Sei sulla pagina 1di 3

PAUTA

Retranca: Dificuldades encontradas pelos estudantes que têm aula no Centro


Pedagógico Paulo Freire
Repórter: Produtor:
Data: Hora:
Local:

// FONTES:
Prof. João de Deus Mendes, chefe do Departamento de Planejamento Acadêmico,
Pró-Reitoria de Ensino da UFMA;
Prof. Natalino Salgado Filho, Reitor da UFMA;
Estudantes que freqüentam aula no Paulo Freire.

//SUGESTÕES:
Contrapor os objetivos para os quais o prédio foi construído às falas dos
estudantes.
Fazer um pequeno resgate dos problemas de infra-estrutura enfrentados pela
UFMA nos últimos anos.

//SUBSÍDIOS:

Com 75% das obras concluídas, Paulo Freire recebe estudantes no primeiro
semestre letivo de 2011
A partir de 14 de março, cerca de 500 estudantes vão ocupar as primeiras das 33 salas
de aula do Centro Pedagógico, no Campus sede da UFMA

A conclusão da primeira etapa do Centro Pedagógico Paulo Freire está prevista


para 1º de março, data que antecede o início do semestre letivo 2011.1, marcado para 14
de março. Com 33 salas de aula, banheiros, áreas de circulação e salas de apoio
administrativo, a Asa Norte vai receber cerca de 500 estudantes de diversos cursos de
graduação da UFMA nos três turnos - matutino, vespertino e noturno. Com o intuito de
acompanhar o andamento das obras, o Reitor Natalino Salgado fez uma visita técnica às
obras na tarde desta segunda-feira, 24, para discutir a ocupação do prédio com a
administração superior da Universidade.

De acordo com o Reitor, o projeto pedagógico atende demandas históricas de cursos


como Teatro, Música, Artes e outros, que foram criados sem estrutura física e sem
equipamentos adequados a seu funcionamento. Além destes cursos, o crescimento da
pós-graduação na Universidade requer o uso de salas de aula dos centros acadêmicos
(CCH, CCBS, CCSo, etc.) enquanto as obras de seus prédios específicos não são
concluídas, diz referindo-se ao aumento de mais de 100% na oferta de cursos de
mestrado e doutorado pela UFMA. "Este crescimento não pode parar, mas é necessário
considerar o bem-estar dos estudantes, fator fundamental para o aprendizado", afirma.
Só no Centro de Ciências Exatas e Tecnologia (CCET), por exemplo, quatro novos
cursos de pós-graduação foram criados durante a gestão atual (mestrados acadêmicos
em Ciências da Computação, em Matemática, doutorado em Física e mestrado
profissional em Energia e Ambiente) e muitas salas de aula foram transformadas em
laboratórios de pesquisa. Por isso, os alunos devem, a partir de março, contar também
com a Asa Norte do Paulo Freire para assistirem às aulas. Mais de 75% da construção
do Centro já foi concluída.

Em fase de acabamento, a Asa Sul, o auditório e a entrada central do prédio devem ser
concluídos até maio de 2011.

Obras

Para evitar o acesso dos estudantes às obras em andamento, a Asa Norte vai ser isolada
integralmente. Isso para evitar o risco de acidentes e não comprometer o andamento das
aulas. Seguindo o padrão de qualidade proposto pelo projeto arquitetônico - que lembra
uma águia quando visto de cima - toda a parte elétrica e hidráulica já foi instalada e está
pronta para ser usada. Além disso, até 1º de março o acesso à internet móvel e fixa vai
ser possível, garante o diretor do Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), Nélio
Guilhon. Entretanto, para assegurar o cumprimento dos prazos, visitas técnicas
acompanhadas de laudos contendo informações sobre o avanço na construção do Centro
Pedagógico devem ser realizadas semanalmente. “Isso reflete a nossa responsabilidade
com o compromisso assumido”, enfatiza Natalino Salgado.

Saiba + (*publicado em 23 de junho de 2010*)

O prédio é formado por um conjunto de quatro pavimentos sobrepostos, com áreas


livres internas: são 60 salas de aula distribuídas em três pavimentos, com capacidade
para 65 alunos em cada sala, sendo que, em cada andar, duas unidades serão unificadas
para servir de miniauditório, todas com pontos de internet e data show; áreas de
vivência; auditório com capacidade para 500
pessoas; e toda a estrutura de apoio com salas para diretório acadêmico, fotocopiadoras,
livraria, agência bancária, sala de orientação e tutoria pedagógica em todos os
pavimentos, e espaços para o gerenciamento e administração do prédio: secretaria,
arquivos e almoxarifado.

Com entrada única, controle de acesso através de catracas e de diversas saídas de


emergência, atendendo as exigências do Corpo de Bombeiros, a implantação do projeto
foi cuidadosamente planejada, permitindo uma localização privilegiada dentro do
Campus do Bacanga, com a proposta de uma via central de acesso para pedestres do tipo
“boulevard” (em português, bulevar é um termo que designa uma via de acesso
elegantemente larga, dividida nos dois sentidos).

Outros aspectos que podem ser destacados no projeto proposto são o


atendimento dos critérios e exigências para acessibilidade de Portadores de
Necessidades Especiais - PNE, com a previsão de uma rampa central de acesso aos
pavimentos, banheiros adaptados, pisos táteis e sinalização em braile.

O Centro Pedagógico Paulo Freire está sendo edificado entre o Colégio


Universitário (Colun) e a quadra do Núcleo de Esporte, e pode ser visto da Avenida dos
Portugueses, via principal de acesso à Universidade.

Fonte: ASCOM/UFMA

//POSSÍVEIS PERGUNTAS:
Professores:
1. O Paulo Freire foi construído para suprir a falta salas de aula de outros
centros. Não teria sido mais prático, para os estudantes, ampliar os centros?
2. Não seria igualmente mais proveitoso inaugurar o novo prédio apenas quando
ele já contasse com outros serviços, como as salas de xérox?

Estudantes:
1. Como tem sido a rotina das aulas no Paulo Freire? O novo prédio é melhor
que os antigos?
2. O que você acredita que deveria ser feito para melhorar a infra-estrutura dos
cursos?

//IMAGENS/SONORA:
Imagens dos estudantes na ala inaugurada.
Imagens da ala em construção.
Sonora com João de Deus e Natalino Salgado.
Sonoras com dois ou três estudantes.