Sei sulla pagina 1di 140

DRENAGEM LINFÁTICA

Bianca Rodrigues
O que é Drenagem Linfática?
A drenagem linfática manual é uma técnica de massagem que estimula o
sistema linfático a trabalhar em um ritmo mais acelerado. Essa técnica
mobiliza a linfa até os gânglios linfáticos, reduzindo a retenção de líquidos e
favorecendo a eliminação de toxinas na região massageada.
Origem da DLM
Em 1977, os professores
Albert e Oliver Leduc,
adaptaram o método do Dr.
Vodder, demonstrando
mediante radioscopia, o
efeito de aceleração do
fluxo linfático mediante
drenagem linfática manual.
Vodder x Leduc
Emil Vodder: considerado o pai da Drenagem Linfática, doutor em
fisioterapia, elabora em Cannes um método completo e original para tratar
um paciente acometido de sinusite, chamado de en roue voilée (em
círculos), e de maneira suave e rítmica, para aliviar várias patologias e
edemas. Inicia sua DLM primeiramente nas regiões próximas ao coração e
vai afastando no sentido da extremidade, seguindo o fluxo linfático. Suas
manobras são de proximal para distal.
Vodder x Leduc
Albert Leduc: em 1977 adaptou o método Föeldi e Vodder. Em edemas
menos importantes trabalha com DLM mais exercícios; e em edemas mais
acentuados, com DLM somada à pressoterapia e bandagens. Nas regiões
sãs ou infiltradas, ele trabalha de proximal para distal ou vice-versa, no
linfedema inicia pela raiz do membro.
SISTEMA LINFÁTICO
Sistema Linfático
▪ O sistema linfático é uma rede complexa de órgãos linfoides:
linfonodos, ductos linfáticos, tecidos linfáticos, capilares linfáticos e vasos
linfáticos.
Funções:
▪ Produzem e transportam o fluido linfático (linfa) dos tecidos para o sistema
circulatório, ou seja, é constituído por uma vasta rede de vasos semelhantes às
veias (vasos linfáticos).
▪ Distribuem por todo o corpo e recolhem o líquido tissular que não retornou aos
capilares sanguíneos, filtrando-o e reconduzindo-o à circulação sanguínea.
Sistema Linfático

O sistema linfático também é um importante componente do sistema


imunológico, pois colabora com glóbulos brancos para proteção contra
bactérias e vírus invasores.
Linfa
É um líquido transparente, esbranquiçado (algumas vezes amarelado ou
rosado) e alcalino que circula pelos vasos linfáticos.
Cerca de 2/3 de toda a linfa derivam do fígado e do intestino.
A linfa é transportada pelos vasos linfáticos em sentido unidirecional e
filtrada nos linfonodos.
Após a filtragem, é lançada no sangue, desembocando nas grandes veias
torácicas.
Circulação Linfática
A circulação linfática é responsável pela absorção de detritos e
macromoléculas que as células produzem durante seu metabolismo, ou
que não conseguem ser captadas pelo sistema sanguíneo.

O sistema linfático coleta a linfa, por difusão, através dos capilares linfáticos,
e a conduz para dentro do sistema linfático. Uma vez dentro do sistema, o
fluido é chamado de linfa, e tem sempre a mesma composição do que o
fluido intersticial.
https://fisiologica.com.br/o-que-e-circulacao-linfatica-e-qual-sua-importancia/
Circulação Linfática
▪ Ao contrário do sangue, que é impulsionado através dos vasos pela força do
coração, o sistema linfático não é um sistema fechado e não tem uma bomba
central.

▪ Este fluido é então transportado progressivamente para vasos linfáticos maiores


acumulando-se no ducto linfático direito e no ducto torácico. Estes ductos
desembocam no sistema circulatório na veia subclávia esquerda e direita.
Ductos
Ductos

▪ Ducto Torácico
Conduz a linfa da maior parte do corpo
para o sangue. É o tronco comum a
todos os vasos linfáticos, exceto os
vasos citados anteriormente.
Órgãos Linfáticos
Baço: É um órgão excluído da circulação linfática porém interposto na circulação
sanguínea e cuja drenagem venosa passa, obrigatoriamente, pelo fígado.
Linfonodos: São pequenos órgãos em forma de feijões localizados ao longo do
canal do sistema linfático. São os órgãos linfáticos mais numerosos do organismo.
Tonsilas palatina: Produzem linfócitos.
Tonsila faríngea (adenoides): É uma saliência produzida por tecido linfático
encontrada na parede posterior da parte nasal da faringe.
Timo: Considerado um órgão linfático por ser composto por um grande número
de linfócitos e por sua única função conhecida que é de produzir linfócitos.
Principais Linfonodos
- Região Poplitea;
- Virilha;
- Fossa Cubital;
- Axilas;
- Subclavicular;
- Cervical
Referências

https://www.auladeanatomia.com/novosite/pt/sistemas/sistema-linfatico/
A Drenagem Linfática
• A Drenagem Linfática Manual (DLM) é uma técnica de
massagem, feita com pouquíssimas pressões, suaves,
intermitentes, lentas e relaxantes, que seguem a anatomia do
sistema linfático, aperfeiçoando algumas de suas funções
(Leduc, 2000).
Indicações da DLM
▪ Edemas;
▪ Pós-operatório;
▪ Alívio de dor;
▪ Circulação sanguínea comprometida;
▪ Edema no período gestacional;
▪ Tensão-menstrual;
▪ Musculatura tensa; etc.
Contraindicações
▪ Eczema agudo;
▪ Febre;
▪ Flebites e tromboflebites agudas,
▪ Infecções agudas;
▪ Neoplasias malignas (câncer).
Benefícios da DLM
▪ Combate o inchaço (edema) e a retenção de líquidos;
▪ Ajuda no combate à celulite;
▪ Ajuda na recuperação de lesões musculares e articulares;
▪ Colabora na cicatrização dos tecidos;
▪ Previne aderências cicatriciais após a cirurgia plástica;
▪ Reduz os hematomas;
▪ Melhora a circulação sanguínea, venosa e linfática;
▪ Oxigena os tecidos de forma mais adequada;
▪ Colabora para a eliminação das toxinas do corpo;
MANOBRAS
Manobras da DLM
• A drenagem inicia-se com o estímulo dos linfonodos (gânglios
linfáticos) corporais e em seguida com os movimentos para
drenagem da linfa.
• As manobras são feitas com pressões leves e suaves, comprimindo
apenas o tecido superficial, sem alcançar a musculatura. O ritmo é
lento e os números de repetições das manobras precisará ser de
pelo menos oito vezes, em cada local.
Manobras da DLM
• A DLM terá de acompanhar a direção da circulação sanguínea
e do fluxo linfático, começando pela região proximal e logo em
seguida pela distal.
Manobras da DLM
Existem diversas manobras que podem ser realizadas durante
uma sessão de drenagem, mas as mais utilizadas são:

▪ Círculos com os dedos (sem o polegar): são


realizados movimentos circulares pressionando levemente a
pele e são realizados círculos várias vezes consecutivas pela
área de pele a tratar;
Manobras da DLM
• Pressão com a parte lateral da mão: posicionar a parte lateral
da mão (dedo mindinho) sobre a região a ser tratada e rodar o
punho até os outros dedos tocarem na pele. Realizar esse
movimento repetidas vezes ao longo da região a tratar;
Manobras da DLM
• Deslizamento ou bracelete: é mais usado nos braços e pernas
ou locais onde seja possível enrolar a mão à volta. Deve-se
fechar a mão sobre a região a ser tratada e pressionar o local
com um ligeiro movimento de arrastamento e começando da
região mais próxima dos gânglios e ir afastando;
Manobras da DLM
Passo a passo
A drenagem linfática sempre deve ser iniciada com manobras
que estimulem o esvaziamento dos gânglios linfáticos.
Para isso, pode-se fazer movimentos circulares sobre a região
dos gânglios linfático ou fazer movimentos de bombeamento, 10
a 15 vezes.
Bombeamento

• Virilha;
• Região poplitea;
• Abdomen;
• Fossa cubital;
• Subclavicular;
• Axila;
• Cervical
Passo a passo
• Drenagem Linfática Facial
A drenagem do rosto inicia pela drenagem do pescoço.
Comece bombeando a região supraclavicular e então realize as
manobras de captação de encontro ao linfonodo.
Passo a passo
• Drenagem Linfática Manual
A região ao redor da boca deve ser drenada no sentido do
queixo;
A região do nariz, altura dos olhos e testa devem ser drenadas no
sentido das temporas.
Passo a passo
• Drenagem Linfática nos membros superiores
• Fazer o movimento de deslizamento ou bracelete do cotovelo até a região da axila.
Repetir de 5-7 vezes;
• Fazer movimentos de deslizamento ou bracelete desde o punho até o cotovelo. Repetir
de 3-5 vezes;

• Próximo ao punho os movimentos devem ser realizados com as pontas dos dedos em
movimentos circulares;
• A drenagem da mão inicia com os movimentos circulares da região próxima ao polegar
até a base dos dedos;
PRÓXIMA AULA:

Abdomên, membros
inferiores e dorso
Drenagem Linfática

Manobras
Passo a passo
• Drenagem Linfática do colo e mamas
Comece pelo bombeamento das axilas, região supraclavicular
A região das mamas é drenada em direção às axilas
A região colo, em direção ao linfonodo supraclavicular
Passo a passo
• Drenagem Linfática no abdomên
A drenagem do abdômen começa com o estímulo da região inguinal.
Fazer movimentos de pressão com a lateral da mão em volta do
umbigo em direção à crista ilíaca, e depois da crista ilíaca até o região
inguinal. Repetir entre 5-10 vezes de cada lado;
A drenagem da parte lateral deve ser de cima para baixo,
pressionando suavemente a pele até chegar ao quadril. Repetir entre
5-10 vezes.
Bônus
Passo a passo
• Drenagem Linfática nos membros inferiores
Posicionar as mãos em forma de bracelete sobre a coxa e fazer
deslizamentos do meio da coxa até os gânglios, de 5-10 vezes e depois da
região mais próxima do joelho, até a região inguinal, de 5-10 vezes;
A região interna da coxa deve ser drenada em direção aos genitais;
A drenagem do joelho começa pela drenagem dos gânglios poplíteos;
Fazer movimentos de bracelete desde o tornozelo até a parte de trás dos
joelhos
Passo a passo
• Drenagem linfática no dorso
• O meio das costas em direção à axila;
• A região lombar em direção à região inguinal;
• A região superior e média do glúteo em direção à região
inguinal;
• A parte inferior dos glúteos em direção aos genitais.
Drenagem Linfática

Manobras
A Drenagem Linfática
• A Drenagem Linfática Manual (DLM) é uma técnica de
massagem, feita com pouquíssimas pressões, suaves,
intermitentes, lentas e relaxantes, que seguem a anatomia do
sistema linfático, aperfeiçoando algumas de suas funções
(Leduc, 2000).
Indicações da DLM
▪ Edemas;
▪ Pós-operatório;
▪ Alívio de dor;
▪ Circulação sanguínea comprometida;
▪ Edema no período gestacional;
▪ Tensão-menstrual;
▪ Musculatura tensa; etc.
Contraindicações
▪ Eczema agudo;
▪ Febre;
▪ Flebites e tromboflebites agudas,
▪ Infecções agudas;
▪ Neoplasias malignas (câncer).
Benefícios da DLM
▪ Combate o inchaço (edema) e a retenção de líquidos;
▪ Ajuda no combate à celulite;
▪ Ajuda na recuperação de lesões musculares e articulares;
▪ Colabora na cicatrização dos tecidos;
▪ Previne aderências cicatriciais após a cirurgia plástica;
▪ Reduz os hematomas;
▪ Melhora a circulação sanguínea, venosa e linfática;
▪ Oxigena os tecidos de forma mais adequada;
▪ Colabora para a eliminação das toxinas do corpo;
MANOBRAS
Manobras da DLM
• A drenagem inicia-se com o estímulo dos linfonodos (gânglios
linfáticos) corporais e em seguida com os movimentos para
drenagem da linfa.
• As manobras são feitas com pressões leves e suaves, comprimindo
apenas o tecido superficial, sem alcançar a musculatura. O ritmo é
lento e os números de repetições das manobras precisará ser de
pelo menos oito vezes, em cada local.
Manobras da DLM
• A DLM terá de acompanhar a direção da circulação sanguínea
e do fluxo linfático, começando pela região proximal e logo em
seguida pela distal.
Manobras da DLM
Existem diversas manobras que podem ser realizadas durante
uma sessão de drenagem, mas as mais utilizadas são:

▪ Círculos com os dedos (sem o polegar): são


realizados movimentos circulares pressionando levemente a
pele e são realizados círculos várias vezes consecutivas pela
área de pele a tratar;
Manobras da DLM
• Pressão com a parte lateral da mão: posicionar a parte lateral
da mão (dedo mindinho) sobre a região a ser tratada e rodar o
punho até os outros dedos tocarem na pele. Realizar esse
movimento repetidas vezes ao longo da região a tratar;
Manobras da DLM
• Deslizamento ou bracelete: é mais usado nos braços e pernas
ou locais onde seja possível enrolar a mão à volta. Deve-se
fechar a mão sobre a região a ser tratada e pressionar o local
com um ligeiro movimento de arrastamento e começando da
região mais próxima dos gânglios e ir afastando;
Manobras da DLM
Passo a passo
A drenagem linfática sempre deve ser iniciada com manobras
que estimulem o esvaziamento dos gânglios linfáticos.
Para isso, pode-se fazer movimentos circulares sobre a região
dos gânglios linfático ou fazer movimentos de bombeamento, 10
a 15 vezes.
Bombeamento

• Virilha;
• Região poplitea;
• Abdomen;
• Fossa cubital;
• Subclavicular;
• Axila;
• Cervical
Passo a passo
• Drenagem Linfática Facial
A drenagem do rosto inicia pela drenagem do pescoço.
Comece bombeando a região supraclavicular e então realize as
manobras de captação de encontro ao linfonodo.
Passo a passo
• Drenagem Linfática Manual
A região ao redor da boca deve ser drenada no sentido do
queixo;
A região do nariz, altura dos olhos e testa devem ser drenadas no
sentido das temporas.
Passo a passo
• Drenagem Linfática nos membros superiores
• Fazer o movimento de deslizamento ou bracelete do cotovelo até a região da axila.
Repetir de 5-7 vezes;
• Fazer movimentos de deslizamento ou bracelete desde o punho até o cotovelo. Repetir
de 3-5 vezes;

• Próximo ao punho os movimentos devem ser realizados com as pontas dos dedos em
movimentos circulares;
• A drenagem da mão inicia com os movimentos circulares da região próxima ao polegar
até a base dos dedos;
PRÓXIMA AULA:

Abdomên, membros
inferiores e dorso
Passo a passo
• Drenagem Linfática do colo e mamas
Comece pelo bombeamento das axilas, região supraclavicular
A região das mamas é drenada em direção às axilas
A região colo, em direção ao linfonodo supraclavicular
Passo a passo
• Drenagem Linfática no abdomên
A drenagem do abdômen começa com o estímulo da região inguinal.
Fazer movimentos de pressão com a lateral da mão em volta do
umbigo em direção à crista ilíaca, e depois da crista ilíaca até o região
inguinal. Repetir entre 5-10 vezes de cada lado;
A drenagem da parte lateral deve ser de cima para baixo,
pressionando suavemente a pele até chegar ao quadril. Repetir entre
5-10 vezes.
Bônus
Passo a passo
• Drenagem Linfática nos membros inferiores
Posicionar as mãos em forma de bracelete sobre a coxa e fazer
deslizamentos do meio da coxa até os gânglios, de 5-10 vezes e depois da
região mais próxima do joelho, até a região inguinal, de 5-10 vezes;
A região interna da coxa deve ser drenada em direção aos genitais;
A drenagem do joelho começa pela drenagem dos gânglios poplíteos;
Fazer movimentos de bracelete desde o tornozelo até a parte de trás dos
joelhos
Passo a passo
• Drenagem linfática no dorso
• O meio das costas em direção à axila;
• A região lombar em direção à região inguinal;
• A região superior e média do glúteo em direção à região
inguinal;
• A parte inferior dos glúteos em direção aos genitais.
Pós Operatório
Depois de uma cirurgia, são necessários alguns cuidados
especiais, como uso de medicamentos, repouso e alimentação
saudável. Outra medida bastante importante, após um
procedimento cirúrgico, é realizar a drenagem linfática no pós-
operatório.
A DLM é um procedimento muito utilizado no pós-operatório de
diferentes cirurgias plásticas como lipoaspiração,
abdominoplastia, colocação de próteses e outras.
Também é indicada para o P.O de diversas cirurgias clínicas
como a mastectomia, bariátrica, parto e etc.
Após um procedimento cirurgico é comum que o paciente
apresente edema, principalmente se o processo interferir na
circulação linfática.
*Processo inflamatório
Benefícios
Benefícios
Reduz a retenção de líquidos
• A drenagem linfática auxilia o corpo a eliminar os líquidos em
excesso no organismo, sendo bastante útil, especialmente,
quando aplicada na área operada. Com isso, ela vai ajudar
a diminuir o inchaço da região.
Benefícios
Ajuda a aliviar as dores
• O inchado posterior à cirurgia também pode causar muito
desconforto no paciente. Com os movimentos da drenagem linfática
e a redução do inchaço, esse desconforto também é eliminado.
• Além disso, a massagem promove o relaxamento e pode ajudar
a evitar as dores musculares em pessoas que precisam se manter na
mesma posição após uma cirurgia.
Benefícios
Hidrata a pele
• Após uma cirurgia, a pele pode desidratar. Durante a
massagem da drenagem linfática, os movimentos e os produtos
utilizados durante o procedimento contribuem para
a reposição da umidade da pele, melhorando a sua aparência.
Benefícios
Acelera a cicatrização
• Outro benefício da drenagem linfática é estimular a circulação
sanguínea, contribuindo para a captação de oxigênio, a
hidratação e a nutrição das células.
Essa melhoria ajuda significativamente o processos de
cicatrização, aumentando a capacidade de absorção dos
hematomas que aparecem após a cirurgia.
Benefícios
Evita a formação de fibrose
• Durante o processo de cicatrização, pode ocorrer um aumento de
tecido na região onde foi realizado o corte cirúrgico, situação
conhecida como fibrose. Como ninguém deseja ter uma cicatriz
depois de um procedimento cirúrgico, essa é mais uma razão para
adotar a drenagem linfática. Como esse tratamento promove a
melhoria da circulação sanguínea, a fibrose pode ser evitada ou
reduzida.
Benefícios
Desintoxica o organismo
• Existem muitos fatores que podem contribuir para o acúmulo
de toxinas no corpo, como a má alimentação. No processo pós-
operatório, o uso de medicamentos e a falta de atividade física,
associados à retenção de líquidos, podem agravar o problema.
• Como a massagem ajuda a eliminar essas toxinas presentes no
sistema linfático, o seu corpo consegue se desintoxicar.
Recomendações
Recomendações DLM no P.O
• Liberação Médica
É sempre importante ter a liberação do médico responsável para
iniciar os atendimentos.
• Avalie o paciente
Faça a anamnese, avalie as funções físicas e fisiológicas, question
quanto ao uso de dispositivos e cintas.
Recomendações DLM o P.O
• Avalie risco e presença de fibrose
• Cuidado com pontos e curativos
• Cuidado com o risco de infecções
• Oriente o paciente quanto o número de sessões
Número de sessões,
frequência e alta.
Quantas sessões são necessárias?
• Depende do tipo de cirurgia, edema, resposta fisiológica do
paciente e frequência.
• Geralmente se indica pelo menos 10 sessões.
Qual a frequência?
Também depende do tipo de cirurgia e resposta fisiológica.
Há casos em que o paciente precisa fazer de 3-5 sessões por
semana.
No geral se recomenda fazer 2-3 sessões por semana e ao longo
do PO reduz para 1 sessão.
Paciente recebe alta de drenagem?
Seu paciente estará apto a receber alta quando seu edema for
eliminado e quando o seu sistema linfático realizar sua função de
maneira satisfatória, funcional e independente.
Lembre-se de que a drenagem é uma terapia manual livre,
mesmo após a alta o paciente pode retornar quando achar
viável.
Como realizar
DLM no PO?
• O procedimento não muda, continuaremos realizando as manobras
de bombeamento e captação.
• Devemos dedicar tempo e atenção para as áreas de maior edema e
dor.
• Podemos realizar Drenagem Facial ou Corporal
• ATENÇÃO: Independente do local de cirurgia, sempre teremos de
drenar o corpo todo!
Próxima Aula:

DLM em Gestantes
DLM em gestantes
A DLM é indicada para as gestantes devido a fisiologia
da gravidez que aumenta a retenção de líquido e
apresenta edemas.
Contraindicações
▪ Flebites e Tromboflebites agudas;
▪ Proibição Médica;
▪ Falta de acompanhamento pré-natal

Antigamente se falava que a DLM era contraindicada no primeiro trimestre


por aumentar o risco de aborto. Isso já foi desmistificado.
Flebite e Tromboflebite
A flebite um termo utilizado para designar todo tipo de inflamação da
parede das veias.
Esta inflamação da parede do vaso permite a aderência de plaquetas,
células responsáveis pela coagulação do sangue, e estas podem formar um
trombo, levando a uma condição chamada tromboflebite.
Anamnese
Realizar a anamnese da gestante é completamente
indispensável, é nesse momento que você colhe as informações
para saber se há contraindicações.

▪ Pergunte sobre avaliação médica


▪ Liberação médica
▪ Período gestacional
▪ Sinais e sintomas
Alterações Fisiológicas da
Gestação
▪ São alterações que ocorrem no organismo da mulher durante a gestação
e que desparecem após o parto.

▪ São inevitáveis, temporárias e que estão presentes em todas as


gestantes, em graus variáveis.
Sistema Cardiovascular

▪ Há um aumento da pressão venosa nos MMII pela compressão parcial da


veia cava,
▪ pelo aumento de volume do útero.
▪ A FC em repouso aumenta cerca de 10 bpm;
▪ Pode ocorrer câimbras, edemas e varizes.
O edema embora seja considerado uma adaptação
fisiológica na gestação, provoca muito desconforto para
a gestante dificultando as atividades diárias.
Procedimento
Mais uma vez, o procedimento não muda. A DLM segue com as mesmas
manobras, o que diferencia a drenagem em gestantes é o posicionamento
e as possibilidades de técnicas.
É preciso lembrar que a gestante não usará o decúbito ventral e por vezes,
nem o decúbito dorsal sem apoio. O decúbito lateral é o mais indicado!
Acessórios de
Posicionamento

ALMOFADA ESCADA
Acessórios de
Posicionamento
Acessórios de
Posicionamento
Outras técnicas
▪ Mobilidade
▪ Alongamentos
▪ Atividade Física
▪ Bandagem funcional

Todas auxiliam na manutenção da funcionalidade do sistema linfático e


vascular reduzindo edemas, cansaço e dor.
Cuidados
▪ Algumas mulheres se sentem incomodadas com toques na barriga,
então é sempre bom pedir autorização.
▪ Auxilie a gestante e descer da maca, uma das alterações fisiológicas é a
hipotensão postural.
▪ Avalie os produtos que irá utilizar e evite cremes/óleos que aumentam a
circulação sanguínea.
MUITO OBRIGADA!!
Dra. Bianca Rodrigues Azarias
Fisioterapeuta - Saúde da Mulher
Instagram: @fisiobiancarodrigues
fsio.biancarodrigues@hotmail.com