Sei sulla pagina 1di 4

Redes sem fio

A evolução da computação móvel tem obrigado as empresas a procurarem alternativas aos

tradicionais meios para transmissão de dados.

O uso de rádio para interligar redes locais (LANs) ou regionais (WANs) ganha mais espaço à

medida que a tecnologia oferece mais recursos, onde um dos principais resultados tem sido a maior utilização das soluções wireless. Com esta tecnologia, é possível ter computadores móveis na empresa,

permitindo a interação com a rede corporativa, em qualquer lugar, dentro da área de cobertura.

A partir da introdução da comunicação wireless no mercado, a popularidade desta tecnologia de

transmissão de dados sem fio vem crescendo dinamicamente. Por meio das wireless LANs os recursos de informática serão utilizados com mais flexibilidade, pois os usuários não precisarão estar conectados a rede por meio de um cabo. Esta tecnologia é, sem sombra de dúvida, a saída para os problemas de

comunicação ocasionados por fios.

Arquitetura de uma lan sem fio

Como os serviços PCS sem fio provêem serviços conceitualmente similares aos das redes móveis celulares, basicamente deve ser gerenciado o perfil pessoal de serviço e o suporte a mobilidade de terminal. Para se obter estas habilidades, o número do assinante deve ser definido como um número lógico (número pessoal de telecomunicação) independente da estrutura da rede de transporte. Ainda, a rede deve ter a capacidade de :

1. Verificar informação de classe de serviço do usuário chamado;

2. Obter informação de localização;

3. Interpretar a informação de roteamento e rotear a chamada.

usuário chamado; 2. Obter informação de localização; 3. Interpretar a informação de roteamento e rotear a

Wireless LANs

De uma maneira geral, wireless é o termo aplicado aos dispositivos de informática envolvidos em uma LAN (rede local) sem fio. Freqüentemente as empresas enfrentam dificuldades técnicas ao tentarem

instalar suas redes de comunicação de dados via cabo. É o caso, por exemplo, de instalações nas quais há uma rua separando os edifícios ou de empresas e agências bancárias onde o layout dos computadores podem variar de tempos em tempos. Os sistemas de computação sem fio representam o próximo passo lógico na evolução dos sistemas de computação e na sua relação com o usuário. A comunicação sem fio vem se tornando cada vez mais comum e acessível nos últimos anos. Seguindo essa tendência, as wireless LANs consolidaram-se como uma boa opção de rede local onde haja necessidade de mobilidade dos pontos da rede e/ou existem dificuldades de cabeamento.

O usuário pode acessar os recursos do sistema como servidores e impressoras a qualquer tempo,

bastando estar localizado dentro dos limites de uma infra-estrutura de comunicação sem fio. Muitos sistemas de comunicação fazem a transmissão dos dados utilizando fios (como par trançado, cabo coaxial ou fibra óptica). As wireless, entretanto, transmitem os dados pelo ar, não utilizando qualquer tipo de cabo como meio físico. Na realidade, o ar ou espaço livre constitui-se de um meio natural para a propagação de sinais eletromagnéticos, provendo uma interconexão completa e permitindo uma grande flexibilidade na localização das estações. As implementações wireless LAN podem complementar o cabeamento tradicional. Usadas em combinação com LANs cabeadas, passam a ser uma solução bastante interessante para as organizações, pois desta forma os pontos que necessitam de mobilidade são conectados à rede pelo meio wireless e as estações fixas são ligadas à rede via cabo. A rede wireless suporta os principais tipos de protocolos em frames Ethernet IEEE-802-3 (TCP/IP, IPX, NetBEUI). As redes sem fio têm o mesmo propósito que uma rede cabeada: dispor informações a todos os dispositivos ligados à rede. As wireless se potencializam com o uso de computadores portáveis. Uma conexão sem fio permite que eles continuem sendo portáteis sem sacrificar as vantagens de estar conectado a uma rede. Basicamente, o tipo de tecnologia de transmissão empregada com mais freqüência na construção de redes locais sem fio é a Spread Spectrum, que será descrita a seguir.

SPREAD SPECTRUM

É a tecnologia de transmissão mais utilizada em aplicações de comunicação wireless LANs, devido ao fato de ser menos sensível a interferências do meio que as outras tecnologias. Este tipo de transmissão é capaz de superar os problemas de interferências.

A transmissão com tecnologia Spread Spectrum atravessa obstáculos com mais facilidade do que

sistemas de microondas, por utilizar freqüências menores, portanto mais fáceis de ultrapassar barreiras como paredes. A função fundamental dos sistemas Spread Spectrum é aumentar o bandwidth (largura de banda passante) para que possa levar a informação ao canal desejado. Existem dois tipos principais de técnicas de Spread Spectrum: a Frequency Hopping Spread Spectrum (FHSS) e a Direct Sequence Spread Spectrum (DSSS). A tecnologia de Telefonia Móvel Celular (TMC) pode ser utilizada como meio de propagação de um Wan, conformando, assim, um tipo de Spread Spectrum. Uma célula de telefonia móvel contém diversos canais (freqüências), onde um ou mais podem ser reservados para a comunicação de dados e compartilhados entre diversos usuários. Obviamente devem ser utilizados os protocolos adequados, capazes de estabelecer a comunicação e gerenciar a conexão (tempo, controle de erros, etc) entre a rede e os usuários, e que protejam a rede de conexões indevidas

Componentes de uma rede sem fio

Serão descritos a seguir os equipamentos básicos que compõem uma wireless LAN. Access Point Intermec - Este equipamento tem como função ser um ponto de acesso a uma LAN.

É através dele que os equipamentos que possuem uma placa de rede sem fio se comunicam com a LAN.

A Universal Access Point 2100 é um equipamento de alta performance para redes sem fio

desenvolvido para operar em ambiente industrial.

A configuração básica destes equipamentos consiste em acessar sua memória FLASH através de

uma conexão serial e realizar configurações como o seu endereço IP na rede, quantas máquinas a acessarão e fluxo de informações. Estes equipamentos podem operar em FHSS (open air em 2,4 GHz a 1,6 Mbps), que têm um alcance de até 150 m de raio em ambiente fechado e 300 m de raio em área

aberta.

Outra opção de rádio é o padrão IEEE 802.11b High Rate DSSS, cujo alcance e velocidade estão exemplificados nas tabelas a seguir.

e velocidade estão exemplificados nas tabelas a seguir. Placa de Rede Range LAN2 7100 ISA -

Placa de Rede Range LAN2 7100 ISA - Este equipamento consiste em uma placa de rede padrão ISA sem fio trabalhando no padrão open air, tem como função fazer a conexão entre um computador e a Access Point. Sua configuração é simples: basta fazer a instalação de seu software e configurar o computador para acessar a rede.

seu software e configurar o computador para acessar a rede. Wireless LAN - Aplicações No ambiente

Wireless LAN - Aplicações

No ambiente industrial existe uma grande interferência eletromagnética gerada pelos equipamentos que a compõem. Para aplicações que envolvem apontamento de mão-de-obra, coleta de dados, controle de produção entre outras, se faz necessário acesso a rede corporativa da empresa no chão de fábrica. Porém o uso de cabos TP (par trançado) para a conexão física desta rede é inviável, uma vez que este não é imune a tal interferência. Uma solução para tal problema é a utilização da fibra óptica, porém a implementação desta pode ser problemática quando há a necessidade de instalá-la em uma linha de produção em operação, devido a dificuldade de passar os cabos, furar paredes, etc., sem falar que esta solução tem um custo elevado. Utilizando a tecnologia wireless LAN tem-se uma solução prática e ao mesmo tempo economicamente viável para o problema. Basta instalar as Access Points em locais previamente definidos para que a área em questão esteja totalmente coberta, e configurar os computadores que executarão tais aplicações para acessarem esta rede que o sistema estará pronto para operar.

Telefonia Celular

A área de é dividida em células de tamanho limitado que são cobertas por uma estação-base,

ligada às outras estações-base através da rede de comunicação normal, com fios. As estações-móveis são os telefones que comunicam-se com a estação-base que ofereça melhor qualidade de comunicação. Quando uma estação-móvel sai da área de cobertura de uma estação-base ( roaming ) e passa para outra, isto é feito automaticamente pelo sistema ( handoff ) e uma central de chaveamento integrada ao sistema é alertada para permitir que a estação-base correta seja acionada para contactar a estação-móvel.

Analógica

Existem vários padrões, desenvolvidos em vários países. O padrão adotado no brasil é o AMPS ( advanced mobile phone system ), desenvolvido pela BELL nos anos 70 e instalado a partir de 1982.

Digital

Nesse sistema o sinal de voz é digitalmente codificado e comprimido para permitir a existência de mais canais. Num mesmo canal este sistema pode oferecer até três canais de voz.

Telefonia global

A telefonia global é uma extensão do conceito da telefonia celular, com abrangência mundial. Isto

pode ser conseguido por meio de uma rede de satélites fazendo o papel de estações-base gerenciando as

células na superfície. Esta solução e muito complexa por vários fatores.