Sei sulla pagina 1di 5

CAPÍTULO III – ESCALA

CROMÁTICA

Fazer uma escala cromática em um


instrumento é o mesmo que
acrescentar à escala diatônica as notas
que faltam ao tecido sonoro (sempre
em um total de 12 freqüências),
tomando emprestado aos tons
vizinhos(ver próximo capítulo). Para
saber qual a nota que usaremos,
recorremos à idéia de hierarquia dos
tons vizinhos:
Escalas cromáticas: são escalas
formadas por intervalos de semitons
cromáticos e diatônicos.
Modo Maior: na subida não
cromatizamos o III e o VI graus e na
descida não cromatizamos o I e o V
graus.
A origem das notas cromáticas no
modo maior é: na subida (relativa da
subdominante, relativa da dominante,
dominante, relativa do tom principal e
subdominante) e na descida
(subdominante, homônima do tom
principal, dominante e homônima do
tom principal).
http://www.culturaemusica.mus.br/conteudo.php?conteudo=teoria_musical

Modo Menor: na subida e na descida


não cromatizamos os I e V graus.
A origem das notas cromáticas no
modo menor é: subida (subdominante,
subdominante, dominante, dominante e
homônima do tom principal) e na
descida (homônima do tom principal,
dominante, dominante, subdominante e
subdominante).
Eu diria que para as configurações de
nosso instrumento é mais fácil pensar
da seguinte maneira para fundamentar
a origem das notas cromáticas, no
modo maior:
A maior =3#= C# F# G#
 A#,sétimo grau de B menor
harmônica -2#
 B#,sétimo grau de C# menor
harmônica, relativa de E maior-4#
 D#,sétimo grau de E maior-4#
 E#,sétimo grau de F#menor
harmônica, relativa do tom
principal ,com 4#
 G, sétimo grau do modo mixolídio

de D Maior ou A mixolídio, com


2#.
A execução da escala cromática
ascendente no modo maior pode ser
acessada pelo link
http://www.youtube.com/user/MRALTAND#p/a/u/0/nObgzPLBFU0

Ascendente:AA#BB#C#DD#
EE#F#GG#AA# B B#C# DD# E E#
F# GG# AA# BB#C# DD# E E# F#
GG# A
Descendente :AG#GF#FED#D
C#CBBbA...
Como existem regras para formação de
escalas cromáticas em tom maior e
menor, as notas a serem usadas
dependem do contexto em que estão
inseridas. Ou seja, a escolha das notas
a serem usadas depende do trecho
musical executado em acordo com a
harmonia.
Por esta razão, este exemplo em A
maior pode não representar todas as
possibilidades de interpretação do
contexto das modulações encontradas
na prática.
Nos exemplos que vou disponibilizar,
muitas vezes tendo como base apenas a
melodia, não é possível ter certeza da
nota a ser usada (Lembrem - se que
não devemos confundir nota e som).
Portanto, uma escala cromática bem
analisada passa por um estudo de
harmonização mais profunda e
escolhas de peças já harmonizadas
como as que veremos posteriormente.
Para alunos que me pediram o
exercício de escalas no tom de C,
acessem o link
http://www.youtube.com/watch?v=KpQ6Jd3g7BU