Sei sulla pagina 1di 5

PROGRAMA DE RECURSOS HUMANOS DA ANP PRH NO 30

PARA O SETOR PETRÓLEO E GÁS - PRH-ANP

PLANO DE
TRABALHO DE PESQUISA
1 – IDENTIFICAÇÃO
Nome do Bolsista Matrícula
Josy Carla Barbosa Lopes de Oliveira
Título do Programa
Programa Multidisciplinar em Petróleo e Gás
Título do Curso / Especialização
Engenharia de Materiais / Processamento e Análise de Materiais Utilizados na Indústria do Petróleo e Gás
Instituição Sigla
Universidade Federal do Rio Grande do Norte UFRN

Nome do Orientador (1) Nome do Orientador (2)


José Daniel Diniz Melo Carlos Alberto Paskocimas

2 – TÍTULO DO TRABALHO

Uso de marcadores magnéticos para avaliação não destrutiva de compósitos poliméricos para aplicações em Dutos para
transporte de Óleo e Gás

3 – INTRODUÇÃO / OBJETIVO (no máximo 1 página)

Atualmente no Brasil maior parte dos transportes de fluidos de origem petrolífera (petróleo e gás natural) se dá por
meio de dutos (tubulações destinadas ao transporte e que apresentam diâmetro interno maior ou igual a 6,0 polegadas). A
malha de dutos da Unidade de Exploração e Produção do Rio Grande do Norte e Ceará (UN-RNCE) da Petrobras é
composta por 226 dutos de transferência (principais) construídos com aço-carbono, possuindo ao todo 1993,75 Km de
extensão, dos quais 1092,75 Km são de oleodutos e 898,82 Km de gasodutos. Os diâmetros variam de 6,0 a 26,0
polegadas e as Pressões Máximas de Operação (PMO) variam de 0,3 a 19 MPa (3 a 190 kgf/cm 2). Nessa extensa e variada
malha, a maioria dos dutos estão com mais de 20 anos de operação submetidos às mais variadas condições operacionais.
Portanto, o grande efeito corrosivo, promovido pelos produtos das indústrias petrolíferas, faz com o que essas empresas
tenham um grande prejuízo econômico com manutenção.
Atualmente, as tubulações de metais estão sendo gradativamente substituída por dutos de compósitos poliméricos.
Estes compósitos poliméricos são misturas de dois ou mais materiais, o qual possui composição multifásica. As fases
dispersas são materiais inorgânicos e estão separadas da matriz polimérica por uma interface, que podem ser tratadas para
melhorar a adesão interfacial. Neste projeto pretende-se dar continuidade ao produto que vêm sendo desenvolvido em
projetos anteriores e deseja-se que o produto final apresente um melhor desempenho (sinergismo) de propriedades, como
por exemplo, uma maior resistência a corrosão dos dutos. Entretanto, as propriedades físicas isolantes (elétricas e
térmicas) dos compósitos poliméricos dificultam a inspeção pelos métodos existentes para a verificação de defeitos (trincas,
vazios e incrustações).
O estudo no campo dos nanocompósitos poliméricos (materiais que apresentam partículas de fase dispersas com
uma das dimensões da partícula inferior a 100nm inseridas em uma matriz) tem despertado interesse científico em algumas
propriedades excepcionais, tais como, as propriedades para aplicações elétricas, magnéticas e térmicas.
Entretanto, o campo de pesquisa e desenvolvimento na área de nanocompósito polimérico necessidade de um
melhor estudo e desenvolvimento de novos materiais compósitos nestas áreas de aplicação.
Assim, esse trabalho tem por finalidade desenvolver polímeros com adição de marcadores magnéticos para
aplicação em dutos de nanocompósitos poliméricos, na indústria de petróleo e gás natural, e que possibilite a utilização das
técnicas de inspeção (ENDs) utilizadas.

 PRHfor17.rtf
PROGRAMA DE RECURSOS HUMANOS DA ANP PRH NO 30
PARA O SETOR PETRÓLEO E GÁS - PRH-ANP

4 – RELEVÂNCIA DO TEMA / JUSTIFICATIVA (no máximo 1 página)


As indústrias de petróleo estão tendo muitos gastos com a manutenção e substituição dos dutos de transporte de
seus produtos, devido ao grande efeito corrosivo dos mesmos. Uma solução para evitar e diminuir esse efeito corrosivo é a
substituição dos dutos de aço-carbono por dutos fabricados de compósitos poliméricos. Atualmente, a principal dificuldade
identificada para aplicação desses dutos é a impossibilidade de utilização de ENDs convencionais para avaliação da
integridade, já que os Pigs Instrumentados são aplicados a materiais susceptíveis a um campo magnético.
A avaliação da integridade, quando se utiliza dutos de compósitos poliméricos, é realizada em pontos pré-definidos
na extensão do duto, o que implica em elevados custos de escavação, longo tempo de inspeção e em incerteza elevada.
Portanto, a não-pigabilidade desses dutos é um dos principais obstáculos para uma maior aplicação na área
operacional. Ao adicionar marcadores magnéticos nesses compósitos, pode-se eliminar a dificuldade de aplicação dos
ENDs convencionais, tornando possível uma avaliação de integridade através de Pigs, elevando-se, desta forma, sua
confiabilidade operacional.

Entretanto, um dos grandes desafios dos dutos de nanocompósitos poliméricos é o processamento, por existir uma
grande dificuldade na obtenção de uma microestrutura com dispersão homogênea das nanopartículas na matriz
polimérica. Este problema é devido à tendência das nanopartículas formarem aglomerados. Alguns autores sugerem que o
grau de desaglomeração das partículas pode ser melhoradas através de forças de cisalhantes geradas durante o
processamento.

5 – ESTADO DA ARTE E METODOLOGIA (no máximo 3 páginas)

Um dos principais fatores para o sucesso de um nanocompósito é a dispersão das partículas na matriz polimérica,
considerado por muitos pesquisadores como um passo difícil no processamento de um nanocompósito[ GARCIA, ET
AL.2004;LAN; KAVIRATNA; PINNAVAIA, 1995; MA, ET AL.2004;MONTEIRO. ET AL. 2006; MORGAN; GILMAR;
JACKSON, 2001; MUZNY, ET AL.1996; WEL; DAVE; PFEFFER, 2002, ZHENG; WONG, 2003]. Estudos mostraram que a
dispersão das nanopartículas em matriz polimérica tem um impacto significativo nas propriedades mecânicas do
nanocompósito [ ZHENG; WONG, 2003]. As nanopartículas têm fortes tendências de se aglomerar, razão pelo qual o
processo de homogeneização da dispersão das nanopartículas é difícil [ CHAN, ET AL.2002; ZHENG; WHONG, 2003].
As ferritas do tipo BaM, também conhecidas como hexaferritas de bário (BaFe12O19), têm sido alvo de estudos
desde a década de 50, quanto às suas propriedades magnéticas, e continuam sendo abordadas.[ J. J. Went, G. W.
Rathenau, E. W. Gorter, G. W. Van Oosterhout, 1952].
Inicialmente o uso das ferritas BaM se restringiam a magnetos permanentes e em meios de gravação magnéticas.
Hoje, além dessas aplicações as hexaferritas estão sendo estudadas quanto a suas novas aplicações promissoras como,
por exemplo, na absorção de radiação eletromagnética e gravações de alta densidade. A alta coercividade, resistência a
corrosão, estabilidade química e baixo custo de produção, têm levado as ferritasBaM a ocupar uma parte significativa do
mercado de materiais magnéticos mesmo após o surgimentos das ligas ferromagnéticas de terras-raras como o SmCo e o
NdFeB.[ R. C. Lima, J. C. S. Leandro, T. Ogasawara. 2006; T. Nagata, T. Harasawa, M. Oyanagi, N. Abe, S. Saito IEEE,
2006].

5.1. Materiais
Os nanocompósitos deste trabalho serão produzidos a partir de:

• Resina polimérica: Epoxy Araldite LY1564 fornecido pelo representante MAXEPOXI.

• Nanopartículas: ferrita de bário e ferrita de estrôncio, fornecido pela FERMAG.

 PRHfor17.rtf
PROGRAMA DE RECURSOS HUMANOS DA ANP PRH NO 30
PARA O SETOR PETRÓLEO E GÁS - PRH-ANP

• Endurecedor: ARADUR 2954 fornecido pelo representante MAXEPOXI.

5.2. Preparação dos Nanocompósitos (Ferrita de Ba/ Ferrita de Sr)

As partículas magnéticas serão então caracterizadas e classificadas. Em seguida, será realizada uma moagem para
redução de tamanho das partículas. Inicialmente o processo de fabricação utilizará um moinho de alta energia, localizado
no Laboratório da Engenharia de Materiais da UFRN. As fases que constituem o nanocompósito (resina + nanopartículas)
serão colocadas no moinho de alta energia afim de que ocorra a dispersão dos aglomerados dentro da matriz polimérica.
Posteriormente, a mistura é colocada em um molde de metal, para produção de uma placa. O molde é então colocado em
um dessecador sob vácuo, para que as bolhas de ar sejam removidas. Em seguida, o molde é colocado em um forno para
que ocorra a cura do polímero.

5.3. Técnicas de Caracterização

Caracterização Microestrutural: As amostras serão caracterizadas por MEV, DRX, BET, FRX e distribuição de
tamanho de partículas. A caracterização microestrutural, para detectar a presença de aglomerados, será realizada com
auxílio de um Microscópio Eletrônico de Varredora (MEV) Philips XL30, da UFRN.
Propriedades Termo-dinâmico-mecânica Estes ensaios serão realizados no DMA, localizado no Laboratório de
Engenharia de Materiais.

Propriedades Eletro-magnética: Serão realizados nas instalações do CENPES.

6 – ETAPAS (no máximo 2 páginas)

1ª Etapa – Revisão bibliográfica – Durante a realização do trabalho, a revisão bibliográfica será constantemente
atualizada;
2ª Etapa - Aquisição de Matérias-primas e caracterização físico-química, estrutural e morfológica das matérias-
primas;
3ª Etapa - Moagem das partículas para redução de tamanho;
4ª Etapa - Formulação de placas de compósitos;
5ª Etapa – Preparação dos corpos de prova;
6ª Etapa -. Ensaios dos nanocompósitos;
7ª Etapa - Avaliação dos resultados: Interpretação dos resultados para consolidação do processo;
8ª Etapa - Monografia: Dados conclusivos e monografia.

7 – CRONOGRAMA DE TRABALHO (no máximo 1 página)

 PRHfor17.rtf
PROGRAMA DE RECURSOS HUMANOS DA ANP PRH NO 30
PARA O SETOR PETRÓLEO E GÁS - PRH-ANP

1º 2º 3º 4º
ATIVIDADES
SEMESTRE SEMESTRE SEMESTRE SEMESTRE
1ª Etapa X X X X X X X X X X X X

2ª Etapa X X X X X X

3ª Etapa X X X

4ª Etapa X X X X X X

5ª Etapa X X X X X X

6ª Etapa X X X X X X

7ª Etapa X X X X X X

8ª Etapa X X X

8 – DISCIPLINAS DA ESPECIALIZAÇÃO (listar as disciplinas complementares obrigatórias para o PRH-


ANP que pretende cursar)
QUI 570 – Fundamentos de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural.
QUI 580 – Materiais Catalíticos.
QUI 581 – Reologia de Fluídos de Perfuração.
QUI 577 – Qualidade Ambiental e Impactos Causados por Atividades Petrolíferas.
MTR0623 – Cimentação.
GEO032 – Geologia do Petróleo.

9 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Melo, J. D. D., Almeida, C. R. R., e Paskocimas, C. A., “Processing of Polymer Matrix Nanocomposites Using a High Energy
Mill”, Proceedings of ICCM-16, Koyto, Japão, 2007.
- Almeida, C. R. R., Processamento de Nanocompósitos de Matriz Polimérica Utilizando Moinho de Alta Energia,
Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2007.
- Jyi-Jiin Luo e Isaac M. Daniel, “Characterization and modeling of mechanical behavior of polymer/clay nanocomposites”,
Composites Science and Technology, Vol. 63, pp.1607–1616, 2003.
- Asma Yasmin, Jandro L. Abot and Isaac M. Daniel, “Characterization of Structure And Mechanical Behavior Of Clay/Epoxy
Nanocomposites”, Proc. 14th International Conference on Composite Materials, San Diego, CA, USA, 2003.
- Levy Neto, F., Pardini, L.C., Compósitos Estruturais, Ciências e Tecnologia, Ed. Edigard Blücher, p. 01 – 313. 2006.
- JR.,William D. Callister, Ciência e Engenharia de Materiais.LCT EDITORA, Quinta edição, pp. 589, 2002.
- Gentil, V., Corrosão, Editora LTC, 4ª edição, 2003.
- Canevarolo Jr., S. V., Ciências dos polímeros, Ed. Artliber, p. 01 - 183, 2002.
- ASTM D 5023 – 01 Standard Method for Plastic: Dynamic Mechanical Properties: In flexure (three – point bending).

 PRHfor17.rtf
PROGRAMA DE RECURSOS HUMANOS DA ANP PRH NO 30
PARA O SETOR PETRÓLEO E GÁS - PRH-ANP

10 – OBSERVAÇÕES PERTINENTES (por exemplo recursos financeiros envolvidos etc)

Local Data
Natal - RN __13/08/2008_______

 PRHfor17.rtf