Sei sulla pagina 1di 1

15- Como é feito o controle de estoque?

É alimentado algum sistema informatizado, e ou o


controle é manual?

A empresa tem um sistema próprio (SAP) para controle de estoque, quantidade mínima de
cada tipo de prótese e para cada tipo de contrato. A exemplo, contrato com hospitais do
governo existe um estoque mínimo de peças de emergência, que dependem do contrato, tem-
se duas direções de estoque – físico dentro da empresa e físico dentro dos hospitais ou centros
de distribuições (a depender do tamanho da cidade).

Os que são mantidos dentro da empresa por contrato tem que ser entregues para cirurgias
emergenciais em até 2 horas da requisição.

Para próteses não emergenciais usa-se a estimativa anual de consumo da empresa para
estoque mínimo.

16- Quando surgi a necessidade de material no ponto de uso, como a área de estocagem
fica sabendo desta necessidade?

As requisições por terceiros são feitas diretamente no sistema da empresa, que importa estas
requisições do DATASUS da prefeitura e ou os clientes tem acesso com usuário e senha dentro
do sistema para implantar os pedidos, neste caso principalmente em clinicas particulares.

17- Como é feita a entrega de material no ponto de uso?

Por se tratar de produtos de alto valor agregado é feito o transporte por frota própria para
acompanhamento e entrega.

18- O ponto de uso possui estruturas apropriadas para receber / acondicionar os


materiais? Que tipos de estruturas?

Quando são peças de estoque os hospitais / clínicas devem manter em local fechado, dentro
das embalagens originais e com lacre intacto, que deverá ser aberto somente antes do uso
para esterilização final dos produtos antes da aplicação no paciente. Quando peças de
emergência são transportadas e entregues diretamente ao setor responsável dentro da
emergência hospitalar, que também deverá verificar o lacre e a embalagem original e
encaminhado para a esterilização.

Conclusão:

Por se tratar de materiais de alto valor agregado, alto custo de produção, de uso emergencial
via contrato de prestação de serviço e consequentemente estoque muito caro para a empresa,
o processo de logística e gestão da cadeira de produção é uma área de muita importância
dentro da empresa, qualquer deslize impacta diretamente no lucro e também na
confiabilidade da mesma uma vez que qualquer problema apresentado com os contratos há
penalidades. Outro problema é o controle de qualidade no recebimento da matéria prima e
após a conclusão da peça, por se tratar de equipamentos cirúrgicos caso haja qualquer defeito
de fabricação na peça deverá ser rastreado antes do uso. Se o erro aparecer posteriormente a
empresa poderá sofrer sérias consequências jurídicas que levam a quebra de contrato e
embargo do uso de qualquer ferramental da empresa.