Sei sulla pagina 1di 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ....

ª VARA DA
COMARCA DE CANOINHAS NO ESTADO DE SANTA CATARINA.

TPZ e Cia Ltda pessoa jurídica de direito privado,


regularmente inscrita no CGC/MF sob o nº 321456788 e
com sede na Rua Getúlio Vargas nº 333, Centro em
Canoinhas/SC, por sua procuradora e advogada
(mandato em anexo), vem com o acatamento devido
diante de Vossa Excelência propor:

EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA POR DEVEDOR SOLVENTE

contra Raimundo Nodanto Sarney, brasileiro, casado,


comerciante, residente e domiciliado na Rua Artur Baptista, 171, Picaretas,
Canoinhas/SC, o que efetivamente o faz, pelas razões de direito e de fato,
conforme aduz:

I – DOS FATOS

1. O EXEQUENTE é credor do EXECUTADO da importância líquida, certa e


exigível de R$ 9.510,00 reais (nove mil quinhentos e dez reais), importância
essa expressa em duplicata mercantil nº 0001/2010, referente a uma nota
fiscal de nº 999, no dia 01/02/2010, com vencimento para 01/03/2010.
Referida duplicata teve origem na aquisição de materiais de escritório por
Raimundo junto a TPZ, que adquiriu os bens para pagamento em 30 dias e
desde então não cumpriu para com sua obrigação. A duplicata mercantil foi
emitida sem aceite, porém, foi protestada por falta de pagamento em
15/03/2010. A prova de entrega da mercadoria consta no canhoto assinado
por Raimundo e datado quando da emissão da nota fiscal.

2. Resultando sempre inúteis as tentativas de recebimento amigável do


EXECUTADO recorra pois o EXEQUENTE ao Poder Judiciário, no sentido de
ver o seu direito satisfeito com o pagamento pelos Requeridos da importância
demandada, bem como demonstrativo atualizado de débito de correção INPC
+ 1% ao mês.

II – DOS PEDIDOS

1. Diante do exposto REQUER a Vossa Excelência se digne mandar expedir


mandado de citação, a ser cumprido pelo Senhor Oficial de Justiça, para que
uma vez citados os Executados, paguem o valor principal devidamente
corrigido, mais as custas processuais e os honorários advocatícios, estes
arbitrados por V. Exa., ou apresentem bens à penhora, tantos quantos forem
necessários à garantia do Juízo, ou ainda querendo, apresentam Defesa,
para que decorridos todos os trâmites legais do Processo da Execução, seja a
presente Ação julgada procedente e afinal, condenados os Executados ao
pagamento na forma da lei, de todas as verbas pleiteadas.

Dá-se à causa o valor de R$ 9.510,00 reais (nove mil quinhentos e dez reais)

Termos em que,

Pede deferimento.

Canoinhas, 03 de novembro de 2010.

Jéssica Davet
OAB/SC XX.XXX