Sei sulla pagina 1di 12

CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA

CIÊNCIA DOS MATERIAIS

XXXXXXXXXXXXXX
XXXXXXXXXXXXXXXXXXX
XXXXXXXXXXXXXXXX
XXXXXXXXXXXXXX
MAICON DE OLIVEIRA MASSIGNA

LIGAS METALICAS

Caxias do Sul
Setembro de 2020
XXXXXXXXXXXXXXXXXXX
XXXXXXXXXXXXXXXX
XXXXXXXXXXXXXXXXX
XXXXXXXXXXXXXXXXXX
MAICON DE OLIVEIRA MASSIGNA

LIGAS METALICAS

Relatório submetido ao Corpo de


Docentes dos componentes curriculares
de Ciência dos Materiais como parte dos
requisitos.

Orientadora: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Caxias do Sul
Setembro de 2020
SUMÁRIO
1.0 INTRODUÇÃO....................................................................................................4

2.0 OBJETIVOS.........................................................................................................5

3.0 JUSTIFICATIVA.................................................................................................6

4.0 REFERENCIAL TEÓRICO...............................................................................7

4.1 O aço.................................................................................................................................7

4.1.1. Características dos aços.........................................................................................7

4.1.2. Microestruturas......................................................................................................9

4.1.3. Classificação do aço..............................................................................................10

4.1.4. Tipos de aço quanto a sua composição...............................................................10

4.1.5. Tipos de aço quanto a aplicação..........................................................................11


4

1.0 INTRODUÇÃO

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxx.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxx.
5

2.0 OBJETIVOS

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxx.
6

3.0 JUSTIFICATIVA

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxx.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxx.
7

4.0 REFERENCIAL TEÓRICO

4.1 O aço
O aço é um produto que se encontra presente de forma expressiva no cotidiano da
sociedade. Como matéria-prima pode ser encontrado tanto em objetos residenciais, como
mesas e cadeiras, ou até em estruturas mais complexas, tal como ônibus espacial. O aço está
entre os produtos que contribuíram para o desenvolvimento econômico e tecnológico da
humanidade.

O aço é o produto siderúrgico obtido por via líquida através da fusão do ferro como
componente básico e acrescentado o carbono com um teor em até 2 % resultando em uma liga
Ferro-Carbono. São encontrados nessa liga também níquel, volfrâmio, manganês, cromo,
fósforo, enxofre entre outros elementos e resíduos resultantes do processo de fabricação
(CHIAVERINI, 1982).

Particularmente na construção civil, o aço representa uma das principais matérias


primas, com inúmeras aplicações, tais como armaduras de concreto, fundações, pontes,
viadutos, estruturas metálicas e o setor é um grande consumidor dos produtos derivados das
usinas siderúrgicas.

4.1.1. Características dos aços


Existe uma grande e diversificada variedade de aços que se diferenciam pela forma,
tamanho e uniformidade dos grãos que o compõem e, é claro, por sua composição química.
Sendo que esta pode ser alterada em função do interesse de sua aplicação final, obtendo-se
através da adição de determinados elementos químicos, aços com diferentes graus de
resistência mecânica, soldabilidade, ductilidade, resistência à corrosão, entre outros. De
maneira geral, os aços possuem excelentes propriedades mecânicas: resistem bem à tração, à
compressão, à flexão, e como é um material homogêneo, pode ser laminado, forjado,
estampado, estriado e suas propriedades podem ainda ser modificadas por tratamentos
térmicos ou químicos (FERRAZ, 2003).
8

O Quadro 1 apresenta algumas propriedades dos aços, tais como a ductilidade, a


tenacidade, a elasticidade e a plasticidade, com a caracterização de cada alguma destas
propriedades

Quadro 1 - Propriedades dos aços e suas características


Propriedade Característica
Ductilidade É a capacidade do material de se deformar plasticamente sem se
romper e é definida pela extensão do patamar de escoamento. Nas
estruturas metálicas, esta característica é de extrema importância
pelo fato de permitir a redistribuição de tensões locais elevadas.
Desse modo, as peças de aço sofrem grandes deformações antes de
se romper, constituindo um aviso da presença de tais tensões. Além
disso, a ductilidade é uma propriedade que torna o aço resistente a
choques bruscos.
Tenacidade É a capacidade do material de absorver energia quando submetido à
carga de impacto. É a energia total, elástica e plástica, absorvida
pelo material por unidade de volume até a sua ruptura,
representando a área total do diagrama tensão de formação. Logo,
um material dúctil com a mesma resistência de um material frágil
possui uma maior tenacidade, já que requer maior quantidade de
energia para ser rompido.
Elasticidade É a capacidade do material de voltar à forma original após
sucessivos ciclos de carregamento e descarregamento. O aço sofre
deformações devido ao efeito de tensões de tração ou de
compressão. Tais deformações podem ser 8 elásticas ou plásticas,
devido à natureza cristalina dos metais através de planos de
escorregamento ou de menor resistência no interior do reticulado. Os
aços estruturais possuem um módulo de elasticidade da ordem de
205000 MPa, a uma temperatura de 20°C.
Plasticidade É uma deformação definitiva provocada pelo efeito de tensões iguais
ou superiores ao limite de escoamento do aço. Deve-se impedir que
a tensão correspondente ao limite de escoamento seja atingida nas
seções transversais das barras, para limitar a sua deformação.
Um fator importante a ser observado no emprego do aço é a corrosão, alteração físico-
química sofrida devido à sua reação com o meio, estas alterações transformam o aço em
compostos químicos semelhantes ao minério de ferro, fazendo com que o material perca
características essenciais como resistência mecânica, elasticidade, ductilidade, entre outras,
além da redução da seção resistente (TEOBALDO, 2004).

Nos metais, a corrosão se dá por corrosão química ou eletrolítica, sendo a última mais
frequente. Outro aspecto a ser considerado é a fadiga do aço, influenciada principalmente pela
amplitude de variação de tensões, pela frequência de aplicação das cargas, o chamado número
de ciclos de carregamento e pela concentração de tensões na seção. A ruptura por fadiga
ocorre sem deformações, não indicando a iminência do colapso (TEOBALDO, 2004).
9

4.1.2. Microestruturas
O ferro pode ter diferentes fases no estado sólido e todas são do tipo mistura. Até 910
°C a fase é chamada de ferrita, ou ferro alfa, conforme pode ser visto na Figura 1, e à medida
que a temperatura aumenta, outras fases podem se tornar estáveis.

Figura 1- Fases do ferro desde a temperatura ambiente até o ponto de fusão

Fonte: Heck (S.D.).

As fases da liga Fe-C – que chamamos “aço ao carbono”5, quando o teor de C é baixo
menor que aproximadamente 1% em massa6 5 – são as mesmas já vistas para o ferro puro – à
exceção da cementita, Fe3C (HECK, S.D.).

A ferrita dissolve, no máximo, apenas 0,004% C (em massa) à temperatura ambiente,


mas sabemos que há aços com o teor de 1% em massa de carbono. Desse ponto em diante, a
única maneira de se aumentar o teor de carbono é pelo aparecimento de uma mistura
mecânica entre a ferrita (saturada com carbono) e uma fase de maior teor de carbono:
(normalmente) a cementita7. Para outras temperaturas, as proporções (e mesmo as fases)
poderão ser diferentes, do mapeamento geral (no “canto” rico em ferro) das fases que se
apresentam em função da temperatura e da composição, nasce o diagrama de fases do sistema
Fe-C, conforme apresentado na Figura 3 (HECK, S.D.).

4.1.3. Classificação do aço


De Acordo com Pannoni (2005) os aços podem ser classificados conforme uma
distinção entre os aços carbono comuns e os aços ligados. O aço-carbono é uma liga de
10

FerroCarbono contendo geralmente de 0,008% até 2,11% de carbono, além de certos


elementos residuais resultantes dos processos de fabricação. Já o Aço-liga é o aço carbono
que contém outros elementos de liga, ou apresenta os elementos residuais em teores acima dos
que são considerados normais.

Os aços-carbono são divididos em 3 (três) categorias:

 Aços com baixo teor de carbono: com (C) < 0,3%, que possuem grande ductilidade,
ou seja, são ótimos para o trabalho mecânico e soldagem como a construção de pontes,
edifícios, navios, caldeiras e peças de grandes dimensões em geral. São aços que não admitem
têmpera.

 Aços de médio carbono: com 0,3 < (C) < 0,7%, são aços utilizados em engrenagens,
bielas, cilindros, isto é, peças para motores. São aços que, temperados e revenidos, atingem
boa tenacidade e resistência.

 Aços com alto teor de carbono: com (C) > 0,7%, são aços de elevada dureza e
resistência após à tempera, e são comumente utilizados em molas, componentes agrícolas
sujeitos ao desgaste, ferramentas, pinos, entre outros acessórios de máquinas (PANNONI,
2005).

4.1.4. Tipos de aço quanto a sua composição


Todo aço contém carbono, porém quando é necessário que o produto atinja outras
propriedades mecânicas que o aço carbono comum não atinge, os elementos de liga como
cromo, níquel, cobre, entre outros, são adicionados à composição química. Por isso, é
importante conhecer um pouco as classificações desses materiais que se diferem pela
composição:

 Aços carbono: Esse tipo de aço é formado pela liga de ferro com carbono, onde o
teor de carbono nesse caso é inferior a 2,11%, podendo o teor do elemento variar. São
chamados de aço carbono todos os produtos derivados apenas da junção do ferro com o
carbono sem quantidades significativas de outros elementos na composição. Nesse tipo de
aço, normalmente existem elementos residuais, como manganês, fósforo ou silício, mas as
quantidades não são suficientes para alterar suas propriedades. Os aços carbono são
amplamente utilizados em diversas aplicações. Os aços carbono são os mais produzidos,
constituindo cerca de 90% da produção mundial. Podem ser divididos ainda em:
11

1. aço de alto carbono – acima de 0,50% até o limite de 2,11%;


2. aço de médio carbono – entre 0,20% e 0,49%;
3. aço de baixo carbono – entre 0,05% e 0,20%;
4. aço de carbono extra baixo – entre 0,015% e 0,05%;
5. aço de carbono ultrabaixo – abaixo de 0,015%

 Aços liga: Os aços liga contêm, além das ligações entre ferro e carbono, outros
elementos em proporções significativas que podem alterar as propriedades químicas ou
mecânicas do material. Geralmente, os outros elementos adicionados à composição do aço
são: manganês, níquel, cromo, molibdênio, vanádio, tungstênio e silício. Isso vai depender da
propriedade que querem que o aço atinja. Esses elementos normalmente são utilizados para
aumentar a dureza e a resistência mecânica ou química do aço, para conferir-lhe outras
propriedades que sejam interessantes para sua aplicação. Os aços liga também são divididos
de acordo com o teor de elementos em sua composição:

1. aço baixa liga – a soma dos teores de todos os elementos liga adicionados não
ultrapassa 5% de todo o material;
2. aço média liga – a soma dos teores de todos os elementos liga fica entre 5% e
12% de todo o material;
3. aço alta liga – a soma dos teores de todos os elementos liga é no mínimo 12%
de todo o material;
4. aço baixa liga de alta resistência – o teor de carbono é menor que 0,25% e o
teor dos outros elementos liga é menor que 2%. Geralmente os elementos liga mais
utilizados para esse tipo de aço são o Nióbio, Vanádio e Titânio, que ajudam no
aumento da resistência do material.

4.1.5. Tipos de aço quanto a aplicação


Outra classificação muito comum para os tipos de aço se refere à aplicação para a qual
ele se destina. Apresentamos aqui algumas das classificações mais comuns:

 Aços estruturais: São muito importantes na indústria da construção por terem alta
resistência mecânica e suportarem grandes carregamentos. Os aços estruturais normalmente
são aços carbono ou com pequenas quantidades de elementos de liga. Nesse grupo, encontra-
se o aço ASTM A36 que é largamente empregado por muitas construtoras. A maior utilização
desses tipos de aço no Brasil é nas estruturas de concreto armado. Como o concreto tem alta
resistência à compressão, o aço inserido dentro da estrutura atua como boa resistência à
tração. Além de ter boa aderência com o concreto, o aço ainda tem deformações compatíveis
como o material.
12

 Aços para molas: Os aços utilizados para fabricação de molas têm elevado limite
elástico, ou seja, suportam forças e tensões sem que sua deformação seja permanente. A
maioria dos aços para mola são aços carbono, sendo as ligas necessárias somente em situações
especiais.

 Aços para fundição: É o material utilizado para produção de peças em aço fundido.
Nesse processo, o aço líquido é vazado em moldes e adquire a forma da cavidade quando se
solidifica. Podem ser aço carbono ou aço liga, contanto que apresentem boa resistência.

 Aços para construções mecânicas: Esse tipo de aço é usado para construção
mecânica, ou seja, são usados para fabricar peças forjadas, rolamentos, eixos, engrenagens,
entre outros. Os aços para construção mecânica são aços carbono ou com baixo teor de liga e
abrangem uma ampla gama de produtos. Além dessas aplicações, existem diversas classes,
como os aços para usinagem, para trilhos, para fins elétricos e outros.