Sei sulla pagina 1di 3

Disciplinas de Humanistica

sociologia

A sociologia enquadra-se no âmbito das ciências sociais. Como ciência social, a


sociologia diz respeito ao estudo da vida social humana, dos grupos e das sociedades. É
um desafio fascinante e ao mesmo tempo difícil, uma vez que o seu objecto de estudo se
centra no próprio comportamento dos sujeitos enquanto seres sociais. O campo de acção
da sociologia é muito abrangente, pois compreende a análise de encontros entre
indivíduos na rua, conversações entre pessoas, estudo de grupos, de organizações e de
comunidades e investigação de processos sociais globais.

Sendo a sociologia uma ciência dos comportamentos sociais não deixa, por isso
mesmo, de ser uma ciência do humano, pois tudo o que é social é humano, e tudo o que
é humano é social. É neste sentido que me interesso pela sociologia, enquanto ciência
que estuda a vida humana naquilo que ela tem de social.

Se antigamente se atribuía a origem de certos males sociais a entidades


espirituais ou a entidades metafísicas, hoje, pela mão da sociologia, temos
conhecimento de que os factos sociais se explicam pelos próprios factos sociais. São
exemplo disto as formas de amor, namoro e casamento, a saúde e a doença, o crime e o
castigo, o trabalho e o lazer, o individualismo e a solidariedade, a guerra e a paz, o amor
e o ódio, etc.

Todos estes processos sociais têm em comum um mecanismo: a comunicação.


De facto, a comunicação é o processo social básico da vida em colectividade; sem ela o
ser humano não poderia viver, pelo menos com os outros. Pela comunicação os
indivíduos conseguem viver em grupos, em comunidades, em organizações e em
sociedades mais vastas. Desta forma, estudar a comunicação mais não é do que estudar
as formas de relacionamento humano em sociedade.

Por isso, atribuo especial atenção à sociologia da comunicação, como ramo da


sociologia que se preocupa com as diferentes configurações de interacção humana, quer
elas digam respeito às formas comunicacionais especificamente humanas, quer digam
respeito àquelas que se servem de meios de comunicação e de informação para
entendimento dos actores sociais.
Psicoterapia

Sabe-se actualmente que parte do sofrimento humano radica nas formas de


relacionamento do indivíduo com os outros e do indivíduo com ele mesmo. Este
sofrimento diz por vezes respeito a aspectos cognitivos, afectivos e emocionais, tanto da
esfera pessoal como da esfera social. Por diferentes razões, nem sempre o ser humano
consegue ultrapassar sozinho as suas próprias dificuldades, projectando-se estas
frequentemente no campo interaccional, ou seja, no campo comunicacional.

Constituindo o campo interaccional o meio social no qual se move o indivíduo,


este tanto pode ser facilitador como constituir um bloqueio ao seu desenvolvimento
integral. De acordo com os pressupostos de Carl Rogers, o ser humano tem em si
próprio as potencialidades para se desenvolver e fazer desenvolver, mas nem sempre as
condições ambientais são facilitadoras desse desenvolvimento.

Quando assim é, surgem as patologias como indicadores do sofrimento e do


bloqueio ao desenvolvimento humano. Como resposta a esta situação, a Psicoterapia
Centrada na Pessoa, desenvolvida por Rogers, propõe a comunicação autêntica como
solução fundamental para estes problemas. A comunicação é, assim, o centro dos
problemas, mas é também a terapia para os mesmos.

A comunicação situa-se no campo da psicoterapia a dois níveis: patológico e


terapêutico. Como a comunicação é também o processo social básico da vida em
sociedade, encontramos aqui uma ponte entre psicoterapia e sociologia. Eis o desafio
que constitui para mim trabalhar nestes dois campos da acção humana.

Antropologia

Etimologicamente, a antropologia é a ciência que estuda o homem ou a humanidade em


geral. De há dois séculos até á actualidade, esta palavra tem tomado sentidos diferentes
e aplica-se a realidades diversas. Antes do século XIX, incidia sobretudo na unicidade e
na especificidade do homem em relação aos outros animais (o Tratado de Antropologia
de Kant é não mais do que um tratado de psicologia humana). Por meados do século
XIX, certos sábios insistem , pelo contrário, no carácter natural da espécie humana e
sobre as suas diferenciações físicas e psíquicas. Após diversas evoluções de conteúdo e
de sentido do termo "antropologia", conforme as escolas e por vezes conforme os
autores, é possível distinguir alguns domínios mais importantes estudados por esta
disciplina "polivalente"

A antropologia física estuda o homem fóssil ou actual nas suas características


anatómicas, fisiológicas e raciais, tanto do ponto de vista da sua evolução zoológica
como das suas diferenciações geográficas. Engloba dimensões muito variadas que vão
da paleontologia humana à antropologia psicobiológica dos grupos actuais.

A antropologia social aplica-se sobretudo à observação das técnicas, usos, costumes,


crenças, regras de conduta e de comportamento de um determinado grupo social.
A antropologia filosófica é uma disciplina filosófica, extensa e não muito definida, que
procura conferir ao estudo filosófico do homem e do lugar que este ocupa no mundo
uma base científica, coordenando a filosofia com a biologia e com a psicologia.

Psicologia