Sei sulla pagina 1di 21

Ecoturismo & Turismo de Aventura do Brasil

PLANO DE COMUNICAÇÃO

Manual de Composição Fotográfica

Índice

Introdução

03

Importância das fotos

04

Pessoas

05

Paisagens

08

Equipamentos

11

Iluminação

14

Enquadramento

17

Introdução

Este manual serve para orientar a seleção, a produção e a composição fotográfica das imagens que devem ser utilizadas para comunicar a marca Ecoturismo e Turismo de Aventura do Brasil.

Ele ajudará você a escolher as melhores imagens, tanto para o site de sua empresa, quanto para outras mídias, como folhetos, banners, flyers

e anúncios de revistas e de jornais.

Não há regras restritas a seguir. Apenas diretrizes que buscam ajudar os profissionais do setor a obter uma comunicação mais atraente para

o

público que se deseja alcançar. Se cada um cuidar de sua imagem,

a

identidade visual de todo o segmento ganhará em força, vitalidade

e

presença de mercado.

03
03

A importância das fotos

Uma foto deve ser mais do que bonita. Deve concentrar um mundo de sensações e inspirações que nem sempre as palavras conseguem traduzir. Quantas pessoas não são instigadas a conhecer um lugar simplesmente porque se encantaram com uma imagem que viram dele?

É aí que você entra. Uma foto bem feita, alinhada com a marca do segmento que queremos sedimentar, pode ajudar a atrair o público de uma maneira muito mais poderosa do que você imagina. Para isso, há uma série de técnicas relativamente simples de serem aplicadas. Acredite: um sorriso, um horizonte largo ou uma luz calorosa podem fazer toda a diferença.

Nas páginas seguintes, algumas dicas que ajudarão você a compor as melhores imagens.

04
04
Pessoas
Pessoas

Pessoas - Utilize

Fotografias compostas por figuras humanas devem ter:

– Sorrisos. Aventura é diversão, e isto deve estar estampado na cara das pessoas.

– Gente de todas as idades. Adultos, idosos, casais, jovens e crianças:

todos podem aparecer na foto, sem distinção.

– Espontaneidade e naturalidade. Prefira imagens autênticas, não posadas ou artificiais.

– Grupos heterogêneos. Imagens de famílias e grupos de amigos traduzem o senso de companheirismo que está por trás dessas atividades.

06
06
Imagens de famílias e grupos de amigos traduzem o senso de companheirismo que está por trás

Pessoas - Evite

Cenas como estas não traduzem nossa essência e dificultam nossa mensagem:

– Grupos homogêneos, sobretudo quando são formados apenas por jovens. Eles podem dar a ideia de que falamos para um público limitado.

– Pessoas totalmente de costas. O cliente dificilmente se identifica com o retratado.

– Indivíduos em fotos posadas. Elas dão a sensação de artificialidade

e fingimento, o que nos afasta da espontaneidade que queremos transmitir.

– Expressões faciais que demonstrem medo, insegurança ou desconforto.

– Imagens que transmitam a sensação de superação física ou esforço em demasia.

07
07
insegurança ou desconforto. – Imagens que transmitam a sensação de superação física ou esforço em demasia.
Paisagens
Paisagens

Paisagens - Utilize

Se a beleza do cenário natural é um dos atributos do destino, procure ressaltá-la ao máximo. Acompanhe as dicas:

– Busque a interatividade. Valorize a interação das pessoas com o lugar.

– Procure transmitir uma sensação de bem-estar, seja no conforto das instalações, seja na harmonia da paisagem.

09
09
– Procure transmitir uma sensação de bem-estar, seja no conforto das instalações, seja na harmonia da

Paisagens - Evite

Precariedade, dificuldade de acesso e solidão dificilmente atraem nosso público. Veja o que fazer para escapar disso numa foto:

– Fuja das imagens estáticas que lembrem sedentarismo ou falta de interação.

– Paisagens vazias com figuras distantes e solitárias.

– Cenários associados a situações de risco devem ser evitados.

10
10
vazias com figuras distantes e solitárias. – Cenários associados a situações de risco devem ser evitados.
Equipamentos
Equipamentos

Equipamentos - Utilize

Equipamentos de segurança são essenciais para a prática de atividades em nosso segmento. Contudo, nas fotos, eles devem aparecer do seguinte modo:

– Apresente os equipamentos como coadjuvantes, nunca como protagonistas.

– Mostre-os de forma moderada e sutil. Lembre-se de que o foco é transmitir prazer e diversão de forma segura e confortável.

– As pessoas retratadas devem sempre utilizar o equipamento de segurança quando a atividade o exige.

12
12
e confortável. – As pessoas retratadas devem sempre utilizar o equipamento de segurança quando a atividade

Equipamentos - Evite

Se dermos ênfase aos equipamentos, vamos enfatizar o risco da atividade e não o prazer que ela proporciona. Por isso:

– Não tente demonstrar a eficácia dos equipamentos, usando imagens que dêem impressão de situações de risco.

– Não fotografe apenas o equipamento. Deve sempre haver pessoas usando-o em situações de naturalidade durante a prática da atividade.

13
13
o equipamento. Deve sempre haver pessoas usando-o em situações de naturalidade durante a prática da atividade.
Iluminação
Iluminação

Iluminação - Utilize

Uma das formas de valorizar a paisagem brasileira, nosso lugar de trabalho, é ressaltando suas cores. Para isto, tenha em mente:

– Prefira a luz natural ao invés de uma iluminação artificial.

– Explore uma luz quente e acolhedora. A da manhã e a do fim de tarde são ideais para se obter esse efeito.

15
15
– Explore uma luz quente e acolhedora. A da manhã e a do fim de tarde

Iluminação - Evite

Devemos evitar cores e luzes que não traduzam a essência do Ecoturismo e Turismo de Aventura do Brasil.

– Cores frias não traduzem nosso clima nem nosso estado de espírito.

– Uma luz muito forte, como a do meio-dia, traz consigo uma dramatização que foge da linha de comunicação do segmento.

– Evite imagens lavadas, ou seja, sem contraste. Para isso, procure não fazer fotos em dias nublados ou chuvosos.

16
16
– Evite imagens lavadas, ou seja, sem contraste. Para isso, procure não fazer fotos em dias
Enquadramento
Enquadramento

Enquadramento - Utilize

Na hora de enquadrar a foto, escolha entre imagens abertas ou fechadas. As abertas estimulam os sentidos mostrando a amplitude de horizontes. As fechadas, os detalhes singulares que encontraremos no caminho. O meio-termo, por sua vez, dificilmente provoca emoções muito destacadas. Algumas dicas:

– Prefira enquadramentos horizontais. Eles captam melhor a amplitude e a riqueza da paisagem.

– Mostre o contexto. As particularidades de cada lugar podem e devem ser admiradas pelo nosso público.

18
18
da paisagem. – Mostre o contexto. As particularidades de cada lugar podem e devem ser admiradas

Enquadramento - Evite

Para evitar equívocos em relação à mensagem que se quer transmitir, leve em consideração os seguintes pontos:

– Não exagere no detalhe. Evite enquadramentos em que o assunto fique descaracterizado ou mesmo irreconhecível.

– Não tente captar muitas informações em uma mesma composição. Isto costuma confundir o espectador. Seja claro no recado.

– Evite fazer com o que o lugar se pareça a tantos outros. Ressalte justamente aquilo que ele tem de diferente.

19
19
– Evite fazer com o que o lugar se pareça a tantos outros. Ressalte justamente aquilo
Créditos
Créditos

Créditos

República Federativa do Brasil

Luiz Inácio Lula da Silva

Presidente da República

Ministério do Turismo

Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho

Ministro de Estado do Turismo

Carlos Alberto da Silva

Secretário Nacional de Políticas de Turismo

Marcio Nascimento

Diretor de Promoção e Marketing Nacional

Jurema Camargo Monteiro

Coordenadora Geral de Eventos e Apoio à Comercialização

Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura - ABETA

DIRETORIA Jean-Claude Marc Razel

Presidente

Daniel Blum Spinelli

Vice-presidente

Patrick Daniel Muller

Diretor Técnico

Gelderson dos Anjos Pinheiro

Diretor de Capacitação

Israel Henrique Waligora

Diretor Socioambiental

Eduardo Folley Coelho

Diretor de Marketing

EQUIPE EXECUTIVA Gustavo Fraga Timo Cibele Moulin Clóvis Arruda Lúcia Gurgel

SEISHIN CONSULTORIA E ARTICULAÇÃO DE ALIANÇAS Fabíola Arantes Seo

Planejamento, Branding e Coordenação do projeto

Guilherme Sebastiany

Branding e Design

Marianne Costa e Mariana Madureira

Diagnóstico e pesquisa

Giovani Castelucci e Eder Santos

Design

Renato Inácio

Design e animação

Xavier Bartaburu

Redação

COLABORAÇÃO ESTRATÉGICA Vivian Cunha Vinicius Romanini

www.abeta.com.br

Design e animação Xavier Bartaburu Redação COLABORAÇÃO ESTRATÉGICA Vivian Cunha Vinicius Romanini www.abeta.com.br
Design e animação Xavier Bartaburu Redação COLABORAÇÃO ESTRATÉGICA Vivian Cunha Vinicius Romanini www.abeta.com.br