Sei sulla pagina 1di 3

O Céu Domina

Dn 4.19-27

Nabucodonosor foi um ícone no assunto governo de impérios da Antigüidade.


Daniel, um ícone no quesito fidelidade da Deus.

A história narra que o Rei Nabucodonosor teve um sonho. Sonhou com uma árvore que
crescia indefinidamente até chegar aos céus. A partir dela se alimentavam todos os seres
da Terra e ela podia ser vista de todo o mundo.
Essa árvore era o próprio rei. Era o seu coração mediante o império que havia criado.
Embelezou a Babilônia com os lendários jardins suspensos, uma das sete maravilhas do
mundo antigo e construiu um gigantesco zigurate, uma torre-templo em forma de
pirâmide para centralizar a adoração babilônica. Derrotou impérios, como o Assírio e o
Egípcio, destruiu Jerusalém e levou o povo cativo para a Babilônia. Transformou a
Babilônia em um império maior que todos os que o antecederam, em todos os sentidos.
Imagino Nabucodonosor olhando todas as suas conquistas, todo o seu poder, e se
gabando ao dizer no vs. 30: “Não é esta a grande Babilônia que edifiquei para a casa
real, por meu grande poder e para a glória da minha majestade?”. Neste ato, inicia-se o
processo onde Deus vai demonstrar QUEM DOMINA.

1 – O Céu domina sobre minha vida, quer eu queira, quer não.


2 – O Céu domina sobre meu destino, quer eu queira, quer não.
3 – O Céu domina, e não precisa me dar satisfação.

1 – O Céu domina sobre minha vida.

Quando penso que o céu exerce domínio sobre todo e qualquer aspecto da minha e da
sua vida, posso compreender que eu não temos sequer a menor noção a respeito daquilo
que nos espera no futuro.
Lembro-me de Jó, que não soube em momento algum as reais motivações para o que
lhe ocorreu, e que, mesmo depois da sua experiência com o Senhor, continuou sem
saber, porque Deus não tem de dar satisfação à ninguém a respeito do que faz.
No entanto, muitos de nós estamos como Jó, alguém que busca a Deus mas que não o
conhece realmente. Muitos de nós continuamos oferecendo sacrifícios, mas não nos
curvamos diante do poder e da majestade do Senhor. Ainda achamos que somos alguma
coisa diante do poder e da glória de Deus. Ainda achamos que podemos alguma coisa
face à vontade soberana e absoluta do Deus Todo-Poderoso, que Domina sobre tudo.
Não consigo compreender muitas das coisas de Deus. Mas uma delas é um fato claro e
patente para mim: Ele Domina.
Por que tudo isso aconteceu com Jó? Por que seus amigos foram perturbar e fazer com
ele sofresse ainda mais? Por que sua mulher, a companheira que estava junto dele na
alegria e na tristeza, saúde e na doença, na riqueza e a pobreza, sugere desesperançosa
que ele amaldiçoe a Deus e morra? Por que ser tão ferido a ponto de ter sua carne
malcheirosa e coberta de feridas? Por que tudo isso na vida de Jó? Por quê?
Eu sei a resposta: “O CÉU DOMINA”.

2 – O Céu Domina sobre meu destino.


Além dos fatos que ocorrem em minha vida, como na vida de Jó, o Céu domina sobre
os caminhos que trilho, e sobre o destino determinado para ele.
Não há nem um passo sequer que eu dê que não seja do conhecimento de Deus e esteja
intimamente ligado ao seu propósito para a minha vida.
Posso me lembrar de muitos exemplos, mas um dos mais marcantes é o de José.
Um jovem que teve de nascer numa família rica, mas terminou por ser lançado em uma
vala como um animal e depois ser vendido como escravo. Tudo isso por seus próprios
irmãos.
Infelizmente, muitos irmãos venderiam os outros como escravos. Infelizmente, muitos
irmãos em Cristo venderiam outros como escravos. Felizmente, alguns me venderiam
como escravo. Por que são incapazes de compreender a dinâmica do Reino na minha
vida, e pior, não compreendem a dinâmica di mesmo Reino na sua própria vida.
Como entender o fato de José ter sido vendido aos seu meio-primos, os ismaelitas?
Pessoas de uma mesma família.
Como posso conceber que esses ismaelitas o vendem a um alto funcionário do Egito, e
esse por sua vez o faz servo de confiança em seu lar.
Como entender que a esposa do chefe tentou seduzí-lo, mas ele foge e por ser fiel
termina preso nas masmorras egípcias.
Até que um dia, em uma oportunidade única em sua vida, José segue a Deus e de
escravo preso por afrontar a autoridade e reputação de um dos militares mais
importantes do Egito, chega a ser o segundo nome mais poderoso do mundo em sua
época.
Por que passar por tudo isso? Por que O CÉU DOMINA sobre o meu destino.

3 – O Céu domina, e não precisa me dar satisfação.

Por último, eu preciso saber que o grande mistério do evangelho do Senhor Jesus Cristo
é que ele ignora total, completa e absolutamente a minha vontade e o meu querer, para
estabelecer a vontade do Senhor. Ou eu nego a mim mesmo, ou eu jamais, e eu repito
isso: JAMAIS poderei fazer parte da plenitude o Reino que se consumará na volta do
Senhor Jesus.
Preciso compreender que nada do que há em mim torna-me capaz de adentrar a cidade
santa, a Nova Jerusalém, o Reino do Senhor e do seu Cristo, mas que somente o
sacrifício do eu pode fazer de mim um habitante dos céus.
Deus fará o que Ele quiser fazer, e cabe a mim estar pronto para sofrer ou para
desfrutar.

Conclusão

Talvez muitos de nós ainda não compreenderam a realidade do Domínio dos Céus sobre
tudo e todos. Muitos ainda não entenderam que não precisam tentar aparecer para os
homens, parecer bonzinhos para que nos aceitem. Não é necessário fazer muitas coisas
para que os líderes o vejam. Também não e importante absolutamente nada do que as
pessoas pensam a seu respeito. Não compreenderam que nós nunca precisamos chamar
a atenção do Pai.
Precisamos compreender em nossa vida que nós é que precisamos atentar ao que Deus
diz. Precisamos entender que o que importa é o que os céus pensam a nosso respeito. E
se estivermos intimamente ligados aos propósitos dos Céus, vamos deixar de lado essa
busca ridícula por sentir-se importante, e passaremos a ter importância de fato. E sabe
por quê? Porque não poderemos nunca mais ser dominados, nem dominaremos
ninguém. Graças a Deus, por que eu não quero ficar pastando. O Céu é quem domina.