Sei sulla pagina 1di 1

DECRETO Nº 10.

745 DE 02 DE AGOSTO DE 1978


Define a conceituação de Acidente em Serviço e dá outras providências.
O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARA, usando da atribuição que lhe confere o item IV do artigo
91 da Constituição do Estado,
DECRETA:
Art. 1° - Acidente em Serviço será aquele que ocorre pelo exercício do trabalho, a serviço da:
Polícia Militar, provocando lesão corporal, perturbação funcional ou doença que cause a morte, a
perda ou a redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho, quando:
a) no exercício dos deveres previstos no art. 30 da Lei n° 4.525, de 9 de julho de 1974 (Estatuto dos
Policiais Militares);
b) no exercício de suas atribuições em locais, durante o expediente normal, ou quando determinado
por autoridade competente, em sua prorrogação ou antecipação;
c) no cumprimento de ordem emanada de autoridade policial-militar competente;
d) no decurso de viagens de serviço previstas em regulamentos ou autorizadas por autoridade
policial-militar competente;
e) no decurso de viagens impostas por motivo de movimentação efetuada no interesse do serviço ou
a pedido (interesse próprio);
f) no deslocamento entre a sua residência e a Organização em que serve ou o local de trabalho, ou
naquele em que sua missão deva ter início ou prosseguimento, vice-versa, usando condução oficial ou particular.
§ 1° - Aplica-se o disposto neste artigo aos policiais-militares da reserva, quando convocados para o
serviço ativo.
§ 2º - Não se aplica o disposto neste artigo quando o acidente for resultado de crime, transgressão
disciplinar, imprudência ou desídia do policial-militar acidentado ou subordinado seu, com uma aquiescência. Os
casos previstos neste Parágrafo serão devidamente comprovados em Inquérito Policial-Militar, para esse fim
mandado instaurar.
Art. 2° - Considera-se ainda acidente em serviço para os fins previstos em lei, o evento danoso que
tiver como causa mediata ou imediata o exercício das atribuições inerentes ao cargo, desde que entre o acidente e
a morte ou a incapacidade haja relação de causa e efeito.
Art. 3° - Os policiais-militares acidentados antes da vigência do presente Decreto, não amparados por
inexistência de regulamentação a respeito, ou seus legítimos representantes poderão requerer, no prazo de um (1)
ano, enquanto não prescreverem, os benefícios oriundos da legislação de acidente em serviço, a contar da
publicação daquele no Órgão Oficial do Estado.
§ 1º - Esgotado esse prazo, o direito de requerer os eventuais benefícios; decorrentes da
retroatividade prevista neste artigo ficará automaticamente prescrito.
§ 2° - O disposto no presente artigo não se aplica aos casos já decididos no âmbito judicial, à data da
vigência deste Decreto.
Art. 4° O presente Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em
contrário.
Palácio do Governo do Estado do Pará, 02 de agosto de 1978.
Prof. Dr. ALOYSIO DA COSTA CHAVES
Governador do Estado
Prof. HÉLIO ANTÔNIO MOKARZEL
Secretário de Estado de Administração

Cel Ex FLARYS GUEDES HENRIQUES DE ARAUJO


Secretário de Estado de Segurança Pública.
Transcrito do Diário Oficial do Estado Nº 23.823 de 04 de agosto de 1978.
Fonte de Informação COLETÂNEA DE LEGISLAÇÃO
ROMEU TEIXEIRA DANTAS,VOLUME 2, PÁGINA N 88.Editora Cejup