Sei sulla pagina 1di 3

Robert Pattinson discute ‘Twilight’

Robert Pattinson desarma o papel de liderança de Edward Cullen em ‘Twilight’


por Rebecca Murray para About.com

31 de Julho de 2008 – Antes de ir para o palco, Robert Pattinson admitiu estar apavorado
com a perspectiva de enfrentar mais de 6 mil fãs de Twilight durante a sessão Q&A de
filme na Comic Com de San Diego. E sinceramente, você pode culpá-lo? Os fãs dos livros
de Stephenie Meyer não exatamente receberam a escalação de Pattinson com gritos de
aprovação, embora agora eles aparentemente se aquietaram e aceitaram Pattinson como o
mais lindo vampiro que andou no planeta.
“Todo mundo me odiava no filme, universalmente,” disse Pattinson, relembrando a reação
às notícias de sua aterrissagem no papel de Edward Cullen. O fato de os fãs no geral terem
abraçado sua escalação ainda não parece real para Pattinson que, durante as rodadas da
imprensa na Comic Com de San Diego, ele confessou ter parado de ler o que diziam sobre
ele anteriormente no processo.

“Eu na verdade não olho desde aquele outro, desde que todo mundo me odiou. Eu não sei,
quero dizer é meio estranho, quero dizer, quando você vê uma descrição dele e é tão bonito
que meio que dói olhar para ele – é meio difícil gostar de interpretar isso. Então, quero
dizer, eu não sabia realmente como fazer isso, e esperançosamente eles fizeram muita pós-
produção.”

Para aqueles que não estão por dentro da série de livros, Pattinson explicou apenas quem
ele interpreta em Twilight: “Eu faço Edward Cullen que é tipo um vampiro semi-relutante
de 108 anos de idade. Ele tem 108, 109 esse ano, eu acho. E ele está preso no corpo de uma
criança de 17 anos e fingindo ser um humano. Por praticamente cem anos ele quis morrer
ou se tornar humano de novo. E então ele conhece quem se torna o amor de sua vida que é
uma garota mortal chamada Bella, e ele se apaixona por ela. E então a história são os
problemas, os obstáculos e as tribulações que ocorrem quando um vampiro se apaixona por
uma garota normal que ele quer matar a todo tempo.”

“Edward sabe que é um vampiro e que ele sempre será um e ela sempre será uma mortal até
morrer, então não há grandes coisas que ele possa fazer sobre isso. Mas, quero dizer, é
essencialmente uma situação bem feliz no final, eu acho,” oferece Pattinson.

Os Cullen não são seus típicos vampiros. “Eu tento e sou legal com as pessoas e tudo mais.
Bem, não exatamente... Quero dizer, isso é tipo o que grande parte da história fala sobre. É
tipo Edward decidindo ir contra esse tipo de instinto de base. Ele sabe que é um vampiro e
sabe o que vampiros fazem, o que é tipo a coisa inteira sobre ser um vampiro. Em negação
que você tem que apenas... é meio entediante, sabe? Se você fosse um humano, você
poderia sair por ai fazendo qualquer coisa que quisesse o tempo todo. Como eu acho que
muita gente escolheria fazer isso. E Edward, por alguma razão, decide que não quer fazer
isso e ele está tentando entender porque não quer fazer isso, o tempo todo.”

O desejo pelo sangue de Bella é difícil para Edward resistir, especialmente quando os dois
estão fisicamente próximos, mesmo que ele ame ela. Pattinson teve que trabalhar muito
para descobrir como interpretar essa confusão interna. “Quanto mais Bella diz Eu não tenho
medo de você e tipo, Você não é um monstro, bla bla bla, mais eu acredito nisso e meio que
esqueço que sou um vampiro e quais são minhas verdadeiras urgências. Eu tento e beijo ela
e obviamente isso meio que termina sendo um pesadelo,” disse Pattinson. “Ela tem uma
corrente hormonal e eu tenho algo tipo Eu quero matar sua corrente. E é tipo, eu não sei, é
tipo você estar num ponto que você que você simplesmente não pode, você meio que quer
tipo fazer tudo e meio que matá-los ao mesmo tempo.”

Enquanto estiver presa ao material de pesquisa, Pattinson acredita que a adaptação do filme
é leal ao Twilight de Meyer. “Quero dizer, é completamente... quero dizer, a única diferença
é que as cenas de ação não estão realmente no livro porque é tudo, o livro é escrito na
perspectiva de Bella e grande parte do tempo ela ou está inconsciente ou todo mundo está
se movendo tão rápido que eles não sabem o que está acontecendo. Então toda a coisa da
ação é colocada para vocês verem,” ele explica.

Pattinson não estava familiarizado com o livro antes de pegar o papel de Edward. “Eu os li
depois do primeiro, depois do meu teste de cena, e eu nunca tinha ouvido falar deles antes.
E quando eu estava fazendo o filme, eles meio que ficaram experimentalmente maiores e
maiores e maiores e então todo mundo sabia sobre isso. Então foi meio estranho,
inesperado...”

“É bizarro,” adicionou Pattinson. “Quero dizer, o livro tem tantos fãs obsessivamente leais,
sabe, então é estranho porque as pessoas imediatamente associam você como personagem
antes de associar como ator.”

Edward é um garoto americano, enquanto Pattinson é britânico. O ator que, priorizando se


tornar Edward, era mais conhecido por seu papel como Cedrico Diggory no filme de Harry
Potter, disse que armar um sotaque americano não foi um problema. “Não, não realmente.
Eu meio que cresci assistindo filmes americanos e tudo mais então tipo é meio que, não sei,
de várias formas parece mais natural se você está fazendo um filme, você aprende a falar
com sotaque americano ao invés de falar com o inglês. Tipo você meio que sente como se
estivesse atuando mais. Senão eu sinto como se na verdade não estivesse fazendo nada.”

Interpretar Edward Cullen não requeriu um monte de pesquisa extra na parte de Pattinson.
Pela forma de Meyer assumir as criaturas ser tão diferente de muitos contos vampirescos,
Pattinson não precisou mergulhar no mundo dos vampiros antes de chegar ao set. “Eu acho
que é meio fácil tornar isso clichê porque tem tantos milhares de milhões de filmes de
vampiros. E, também, na história eles não são exatamente vampiros convencionais. Eles
não parecem com vampiros e eles não morrem no estilo [de vampiros]. É tipo cada
característica dos vampiros sendo simplesmente abandonada. Então eu estava tentando
fazer isso tipo, sabe, da forma mais básica possível. Você simplesmente é mordido por
alguém e ai você é um vampiro. Você vive pra sempre e você é super forte e tudo mais, e
você não sabe exatamente o que aconteceu.”

Uma das características que separa os vampiros de Stephenie é como suas peles reagem à
luz do sol. Diferente de outros vampiros, as criaturas de Meyer não pegam fogo quando
expostas ao sol. Ao invés disso, suas peles brilham como se estivessem cobertas de
diamantes. Robert Pattinson não tinha visto ainda o efeito CGI terminado, mais diz que foi
uma das coisas mais difíceis de se fazer para o filme.

“Nós gostamos de milhões de idéias diferentes. Tipo, nós fizemos essa coisa com sal, tipo
flocos de sal, e tudo mais. E eu estava fazendo todas essas coisas, cada uma delas. Eu
lembro que eles pintaram um dos PAs de azul, só tipo uma direção confusa... Ele terminou
tipo sendo só meio que uma cabeça azul – eu não sei realmente o que eles estavam
querendo com isso.”

Pattinson não está envolvido em muitas cenas de ação em Twilight mas ele teve que fazer
um pouco de trabalho com cabos de aço o que ele admite que foi mais difícil do que parece.
“Você pensaria tipo, sabe, é meio fácil porque você está na verdade só sendo puxado por ai
e tudo mais. Mas é muito difícil de manter seu centro de gravidade e tudo mais. Você tem
que realmente lutar contra isso e também deixar isso fazer o que tem que fazer.”

“É uma das coisas mais difíceis que já fiz,” confessou Pattinson. “Eu tinha feito trabalho
com o cabo de aço em outra coisa mais normalmente com o trabalho com o cabo de aço
você está apenas sendo socado e então você só cai e não importa realmente o que acontece.
Sabe, qualquer um pode cair. Mas quero dizer, com toda a proeza disso, você meio que tem
que ficar bonito e você meio que parece que está fazendo isso, então é meio difícil.”

Pattinson nem quer pensar sobre posters com seu rosto decorando as paredes dos fãs de
Twilight. Mas ele está feliz com o fato de que haverá um boneco do Edward parecido com
ele. “Oh, é, eu gosto disso. O boneco é legal. Quero dizer, isso é o que eu realmente quero.
Eu quero ter um pequeno botão nas costas para então você poder fazer coisas com isso.
Mas sim, estou esperando mais pelo boneco do que pelo pôster.”