Sei sulla pagina 1di 8

PCMAT

PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA


INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL

CONJUNTO RESIDENCIAL:

MARÇO/ 03
RESPONSÁVEIS PELA ELABORAÇÀO DO PCMAT:

CREA

RESPONSÁVEL PELA OBRA:

CREA

OBS.: O procedimento realizado no primeiro bloco é o mesmo a


ser realizado nos blocos restantes.

1
1 - IDENTIFICAÇÃO

1.1 – D.M.O. ENGª E EMPREENDIMENTOS COMERCIAIS E IMOBILIÁRIOS


LTDA.

Av.: XXXXXXXX, nº 1X, cjto 4X, 0º Andar - Jardim xxxxxxo - São Paulo

CEP: 01 xxx - 001 fone: (011) xxxxx / x – fone/fax: (xxxxxxxxx

C.G.C.: x
Responsável Técnico: Engenheiro XXXXXXXXXXXXXXXX
XXXXXXXXXXXXXXXXXX

2 - DESCRIÇÃO DA OBRA

A empresa acima citada tem por finalidade construir prédios em condomínio


fechado denominado Conjunto Residencial xxxxx, sito à Av. xxxxxxxx nº3.xxx - Bairro do
xxxxx – Jundiaí – SP.
A obra consiste na construção de 26 (vinte e seis) prédios residenciais de quatro
pavimentos e 32 (trinta e dois) apartamentos cada, envolvendo todo o processo de infra-
estrutura e urbanização para o conjunto residencial, totalizando uma área de 128.272,96
metros quadrados destinados à área já construída e para a realização de todo o processo
restante da obra.

As etapas da obra realizadas e previstas consistem em:

- Terraplanagem;
- Execução de Rede de Água e Esgoto;
- Canteiro de Obras;
- Gabaritos;
- Perfuração de Estacas;
- Concretagem das Estacas;
- Viga Baldrame;
- Embasamento e Impermeabilização;
- Alvenaria Estrutural;
- Forma de Laje e Rampa (madeira);
- Armação de Laje e Rampa (aço);

2
- Concretagem de Laje e Rampa;
- Nivelamento e Acabamento de Laje;
- Distribuição Hidráulica;
- Distribuição Elétrica;
- Emboço para Azulejo;
- Esquadria Metálica;
- Guarda Corpo;
- Azulejo;
- Piso Cerâmico;
- Revestimento de Gesso;
- Cobertura do Telhado;
- Revestimento de Fachada;
- Enfiação;
- Colocação das Portas;
- Bancada de Mármore;
- Pintura Interior;
- Pintura Externa;
- Louças e Metais;
- Colocação de Vidros;
- Limpeza Geral;
- Para Raios;
- Plantio de Grama Batatais;
- Pavimentação;
- Rede Elétrica.

3 - LOCALIZAÇÃO E CROQUIS

3
4 - CRONOGRAMA PREVISTO DAS ETAPAS DA OBRA

Conforme anexo 1

( adicionar conforme estabelecido pela engenharia e incorporação)

5 - ÁREAS DE VIVÊNCIA (?)


O número de operários que trabalham para a construtora (item 1) é em torno de 94
pessoas, sendo que, 2 destes ficam alojados no canteiro de obras.

( alojamentos, sanitários, lazer, conveniências sociais e etc...)

RECOMENDAÇÕES PARA AS ÁREAS DE VIVÊNCIA

5.1 - Instalações Sanitárias:


Recomendamos que para manter em condições de higiene e a limpeza das instalações
sanitárias, seja necessário lavar os vasos, mictórios e lavatórios duas vezes por dia.

5.2 - Vestiário:
Instalar junto as paredes do vestiário bancos de madeira para atender os usuários, e manter
a porta fechada com chave só abrindo antes do início e término da jornada de trabalho.

6 - PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA

6.1 - ESTABELECER MEDIDAS DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS DE ARMAÇÃO


DE AÇO.

1 - A dobragem e o corte de vergalhões de aço em obras devem ser feitas sobre bancadas
ou plataformas apropriadas e estáveis;
2 - Nas operações de manuseio e dobramento de vergalhões da aço é obrigatório o uso de
luvas de raspa de couro e óculos de segurança;
4 - Durante a descarga de vergalhões de aço, a área deve ser isolada;

6.2 - ESTABELECER MEDIDAS DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS DE


ALVENARIA E FECHAMENTOS.

1 - Após o término da jornada de trabalho, deve ser feito o asseio corporal com água em
abundância e posterior troca de roupa, devido o contato com cimento;
4
2 - É necessário precaver-se quanto a queda de materiais, durante o levantamento de
paredes, ou da execução de acabamentos;
3 - Não é permitida a improvisação de andaimes (caixotes de madeira) para a execução de
arremates de paredes de alvenaria, os andaimes de madeira devem ser confeccionados
somente por carpinteiros;

6.3 - ESTABELECER MEDIDAS DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS COM


MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS.

1 - A operação com máquinas e equipamentos que exponham o operador ou terceiros a


risco só pode ser feito por trabalhador qualificado e treinado, como: policorte, serra
circular, solda e demais máquinas e equipamentos que exponham o operador a riscos de
acidentes;
2 - Devem ser protegidas todas as partes móveis dos motores, transmissões e partes
perigosas;
3 - Junto a bancada da máquina ou equipamento devem ser mantidos os equipamentos de
proteção individual indispensáveis a sua operação;
4 - Toda máquina e equipamento deve estar localizada em ambiente com iluminação
natural e/ou artificial adequada à atividade.

6.4 - ESTABELECER MEDIDAS DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS COM


FERRAMENTAS.

1 - As ferramentas devem ser apropriadas ao uso a que se destinam, proibindo-se o


emprego das defeituosas, danificadas ou improvisadas;
2 - As ferramentas devem ser portadas em caixas, sacolas, bolsas ou cintos apropriados,
sendo proibido seu porte em bolsos ou locais inapropriados;
3 - As ferramentas elétricas devem estar devidamente aterradas.

6.5 - ESTABELECER MEDIDAS DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS COM


ANDAIMES.

1 - O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, deve ser


realizado por profissional legalmente habilitado;

2 - Os andaimes devem ser, diariamente, inspecionados quanto às exigências de segurança


pertinentes;
3 - Devem ser tomadas precauções especiais, quando da montagem, desmontagem,
movimentação e execução de trabalhos, em andaimes próximos às redes elétricas;
4 - Na confecção de andaime é proibido o uso de madeira que não seja de boa qualidade e
que apresente emendas, rachaduras ou, defeitos que comprometam a sua resistência;
5 - Não será permitido trabalho em andaime com estabilidade e/ou rigidez comprometidas
que coloquem em risco a segurança dos operários;

5
6 - É proibido o deslocamento de andaimes com trabalhadores sobre o mesmo devido o
risco de tombamento;
7 - O ponto de instalação de qualquer aparelho de içar materiais, deve ser escolhido de
modo a não comprometer a estabilidade e segurança do andaime.

6.6 - ESTABELECER MEDIDAS DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS DE


INSTALAÇÕES ELÉTRICAS.

1 - Todas as instalações elétricas nos canteiros devem ser executadas e montadas por
pessoal habilitado e treinado;
2 - Somente podem ser realizados serviços nas instalações quando o circuito elétrico não
estiver energizado;
3 - É proibido a existência de partes vivas expostas dos circuitos e equipamentos elétricos;
4 - É proibido a instalação de chaves ou disjuntores em banheiros;
5 - As extensões de máquinas e equipamentos portáteis, iluminação de emergência, só
poderão ser feitos com cabo de dupla isolação e sem emendas;
6- Em todos os ramais destinados à ligação de equipamentos elétricos devem ser
instalados disjuntores ou chaves magnéticas independente que possam ser acionados com
facilidade e segurança;
7 - Só pode ser ligadas máquinas ou equipamentos elétricos por intermédio de conjunto
plugue e tomada.

6.7 - ESTABELECER MEDIDAS DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS EM


TELHADOS.

1- Todo o serviço em telhado deve ser planejado com antecedência, verificando-se


prioritariamente os seguintes itens:
- situação de resistência do telhado;
- local para fixação dos suportes e moitões (trava-quedas);
- local de sinalização da área para içamento de e descida de materiais;
- trajeto, visando reduzir o máximo caminhadas sobre o telhado;
- instalações de cabo guia de aço para fixação do cinto de segurança;
- dispositivos que permitam a movimentação segura dos trabalhadores.

2 - As tábuas utilizadas para locomoção sobre telhados, devem ser de boa qualidade,
planas, isentas de nós, rachaduras ou defeitos que diminuam sua resistência, ser
sobrepostas em 0,20 cm. no mínimo, devendo a sobreposição coincidir com as terças;
3 - Os cabos guias devem ter suas extremidades fixadas à estrutura definitiva da edificação
por meio de suporte de aço inoxidável ou outro material de resistência e durabilidade
equivalente;
4 - É proibido o trabalho em telhado com chuva ou vento, bem como concentrar cargas
num mesmo local.

6
6.8 - ESTABELECER A SISTEMÁTICA PARA ORGANIZAÇÃO DA C.I.P.A. -
COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES.

1 - Após ser organizada a C.I.P.A. deve ser registrada na Delegacia Regional do Trabalho,
até dez dias após a eleição;
2 - Deve ser realizado, para todos os membros da C.I.P.A., curso de cipeiro com carga
mínima de 18 horas, e em um prazo máximo de trinta dias após a eleição;
3 - A C.I.P.A. deverá se reunir semanalmente e, em caráter extraordinário se ocorrer algum
acidente grave.

6.9 - ESTABELECER MEDIDAS DE SEGURANÇA COM IMPLANTAÇÃO DE


ORDENS DE SERVIÇO

1 - Implantar a todos os trabalhadores, inclusive de empreiteiras, as fichas de Ordens de


Serviço, conforme determina a NR-1 da Portaria 3214/78;
2 - Treinar e conscientizar todos os trabalhadores, inclusive de empreiteiras, dos riscos de
acidentes e doenças profissionais inerentes as suas atividades;
3 - Implantar reuniões “relâmpagos”, que serão realizadas diariamente dez minutos antes
do início dos trabalhos, sobre segurança do trabalho.
4-

7 - RISCOS DE ACIDENTES E DE DOENÇAS DO TRABALHO

RISCOS DE ACIDENTES MEDIDAS


ATIVIDADES E DOENÇAS DO PREVENTIVAS
TRABALHO EPI’s e EPC’s
Transporte de blocos na corte, contusão, umidade, Capacete, óculos de
construção de paredes poeira e lombalgia Segurança, luvas de raspa,
bota de borracha.
Acabamento corte, contusão, umidade, Capacete, avental, óculos de
poeira, queimadura química e Segurança, luvas e botas.
lombalgia
Operação com serra circular corte, contusão, ruído, poeira Capacete, óculos, protetor
e surdez auricular e máscara
Operação com policorte contusão, corte, ruído e surdez Capacete, óculos, protetor
auricular e máscara.
Serviços em estruturas / corte, contusão, queda e Capacete, sapatão, luvas,
telhados lombalgia cinto de segurança

7
ENGENHEIRO/ TÉCNICO
CREA Nº XXXXXXXX