Sei sulla pagina 1di 8

A História das Três Árvores

Ato I
[Com a introdução da música, as luzes vão sendo acesas lentamente para representar o
nascer do Sol. As árvores, os arbustos etc. estão inclinados, outros, curvados. Todos
agem como se estivessem dormindo. Com o amanhecer, as árvores lentamente
começam a acordar e a se esticar em câmera lenta.]

O CONVITE DAS ÁRVORES


A Floresta convida a todos os presentes
Pra história de um sonho ouvir
Os anos se passam verões e invernos
Mudanças nas quatro estações
Com banhos de sol e chuvas também
Árvores contam a linda lição
E agora atentos ouçamos a história
Que elas nos contarão

ANABELA: Eu adoro viver na floresta. Que grande dia! Como é bom ser uma árvore.
TOM: Até parece que nós temos escolha. Estamos todos enraizados aqui.
GABRIELA: Mesmo assim, eu amo viver na floresta.
ANABELA: Eu gosto daqui, mas eu quero ramificar além da floresta, você sabe, ver o
mundo. Eu tenho grandes sonhos.
♫♫
TOM: Era só o que faltava: uma árvore que sonha!
ANABELA: Eu só quero fazer algo novo, você entende né?
TOM: Não, eu não entendo.
ANABELA: (suspirando) Ás vezes, sonho em saber como é além da floresta.
(Música acaba)
BOB: Certa vez, o Grande Carvalho, que é a árvore mais antiga e sábia da floresta, me
disse que devemos ter esperanças e sonhos, e que não devemos ter medo do que é
novo se crescermos a partir de nossas próprias raízes.
TOM: Oh! O Grande Carvalho! Realmente ele é muito sábio. Também, ele é uma árvore.
SER ASSIM COMO EU
Nada é melhor que estar na floresta
Não posso imaginar outra casa pra viver
Lá na cidade não tem tanto verde
E o ar tão puro daqui
Nada a fazer nessa grande floresta
Se ouve só o vento e a brisa a dançar
Quem gostaria de estar nessa floresta
E ser assim como eu?
Acordar feliz com o sol a brilhar
E produzir as sombras para os animais
Tudo é tão lindo aqui na floresta,
Tenho a sorte de estar aqui
E todo ser vivo aqui da floresta
Louva a Deus que nos fez.

GABRIELA: Realmente, quem não gostaria de ser como eu?


[A floresta começa a dançar no ritmo da música. Do compasso 45 até o 62, as árvores,
arbustos etc. podem fazer uma coreografia movimentando-se no palco.]
(Música acaba)
TOM: E você Anabela... No que está pensando? Você vai ficar aí fincada na terra sem
falar nada?
ANABELA: (Com medo de falar) Bem... Eu estava pensando...
GABRIELA: Vá em frente, saia da casca. Conte-nos tudo, se não ficaremos verdes de
curiosidade.
[A floresta ri.]
VOZ DO GRANDE CARVALHO: Feliz é a árvore que vive o hoje e sonha, planejando o
futuro com sabedoria.
TOM: O Grande Carvalho tinha que se pronunciar. Ninguém entende o que essa árvore
velha diz. Vai, Anabela, diga logo o que está pensando!

O SONHO DAS ÁRVORES


Eu tenho um sonho em meu coração
Um dia deixar a floresta pra traz
Espero ansiosa esse dia chegar e o sonho meu realizar
Eu tenho um sonho de um dia abrigar
Tesouros preciosos, riquezas sem par
O bem mais precioso que um dia se viu
E o que sonhei enfim verei.

SE O TEU SONHO LONGE ESTÁ


SE É TÃO DIFICIL DE ALCANÇAR
PEÇA AQUELE QUE PODE OUVIR-TE
E ELE ENTÃO TRARÁ.

Eu tenho um sonho e espero encontrar


Algum lugar para alguém como eu
Nesse lugar eu serei tão feliz
Se o que sonhei puder enfim cumprir.

E eu sonhei em um mar navegar e o oceano poder desbravar


Levar um rei poderoso em mim, quero também realizar.

Eu tenho um sonho de estar num lugar


Que quando me olharem de alguém vão lembrar
E maravilhados do amor vão falar,
É o que sonhei, é o que sonhei.

SE O TEU SONHO LONGE ESTÁ


SE É TAO DIFÍCIL DE ALCANÇAR
PEÇA AQUELE QUE PODE OUVIR-TE
E ELE ENTÃO TRARÁ
EU TENHO UM SONHO E ESPERO ENCONTRAR
ALGUM LUGAR PARA ALGUEM COMO EU
NESSE LUGAR EU SEREI TÃO FELIZ
SE O QUE SONHEI PUDER ENFIM SE CUMPRIR.
ANABELA: Não. Eu entendo e sei o que ele quis dizer. É bom sonhar e estar disposto a
se arriscar por ele.
♫♫
GABRIELA: Ó, Anabela, isso é tão lindo! Que sonho maravilhoso! Eu acredito que, um
dia, você realizará o seu sonho.
TOM: (imitando Gabriela) Ó, Anabela, isso é tão lindo... Blábláblá! E você, Bob?
Certamente, uma árvore macho como você pensa em algo melhor do que sonhos.
BOB: Claro que não! Eu também tenho um sonho.
♫♫
TOM: Ei, o que aconteceu com: “floresça onde você está plantado”? Será que eu sou o
único certo aqui? Será que alguém quer ficar por aqui mesmo?
GABRIELA: O meu sonho é o maior de todos. Quero ficar aqui na floresta para sempre.
O que poderia ser melhor do que ficar nesta montanha e apontando as pessoas para
Deus?
(Música acaba)
GABRIELA: Shhh, Shhh... O lenhador está chegando! O lenhador está chegando!
[Todas as árvores retomam o seu lugar e ficam paradas.]
PEDRO: (cantando) Se é salvo e tem certeza bate o pé...
(Pedro bate com o pé duas vezes em uma árvore. As árvores recuam e riem baixinho)
PEDRO: (cantando) Se é salvo e tem certeza bate o pé...
(Pedro bate mais uma vez com o pé em uma árvore. As árvores recuam e riem mais
alto.)
PEDRO: Uau! Imagine isto: depois de todos esses anos, entrando e saindo desta
floresta, eu nunca soube que vocês podiam falar. Você, por exemplo... (Aponta para
uma árvore) Estive observando você desde que era apenas um pequeno arbusto.
GABRIELA: Bem, nós estamos com medo de você.
PEDRO: Medo de mim? Por que vocês teriam medo de mim?
TOM: Será que é porque você tem um machado e vai destruir a floresta?
PEDRO: Não, não, não... Vocês entenderam tudo errado. Deixe-me contar um pouco
sobre meu trabalho.
[As árvores e todos da floresta devem imitar a coreografia de Pedro durante a canção,
principalmente quando elas cantarem com ele.]

CANÇÃO DO LENHADOR
Meu nome é Pedro e eu sou um lenhador
E madeiras tenho que cortar.
De árvores eu entendo, sou o maioral
Ipês vou cortar lá no matagal.
Ao passar pela cidade posso ouvir:
Esse é tal de Pedro que vem logo ali.
Essa fama me acompanha por onde quer que eu vá
Porque eu sou um lenhador, sou o melhor que há.

Como um lenhador poderá trabalhar sem madeiras cortar?

Eu tenho um diário pra historia me lembrar


Que leio ao dormir e bem cedo ao levantar
Cedros e ipês, tudo eu vou cortar. Corto tudo aqui e tudo lá.
Eu sou um lenhador que precisa trabalhar
Então essas madeiras vou logo cortar.

TOM: Ok, então. Posso lhe dar uma sugestão? Recomendo a fruteira lá da curva.
VOZ DA FRUTEIRA: (a distância, gritando) Não, eu não! Ainda eu muito magrinha.
[A floresta ri.]
PEDRO: Você aí, que tesouro! Acho que você vai ser perfeita. (dirigindo-se a Anabela)
ANABELA: (suspirando) Um tesouro, eu?
PEDRO: Sim, E você. (Aponta para Bob) Você parece uma árvore forte.
BOB: Eu sou! Preciso ser bem forte para ser um barco poderoso.
PEDRO: Certo, certo... Mas... Vamos ver... Eu preciso de mais uma. (olha para
Gabriela) Você é perfeita!
[Anabela e Bob ficam animados. Gabriela faz cara de quem não gostou.]
[Pedro levanta um machado simulando que vai cortar a árvore. No momento exato em
que ele foi acertar a árvore, as luzes se apagam rapidamente.]

Ato II
[As luzes se acendem e Pedro está sentado na beira do palco.]
PEDRO: Muitos anos se passaram e as coisas não saíram bem como as três árvores
haviam imaginado.
Prelúdio Ato II
[Luz acende em Anabela, que está abaixada atrás da manjedoura. Seus braços devem
cercar a parte de baixo da manjedoura.]
PEDRO: Anabela acabou em um velho estábulo. Para ser mais exato, virou lugar de
colocar comida para animais.
[Luz acende em Bob, que está em pé no navio.]
PEDRO: Bob... Quando ele percebeu que estava dentro d’água, achou que seu sonho
tinha se tornado realidade. Mas ele não se tornou um grande navio. Em vez disso,
tornou-se um barco simples, apenas para levar pescadores para o mar. Pelo visto, ele
nunca iria navegar com homens poderosos do jeito que ele tinha sonhado.
[Luz acende em Gabriela, sentada em um banco e com o olhar triste.]
PEDRO: E Gabriela? Bom, pobre Gabriela... Hoje sei que ela nunca queria ter saído da
floresta. Ela sonhava em crescer bem alto, apontando para o céu. Agora, ela aguarda
sozinha, num canto escuro da madeireira. Aquelas árvores não perceberam que não
importa o tamanho de nossos sonhos. Deus os vê ainda maiores. A nós, cabe apenas
esperar o momento de Deus.

DA FLORESTA SAIRÁS
Se a vida perder o sentido e o brilho do sol se apagar
E se sozinho perdido e com medo e a força tão fraca ficar
É tão fácil dizer que há um Deus que te ama,
Mas sentes a fé fraquejar.
Só basta crer e com fé abraçá-lo
E a bênção do céu sim, virá

ENTÃO BASTA TER OS TEUS OLHOS EM CRISTO


QUE TODO O TEU SOFRER IRÁ PASSAR
E ELE ESTARÁ TODO TEMPO AO SEU LADO
SE EM SEU AMOR CONFIAR
É SIMPLISMENTE NELE CRER, TUA VIDA ENTREGAR
E ENTÃO DA FLORESTA SAIRÁS.

Há momentos em que duvidamos


E não cremos na voz do Senhor,
No escuro ouvimos ao longe
O poder do amor nos chamar.
Deus quer conduzir-nos num lindo caminho
E com sua mão nos guiar
E os passos que dermos será para a glória
De cristo o nosso Senhor.

PEDRO: Eu sei que, às vezes, parece que a floresta é tão longa e escura que não
vemos mais solução para os nossos sonhos.
[Maria e José entram pela esquerda e colocam o bebê Jesus na manjedoura.]
PEDRO: Assim como as árvores tiveram que esperar para ver os seus sonhos
cumpridos, ao longo da história da humanidade, Deus traçou planos, e estes se
cumpriram no tempo certo.
[Há luz na estrebaria. Anabela está ajoelhada na manjedoura. Seus braços estão
cercando o topo da manjedoura.]
PEDRO: “E deu à luz o seu filho primogênito e o deitou numa manjedoura, porque não
havia lugar para eles na hospedaria.”
ANABELA: Eu sabia que, um dia, o meu sonho se realizaria. Naquela noite, eu tinha o
maior tesouro de todos repousando em mim.
PEDRO: E esse bebê cresceu e se tornou um homem. Um dia, ele estava no meio de
uma tempestade, a bordo de um pequeno navio de pesca, quando disse ao mar:
“Acalma-te mar”. E o vento cessou e houve grande bonança.
[Luz em Bob, que está em pé, dentro do navio, como se fosse o mastro.]
BOB: Naquele dia, eu me perguntava: Que homem poderoso é este, que até o vento e a
água lhe obedecem? Foi quando eu percebi que Deus tinha me escolhido para levar o
mair Rei de todos os tempos.
[Luz em Gabriela, que está sentada em um banco na oficina de carpinteiro. Assim que
Pedro começar a falar, dois soldados romanos vêm e levam Gabriela ao topo do palco.]
PEDRO: Não muito tempo depois, Jesus passou por outra tempestade. Foi acusado e
condenado. Ele foi traído e espancado. Em seguida, os soldados o levaram para uma
colina onde eles o pregaram a uma cruz... Cruz feita de uma árvore... Uma árvore que
sonhou alto: o sonho de lembrar as pessoas do amor de Deus.
[Gabriela deve ficar toda a música com os braços estendidos retratando uma cruz.]

VOU SERVIR AO MEU SENHOR


Vou servir ao meu Senhor e viver com Seu amor.
Vou confiar pois salvo estou, vou servir ao meu Senhor.

POSSO AGORA TÃO FACIL ENXERGAR


TÃO GRANDE BENÇÃO QUE DESTE PRA MIM.
ABRISTE OS MEUS OLHOS PRA VER QUEM TU ÉS
ENTÃO, COM MEU SER VOU SERVIR AO SENHOR

[Após a música, o pastor ou o líder infantil poderá fazer um convite à salvação.]

VOZ DO GRANDE CARVALHO: O que você tem plantado? Será que plantamos essa
história em seu coração? Lembre-se: em Jesus, você pode realizar o seu sonho!
TOM: Blábláblá... Chega de poesia! Ninguém vai perguntar sobre o meu sonho? Eu
queria ser uma casa na árvore.
[A floresta ri.]
TOM: Não é engraçado, é sério. Por favor, Pedro, leve-me com você.
PEDRO: Arrume suas malas, pequena árvore.
TOM: Legal! Serei uma casa na árvore.
PEDRO: Você vem comigo, estou precisando de uma mesa maior.
[Risos. Pedro levanta o machado.]
[A floresta ri e começa a cantar a canção.]

O AGRADECIMENTO DAS ÁRVORES


A FLORESTA AGRADECE A TODOS PRESENTES
QUE HOJE ESTIVEREM AQUI
OS ANOS SE PASSAM VERÕES E INVERNOS
MUDANÇAS NAS QUATRO ESTAÇÕES
COM BANHOS DE SOL E CHUVAS TAMBÉM
NÓS LHES CONTAMOS A LINDA LIÇAO
E AGORA ENCERRAMOS A LINDA HISTORIA
COM GRANDE EMOÇÃO.

Interessi correlati