Sei sulla pagina 1di 34
RESERVE DESDE JA, NO SEU JORNALEI- RO, O PROXIMO NUMERO DE projetos faceis, jogos, utilidades, passatem! } 5 3 Vol.5 pos, curiosidades, dicas, informagées... NA LINGUAGEM QUE VOCE ENTENDE! SINTETIZADOR| DE CANTO BeDE PASSAROS tar a sua colegdo de DIVIRTASE COM A ELETRONICA, peca os nimeros atrazados, pelo reembolso pos: tal, a BARTOLO FIT- TIPALDI — EDITOR ~ Rua Santa Virginia, 403 — Tatuapé — ‘CEP 03084 — Sio Paulo — SP. JOGO DA TROMBADINHA cr$15000 EXPEDIENT E Editor ¢ Diretor BARTOLO FITTIPALDI Digetor Técnico e Produtor BEDA MARQUES Programagio Visual, Artes ¢ Fotos BEDA MARQUES e ZAMBRINI Fotolltos Procor ReprodugGes Ltd. Reviséo Iara Rosa de Azevedo Impressfo CCentraisImpressoras Brasileras Ltda Publicdade Pedro Fittipaldi e Micky Yafiez Fones O11) 217-2257 e O11) 229.3196 Distribulpdo Nacional Abril $/A ~ Cultural e Indasteiat DIVIRTASE COM A ELETRONICA NPI N9.005030 Rag. no DCDP sob n0 2284 P.209/73 Copyright by BARTOLO FITTIPALDI ~ EDITOR Rua Santa Virgia, 403 — Tatuapé CEP 03084 ~ So Paulo ~ SP é x : ine Repro OFS Lid Z = i & ‘TODOS 0S DIREITOS RESERVADOS NESTE NUMERO ~ Convers com o Hovbysa. 2 CPREAMPLIFICADOR PARRA Ni” CROFONE™. a ~SCeMMRADOR Pai OSC DE DIRECAD (Ca). . SIMPLES FISCA-PISCA (Seni ‘ode Brnquedo) 1“ ~SINTETIZADOR De CANTO DE PASSAROS 20 =CONTROLE’ RisioT0" FOTO! ELETRICO . = ACIONADOR izo'TO “ATROMBADINIA (Un Joa dei talade e Refexos, com ets Sonorose Vsuas) 3 = CORREIO ELETRONICO 2148 C{ESPECIAL) aMatemdice ai” Uaiea Lol de On eotincla =. 52 ~{(DICA) Como "Tareas un Sotior Fegan Sloe = BIE) st rate a S{DICA) Orne avn “Sucata ‘Aconalsone sss Feramentas 61 = Gata nena ‘Niimeros atrasados de DIVIRTASE COM A ELETRONICA devem ser pedidos diretamente a BARTOLO FITTIPALDI — EDITOR — Rua Santa. Virginia, 403 — Tatuapé CEP 03084 — Sio Paulo ~ SP Prego da Gitima diego em banca, mais despesas de postagem. pelo reembolso postal CONVERSA COM 0 HOBBYSTA Queremos agradecer a grande quantidade de cartas recebidas de professor cstudantes, amadores, hobbystas, principiantes, “veteranos” ¢ amantes em do Fascinante Mundo da Eletronica. Pedimos desculpas se as respostas (na CORREIO ELETRONICO) demorarem um pouco. E que sfo tantas as cartas cortemos 0 tisco de “roubar” espaco na paginagio destinado a projetos ou art Ge interesse direto do hobbysta, assim, a8 cartas sf0 respondidas pela ordem chegada e dentro das limitagGes de espago. ‘Voltamos a afirmar que, embora procuremos desenvolver todos os projetos di DIVIRTA-SE COM A ELETRONICA baseados em componentes de fécil aquisig#0 podem ocorrer eventuais faltas no mercado. Assim, é conveniente repo 20 "38 mandamento do hobbysta” (volume 1 ~ pig. 60), que diz “— Nfo ‘compra do material necessério a um projeto, sem antes certificarse que tod fs pegas podem ser adquiridas e que no hi “figurinhas diffceis” ov caras demai para o seu bolso...”. Infelizmente, em algumas regides do nosso pais, ainda € dificil obterse simples resistor (0 que se diti de um Circuito Integrado...?). Entretanto, bo riimero de fornecedores especializados das grandes capitas jé estfo operando sistema de reembolso postal, para a venda direta de componentes. Isso pode ajud ‘o hobbysta que resida em pontos afastados. Quanto aos pedidos de assinaturas € de fomecimento direto de componentesy kits et., pela propria revista, para 0 momento ainda nfo podemos atender. Entre tanto, garantimos que todas essas sugestOes estdo sendo estudadas com © maior carinho. Enquanto isso, divirtam.se com os projetos do presente volume e, até 0 proximo, nimero! EDITOR F proibida a reprodugto do total ou de parte do texto, artes ou fotos deste volume, tem come a industrializagio ou comercializagio dos projetos nele contides, Todos os projetos foram montador em laboratério, apresentando desempenbo satisfatério, mas 0 Editor nfo se responsabili pelo mau foncionamento, ou nfo funcionamento de qual fuer dele, advindos de impericia ou erro nas montagens por parte dos leitores, Bem come devido a fothas na tolerincin de componentes avulsos utilizados nas smontagens. Pré-Amplificador para Microfone E comum que o amador de eletrénica que gosta de lidar com “som tente adap- tar um microfone comum, desses de baixo prego, usado em gravadores “cassette” 2 entrada de um aplificador de poténcia, ou & um tape-deck ow ainda a um receiver ¢ no obtenha 0 desempenho esperado. O som sai baixo e abafado, sem brilho, mes- smo com o Yolume do amplificador “a todo vapor”. Isso se deve a dois fatores (am- 'bos advindos do “baixo custo” do microfone): primeito a dificuldade do casamento vdaimpedancia do microfone (geralmente muito baixa — quase sempre na casa dos 20082) com a impedincia da entrada do amplificador (normalmente bem mais alta); segundo que a sada fornecida por esse tipo de microfone é sempre muito baixa, in- suficiente mesmo, as vezes, para excitar corretamente os estdgios de entrada do am- plifieador ou tapedeck Existem duas solugdes para esse problema. Ou adquire-se um microfone especial, de alta saida ¢ alta impedincia (essa solugdo & relativamente cara...) ou intercala-e tum préamplificador entre © microfone © o amplificador, com a dupla fungio de “eforgar™ a safda do microfone e de “‘casar” melhor sua impedncia com a entrada do amplificador (essa solugdo é mais barata). © PRE-AMPLIFICADOR descrito no presente capitulo executa essas fungdes com eficigneia e 0 seu custo final ¢ inferior ao de wm microfone especial, sendo pois compensadora a sua construedo, Outras aplicagdes para o PRE-AMPLIFICADOR se- do sugeridas ao final. ‘A montagem nao é dificil, devido & simplicidade e ao reduzido niimero de com- ponentes. Isso € possivel gracasao uso de tm Circuito Integrado extremamente ver- sitil, eujo nome “de familia” & Amplificador Operacional. A titulo de informagto, © Circuito Integrado usado na presente montagem substitu nada mesmo do que vin- te transistores, onze resistores e um capacitor e todos esses trintae dois componen tes estdo realmente dentro da minisculo cépsula do Integrado, gragas a maravilia da micro-eletrOnicel LISTA DE PEGAS Um Circuito Integrado uA741 — em encapsulamento plistico “dual-incline” (Es se Integrado pode ser eventualmente forecido com os prefixos NE ou LM no Iu: 3 PINAGEM. VISTA POR CIMA gar de WA, mas sempre com a numeracto 741). ‘Umresistor de 10K x 1/4 de watt. Dois capacitores — de qualquer tipo ~ de .1uF. ‘Um potenciémetro de 100K — linear. ‘Uma chave deslizante — tipo HH — dois polos x duas posigoes. Dois conetores universais ~ tamanho pequeno ~ fémea. Duas baterias de 9 volts (das “quadradinhas”) com os respe: Uma placa padrio de Circuito Impresso, do tipo destinado a insergo de apenas um Circuito Integrado, MATERIAIS DIVERSOS Fio fino e solda para as ligagbes. Um pedago de fio “‘shieldado” (blindado), para as ligagdes de “entrada” * da’ Um “knob” (botdo) para o potenciometro, [Uma caixa plistica pequena, para abrigar a montagem (VEJA TEXTO). MONTAGEM ‘Antes de tudo, é importante familirizarse com a “cara” do Circuito Integrado, bbem como a sua pinagem. Para tanto, consulte o desenho 1. Notar que o Integrado presenta oito pinos, cuje numeragSo é lida no sentido “antichordrio” (contritio ao movimento dos ponteiros num reldgio), a partir da extremidade que contém um chanfro ou um ponto (ou ainda ambos). Muita atengdo a esse aspecto pois, embora ‘0 741 nfo seja muito delicado (elétricamente falando) 0 PRE-AMPLIFICADOR cer- ‘tamente ndo funcionard seo Integredo for ligadd ao citcuito de forma incorreta. ‘Ainda antes de se iniciar a montagem propriamente, & aconselhivel preparar a caixa, abrindo- os furos para a passagem do eixo do potenciOmetro, para os cone- tores de “entrada” ¢ “saida”, para a chave “liga-deslga” e para os parafusos de fixa- fo da plaquinha de Circuito Impresso. Como a aparéncia final do PRE-AMPLIFI- CADOR € muito flexivel, deixamos a critério do montador a confeogio da caixa, sem darmos uma sugestio especifica a respeito (Se tiveralguma dificuldade na con- eogfo da caixa, consulte o apéndice publicado ao fim dos volumes 1 ¢ 2 de DIVIR- TA‘SE COM A ELETRONICA). O chapeado da montagem esté no desenho 2. Siga-o com o méximo de cuidado. Muita atengG0 & correta posigfo do Circuito Integrado na plaquinha de Circuito Impresso. Os niimeros de 1 a 8 marcados junto aos furos dos lados superior e infe- rior da placa podem ser mareados a lapis (pelo lado nfo cobreado, que &0 visto no ddesenho) ¢ referemse ditetamente & pinagem do Integrado. Servem como “s para evitar erros nas lgagbes. Cuidado também com as inter-conexdes entre asd Daterias, © interuptore 0s fis que vdo do interruptor e da bateria a placa. Q quer erro na polaridade acarretard, no minimo o nfo funcionamento do Citcuito ‘no maximo, a inutilizapdo do Integrado, Outro ponto importante a se considerar é ‘que se rofere as ligagdes de “entrada” e “aia”, que dovem ser to curtas q Possive, evitando-s conexoes multo longas entre as placa e os plugs universal sea, Cuidado para ndo inverter a igagbes da “malha”e do condutor interno do “shieldado”, pois isso introduziré zumbido no PRE-AMPLIFICADOR. Siga tudo corretamente, conferindo todas as ligagBes ao final e s6 enti tudo na caina, na disposigfo que for conveniente. NHo se esqueya que quanto fora caixa, mais curtasserfo as ligagSes,favorecendo 0 desempenho do circuito, dlemos passar agora a0 teste inicial do projeto. eee PRE-AMPLIFICANDO Ligue o conetor universal-macho existente no cabo do microfone & “entrads PRE-AMPLIFICADOR. Utilizando um cabo conveniente, tendo numa das exte dades um conetor-universal macho, © na outra um conetor competivel com a ent da do amplifcador, nterligue a “sada” do PRE a referida entrada do amplificad (essa entrada do amplificador) pode estar identificada com os seguintes dizeres: “entrada auxiliar", “entrada de alto nivel”, “entrada para tape-deck”, “entrada pas ra sintonizador”, “tuner”, etc). Ligue o amplificador ¢ coloque o seu potenciéme- tro de volume em posigto média, Ligue entfo 0 interruptor do PRE fale junto 20 rmicrofone, atuando, a0 mesmo tempo, no seu potenciémetto, at obter-s? o nivel de duaio desejado nas csixas acisticas. O circuto do PRE-AMPLIFICADOR esté di: ‘mensionado para proporcionar um ganho de voltagem de até 10, ou seja: com 0 po tenciémetro na sua posiggo mixima, o circuito multipica por um fator 10 os pous 00s milivolts de saida normais do microfone. Vocé sentir uma grande diferetiga no nas de 1,5 volts cada, com o respectivo suporte) com o seu conetor. — Um interruptor “de pressio” (push-bottom) — tipo normalmente aberto. — Um pedago de barra de conetores parafusados, com sete segmentos (pode ser cortado facilmente da barra-padrfo, que apresenta doze segmentos). — Um “knob” (bot#o) compativel com a alavanca do potenciémietro deslizante. MATERIAIS DIVERSOS (Se for pretendido um acabamento e aspecto final semethante 20 prototipo — ilustrado no desenho de abertura — todos os materiais abaixo deverfo ser adqul- ridos). — Fio fino para as ligagBes. ~ Solda (apenas para as ligagBes do “push-botton”, potenciometro e Alto-Falants), — Cola de epoxy. — Parafusos 3/32 com porcas e arruclas para a fixagdo do circuito no interior da caixa, © do transformador e potenciémetio (eventualmente o potencidmetro ‘equererd parafusos de medidas diferentes — atengao, pois...). — Uma caixa plistica com medidas aproximadas de 12 x 24 x 10 cm. (No protd tipo foi utilizado um “baleiro”, adquirido em super-mercado, a baixo prego, com essas medidas.) — Uma pequena gsiola de brinquedo, com 0 “passarinho”, com base medindo 10 cm de didmetro. (A utilizada no protétipo foi adquirida numa loja de brinque- dos.) 2 z {eidiniotdiociotnintnineininintntddtocintnididtosinidtdctoinidal fntntntnnistsinininniciniioinininininnsiins — Tinta em spray, se for desejado um acabamento em cor diferente da original.da caixa. (Outros materiais ainda poderso ser utilizados, se 0 montador pretender variagdes, zo acabamento final do SINTETIZADOR). MONTAGEM £ importante consultar inicialmente 0 desenho 1. Nele so mostrados ~ a ‘esquerda — 0 aspecto, pinagem e simbolo, do transistor AC126 (bem como dos equivalentes citados na LISTA DE PECAS — AC128 e AC188); 0 “ponto” colorido pintado no corpo do componente indica o terminal C (coletor). Ao centro esté 0 capacitor eletrolitico em seu “aspecto” mais comum, juntamente com seu simbolo esquemético. Finalmente, a direita, vése o transformador de safda junto com seu simboto. Os niimeros de 1 a 5, marcados junto aos fios que saem do transformador (€ junto 20s terminais do seu simbolo) ndo estfo normalmente marcados na pega real e servem apenas para codificer os terminais em relago 4 nossa montagem, ‘como se verd mais adiante. [Nesse tipo de montagem, a confecego da calxa tem certa importancia. Oriente-se AO NEGATIVe DA BATERIA pela ilustragio de abertura 20 executar a furagdo da caixa plistica (O “apéndice” dos volumes 1 ¢ 2 de DIVIRTA-SE COM A ELETRONICA ensinam como fazéla om faviidade). A caixa (“baleiro™) ¢ usada “de cabega para baixo", com a tampa, servindo como fundo. No centro da parte superior da caixa, devem ser feitos virios furinhos (numa érea com diimetro geral de 10 cm), para a safda de som do alto falante. Imediatamente acima desse conjunto de furos, deve ser colada com epoxy a gaiola de brinquedo, cujo fundo deve ser previamente retirado para nao obstruit © som vindo do alto falante. Na “frente” da caixa, faca um furo & esquerda, que pemmita a passagem do “push botton” (interruptor de pressto). A direita, faga um. “rasgo” e mais 0s furos para os parafusos, que permitam a colocagao do potenci6- ‘metro deslizante. Para faclitar as coisas, antes da parte puramente eletrdnica do SINTETIZADOR ser executada, é recomendivel fixarse 0 alto falante, com a cola de epoxy (ou com pparafusos), pelo lado de dentro da caixa, bem abaixo dos furos de saida do som, Da mesma forma, interruptor de pressio e o potencidmetro devem ser fixados nos seus respectivos lugares. Além disso, também devem ser feitos previamente, na tampa da caixa (usada, na realidade, como “fundo”) para a passagem dos parafusos de fixagdo da barra de conetores que conterd o circuito propriamente, do transfor. mador e de uma pequena bracadeira para sustentar a bateria (ou correspondente conjunto de pilhas). Tudo preparado, passe ao desenho 2 (chapeado) e realize a montagem da parte ppuramente eletrOnica do “monstrinho”. Note que 2 grande maioria das ligagées (aquelas feitas na barra de conetores) séo simplesmente parafusedas, dispensando solda. Grande atengio é necessiria nessa fase da montagem. Os nimeros de 1 a 7 rmarcados nos segmentos da barra servem como referéncia para se evitar erros nas ligagdes diversas. Qualquer inversio impediré o funcionamento correto,do circuito. E preferivel perderse algum tempo realizando-se essa fase com grande cuidado (¢ conferindo tudo rigorosamente no fim), para evitar-se contratempos ao final. AS tinicas ligagdes que requerem solda s40 as do interruptor de pressio, potenciémetto ¢ alto falante. Faga-as também com cuidado, procurando realizar um bom contato elétrico em todas elas. Terminada toda a instalagdo, reconfira tudo ¢ feche a caixa. Pressione rapida- mente 0 interruptor de pressdo, com 0 potenciémetro estacionado em sua posigo, central. Se nada for ouvido no alto falante, ndo insisa; reabra a caixa e verifique tudo com euidado (inclusive a polaridade da bateria...). Se, entretanto, mesmo com. tum répido “toque” no interruptor, ouvir-se, alto e claro, um agradével trinado, que declinard lentamente mesmo apés vocé ter desativado o interruptor, entio 0 “bicho” estard vivo e saudavel, e vocé pode comegar a “‘passarinhat”, 24 ition tonto PASSARINHANDO Com um dedo da mio esquerda, dé toques curtos e répidos no interruptor de pressfo, variando & vontade o “ritmo” desses toques. Ao mesmo tempo, com a mio ireita, acione 0 potencidmetro deslizante, em movimentos amplos, Ientos ou rapidos, a critério do seu ouvido. Vooé verificard que, com o potenciémetro numa das suas extremidades, 0 som produzido seré o trinado bem répido de péssaros silvestres. Com 0 potenciémetro em set outro extremo, ouvirse- gritos como os ue as gaivotas dio & beira-mar. Nas diversas posigGes intermediérias do potencid- metro, 0 SINTETIZADOR imita uma multidao de péssaros! Com pequena pritica, © canto de um canério (surpreendentemente “real”!) pode ser conseguido, assim como os de pintasilgo, pintaroxo (nomezinho “feio” tem esse péssaro, hein?) ou outros péssaros conhecidos (e até de outros desconhecidos...). Com atuagdes répidas, cadenciadas ¢ simultineas do interruptor de pressto e do potenciémetro, podese imitar aquela profusio de cantos de aves diversas, que caracterizam aqueles filmes ambientados em plena selva. O efeito é realmente surpreendente! diagrama esquemético do SINTETIZADOR esté no desenho 3. Por conta e isco do experimentador mais avangado, poderdo ser realizadas algumas expe rigncias, variando-se 0 valor dos capacitadores ¢ resistores, tentando-se obter efeitos “diferentes”. ‘TRANSFORMADOR SAIDA, YOSHITANI = 5/16" tettntotnictcttotninitinitnittnntt ttt Finalmente, o fato do SINTETIZADOR 36 consumir energia durante o momento ‘em que o intcrruptor de presifo extd sendo pressionado, reflete em grande durabi- lidade das pilhas ou baterias. O som, apesar desse “baixo consumo”, apresenta boa intensidade (semelhante & de um péssaro “teal cantando”). Uma interessante carac- teristica do circuito é que, devido a0 grande valor do capacitor eletrolitico de “filtro e armazenamento” (aquele de 2.200uF), 0 “canto” néo morre imediata- mente apés 0 dedo do operador ser retirado do interruptor, mas decai lentamente, enfatizando a semelhanga com os trinados de pissaros “de verdade”.... Garantimos que vocé acabara se convencendo de que 6 falta a0 SINTETIZA- DOR umas belas penas, e 0 dom de voar... Cuidado se algum vizinho mais afoito for possuidor de uma dessas carabinas de pressio... ATENGAO: O LEITOR PARTICIPA! ‘A segdo DICAS PARA © HOBHYSTA esti permanentemente aberta a idéias,"macetes, {ques pequenos eiruitos e experiéncas enviados pelos leitores de DIVIRTA-SE COM A ELE- ‘TRONICA, desde que dentro do expiito das dics jé publicadas. A publicagdo-das iias envin- das pelos eitores,entretanto, estard condicionada a eritrios téenios ede espago determinados pela revista peca os numeros atrazados de DIVIRTA-SE COM A ELETRONICA pelo reembolso postal Controle Remoto Foto-Elétrico {A realizagio do projeto do CONTROLE REMOTO FOTO-ELETRICO poder = a principio — aparentar ser “um pouco complexa” para o hobbysta “‘calouro”. recomendamos aqueles que esto ainda se iniciando no Fantéstico Mundo da Eletrénica, que pratiquem um pouco, montando 0s projetos mais féceis (alguns de incrivel simplicidade) publicados nos mimeros anteriores (¢ mesmo no pre- sente) de DIVIRTA‘SE COM A ELETRONICA. A propésito, lembramas que exemplares atrasado: da revista jé podem ser solictados pelo reembolso (ver endereco no Expediente), antes de iniciarem a construgao do CONTROLE REMOTO. A “adverténcia” acima, contudo, ¢ dada apenas por precaulo... Embora 0 projeto necessite de uma quantidade de pegas um pouco superior & da média das montagens descritas, além de utilizar alguns componentes ainda ro mostrados 20 hobbysta nesta publicardo, se o amador se dispuser a seguir com atengéo ds instrugGes, seguramente conseguird éxito na montagem. E bem verdade que, além da parte puramente eletronica, 0 hobbysta deverd saber “se virar” com alguns pequenos problemas mecinicos, referentes as caixas, etc. do 27 CONTROLE REMOTO. A utilidade do dispositivo, entretanto, nos parece tanta que compensara “algumas pestanas queimadas” durante a sua construcH0.. Uma vez corretamente construido © instalado, 0 CONTROLE REMOTO permitiré que vocé, a distincia, ligue © desligue praticamente qualquer equips: mento eletro-doméstico, usando como “comando” o facho de luz de uma simples lanterna comum de pilhas (mesmo sob 2 luminosidade ambiente normal). Se vocé ‘nfo desejar usar uma lantemna para comandar 0 CONTROLE REMOTO, poderd construir 0 ACIONADOR REMOTO para 0 CONTROLE (cuja construgio ¢ deserita em seqUéncia). ‘A construgdo serd descrita em duas partes, entdo: primeiramente o CONTROLE REMOTO propriamente e em seguida o ACIONADOR REMOTO. Também as listas de peeas esto separadas, para nfo confundir aqueles que prefiram dispensar 2 construgdo do acionador, ¢ utilizar uma simples lanterna para o “comando”. eee LISTA DE PEGAS — Um circuito integrado C.MOS 4093. — Um transistor BC238 ou equivalente (pode ser utilizada a maioria dos transis- tores NPN, de sicio, para pequena ou média poténcia). — Dois LDRs (resistores Dependentes da Luz) de qualquer tipo. ietntininininttinininioinintntnintiitiintininiotintotit ininiotnintoidttotnintiiniinninininntinintiininnnsdy repmms DA ‘BOBIMA N™ — Um diodo 1N4001 ou equivalente (qualquer outro para 5O volts x 1 ampére poderi ser usado). — Um relé tipo 6 volts ~ corrente continua, com no minimo um par de contatos. (Como sfo virios os modelos e aparéncias externas dos relés existentes no mer- ‘ado, é recomendavel solicitarse, por ocasido da compra, a identificago da pina- ‘gem. Os bons fabricantes costumam imprimir essa identificago no corpo da pega cou na sua embalagem.) — Um transformador com primétio para 110 volts (220, se esta for a voltagem da rede que serve a sua residéncia) e secundério para 6 volts x 150 miliampéres. — Um resistor de 1K592 x 1/4 de watt. — Dois resistores de 22K x 1/4 de watt (ver texto sobre a eventualidade da substituigdo desses resistores por dois trim-pots de 100K). : — Um capacitor de poliéster, de .O1uF. ~ Um capacitor eletrolitico de 1.000uF x 16 volts. — Uma placa de Circuito Impresso padrio, do tipo destinado a insergo de um Circuito Integrado. — Um pedago de barra de conetores (parafusados ou de solda), com ¢rés segmentos (para a Fonte de Alimentagao). — Uma tomada fémea comum. — Uma tomada macho comum, com “rabicho” (cabo de forea).. Tinininininintnidnininineiddinininiinidnicinin MATERIAIS DIVERSOS — Fioe solda para as ligagdes. — Dois tubos de papeléo, metal ou plistico, para acondicionar os LDRs. O dime- tro deve ser 0 menor posstvel (desde que © LDR adquirido “eaiba”, é claro...) ‘© comprimento deve ser em toro de $ a 7 cm. — Parafuso e porcas para a fixagdo da placa de Circutio Impresso, transformador, barra de conetores, etc — Uma caixa, plistica ou metalic, com medidas minimas de 15 x 10x 5 cm. (AS dimensBes finais da caixa sio flexiveis e dependem diretamente da disposigo que o montador der és pegas e & posi¢fo dos tubos que abrigam os LDRS). — Cola de epoxy. = Tinta em spray, se for desejado acabamento extemno para a caixa MONTAGEM A ilustrago 1 mostra os componentes “dificeis” do bloco principal do CON- TROLE REMOTO: o Circuito Integrado, o transistor e o LDR, em suas aparéncias pinagens, que devem ser identificadas corretamente, antes de se iniciar a monta- PRIMARIO SECUNDKRO cap eLeTROLiTICO ° ° 3 “TRANSFORMADOR, gem. O LDR pode, eventualmente, ter aparéncia diversa da mostrada, sem que ‘implique em problemas no funcionamento do circuito. ‘0 detenho 2 mostra, em aspectos gerais, a aparéncia de autro componente muito importante na montagem: 0 relé, Os terminais marcados com N.A. ¢ N.F. corres- pondem, respectivamente 20s contatos Normalmente Aberto e Normaimente Fechado do telé. Se 0 relé adquirido for “muito diferente” do mostrado, procure informarse, junto ao fornecedor, sobre a identificagdo da pinagem. Nao se esquega de que 0s contatos do relé devem poder suportar uma corrente compativel com a ‘consumida pelo aparelho a ser controlado (TV, aparelho de som, etc.). Por medida de seguranca, essa corrente (suportada pelo relé) ndo deve ser inferior 1 ampére ‘Ao lado esta o simbolo esquemitico do componente. 0 desenho 3 apresenta os componentes principals do setor “Fonte de Alimen: tagio” do CONTROLE REMOTO. 0 capacitor eletrolitico, o diodo e o transfor- mador sfo mostrados em suas aparéncias, pinagens e simbolos, para correta iden- tificagao. 'A montagem propriamente esté no desenho 4. Notar que ela esté dividida em dois “blocos”. Ao alto, 0 “‘corago” do CONTROLE, cujos componentes ficam ‘agrupados em tomo do Integrado e da plaquinha de Circuito Impresso. Em baixo, a Fonte de Alimenta¢o, montada no sistema “barra de terminais”. A complexi- dade & apenas aparente. Se as diversas ligagOes forem feitas com atengio tudo saird bem, Os nimeros de 1 a 14 marcados na placa de Circuito Impresso, podem ser anotados a lipis pelo montador, pelo lado ndo cobreado da placa (que € 0 visto nna ilustragdo), para facilitar as ligagbes. E conveniente conferirse tudo com ‘cuidado, antes de se instalar as pegas dentro da caixa. A confecgdo da caixa (como foi dito na LISTA DE PECAS) é flexivel, e fica a crtério do hobbysta. Atengio 4 posigo dos LDRs dentro dos tubos plisticos (alto & esquerda no desenho 4). [No prototipo foram usados dois tubos plisticos originalmente usados para conter filmes fotogrificos. Os tubos foram revestidos internamente com papel preto f6sc0, para evitar reflexos da luz ambiente (que podem interferir no funcionamento do CONTROLE). A ilustrago de abertura dé uma,boa idéia da disposi¢do final da caixa. Os dois “olhos" que se véem na parte frontal do CONTROLE sfo as extre midades abertas dos tubos dos LDRs. Esses tubos esto embutidos (¢ colados) pela parte interna da caixa, aparecendo no painel apenas as suas “bocas”. Deve ficar em posi¢do horizontal, para que a limpada colocada no teto da sala — por cexemplo — ndo consiga atingir a superficie sensora dos LDRs (colocados no “fun- do” dos tubos) com a sua luminosidade. A tomada fémea comum pode ser fixada (com cola ou parafusos) na parte trazeira do CONTROLE. 31 PARA Fowre Tapa. Pen aPnne tHe'A Copireocaco| (touca) HOv.CA, woxev 150A CONTROLANDO Tudo conferido, ligue a alimenta¢do do CONTROLE REMOTO (encaixando 2 sua tomada macho & rede). Em seguida, ligue o aparelho a ser controlado a tomada fémea de “saida” do CONTROLE. Com ume lantema comum, de mio, ilumine, de uma distincia de 2 metros ou mais, alternadamente, cada um dos tubos dos LDRs (inspire-se na ilustragdo de abertura). Se tudo estiver corretamente montado, © aparelho controlado ligard e desigard, alternadamente, ao seu comando, a medida que os LDRs sio iluminados pelo raio de luz da lantema. Se ocorrer alguma difi- culdade (funcionamento instivel),reposicione a caixa do controle, de modo a evitar ‘20 maximo a penetragio de luminosidade ambiente nos tubos dos LDRs. Se.ainda assim persistir certa instabilidade, a solugio serd substituir 0s resistores de 22K (marcados com asteristico nos desenhos 4 ¢ 5) por trinspots de 100K2. Esses irim-pots deverio ser cuidadosamente ajustados, para regular a “sensibilidade” dos LDRs, até que eles deixem de ser atuados pela simples luminosidade ambiente, © apenas “aceite” comando da luz vinda da lanterna na mfo do operador. © diagrama esquemético do CONTROLE REMOTO esté na ilustragzo 5. O ‘montador um pouquinho mais “tarimbado” notard sua grande simplicidade. eee 33 Acionador Remoto cots © ACIONADOR deserts soul gus abeulenn ser ore Pose a lanterna, além de ter um Pequeno “sistema 6tico™ (lente) para melhorar 0 be ‘ mento e a focalizacdo do facho luminoso. St . construgao ¢ simplissima e o nimero coe LISTA DE PEGAS, ~ Um LED (Dido Emir de Laz) do tipo “ansparent” alta luminosity Se o hobbyse preter, posts substitu o LED por une paper 6 volts x 40 miliampéres. mes ~ Un resistor de 18002 1/4 de watt for usd a Ui resi 100 1 wa ford pad ord LED, ~ Um “push-botton’ (ateroptor de peso) tipo ode preso) ipo Nomalmente Arto, utopias pequenas de. olcada, cm orespacvosapeng ~ Una sata, medio aproximadanente 9% 6 em Ge one uma saboneteira plastica). eis eens 34 Hnitniiininininidiinitriniiinirinins ois tubos (plistico ov papelfo) com comprimento entre 5 e 7 om, e cujos didmetros permitam que ambos se encaixem, um dentro do outro, de forme ‘mais ou menos justa Uina Tene qualquer, de bso custo (pode ser até de plistico). Utimamente nio é dificil encontrar-se, nas casas de material eletronico, lentes baratas, desti- nadas justamente a uso em dispositivos opto-eletronicos. Fio fino e solda para as ligacdes. Cola de epoxy. ~ Tinta em spray para acabamento da caixa. MONTAGEM desenho 6 mostra o diagrama esquemitico do ACIONADOR (to simples que mesmo o prineipiante pouco afeito & leitura de esquemas, conseguird “interpreté- lo” facilmente...). A identificagao dos terminais do LED também é mostrada na itustragdo. O chapeado esti no desenho 7. Notar que, no caso de se usar a limpada no lugar do LED, 0 resistor de 18092 deverd ser substituido por um simples pedago de fio (ligando ditetamente o “push-botton”” i prépria limpsda. © interruptor de pressio deve ser instalado no alto da caixa, através de um furo com didmetro suficiente. O LED (ou lampada) deve ser fixado na base do tubo com i rae > 4 } t i LeD Ty du 6 ff g = SO PIII .Tyeo CORREO” Trombadinha UM JOGO DE HABILIDADE E REFLEXOS, COM EFEITOS SONOROS E VISUAIS s jogos eletrOnicos sempre fazem grande sucesso junto aos hobbystas. DIVIR- TASE COM A ELETRONICA tem publicado regularmente montagens desse tipo. No volume 1 0 JOGO DA TRAVESSIA, 0 CORISCO (JOGO DA RAPIDEZ) e 0 DADO ELETRONICO. No volume 2 o interessante JOGO DO TROCA-TROCA e, no volume 3, a emocionante ROLETA RUSSA Para no fugir & regra, trazemos no presente nimero mais uma montagem interessante no género, 0 TROMBADINHA. Tratase de um projeto um pouco mais complexo do que os jogos anteriormente publicados (conforme haviamos a © iniciante que “confiar™ na propria a Srandes diftculdades na montagem “8 € Cuidado nao deverd enconten tagem. BADINHA ser dotad lotado de efeitos sonoros « 11 Pequeno) fique @ dever muito pouco aoe ee or Beeue® 805 “pers que 0 jogo (embora icos que proliferam ela atuagio “ “trombado” de “ATAQUE”) quando ambos CAP eLeTROUnco POTENCIOMETRO. DESLIZANTE 6s sinais se “cruzarem” no ponto de intersee¢do das duas pistascirculares. Obvi mente, 0 objetivo do jogador de “ATAQUE” deverd ser 0 de atingir, “trombar”, ‘“vefculo” do jogador de “DEFESA”, para assim marcar 0 seu “ponto”. crintininininininnninninnninninin invertendo-se, a0 AAs partidas devem ser jogadas de forma alternada, ou sei fim de cada jogo, as posigdes de “ATAQUE” ¢ “DEFESA", para que as chances se equiparem, Ao fim do capitulo seréo dados mais detalhes sobre o funciona- mento ¢ a maneira de se jogar 0 TROMBADINHA. LISTA DE PEGAS Dois Circuitos Integrados CMOS 4017-8, Dois Circuitos Integrados C.MOS 4001 ‘Um Circuito Integrado CMOS 4011. — Um transistor BCS48 ou equivalente. Dez LEDs mini — vermelhos — (usado no protétipo o THL209), Dez LEDs mini ~ verdes — (usado no protétipo 0 TH1211).. ~ Um resistor de 6822 x 1/4 de watt. ~ Dois resistores de 4K 72x 1/4 de watt. — Um resistor de 10K22 x 1/4 de watt. — Um resistor de 22K 22x 1/4 de watt. ‘Um resistor de IMQ x 1/4 de watt. — Dois potencidmetros de 10KSt — linear ~ tipo “deslizante™ ~ Um capacitor tipo poliéster, de O1uF. = Um capacitor eletrolitico de 2,2uF x 16 volts. ~ Quatro capacitores eletroliticos de 10uF x 16 volts. — Um alto falante mini (2 ou 2 1/2 polegadas) com impedincia de 82. Quatro pilhas médias de 1,5 volts cada, com o respectivo suporte. — Um interruptor simples ~ mini — (tipo HH), — Dois conjuntos “macho-fémea”” de conetores universais pequenos (para a ligagdo dos controles individuais a0 jogo). ~ Cinco placas padro de Circuito Impresso, do tipo destinado & insergio de um Circuito Integrado cada ~ Dois “knobs” (botdes) para os potencidmetros. ~ Duas caixas plisticas (saboneteiras) medindo 9 x 6 x 4 cm. cada (para os contro- les individuais, ~ Uma caixa plastica medindo 20 x 14 x 8 em, para o “corpo principal” do jogo. © protétipo foi montado numa caixa com essas exatas dimensbes, adquirida em super-mereado, mas essas dimensbes poderdo variar ligeiramente. (© segundo passo, antes de comegar a “‘queimar os dedos” no ferro de soldar, é deixar a caixa (ou caixas) preparada, para facilitar o trabalho na fase final da ‘montagem. Inspire-se ma ilustragdo de abertura, As duas caixas pequenas para 03 controles individuais sio idénticas e féceis de furar. Basta abrirse um “rasgo” central nas suas tampas, com comprimento suficiente para a passegem ¢ pleno eslocamento da alavanca de controle dos potencidmetros deslizantes. Também ‘fo necessirios os pequenos furos para a passagem dos parafusos de fixagZo dos potenciémetros. Numa das laterais de cada caixa, deve ser feito ainda um pequeno furo para a passagem dos fios que conduzem o “comando” ao jogo propriamente. ‘A caixa principal (maior) também no é diffeil de preparar. Numa de suas laterais maiores, faga um conjunto circular de furinhos, para a passagem do som do alto falante (que deverd, naturalmente, ser colado bem por trés deles). Faga também © furo para o interruptor geral. Nas duas laterais menores, faa os furos para a colocago dos conetores universais que ligam os controles individuais ao “corpo” do jogo. ‘A parte da caixa principal que exige maior euidado é 0 “painel de jogo” propria- mente. Siga, tanto quanto possivel, a ilustrag#o 2, que mostra em detalhe esse panel. Faca os vinte furos para 0s LEDs, segundo dois circulos (no protétipo com didmetro de $ em cada) que se tocam em um ponto. As letras “A” € “D” hos centros dos circulos identificam as pistas de ATAQUE ¢ DEFESA, respec- tivamente. As setas indicam o sentido em que os LEDs se “movimentargo” durante 4E08 verves EDS vERMELHOS 2 MATERIAIS DIVERSOS — Fio fino e solda é ara as ligagBes. ‘6 jogo. Os dois conjuntos de nimeros de 1 a 10 representam a “seqéncia” de ~ Cola de epoxy para afixagao acendimento dos LEDs (que causa a ilusto de “movimento”). O pequeno qua- Pe 1940 dos LEDs. 'arafusos © porcas na medida 3/32 Arado abrangendo 0s dois LEDs de nimero 10, dematca a “rea de coliséo”. Nao Impresso, su Para a fixacdo das plaquinhas _ ei a pita es $Me at ay e letras decalcéveis ou controles individuai se esquega que, no circulo “A” devem ser instalados os LEDs vermethos © no ‘eftculo “D” 05 LEDs verdes. Procure acompanhar bem a disposigo geral do painel sngerida no desenho 2, para que 0 aspecto final do jogo fique bem “profissional” ‘A parte puramente eletrOnica da montagem foi desmembrada (para facilitar a viswalizago) em trés ilustragBes que devem ser observadas em seqiiéncia, com ‘euidado © atengo (desenhos 3, 4 e 5). Um ponto importantissimo & a correta ‘colocagdo dos Integrados nas placas de Circuito Impresso que, em todas as ilus- {rages aparecem pelo seus lados no cobreados. Os niimeros junto aos furos “oxteriores” das placas referem-se diretamente 3 pinagem de cada um dos Inte- grados colocados. E aconselhavel marcé-los, a lapis, pois esse procedimento ev itaré er10s, com os nimeros servindo de “guias” para as ligagBes. Todos os Integrados, nos trés desenhos, estdo identificados, com seu nimero de fabricante e com o seu ‘mimero de cédigo” na montagem (C.1. 1, C.1 2, etc.), para que no haja davidas nas interconexdes entre as diversas placas. Embora no desenho 3 0s dois potenciOmetros deslizantes estejam ligados direta- ‘mente ao circuito (apenas para facilitar a visualizagdo), 0 melhor procedimento seri (ver ilustragZo de abertura) coneti-los. ao circuito através de conjuntos Como sempre recomend: rendamos, alguma experiéncia...) é familia ‘em, suas aparéncias, identificaga deve ser consultado com at a ‘ ou. z z © Via CHAVE 2 Leos ey 2 Do PIO Os ert I a * 400 g Z 4 . nd en 4 OQ Sepno Hw? era g 9 era 28 8 . : 001 a Be le e||| | = Be oF 3 lo ° ££ @ <] Bo.pnou 4 : weet 4508} LEDS : F 2g PIN © . 2] Beesge « 4004) re 2g : le ¥ - @| me " z as . =— e ee A Be © 3 RE — 4 g g © "es NeparivO 3 [aia PILHAS: > Po FINO 1 Decne C4004) DO Pino @ be coxa (4004) Necarive PILHA ‘Ao se ligar a alimentagdo pela primeira vez (j4 com 0s controles individuals nas suas posigdes) os dois circulos de LEDs deverdo comegar a “andar”, em velocidades dependentes da posiglo dos potenciémetros de controle. Acione cada um dos potenciémetros, individualmente, ¢ veja como a velocidade de destocamento do citeulo correspondente varia, de bem lenta a bem répida. Agora, deixe o poten- ciémetro de “DEFESA” em sua posiefo central (velocidade média) e, atuando no potencidmetro de “ATAQUE”, tente, usando seus rflexos ¢ habilidade, “trombar” © seu “veiculo” (0 de ATAQUE) com o veiculo de DEFESA, quando ambos esti- veram passando pela ““érea de colisio”. Assim que a “colisdo” ocorrer, o movi- ‘mento em ambas as pistas serd automaticamente imobilizado, por alguns segundos, © ouvir-se-é um sinal sonoro no alto falante, indicando que “ocorreu a trombada”. Findos esses segundos de “‘parada automatica”” 0 “movimento” reiniciaré sozinho, para que se recomece 0 jogo Como 0 hobbysta deve ter percebido, o procedimento descrito é, na verdade, a modalidade de “pessoa jogando contra a méiquina”. Tente reproduzir a “faganha”, desta vez com 0 contiole de DEFESA em sua posigo de maxima velocidade, Verd que jd ndo € tao fécil conseguir a “‘trombada”. Para dois participantes, cada um deverd assumir um dos controles. O jogador da DEFESA tentard (com répidas e oportunas variagdes na velocidade do seu “veicu- Jo”) fugir da “batida” na area de colisio. O de ATAQUE, por sua vez, faré tudo (também através de uma atuagHo “inteligente” e répida no seu controle) para atingir © “carro” do adversirio, quando ambos os “‘veiculos” estiverem passando pela drea de colisio. Sugerimos que se estabelegam dois “tempos” de cinco minutos cada, com os jogadores “invertendo” suas posigdes (ATAQUE ¢ DEFESA) entre um tempo ¢ outro. Aquele que conseguir obter mais pontos (“trombadas") enquanto atuou no ATAQUE, serd o vencedor da rodada. (0 jogo é emocionante e, como foi dito, demanda reflexos, habilidade, “alicia” mesmo, pois pode-se, com alguma pritica, “atrait” a DEFESA para a drea de colisdo, permanecendo numa velocidade baixa, ¢ fazendo o jogador da DEFESA pensar que “di pra passar” incdlume pela “zona de trombada”. Quando, no entanto © veiculo da DEFESA vai se aproximando do ponto de colisdo, uma rapida e bem caleulada aceleragio do veiculo de ATAQUE fard com que ambos os “carros” atinjam a érea de colisio 20 mesmo tempo, ocorrendo o “acidente™ 0 diagrama esquemitico do TROMBADINHA esti no desenho 6. A comple Xidade € apenas aparente. O hobbysta deve imaginar que, se tal jogo fosse desei 45 noyrane, volvido usando-se uma tecnologia “mais antiga” (usandose, por exemplo, apenas trans{stores no lugar dos Integrados), seriam necessarios cenfenas de componentes, © 4 _montagem ficaria — na melhor das hipéteses — do tamanho de uma mesa! consumo ¢ baixo, e 0 jogo de pithas deverd ter boa durabilidade. Isso se deve ao fato de — embora a ilusio de “movimento” seja perfeita — em momento algum \do jogo estarem acesos mais do que dois LEDs! Além disso, o sinal sonoro s6 atua quando ocorse a“ ”. Isso tudo, aliado a0 baixo consumo dos Integrados “trombac de tecnologia C.MOS, traz uma grande economia de energia e de pilhas. Vale a pena ser realizada a montagem. Afinal, parece-nos que é a tinica maneira dle se dar dezenas de emocionantes “trombadas” num s6 dia, sem que isso acarrete lum centavo sequer de despesas de funilaria (ou, o que seria muito pior, de despesas ‘médicas ou funerarias...) Participe da secao “DICAS PARA O HOBBYSTA” 47 CORREIO ELETRONIco IRTA-SE COM RaRIRTASE, COMA “Pero, se possivel, colocer Aigitel eum osetoscd a sepdo de cartes © seeuinte ani pio, usedos, em bom estado, Favor incio: Compro um multtmetro ~ Lutz Antonio Catafati~ tu SP. : cease entra I ipa a ae ver panacea Getto da tea da elettnica ex nivel no rome comercial...) serio, dentro do post, ‘Yel, Publicados nesta seco. “et “Adquiri o nismero 2 ¢ me int miner teressei muito... Gostaria de saber cor ~ Walter Berbosa ~ Belo Horizonte — MG. mo posso conseguir 0 emt outa pate da ret vot ono odo os eons que, aqule que quchum omen oe, Feembolso, que ji etd funciona “Sou principiante em eletronica ¢ leitorassiduo da revista, desde 0 primeiro mimero... Extou cenviando uma idtia de circuto, de minke autora, baseado na funcdo de dots projets publi. ‘cados pela revista, 0 DADO ELETRONICO e 0 ASSOBIADOR MALUCO... O meu circuito jpodera ser chamado de DESATIVE A BOMBA ou ROLETA RUSSA... Peco que 0: senhores calculem e verifiquem se @ idéia & boa e se 0 circulto funciona... Também estou tendo dif fuldade na obtencdo de alguns componente: equi na minha cidade...” ~ Richard Drabek — Corapicuiba — SP. 1A din & boa, Richard, ¢ poderi servi de base a um futuro projeto de jogo eletrdnico a ser Publicado. Quanto ao nome ROLETA RUSSA, vocé chegou um pouco tarde, pois no nimero 3 ji foi publicado um jogo com esse nome. DESATIVE A BOMBA é um bom nome (além de cstar na exsta da onda”, nfo é,..?). seu ciredito, contudo, precisaré de alguns aperfeigos- Imentos (voo’ ndo pode alimentat o Integrado 555 diretamente com as saidas do 4017, que iio tem capacidade de corrente para isso). Quanto d dificuldade na obtengio de componentes, ‘ho momento ainda no podemos fazer fornecimento direto, como temos dito a outros litores aqui nesta sepio, Entretanto, aguarde pera breve, novidades boas nesse sentido. Continue cnviar suas ins “Tenho um aparetho de som Grundig ¢ queria ampller mais 0 seu som... Os senhores poderiam. ime explicar como conseguir 80? Estou gostando muito da revista, melhor a cada nimero..."" = Paulo Cesar Cissio Domico ~ Sto Paulo ~ SP. Infelizmente, Paulo, sem maiores detalhes especificagSes sobre o sew amplificador, nfo temos condigies de orienté-lo, Tente usar um préamplificador de alto ganho em conjunto com © ‘eu aparelho de som (pode até set o PRE-AMPLIFICADOR publicado no presente volume) “Sou colecionador da revista e quer fazer um pedido: vocés poderiam me envier um crcutio de uma fonte de alimentagéo,variével, copaz de fornecer de 0 a 30 volts até S ampires, para fancionar ligode & rede de 230 volts C.A.?" ~ Fernando A. Rodrigues ~ Cachoeirinha ~ RS. {A fonte que voct quer, Femando, é um tanto “pssada" para atcnder aos interesses de hobbys- ‘tase principiantes e, por ito, foge um pouco ao espirto da evista. Entretanto, encaminhamos sua sigestéo a0 Departamento Técnico. Aguardc ¢ continue a colecionar a revista afeliz: mente, nfo podemos atender a pedidosdietos do eicuitos eee “A revista podia publicer um artigo ensinando a confeccionar Circutos Impressos... Também ‘me interesso muito por circuitos de Controle Remoto...” ~ Aluizio B. de O. Federig ~ ‘Aparecide ~ SP. ‘As sugestdes fo bem-vindas ¢ foram anotadas, Aluizio. Continue nos acompanhando. | (hinichininhintinrirtsnininnhnintint Tenho 14 ano ¢ ns mute dele. A reita bea Para 0 hobbysta e para o iniciante esse ramo fascinante. Nera time modiesso no QUAL Pequeno motor ae Sain 6 0 ae esta faltandy cs am ‘Queria saber como pode ser et "A im vez de acionar um altofalane, aconay ae ~ Wegner de Gama Melo ~ Bsicta-'hs " Devido as suas caracterfticas de * - ‘imtermitncia” (Bip... ip... Bip LARM nio préprio para acionar my Yoe8 use o circuit iuetrado. Bou sorte FT3055 menage enionade.. Onde devo coloctio? OF Cie me cnee ne mosrados no desenie 3. to Mon cat gmt MS cme fc pegs Ce te Fo colveado, por gue 0h senior ~ Merci Xe eccoud ~ Ra dete ge “OME Verse se etd cone ponte, deg aRaclor no chipeado deve ser eta do sepunte modo Inte (s0lde) todos o hapeado de ita d Stor de Toon, MHFAMOS com (4) no chapeado (desea) eee patio do cas fos com (+) no chapeado (desenho 3), ligue oe o tor de 104 ee egies “pune ae i," una igo dee pe ‘énies pela chave interruptora. Junte tas ado os pone eat bt eivom mm od cree ai lo 0 pontos do chapendo marsdoscontns fa Ygh gd BS etnd egao eh a0 m () ode descoplamentoeestabilanin evens ene do ccato unionamento do dle undo + volugem © impedincs fa Quanto 20 tamanho dos Integrados, nao se espant : eles moxtador nox chaeadon do ge tho ve woe’ mandow da pagan no Rio, onde ie stem 9 aller, devi oe * Svs de espa, on coy {orcoumente om ses tanantes nae ee sto, enttetanto, € muito mais Fill Gi que voed mony ss Plicas Padrdo, que jé vem 80 prontas € na exata medida para receber © Inegrado. Patan or “Tamiizarse com a8 Plas consult 0 volume 2 de DIVIRTA-SE COM A ELETRONICA. pif. 58 ‘tou enviando um projto de Retgi Digi! que sau numa outre public... Quel que me dsm se ancona mesmo, qe nce opubiquem nasi rev. Ppa tambtm que reprsem’" 0 projeto do MULTHPROVADOR AUTOMATICO... Voces esto te puravers Camo timo poise, queria 0 projto de wm wate de cite pon, com aleance de S00 metrorou mi." Antonio Caro de Meda ~ Sto Paulo SP 0 projeto de Religio Digital a que vos’ se refere, Antonio, foi publicado por outra revista do énero, pertencente a outra Editora. Por razées éticas, é dbvio que no podemos tecer aqui ‘omsideragdes sobre 0 projeto. Sugerimos que voeé entre em contato direto com aquela publ cagio. Nio estdo previstas “reprises” de projetos, mas vocé pode pedir pelo reembolso 0 nnimero 1 de DIVIRTA-SE COM A ELETRONICA (0 projeto do MULTL-PROVADOR AUTOMATICO esti na pig. 20). 0 walktalkie que voeé quer jf constitue uma auténtica ‘stag de PX” 0 que, além de exigir 0 competente registro ¢ obtengao do prefixo, fogs 10 spirito da nossa revista 51 (A MATEMATICA DA ELETRONICA) LEI DE OHM E POTENCIA OS principiantes costumam “se apayorat” eimear) tuando se fala em “matemética” e “Tormulas” daletiia Essa “mate mitict",contudo ¢ muito simples e as “Yérmulas” sd0 poueee diretas, nfo reque- An aac seus s¥pect0s essencais, conhecimentos superiors see adquiridos até a 84 gitie do primeiro grau (ou nivel “ginasal™, come oe tek antigamente...) Qualquer pessoa capaz de realizar as quatio operagdes aritméticas bisices Géigto, subtrapdo, multipicagio e dvisio), elevar umn mens, 40 quadrado, ow da cleans, il quadrada,estaré apta a “destinchar" todas ea foradn bsicas a cletrOnica e eletrcidade! Mesmo no caso da “cuca” do hobbysta no ser “muito sizzada” a nimeros ecdlulos existem por a s pequenss calculadoras eletronic ats: & prdticas, cpazes de realizar numa frag de soporte © mais complicado o* cileulos, bastando serem “edihadas" de fonma eonec Ali, as caleuladoras GletrOnicas de bolso, atualmente, constituem equipaments Praticamente “univer. SR send raras at pessoas que nZo possiam uma. Por motive nae do que Sbvios, oe “computadorzinho de bolso” ndo deve falar na banceds de hobbysta. (Gem qualquer motivo, podemos LEIDE OHM adotam-se universalmente cimbolos ¢ unidades representatives das grandezas envolvtin Veja 0 quadro leo simbolo srandeza unidade u diferenga de potencial volt (V) 1 intensidade da corrente elétrica ampére (A) R ‘esisténcia & passagem da corrente ohm (£2) 82 sr o enunciado da lei na Utilizando esses simbolos universais podemos transformat primeira fSrmula bisica que é: Us IR de Ser enunciada assim: és jvam duas outras. A primeira po Sia Dessa formula basica deri cireuito é igual & divisdo trea que percorre um 3 diferenca de pot 2 a formula derivada ‘ircuito apresenta d passagem da corrente”. Essa primeira formula deri ‘mesmo ci cesta a seguir: iada como: “A resis A segunda formula Serva da Lat de Ohm pode sr enmeida come: “A rete inca que son coulto apresenta& pasagem da crete & igual dro deci renca de potecal entre os teminas dete circuto pel tens renga de potencial ent que por ele passa”. A {6rmula esti a seguir: a gecgpgyaee oe LR | HNereo MEDINCO A 28 oreo 2 BiecUtO Bae Corrente elétrica que Por ele pasea”: (diferenca de potencial) * Podemos transformar esse enunciad Usando-se os simbolos 10 numa formula simples: simbolo srandeza wal B Poténcia vu ding ‘watt (W) liferenca de potencial (tensa: r intenall Potencial (tensfo) volt (V) sidade da corrente elétrica ampére (A) Para um exemplo prético, recorramos novamente a0 quadro 1. Suponha que alimentemos 0 circuito R com uma bateria de 6 volts (devidamente acusados pelo voltimetro) e que o amperfmetro scusa passagem de corrente de 2 ampérs. Calculara poténcia consumida pelo cizeuito. P= UL = 6x2 P= DW eee ‘Além dessas formulas bisicas ¢ derivadas, utlizando-se uma pequena “trucagem” algébrica, podem se obter algums outras, compondo um bloco de 12 que podem ser chamadas de “as formuilasmde da eletricidade e eletrénica”, pois voc8 nao cconseguird calcular praticamente nenhum circuito, por mais simples que seja, sem. utilizar pelo menos uma delas! Para simplificar, juntamos essas 12 f6rmulas no quadro 2. Aconselhamos que vocé o recorte e cole na sua bancada, para poder ser consultado com facilidade quando necessério (se no quiser estragar a revista, tire tum xerox). 55 “eve (maximo 30 wats) lade que os me etna te er gaulamesto” d plc de cobe denen migem Ou, pelo menos, a placa de impreses de pregos de um soldador propa FiO DE compe. GROSSO ENROLADO apresentam as altas temperatue 70 “pesado” pode ocasionar 0 Por vezes inutilizan. A CAMADA Dé DUREPOXY cletricidade e eletronica (aquela cheia de pegas do “tempo da vilvula”), Haveria uma maneira de se “aproveitar” esse velho soldador nas nossas mon tayens mais “delicadas”, sem o risco de danificé-las? A resposta ¢ “sim”! As ilustragBes a seguir mostram o “regime de emagrecimento”” a que pode ser submetido um soldador “pesado”, para que seja transformado numa ferramenta ca paz de ofetuar soldagens de componentes pequenos. ‘A primeira coisa a se fazer ¢ limar a ponta de cobre original do soldador, reti- rando toda a eventual camada de Gxido ali existentes. Voc8 necessitard também de tum pedago de fio de cobre comum, do tipo usado nas instalag6es elétrica da casa, sélido e grosso (0 n9 10 6 aconselhivel) Deseneape 0 fio de cobre. Guiando-e pela ilustrag8es, ensole com firmeza ‘uma das extremidades do fio de cobre & ponta do soldador. Dé virias voltas, de ma- noira a sobrar uma ponta com uns? centimetros de comprimento, sobressaindo da pponta original do velho soldador. Para fixar bem o conjunto, reeubra as “espiras” do fio de cobre com uma camada de massa de epoxy (Durepoxy), que & adesivo pas- tos0 que ndo perde suas caracterstias sob altas temperaturas. Tudo pronto! Espere a secagem do epoxy (em tomo de duas horas) e pode comegar a usar 0 seu soldador “transformado” na soldagem dos mindsculos trans tore ¢integrados! ‘Apenas uma recomendagdo final: os velhos sokdadores costumam apresentar fuga de corrente (“vazamento dos 110 ou 220 volts da rede para a ponta de solda) 57 também perigosa para a “int seguranca, face um “terra” para lomada ¢ espere 0 do, Grane ein la, desigue- eefetue as so) inércia térmica dos grandes soldadores ; a0 prego relativa- 80” do estudante, \ “eta imediato do “bol. ‘Mas, como temos enfatizado n Bingo, ma “enon deta SE 0 hobbyst 6 antes de tudo, por de cinzenta” para funcionar, de mon, Todo amador da eletréni “terceira mao” rece : tereira mo” para sung ne Pea “esesperada” necesidade do uma one de pequenos: ‘Componentes que insister > fou i duane a ‘peraedo, dificultando uma boa I, especiais para placas de Circuit , seem prt xa ou noble pace ALICATE DE BICO TIRADE BORRACHA Ov ELASTICO FORTE ou componentes durante as operag':s de soidagem, facilitando muito o trabalho. Outro problema que frenquentemente aflige o hobbysta é quanto ao sobreaque- cimento dos componentes delicados durante a soldagem (podendo até danificé-los, caso 0 calor seja realmente excessivo). Pois bem, usando um “truque” muito simples, podemos transformar um mero alicate de bico (Ferramenta bésica que todo hobbysta deve ter) num instrumento ca paz de realizar (além das suas normais. ..)essas duas fungbes: tanto a de prender pe- {quenos componentes ou placas durante a soldagem, como a de proveger termica- mente os componentes delicados contra o calor emanado nessa mesma soldagem. (© “macete” & muito simples: “transformar” 0 alicate de bico num alicateppinga ou fravante. Para tanto, vooé necesstaré apenas (além do proprio alicate, é claro) de uuma pequena tira de borracha ou eldstico forte. Esticando um pouco a borracha ou 0 elistico, dé algumas voltas em torno do eabo do alicate, como mostrado no dese- nnho 1. Em seguida, prenda as extremidades da borracha ou elistico com um nd. Pronto! Eis af o seu alicate travante, a sua tfo almejada “terceira mao”! A.utilizagdo ¢ Obvia, Pressionado pela tensto do elistico no cabo, o bico do alca- te se manterd sempre bem fechado ¢ apertado sobre 0 que quer que seja aplicado, “cetendo” © componente ou placa em posigo imével e “liberando” as mdos do hobbysta para segurar a solda e o ferro de soldat, Para usar a ferramenta “modificada” na fungao de “desviador de calor” durante 4 soldagera, consulte 0 desenho 2, Note que a bico do alicate deve pressionar 0 ter- 59 PERCURSO Do cAcor FERRO 0E soLpag 60 USANDO O ALICATE-TRAVANT E PARA RESFRIAR UM COMPONENTE DURAN- TEA SOLDAGEM Es pecial FIO II IOI AIA I IAAI A DIcA ORGANIZE A SUA “SUCATA” E ACONDICIONE SUAS FERRAMENTAS s Ieitores que acompanham DIVIRTA-SE COM A ELETRONICA desde 0 ‘Vol. 1, devem estar lembrados de alguns dos importantes “mandamentos” do hob- bysta, publicados nas paginas 60 ¢ 61 daquele exemplar. $6 para “refrescar” a me- ‘méria da turma, 0 29 “mandamento” dizia: “Mantenha a bancada limpa, do inicio ao fim de qualquer montage. Uma mesa forrada de pegas espalhadas € uma pro- vavel fonte de dores de cabega. E muito fécil para os minésculos transistores,dio- dos, integrados, resistores ¢ capacitores usados na moderna eletrOnica, “desapare- ccerem” numa bancada desordenada e chela de coisas indteis . 0 99 “‘mandamento” dizia: “Com o tempo, todo hobbysta acumulard uma boa quantidade de pecas € ‘componentes para uso em futuras montagens. Organize bem sua “sucata”, separan- do 0s componentes por tipos, valores e especificagdes...” FUROS PARA A FIKAGAO Reatirmames que 10s que uma bancada orde1 Ponentes organizados ¢ “bom eg nsds O*denada elimpa, com asf cae oramentas¢ com Fac em en dor in mmo om Existem no mercado especiaizado, dive um “inventor”, uma “pessoa dei ntor", ade dias” bincipalmente ~ barato “qucbra " % fetramentas © acondic trad, basins jer POdCMEE MOS ler de um “produto eo OS conhecida "forma re 2,0 SET mereades, casas de artigos de em Somistico para "taer* Soy Sats au 8 clocano conelador dong jt cont neoesro 20 usque dos mamajors ence Embora essa for nossa” finalidade € mz ‘metade, a0 longo do seu eomprimento. No fundo dos virios compartimentos da for- ma, faga furos de didmetios diversos, compativeis com as varias ferramentas a serem suportadas. Para fazer tals furos, use 0 mStodo jé explicado em volumes anteriores, do prego aquecido, alargando-os depois até 0 tamanho desejado, Faga também dois pequenos furos numa das laterais da forma, destinados & passagem de pequenos pre- 805 ou parafusos, que fixarflo 0 suporte & parede ou a bancada. 0 desenho 2 mostra, de mancira bem clara, 0 nosso “suporte” jé instalado e ‘com as ferramentas colocadas. Nada mais facil, ndo 6? Notar ainda que, ja que a for- ‘ma ¢ dividida em duas, pode-se construir, conseqdentemente, dois suportes, com ‘uma capacidade total para encaixe de dez ou doze ferramentas diferentes, capacida- de esta mais do que adequada ao pequeno “arsenal” do hobbysta ‘Jé a utilizagfo da forma como acondicionador ¢ classificador de pequeno com- ponentes, é to elementar que ndo necessita de maiores explicag0es. O desenho 3 “diz” praticamente tudo, Simplesmente use os compartimentos da forma como re- cipiontes para as peyas pequenas, naturalmente classificando-as, como foi sugerido anteriormente, pelos sou tipos, valores c especificagdes. ‘Se quiser tornar a coisa ainda mais “profissional”, fixe pequenas etiquetas 20s compartimentos, marcando nelas o tipo, faixa de valores, etc., dos componentes ali contidos, para maior facilidade ainda quando da procura de um componente espe- ciffico destinado a uma eventual montagem. Interpretando os Simbolos (continuagao) (os simbolos continu: numero) am no préximo