senac DN, 1999. 120 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo : Martins Fontes,
1997. 236 p.
FRANCASTEL, Pierre. Imagem, visão e imaginação. Lisboa : Martins Fontes, 1987. 227
p. (Arte e comunicação
GOMBRICH, E. H. A história da arte. 16. Ed. Rio de Janeiro : LTC, 1999. 688 p. il.
GOMES FILHO, João. Gestalt do objeto : sistema de leitura visual da forma. São Paulo :
Escrituras, 2000. 127 p.
ITTEN, Johannes. The art of color : the subject experience and objective rationale of
color. New York : John Wiley and Jons,1973. 155 p.
MUNARI, Bruno. Design e comunicação visual : contribuição para uma metodologia
didática. São Paulo : Martins Fontes, 1997. 350 p.
SENAC. DN. Elementos da forma / Luiz Fernando Perazzo; Maslova T. Valenca. Rio de
Janeiro : Senac DN,1997. 125 p.

54
55
 DISCIPLINA: METODOLOGIA DE PESQUISA CIENTÍFICA CH: 40

 DOCENTE: Arnaldo Pires Bessa


PERÍODO: 1º
 EMENTÁRIO: Evolução e utilização do conhecimento técnico;
conhecimento humano e informação; pesquisa e aplicação do
conhecimento científico.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ANDRADE, Maria Margarida de. Como preparar trabalhos para cursos de pós-
graduação: noções práticas. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1999. 144 p.
DEMO, Pedro. Metodologia científica em Ciências Sociais. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1995.
293 p.
ECO, Umberto. Como se faz uma tese. 15. Ed. São Paulo : Perspectiva,1999. (Estudos,
85)
FAZENDA, Ivani (org.). Metodologia da pesquisa educacional. 6.ed. São Paulo :
Cortez, 2000. 174 p.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho
cientifico : procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações
e trabalhos científicos. 4. ed. São Paulo : Atlas, 1992. 214 p.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia cientifica. 2. ed.
São Paulo : Atlas, 1991. 249 p.
SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho cientifico. 21. ed. São Paulo :
Cortez, 2000. 279 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa :
planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração,
análise e interpretação de dados. 3. ed São Paulo : Atlas, 1996. 231 p.

56
2º PERÍODO

 DISCIPLINA: PSICOLOGIA E MODA


CH: 40

 DOCENTE: Vera Lúcia Silva Prazeres


PERÍODO: 2º
 EMENTÁRIO: Conceitos básicos de psicologia. Sua aplicação na área da
moda. Elementos determinantes do comportamento social e do
comportamento coletivo: personalidade, motivação, necessidade do ser
humano. Percepção sensorial e percepção social. Personalidade: liderança,
dependência, comunicação, motivação, necessidade. Psicologia das cores.
Psicologia do consumidor. Psicologia da moda.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
COELHO, Maria José de Souza. Moda:um enfoque psicanalítico. Rio de
Janeiro: Diadorim, 1995. 115 p. il.
STEELE, Valerie. Fetiche:moda, sexo e poder. Tradução Alexandre
Abrauches Jordão. Rio de Janeiro: Rocco, 1997. 244 p. il.
LURIE, Alison. Linguagem das roupas. Tradução Ana Luiza Dantas Borges.
Rio de Janeiro: Rocco, 1997. 285 p. il.
BOLLON, Patrice. Moral da mascara:Merveilleux, Zazous, Dandis, Punks, etc.
Tradução Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro: Rocco, 1993. 236 p.
SOUZA, Gilda de Mello e. Espírito das roupas:a moda no século dezenove.
São Paulo: Companhia das Letras, 1996. 255 p. il.
ALCANTARA, Mamede de. Terapia pela roupa. São Paulo: Mandarim, 1996.
157 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ECO. Umberto , SIGURTA,Renato,LIVOLSI, Marino.Psicologia do Vestir. 3.ed.Lisboa: Assírio e
Alvim , 1989.87p.(Arte e Produção I )
FLUGEL, J.C.A psicologia da Roupas. São Paulo. Metre Jou, 1966, 240./il

57
 DISCIPLINA:DESENHO DE EXPRESSÃO II CH: 80

 DOCENTE: Lúcio Magalhães PERÍODO: 2º


 EMENTÁRIO: Atividades de percepção fundamental com registro gráfico de
formas naturais e de formas criadas pelo homem. O desenho de
perspectivas interiores e exteriores em relação a figura humana - espaço.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo : Martins Fontes,
1997. 236 p.
DONZELLI, Rinaldo. Desenhar uma pessoa. São Paulo : M. Fontes, 1979. 64 p.
MUNARI, Bruno. Design e comunicação visual : contribuição para uma metodologia
didática. São Paulo : Martins Fontes, 1997. 350 p.
OSTROWER, Fayga Perla.Criatividade e processo de criação.12.ed.Petrópolis: Vozes,
1997.200p.170
PERARD, Victor. Desenho e anatomia. Rio de Janeiro : Ediouro,[19--]. 302 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
MUNARI, Bruno. Das coisas nascem coisas. São Paulo : Martins Fontes, 1998. 378 p.
MUNARI, Bruno. A arte como oficio. 4 ed. Lisboa : Presença,1993. 158 p.
SIMON, Howard. Techniques of drawing. New York : Dover, 1972. 136 p. il.
SOUZENELLE, Annick de. O simbolismo do corpo humano : da arvore da vida ao
esquema corporal. São Paulo : Pensamento,1984. 312 p.

58
 DISCIPLINA:DESENHO DE MODA I CH: 80

 DOCENTE: Pierre Pedroso Lopes


PERÍODO: 2º
 EMENTÁRIO: Introdução ao desenho da figura humana. Observação da realidade;
construção dos volumes do corpo humano. A figura no ambiente. Construção da
figura humana vestida. Desenvolvimento do desenho da vestimenta sobre o corpo.
Croquis (esboços rápidos) e Ilustração de roupas e acessórios.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
EDWARDS, Betty. Desenhando com o lado direito do cérebro. Rio de Janeiro :
Ediouro, 1984. 218 p. il
GORDON, Louise. Desenho da cabeça humana : incluindo as técnicas da cabeça e do
pescoço. 3. ed. Lisboa : Presença, 1993. 121 p. il.
PARRAMON, José M. Como desenhar o corpo humano : teoria, técnica, pratica da
construção e do desenho da anatomia artística do corpo humano. Lisboa : Presença, 1993.
112 p
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo : Martins Fontes,
1997. 236 p.
DONZELLI, Rinaldo. Desenhar uma pessoa. São Paulo : M. Fontes, 1979. 64 p.
DRAKE, Nicholas. Fashion illustration today : with 215 illustrations, 160 in color.
London : Thames and Hudson, 1994. 175 p. il.
MARSH, Reginald. Anatomy for artists. New York : Dover, 1970. 209 p. il.
PACKER, William. Design de mode : Vogue 1923-1983. 12. ed. Paris : Herscher, 1989.
240 p.
PERARD, Victor. Desenho e anatomia. Rio de Janeiro : Ediouro,[19--]. 302 p.
RAMOS, Juan. Antonio 60, 70, 80 : three decades of fashion illustration. London :
Thames and Hudson, 1995. 215 p.
SCHIDER, Fritz. Na atlas of anatomy for artists. 3. ed. New York : Dover, 1957. 191 p.
SIMON, Howard. Techniques of drawing. New York : Dover, 1972. 136 p. il.
SMITH, Stan. Anatomia prospecttiva composizione : trattado di disegno professionale
specializzato. Milano : Editiemme, 1986. 221 p

59
 DISCIPLINA:HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN II
CH: 80

 DOCENTE: Mônica Fischer


PERÍODO: 2º
 EMENTÁRIO: Idade Contemporânea – Século XIX: Neoclassicismo –
Romantismo – Realismo – Impressionismo – Pós-Impressionismo. Século
XX: Movimento Art-Nuveau – Movimentos Modernos das primeiras décadas
do século XX nas Artes Plásticas, Bahaus e o funcionalismo moderno. Arte
Degô. Design no Pós-guerra. Design na época pop. Pós-modernismo e as
vanguardas do final do século XX.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BARTHES, Roland. O sistema da moda. Lisboa : Edições 70, 1967. 353 p.
BORELLI, Silvia Helena Simões. Ação, suspense, emoção : literatura e cultura de massa
no Brasil. São Paulo : EDUC,1996. 244 p..
DURAND, José Carlos. Moda, luxo e economia. São Paulo : Babel Cultural, 1988. 135 p.
LAVER, James. A roupa e a moda : uma historia concisa. São Paulo : Companhia das
Letras, 1996. 285 p.
ORTIZ, Renato. Mundialização e cultura. 2. ed. São Paulo : Brasiliense, 1996. 234 p.
VICENT-RICARD, Francoise. As espirais da moda. 3. Ed. Rio de Janeiro : Paz e Terra,
1989. 249 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ARIES, Phillippe (org.). Historia da vida privada : da Renascença ao século das luzes.
São Paulo : Cia das Letras, 1997. 637 p. il.
ARNOLD, A. L. Mode grafik : ein lehrbuch zum selbsts-studium. 2 ed. Frankfurt :
A.Fachbuch, 1980. 128 p.
BARROS, Fernando de. Elegância : como o homem deve se vestir. São Paulo : Negocio,
1997. 162 p.
BARNES, Colin. Fashion illustration. London : Macdonald, 1988. 160 p.
BARTHES, Roland. Mitologias. 7. ed. São Paulo : Difel,1987. 180 p.
BENJAMIN, Walter. Paris, capitale du XIXe siede : le livre des passages. 3. ed. Paris :
Cerf,1997. 974 p.
BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire : um lírico no auge do capitalismo. 3. ed. São
Paulo : Brasiliense,1997. 272 p. (Obras escolhidas, 3).
BOEHN, Max von. La moda : historia del traje en Europa : desde los origenes del
cristianismo hasta nuestros dias : Edad Media. 3. ed. Barcelona : Salvat, 1951. 333 p.
BOURDIEU, Pierre. As regras da arte : genese e estrutura do campo literario. São
Paulo : Cia das Letras, 1996. 431 p.
BRIVIO, Serena. Man's fashion. London : Brivio Textile Books, 1995. 175 p. il.
CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano : Petrópolis : Petrópolis, 1996. 351 p.
CONTINI, Mila. A moda : 5000 anos de elegância. Lisboa : Verbo,1965. 318 p.
ECOLE SUPERIEURE DES ARTS ET TECHNIQUES DE LA MODE. Méthode de
dessin fashion drawing method. Paris : ESMOD Edition, 1995. 142 p.

60
ELIAS, Norbert. O processo civilizador : formação do estado e civilização Rio de Janeiro
: Jorge Zahar Editor, 2 v, 307 p.
ENGELMEIER, Peter W.; ENGELMEIER, Regine. Fashion in film. Munich : Prestel,
1997. 249 p.
FARRELY, Liz . Wear me : fashion graphics interaction. London ; Booth-Clibborn,1995.
1v. il.
KUMAGAI, Kojiro. Fashion illustrations 2 : expressing textures. Tokyo : Graphic-sha,
1988. 125 p. il.
KUMAGAI, Kojiro. Sketching and drawing. Tokyo : Graphic-sha, 1990. 119 p. il.
LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero : a moda e seu destino nas sociedades
modernas. São Paulo : Companhia das Letras, 1989. 294 p.
LURIE, Alison. A linguagem das roupas. Rio de Janeiro : Rocco, 1997. 286 p.
MARTINELLI, Nino G. Studio del figurino : tecnica del disegno per il figurino di moda-
metodo professionale. Milano : Fernando Burgo,1994. 239 p. il.
MELCHIOR-BONNET, Sabine. Histoire du miroir. Paris : Imago,1994. 272 p.
MORIN, Edgar. Cultura de massas no século XX : o espírito do tempo I: neurose. 9. ed.
Rio de Janeiro : Forense Universitária, 1997. 204 p.
RYUUNAKA, S. Modernism : finest designs in modern style. Osaka : KAIGAI,1986.
139 p.
ROMIO, Eda. Os estilistas do século 20. São Paulo : ER Projetos Editoriais, 1997. 104 p.
SAKMAR, Eva Marie. Fashion ilustration techiniques : workbook 2 : drawing the head.
Cincinnati : North Light Books,1987. 49 p.
SEELING, Charlotte. Moda : o século dos estilistas 1900 - 1999. [S.l.]: Konemann, 1999.
655 p.
SENNETT, Richard. O declínio do homem publico : as tiranias da intimidade. São
Paulo : Cia. das Letras, 1998. 447 p.
SOUZA, Gilda de Melo e. O espírito das roupas : a moda no século dezenove. São Paulo
: Companhia das Letras, 1987. 255 p. il.
VICENT-RICARD, Francoise. As espirais da moda. 3. Ed. Rio de Janeiro : Paz e Terra,
1989. 249 p. il.
SUDJIC, Deyan. Rei Kawakubo and come des garcons. London : Fourth Estate,1990. 160
p.
The scottish clans and their tartans : with ninety-six color plates. Nova Jersey :
Chartwell Books,1992. 204 p. il.
YANAGISAWA, Motoko. Fashion look : design and illustration collection. Tokyo :
Graphic-Sha,1992. 127 p. il

PERIÓDICOS
COLLECTIONS. Japão : European Distribuition, 1999. Semestral.
COLLEZIONI DONNA. Itália : Zanfi, 1989. Quadrimestral.
SPORTSWEAR INTERNATIONAL. Nova York : Direkta, 1999. Bimestral.

61
 DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE COMPOSIÇÃO CRIATIVA I
CH: 80

 DOCENTE: Maria de Lourdes C. Nogueira


PERÍODO: 2º
 EMENTÁRIO: Elaboração de vestuário em miniatura, em épocas diferentes:
Pré-história, época Antiga, Renascimento, época Moderna. Pesquisa de
materiais. Confecção de máscaras e bonecos.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
OSTROWER, Fayga Perla.Criatividade e processo de criação.12.ed.Petrópolis:
Vozes, 1997.200p.170

62
 DISCIPLINA:SEMIÓTICA
CH: 40

 DOCENTE: Angélica Oliveira


PERÍODO: 2º
 EMENTÁRIO: A visão semiótica: a moda como linguagem.. Análise de
códigos visuais, conceito de signo e as codificações das mensagens no
campo da cultura de massa. Imagens e mitologias iconográfica da vida
cotidiana.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ADORNO, Theodor Wiesengrund et al. Teoria da Cultura de Massa. 4.ed.Rio de
Janeiro: Paz e Terra 1990.340.Ii
HOWARD, Gardner. Inteligências múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre :
ARTMED, 2000. 257 p.

63
3º PERÍODO

 DISCIPLINA:DESENHO DE MODA II
CH: 80

 DOCENTE: Pierre Pedroso Lopes


PERÍODO: 3º
 EMENTÁRIO: Pesquisa dos movimentos da moda. A importância da
síntese no desenho de moda. Estilo pessoal na criação de coleção.
Desenho de coleções.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. Ed. São Paulo : Martins Fontes,
1997. 236 p.
DONZELLI, Rinaldo. Desenhar uma pessoa. São Paulo : M. Fontes, 1979. 64 p.
EDWARDS, Betty. Desenhando com o lado direito do cérebro. Rio de Janeiro :
Ediouro, 1984. 218 p. il
GORDON, Louise. Desenho da cabeça humana : incluindo as técnicas da cabeça e do
pescoço. 3. ed. Lisboa : Presença, 1993. 121 p. il.
PARRAMON, José M. Como desenhar o corpo humano : teoria, técnica, pratica da
construção e do desenho da anatomia artística do corpo humano. Lisboa : Presença, 1993.
112 p
PERARD, Victor. Desenho e anatomia. Rio de Janeiro : Ediouro,[19--]. 302 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
DRAKE, Nicholas. Fashion illustration today : with 215 illustrations, 160 in color.
London : Thames and Hudson, 1994. 175 p. il.
MARSH, Reginald. Anatomy for artists. New York : Dover, 1970. 209 p. il.
PACKER, William. Design de mode : Vogue 1923-1983. 12. ed. Paris : Herscher, 1989.
240 p.
RAMOS, Juan. Antonio 60, 70, 80 : three decades of fashion illustration. London :
Thames and Hudson, 1995. 215 p.
SCHIDER, Fritz. An atlas of anatomy for artists. 3. Ed. New York : Dover, 1957. 191 p.
SIMON, Howard. Techniques of drawing. New York : Dover, 1972. 136 p. il.
SMITH, Stan. Anatomia prospecttiva composizione : trattado di disegno professionale
specializzato. Milano : Editiemme, 1986. 221 p

64
 DISCIPLINA: HISTÓRIA DA INDUMENTÁRIA CH: 80

 DOCENTE: Angélica Oliveira


PERÍODO: 3º
 EMENTÁRIO: Estudo do vestuário na Antigüidade. Estudo do vestuário
Grego e Romano. Estudo do vestuário na Europa até a Idade Média.
Estudo do vestuário Renascentista / século XVI. Estudo do vestuário no
século XVII. Estudo do vestuário no século XVIII. Estudo do vestuário no
século XIX. Estudo do vestuário no século XX.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
MACHADO JR., Carlos Eduardo.Composição Indumentária: Forma Expressiva de
Comunicação. Tese de Mestrado. São Paulo: ECA/USP, 1979.
BARROS, Sígrid Porto de. A condição social e a indumentária femiina no Brasil
colônia.Na.Mus.Hist.Nac,Rio de Janeiro, 8:117-54,1947-UBC
Séculos XVII e XVIII. A Moda Romântica – 1850-70. Fin du SEÉCLE. Aa MODA NO
Século XX 1900-20-30.New Look 40-50. Atualidade 60-70-80-90

65
 DISCIPLINA:LABORATÓRIO DE COMPOSIÇÃO CRIATIVA II CH: 80

 DOCENTE: Maria de Lourdes C. Nogueira


PERÍODO: 3º
 EMENTÁRIO: Criação livre de vestuário e confecção da roupa, utilizando
técnica artesanal.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
OSTROWER, Fayga Perla.Criatividade e processo de criação.12.ed.Petrópolis:
Vozes, 1997.200p.170

66
 DISCIPLINA: OFICINA DE MODELAGEM E PRODUÇÃO I CH: 160

 DOCENTE: Maria dos Anjos Beirigo


PERÍODO: 3º
 EMENTÁRIO: Fundamentos matemáticos de graduação de moldes.
Traçado de bases e moldes. Montagem de protótipo em tecido. Modelagem
plana: conceito, características e tipologia. Bases da modelagem plana.
Interpretação de desenho técnico. Tipologia do vestuário; Sportwear.
Fabricação em série. Transformação de bases. Tipologia do vestuário;
Outros tipos de roupa. Experimentação de materiais não convencionais.
Trabalho interativo com o estilista.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BURDA. A costura tornada facil. Offenburg : Verlag Burda,1994. 223 p. il.
DUARTE, Sonia; SAGGESE, Sylvia. Modelagem industrial brasileira. Rio de Janeiro :
Letras e Expressões, 1998. 232 p.
GORDON, Maggi McCormick. Curso de costura. Lisboa : Estampa, 1999. 160 p.
STERBLITCH, Vera. Acabamento de costura. Rio de Janeiro : Ediouro, 1979. 146 p. il.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ACADEMIE INTERNATIONALE DE COUPE DE PARIS VAUCLAIR. Traces de
coupe vetements feminins: classiques et sportswear. 3. Ed. Paris : Vauclair, [199-]. 151p.
BELMIRO, Arnaldo. Jeans e t-shirts. Rio de Janeiro : Ediouro, 1984. 112 p.
CHIAPPETTA, Jacqueline. La coupe a plat dame : pour le preta-porler et le sur mesures.
St. Cyr-sur-Mer : J. Chiapetta,1996. 314 p.
ECOLE SUPERIEURE DES ARTS ET TECHNIQUES DE LA MODE. Methode de
coupe: vêtements féminins. Paris : ESMOD Edition, 1991. 341 p.
HAMAYA, Hiroshi. Emergence de la terre. [S.l.]: Hologramme, 1986. 168 p.
Il modellismo : tecnica del modello sartoriale e industriale: donna, uomo, bambino,
bambina. Milano : Fernando Burgo Editore,1996. 398 p.
KOHLER, Card. História do vestuário. São Paulo : Martins Fontes,1996. 564 p.
KRAJCBERG, Frans. Natura. Rio de Janeiro : Index, 1987. 142 p.
LACHAPELLE, David. Lachapelle land. New York : Simon and Schuster, 1996. 152 p.
LARG, Alex; WOOD, Jane. Fashion shots : a guide to professional lighting techniques.
Crans-Pres-Celigny : RotoVision, 1999. 160 p.
LAVER, James. A roupa e a moda : uma historia concisa. São Paulo : Companhia das
Letras, 1996. 285 p. il.
LEDDICK, David. George Platt Lynes: 1907-1955. London : Taschen, [19--]. 239 p.
MARTINELLI, Nino G. Studio del figurino : tecnica del disegno per il figurino di moda-
metodo professionale. Milano : Fernando Burgo, 1994. 239 p.
ROCHA, Ana Augusta, LINSKER, Roberto (coord.). Brasil aventura : ilhas. São Paulo :
Terra Virgem, 1996. 175 p.
SALGADO, Sebastião. Terra. São Paulo : Companhia das Letras, 1998. 143 p.
WATKINS, Charmian. Dressmaking by design : stylish patterns to flater your figure.
London : Ebury, 1988. 127 p.

67
PERIÓDICOS
COLLECTIONS. Japão : European Distribuition, 1999. Semestral.
COLLEZIONI DONNA. Itália : Zanfi, 1989. Quadrimestral.
FASHION TRENDS THE STYLING BOOK. Düsseldorf : Branchie e Business, 2000.
Semestral.
INTERNATIONAL TEXTILES. Londres : Grange Press, 1999. Mensal.
TRENDS FILATI COLLEZIONI. Itália : Zanfi, 1989. Bimestral.
TEXTILE REPORT PARIS. França : SLC, 1999. Quadrimestral
VIEW POINT. Amsterdam : Viewpoint, 1999 . Semestral.

68
4º PERÍODO

 DISCIPLINA: COMPUTAÇÃO GRÁFICA BÁSICA I


CH: 80

 DOCENTE: Paulo Nobuhide Taminato


PERÍODO: 4º

 EMENTÁRIO: Editoração de textos,computação gráfica aplicada a


projetos
de estilismo e modelagem do vestuário. Softwares aplicados.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ALSPACH, Jennifer, RICHARDS, Linda. Aprenda praticando photoshop 5 e 5.5. Rio
de Janeiro : Editora Ciência Moderna, 2000. 368 p.
BUGAY, Ligia. Photoshop 5: técnicas artísticas. Florianópolis : Visual Books, 1999. 266
p.
KENNEDY, Randall C. Windows NT: como integrar o Windows NT ao seu ambiente de
trabalho. Rio de Janeiro : Campus, 1994. 283 p.
MARTINS, Eduardo. Corel Draw 8: manual de recursos. Rio de Janeiro : Book Express,
1998. 222 p.
PASTERNAK, Guita Pessis. Do caos a inteligência artificial: quando os cientistas se
interrogam. São Paulo : Editora UNESP, 1993. 259 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
Manual LECTRA: Diamino. [S.l.] : [s.n.].
Manual LECTRA: Modaris. [S.l.] : [s.n.].
Manual LECTRA: Prostyle. [S.l.] : [s.n.].
Manual LECTRA: Vigiprint. [S.l.] : [s.n.].

69
 DISCIPLINA: ARTE E CULTURA BRASILEIRA
CH: 80

 DOCENTE: Mônica Fischer


PERÍODO: 4º
 EMENTÁRIO: Identidade do brasileiro. Cultura nacional. Cultura regional.
Grandes questões da cultura brasileira. Influência de outras culturas na
cultura brasileira. Estudo do panorama cultural brasileiro na atualidade.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
JOFFILY, Ruth. Brasil tem estilo?. Rio de Janeiro: SENAC, 1999. 71 p. il.
Moda, História; Moda, Brasil.
LAVER, James. Roupa e a moda:uma história concisa. Tradução Gloria Maria de Mello
Carvalho. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. 285 p. il.
Trajes, História; Moda, História
O'HARA, Georgina. Enciclopedia da moda:de 1840 a decada de 80. Tradução Gloria
Maria de Mello Carvalho. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. 299 p. il.
Moda; Trajes, História; Dicionário.

70
 DISCIPLINA:PROJETO, CRIAÇÃO E DESIGN DE COLEÇÃO I CH: 80

 DOCENTE: Pierre Pedroso Lopes


PERÍODO: 4º

 EMENTÁRIO: Levantamento de dados. Identificação e


diagnóstico das tendências da moda. Criação de coleção. Movimentos
da moda. Imagens comunicacionais das marcas. Criação segundo as
tendências da moda.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
CALDAS, Dario. Universo da moda : curso on line. São Paulo : Anhembi
Morumbi,1999. 143 p.
DORFLES, Gillo. A moda da moda. Lisboa : Edições 70, 1984. 121 p. (Arte e
Comunicação, 40)
EMBACHER, Airton. Moda e identidade : a construção de um estilo próprio. São Paulo :
Anhembi Morumbi,1999. 125 p.
LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero : a moda e seu destino nas sociedades
modernas. São Paulo : Companhia das Letras, 1989. 294 p.
VICENT-RICARD, Francoise. As espirais da moda. 3. ed. Rio de Janeiro : Paz e Terra,
1989. 249 p. il.

PERIÓDICOS
STYLE BOOK SPORTS AND YOUNG FASHION. Düsseldorf : Branchie e Business,
2000. Semestral.
TRENDS FILATI COLLEZIONI. Itália : Zanfi, 1989. Bimestral.
TEXTILE REPORT PARIS. França : SLC, 1999. Quadrimestral.
THE FACE. Londres : Wagadon, 2000. Mensal.
TEXTILE VIEW MAGAZINE. Amsterdam : Metropolitan Publishing, . Trimestral.
VIEW ON COLOR. Paris : United Publishers, 1999 . Semestral.
VIEW POINT. Amsterdam : Viewpoint, 1999 . Semestral.

71
 DISCIPLINA: OFICINA DE MODELAGEM E PRODUÇÃO II CH: 160

 DOCENTE: Maria dos Anjos Beirigo


PERÍODO: 4º
 EMENTÁRIO: Técnica de construção e montagem de peças de uma
coleção. Critérios mercadológicos para avaliação. Técnicas de costura e
montagem. Gamas de montagem. Etapas do trabalho de fabricação.
Técnicas de costura e montagem. Interação com o estilismo. Cálculos de
custos de fabricação. Prática de costura e montagem. Técnicas de corte de
tecido. Técnicas de graduação de moldes.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BURDA. A costura tornada facil. Offenburg : Verlag Burda,1994. 223 p. il.
DUARTE, Sonia; SAGGESE, Sylvia. Modelagem industrial brasileira. Rio de Janeiro :
Letras e Expressões, 1998. 232 p.
GORDON, Maggi McCormick. Curso de costura. Lisboa : Estampa, 1999. 160 p.
KOHLER, Card. História do vestuário. São Paulo : Martins Fontes,1996. 564 p.
STERBLITCH, Vera. Acabamento de costura. Rio de Janeiro : Ediouro, 1979. 146 p. il.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ACADEMIE INTERNATIONALE DE COUPE DE PARIS VAUCLAIR. Traces de
coupe vetements feminins: classiques et sportswear. 3. Ed. Paris : Vauclair, [199-]. 151p.
AMADEN-CRAWFORD, Connie. The art of fashion draping. 2. ed. New York :
Fairchild, 1998. 396 p.
BELMIRO, Arnaldo. Jeans e t-shirts. Rio de Janeiro : Ediouro, 1984. 112 p.
CHIAPPETTA, Jacqueline. La coupe a plat dame : pour le preta-porler et le sur mesures.
St. Cyr-sur-Mer : J. Chiapetta,1996. 314 p.
ECOLE SUPERIEURE DES ARTS ET TECHNIQUES DE LA MODE. Methode de
coupe: vêtements féminins. Paris : ESMOD Edition, 1991. 341 p.
Il modellismo : tecnica del modello sartoriale e industriale: donna, uomo, bambino,
bambina. Milano : Fernando Burgo Editore,1996. 398 p.
HAMAYA, Hiroshi. Emergence de la terre. [S.l.]: Hologramme, 1986. 168 p.
KRAJCBERG, Frans. Natura. Rio de Janeiro : Index, 1987. 142 p.
LACHAPELLE, David. Lachapelle land. New York : Simon and Schuster, 1996. 152 p.
LARG, Alex; WOOD, Jane. Fashion shots : a guide to professional lighting techniques.
Crans-Pres-Celigny : RotoVision, 1999. 160 p.
LAVER, James. A roupa e a moda : uma historia concisa. São Paulo : Companhia das
Letras, 1996. 285 p. il.
LEDDICK, David. George Platt Lynes: 1907-1955. London : Taschen, [19--]. 239 p.
MARTINELLI, Nino G. Studio del figurino : tecnica del disegno per il figurino di moda-
metodo professionale. Milano : Fernando Burgo, 1994. 239 p.
ROCHA, Ana Augusta, LINSKER, Roberto (coord.). Brasil aventura : ilhas. São Paulo :
Terra Virgem, 1996. 175 p.
ROCHA, Ana Augusta; LINSKER, Roberto. Brasil aventura : no caminho dos heróis.
São Paulo : Terra Virgem, 1998. 180 p.
SALGADO, Sebastião. Terra. São Paulo : Companhia das Letras, 1998. 143 p.

72
WATKINS, Charmian. Dressmaking by design : stylish patterns to flater your figure.
London : Ebury, 1988. 127 p.
PERIÓDICOS
TRENDS FILATI COLLEZIONI. Itália : Zanfi, 1989. Bimestral.
TEXTILE REPORT PARIS. França : SLC, 1999. Quadrimestral
INTERNATIONAL TEXTILES. Londres : Grange Press, 1999. Mensal.
VIEW POINT. Amsterdam : Viewpoint, 1999 . Semestral
FASHION TRENDS THE STYLING BOOK. Düsseldorf : Branchie e Business, 2000.
Semestral.
COLLECTIONS. Japão : European Distribuition, 1999. Semestral.
COLLEZIONI DONNA. Itália : Zanfi, 1989. Quadrimestral.

73
5º PERÍODO

 DISCIPLINA:COMPUTAÇÃO GRÁFICA APLICADA À MODA


CH: 80

 DOCENTE: Paulo Nobuhide Taminato


PERÍODO: 5º

 EMENTÁRIO: Teoria e prática básica de representação e expressão


gráfica bi e tridimensional por meio do computador. Prática de editoração e
projetos gráficos básicos por meio do computador. Modelagem eletrônica
aplicadas em projetos das diversas habilitações específicas de design.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ALSPACH, Jennifer, RICHARDS, Linda. Aprenda praticando photoshop 5 e 5.5. Rio
de Janeiro : Editora Ciência Moderna, 2000. 368 p.
BUGAY, Ligia. Photoshop 5: técnicas artísticas. Florianópolis : Visual Books, 1999. 266
p.
KENNEDY, Randall C. Windows NT: como integrar o Windows NT ao seu ambiente de
trabalho. Rio de Janeiro : Campus, 1994. 283 p.
MARTINS, Eduardo. Corel Draw 8: manual de recursos. Rio de Janeiro : Book Express,
1998. 222 p.
PASTERNAK, Guita Pessis. Do caos a inteligência artificial: quando os cientistas se
interrogam. São Paulo : Editora UNESP, 1993. 259 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
Manual LECTRA: Diamino. [S.l.] : [s.n.].
Manual LECTRA: Modaris. [S.l.] : [s.n.].
Manual LECTRA: Prostyle. [S.l.] : [s.n.].
Manual LECTRA: Vigiprint. [S.l.] : [s.n.].

74
 DISCIPLINA:TECNOLOGIA TÊXTIL CH: 80

 DOCENTE: Maria do Carmo N. C. Branco


PERÍODO: 5º
 EMENTÁRIO: Materiais têxteis: conceito, identificação e tipologia. Evolução
histórica dos têxteis. Conceitos de produção têxtil. Características da
fabricação têxtil. Escalas de cores, tintas e pigmentos. O desenvolvimento
de novas tecnologias para a produção têxtil.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARAUJO, Mário de. Tecnologia do vestuário. Lisboa : Fundação Calouste
Gulbenkian,1996. 455 p.
ARAÚJO, Manoel de; CASTRO, E. M. de Melo e. Manual de engenharia têxtil. Lisboa :
Fundação Calouste Gulbenkian,1987. 2 v. il.
ERHARDT, Theodor; BLUMCKE, Adolf; BURGER, Walter et al. Curso técnico têxtil :
física e química aplicada, fibras têxteis, tecnologia. São Paulo : EPU, 1976. 55 p. il. (3v.)
O'HARA, Georgina. Enciclopédia da moda : de 1840 a década de 80. São Paulo : Cia das
Letras, 1992. 299 p. il
RIBEIRO, Luiz Gonzaga. Introdução a tecnologia têxtil. 2 v. Rio de Janeiro : SENAI,
1984. 2 v. il.

75
 DISCIPLINA: PROJETO, CRIAÇÃO E DESIGN DE COLEÇÃO II CH: 80

 DOCENTE: Pierre Pedroso Lopes


PERÍODO: 5º

 EMENTÁRIO: Criação de roupas, estampas e motivos. Efeito


maillage. Utilização e criação de palette. Gestão de imagens.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
CALDAS, Dario. Universo da moda : curso on line. São Paulo : Anhembi
Morumbi,1999. 143 p.
DORFLES, Gillo. A moda da moda. Lisboa : Edições 70, 1984. 121 p. (Arte e
Comunicação, 40)
EMBACHER, Airton. Moda e identidade : a construção de um estilo próprio. São Paulo :
Anhembi Morumbi,1999. 125 p.
LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero : a moda e seu destino nas sociedades
modernas. São Paulo : Companhia das Letras, 1989. 294 p.
VICENT-RICARD, Francoise. As espirais da moda. 3. ed. Rio de Janeiro : Paz e Terra,
1989. 249 p. il.
PERIÓDICOS
STYLE BOOK SPORTS AND YOUNG FASHION. Düsseldorf : Branchie e Business,
2000. Semestral.
TRENDS FILATI COLLEZIONI. Itália : Zanfi, 1989. Bimestral.
TEXTILE REPORT PARIS. França : SLC, 1999. Quadrimestral.
THE FACE. Londres : Wagadon, 2000. Mensal.
TEXTILE VIEW MAGAZINE. Amsterdam : Metropolitan Publishing, . Trimestral.
VIEW ON COLOR. Paris : United Publishers, 1999 . Semestral.
VIEW POINT. Amsterdam : Viewpoint, 1999 . Semestral.

76
 DISCIPLINA: MOULAGE CH: 80

 DOCENTE: Angélica Oliveira


PERÍODO: 5º
 EMENTÁRIO: Conceito e princípios. Técnicas do moulage.
Tridimensionalidade: execução de modelos com subsídios de pesquisa de
moda. Racionalização de técnicas do moulage para a produção em série.
Aplicações das técnicas do moulage.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÀSICA
AMADEN-CRAWFORD, Connie. The art of fashion draping. 2. ed. New York :
Fairchild, 1998. 396 p.
ECOLE SUPERIEURE DES ARTS ET TECHNIQUES DE LA MODE. Methode de
coupe: vêtements féminins. Paris : ESMOD Edition, 1991. 341 p.
JAFFE, Hilde ; RELIS, Nurie. Draping for fashion design. New Jersey : Prentice Hall,
1993. 226 p.
ZANGRILLO, Frances Leto. Fashion design for the plus-size. Nova York : Fairchild,
1990. 191 p.

77
 DISCIPLINA:ERGONOMIA APLICADA CH: 40

 DOCENTE: Mônica Fischer


PERÍODO: 5º
 EMENTÁRIO: Conceituação e aplicações da Ergonomia. Métodos e
técnicas de apreciação, diagnóstico e avaliação. Sistema Homem - Tarefa -
Máquina. Antropometria. Pesquisa em Ergonomia no Projeto de Estilismo e
Modelagem do Vestuário.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
IIDA, Itiro. Ergonomia : projeto e produção. São Paulo : Edgard Blucher, 1995. 465 p.
DUL, Jan; WEERDMEESTER, Bernard. Ergonomia pratica. São Paulo : Edgard
Blucher, 1998. 147 p.
Significado social.
GOMES FILHO, João. Gestalt do objeto : sistema de leitura visual da forma. São Paulo :
Escrituras, 2000. 127 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. Ed. São Paulo : Martins Fontes,
1997. 236 p.
GAIARSA, José Ângelo. O corpo e a Terra. São Paulo : Ícone, 1991. 144 p.
GRANDJEAN, Etienne. Manual de ergonomia : adaptando o trabalho ao homem. 4. ed.
Porto Alegre : Artes Medicas, 1998. 338 p.
GRAY, Henry Anatomia. 29 ed. Rio de Janeiro : Guanabara,1988. 1147 p.
HALL, Susan J. Biomecânica básica. Rio de Janeiro : Guanabara, 1991. 320 p.
LAVILLE, Antoine. Ergonomia. São Paulo : EPU, 1977. 99 p.
MUNARI, Bruno. Das coisas nascem coisas. São Paulo : Martins Fontes, 1998. 378 p.
TILLEY, Alvin R. The measure of man and woman : human factors in design. New
York : Whitney Library of Design,1993. 96 p.

78
 DISCIPLINA: MARKETING DE MODA E A MÍDIA CH: 40

 DOCENTE: Daniel Alves Maciel PERÍODO: 5º


 EMENTÁRIO:
MARKETING
Política do produto: quantidade e qualidade. Política de preço: a de mercado e
a custo de fatores. Política de comunicação: técnicas de linguagem de
comunicação e avaliação das mídias. Política de distribuição: atacado e varejo.
Avaliação de potencial geo-econômico. Objetivo da disciplina: Manter o
merchandising, atingindo a otimização das quatro variáveis (produto, preço,
comunicação e distribuição).
A MÍDIA
Relação entre moda e publicidade, relação entre moda e merchandinsing,
relação entre moda e promoção de vendas. Noções básicas de relações
públicas. Fluxograma de comunicação de moda na cadeia têxtil. Evolução e
integração da comunicação/distribuição: causas e efeitos. Propaganda
institucional: identificação de marcas, book e catálogo de moda. Assessoria de
imprensa e de tendências como ferramentas de moda: press-release, textos
didáticos e técnicos-informativos.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
KOTLER, Philip. Princípios de marketing . Rio de Janeiro : LTC, 527 p.
LANDOWSKI, Eric; FIORIN, Jose Luíz. O gosto da gente, o gosto das coisas :
abordagem semiótica. São Paulo : Educ, 1997. 272 p.
MORGADO, Mauricio Gerbaudo, GONCALVES, Neves (org.). Varejo : administração
de empresas comerciais. São Paulo : SENAC, 1997. 400 p
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BARTHES, Roland. Mitologias. 7. ed. São Paulo : Difel, 1987. 180 p.
ROCHA, Ângela da; CHRISTENSEM, Carl. Marketing : teoria e pratica no Brasil. São
Paulo : Atlas, 1999. 284 p.
SCHMITT, Bernd; SIMONSON, Alex. A estética do marketing: como criar e
administrar sua marca, imagem e identidade. São Paulo : Nobel, 2000. 340 p.
WONG, Wucius. Princípios de forma e desenho. São Paulo : Martins Fontes, 1998. 353
p.

79
6º PERÍODO

 DISCIPLINA: FOTOGRAFIA DE MODA E VÍDEO CH: 80

 DOCENTE: Geraldo Magela de Oliveira


PERÍODO: 6º
 EMENTÁRIO: Histórico da fotografia. Princípios básicos de iluminação.
Formas e texturas. Composição fotográfica. Foto de moda. Produção de
modelo, locação. Iluminação interna e externa. Conhecimentos básicos dos
fundamentos que norteiam a técnica videográfica.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
FREEMAN, Michael. The amphoto photography Workshop séries light.
FOTOGRAFIA - Manual Completo de Arte e Técnica - Abril Cultural
HEDGECOE, John. O manual do fotógrafo. Porto editora.
LANGFORD, M. J. . Fotografia básica: Iniciação à fotografia profissional. Ômega:
1974.
LIMA,Ivan.Fotografia e a sua linguagem.2.ed.Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, c
1988.120 p.iI
Fotografia: manual completo de arte e técnica. 2.ed.São Paulo: Abril Cultural,
1980.399p.Ii
TURAZZI, Maria Inez. Poses e Trejeitos: a fotografia e as exposições na era do
espetáculo: 1839/1889.Rio de Janeiro: FUNARTE, 1995.309 p.Il
VASQUEZ, Pedro. Fotografia: reflexos e reflexões, Porto Alegre : LPM, 1986.112 P.Il.
Guran,Milton.Linguagem Fotografia e informação.Rio de Janeiro: r
Rio Fundo 1992.112p.II

80
 DISCIPLINA:IDIOMAS TÉCNICOS CH: 40

 DOCENTE: Maria dos Anjos Beirigo


PERÍODO: 6º

 EMENTÁRIO: A construção do leitor das diversidades de


informações, dos objetos e das relações que se apresentam no mundo
contemporâneo. Estrutura da percepção. Linguagens.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BAUDOT, Francois. Moda do século. São Paulo : Cosac e Naify, 2000, 400 p.
CHIPP, Herschel Browning. Teorias da arte moderna. 2. ed. São Paulo : M.artins
Fontes, 1996. 675 p.
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo : Martins Fontes,
1997. 236 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna : do iluminismo aos movimentos contemporâneos.
São Paulo : Companhia das Letras, 1996. 709 p.
BAUDOT, François. Moda do século. São Paulo : Cosac e Naify, 2000, 400 p. Maria
Thereza de Rezende Costa. Por
BOUCHER, François. A history of costume in the west. London : Thames and Hudson,
1996. 459 p. il. Ing.
BOSI, Alfredo. Reflexões sobre a arte. 5. Ed. São Paulo : Ática, 1995. 80 p. il.
(Fundamentos 8)
CONTINI, Mila. A moda : 5000 anos de elegância. Lisboa : Verbo,1965. 318 p. il.
DORFLES, Gillo. A moda da moda. Lisboa : Edições 70, 1984. 121 p. (Arte e
Comunicação, 40)
ECO, Umberto, SIGURTA, Renato, LIVOLSI, Marino. Psicologia do vestir. 3. ed. Lisboa
: Assirio e Alvim, 1989. 87 p. (Arte e Produção, 1).
ECO, Umberto. Viagem na irrealidade cotidiana. 9. ed. Rio de Janeiro :
N.Fronteira,1984. 353 p. Por.
FLUGEL, J. C. A psicologia das roupas. São Paulo : Mestre Jou, 1966. 240 p. il.
GOMBRICH, E. H. A história da arte. 16. Ed. Rio de Janeiro : LTC, 1999. 688 p. il.
JANSON, Horst Woldemar. Historia da arte. 4 ed. Lisboa : Fundação Calouste
Gulbenkian, 1989. 824 p.
KOHLER, Card. História do vestuário. São Paulo : Martins Fontes, 1996. 564 p. il.
LAVER, James. A roupa e a moda : uma historia concisa. São Paulo : Companhia das
Letras, 1996. 285 p. il.
LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero : a moda e seu destino nas sociedades
modernas. São Paulo : Companhia das Letras, 1989. 294 p.
LURIE, Alison. A linguagem das roupas. Rio de Janeiro : Rocco, 1997. 286 p.
MEDEIROS, Joao Bosco. Redação cientifica : a pratica de fichamentos, resumos,
resenhas. 3. ed. Sao Paulo : Atlas, 1997. 231 p.

81
NOVAES, Adauto (org.). O olhar. São Paulo : Companhia das Letras,1999. 495 p.
RACINET, Albert. Enciclopédia histórica do traje. Lisboa : Replicação, 1994. 320 p. il.
SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho cientifico. 21. ed. São Paulo:
Cortez, 2000.279 p.
SEELING, Charlotte. Moda : o século dos estilistas 1900 - 1999. [S.l.]: Konemann,1999.
655 p.
SENAC. DN. A moda no século XX. Rio de Janeiro : Senac DN, 2000. 117 p.
SILVA, Ignacio Assis (org.). Corpo e sentido : a escuta do sensível. São Paulo :
UNESP,1996. 282 p. il. (Seminários e Debates)
OLIVEIRA, Ana Claudia de; LANDOWSKI, Eric. Do inteligível ao sensível : em torno
da obra de Algirdas Julien Greimas. São Paulo : Educ, 1995. 269 p.
OLIVEIRA, Ana Claudia de. Vitrinas : acidentes estéticos na cotidianidade. São Paulo :
Educ, 1997. 181 p. il.

82
 DISCIPLINA:TÉCNICAS DE ESTAMPARIA
CH: 120

 DOCENTE: Lúcio Magalhães


PERÍODO: 6º
 EMENTÁRIO: Conceito e características de estamparia. Tipologia de
estamparia. Técnicas de estamparia. Etapas do processo de criação de
estampas. Criação de estampas para coleção. Escalas de cores, tintas e
pigmentos.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BURNETT, Sarah. Passion for colour : designer kinitting with natural dyes. London :
Conran Octopus,1990. 160 p. il.
DWORECKI, Silvio. Em busca do traço perdido. São Paulo : Scipione, 1998. 222 p. il.
GREAT t-shirt graphics 2. Massachusetts : Rockport Publishers, 1995. 160 p. il.
GREAT t-shirt graphics 3 Massachusetts : Rockport Publishers, 1997. 160 p. il.
PASTOUREAU, Michel. O pano do diabo : uma história das listras e dos tecidos
listrados. Rio de Janeiro : J. Zahar, 1993. 150 p.
VILLAS-BOAS, André. O que é e o que nunca foi design gráfico. Rio de Janeiro :
2A,1997. 72 p. (Design).
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
AFRICAN notion 8 : rhythm 2 – applique design from the kingdom of Kuba. Tokio : AIM,1990. 54 p. il.
(Africa Nation).
AMES, Frank. The Kashsmir shawl and its indo-french influence. Woodbridge :
Antique Collector`s Club, 1988. 347p. il.
BALLO, Guido; BIAGI, Enzo; BREDA, Gianni et al. Missonologia : the world of Missoni. Milan :
Electa,1995. 161 p. il.
BARNARD, Malcolm. Fashion as communication. London : Routledge,1996. 186 p.
BAYARD, Marie-Noelle. Les Brodeurs : un metier d'art. Paris : Syros-Alternatives,1992.
118 p. il.
BROUGHTON, Kate. Textile dyeing : the step-by-step guide and showcase. Rockport :
Rockport,1995. 144 p. il.
CAMPBELL, Joy. Start-a-craft batik : get started in a new craft with easy-to-follow
projetcts for beginners. London : Nwe Burlington Books, 1994. 48 p. il.
COLCHESTER, Chloe. The new textiles : trends + traditions. London : Thames and
Hudson ,1991. 192 p. il.
DAMASE, Jacques. Sonia Delaunay : fashion and fabrics. New York : H.N. Abrams,
1991. 176 p. il.
DUPONT AUBERVILLE, M. Classic textile design. London : Braken Books, 1989. 1v il.
European textile patterns : traditional style 1. Kyoto : Kyoto Shoin,1989. 1 v. il. (The best in international
textile design).
FEDER, Ruven; GLASMAN, J. M. Le clothing label book. Paris : Yocar Feder,1991.
179 p. il. Ing, Fra.

83
FLUGEL, J. C. A psicologia das roupas. São Paulo : Mestre Jou, 1966. 240 p. il.
FUKUI, Sadako. Japanese indigo design : the collection of Sadako Fukui. Kyoto : Kyoto Shoin, 1991. 111
p. il.
HOLLANDER, Anne. O Sexo e as roupas : a evolução do traje moderno. Rio de Janeiro :
Rocco, 1996. 260 p. il. (Gênero Plural).
IVINSKI, Pamela A. (ed.). Designers handbook of t-shirt promotions : winning designs from print
magazine s national design competition. New York : RC Publications, 1997. 140 p. il
Japanese style : textile dyeing patterns 2. Kyoto : Kyoto Shoin, 1989. 124 p. il.
KNELLER, George F. Arte e ciência da criatividade. 13. ed. São Paulo : IBRASA,
1997. 121 p.
LEMOS, Celina. Batik : a técnica para tingir tecidos com formas e figuras. Rio de
Janeiro : Ediouro, 1979. 54 p.
NONOMURA, Akira. Positive design for fashion creators : flower 1. Kyoto : Kyoto Shoin,1993. 101 p. il.
Paisley e Sarasa. Kyoto : Kyoto Shoin,1991. 80 p. il. (World Textile Collections, 8).
PARROT, Nicole. Dessins d'imprimes : une aventure dans le tissu. Paris : Syros, 1997. 142 p. il.
PRAKASH, K. Mix and match : trends and traditions. Bombay: 1993. 127 p. il.
PRAKASH, K. Madhubani. Bombay : The Design Point, 1994. 56 p. il.
PRAKASH, K. Traditional indian motif s : for weaving and textile printing. Bombaim : The Design Point,
1995. 42 p. il.
PRAKASH, K. Expressions : ethnic indian textile designs. Bombaim : Honesty Subscription Agency, 1992.
144 p. il.
RYUUNAKA, S. Modernism : finest designs in modern style. Osaka : KAIGAI, 1986. 139 p. il.
SCHIFFER, Nancy N. Hawaiian shirt designs. Atglen : Schiffer, 1997. 192 p. il.
STYLE BOOK SPORTS AND YOUNG FASHION. Düsseldorf : Branchie e Business,
2000. Semestral.
TAYLOR, Carol. The great t-shirt book : make your own spectacular, one-of-a-kind designs. New York :
S. Lark,1992. 112 p. il.
The scottish clans and their tartans : with ninety-six color plates. Nova Jersey : Chartwell Books,1992.
204 p. il.
WELLS, Kate. Tenido y estampacion de tejidos. Barcelona : Acanto, 1998. 192 p.

PERIÓDICOS
BIG MAGAZINE. Nova York : Big Magazine, 1999. Mensal.
FASHION TRENDS THE STYLING BOOK. Düsseldorf : Branchie e Business, 2000.
Semestral.
VIEW ON COLOR. Paris : United Publishers, 1999 . Semestral.
VIEW POINT. Amsterdam : Viewpoint, 1999 . Semestral

84
 DISCIPLINA:PESQUISA MERCADOLÓGICA APLICADA À MODA
 CH: 80

 DOCENTE: Daniel Alves Maciel PERÍODO: 6º


 EMENTÁRIO: Ciclo de vida do produto. Ciclo da moda. Cronograma têxtil:
matéria-prima bureaux, criadores, tinturaria, tecelagem, confecção,
mercado nacional e internacional. Consumidor. Pesquisa mercadológica:
tipos de pesquisa (consumidor, revendedor, fabricante), planejamento de
pesquisa, coleta de dados, amostragem, interpretação de dados.
Dimensionamento e segmentação de mercado. O comportamento do
consumidor (grupos de referência. O processo de skimmig). Revisão de
vendas. Canais de distribuição. Franchising
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
Gonçalves,Rogério Nogueira,Marketing Têxtil, cirando vantagens competitivas em
mercados turbulentos.Rio de Janeiro , SENAI/CETIQT, 2000.215p

85
 DISCIPLINA: VITRINA – VISUAL E MERCHANDISING
CH: 80

 DOCENTE: João Caixeta


PERÍODO: 6º
 EMENTÁRIO: Conceito, Histórico e Finalidades, Composição, Cores,
Planejamento, Pesquisa, Elementos Decorativos, Elementos Promocionais,
Iluminação, Criatividade, Projeto, Tendências, Referências Bibliográficas.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
DEMETRESCO, Sylvia. Vitrina. Teu nome é sedução. Editora Pancron.2001
OLIVEIRA, Ana Cheia. Vitrinas. Acidentes estéticos na cotidianidade. Editora Educ
PASSOS, Hélio de Oliveira. Lojas e vitrinas.
Vitrina – arte ou técnica : manual prático – arnato, Constantino Patrick – 2000
Vitrina – construção de encenações – Demetresco Sylvia – 2001
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
Visual merchandising – the business of merchandise resentation –Colborne, Robert 1996
Visual merchandising and display – Peguer Martin M. 1995

86
7º PERÍODO

 DISCIPLINA:PRODUÇÃO DE MODA
CH: 120

 DOCENTE: A DEFINIR PERÍODO: 7º


 EMENTÁRIO: Composição da equipe de produção de moda. Composição e
combinação de peças. Elaboração e produção de desfiles e eventos. Crítica
e dinâmica da produção de moda. Integração de acessórios.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ARIES, Phillippe, CHARTIER, Roger (org.). História da vida privada : da Renascença
ao século das luzes. São Paulo : Companhia das Letras, 1997. 637 p.
DUBY, George, BARTHELEMY, Dominique, RONCIERE, Charles (org.). História da
vida privada 2 : da Europa feudal a Renascença. São Paulo : Companhia das Letras, 1997.
638 p.
PENN, Iving. Issey Myake. New York : New York Graphic Society Book, 1988. 46 p.
PERROT, Michelle, HUNT, Lynn, HALL, Catherine (org.). História da vida privada :
da revolução francesa a primeira guerra. São Paulo : Companhia das Letras, 1997. 637 p.
ROMIO, Eda. Os estilistas do século 20. São Paulo : ER Projetos Editoriais, 1997. 104 p.
SEELING, Charlotte. Moda : o século dos estilistas 1900 - 1999. [S.l.]: Konemann, 1999.
655 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ARNOLD, A. L. Mode grafik : ein lehrbuch zum selbsts-studium. 2 ed. Frankfurt :
A.Fachbuch, 1980. 128 p.
BARNES, Colin. Fashion illustration. London : Macdonald, 1988. 160 p.
BAUDOT, François. Elsa Schiaparelli. London : Thomas and Hudson, 1997. 79 p.).
BAUDOT, François. Christian Lacroix. Paris : Assouline, 1996. 80 p.
BAUDOT, François. London : Thames and Hudson, 1997. 80 p.
BERGE, Pierre. Yves Saint Laurent. Paris : Assouline, 1996. 79 p.
BRIVIO, Serena. Man's fashion. London : Brivio Textile Books, 1995. 175 p. il.
CHENOUNE, Farid. Jean Paul Gaultier. London : Thames and Hudson, 1996. 80 p
CHARLES-ROUX, Edmond. Chanel and her world. London : Vendome, 1981. 256 p.
CULLERTON, Brenda. Geoffrey Beene. New York : Harry N. Abrams, 1995. 143 p.
DIAMONSTEIN, Barbaralee. Fashion : the inside story. New York : Rizzoli, 1985. 204 p.
ECOLE SUPERIEURE DES ARTS ET TECHNIQUES DE LA MODE. Méthode de
dessin fashion drawing method. Paris : ESMOD Edition, 1995. 142 p.
ENGELMEIER, Peter W.; ENGELMEIER, Regine. Fashion in film. Munich : Prestel,
1997. 249 p.
FAAP. Consulado Geral da Franca em São Paulo. PIERRE CARDIN, PASSADO
PRESENTE FUTURO, 1994, São Paulo. Pierre Cardin : passado, presente, futuro. São
Paulo, 1994)

87
FARRELY, Liz . Wear me : fashion graphics interaction. London ; Booth-Clibborn,1995.
1v. il.
GAN, Stephen. Visionaires fashion 2000 : designers at the turn of the millenium.
London : Laurence King, 2000.
GIROUG, Françoise. Dior : Christian Dior 1905-1957. London : Thames and Hudson,
1987. 325 p.
KRELL, Gene. Vivienne Westwood. London : Thames and Hudson, 1997. 80 p.
KUMAGAI, Kojiro. Fashion illustrations 2 : expressing textures. Tokyo : Graphic-sha,
1988. 125 p. il.
KUMAGAI, Kojiro. Sketching and drawing. Tokyo : Graphic-sha, 1990. 119 p. il.
MARTIN, Richard. Gianni Versace. New York : The Metropolitan Museum of the Art,
1998. 189 p.
MARTINELLI, Nino G. Studio del figurino : tecnica del disegno per il figurino di moda-
metodo professionale. Milano : Fernando Burgo,1994. 239 p. il.
MAURIES, Patrick. Christian Lacroix : the diary of a collection. London : Thames and
Hudson, 1996. 182 p.
MILBANK, Caroline Rennolds. Couture : the great designers. New York : Stewart,
Tabori Chang, 1985. 432 p.
McDOWELL, Colin. Galliano. New York : Rizzoli, 1998. 200 p. il. Ing.
GUILLAUME, Valerie. Courreges. Paris : Assouline, 1998. 80 p.
GUILLAUME, Valerie. Jacques Fath. Paris : Paris-Musees, 1993. 200 p
PUCCI, Emílio. Biennale di Firenze : looking at fashion. Itália : Skira, 1996. 198 p.
POCHNA, Marie-France. Nina Ricci. Paris : Du Regard, 1992. 247 p.
RYKIEL, Sonia. Collection terminee collection interminable. Paris : Flammarion, 1993.
79 p.
SAKMAR, Eva Marie. Fashion ilustration techiniques : workbook 2 : drawing the head.
Cincinnati : North Light Books,1987. 49 p.
SCHUIZ, Regime; SEIDEL, Matthias. Egypt : the word of the pharaohs. Koln :
Konemann, 1998. 538 p.
SISCHY, Ingrid. Donna Karan : New York. São Paulo : Cosac Naify, 1999. 80 p.
STEELE, Valerie. Women of fashion : twentieth-century designers. New York : Rizzoli,
1991. 224 p.
SUDJIC, Deyan. Rei Kawakubo and come des garcons. London : Fourth Estate,1990. 160
p.
The scottish clans and their tartans : with ninety-six color plates. Nova Jersey :
Chartwell Books,1992. 204 p. il.
TIERNEY, Tom. Poiret fashion design : paper dolls in full color. New York : Dover,
1985. 16 p.
RYUUNAKA, S. Modernism : finest designs in modern style. Osaka : KAIGAI,1986.
139 p.
ROMIO, Eda. Os estilistas do século 20. São Paulo : ER Projetos Editoriais, 1997. 104 p.
YANAGISAWA, Motoko. Fashion look : design and illustration collection. Tokyo :
Graphic-Sha,1992. 127 p. il
PERIÓDICOS
COLLECTIONS. Japão : European Distribuition, 1999. Semestral.
COLLEZIONI DONNA. Itália : Zanfi, 1989. Quadrimestral.

88
CREATIONS LINGERIE. Paris : Groupe Creations, 1998.
DIVA MODA INTIMA. Barcelona : Ediciones F e B, 1999. Semestral.
DONNA. Itália : Rusconi Editori, 1983. Mensal.
ELLE BRASIL. São Paulo : Abril, 1997. Mensal.
ELLE. Paris : Hachette Filipacchi Associés, 1999 . Semanal.
HARPER'S BAZAAR. New York : Heart Corporation, 1999. Mensal.
HOLA. Barcelona : Hola S/A, 2000. Semestral.
LINEA INTIMA. Milano : Pisani, 1979. Mensal.
MODA LINEA MAGLIA. Itália : Studio Sabatini, 1999. Trimestral.
SCHMUCK MAGAZIN. Ulm : s.n., 1999.
SPORT-SCHECK. , 2000- . Semestral.
SPORTSWEAR INTERNATIONAL. Nova York : Direkta, 1999. Bimestral.
SPORT STREET COLLEZIONI. Itália : Zanfi, 1999. Quadrimestral.
TEXTILE REPORT JEUNES CREATEURS. França : SLC, 1999. Semestral.
THE FACE. Londres : Wagadon, 2000. Mensal.

89
 DISCIPLINA: TÓPICOS ESPECIAIS APLICADOS À MODA
CH: 40

 DOCENTE: João Caixeta


PERÍODO: 7º
 EMENTÁRIO: Têm por objetivo possibilitar ao curso manter-se atualizado ao
longo do tempo, adequando-o ao dinamismo do trabalho e das mudanças da
sociedade, permitindo aos acadêmicos conhecer as novas tecnologias e suas
implicações na área da moda.
 BIBLIOGRAFIA:
A Bibliografia será indicada de acordo com o assunto que será abordado.O assunto será
sempre uma atualidade.

90
 DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO TRABALHO FINAL DE
GRADUAÇÃO CH: 120

 DOCENTE: Maria do Carmo N. C. Branco


PERÍODO: 7º
 EMENTÁRIO: Desenvolvimento de projetos nas áreas de workshop, desfile,
exposição fotográfica e feira de moda.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ANDRADE, Maria Margarida de. Como preparar trabalhos para cursos de pós-
graduação: noções práticas. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1999. 144 p.
DEMO, Pedro. Metodologia científica em Ciências Sociais. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1995.
293 p.
ECO, Umberto. Como se faz uma tese. 15. Ed. São Paulo : Perspectiva,1999. (Estudos,
85)
FAZENDA, Ivani (org.). Metodologia da pesquisa educacional. 6.ed. São Paulo :
Cortez, 2000. 174 p.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho
cientifico : procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações
e trabalhos científicos. 4. ed. São Paulo : Atlas, 1992. 214 p.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia cientifica. 2. ed.
São Paulo : Atlas, 1991. 249 p.
SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho cientifico. 21. ed. São Paulo :
Cortez, 2000. 279 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa :
planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração,
análise e interpretação de dados. 3. ed São Paulo : Atlas, 1996. 231 p.

91
 DISCIPLINA:GESTÃO FINANCEIRA DE MODA
CH: 40

 DOCENTE: Antônio Eduardo dos Santos


PERÍODO: 7º
 EMENTÁRIO: Fluxograma do processo produtivo. Corte. Preparação.
Costura. Organização industrial, máquinas e equipamentos. Capacidade de
produção. Cronograma do processo industrial. Planejamento da produção:
projeção de capacidade e recursos necessários. Ficha técnica do produto:
operações, consumo de tecidos e aviamentos. Grade de cores e tamanhos.
Organização industrial: risco, encaixe, enfesto e corte para tecidos planos,
padronizados e estampados. Corte: planejamento de risco e corte;
procedimento na sala de corte; controle de desperdício. Custos:
composição geral dos custos; cálculo do custo do tecido, aviamentos,
embalagens, mão-de-obra direta-indireta, desenvolvimento de projeto para
a implantação de confecções; conceitos e controle de qualidade; plotagem;
otimização da produção.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
AAKER, David A. Marcas : brand equity gerenciando o valor da marca. São Paulo :
Negocio Editora 1998. 309 p.
BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Lisboa : Edições 70, 1995. 213 p.
KOTLER, Philip. Principios de marketing . Rio de Janeiro : LTC, 527 p.
ROCHA, Angela da; CHRISTENSEM, Carl. Marketing : teoria e pratica no Brasil. Sao
Paulo : Atlas, 1999. 284 p.
TAVARES, Mauro Calixta. A força da marca : como construir e manter marcas fortes.
São Paulo : Ed. Harbra, 1998. 220 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo : Martins Fontes,
1997. 236 p.
LANDOWSKI, Eric. A sociedade refletida : ensaios de sociossemiotica. São Paulo :
Educ/Pontes, 1992. 213 p.

92
8º PERÍODO

 DISCIPLINA:ESTÁGIO SUPERVISIONADO
CH: 200

 DOCENTE: Maria de Lourdes C. Nogueira


PERÍODO: 8º
 EMENTÁRIO: Aplicação dos conhecimentos de disciplinas cursadas com
orientação e supervisão de professores e coordenação do curso em
empresas parceiras.
 BIBLIOGRAFIA:
Manual do estagiário utilizado pela Faculdade

93
 DISCIPLINA: ÉTICA E TRABALHO CH: 40

 DOCENTE: Sandro David


PERÍODO: 8º
 EMENTÁRIO: Conceitos básicos. O comportamento profissional como
comportamento ético. A função do profissional de moda.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
AMOEDO, Sebastião. Ética do Trabalho: na era pós –qualidade.Rio de Janeiro:
Qualitymark, 1997.107p.
DEJOURS,Christophe.Fator Humano.Tradução.Maria Irene S.Betilo.2.ed.Rio de
JANEIRO: Ed, FGV,1999.101p
SAVATER, Fernando. Ética para meu filho. São Paulo : Martins Fontes, 2000. 176 p.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
TOFFLER,Bárbara Ley. Ética no Trabalho.Tradução Márcia Castilho Costa Salida. São
Paulo: Makron, C1993.268p.

94
 DISCIPLINA:TRABALHO E GRADUAÇÃO DE MODA
CH: 80

 DOCENTE: A DEFINIR
PERÍODO: 8º
 EMENTÁRIO: Elaboração de projeto. Execução de projeto. Apresentação
do resultado do trabalho.
 BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
RAFFEL, Friedhelm. Floral collagen 3. Munster : Donau Verlag, 1997. 143 p.
THE CREATIVE black book 1991 : print photography, illustration, film and video. New
York : Creative Black Book, 1991. 841 p.
TAMBINI, Michael. O design do século. 2.ed. São Paulo : Atica, 1999. 288 p.
PERIÓDICOS
BIG MAGAZINE. Nova York : Big Magazine, 1999. Mensal.
FASHION TRENDS THE STYLING BOOK. Düsseldorf : Branchie e Business, 2000.
Semestral.
VIEW ON COLOR. Paris : United Publishers, 1999 . Semestral.
VIEW POINT. Amsterdam : Viewpoint, 1999 . Semestral
STYLE BOOK SPORTS AND YOUNG FASHION. Düsseldorf : Branchie e Business,
2000. Semestral.

95
DISCIPLINAS ELETIVAS

 DISCIPLINA: LEGISLAÇÃO EMPRESARIAL


CH: 40

 DOCENTE:
 EMENTÁRIO:
 BIBLIOGRAFIA:

 DISCIPLINA:INFORMÁTICA APLICADA À GESTÃO DE


NEGÓCIOS DE MODA
CH:40

 DOCENTE:
 EMENTÁRIO:
 BIBLIOGRAFIA:

 DISCIPLINA:PRODUÇÃO DE EVENTOS
CH: 40

 DOCENTE:
 EMENTÁRIO:
 BIBLIOGRAFIA:

 DISCIPLINA:FIGURINO
CH: 40

 DOCENTE:
 EMENTÁRIO:
 BIBLIOGRAFIA:

96
 DISCIPLINA:CONSULTORIA DE MODA
CH: 40

 DOCENTE:
 EMENTÁRIO:
 BIBLIOGRAFIA:

O total geral da Carga Horária é de: 3200 horas

97
ANEXOS

TERMO DE
COMPROMISSO E
CURRÍCULOS

98